• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 36
  • Tagged with
  • 36
  • 36
  • 13
  • 12
  • 11
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 5
  • 4
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Um olhar impossível : construção psicanalítica e montagem cinematográfica

Barbosa, Pablo Bergami Goulart 19 June 2006 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2006. / Submitted by Thaíza da Silva Santos (thaiza28@hotmail.com) on 2009-10-24T01:45:10Z No. of bitstreams: 1 2006_Pablo Bergami Goulart Barbosa.pdf: 326322 bytes, checksum: b07b029768713f45fe2eacc95768dd85 (MD5) / Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2011-01-18T17:37:23Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2006_Pablo Bergami Goulart Barbosa.pdf: 326322 bytes, checksum: b07b029768713f45fe2eacc95768dd85 (MD5) / Made available in DSpace on 2011-01-18T17:37:23Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2006_Pablo Bergami Goulart Barbosa.pdf: 326322 bytes, checksum: b07b029768713f45fe2eacc95768dd85 (MD5) Previous issue date: 2006-06-19 / A partir do questionamento sobre a função do divã no setting analítico prossegue-se a uma exploração do estatuto da imagem e do olhar na clínica e na teoria psicanalítica através dos conceitos de lembranças encobridoras, fantasia e fetiche. Sublinha-se o quanto essas formações indicam da imbricação entre a imagem e a palavra em sua constituição. Propõe-se uma analogia entre o trabalho de interpretação psicanalítica em sua forma mais complexa, a construção, com a noção de montagem cinematográfica, segundo a teoria de Serguei Eisenstein sobre a última. Ambos os trabalhos se realizam ao coligir fragmentos imagéticos na busca de construir narrativas prenhes de significância. Trata-se também da relação entre cinema e psicanálise brevemente. Num segundo momento, a noção lacaniana de objeto a vem auxiliar na caracterização teórica do campo do visual e circunscrever o vazio no lugar do olhar do Outro. Uma exploração de desenvolvimentos da teoria cinematográfica acerca de sua estruturação como linguagem leva à caracterização de um sujeito cinematográfico ligado ao olhar construído pela montagem e pelo enquadre, que o cinema oferta. Por fim, propõe-se um método psicanalítico de leitura do cinema, focado na constituição deste olhar e no desvelamento da identificação imaginária com ele. A analogia entre interpretação e montagem é levada adiante, apoiada sobre a questão do objeto a e da falta constitutiva, sendo finalmente proposta como uma montagem ao redor do vazio. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT / Taking as a starting point the question regarding the function of the couch in the analytic setting, an exploration of the status of image and glance in psychoanalytic clinic and theory is ensued. Such exploration is done through the concepts of screen memories, fantasy and fetish. It is stressed how much these formations indicate the intermixing of image and Word in their constitution. An analogy is proposed between the work of psychoanalytic interpretation in its most complex form, construction, and the notion of cinematographic montage, according to Sergei Eisenstein’s theory of the latest. Both works are accomplished through collecting and linking together image fragments with the aim of constructing narratives pregnant with significance. The relationship between psychoanalysis and cinema is also dealt with briefly. On a second moment the lacanian notion of the object a comes to aid in the theoretical characterization of the visual field end to circumscribe the void in the place of the gaze of the Other. An exploration of the developments of cinema theory regarding its structuring as a language leads to the characterization of a cinematographic subject linked to the glance constructed my montage and framing, which cinema offers. Finally, it is proposed a psychoanalytic method for reading cinema, focused on the constitution of such glance and on the unveiling of the imaginary identification to it. The analogy between interpretation and montage is taken further, supported by the developments on the object a and the constitutive lack, thus being finally proposed as a montage around the void.
2

INFANS : (Im)pertinências do infantil na imagem

Ferreira, Matias Monteiro 28 March 2008 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Artes, Programa de Pós-Graduação em Arte, 2008. / Submitted by Jaqueline Ferreira de Souza (jaquefs.braz@gmail.com) on 2011-04-07T00:19:59Z No. of bitstreams: 1 2008_MatiasMonteiroFerreira.pdf: 5403851 bytes, checksum: f6d84b89b232fdff0cb1c3a1e28914cc (MD5) / Approved for entry into archive by Jaqueline Ferreira de Souza(jaquefs.braz@gmail.com) on 2011-04-07T00:21:13Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_MatiasMonteiroFerreira.pdf: 5403851 bytes, checksum: f6d84b89b232fdff0cb1c3a1e28914cc (MD5) / Made available in DSpace on 2011-04-07T00:21:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_MatiasMonteiroFerreira.pdf: 5403851 bytes, checksum: f6d84b89b232fdff0cb1c3a1e28914cc (MD5) / A presente dissertação parte de uma prática poética para propor-se como uma reflexão sobre alguns dos desafios inerentes aos ofícios da apreciação. É com esse intento que propomos a jouissance da obra (fruição) como a emergência de uma (im)pertinência infantil da imagem, á partir do hiato que a experiência analítica sugere entre os conceitos de infância e infantil. Essa emergência infantil se daria na experiência apreciativa mediante a um excesso que na imagem atua como resistência; que perturba o espectador e impede o estabelecimento de uma imagem ortopédica, como uma confortável miragem, abrindo espaço para a inquietação e constrangimento, como uma certa reversibilidade inerente ao olhar. Exploramos esse assédio infantil da imagem através de diversos aspectos: o lúdico, o estranho, o obsceno e a impossibilidade de fala. ____________________________________________________________________________ ABSTRACT / The present dissertation explores some challenges inherent to art apreciation based on a poetical practice. We here alude to jouissance (of an artwork) as the emergence of an infantile (im)pertinence of imagery, mainly supported on the gap between the concepts of childhood and infancy as suggested by psychoanalytical experience. This infantile (im)pertinence would operate in image as an excess that resists sight; therefore, it disturbs the viewer and prevents the establishment of an ortopedical image, a confortable mirage, setting unrest and enbaressment, as a certain reversibility of gaze. We here explore this infantile effect of image as being manifold: through ludicity (play), uncanniness, obscenity and impossibility of speech.
3

Subjetivação, música e temporalidades

Luiz Neto, Vítor 01 September 2015 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2015. / Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2016-06-20T17:01:28Z No. of bitstreams: 1 2015_VítorLuizNeto.pdf: 1686284 bytes, checksum: ba6270f0fe2c4891c8f2eccc8e474c83 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2017-01-18T20:27:14Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_VítorLuizNeto.pdf: 1686284 bytes, checksum: ba6270f0fe2c4891c8f2eccc8e474c83 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-01-18T20:27:14Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_VítorLuizNeto.pdf: 1686284 bytes, checksum: ba6270f0fe2c4891c8f2eccc8e474c83 (MD5) / Esta dissertação trabalha o entrelaçamento entre tempo e processos de subjetivação. O principal objetivo deste trabalho é entender e problematizar como se dá histórica, social e culturalmente as percepções temporais no sujeito, reconhecendo a vulnerabilidade humana frente ao real do tempo. Para isso, utilizou-se da Psicanálise, das Ciências Sociais, da História e da Arte, em específico as músicas da cantora baiana Pitty, para reconhecer possíveis inscrições destas percepções. Neste sentido, o tempo é entendido enquanto um símbolo social que não diz apenas de uma construção humana e nem exclusivamente de um dado do transcorrer natural. O tempo é, por isso, um processo de subjetivação, a própria subjetividade, a partir do desenvolvimento de determinados processos históricos e sociais. Num primeiro momento são resgatadas percepções acerca do assunto do tempo em alguns contextos históricos, perpassando pelas idades Antiga e Média até reconhecer o caráter disciplinatório e onipresente que o tempo adquire na vida humana a partir da Modernidade e, consequentemente, nas sociedades ocidentais mais atuais. Percebe-se a transição de um tempo externo, da natureza ou divino, para um tempo interno, a partir da emergência de um sujeito histórico dotado de interioridade. Este movimento se deu através de transformações socioeconômicas que propiciaram a configuração da existência humana como tempo. A partir disto, em uma segunda parte, buscamos entender a diferenciação do caráter social e cultural do tempo ao longo do processo civilizatório, o que permite trabalhar mais detalhadamente a constituição temporal do psiquismo e a relação entre tempo e pulsionalidade, que obedecem a formas culturais de satisfação. Neste momento, o tempo não só exige satisfação mas passa a ser confundido enquanto próprio objeto de satisfação, uma vez que as determinações sociais e culturais modelam as percepções subjetivas e as formas de existências pautadas em um tempo que deve ser buscado e que ainda não está, através da ação. O tempo entrelaçado ao desejo gera e é sintoma, já que leva o sujeito a encarar de frente não só o seu aspecto simbólico, mas também o seu real, aquilo que não se pode representar sobre o tempo, sobretudo, o encontro com o fim, reconhecendo a vulnerabilidade humana frente ao real do tempo. Estas discussões permitem, no terceiro momento deste trabalho, a aventura através da Arte como forma de dar um significado às experiências subjetivas acerca do tempo enquanto desejo e sintoma. Sendo assim, através das músicas de Pitty, reconhecemos um sujeito que sofre por um tempo que exige aproveitamento e que se entrelaça com o desejo humano, além de deixarem explícitas formas vigentes do tempo, que se alternam entre aceleração e desaceleração, pautadas pela noção do eterno presente que vangloria o agora como único momento de se fazer a vida. Reconhecemos também, através das expressões da cantora, uma necessidade de suspender o tempo para se aproveitar o momento de forma significativa e o encontro com o outro e consigo mesmo, fundamentais para se criar uma resistência às formas de vida pautadas nas políticas do tempo atuais. / This dissertation works the interlacement among time and processes of subjectivity. This work’s main objective is understand and problematize how is historical, social and culturally the subject’s temporal perceptions. It was used Psychoanalysis, Social Sciences, History and Art, in particular the songs of the Brazilian singer Pitty, to recognize possible inscriptions of these perceptions. In this sense, time is understood as a social symbol that is not just a human construction and not only a data of the natural course. Time is, therefore, a process of subjectivity, the subjectivity itself, from the certain historical and social processes’ development. At first, are redeemed some perceptions about the time issue in some historical contexts, passing by the Ancient and Middle ages to recognize the disciplinarian and omnipresent character that time acquires in human life from the modernity and, consequently, in current Western societies. We see the transition from an external time, natural or divine, to an internal time, from the historical subject’s emergence, provided with interiority. This move was made through socio-economic transformations that have led the human existence’s shape as time. From this, in a second part, we sought to understand the social and cultural character’s differentiation of time over the civilizing process, which allows working in details the psyche’s temporal constitution and the relation among time and instincts, which obey satisfaction’s cultural forms. This way, the time requires not only joy but becomes an own satisfaction object, once the social and cultural determinations shape the subjective perceptions and existence’s forms, guided at a time who is not reached yet and should be sought through action. Time interlaced as desire and satisfaction makes and is symptom, as it takes the subject to face not only its symbolic aspect, but also its real, what cannot be represented about the time, above all, the encounter with the death, recognizing human's vulnerability toward real’s time. These discussions allow, at the third part of this work, the adventure through Art as a way to give meaning to subjective experiences about time as desire and symptom. Thus, through Pitty songs, we recognize a subject who suffers for a time that requires utilization and that interlaces with human desire, as well as explains current time forms, alternating between acceleration and deceleration, guided by the eternal present’s notion, which boasts the “right now” as the only time to make a living. We also recognize, through the singer’s expressions, a need to suspend the time to seize the moment significantly and the encounter with others and with oneself, something fundamental to create a resistance to forms of life guided by the current time policies.
4

A memória nas órbitas do real : o afeto de angústia na psicanálise e na arte

Almeida, Marcela Toledo França de 15 December 2009 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia, Doutorado em Psicologia Clínica e Cultura, 2009. / Submitted by Guimaraes Jacqueline (jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2015-11-23T11:56:29Z No. of bitstreams: 1 2009_MarcelaToledoFrancadeAlmeida.pdf: 2410455 bytes, checksum: a66edcf0057453988c16a6e90ca5b70e (MD5) / Approved for entry into archive by Marília Freitas(marilia@bce.unb.br) on 2016-01-25T14:40:33Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_MarcelaToledoFrancadeAlmeida.pdf: 2410455 bytes, checksum: a66edcf0057453988c16a6e90ca5b70e (MD5) / Made available in DSpace on 2016-01-25T14:40:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_MarcelaToledoFrancadeAlmeida.pdf: 2410455 bytes, checksum: a66edcf0057453988c16a6e90ca5b70e (MD5) / O conceito de angústia é tomado como ponto central, para este trabalho, como aquilo ao qual se teve acesso como experiência. Concebido como desconhecido e familiar, é uma noção que faz ponte para o que, ao início da tese, é trabalhado por meio da distinção entre percepção (impressão sem inscrição) e o que de seus limites fundam um e outro, fazendo passagem para a noção de memória do excesso. Isso, nos primeiros tempos de vida, diz respeito ao desamparo, que é retomado, numa posterioridade, como afeto de angústia. Esse afeto é um sinal de perigo de encontrar-se mais uma vez face ao ilimitado, face àquilo que escapa ao simbólico. Para tanto, o trabalho da artista plástica Adriana Varejão surge como uma elucidação do que excede o simbólico, assim como no trabalho clínico psicanalítico, se apresenta em outras produções humanas. Apresenta-se como um compartilhamento dessa experiência da inquietante estranheza que inicialmente pode ser tomada como da ordem do incomunicável, e que, neste trabalho, recebe o enfoque de um construto teórico fundado no limite da concepção de memória. ______________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / The concept of anguish is the main point of this work and it is taken as something one had access as an experience. Conceived as unknown and familiar, it is a notion that makes a bridge to what, in the beginning of this thesis, is worked through the distinction between perception (non inscripted printing) and memory (inscripted printing) and what their boundaries merge one another, making transition to the notion of something that exceeds. That, which very early in life, regards the helplessness, which resumes, a posterity, anguish affection. This affection is a danger signal of facing once again the unlimited, something that escapes the symbolic. To this end, the work of the artist Adriana Varejão comes as the elucidation of what exceeds the symbolic, which, as well as clinical work in psychoanalysis, is presented in other human productions. It is presented as a sharing of the experience of the disturbing uncanny that initially can be taken as from the order of the incommunicable, and that, in this work receives the focus of a theoretical limit based on the conception of memory.
5

A pulsão invocante no palco lírico : possíveis evocações

Melo, Ana Cristina de 09 1900 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2012. / Submitted by Alaíde Gonçalves dos Santos (alaide@unb.br) on 2013-03-20T13:08:03Z No. of bitstreams: 1 2012_AnaCristinadeMelo.pdf: 591162 bytes, checksum: 655c58836511d047ac573b1cd76de972 (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2013-05-02T12:46:39Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_AnaCristinadeMelo.pdf: 591162 bytes, checksum: 655c58836511d047ac573b1cd76de972 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-05-02T12:46:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_AnaCristinadeMelo.pdf: 591162 bytes, checksum: 655c58836511d047ac573b1cd76de972 (MD5) / Este trabalho tem como proposta a discussão e a reflexão da voz enquanto objeto da pulsão invocante considerada em determinados ambientes do universo da arte em que possa ser evocada. Para isso, o palco lírico é colocado em destaque com a eleição das vozes da ópera que venham a comunicar a voz definida como objeto desde Lacan. O percurso selecionado conta com os textos freudianos que conduzem ao surgimento da idéia de pulsão, destacando-se as reflexões iniciais sobre o aparelho psíquico. O funcionamento psíquico interessa muito a Freud e o direciona cada vez menos ao estudo das células nervosas em lugar da ênfase clínica, tomando os relatos de pacientes para compor sua teoria. Vários elementos surgem para sustentar seu projeto inicial de estabelecer os esclarecimentos necessários à compreensão do aparelho psíquico e o levam à descrição do conceito de pulsão, dentre outros. Fez-se necessária a investigação de um ponto a partir do qual Lacan tenha sido motivado a acrescentar a voz aos objetos pulsionais previamente apresentados por Freud. Algumas interseções puderam ser apontadas, dando corpo teórico ao objeto lacaniano, “separável” e “emissível”, identificado como a própria essência da idéia de objeto ‘a’, para sempre perdido. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT / This research aims at discussing and reflecting upon a voice as an object of an invocative drive which is taken into consideration under certain environment in the art field that can be evoked. In order to do so, an opera house´s voices which communicate the definite voice as object since Lacan´s studies has been highlighted. Freud´s exts and his initial reflections on the mental apparatus lead to the emerging idea of the drive itself, which served as the foundation for this research. Due to Freud´s great interest in how one´s mind works, his theories were built upon his patients´ clinical report, therefore his studies focus less on the nerve cell. A gargantuan amount of data comes out so as to support his initial project. Its objective was to illustrate enough information to the understanding of the mental apparatus, however such results took him to the concept of drive, among others. It was necessary to find a point from which Lacan had been motivated to add the voice to the impulsive objects previously presented by Freud. Some intersections could have been pointed, giving a theoretical body to the Lacanian object, “separable” and “that emit” which are identified as the essence itself of the idea of the object ‘a’, lost forever
6

A travessia da angústia : uma leitura psicanalítica da Trilogia do Silêncio, de Ingmar Bergman

Rodrigues, Maysa Puccinelli Victor 16 August 2013 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2013. / Submitted by Elna Araújo (elna@bce.unb.br) on 2013-11-20T22:59:09Z No. of bitstreams: 1 2013_MaysaPuccinelliVictorRodrigues.pdf: 5606079 bytes, checksum: 76fecd920c5fc564f2a386084a913e6f (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2013-11-21T11:21:57Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_MaysaPuccinelliVictorRodrigues.pdf: 5606079 bytes, checksum: 76fecd920c5fc564f2a386084a913e6f (MD5) / Made available in DSpace on 2013-11-21T11:21:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_MaysaPuccinelliVictorRodrigues.pdf: 5606079 bytes, checksum: 76fecd920c5fc564f2a386084a913e6f (MD5) / A partir das contribuições de S. Freud e J. Lacan, propomos uma investigação acerca da teoria da angústia, em que pese suas ressonâncias com a arte. A expressão artística eleita será o cinema, especificamente representado pela obra Trilogia do Silêncio, do cineasta Ingmar Bergman, composta pelos filmes Através de um espelho (1961-62), Luz de Inverno (1961-62) e O Silêncio (1962). Para tal empreitada, propomos uma discussão conceitual que parte de uma revisão do pensamento destes autores, considerando pontos cruciais da teoria como o fenômeno do unheimlich, a questão do objeto na psicanálise e sua amarração nos registros Real/Simbólico/Imaginário. Em seguida, alçamos uma dialetização teórica entre angústia e fantasia, que nos conduzirá ao cerce da discussão direta com a obra. Nossa leitura será tangida pela consistência estética que alinhava as fontes da angústia infantil – solidão, escuridão e silêncio – ao bojo formal e conceitual da trilogia unificada no significante Silêncio. Assim, as obras ressoam paradigmáticas de um sistema discursivo que não se furta de abordar o real lacaniano, assinalado pelo que não engana: a angústia. Na metodologia deste trabalho, nos pautamos pela orientação ética de Freud e Lacan acerca da estética, a qual estabelece que a relação entre arte e psicanálise é sempre serviço gratuito da arte ofertado apenas à psicanálise. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT / From the contributions of S. Freud and J. Lacan, we propose an investigation into the theory of angst, despite its resonances with art. The artistic expression elected is the cinema, specifically represented by the Trilogy of Silence, by the filmmaker Ingmar Bergman, mades by Throught a mirror (1961-62), Winter Light (1961-62) and The Silence (1962). For this enterprise, we propose a conceptual discussion that part of a revision of the thinking of these authors, considering the crucial points of the theory as the phenomenon of the unheimlich, the question of the object in psychoanalysis and its tying registers of Real / Symbolic / Imaginary. Then one, we propose a theoretical dialectic between fantasy and anxiety, which lead us to the discussion directly with the films. Our reading will be plucked by aesthetic consistency that lined the sources of infantile anxiety- loneliness, darkness and silence - the bulge formal and conceptual trilogy unified in significant Silence. Thus, the works resonate paradigmatic of a discursive system that does not hesitate from addressing the lacanian Real, marked by that does not disappoint: the angst. The methodology of this paper, we base on the ethical orientation of Freud and Lacan about aesthetics, which establishes the relationship between art and psychoanalysis is always art free service offered only to psychoanalysis.
7

O teatro como palco para o self : entre Winnicott, a arte e a clínica da atenção psicossocial

Mota, Amanda de Oliveira 14 October 2013 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2013. / Submitted by Elna Araújo (elna@bce.unb.br) on 2013-12-03T22:51:43Z No. of bitstreams: 1 2013_AmandaDeOliveiraMota.pdf: 3323473 bytes, checksum: 7c9eba455ecf6f2a05d3faf1a195128f (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2013-12-09T10:53:49Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_AmandaDeOliveiraMota.pdf: 3323473 bytes, checksum: 7c9eba455ecf6f2a05d3faf1a195128f (MD5) / Made available in DSpace on 2013-12-09T10:53:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_AmandaDeOliveiraMota.pdf: 3323473 bytes, checksum: 7c9eba455ecf6f2a05d3faf1a195128f (MD5) / Este estudo problematiza o uso da arte no contexto da atenção psicossocial, a partir de uma experiência com teatro, em um Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS), no Paranoá, Distrito Federal. Partimos de um histórico das interlocuções entre arte e Saúde Mental. Utilizando o eixo teórico da Psicanálise, referenciada em Winnicott e autores próximos, compreendemos a experiência artística como possibilidade de experiência cultural, que pode acontecer num campo de transicionalidade. Tal campo inclui o espaço potencial de cuidado e o viver criativo. Considerando os aspetos clínicos da pesquisa, desenvolvemos compreensões sobre a psicopatologia winnicottiana, dialogando com o conceito de sofrimento psíquico grave, na procura de ressignificar as vivências intensas de angústia e evitar a produção de estigma. Construímos também articulações entre as contribuições de Winnicott e a clínica da atenção psicossocial, entendendo o brincar como locus privilegiado para atuação do profissional neste contexto. Isto pressupõe uma ética de busca da preservação da continuidade de ser dos sujeitos em cuidado. Desenvolvemos, então, algumas questões sobre as dificuldades e potencialidades para que a experiência artística em interlocução com a clínica possa ser também criativa e propiciadora de integração psíquica. Relacionamos isto com o campo de saberes das artes cênicas, com as contribuições da diretora teatral americana Viola Spolin e do grupo teatral brasileiro Lume. Os percursos metodológicos desta pesquisa pautaram-se na pesquisa psicanalítica em enquadres diferenciados, que assume uma construção de conhecimento indissociada do acontecer clínico. Não se pretende uma representação objetiva do mundo, mas uma construção de sentido, que parte da experiência e tem a interlocução como modus operandi da pesquisa qualitativa clínica. Tal olhar foi utilizado para a construção, acontecer e análise de uma experiência de oficinas semanais de teatro em um CAPS, que durou três meses. A construção de sentidos, a partir do acontecer clínico-artístico, apresentou contribuições esclarecedoras sobre o potencial da experiência teatral para a clínica da atenção psicossocial. O teatro configurou-se como uma possibilidade de experiência estética favorecedora de novos sentidos de self, em que a realidade cênica apresentou-se como emergência de um espaço potencial, tanto artístico quanto clínico. O teatro favoreceu também a transicionalidade e o brincar criativo, que conduz a um brincar coletivo e à amizade. As relações imaginativas entre corpo e ambiente físico, criadas pela experiência teatral, se mostraram como fatores importantes para estes acontecimentos. Além disto, efeitos habilitadores em reabilitação psicossocial foram observados, principalmente a partir da possibilidade de apresentar uma peça teatral, criada na experiência, em espaços da cidade. Moutrou-se, contudo, como algo essencial, a necessidade de adaptar tal experiência para o contexto do cuidado clínico, pois ela exige alguns desafios pessoais, tais como lidar com estados de não-integração e desintegração psíquica. Poder atravessar os desafios do teatro, contando com um ambiente de confiança, pareceu-nos ser algo ampliador das possibilidades de existência dos sujeitos. Assim, consideramos a arte e, em específico, o teatro, como ricas ferramentas, que podem ir de encontro aos objetivos da clínica da atenção psicossocial, desde os seus aspectos mais clínicos aos mais sociais e políticos. __________________________________________________________________________ ABSTRACT / This study discusses the use of art in the context of psychosocial attention, based on an experiment with theater workshops conducted at a Center for Psychosocial Attention II ( Centro de Atenção Psicossocial II - CAPS), in Paranoá, Distrito Federal. We start from a history of interlocutions between art and Mental Health and use the theoretical axis of Psychoanalysis referenced in Winnicott and similar authors to understand the artistic experience as a possibility of cultural experience, which can happen in a transitional field. Considering the clinical aspects of the research, we develop comprehensions about the Winnicottian psychopathology, dialoguing with the concept of severe psychic suffering in an attempt to attribute new meanings to intense anguish experiences and avoid the production of stigma. We also establish relationships between Winnicott’s contributions and the psychosocial attention clinic, recognizing playing as a privileged locus for the action of professionals in this context. This implies an ethics that seeks to preserve the continuity of being of the subjects under care. We then elaborate on some issues about the difficulties and potential for the artistic experience in interlocution with the clinic to be creative and to allow for psychic integration. We relate this to the field of knowledge of dramatic arts, with contributions from the American theater director Viola Spolin and the Brazilian theater group Lume. The methodological trajectories of this research were based on psychoanalytical research under different settings, which leads to viewing the building of knowledge as indissociable from what happens in the clinical setting. We do not present an objective representation of the world, but a construction of meaning, which stems from experience and has the interlocution as the modus operandi of the qualitative clinical research. Such perspective guided the preparation, development and analysis of the three-month experiment with weekly theater workshops at a CAPS. The construction of meanings from the artisticclinic experience presented clarifying contributions about the potential of the theatrical experience to the psychosocial attention clinic. Theater was recognized as a possibility of aesthetic experience inspiring new meanings of self, in which the theatrical reality presented itself as the emergency of a potential space, both clinical and artistic. Theater also aided transitional experiences and the creative play, which leads to group play and friendship. The imaginative relationships between body and physical environment created by theatrical experience proved to be of great importance to these events. Moreover, habilitating effects in psychosocial rehabilitation were observed, particularly with the possibility of presenting a play created during the experiment to audiences at several locations throughout the city. However, it was necessary to adapt such experiment to the context of clinical care due to the personal challenges it involves, such as dealing with states of psychic non-integration and disintegration. Being able to conquer the challenges of theater relying on a trusting environment seemed to amplify the subjects’ possibilities of existence. Therefore, we believe art and, specifically theater, to be precious tools that can meet the goals of the psychosocial attention clinic, from its more clinic aspects to even the most social and political ones.
8

A legitimação de trabalhos plasticos de pacientes psiquiatricos : eixo Rio-São Paulo

Gonçalves, Tatiana Fecchio da Cunha 17 December 2004 (has links)
Orientador: Lucia Helena Reily / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Artes / Made available in DSpace on 2018-08-04T01:58:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Goncalves_TatianaFecchiodaCunha_M.pdf: 450146 bytes, checksum: a598599502705d218e7af6d062025a8f (MD5) Previous issue date: 2004 / Resumo: Pode-se observar, nos últimos cinco anos, a realização de diversas exposições e concursos de Arte voltados a trabalhos plásticos de doentes mentais nos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo, entendendo por doente mental o sujeito que freqüenta uma instituição psiquiátrica com diagnóstico aferido por equipe médica responsável. A atenção da crítica e de muitos artistas desta região diante desta expressão remonta no Brasil à década de 20 do século XX, com os estudos do psiquiatra Osório César que se somam aos preceitos modernistas da época e ao discurso do crítico de arte Mário Pedrosa. A partir de então, é iniciado um processo de legitimação destes trabalhos na arte erudita. O presente estudo se propõe a analisar o percurso da crítica de arte em face da questão da legitimação destes trabalhos, desde a década de 20 até os dias de hoje, com o objetivo de melhor compreender os critérios e parâmetros através dos quais se realizou e se realiza esta legitimação. A pesquisa foi desenvolvida através da leitura e análise de textos da crítica de arte referentes a exposições nas quais estavam expostos trabalhos plásticos de pacientes psiquiátricos desde a década de 20, complementada por entrevistas e outras publicações destes críticos e curadores / Abstract: Over the last five years, we have witnessed several exhibits and art contests on art production by mental health patients in the States of Rio de Janeiro and São Paulo. We here define the mentally ill patient as the subject treated in psychiatric institutions, diagnosed by a team of medical professionals. In Brazil, the interest of art critics and many artists of the Rio-São Paulo circuit in these expressive productions has been evident since the nineteen twenties. At this time, studies by the psychiatrist Osório César, come togethter with the precepts of Brazilian Modern Art movement of 1922 and the art critic Mario Pedrosa¿s discourse. From this point, a process is begun whereby this production is recognized as legitimate art, alongside traditional art works. This study aims to analyse the course of art criticism as to the issue of recognition of the production of the mentally ill as legitimate works of art from the 1920¿s to the present, so as to understand the criteria and parameters used to determinate whether this production can be recognized as legitimate or not. The study involved a full survey of the literature and analysed publications by art critics and exhibit curators, as well as catalogues of exhibits, including works by psychiatric patients. This data was complemented by interviews with art critics and curators / Mestrado / Artes / Mestre em Artes
9

Perseu e Medusa: uma experiência de captura estética / Perseus and the Gorgon: an experience in aesthetic capture

Morgenstern, Ada 16 August 2006 (has links)
A experiência de \"captura\" estética é apresentada nesse ensaio a partir do impacto que a autora viveu no seu encontro com a escultura Perseu e Medusa de Camille Claudel e as múltiplas questões suscitadas a partir dessa vivência. Busca outros autores que relatam um encontro similar, como por exemplo, Freud e seu impacto com a obra Moisés de Michelangelo, tentando com isso identificar os elementos mais gerais que constroem essa experiência denominada aqui de \"captura\", sem com isso deixar de considerar seu caráter singular e subjetivo. Em seguida, ao refletir sobre a obra em questão, percorre as questões biográficas, sua contextualização, passando pelo mito e pela especificidade da atividade escultórica ao longo da História, pelas leituras estéticas e pelas concepções psicanalíticas sobre arte e criação apresentando assim, uma leitura de obra de arte entendida como um produto da relação entre espectador e obra, ou seja, numa perspectiva epistemológica que não separa sujeito e objeto e que tampouco se apóia em significações externas à essa relação. O caráter dessa leitura se mostra, portanto, como uma construção que se dá no momento de sua própria feitura, e não como produto de uma ação decifradora. Ao longo do percurso, vários diálogos vão sendo estabelecidos entre a Psicanálise e a Arte, o que remete a uma reflexão sobre as possibilidades de uma \"fertilização recíproca\" entre elas. / The aesthetic capture experience is presented as of the impact undergone by the author in her encounter with Perseu and Medusa sculptured by Camille Claudel and all the issues consequent to that episode. She searches other author\'s similar encounters, such as that of Freud with Michelangelo\'s Moses aiming at identifying those more general elements composing that experience called in this paper as \"capture\". At the same time the author does not disconsider the subjective and singular aspects of encounters such as these. Reflecting over the sculpture she engages in biographic issues and their contextualization. Starting with the myth and the specificity of sculpturing through History, aesthetic readings and psychoanalytic conceptions about art and creation, the author presents an understanding of art as a product of the relation between spectator and art. In other words, this is an epistemological perspective where subject and object are not apart and the significance of the event is part of the experience. The essence of these understandings happens therefore as the experience occurs and not as the product of a deciphering act. A series of dialogs are presented in this paper between Psychoanalisis and Art, leading the reader to reflect on the possibilities of cross linking between these two expressions.
10

Autorretrato uma obra em processo /

Pupato, Thaís Angélica de Brito. January 2016 (has links)
Orientador: Sérgio Mauro Romagnolo / Banca: José Leonardo Nascimento / Banca: Helena Gomes dos Reis Pessoa / Resumo: Aproprio-me da literatura para falar do processo criativo na fatura de meus autorretratos, me recorro aos contos homônimos de Machado de Assis e Guimarães Rosa, O Espelho. Elemento imprescindível para as composições plásticas e que também desdobra em questões filosóficas por se tratar das percepções da autoimagem, desta maneira, a investigação se apoia em conceitos da psicanálise conforme as relações do imaginário e do fazer artístico. / Resumen: Apropiome de la literatura para hablar del proceso creativo en la elaboración de mis autorretratos, me vuelvo a los cuentos homónimos de Machado de Assis y Guimarães Rosa, El Espejo. Elemento indispensable para las composiciones plásticas que también dispone cuestiones filosóficas, por tratarse de las percepciones de la auto-imagen, de esta manera, el estúdio se basa em conceptos del psicoanálisis de acuerdo con las relaciones del imaginário y la creación artística. / Mestre

Page generated in 0.0605 seconds