• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 110
  • 6
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 111
  • 111
  • 32
  • 20
  • 17
  • 12
  • 11
  • 10
  • 10
  • 9
  • 9
  • 9
  • 8
  • 8
  • 8
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
11

O valor da punção aspirativa percutanea com agulha fina no diagnostico citopatologico de lesões pulmonares

Caserta, Nelson Márcio Gomes, 1951- 17 July 2018 (has links)
Orientador : Rubens Marcondes Pereira / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-17T09:57:30Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Caserta_NelsonMarcioGomes_D.pdf: 2007749 bytes, checksum: cdfb1f1eba530a6c0f473efe00b21f18 (MD5) Previous issue date: 1993 / Resumo: Embora utilizada há mais de cem anos para o diagnóstico de lesões pulmonares, somente recentemente a biópsia percutânea tem mostrado grande aceitação devido ao aprimoramento do diagnóstico citopatológico o emprego de agulhas finas e melhores equipamentos para controle visual do procedimento. No Brasil, entretanto, o método é pouco divulgado apesar das vantagens econômicas que pode proporcionar. No presente estudo, foram realizadas biópsias aspirativas percutâneas com agulha fina em 175 pacientes, obtendo-se material para diagnóstico citopatológico em 130 (74,3% ), a maioria (64,6%) neoplasia maligna. Neoplasia benigna foi diagnosticada em 2 (1,1%) pacientes e lesão benigna não neoplásica em 15 (8,5%). O procedimento foi realizado sem necessidade de Internação em 121 (69,1%) pacientes. Ocorreram dois resultados falso-negativos para malignidade (carcinóides interpretados como processo inflamatório) e um falso-positivo (processo inflamatório crônico diagnosticado como positivo para células malignas). Pneumotórax (22,3%) e hemoptise (2,8%) (foram as complicações observadas, tendo sido necessário drenagem do pneumotórax em 10,9%. Os testes de espirometria mostraram que o índice de VEF1/CVF é um bom indicador da previsão de pneumotórax,. sendo o risco maior para os pacientes com alterações severas (% do previsto maior ou igual a 59%). A ocorrência desta complicação independe da idade e está relacionada à maior profundidade da lesão. Os acertos diagnósticos são maiores quanto mais próxima a lesão da pele e menores para as lesões de menos de 5,0cm de diâmetro. Em relação à confirmação ou exclusão de doença maligna, o método mostrou-se eficaz (valor preditivo positivo = 99% e negativo = 88%). Com base nesses resultados, a punção percutânea com agulha fina tem o emprego justificado contribuindo com segurança para uma melhor orientação clínica e cirúrgica dos pacientes / Abstract: Percutaneous Fine-Needle Aspiration: Value In the Cytopathologic Diagnosis of Lung Lesions. Percutaneous biopsy has been used in tile diagnosis of lung diseases for over a century but only recently it has gained wide usage mainly because of advances in cytopathologic methods, improved guidance modalities and utllizadon of fine-needles. In this country however, this procedure has not gained wide acceptance despite the obvious cost reduction. In the present study, using percutaneous fine-needle aspiration and based on 175 patients, the cyropathologic diagnosis was established in 130 (74,3%), the majority (64,6%) being malignant. A benign neoplasm was diagnosed in 2 (1,1 % ) patients and a nonmalignant lesion in 15 (8,5% ). The procedure was performed on an outpatient basis in 121 (69,2%) cases. In relation to cytopathological results of malígnancy, two false-negative results ocurred in patients with adenoma and, one false-positive was diagnosed (posteriorly confirmed as chronic abscess). Pneumothorax (22,3%) and hemoptysis (48%) were the only complications. The former required drainage in 10,9%. The spirometry data indicated that FEV1/FVC is a significant predicror of pneumothorax and the risk is greater when the test was listed as indicative of severe airway obstruction (% of predicted < or = 5,9%). The incidence of this complication is not dependent on the age but ia directly related to the depth of the lesion. The diagnostic efficacy is higher for lesions near the skin and small for those with less than 5,0cm in diameter. The method is efficient ro confirm or exclude malignancy (positive predictive value = 99% and negatíve predictive value = 88%). In conclusion, percutaneous biopsy with fine-needle is an efficient examination in the study of lung diseases and contributes to improve the clinical and surgical orientation of these patients / Doutorado / Doutor em Medicina
12

Avaliação clinica e imunologica de pacientes com tuberculose refrataria ao tratamento

Diniz, Marcia 16 December 1992 (has links)
Orientador: Maria Marluce dos Santos Vilela / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-17T10:25:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Diniz_Marcia_M.pdf: 2268317 bytes, checksum: 9f54786528c1f16752515fefd41e2f8e (MD5) Previous issue date: 1992 / Resumo: Para avaliam as causas de falência de tratamento em pacientes com tuberculose crônica sob tratamento específico (grupo I), foram realizados hemogramas: tipagem e culturas de micobactérias: estudo da migração e fagocitose de monócitos: dosagens séricas de IgA, IgE, IgG e IgM. De C3, C4 e CH50: testes cutâneos para avaliação de hipersensibilidade tardia (PPD, tricofitina. candidina.Sk/Sd. DNCB 2.000 e 50 microgramas) e avaliação da extensão do acometimento pulmonar através do raio-X de tórax. O grupo controle foi constituído por pacientes que evoluíram para a cura em 6 meses (grupo II). O grupo I (pacientes com falência de tratamento) apresentou resultado distintos do grupo II quanto à: - Resistência à pelo menos uma droga em 5 pacientes e variação de sensibilidade no mesmo indivíduo. Esta sensibilidade parcial as drogas poderia ser a causa da persistência da doença. Ou conseqüência da mesma. ¿Elevação do número de leucócitos. Às custas de polimorfonucleares. ¿ IgA sérica significativamente mais elevada. E diretamente relacionada com a extensão do acometimento radiológico do pulmão. Especula-se que esta hipersecreção de IgA possa ser decorrente da maior produção de TNF ¿ alfa e IFN ¿ gama pelos macrófagos ativados e conseqüente liberação do antagonista TGF ¿ beta, responsável pelo ¿switching¿ de IgM para IgA. ...Observação: O resumo, na íntegra, poderá ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: Not informed. / Mestrado / Mestre em Imunologia
13

Avaliação estrutural dos musculos dos membros superiores em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva cronica e hipoxemia cronica

Pereira, Mônica Corso, 1963- 12 December 2003 (has links)
Orientadores: Ilma Aparecida Paschoal, Gerson Eduardo Rocha Campos / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-03T21:37:32Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Pereira_MonicaCorso_D.pdf: 4913237 bytes, checksum: 76c1d57acbe1307b186e16801b72a323 (MD5) Previous issue date: 2003 / Resumo: Os músculos esqueléticos constituem um dos tecidos no organismo de maior plasticidade e capacidade de adaptação a situações adversas. Um grande número de estímulos é capaz de produzir alterações na massa e na composição dos músculos, com resultados não necessariamente concordantes nas diferentes regiões do esqueleto. Estudos em indivíduos com DPOC demonstraram que os músculos esqueléticos destes pacientes apresentam alterações bioquímicas e estruturais que indicam baixa função aeróbica. Diversos fatores estão envolvidos na gênese desta disfunção muscular, como inatividade física, hipoxemia, perda de peso, inflamação crônica, envelhecimento e uso de algumas drogas, como corticosteróides. O objetivo deste trabalho foi avaliar a distribuição dos tipos de fibras musculares e de seu tamanho em biópsias de músculo esquelético de membros superiores de indivíduos portadores de DPOC grave e insuficiência respiratória crônica estável -com pressão parcial de oxigênio no sangue arterial (pa02) ? 55 mmHg -, e com índice de massa corpórea (IMC) conservado. Foram realizadas biópsias do bíceps braquial de 08 pacientes e 12 controles. Por meio de análise histoquímica (técnica de ATPase) foram identificados e contados os diversos tipos de fibras (1, 2a e 2b) e a seguir feita a morfometria destas fibras, apenas nos homens. No grupo dos pacientes, a média de idade foi de 54,8 anos, a média de!MC de 25,9 kglm2, a média de VEF1: 34,7 % do previsto, a média de Pa02 de 49,7 mmHg. Houve diferença na distribuição entre as fibras 2a e 2b (p<0,05), sendo que as 2a (oxidativas) estiveram diminuídas nos pacientes hipoxêmicos, e as 2b (glicolíticas) apareceram aumentadas nestes pacientes. A morfometria mostrou alteração significativa nas fibras 2b (p<0,05), que tiveram área maior nos pacientes comparativamente ao grupo controle. Nossos achados na composição e morfometria das fibras musculares diferem dos relacionados à desnutrição ou uso de corticosteróides. Situações de extrema inatividade física podem causar modificações musculares semelhantes àquelas encontradas aqui. Como nossos doentes mantinham atividade cotidiana normal, consideramos que o desuso da musculatura não tenha sido um fator preponderante nas mudanças encontradas. Nossos resultados sugerem uma diferenciação das fibras para àquelas de atividade predominantemente glicolítica, talvez uma adaptação a um ambiente com baixas tensões de oxigênio. A baixa disponibilidade de oxigênio provavelmente precipita uma série de eventos fisiológicos que privilegiam algumas funções vitais em detrimento de outras. Nossa hipótese é que a hipoxemia crônica tenha sido um dos fatores determinantes nas modificações estruturais musculares observadas neste estudo / Abstract: Skeletal muscle is structurally, metabolically and functionally heterogeneous, with various fiber types occurring in a single muscle. Alterations in muscle mass and composition can be produced by various stimuli, inc1uding physical training, immobilization and denervation. Disease can also adversely affect musc1e structure and activity. Skeletal musc1e dysfunction in patients with chronic obstructive lung disease has a multifactorial origin, inc1uding a reduced amount of exercise that leads to a progressive loss of physical conditioning, aging, hypoxemia, the presence of local and systemic inflammation and the chronic use of drugs such as corticosteroids. The purpose of this study was to assess the distribution of types of musc1e fibers and their size in skeletal musc1e biopsies of individuals with severe COPD, stable chronic respiratory failure - Pa0210wer than 55mmHg - and preserved body mass index. Biceps biopsies were performed in 8 patients and 12 controls. A histochemical study was conducted to identify and count the various types of fiber (1, 2a and 2b). This was followed by the morphometry of these fibers, only in males. Results: the fibers 2a and 2b presented a different distribution in patients compared with controls (p<0.05), with a reduction in number of fibers 2a (oxidative) and an increase of fibers 2b (glycolytic) in hypoxemic patients. A significant increase in area of fibers 2b was demonstrated in patients compared with the control group (p<0.05). A low oxygen availability probably precipitates a chain of physiological events aimed at preserving vital functions and restricting others that are not so important. Thus, changes leading to a reduction of muscle oxygen consumption would be expected. This is the main hypothesis of the present study. Our findings differ from the changes observed. in cases of malnutrition, muscle disuse, or chronic use of corticosteroids. The alterations observed here suggested a transformation in the muscle fibers towards a glycolytic metabolism less resistant to fatigue, perhaps an adaptation of the muscle fibers to an environment with low PaO2 tension / Doutorado / Clinica Medica / Doutor em Clínica Médica
14

Infecção por micobactéria não tuberculosa como causa de asma de difícil controle

Fritscher, Leandro Genehr January 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T19:05:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000429777-Texto+Completo-0.pdf: 10807139 bytes, checksum: b05a53115bb6b1ea5696ca873906b4cf (MD5) Previous issue date: 2011 / Asma é uma doença extremamente prevalente que afeta pessoas de todas as idades, sendo um problema de saúde pública sério no mundo inteiro. Quando inadequadamente controlada pode trazer graves limitações na qualidade de vida do indivíduo, sendo, algumas vezes, fatal. Evidências recentes vêm demonstrando que asmáticos têm suscetibilidade maior ao desenvolvimento de inúmeros tipos de infecções virais e bacterianas, porém infecções por micobactéria não tuberculosa (MNT) não haviam sido até então descritas em indivíduos com asma.
15

Estratégias ventilatórias empregadas na prevenção da lesão pulmonar induzida pela ventilação mecânica em neonatos prematuros / Ventilatory strategies used in the prevention of lung injury induced by mechanical ventilation in preterm infants

Santos, Mara Lisiane de Moraes dos January 2009 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2009. / Submitted by Raquel Viana (tempestade_b@hotmail.com) on 2010-04-07T17:17:39Z No. of bitstreams: 1 2009_MaraLisianeMoraesSantos.pdf: 1264124 bytes, checksum: 640eb62658bd77b8837a6d405f02bde0 (MD5) / Approved for entry into archive by Lucila Saraiva(lucilasaraiva1@gmail.com) on 2010-05-14T05:03:43Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_MaraLisianeMoraesSantos.pdf: 1264124 bytes, checksum: 640eb62658bd77b8837a6d405f02bde0 (MD5) / Made available in DSpace on 2010-05-14T05:03:43Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_MaraLisianeMoraesSantos.pdf: 1264124 bytes, checksum: 640eb62658bd77b8837a6d405f02bde0 (MD5) Previous issue date: 2009 / Importantes avanços assistenciais em neonatologia ocorreram nos últimos anos, entretanto, a lesão pulmonar induzida pelo ventilador mecânico (LPIV) continua a ser uma importante causa de morbimortalidade entre recém-nascidos prematuros (RNPT) com síndrome do desconforto respiratório (SDR). As diferenças nas práticas utilizadas durante o tratamento dos RNPT com SDR podem interferir na ocorrência e na gravidade da LPIV. Objetivos: identificar e descrever as práticas assistenciais - e a variação entre essas - referidas por médicos de UTIN com programa de Residência Médica em Neonatologia (RMNeo) em atividade no País, e por médicos que atuam nas UTIN do Estado de Mato Grosso do Sul (MS), acerca das estratégias ventilatórias empregadas para a prevenção da LPIV em RNPT com peso <1500g, e relacionar tais práticas às melhores evidências disponíveis atualmente. Os sujeitos foram convidados, via e-mail, a responder um questionário eletrônico com questões abordando o perfil profissional, a disponibilidade de aparelhos de VPM e monitorização respiratória nas UTIN onde atuam e as práticas relativas à utilização de recursos de monitorização respiratória, aos níveis dos gases sangüíneos arteriais e aos parâmetros da ventilação pulmonar mecânica (VPM) utilizadas como estratégias para a prevenção da LPIV em RNPT. Os dados foram analisados pela estatística descritiva. Responderam ao questionário 142 sujeitos das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País, e do MS. A maioria dos participantes foi do sexo feminino (70,4%), com idade entre 31 e 50 anos (76,8%). Entre os profissionais das regiões Sul e Sudeste, mais de 90% são neonatologistas, enquanto na região Centro-Oeste e entre os profissionais do MS 69% e 51% tem a especialidade, respectivamente. Os médicos das UTIN com RMNeo atuam há mais de 10 anos em UTIN e a maioria dos médicos do MS atuam entre 1 e 5 anos. Os aparelhos de VPM que predominam nas UTIN dos participantes foram o Inter 3 (90,8%) e o InterNeo (68,3%). Cem por cento dos entrevistados referem ter e utilizar o oxímetro; 16% dos que têm monitores de mecânica respiratória não os utilizam e 23,6% dos que têm capnógrafos não os utilizam. Quanto aos gases sanguíneos e parâmetros de VPM houve expressiva variação entre os limites indicados pelos respondentes em todas as variáveis estudadas. No geral, a SaO2 mínima e máxima e a PaO2 mínima mais referidas foram de acordo com as evidências, embora um expressivo percentual tenha indicado valores superiores aos recomendados. Os valores mais referidos de PaCO2 mínima foram abaixo e da PaCO2 e PaO2 máximas foram acima dos recomendados. A PIP máxima, PEEP e FiO2 mínimas mais indicadas foram de acordo com os limites propostos pelas evidências, e a PIP mínima, PEEP e FiO2 máximas, volume corrente, fluxo e tempo inspiratório mínimos e máximos excederam os valores recomendados pelas melhores evidências. Conclui-se que existe grande variabilidade entre as práticas referidas pelos participantes para a prevenção da LPIV em RNPT com peso <1500g, e que um expressivo percentual de respondentes das duas categorias estudadas não emprega em suas práticas as melhores evidências disponíveis atualmente. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Important assistance advances in neonatology had occurred in recent years; however, the ventilator-induced lung injury(VILI) continues to be an important cause of morbidity/mortality between very low birthweight(VLBW) infants with respiratory distress syndrome(RDS). The used differences in the practices during the treatment of the VLBW infants can intervene with the occurrence and gravity of the VILI. Aims: to identify and to describe the practices assistance - and the variation between these - related for doctors of Neonatal Intensive Care Unit(NICU) with program of Medical Residence in Neonatologia (RMNeo) in activity in Brazil, and for doctors who work in the NICU of the state of Mato Grosso do Sul(MS), concerning the mechanical ventilation (MV) strategies used for the prevention of the VILI in VLBW infants, and relate these practices to the best evidence currently available. The doctors were invited, by e-mail, to answer an electronic survey with questions approaching the professional profile, the availability of MV equipment and respiratory monitoring in the NICU where they work, and about to practical relative to the use of resources of respiratory monitoring, to the levels of the arterial blood gas and to the settings of the MV used as strategies for the prevention of the VILI in VLBW infants. The data were analyzed by descriptive statistics. A total of surveys 142 returned of South, Southeastern and Center-west regions of Brazil, and the MS. The majority of the participants was female(70.4%), age between 31-50 years(76.8%). More than 90% of the professionals of the South and Southeast were neonatologists, while in the Midwest and the professionals of the MS 69% and 51% were neonatologists, respectively. The doctors of the NICU with NeoRM work for over 10 years in NICU and the majority of physicians in the MS work in NICU between 1-5 years. The equipment of MV that predominate in the NICU of the participants were Inter3(90.8%) and InterNeo(68.3%). One hundred percent reported to have and to use the oximeter; 16% of that they have monitors of respiratory mechanics do not use them and 23.6% of that they have end tidalCO2 monitors do not use them. In despite of arterial blood gases and settings of MV was significant variation between the limits indicated in all variables. The maximum and minimum SaO2 and PaO2 minimum most indicated were in accordance with the evidence, although a significant percentage has indicated values higher than those recommended. The values most indicated of minimum PaCO2 were below and maximum PaCO2 and PaO2 were above the recommended. The maximum PIP, minimum PEEP and FiO2 most indicated were in accordance with the limits proposed by the best evidence, and the minimum PIP, maximum PEEP and FiO2, minimum e maximal Tidal Volume, Flow and Inspiratory Time exceeded the values recommended by the evidence. It is concluded that that great variability exists enters practices cited for the participants for the prevention of the VILI in VLBW infants, and that an expressive percentage of respondents does not use the best available evidences in its currently practical.
16

Avaliação cintilográfica da distribuição e deposição pulmonar de radioaerossol baseada na análise anatômica e efeito da variação do fluxo e aquecimento na deposição pulmonar do radioaerossol através do sistema de alto fluxo com cânula nasal

SILVA, Luciana Alcoforado Mendes da 07 March 2016 (has links)
SILVA, Luciana Alcoforado Mendes da, também é conhecida em citações bibliográficas por: ALCOFORADO, Luciana / Submitted by Fernanda Rodrigues de Lima (fernanda.rlima@ufpe.br) on 2018-08-03T21:27:33Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) TESE Luciana Mendes da Silva.pdf: 5428991 bytes, checksum: 8bb33fc782aacc03727c2004d9ee166f (MD5) / Approved for entry into archive by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2018-08-09T22:23:32Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) TESE Luciana Mendes da Silva.pdf: 5428991 bytes, checksum: 8bb33fc782aacc03727c2004d9ee166f (MD5) / Made available in DSpace on 2018-08-09T22:23:32Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) TESE Luciana Mendes da Silva.pdf: 5428991 bytes, checksum: 8bb33fc782aacc03727c2004d9ee166f (MD5) Previous issue date: 2016-03-07 / CNPq / Introdução: Vários são os desafios relacionados à aerosolterapia desde a eficácia e efetividade de sua oferta, bem como, busca de novos métodos para análise das imagens adquiridas e a precisão dos locais de deposição da distribuição do aerossol. A deposição do radioaerossol avaliado por meio da cintilografia de inalação pulmonar utilizando sistemas de alto fluxo com cânula nasal (AFCN), em humanos, não é conhecido, assim como, a estimativa da distribuição da deposição do radioaerossol utilizando o conceito de Grayscale por meio da determinação da Voxel Influence Matrix (VIM), fornecendo estimativas mais precisas dos índices de deposição pulmonar. Objetivos: Artigo Original 1- Descrever um novo método para analisar as imagens cintilográficas de deposição do radioaerossol baseado em regiões de interesse (ROIs) anatomicamente derivadas que permite estimar a deposição do radioaerossol nas vias aéreas centrais delimitando-a das demais áreas do pulmão de forma objetiva e sistemática. Artigo Original 2 - Comparar o efeito do fluxo do gás , aquecimento e umidificação na deposição e distribuição do radioaerossol durante a utilização do sistema de HFNC em adultos saudáveis. Materiais e Métodos: Dois artigos foram desenvolvidos a partir da inalação do radioaerossol (99mTc-DTPA, atividade 1mCi e 25 mCi) com 1ml de solução salina a 0,9%. No primeiro, imagens cintilográficas de 15 pacientes com diagnóstico clínico de asma moderada a grave (12 mulheres e 3 homens) foram avaliadas por meio de um software desenvolvido para analisar as imagens cintilográficas e reconstruir os dados em pixels a partir da intensidade da Grayscale. Dois formatos diferentes de ROIs foram delimitadas – anatômico (aROI) e box (bROI) – e estimando valores da razão de contagens periférica e central (P/C) e o índice de penetração do radioaerossol (IPR). No segundo, 23 indivíduos adultos saudáveis de ambos os sexos entre 18 e 65 anos foram randomicamente alocados em três grupos de acordo com o fluxo de oxigênio 10L/min (n = 8), 30L/min (n = 7) e 50L / min (n = 8). Tecnécio-99m marcado com 1mCi foi adicionado a 1ml de soro fisiológico a 0,9% e foi administrado por um nebulizador de membrana (Aerogen Solo, Aerogen Ltd, Galway, Irlanda) acoplado ao umidificador e ofertado através da AFCN. Imagens dos pulmões, das vias aéreas superiores, do estômago e dos componentes do dispositivo foram obtidos com a cintilografia. Resultados: No primeiro estudo, verificou-se que a razão P/C foi influenciada pelo formato dos ROI’s superestimando valores, principalmente para a região central quando comparado aROI e bROI (1,75 ± 0,33 versus 1,19 ± 0,24, p<0,001). Quanto a valores de IPR, não observamos diferenças nas estimativas 2D ao comparar aROI com bROI ( 0,651± 0,125 versus 0,651± 0,131, p= 0,948). Quando comparados IPR 2D e 3D, observou-se que nos ROI’s anatômicos esses valores foram superestimados em 28 vezes e no Box, 36 vezes (p < 0,001). No segundo artigo verificou-se que a deposição nos pulmões foi de 3 a 5 vezes superior ao utilizar o fluxo de 10 L/min quando comparado a 30 e 50 L/min (11,81 ± 4.90 %, 3,76 ± 1.36 % e 2,23 ± 0.81 %, respectivamente; p <0,001). A deposição na cânula nasal foi superior em taxas de fluxos mais elevados (50 L/min- 13,77 ± 3,7%, p <0,001) em comparação com 30 L/min (9,76 ± 2,47 %) e 10 L/min (6,51 ± 2,46 %). No sistema não aquecido, a massa inspirada de aerossol foi semelhante a condição aquecida no fluxo de 10L/min, porém a altos fluxos (30L/min e 50L/min) observou-se uma maior deposição no sistema não aquecido (p = 0,011). Quanto a correlações, uma correlação negativa foi observada entre deposição pulmonar e filtro expiratório e positiva com a cânula. Conclusão: Considerando o primeiro artigo, nossos resultados apontam que a expansão do conceito bidimensional dos ROI’s para o domínio Grayscale através da definição do modelo VIM permitiu uma melhor predição de valores relacionados ao padrão de distribuição da deposição do radioaerossol na árvore traqueobrônquica. No segundo artigo, nossos resultados também sugerem que a administração do aerossol através AFCN é capaz de promover uma efetiva deposição do aerossol a partir de ajustes no fluxo e na umidificação do sistema. / Background: There are several challenges related to aerosol therapy since the efficacy and efectiveness of aerosol delivery, as well as the acquired image analysis and accuracy of the aerosol distribution. Radioaerosol deposition assessed by scintigraphy using High Flow Nasal Cannula (HFNC) in humans have not been known, as the estimated distribution of radio-aerosol using the concept of Voxel Influence Matrix (VIM) providing more precise estimates of the pulmonary deposition indexes. Aims: Original Article 1 – To describe a new method to analysis the scintigraphics images from the radio-aerosol deposition based on anatomically derived regions of interest (ROIs) to allow estimate radio-aerosol deposition on the central airways delimiting it from the other pulmonary areas objectively and systematically. Original Article 2 – To compare the effect of gas flow, heating and humidification on the deposition and distribution of radio-aerosol during the use of HFNC in healthy subjects. Methods: Two articles were developed involving radio-aerosol inhalation (99m Tc-DTPA, activity of 1mCi and 25 mCi). Firstly, scintigraphy images of 15 patients with clinical diagnosis of moderate to severe asthma (12 females and 3 males) were evaluated using a soft ware developed to analyze the scintigraphy images and to reconstruct data in pixels from the intensity of Grayscale. We delimited two different formats of ROIs – anatomical (aROI) and box (bROI) – and estimating values from the ratio of the peripheral and central counts (P/C) and radio-aerosol penetration index (RPI). Secondly, 23 healthy adults from both sexes between 18 to 65 years were randomly allocated into three groups according to the oxygen flow of 10L/min (n=8), 30 L/min (n =7) and 50 L/min (n=8). Technetium-99m labelled with 1 mCi was mixed to 1 mL of 0.9% saline solution and administered through a vibrating mesh nebulizer (Aerogen Solo) coupled to the humidifier and delivered through HFNC. Images of the lungs, upper airways, stomach and devices components were obtained by scintigraphy. Results: In the first study, we verified that P/C ratio was influenced by the ROIs format overestimating values, mainly for central region when comparing aROI and bROI (1.75 ± 0.33 versus 1.19 ± 0.24, p<0.001). Regarding the RPI, we did not observed differences to estimate 2D compared to aROI and bROI (0.651± 0.125 versus 0.651± 0.131, p= 0.948). When comparing RPI 2D and 3D, we observed that anatomical ROIs these values were overestimated 28 fold and 36 fold to the box model. In the second article, pulmonary deposition was 3 to 5 fold higher using flow of 10L/min when compared to 30 and 50 L/min (11.81 ± 4.90, 3.76 ± 1.36 e 2.23 ± 0.81, respectively; p <0,001). Deposition on HFNC was superior using high flows (50L/min- 13.77 ± 3.7 %, p <0.001) in comparison to 30 L/min (9.76 ± 2.47 %) and 10L/min (6.51 ± 2.46 %). Inspired mass of radio-aerosol in the heated system was similar using 10L/min, but when considering the high flows (30L/min e 50L/min), we observed a higher deposition through the unheated system (p = 0.011). For the correlations, we found a negative correlation between lung deposition and expiratory filter, but a positive correlation between lung deposition and HFNC. Conclusion: Considering the first article, our results indicate that the expansion of two-dimensional concept of ROIs for Grayscale domain through the definition of the VIM Model allowed a better prediction values regarding to the radio-aerosol distribution pattern on the tracheobronquial tree. On the other hand, the second study suggested that administration of the radio-aerosol through HFCN is able to deliver clinically relevant dose into the lungs according to the adjustments in the flow and humidification system.
17

Efeito de diferentes técnicas de ventilação mecânica sobre o estresse oxidativo pulmonar induzido por lesão pulmonar aguda experimental /

Ronchi, Carlos Fernando. January 2011 (has links)
Orientador: José Roberto Fioretto / Coorientador: Ana Lúcia dos Anjos Ferreira / Banca: Kyung-Jin Yeum / Banca: Marcelo Barciela Brandão / Banca: Celso Moura Rebello / Banca: Artur Figueiredo Delgado / Resumo: Ventilação mecânica (VM) pode induzir estresse oxidativo pulmonar, o qual desempenha papel importante na lesão pulmonar. Este estudo comparou a ventilação mecânica convencional proterora (VMC) e a ventilação oscilatória de alta frequência (VAF) quanto a oxigenação, estresse oxidativo pulmonar, inflamação e lesão pulmonar histopatológica em modelo de lesão pulmonar aguda (LPA) em coelhos. Coelhos (n = 30) foram ventilados com FiO2 1.0. A lesão pulmonar foi induzida por infusão traqueal de solução salina (30mL/kg, 38 ºC). Os animais foram aleatoriamente distribuidos para compor os seguintes grupos: a) Controle [GC: volume corrente (VT) 6mL/kg, pressão expiratória final positiva (PEEP) 5cmH2O, frequência respiratória (FR) 40 ipm], b) LPA + VMC [GVMC: VT 6ml / kg, PEEP 10cmH2O, FR 40 ipm] e c) LPA + VAF [GVAF: pressão média de vias aéreas (Paw) 14 cmH2O, FR 10Hz]. Estresse oxidativo pulmonar foi avaliado por meio da capacidade antioxidante total, a resposta inflamatória pelo número de leucócitos polimorfonucleares/lavado broncoalveolar/pulmão e o dano histológico pulmonar foi quantificado por um escore. Parâmetros ventilatórios e hemodinâmicos foram registrados a cada 30 minutos. Ambos os grupos com LPA apresentaram piora da oxigenação após a indução da lesão pulmonar. Depois de 4 horas de ventilação mecânica, GVAF mostrou melhor oxigenação (PaO2 - GC: 465,9 ± 30,5 = GVAF: 399,1 ± 98,2 > GVMC: 232,7 ± 104 mmHg, p <0,05) e menor resposta inflamatória (GVMC: 4,27 ± 1,50 > GVAF: 0,33 ± 0,20 = GC: 0,16 ± 0,15; polimorfonucleares/lavado broncoalveolar/pulmão, p <0,05), menor escore de lesão histopatológica [GVMC: 5 (1-16) > GVAF: 1 (0-5) > GC: 0 (0-3); p <0,05] e menor... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Not available / Doutor
18

A relação de fatores de risco ambientais e familiares com sibilância em escolares da cidade de Uruguaiana, RS

Pereira, Marilyn Urrutia January 2005 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T19:07:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000330616-Texto+Completo-0.pdf: 817278 bytes, checksum: debfd8dfb87d752ef3e191579a8625a3 (MD5) Previous issue date: 2005 / Objective: To determine risk factors associated with wheezing in children studying in the school of the city of Uruguaiana, RS. Methods: This is a cross-sectional study with children from the third and fourth school years from public schools, living in the urban area of a small city of poor income of Rio Grande do Sul, Brazil. A representative sample of this population of children was randomly sampled and parents or family representatives answered to a questionnaire applied by interviewers, with questions on asthma, wheezing, personal, or environmental family risk factors (based on the ISAAC questionnaire – International Study of Asthma and Allergies in Childhood). A random sub sample of children had stool samples collected for parasitological diagnosis (3 samples of stools per child with the methods of Ritchie, Kato-Katz and Baermann) and was also tested with skin prick tests for common environmental allergens (6 allergens, with tests from ALK, Spain).Results: The sampled children (n=1982) with a mean age of 10. 1 years had a prevalence of active wheeze (in the past 12 months) of 25,7% and of 12,6% for asthma ever in life. Almost 90% of the population lived in a poor area of the city, with low maternal level of education (75,7% had less than 8 years of formal education) and a third of the subjects exposed to maternal smoking. Contact with animals was frequent in the first year of life or at the time of the interviews. Factors that were significantly associated with active wheeze in the bivariate analysis were: maternal history of asthma (OR=3. 3 95%CI 2. 4 - 4. 7), eczema diagnosed before age 2 years (OR= 2. 5 95%CI 1. 4 - 4. 7), prematurity (OR=1. 7 95%CI 1. 2 - 2. 3), maternal smoking during pregnancy (OR=1. 5 95%CI 1. 2 - 1. 9), maternal smoking at age 10. 1 (OR= 1. 4 95% CI1. 1 - 1. 7), humid housing (OR=2. 0 95% CI 1. 6 - 2. 4), history of parasites (OR= 1. 7 95%CI 1. 4- 2. 0), contact with cats (OR=1. 2 95%CI 1. 0 - 1. 5). To live in a poor are of town (OR=0. 7 95%CI 0. 5 - 0. 9) was inversely associated with active wheeze, as well as having had contact with dog in the first year of life (OR=0. 8 95%CI 0. 7 - 1. 0). In the multivariate analysis family history of asthma, eczema before age 2 years, being born premature, history of parasite infections, house with molds or humidity, maternal smoking and contact with cats at the age of the survey were independent and significantly associate with active wheeze. Living in a poor are of town was also independently and inversely associated with active wheezing (OR=0. 6 95%CI 0. 5 - 0. 9). In the sub sample tested (n=411) 11. 7% of the children had at least one positive skin tests, and 49. 6% had at least one diagnostic test for intestinal parasites. A total of 33. 3% of the children had positive tests for helminths or giardia. Conclusions: Family history of asthma, eczema in the first years of life, prematurity, history of parasitic disease, maternal smoking, house with molds or humidity, or contact with cats at the time of the survey were all risk factors found associated with wheezing at mean age 10. 1 in students in Uruguaiana, RS. Living in a poor area of town was found protective to the development of wheezing at age 10 years. This findings and the fact that a very low percent of children has positive skin tests suggest that wheezing in this population is related to a variety of risk factors. Prevalence of atopic disease is very low in this population, and even though it was not possible to confirm the hypothesis that atopy was not significantly associated with wheezing we can suggest that asthma in this population of low socio-economic level is related to a variety of environmental stimuli (some different than what is found in more developed countries) in conjunction with a family predisposition for asthma. Factors that might protect the development of wheezing or asthma, or even atopy will be studied in more detail in the future. Living in a poor area of town conferred protection to wheezing at age 10, thus suggesting that in the next studies we should collect more detailed information related to these factors. / Objetivo: determinar os fatores de risco associados à sibilância em crianças escolares de Uruguaiana, RS. - Método: Estudo transversal, realizado em escolares de terceira e quarta séries do ensino básico fundamental, moradores da zona urbana de uma cidade do interior do RS, Brasil, com baixa renda. Uma amostra representativa desta população, de crianças foi selecionada aleatoriamente e seus pais ou familiares responderam um questionário aplicado por entrevistadores, com perguntas sobre asma, sibilância e fatores de risco pessoais, familiares e ambientais (baseado no questionário ISAAC – International Study of Asthma and Allergies in Childhood). Um sub-grupo de crianças, também escolhido aleatoriamente, coletou amostras de fezes para realização de diagnóstico parasitológico (3 amostras de fezes/criança com os métodos de Ritchie, Kato-Katz e Baermann) e realizou testes cutâneos para alergenos ambientais comuns (6 alergenos, com testes ALK, Espanha).Resultados: As crianças amostradas (n=1982), com idade média de 10,1 anos, apresentaram prevalência de sibilância ativa (nos últimos 12 meses) de 25,7% e de 12,6% para asma alguma vez na vida. Quase 90% da população vivia em área pobre da cidade, com baixo nível de escolaridade materna (75,7% com no máximo primário completo), sendo um terço da população exposta à mãe fumante. Contato com animais foi freqüente no primeiro ano de vida das crianças, ou à época das entrevistas. Os fatores significativamente associados à sibilância ativa na análise bivariada foram: história materna de asma (OR= 3,3 95%IC 2,4 - 4,7), eczema diagnosticado antes dos dois anos de idade (OR= 2,5 95% IC 1,4 - 4,7), prematuridade (OR= 1,7 95% IC 1,2 - 2,3), mãe fumante na gravidez (OR= 1,5 95% IC 1,2 - 1,9), mãe fumante atualmente (OR= 1,4 95% 1,1 - 1,7), casa com umidade (OR= 2,0 95% IC 1,6 - 2,4), história de verminose (OR= 1,7 95% IC 1,4 - 2,0) e ter gato atualmente (OR= 1,2 95% 1,0 - 1,5). Viver em zona pobre (OR= 0,7 95% IC 0,5 - 0,9) estava associado negativamente com sibilância ativa, assim como haver tido contato com cachorro no primeiro ano de vida (OR= 0,895% IC 0,7 - 1,0). Na análise multivariada, história materna de asma, eczema antes dos 2 anos de idade, prematuridade, história de verminose, casa com mofo ou umidade, mãe fumante e contato atual com gato mantiveram-se associadas significante e independentemente associadas à sibilância ativa. Viver em área pobre da cidade manteve-se associado independente e negativamente à sibilância (OR= 0,6 95% IC 0,5 - 0,9). Na subamostra testada (n= 411), 11,7% das crianças apresentou ao menos um teste cutâneo positivo e 49,6% ao menos uma prova diagnóstica positiva para parasitas intestinais. Um total de 33,3% das crianças apresentaram testes positivos para helmintos ou giárdia. Conclusões: História familiar de asma, eczema nos primeiros anos de vida, prematuridade, história de verminose, ter mãe fumante, casa com mofo ou umidade, ou contato com gato foram fatores de risco associados com sibilância à idade média de 10 anos nos escolares de Uruguaiana, RS. O fato de viver em área mais pobre da cidade conferiu proteção ao desenvolvimento de sibilância aos 10 anos. Estes achados e mais o fato de que um percentual muito reduzido de crianças apresenta testes cutâneos alérgicos positivos sugere que sibilância nesta população está relacionada a uma gama de fatores de risco. A prevalência de atopia é muito baixa na população testada, e embora não tenha sido possível comprovar a hipótese de que atopia não estivesse associada significativamente à sibilância, podemos sugerir que asma nessa população de baixo nível sócio-econômico esteja relacionada a vários estímulos ambientais (alguns diferentes dos encontrados em países mais desenvolvidos) além de uma história de predisposição familiar para asma. Fatores que possam proteger o desenvolvimento de sibilância ou asma, ou ainda atopia deverão ser estudados mais detalhadamente no futuro. Moradia em zona pobre conferiu proteção para sibilância aos 10 anos indicando que em próximos estudos deveríamos coletar informações mais detalhadas com relação a estes fatores.
19

Efeito de diferentes técnicas de ventilação mecânica sobre o estresse oxidativo pulmonar induzido por lesão pulmonar aguda experimental

Ronchi, Carlos Fernando [UNESP] 16 December 2011 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:32:12Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2011-12-16Bitstream added on 2014-06-13T21:03:36Z : No. of bitstreams: 1 ronchi_cf_dr_botfm.pdf: 4966891 bytes, checksum: e8e3017fad66c55c9176b3e76bb17c2c (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Ventilação mecânica (VM) pode induzir estresse oxidativo pulmonar, o qual desempenha papel importante na lesão pulmonar. Este estudo comparou a ventilação mecânica convencional proterora (VMC) e a ventilação oscilatória de alta frequência (VAF) quanto a oxigenação, estresse oxidativo pulmonar, inflamação e lesão pulmonar histopatológica em modelo de lesão pulmonar aguda (LPA) em coelhos. Coelhos (n = 30) foram ventilados com FiO2 1.0. A lesão pulmonar foi induzida por infusão traqueal de solução salina (30mL/kg, 38 ºC). Os animais foram aleatoriamente distribuidos para compor os seguintes grupos: a) Controle [GC: volume corrente (VT) 6mL/kg, pressão expiratória final positiva (PEEP) 5cmH2O, frequência respiratória (FR) 40 ipm], b) LPA + VMC [GVMC: VT 6ml / kg, PEEP 10cmH2O, FR 40 ipm] e c) LPA + VAF [GVAF: pressão média de vias aéreas (Paw) 14 cmH2O, FR 10Hz]. Estresse oxidativo pulmonar foi avaliado por meio da capacidade antioxidante total, a resposta inflamatória pelo número de leucócitos polimorfonucleares/lavado broncoalveolar/pulmão e o dano histológico pulmonar foi quantificado por um escore. Parâmetros ventilatórios e hemodinâmicos foram registrados a cada 30 minutos. Ambos os grupos com LPA apresentaram piora da oxigenação após a indução da lesão pulmonar. Depois de 4 horas de ventilação mecânica, GVAF mostrou melhor oxigenação (PaO2 - GC: 465,9 ± 30,5 = GVAF: 399,1 ± 98,2 > GVMC: 232,7 ± 104 mmHg, p <0,05) e menor resposta inflamatória (GVMC: 4,27 ± 1,50 > GVAF: 0,33 ± 0,20 = GC: 0,16 ± 0,15; polimorfonucleares/lavado broncoalveolar/pulmão, p <0,05), menor escore de lesão histopatológica [GVMC: 5 (1-16) > GVAF: 1 (0-5) > GC: 0 (0-3); p <0,05] e menor... / Not available
20

A corda elástica como instrumento de treinamento resistido em paciêntes com doença pulmonar obstrutiva crônica

Ferrari, Giovana Navarro Bertolini [UNESP] 15 December 2011 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:22:49Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2011-12-15Bitstream added on 2014-06-13T18:08:37Z : No. of bitstreams: 1 ferrari_gnb_me_prud.pdf: 308831 bytes, checksum: 4dd0fd3394dbc545f27bea1e080b7cdc (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Introdução: O treinamento resistido tem sido descrito como um meio de melhorar a capacidade funcional, força muscular, massa magra e qualidade de vida de indivíduos com DPOC. Objetivos: Comparar os efeitos do treinamento resistido com corda elástica e convencional sobre a capacidade funcional, força muscular, massa magra, qualidade de vida e inflamação sistêmica em pacientes com DPOC e avaliar os efeitos da continuidade do programa de exercícios resistidos em domicílio, com cordas elásticas, sobre a qualidade de vida, força muscular periférica e capacidade funcional de pacientes com DPOC. Casuística e métodos: Trinta e quatro indivíduos com DPOC moderada e grave, divididos em dois grupos: treinamento resistido com corda elástica (CE) e treinamento resistido convencional (TC), participantes de um programa de treinamento resistido com duração de oito semanas, foram avaliados quanto à capacidade funcional, força muscular, massa magra, qualidade de vida e inflamação sistêmica. Após o término do treinamento 10 indivíduos deram continuidade ao treinamento em domicílio e após seis meses foram avaliados quanto... / Introduction: Resistance training has been described as a means of improving functional capacity, muscle strength, lean body mass and quality of life of individuals with COPD. Objectives: To compare the effects of resistance training with elastic cord and conventional on functional capacity, muscle strength, lean body mass, quality of life and systemic inflammation in patients with COPD and to evaluate the effects of continuing the program of resistance exercises at home, with strings elastic, about the quality of life, peripheral muscle strength and functional capacity of patients with COPD. Methods: Thirty-four individuals with moderate or severe COPD, divided into two groups: resistance training with elastic cord (CE) and conventional resistance training (CT) in response to a resistance training program lasting eight weeks, were evaluated for their ability function, muscle strength, lean body mass, quality of life and systemic inflammation. After the training 10 individuals have continued training at home and after six months... (Complete abstract click electronic access below)

Page generated in 0.1036 seconds