• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 52
  • 3
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 59
  • 34
  • 31
  • 18
  • 15
  • 14
  • 13
  • 12
  • 12
  • 11
  • 11
  • 9
  • 8
  • 8
  • 8
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Novos territórios da escritura: reflexões sobre exotismo e identidade em Amélie Nothomb e Adriana Lisboa / Des nouveaux territoires de l'écriture: réflexions sur l'exotisme et l'identité en Amélie Nothomb et Adriana Lisboa

Ana Amélia Gonçalves da Costa 29 March 2011 (has links)
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro / L'exotisme, dans sa projection littéraire, est un concept lié à l'impérialisme et au récit d'aventures. Il est donc en cause l'utilisation d'un tel concept dans la production littéraire contemporaine, dans un monde cartographié, cosmopolite et de frontières fluides. Dans la foulée de la réflexion sur l'exotisme littéraire dans le XXIème siècle, les notions d'altérité et d'identité se font remarquer, exposant un sujet décentré et à multiples facettes, un sujet qui marche sur la corde raide entre la réalité et la fiction. Le terrain est ainsi prêt pour la transgression des genres canoniques comme l'autobiographie, en générant de nouvelles perspectives sur la position de l'auteur dans le champ littéraire et en élargissant des concepts tels que lautofiction et lespace biographique. Dans le même mouvement, le phénomène de la déterritorialisation amène les auteurs et les lecteurs à de nouveaux endroits, pas toujours physiques, mais peut-être favorables à des voyages sans précédent sur le chemin de l'art / O exotismo, em sua projeção literária, é um conceito relacionado ao imperialismo e ao relato da aventura. Cabe, assim, questionar o emprego de semelhante conceito na produção literária contemporânea, inserida em um mundo mapeado, cosmopolita e de fronteiras fluidas. No esteio da reflexão sobre o exotismo literário no século XXI, os conceitos de alteridade e de identidade ganham peso, expondo um sujeito multifacetado e descentrado, que se equilibra na corda bamba entre realidade e ficção. Está preparado, assim, o terreno para a transgressão de gêneros canônicos, como a autobiografia, gerando novas perspectivas de abordagem do posicionamento do autor no campo literário e ampliando conceitos como os de autoficção e de espaço biográfico. No mesmo movimento, o fenômeno da desterritorialização conduz autores e leitores a novos espaços, nem sempre físicos, mas talvez propícios a inéditas viagens pelo caminho da arte
2

Escrita como itinerário existencial: autoficção e subjetividade do realismo sujo de Pedro Juan Gutiérrez

Fontes, Izabel Santa Cruz 31 January 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T18:38:13Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo8969_1.pdf: 1677869 bytes, checksum: fe86fcc95052a8b7a6ced8bb2aba774d (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2011 / Em 1996, o escritor cubano Pedro Juan Gutiérrez lança sua Trilogía sucia de la Habana, dando início à sua saga autobiográfica que ficaria conhecida como centro do ciclo de Havana e que abrangeria quase 10 anos de sua vida, sendo finalizada com o lançamento de Carne de Perro em 2003. O objetivo desse trabalho é analisar esse conjunto de quatro livros através das discussões teóricas que envolvem o conceito de autoficção, termo criado pelo escritor Serge Doubrovsky em 1977 em uma provocação aos estudos sobre o gênero autobiográfico publicados um ano antes pelo teórico francês Philipp Lejeune. O neologismo criado por Doubrovsky pressupõe uma mistura entre os gêneros autobiográfico e ficcional, apagando as fronteiras entre ambos ao afirmar que o primeiro só existe a partir do segundo, sendo toda construção textual de si ficcionalizante. A aceitação desse pressuposto significa também afirmar que cada indivíduo é passível de autocriação, assumindo diversos papéis e se desdobrando em vários, assumindo uma ambiguidade que soa muitas vezes inquietante. Buscamos analisar, portanto, como o autor aparece nos seus textos através das estratégias de representação das escolhas estéticas e da relação do personagem com o espaço urbano. Dessa maneira, buscamos analisar como a identidade é construída aos poucos, de maneira sempre móvel, e como o personagem que é construído dentro do texto se manifesta também além dele, por meio de estratégias performáticas que colocam em cena novamente as questões de autoria que foram tão criticadas durante os anos 60 e 70
3

Confissão e autoficção na obra de Reinaldo Santos Neves

FILHIO, N. M. 25 July 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T14:11:28Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_5775_Nelson Martinelli Filho.pdf: 11444352 bytes, checksum: a344101ccd31230a32e49c58df132ad8 (MD5) Previous issue date: 2012-07-25 / Se entre os séculos XIX e XX a noção de sujeito sofreu um abalo por meio de pensadores como Friedrich Nietzsche, a figura do autor continuou dominando as obras literárias pelo menos até a década de 1960, quando também passou por um processo de descentralização por conta de trabalhos de estudiosos como Roland Barthes e Michel Foucault. Hoje, porém, o autor volta à ribalta sem a presença opressiva de outrora: após um reposicionamento e um redimensionamento diante de sua obra, ele agora participa da elaboração de armadilhas que iludem o leitor com supostas referências à realidade que se misturam à matéria ficcional. Dentro da autoficção, prática nomeada por Serge Doubrovsky em 1970, as hipotéticas fronteiras entre o real e a ficção são apagadas, prevalecendo o impasse e a indecisão mesmo diante de textos que se autoproclamam autobiográficos. Embora a matriz teórica da autoficção seja francesa, avançam cada vez mais os estudos sobre essa prática na obra de autores brasileiros, como se nota no crescente número de publicações, cursos e pesquisadores que se lançam a estudar este assunto. Nesse sentido, a proposta desta dissertação é ajustar o foco para a obra de Reinaldo Santos Neves tentando enxergar, para muito além de uma simples coincidência entre o nome do autor, do narrador e do personagem, um elaborado jogo que obnubila as fronteiras entre verdade e ficção, pondo em suspensão as certezas que pretensamente se têm em relatos autobiográficos convencionais. Dessa maneira, analisar-se-á ao longo da obra de Reinaldo como dados biográficos do autor se confundem com elementos ficcionais de modo que esse outro eu criado não consiga fincar raízes num sujeito sólido e estável, mas que permaneça dentro de uma zona do indecidível, onde as armadilhas impedem que o leitor se apoie em alguma suposta verdade.
4

“E até sábado...”: uma análise das crônicas de Lupicínio Rodrigues

Pires, Cherlise Alves January 2015 (has links)
Submitted by Anaclaudia Mattos Villalba (anaclaudiamattosvillalba@gmail.com) on 2016-05-08T01:30:19Z No. of bitstreams: 1 Dissertação Cherlise.pdf: 1315651 bytes, checksum: a79a81bc2c4c458e02a56783f4aea802 (MD5) / Rejected by dayse paz (daysepaz@hotmail.com), reason: Foi submetida em instituto errado o certo é Instituto de Letras e Artes. on 2016-05-11T15:48:44Z (GMT) / Submitted by Anaclaudia Mattos Villalba (anaclaudiamattosvillalba@gmail.com) on 2016-05-11T17:51:06Z No. of bitstreams: 1 Dissertação Cherlise.pdf: 1315651 bytes, checksum: a79a81bc2c4c458e02a56783f4aea802 (MD5) / Approved for entry into archive by dayse paz (daysepaz@hotmail.com) on 2016-05-11T17:56:41Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação Cherlise.pdf: 1315651 bytes, checksum: a79a81bc2c4c458e02a56783f4aea802 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-05-11T17:56:41Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação Cherlise.pdf: 1315651 bytes, checksum: a79a81bc2c4c458e02a56783f4aea802 (MD5) Previous issue date: 2015 / Essa dissertação propõe-se a analisar as crônicas escritas por Lupicínio Rodrigues (1914-1974) para o jornal Última Hora no ano de 1963. Nesses escritos, o autor relata suas experiências de vida as quais motivam a escrita de cada crônica, perpassando questões que envolvem memórias e escritas de si. Por tudo isso, fica claro que esses relatos refletem dados biográficos do autor e passagens de sua vida, implicando em uma escrita autoficcional regada a relatos íntimos e convicções boêmias. Nesse sentido, o foco desse estudo gira ao redor da ficcionalização dos relatos em forma de crônica, bem como a influência das letras das canções nesse contexto. Para isso, Vincent Colonna e Serge Doubrowski embasarão as teorias da Autoficção utilizadas, acompanhados de Anna Friedrich Martins e Kelley Baptista Duarte, que trazem à tona discussões sobre o tema de uma perspectiva atual. Também, é demonstrada a importância da figura feminina dentro da lírica de Lupicínio, a qual divide-se em três perfis distintos que apresentam os espaços habitados pelo boêmio, bem como cada uma representa a reflexão do próprio. / Cette dissertation propose analyser les chroniques écrites par Lupicinio Rodrigues (1914-1974) au journal Ultima Hora en 1963. Dans ces écrits, l'auteur raconte ses expériences de vie qui motivent l'écriture de chaque chronique, passant questions impliquant des souvenirs et écrits lui-même. Ainsi, il est clair que ces rapports reflètent détails biographiques de l'auteur et des passages de sa vie qui implique une écrite autoficcional arrosé les histoires intimes convictions et bohème. En ce sens, la mise au point de cette étude tourne autour de la fictionnalisation des rapports sous forme de chronique, ainsi que l'influence des paroles des chansons dans ce contexte. Vincent Colonna et Serge Doubrovsky sous-tendent les théories de l'autofiction utilisés, accompagnées par Anna Friedrich Martins et Kelley Baptista Duarte, qui apportent des discussions sur le sujet d'un point de vue actuel. A également démontré l'importance de la figure féminine dans le lyrique de Lupicinio, qui est divisé en trois profils différents qui ont l'espace habité par bohème et représentent chacun la réflexion elle-même.
5

Autoficção em Borderline, de Marie-Sissi Labrèche

AMARAL, F. V. 29 February 2016 (has links)
Made available in DSpace on 2018-08-01T23:43:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_9585_Dissertação final Flora Viguini do Amaral20161205-150640.pdf: 1488233 bytes, checksum: 4dd713171ad6b7c5b013054cf5f34c17 (MD5) Previous issue date: 2016-02-29 / O objetivo desta pesquisa é analisar o romance Borderline (2003), da escritora quebequense Marie-Sissi Labrèche, no campo da escrita de si, sob o prisma da autoficção, termo registrado pelo crítico e professor francês Serge Doubrovsky em Fils (1977). Este estudo visa averiguar, além da coincidência onomástica entre o nome da autora, da narradora e da personagem, a possibilidade de um jogo em que Labrèche cria um outro eu, capaz de fornecer supostas referências a traços autobiográficos mesclados a uma matéria ficcional. A pesquisa, portanto, consiste na investigação da relação entre o transtorno borderline e a estrutura do texto, examinando se o tema escolhe sua forma ideal de expressão, se a autora se faz valer dessa estrutura como sendo decisiva para inspirar a pensar esse transtorno psicológico. Ainda que a matriz teórica da autoficção seja francesa, não são muitas as publicações e trabalhos acadêmicos sobre esse efeito de leitura nas obras contemporâneas de autoras quebequenses. O corpus a ser analisado é Borderline. No que tange à teoria, serão utilizados os estudos acerca da perspectiva teórica da autoficção, por meio da contribuição de alguns teóricos, como Evando Nascimento e Leonor Arfuch. Palavras-chave: Autoficção. Borderline. Marie-Sissi Labrèche. Quebequense.
6

Novos territórios da escritura: reflexões sobre exotismo e identidade em Amélie Nothomb e Adriana Lisboa / Des nouveaux territoires de l'écriture: réflexions sur l'exotisme et l'identité en Amélie Nothomb et Adriana Lisboa

Ana Amélia Gonçalves da Costa 29 March 2011 (has links)
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro / L'exotisme, dans sa projection littéraire, est un concept lié à l'impérialisme et au récit d'aventures. Il est donc en cause l'utilisation d'un tel concept dans la production littéraire contemporaine, dans un monde cartographié, cosmopolite et de frontières fluides. Dans la foulée de la réflexion sur l'exotisme littéraire dans le XXIème siècle, les notions d'altérité et d'identité se font remarquer, exposant un sujet décentré et à multiples facettes, un sujet qui marche sur la corde raide entre la réalité et la fiction. Le terrain est ainsi prêt pour la transgression des genres canoniques comme l'autobiographie, en générant de nouvelles perspectives sur la position de l'auteur dans le champ littéraire et en élargissant des concepts tels que lautofiction et lespace biographique. Dans le même mouvement, le phénomène de la déterritorialisation amène les auteurs et les lecteurs à de nouveaux endroits, pas toujours physiques, mais peut-être favorables à des voyages sans précédent sur le chemin de l'art / O exotismo, em sua projeção literária, é um conceito relacionado ao imperialismo e ao relato da aventura. Cabe, assim, questionar o emprego de semelhante conceito na produção literária contemporânea, inserida em um mundo mapeado, cosmopolita e de fronteiras fluidas. No esteio da reflexão sobre o exotismo literário no século XXI, os conceitos de alteridade e de identidade ganham peso, expondo um sujeito multifacetado e descentrado, que se equilibra na corda bamba entre realidade e ficção. Está preparado, assim, o terreno para a transgressão de gêneros canônicos, como a autobiografia, gerando novas perspectivas de abordagem do posicionamento do autor no campo literário e ampliando conceitos como os de autoficção e de espaço biográfico. No mesmo movimento, o fenômeno da desterritorialização conduz autores e leitores a novos espaços, nem sempre físicos, mas talvez propícios a inéditas viagens pelo caminho da arte
7

O astro baço: Mário de Sá-Carneiro sob o signo de saturno

Silva, Josebede Angélica Guilherme da 31 January 2012 (has links)
Submitted by Amanda Silva (amanda.osilva2@ufpe.br) on 2015-03-10T13:15:13Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Dissertação_Angelica.pdf: 3504886 bytes, checksum: 58c41436f247ad1a250e12e4187ebded (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-10T13:15:13Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Dissertação_Angelica.pdf: 3504886 bytes, checksum: 58c41436f247ad1a250e12e4187ebded (MD5) Previous issue date: 2012 / Essa dissertação tem por objetivo tecer uma análise sobre a temática da melancolia na obra de Mário de Sá-Carneiro (1890-1916). O corpus constitutivo para esta é composto pelas seguintes obras: Poesia: Estrume, Simplesmente (Primeiros Poemas); Escavação, Quase, Como eu não Possuo, A queda (Dispersão); Abrigo (Indícios de Oiro); Aqueloutro, Manucure (Últimos Poemas); Prosa: Ladislau Ventura (1908); Página dum Suicida (1909); Loucura, (1912); A Confissão de Lúcio (1914). Tendo constatado a escassez dos estudos acerca da obra do autor português, nos propomos aqui a realizar um estudo de caráter mais amplo, trazendo ao nosso trabalho algumas contribuições já realizadas e ofertar também a nossa contribuição. Para essa análise, priorizamos a temática da melancolia como elemento catalisador da obra ficcional de Sá-Carneiro, visto que tanto sua poesia quanto sua prosa são coabitadas pela não neutralidade desse produto que marca a história da literatura desde o seu nascedouro. A influência da melancolia sobre a escrita de Mário de Sá-Carneiro é decisivamente um ente que atravessou as fronteiras da realidade até pousar em sua ficção, visto que toda a obra do escritor é perpetuamente ladeada pelos reflexos de sua vida. Nesse sentido, o estudo de suas obras aqui se fundamentou na indestrinçável experiência entre o vivido e o narrado. Reflexões e ensaios de Cleonice Berardinelli, Antonio Quadros, Fernando Cabral Martins, Maria Aliete Galhoz, Fernando Paixão, por exemplo, foram importantes para que pudéssemos compreender como a literatura de Sá-Carneiro é o deságue da sua própria vida, bem como para a compreensão da melancolia foram tomados os estudos de Julia Kristeva, Jackie Pigeaud e Maria Augusta Babo. A análise da melancolia na literatura sá-carneiriana põe o objeto (a obra) como um produto de sua matéria prima (a melancolia) sendo esta responsável pela escrita pessimista, narcisista, grotesca e suicida que entrecorta simultaneamente em Sá-Carneiro o desconcertante teatro que foi tanto sua realidade quanto sua ficção.
8

Cartografia, autoficção e catarse : 7 experiências

Chaves, Frederico Bernardo 18 July 2018 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Artes, Programa de Pós-Graduação em Artes, 2018. / Esta dissertação tem como proposta investigar a relação entre a autoficção e a catarse na prática da cartografia artística. Para tal, são apresentadas sete cartografias artísticas de autoria própria, com obras em pintura, desenho, contos, intervenção urbana, roteiro cinematográfico e escultura. São também apresentadas e relacionadas obras de outros artistas. A autoficção é apresentada segundo recorte teórico proposto por Vincent Collona (2014) no primeiro capítulo, O Pé de Bico; suas exemplificações teóricas na literatura são utilizadas, mas busca-se também paralelos em outras linguagens, como um roteiro de curta-metragem e pinturas, de autoria própria, além de obras visuais de outros artistas como Johannes Gumpp (1626 – 1646), Katsushika Hokusai (1760-1849), Edgar Degas (1834 – 1917), Rafael Sanzio (1483 – 1520), Van Gogh (1853 – 1890), dentre outros. O segundo capítulo, intitulado Paralisia do Sono, aborda o conceito de experiência segundo Dewey (1980) e é exemplificado com pinturas próprias feitas a partir da vivência desse distúrbio do sono. A linguagem como possibilidade de criação de novas realidades é o tema de investigação na produção textual; essa relação é pensada a partir do autor Vilém Flusser (2007) no terceiro capítulo, chamado: Os Contos de Santa Luzia Cega. Malafetty: do Cafezinho na Sala dos Professores à Galeria de Arte é o nome do quarto capítulo, que exemplifica a relação entre vivência cotidiana, estetização da experiência e exposição desse resultado em galeria de arte; aponta-se possíveis aproximações da produção com a arte bruta, a charge e a caricatura. A cartografia artística é trabalhada a partir de Sueli Rolnik (2011) em consonância com instâncias do conhecimento sensível numa perspectiva fenomenológica no quinto capítulo, nomeado Tuberculose Ocular, em função da vivência dessa situação. A questão do tempo na cartografia artística é trabalhada no sexto capítulo Uma Barata: Desdobramentos Desta Experiência. O tema da catarse figura principalmente na cartografia empreendida no processo artístico Debanda (2017), sétimo capítulo desta dissertação, tendo ancoragem teórica principalmente em Aristóteles, Antonin Artaud, Patrice Pavis, dentre outros. / This dissertation aims to investigate the relationship between autofiction and catharsis in the practice of artistic cartography. For this, seven artistic cartographies of own authorship are presented, with works in painting, drawing, short stories, urban intervention, cinematographic script and sculpture. Other works by other artists are also presented and related. The autofiction is presented according to the theoretical cut proposed by Vincent Collona (2014) in the first chapter, Nozzles Foot (Pé de Bico); his theoretical exemplifications in the literature are used, but he also seeks parallels in other languages, such as a screenplay of short films and paintings, by his own authors, as well as visual works by other artists such as Johannes Gumpp (1626-1646), Katsushika Hokusai (1760-1849), Edgar Degas (1834-1917), Rafael Sanzio (1483-1520), Van Gogh (1853-1890), among others. The second chapter, entitled Sleep paralysis (Paralisia do Sono), approaches the concept of experience according to Dewey (1980) and is exemplified with his own paintings made from the experience of this sleep disorder. Language like the possibility of creating new realities is the subject of research in textual production; this relationship is thought from the author Vilém Flusser (2007) in the third chapter, called: The Tales of Saint Luzia Blind (Os Contos de Santa Luzia Cega). Malafetty: from Cafezinho in the Teachers' Hall to the Art Gallery (Malafetty: do Cafezinho na Sala dos Professores à Galeria de Arte) is the name of the fourth chapter, which exemplifies the relationship between daily living, aestheticizing the experience and exposing this result in an art gallery; it’s point out possible approximations of the production with the gross art, the cartoon and the caricature. Artistic cartography is based on Sueli Rolnik (2011) in consonance with instances of sensitive knowledge in a phenomenological perspective in the fifth chapter, named Ocular Tuberculosis (Tuberculose Ocular), in function of the experience of this situation. The question of time in artistic cartography is worked out in the sixth chapter One Cockroach: Outfits of This Experience (Uma Barata: Desdobramentos Desta Experiência.). The theme of catharsis is found mainly in the cartography undertaken in the artistic process Debanda (2017), the seventh chapter of this dissertation, with theoretical anchorage mainly in Aristotle, Antonin Artaud, Patrice Pavis, among others.
9

Vera Pequeno : uma possível autoficção cientifica em arte da performance

Bornhausen, Mariana Zimmermann, Bornhausen, Auriceleste Z. 17 August 2018 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Artes, Programa de Pós-Graduação em Artes, 2018. / A presente pesquisa se dedica à analise e melhor entendimento de quem seria Vera Pequeno, personalidade esporádica e criatura de autoficção científica. Assim como faz um levantamento analítico e crítico de seus processos artísticos, pensando em como cada conceito, que situa a criação de Vera Pequeno, aparece na obra, e também seus modos de relação com o público e a criação. Os conceitos são travestilidade, camuflagem, erotismo e extra-vagância. / Cette recherche est dédiée a l’analyse et la compréension de Vera Pequeno: personnalité sporadique et oeuvre de autofiction scientifique. Et aussi, effectue une collecte analytique et critique de ses créations, en pensant comme chaque concept, que situe la création de Vera Pequeno, apparaît dans l’oeuvre. Aussi pense ses modes de relation avec le public et création, a travers les concepts de travestilité, camouflage, érotisme et extra-vagance.
10

SOBRE MIM E SOBRE OS OUTROS: (AUTO)BIOGRAFIA, AUTOFICÇÃO E AUTORIA FEMININA NA NARRATIVA DE ROSA MONTERO

Lima, Jecilma Alves 15 June 2015 (has links)
Submitted by Roberth Novaes (roberth.novaes@live.com) on 2018-09-25T19:52:11Z No. of bitstreams: 1 JECILMA ALVES LIMA.pdf: 1292465 bytes, checksum: f1668df6c49200ff070c503c79e4ab7b (MD5) / Approved for entry into archive by Setor de Periódicos (per_macedocosta@ufba.br) on 2018-09-26T18:15:55Z (GMT) No. of bitstreams: 1 JECILMA ALVES LIMA.pdf: 1292465 bytes, checksum: f1668df6c49200ff070c503c79e4ab7b (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-26T18:15:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 JECILMA ALVES LIMA.pdf: 1292465 bytes, checksum: f1668df6c49200ff070c503c79e4ab7b (MD5) / Neste trabalho investigo os caminhos pelos quais enveredou a literatura contemporânea, enfatizando as discussões atuais em torno da memória, biografia e autobiografia na escrita de autoria feminina na Espanha a partir da análise de obras escolhidas e de entrevistas da escritora espanhola Rosa Montero, com o objetivo de identificar reflexões sobre gênero, autoria feminina, escrita autobiográfica, ficção e realidade, a fim de relacioná-las com os aspectos culturais da literatura e da sociedade contemporânea, com base nos estudos de Giorgio Agabem, Linda Hutcheon, José Romero Castillo, Joan Scott, Philippe Lejeune, Manuel Alberca, entre outros. Analiso nos livros História de mujeres , La hija del caníbal, História del Rey transparente, La loca de la casa e La ridicula idea de no volver a verte a relação entre memória individual e coletiva, através das estratégias narrativas escolhidas pela autora que une biografia, autobiografia, ficção, história e metaficção em um texto híbrido no qual encontramos diversos temas, métodos e valores cruciais para o entendimento da literatura e da cultura contemporânea. Particularmente nestes romances, Rosa Montero oferece um ponto de vista de sua geração e do passado recente do seu país, através de personagens escritoras, junto com sua própria perspectiva e suas experiências. Partindo desta e de outras percepções enquanto leitora e afirmações da própria romancista é que pesquiso, nas obras escolhidas, as reflexões que explicitam ideias que envolvam questões cruciais para a literatura contemporânea produzida por mulheres na Espanha a fim de situar a escritora Rosa Montero como um paradigma do que chamamos Literatura do Presente. / En este trabajo investigo las formas por las cuais se embarcó la literatura contemporánea, haciendo hincapié en las discusiones actuales sobre la memoria, la biografía y la autobiografía de autoras que escriben en España a partir del análisis de obras y entrevistas seleccionados de la escritora española Rosa Montero, con el objetivo de identificar reflexiones sobre género, autores de sexo femenino, la escritura autobiográfica, la ficción y la realidad con el fin de relacionarlos con los aspectos culturales de la literatura y la sociedad contemporánea, basado en la investigación de Giorgio Agabem, Linda Hutcheon, José Romero Castillo, Joan Scott, Manuel Alberca, entre otros. Analizo en los libros História de mujeres , La hija del caníbal, História del Rey transparente, La loca de la casa y la ridicula idea de no volver a verte la relación entre la memoria individual y colectiva, a través de las estrategias narrativas elegidas por la autora que une biografía, autobiografía, ficción, la historia y la metaficción en un texto híbrido en el que nos encontramos con muchos temas, métodos y valores fundamentales para la comprensión de la literatura y la cultura contemporánea. Particularmente en estas novelas, Rosa Montero ofrece una vista de su generación y del pasado reciente de su país, a través de la narrativa de sus personajes escritores, junto con su propia perspectiva y experiencias. De esta y otras percepciones como lectora y las propias declaraciones de la novelista estaré investigando, en las obras elegidas, las reflexiones en las que aparecen aspectos esenciales para la literatura contemporánea escrita por mujeres en España con el fin de situar la escritora Rosa Montero como paradigma de lo que llamamos de la literatura actual.

Page generated in 0.0809 seconds