• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 22
  • Tagged with
  • 22
  • 9
  • 9
  • 9
  • 8
  • 8
  • 7
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Representando envelhecimentos nos percursos da hetero e da homossexualidade masculina

Maria Monteiro Maravilha, Laura 31 January 2010 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:01:14Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo749_1.pdf: 1086673 bytes, checksum: 78fb8cdffeb69ae2e1e38dbb41060674 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2010 / Universidade Federal de Alagoas / Este trabalho teve o objetivo de investigar, através do referencial teórico das Representações Sociais, as idéias de senso-comum - que circulam entre homens heterossexuais e homossexuais- acerca do envelhecimento, a partir das diferenças que a orientação sexual traz para suas vidas. Buscamos compreender também os processos psicossociais subjacentes à representação social do envelhecimento para os grupos estudados; analisar a relação entre envelhecimento e sexualidade e identificar possíveis vantagens e desvantagens vivenciadas pelos homossexuais no processo de senescência, bem como as estratégias de enfrentamento das possíveis desvantagens vivenciadas. A Teoria das Representações Sociais busca compreender as teorias leigas sobre determinados objetos sociais, construídas e compartilhadas de maneira coletiva, que orientam o comportamento dos indivíduos e a relação social entre eles, além de justificar as práticas relativas a esses objetos. Participaram deste estudo 16 homens a partir de sessenta anos de idade; sendo oito homens heterossexuais e oito homossexuais. Para a coleta dos dados, utilizamos o instrumento da entrevista narrativa. Na etapa de análise e interpretação dos dados, realizamos a análise de conteúdo clássica. Observamos que a orientação sexual em si não é determinante para a formação de representações sociais distintas sobre o envelhecimento. Para ambos os grupos, o envelhecimento é representado como processo natural do desenvolvimento humano e marcado por ganhos e perdas. Os ganhos são percebidos na experiência e aprendizado que resultam de uma vida longa, enquanto que as perdas são objetivadas principalmente no declínio físico e na menor inserção e interação social. O envelhecimento aparece ainda como lugar de recompensas e/ou punições para as atitudes desenvolvidas durante a vida. A sexualidade aparece como princípio organizador das práticas sociais que diferenciam heterossexuais e homossexuais no processo de envelhecimento, já que para estes últimos as mudanças estéticas e a diminuição do vigor sexual decorrentes do envelhecimento os instigam a práticas de reparação do corpo e preservação da potência sexual. Para os heterossexuais, o declínio no desempenho sexual é encarado com conformismo e como conseqüência natural do envelhecimento, já que a prática sexual legitimada socialmente perde sua função com o fim da capacidade reprodutiva. Podemos inferir que tais representações apontam para um processo plural e dinâmico no modo de se conceber o envelhecimento e a velhice nas sociedades contemporâneas, visto que ora ancora-se em aspectos biológicos, ora em aspectos sociais ou religiosos
2

Conceição do Coité em “quadrado”: retratos da violência contra as mulheres (1980-1998)

Silva, Zuleide Paiva da 01 July 2010 (has links)
Submitted by Rangel Sousa Jamile Kelly (jamile.kelly@ufba.br) on 2012-07-03T19:17:29Z No. of bitstreams: 1 PDF_Final.pdf: 10993720 bytes, checksum: 1e93d8c2c1554caa5667d56f746c1295 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-07-03T19:17:29Z (GMT). No. of bitstreams: 1 PDF_Final.pdf: 10993720 bytes, checksum: 1e93d8c2c1554caa5667d56f746c1295 (MD5) / Este estudo, de natureza interdisciplinar, construído à luz das teorias feministas e lésbicas, tem o propósito maior de visibilizar, mensurar e analisar, a violência contra as mulheres produzida e denunciada em Conceição do Coité -BA, no período de 1980 a 1998. O fenômeno analisado, compreendido como uma violação aos direitos humanos, tem sido reconhecido em muitos países como um grave problema de saúde pública, uma epidemia que contamina a sociedade e mata, a cada dia, mais e mais mulheres em função do seu sexo. Diante do cenário contínuo de violência, muitos estudos de natureza acadêmica têm surgido sobre a temática. Porém, na Bahia, estes estudos estão circunscritos à capital do Estado, fato que evidencia a relevância do estudo, que para alcançar o objetivo proposto, apreende um conjunto de fontes, primárias manuscritas e impressas, memorialistas, trabalhos acadêmicos, fontes orais e bibliografia, compreendidas não como uma prova, mas como um discurso. Reconhecendo a importância do espaço na construção do fenômeno, o estudo busca na interseccionalidade das categorias de análise a melhor estratégia para adentrar os caminhos e os descaminhos do sertão, em busca de vestígios de mulheres em situação de violência. O resultado obtido, que apreende uma profusão de números e imagens discursivamente construídas, evidencia Conceição do Coité como uma prática social, dialética, um cenário das relações humanas, um lugar de violências produzidas sob a égide do patriarcado coronelista. Evidencia ainda o poder masculino e a violência contra a mulher, em suas múltiplas manifestações, como é um fenômeno universal, produto das relações patriarcais de gênero, conferindo-lhe estatuto de problema social, cultural e político, que diz respeito a toda a sociedade. / Salvador
3

Ser homem de 45 a 55 anos na relação heterossexual: da ruptura do silêncio a reflexões de paradigmas / To be a 45- to 55-year-old man in a heterosexual relationship: From rupture of the silence to reflections on paradigms.

Maria Fernanda Marrega 16 December 2005 (has links)
MARREGA, M. F Ser homem de 45 a 55 anos na relação heterossexual: da ruptura do silêncio a reflexões de paradigmas. 2005. 319 p. Dissertação. FFCLRP- Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2005. Resumo A heterossexualidade se apresenta como padrão de sexualidade instituído como norma sexual adequada, portanto pouco investigado. A definição de homem como chefe do lar, forte, inatingível emocionalmente, consiste na oposição da idéia do conceito do que é ser mulher, considerada sensível, frágil e passiva. Esse conceito patriarcal possui como paradigma uma definição clara de papéis de gênero, sendo legitimado pela divisão social de trabalho, na qual os homens situam-se na esfera pública da sociedade, provendo materialmente a família, enquanto as mulheres são aptas à esfera privada, zelando pelo lar e pelos filhos. Entretanto, as conquistas sexuais das mulheres e sua inserção no mercado de trabalho, ocasionaram mudanças nesse cenário. Isso juntamente com as conquistas dos homossexuais e transexuais desencadeou mudanças significativas nos papéis de gênero e na estrutura familiar. Assim, essa pesquisa visa compreender como homens de meia-idade que se autodenominam heterossexuais vivenciam e significam suas experiências afetivas e sexuais, no decorrer de suas histórias. Centramos nossa atenção ao fenômeno: O que é a heterossexualidade? Entrevistamos 6 homens entre 45 e 55 anos, utilizamos a técnica de entrevista compreensiva gravada, norteada pela questão: “Na sua história de vida, da infância até os dias atuais, como você foi se percebendo heterossexual e como isso tem sido?”. A metodologia fenomenológica foi utilizada para a obtenção dos relatos dos colaboradores, por meio da entrevista fenomenológica compreensiva. Os depoimentos foram analisados pela perspectiva psicanalítica e pela análise histórico sociológica. A heterossexualidade é descrita pela maioria dos colaboradores como sendo algo que brota do íntimo de forma natural e que se confirma por meio da intensa atividade sexual com as mulheres, assim como define-se também por oposição à identificação com o feminino e à possível inclinação homossexual. Esse modelo patriarcal do “homem de verdade”, gera fortes características narcísicas na estrutura da identidade masculina, que se expressam intensamente na adolescência, dificultando a relação de troca afetiva na vida adulta. Sexo e afetividade são vividos de modo cindido, visto que o primeiro é vivido com mulheres com quem não se deve viver envolvimento e compromisso. O compromisso amoroso deve ser assumido com mulheres de família. As relações adultas são marcadas, assim, pelos esteriótipos dos papéis de gênero. Esse formato de relacionamento amoroso é questionado e refletido por alguns dos colaboradores na meia-idade, visto que dificulta a satisfação e a sensação de autenticidade na relação amorosa. Os padrões onipotentes e viris da ideologia patriarcal heterossexual são questionados pela maioria dos colaboradores, uma vez que não satisfazem mais a necessidade afetiva e sexual desses homens na meia-idade. Alguns colaboradores, entretanto realizam uma adaptação desses valores em um novo formato para se adequar às mudanças que o tempo impôs em seus relacionamentos. A busca por uma maior autenticidade na relação amorosa ocasionou na história de alguns colaboradores o abandono dos esteriótipos ligados aos papéis de gênero, assim como em relação ao formato burguês da família moderna, constituindo relacionamentos e grupos familiares diferentes do padrão da sociedade Moderna. Outros colaboradores permaneceram inseridos nesse padrão tradicional. Essa heterogeneidade, caracterizada pela mescla entre a pluralidade de modelos e o tradicional nos relacionamentos, configura o contexto da hipermodernidade, no qual essas vivências estão inseridas. Palavras Chave: heterossexualidade, masculino, Fenomenologia, Psicanálise / MARREGA, M. F To be a 45- to 55-year-old man in a heterosexual relationship: From rupture of the silence to reflections on paradigms. 2005. 319 p. Dissertação Mestrado - FFCLRP- Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2005. Abstract Heterosexuality is presented as a pattern of sexuality established as the sexual norm however, it has been studied little. The definition of the man as the head of the household, strong, emotionally unaffected, consists of the opposing concept of being a woman, considered sensitive, fragile and passive. This patriarchal concept has as a paradigm a clear definition of the roles of gender, which has been legitimized by the social division of work, in which men place themselves in the public sphere of society, materially providing for the family, whilst the women are apt for the private sphere, taking care of the home and the children. However, the sexual achievements of women and their inclusion in the labor market, has caused changes in this scenario. This, together with the conquests of homosexuals and transsexuals triggered significant changes in the roles of gender and the familial structure. Thus, this research aims at understanding how middle-aged men who consider themselves heterosexual, experienced and denoted their affective and sexual experiences over their lives. We focused our attention on the phenomenon: What is heterosexuality? Six men between the ages of 45 and 55 were interviewed utilizing the technique of recorded comprehensive interviews directed by the question: “In your life story, from childhood to nowadays, how did you perceive you were heterosexual and how has this been?” The phenomenologic methodology was utilized to obtain the reports of the collaborators, by comprehensive phenomenologic interviews. The interviews were analyzed from the psychoanalytical point of view and by analyzing the sociological history. Heterosexuality is described by most of the collaborators as being something that naturally emerges from the within and which is confirmed by intense sexual activity with women, thus it is also defined as opposed to the identification with femininity and the possible homosexual inclination. This patriarchal model of a “true man” creates strong narcissist characteristics in the structure of the masculine identity, which are intensely expressed in the adolescence, making the relationship of affective exchange difficult in the adulthood. Sex and affectivity are lived independently, as the first is lived with women with whom you should not become involved and compromised. Loving involvement should be adopted by women of families. Adult relationships are thus, marked by stereotypes of roles of gender. This format of loving relationships is questioned and reflected upon by some of the middle-aged collaborators, as it makes satisfaction and the sensation of authenticity in the loving relationship difficult. The omnipotent and viripotent patterns of the heterosexual patriarchal ideology are questioned by the majority of the collaborators, as they do not satisfy the affective and sexual necessities of these middle-aged men anymore. Some collaborators however, manage to transform these values into another format to adapt to the changes that time has imposed on their relationships. The pursuit of a greater authenticity in the loving relationship caused some collaborators to abandon the stereotypes linked to the roles of gender, as well as the bourgeois format of the modern family, constituting relationships and family groups different to the norms of the modern society. Other collaborators remain part of this traditional pattern. This heterogeneity, characterized by a plurality of models including the traditional in relationships, configures the context of hypermodernity in which these existences are inserted. Key words: heterosexuality, masculine, phenomenology, psychoanalysis
4

Ser homem de 45 a 55 anos na relação heterossexual: da ruptura do silêncio a reflexões de paradigmas / To be a 45- to 55-year-old man in a heterosexual relationship: From rupture of the silence to reflections on paradigms.

Marrega, Maria Fernanda 16 December 2005 (has links)
MARREGA, M. F Ser homem de 45 a 55 anos na relação heterossexual: da ruptura do silêncio a reflexões de paradigmas. 2005. 319 p. Dissertação. FFCLRP- Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2005. Resumo A heterossexualidade se apresenta como padrão de sexualidade instituído como norma sexual adequada, portanto pouco investigado. A definição de homem como chefe do lar, forte, inatingível emocionalmente, consiste na oposição da idéia do conceito do que é ser mulher, considerada sensível, frágil e passiva. Esse conceito patriarcal possui como paradigma uma definição clara de papéis de gênero, sendo legitimado pela divisão social de trabalho, na qual os homens situam-se na esfera pública da sociedade, provendo materialmente a família, enquanto as mulheres são aptas à esfera privada, zelando pelo lar e pelos filhos. Entretanto, as conquistas sexuais das mulheres e sua inserção no mercado de trabalho, ocasionaram mudanças nesse cenário. Isso juntamente com as conquistas dos homossexuais e transexuais desencadeou mudanças significativas nos papéis de gênero e na estrutura familiar. Assim, essa pesquisa visa compreender como homens de meia-idade que se autodenominam heterossexuais vivenciam e significam suas experiências afetivas e sexuais, no decorrer de suas histórias. Centramos nossa atenção ao fenômeno: O que é a heterossexualidade? Entrevistamos 6 homens entre 45 e 55 anos, utilizamos a técnica de entrevista compreensiva gravada, norteada pela questão: “Na sua história de vida, da infância até os dias atuais, como você foi se percebendo heterossexual e como isso tem sido?". A metodologia fenomenológica foi utilizada para a obtenção dos relatos dos colaboradores, por meio da entrevista fenomenológica compreensiva. Os depoimentos foram analisados pela perspectiva psicanalítica e pela análise histórico sociológica. A heterossexualidade é descrita pela maioria dos colaboradores como sendo algo que brota do íntimo de forma natural e que se confirma por meio da intensa atividade sexual com as mulheres, assim como define-se também por oposição à identificação com o feminino e à possível inclinação homossexual. Esse modelo patriarcal do “homem de verdade", gera fortes características narcísicas na estrutura da identidade masculina, que se expressam intensamente na adolescência, dificultando a relação de troca afetiva na vida adulta. Sexo e afetividade são vividos de modo cindido, visto que o primeiro é vivido com mulheres com quem não se deve viver envolvimento e compromisso. O compromisso amoroso deve ser assumido com mulheres de família. As relações adultas são marcadas, assim, pelos esteriótipos dos papéis de gênero. Esse formato de relacionamento amoroso é questionado e refletido por alguns dos colaboradores na meia-idade, visto que dificulta a satisfação e a sensação de autenticidade na relação amorosa. Os padrões onipotentes e viris da ideologia patriarcal heterossexual são questionados pela maioria dos colaboradores, uma vez que não satisfazem mais a necessidade afetiva e sexual desses homens na meia-idade. Alguns colaboradores, entretanto realizam uma adaptação desses valores em um novo formato para se adequar às mudanças que o tempo impôs em seus relacionamentos. A busca por uma maior autenticidade na relação amorosa ocasionou na história de alguns colaboradores o abandono dos esteriótipos ligados aos papéis de gênero, assim como em relação ao formato burguês da família moderna, constituindo relacionamentos e grupos familiares diferentes do padrão da sociedade Moderna. Outros colaboradores permaneceram inseridos nesse padrão tradicional. Essa heterogeneidade, caracterizada pela mescla entre a pluralidade de modelos e o tradicional nos relacionamentos, configura o contexto da hipermodernidade, no qual essas vivências estão inseridas. Palavras Chave: heterossexualidade, masculino, Fenomenologia, Psicanálise / MARREGA, M. F To be a 45- to 55-year-old man in a heterosexual relationship: From rupture of the silence to reflections on paradigms. 2005. 319 p. Dissertação Mestrado - FFCLRP- Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2005. Abstract Heterosexuality is presented as a pattern of sexuality established as the sexual norm however, it has been studied little. The definition of the man as the head of the household, strong, emotionally unaffected, consists of the opposing concept of being a woman, considered sensitive, fragile and passive. This patriarchal concept has as a paradigm a clear definition of the roles of gender, which has been legitimized by the social division of work, in which men place themselves in the public sphere of society, materially providing for the family, whilst the women are apt for the private sphere, taking care of the home and the children. However, the sexual achievements of women and their inclusion in the labor market, has caused changes in this scenario. This, together with the conquests of homosexuals and transsexuals triggered significant changes in the roles of gender and the familial structure. Thus, this research aims at understanding how middle-aged men who consider themselves heterosexual, experienced and denoted their affective and sexual experiences over their lives. We focused our attention on the phenomenon: What is heterosexuality? Six men between the ages of 45 and 55 were interviewed utilizing the technique of recorded comprehensive interviews directed by the question: “In your life story, from childhood to nowadays, how did you perceive you were heterosexual and how has this been?" The phenomenologic methodology was utilized to obtain the reports of the collaborators, by comprehensive phenomenologic interviews. The interviews were analyzed from the psychoanalytical point of view and by analyzing the sociological history. Heterosexuality is described by most of the collaborators as being something that naturally emerges from the within and which is confirmed by intense sexual activity with women, thus it is also defined as opposed to the identification with femininity and the possible homosexual inclination. This patriarchal model of a “true man" creates strong narcissist characteristics in the structure of the masculine identity, which are intensely expressed in the adolescence, making the relationship of affective exchange difficult in the adulthood. Sex and affectivity are lived independently, as the first is lived with women with whom you should not become involved and compromised. Loving involvement should be adopted by women of families. Adult relationships are thus, marked by stereotypes of roles of gender. This format of loving relationships is questioned and reflected upon by some of the middle-aged collaborators, as it makes satisfaction and the sensation of authenticity in the loving relationship difficult. The omnipotent and viripotent patterns of the heterosexual patriarchal ideology are questioned by the majority of the collaborators, as they do not satisfy the affective and sexual necessities of these middle-aged men anymore. Some collaborators however, manage to transform these values into another format to adapt to the changes that time has imposed on their relationships. The pursuit of a greater authenticity in the loving relationship caused some collaborators to abandon the stereotypes linked to the roles of gender, as well as the bourgeois format of the modern family, constituting relationships and family groups different to the norms of the modern society. Other collaborators remain part of this traditional pattern. This heterogeneity, characterized by a plurality of models including the traditional in relationships, configures the context of hypermodernity in which these existences are inserted. Key words: heterosexuality, masculine, phenomenology, psychoanalysis
5

Representações de sexualidade no currículo da Nova Escola e a construção do sujeito heterossexual

Stumpf, Débora Karine January 2003 (has links)
A partir da perspectiva pós-estruturalista e de uma aproximação entre o campo dos Estudos Culturais e algumas contribuições foucaultianas, este estudo analisa a revista Nova Escola, discutindo as representações de sexualidade veiculadas pela revista entre os anos de 1997 e 2001. O foco mais específico desta pesquisa está nas reportagens, sugestões, propostas e exemplos de como trabalhar a temática da sexualidade em sala de aula. Discuto essas “orientações”, especialmente a partir da circulação dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN). A partir de uma análise cultural que coloca no seu centro a noção de poder, problematizo o modo como a sexualidade é representada nos textos da revista. Em suma, interessou-me ver, nesta Dissertação, como o currículo da revista produziu diferentes representações sobre a temática da sexualidade, de modo a reiterar a construção do sujeito heterossexual como sendo a norma.
6

Gênero e sexualidade na revista Sexy : um roteiro para a masculinidade heterossexual

Câmara, Adriane Peixoto January 2007 (has links)
Esta dissertação tem como objetivo principal problematizar a revista Sexy como um roteiro para a masculinidade heterossexual. Para tal, foi selecionado como corpus de análise o ano de 2005 da referida revista, num total de doze edições. O referencial teórico deste trabalho é o dos Estudos Feministas e dos Estudos Culturais de inspiração pós-estruturalista. Este trabalho opera um conjunto de conceitos, tais como gênero, sexualidade, masculinidade, representação. O recurso que orientou a aproximação com o material empírico foi analisar, ao longo das doze edições, tudo o que a revista disponibilizou (mensalmente) para seus leitores masculinos, a saber: as reportagens sobre comportamento, sexualidade, viagens, consumo, as entrevistas, informações sobre livros, cinema e DVD, além dos ensaios fotográficos de nu feminino, centrais para a publicação. Também lança um olhar para a relação entre os profissionais que trabalham na revista (homens e mulheres) e os possíveis leitores, observando paulatinamente o desenvolvimento de uma relação de ensinoaprendizagem que a revista estabelece com seus leitores masculinos. Este tipo de exploração do material empírico, que buscou fundamentalmente regularidades, permitiu argumentar que a masculinidade heterossexual, construída culturalmente, é orientada pelos roteiros disponíveis no mercado (ou seja, as inúmeras revistas masculinas que existem atualmente, visam basicamente o entretenimento masculino, incluindo a revista Sexy) em que se exerce com o leitor masculino uma relação pedagógica, ou seja, de ensino-aprendizagem sobre o que é ser um homem heterossexual (em termos de preferências, incluindo as preferências sexuais) e especialmente como se comportar sexualmente. Embora haja um esforço por parte da revista, em sempre delimitar bem os espaços do masculino e do feminino, através da noção de essência, os sentidos atribuídos ao que é ‘essencialmente’ do homem e ao que é ‘essencialmente’ da mulher escapam, sobretudo quando analisamos os lugares das mulheres na publicação. Ou seja, se por um lado, as mulheres ocupam o centro dos desejos eróticos masculinos (especialmente as modelos, atrizes ou cantoras muito jovens), por outro lado, as jornalistas mulheres escreveram e orientaram não somente como os homens devem se relacionar com as outras mulheres, mas também como os homens devem se comportar sexualmente. / This dissertation aims to question the Sexy magazine as a script for the heterosexual masculinity. In order to do so, I selected the magazine’s twelve editions of the year of 2005. The theoretical referential of the work are the Feminist Studies and the Cultural Studies with a post-structuralist influence. This study works with a group of concepts, such as gender, sexuality, masculinity and representation. The resource that guided the approach with the empiric material was the analysis, along the magazine’s twelve editions, of everything that was shown to its male readers, such as reports about behavior, sexuality, trips, consumption, interviews, information on books, movies and DVD, besides the photographies of female nude, the main topic of the magazine. This work also looks at the relationship among the professionals who work in the magazine (men and women) and the possible readers, observing the development of a ‘teachinglearning’ relation that the magazine establishes with its male readers. This type of exploration of the empiric material, which looked for some regularities, enabled me to argue that the heterosexual masculinity - built culturally - is guided by the routes available in the market. In other words, the countless masculine magazines existent nowadays aim at the male entertainment, including the Sexy Magazine. There is a pedagogical relation with the masculine reader, a ‘teaching-learning’ relation concerning what means being a heterosexual man (in terms of preferences, including the sexual preferences), especially how he should behave sexually. Although there is an effort by the magazine in delimiting the spaces of the masculine and the feminine through the notion of essence, the senses attributed to what belongs 'essentially’ to the man and what belongs ‘essentially’ to the woman escape, especially when we analyze the women's places in the magazine. On the one hand, women occupy the center of the masculine erotic desires (especially top models, actresses or very young singers); on the other hand, journalists women wrote and guided not only how men should relate with other women, but also how men should behave sexually.
7

Gênero e sexualidade na revista Sexy : um roteiro para a masculinidade heterossexual

Câmara, Adriane Peixoto January 2007 (has links)
Esta dissertação tem como objetivo principal problematizar a revista Sexy como um roteiro para a masculinidade heterossexual. Para tal, foi selecionado como corpus de análise o ano de 2005 da referida revista, num total de doze edições. O referencial teórico deste trabalho é o dos Estudos Feministas e dos Estudos Culturais de inspiração pós-estruturalista. Este trabalho opera um conjunto de conceitos, tais como gênero, sexualidade, masculinidade, representação. O recurso que orientou a aproximação com o material empírico foi analisar, ao longo das doze edições, tudo o que a revista disponibilizou (mensalmente) para seus leitores masculinos, a saber: as reportagens sobre comportamento, sexualidade, viagens, consumo, as entrevistas, informações sobre livros, cinema e DVD, além dos ensaios fotográficos de nu feminino, centrais para a publicação. Também lança um olhar para a relação entre os profissionais que trabalham na revista (homens e mulheres) e os possíveis leitores, observando paulatinamente o desenvolvimento de uma relação de ensinoaprendizagem que a revista estabelece com seus leitores masculinos. Este tipo de exploração do material empírico, que buscou fundamentalmente regularidades, permitiu argumentar que a masculinidade heterossexual, construída culturalmente, é orientada pelos roteiros disponíveis no mercado (ou seja, as inúmeras revistas masculinas que existem atualmente, visam basicamente o entretenimento masculino, incluindo a revista Sexy) em que se exerce com o leitor masculino uma relação pedagógica, ou seja, de ensino-aprendizagem sobre o que é ser um homem heterossexual (em termos de preferências, incluindo as preferências sexuais) e especialmente como se comportar sexualmente. Embora haja um esforço por parte da revista, em sempre delimitar bem os espaços do masculino e do feminino, através da noção de essência, os sentidos atribuídos ao que é ‘essencialmente’ do homem e ao que é ‘essencialmente’ da mulher escapam, sobretudo quando analisamos os lugares das mulheres na publicação. Ou seja, se por um lado, as mulheres ocupam o centro dos desejos eróticos masculinos (especialmente as modelos, atrizes ou cantoras muito jovens), por outro lado, as jornalistas mulheres escreveram e orientaram não somente como os homens devem se relacionar com as outras mulheres, mas também como os homens devem se comportar sexualmente. / This dissertation aims to question the Sexy magazine as a script for the heterosexual masculinity. In order to do so, I selected the magazine’s twelve editions of the year of 2005. The theoretical referential of the work are the Feminist Studies and the Cultural Studies with a post-structuralist influence. This study works with a group of concepts, such as gender, sexuality, masculinity and representation. The resource that guided the approach with the empiric material was the analysis, along the magazine’s twelve editions, of everything that was shown to its male readers, such as reports about behavior, sexuality, trips, consumption, interviews, information on books, movies and DVD, besides the photographies of female nude, the main topic of the magazine. This work also looks at the relationship among the professionals who work in the magazine (men and women) and the possible readers, observing the development of a ‘teachinglearning’ relation that the magazine establishes with its male readers. This type of exploration of the empiric material, which looked for some regularities, enabled me to argue that the heterosexual masculinity - built culturally - is guided by the routes available in the market. In other words, the countless masculine magazines existent nowadays aim at the male entertainment, including the Sexy Magazine. There is a pedagogical relation with the masculine reader, a ‘teaching-learning’ relation concerning what means being a heterosexual man (in terms of preferences, including the sexual preferences), especially how he should behave sexually. Although there is an effort by the magazine in delimiting the spaces of the masculine and the feminine through the notion of essence, the senses attributed to what belongs 'essentially’ to the man and what belongs ‘essentially’ to the woman escape, especially when we analyze the women's places in the magazine. On the one hand, women occupy the center of the masculine erotic desires (especially top models, actresses or very young singers); on the other hand, journalists women wrote and guided not only how men should relate with other women, but also how men should behave sexually.
8

Representações de sexualidade no currículo da Nova Escola e a construção do sujeito heterossexual

Stumpf, Débora Karine January 2003 (has links)
A partir da perspectiva pós-estruturalista e de uma aproximação entre o campo dos Estudos Culturais e algumas contribuições foucaultianas, este estudo analisa a revista Nova Escola, discutindo as representações de sexualidade veiculadas pela revista entre os anos de 1997 e 2001. O foco mais específico desta pesquisa está nas reportagens, sugestões, propostas e exemplos de como trabalhar a temática da sexualidade em sala de aula. Discuto essas “orientações”, especialmente a partir da circulação dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN). A partir de uma análise cultural que coloca no seu centro a noção de poder, problematizo o modo como a sexualidade é representada nos textos da revista. Em suma, interessou-me ver, nesta Dissertação, como o currículo da revista produziu diferentes representações sobre a temática da sexualidade, de modo a reiterar a construção do sujeito heterossexual como sendo a norma.
9

Diferenças sexuais em critérios de seleção de parceiros: uma leitura a partir do referencial da psicologia evolutiva / Sex differences in mate selection criteria: an evolutuinary Psychology approach.

Lucila de Sousa Campos 28 January 2000 (has links)
Durante o cortejamento, cada indivíduo avalia a qualidade do parceiro e decide se o relacionamento vai evoluir para um estágio de maior envolvimento. Em anúncios classificados para busca de parceiros, os critérios iniciais de preferência encontram-se bastante elaborados. Esse material tem atraído a atenção de cientistas sociais, psicólogos e sociobiólogos, partindo da premissa de que as palavras utilizadas refletem dimensões relevantes quanto a diferenças de gênero. Nosso objetivo foi estudar diferenças sexuais em critérios de seleção de parceiros, utilizando como material a seção classiline da Folha de São Paulo. A amostra constituiu-se de 500 anúncios femininos e 500 masculinos, publicados entre 1997 e 1999, solicitando um relacionamento de longa duração. Os anúncios foram examinados quanto à oferta de características psicológicas (tais como atratividade, sexualidade, sinceridade, emoção, necessidade de afiliação, hobbies, atributos instrumentais), sociais (tais como condição financeira e ocupação profissional), físicas, demográficas e ao número de respostas. Nossos resultados foram avaliados através de análises univariadas (Quiquadrado, teste t e análise de regressão) e multivariada (árvore de resposta), indicando diferenças significativas entre os gêneros quanto aos critérios adotados durante a seleção de um parceiro romântico. Quanto à oferta de atributos constatou-se que homens ofereceram significativamente mais do que mulheres atributos ,associados a aquisição de recursos (ocupação profissional, recurso financeiro), qualidades morais e informação quanto ao traço físico altura, enquanto solicitaram significativamente mais do que mulheres atributos como atratividade e informações quanto ao peso e sexualidade. Mulheres, por sua vez, ofereceram significativamente mais do que homens informações quanto a aspecto físico, estado civil, ausência de filhos e comportamento religioso e solicitaram significativamente mais do que homens informações quanto a atributos relacionados a obtenção de recursos (recurso financeiro, nível de instrução e ocupação profissional), estado civil, qualidades morais e comportamento religioso. A análise do número de respostas obtido por homens e mulheres, em função da oferta dos diversos atributos, indicou que homens receberam significativamente mais respostas diante da oferta de atributos sociais, enquanto mulheres foram beneficiadas em função da oferta de características ligadas a beleza física e traços físicos. Nossos resultados estio de acordo com o modelo proposto pela Psicologia Evolutiva quanto aos critérios de seleção de parceiros, segundo o qual mulheres valorizam características que indiquem potencial para a aquisição de recursos no parceiro, enquanto homens valorizam sinais de fertilidade. Essas diferenças são previstas em função do investimento parental mínimo de cada sexo (9min x 9 meses). Nossos resultados também revelaram harmonia em relação às previsões feitas pelas teorias sociais, segundo a qual diferenças nos critérios de seleção de parceiros estariam associadas a diferenças de papéis sociais. Enquanto mulheres são vistas como objeto de apreciação masculina, homens representam a possibilidade feminina de ascensão social. / During the courtship each individual evaluates the partne´s qualities and decides if the relationship will move to a stage of deeper involvement. The initial preference criteria found in personal advertisements are quite elaborated. That material has been attracting the attention of social cientists, psychologists and sociobiologists, on the premise that the used words reflect important dimensions as to gender differences. Our objective is to study sexual differences in mate selection criteria using the classiline section of the Folha de São Paulo as data base. The sample was constituted of 500 feminine annouhcements and 500 masculine, published between 1997 and 1999 which requested a long term relationship. The announcements were examined with relationship to the otfer and seek of psychological characteristics (such as atractiveness, sexuality, honesty, emotion, affiliation need. hobbies. instrumental attributes), social (such as financiai condition, and professional occupation), physics, demographics and to the number of answers obtained for each advertisement. Our results were evaluated with univariate (Qui square, t test and regression analysis) as well as multivariate (answer tree) analysis methods, indicating significant differences between the genders with regards to the criteria adopted in the mate selection process. As to resourse-related attributes, it was observed that men provided significantly more than women resource-associated attributes (professional occupation, financial resource), moral qualities snd physical infortnation like shape snd heiglrt than women, while they requested significantly more attributes like attractiveness, infonnation about weight and sexuality than did women. On the other hand, women provided significantly more information related to civil status, physical aspect, children\'s absence and religious behavior than did men and requested significantly more information on resource-related attributes (financiai resource, educational levei and professional occupation), civil status, moral qualities and religious behavior than did men. A univariate analysis of the number of answers obtained by men and women as a function of the various attnbutes offered indicated that men received significantly more answers associated to social attributes while women were benefiting in function of the characteristics related to attractiveness and physical features. Our results are in line with the model proposed by the Evolutionary Psychology as to mate selection criteria, according to whlch women value characteristics that indicate resource­ acquisition potential in the partner, while men value fertility cues. Those differences are expected in function of the m.inimum parenta! investment of each sex (9min x 9 months). Our results are also in harmony with the forecasts made by the social theories according to which differences in the criteria of partner´s selection are associated with differences in social roles. While women are seen as object of masculine appreciation, men represent the feminine possibility of social ascension.
10

Relacionamentos amorosos de curta e longa duração: uma análise a partir de anúncios classificados / Short and long term sexual relationships: an approach based on the ana1ysis of personal advertisements

Lucila de Sousa Campos 08 March 2006 (has links)
Esforços recentes em explicar as diferenças interssexuais e intrassexuais nas motivações de homens e mulheres em relacionamentos sexuais de curta e longa duração resultaram na formulação da teoria das estratégias sexuais (Buss e Schmitt, 1993) e da teoria do pluralismo estratégico (Gangestad e Simpson, 2000) que colocam ênfases diferentes nos fatores da qualidade do investimento parental e da qualidade genética na determinação da escolha do parceiro. Com a finalidade de melhor entender as semelhanças e diferenças entre estratégias em curta e longa duração, em homens e mulheres, analisamos 924 anúncios masculinos (398 com vistas a um relacionamento de longa e 526 com vistas a um relacionamento de curta duração) e 505 anúncios femininos (431 com vistas a um relacionamento de longa duração e 74 com vistas a um relacionamento de curta duração) publicados entre 1997 e 1999 no jornal Folha de São Paulo. Os anúncios foram examinados quanto à oferta de características psicológicas, sociais, físicas, demográficas e em função do número de respostas obtido. Verificou-se diferenças de gênero quanto aos critérios usados em curta como em longa duração como também diferenças intrassexuais entre critérios em curta e longa duração, tanto em homens como em mulheres. A análise do número de respostas obtido por homens e mulheres revelou ser um ser um indicador bastante sensível quanto ao sucesso de cada atributo em suscitar respostas e uma indicação de seu valor funcional Enquanto mulheres precisaram ser belas e jovens para garantir um maior número de respostas em relacionamentos de longa duração, a simples complicação de que eram casadas oferecia vantagens na busca por um relacionamento de curta duração. Homens por sua vez foram beneficiados com o aumento da idade e oferta de ocupação profissional tanto em relacionamentos de longa duração quanto em relacionamentos de curta duração. Em relacionamentos de curta duração, mulheres evidenciaram uma discriminação em relação a possíveis mensagens enganadoras. Os resultados apoiam aspectos de ambas as teorias examinadas e abrem perspectivas para análises de aspectos novos das estratégias reprodutivas de homens e mulheres. / Recent attempts to explain intersexual anel intrasexual differences in men\'s and women\'s motivation to engage in short and long tenn sexual relationships gave origin to the Theocy of Sexual Strategies (Buss and Schmitt, 1993) and to the Theory of Strategic P1uralism (Gangestadt and Simpson, 2000) which put a different emphasis on the quality of possib1e parenta! investment and on genetic quality in mate selection. In order to further the undestanding of similarities and differences between short and long term strategies of mate selection in men and women, we analyzed 924 male advertisements (398 long and 526 short term advertisements) and 505 female advertisements (431 1ong and 74 short term advertisements), published from 1997 to 1999 in the Brazilian newspaper Folha de São Paulo. The advertisement contents were examined as to the offering and request of psychological, social, physical, demographic features and analysis took into consideration the umber of answers each advertisement got. Differences were found both between male and female advertisements and between short and long tenn categories. The number of answers obtained by male and female advertisements was relevant as an indication of the impact of the features chosen .and of the functional value of such features. In long term advertisements. women were most succesful when mentioning attractivity and youth while in short tenn ones, the infonnation that they were married had positive impact. Men were most successful, both at the short and long tenn cases, when including age and profissional status in their advertisements. Women displayed a certain discrimination of possibly cheating features. Results, which were interpreted as lending support to both examined theories, call attention to aspects of male and female reproductive strategies that deserve further study.

Page generated in 0.1295 seconds