• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 110
  • 2
  • Tagged with
  • 115
  • 73
  • 19
  • 17
  • 16
  • 16
  • 14
  • 14
  • 14
  • 13
  • 13
  • 13
  • 12
  • 12
  • 12
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Odundê: as origens da resistência negra na Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia

Motta, Margarida Seixas Trotte January 2009 (has links)
118f. / Submitted by Suelen Reis (suziy.ellen@gmail.com) on 2013-03-27T16:28:38Z No. of bitstreams: 2 Mottaparte%202.pdf: 2891733 bytes, checksum: ef9fa3062419366f262d036d475b5d13 (MD5) Motta%20pt1.pdf: 6255435 bytes, checksum: 38d9a6dbaa3260f642cd169155d330f5 (MD5) / Approved for entry into archive by Ednaide Gondim Magalhães(ednaide@ufba.br) on 2013-04-10T13:37:10Z (GMT) No. of bitstreams: 2 Mottaparte%202.pdf: 2891733 bytes, checksum: ef9fa3062419366f262d036d475b5d13 (MD5) Motta%20pt1.pdf: 6255435 bytes, checksum: 38d9a6dbaa3260f642cd169155d330f5 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-04-10T13:37:11Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Mottaparte%202.pdf: 2891733 bytes, checksum: ef9fa3062419366f262d036d475b5d13 (MD5) Motta%20pt1.pdf: 6255435 bytes, checksum: 38d9a6dbaa3260f642cd169155d330f5 (MD5) Previous issue date: 2009 / Esta Dissertação de Mestrado partiu da hipótese de que o Grupo de dança Odundê, fundado por estudantes negros da Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia na década de 1980, foi um movimento pioneiro no processo de descolonização da dança a partir da academia.Trata-se de uma pesquisa histórica e analítica com base bibliográfica, mas que teve a possibilidade de disponibilizar de testemunhos. Sua importância é justamente decifrar o caráter revolucionário do Odundê e apontar a repercusão do seu trajeto de resistência tanto na academia como na cultura local. Este estudo fundamentou-se no pensamento do sociólogo contemporâneo Michel Maffesoli que introduz nas discussões atuais a importância do Conhecimento Comum, em Jean Duvignaud que ressalta a necessidade do reconhecimento de uma socialidade subterrânea e em Clifford Geertz que aponta os saberes locais. Foi fundamental para a averiguação da hipótese, contar com o Princípio da Desconstrução de Jacques Derrida para reconhecer a potência descolonizadora do Odundê e demonstrar que a Escola de Dança, mesmo se considerando de vanguarda, sempre foi portadora de uma proposta pautada numa estética ocidental como padrão de referência desconsiderando as manifestações multiculturais locais. / Salvador
2

Desconstrução e direito: uma leitura sobre ―Força de lei‖ de Jacques Derrida

OLIVEIRA, Manoel Carlos Uchôa de 31 January 2010 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T17:22:42Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo6700_1.pdf: 1257623 bytes, checksum: 23fe6a878ebb326c75bef27269a59c6f (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2010 / A desconstrução irrompeu à tradição filosófica ocidental enquanto uma marca do filósofo Jacques Derrida. Em Força de lei: o fundamento místico da autoridade, o filósofo franco-argelino problematiza o direito e a justiça a partir da perspectiva desconstrutivista. Sua conclusão cabal: a desconstrução é a justiça. Nesta dissertação, busca-se explicar a concepção derridiana de justiça. Para tanto, é preciso definir introdutoriamente a desconstrução: trata-se de um acontecimento inscrito na estrutura teórica da metafísica ocidental. Ela se apresenta contra o pensamento dogmático, rompendo a cristalização estrutural do pensamento. Na tradição filosófica, a justiça é concebida em uma estrutura metafísica ordenadora. Categoricamente, há uma metonímia entre direito e justiça: esta é uma consequência ou fim daquele. Nesse sentido, Derrida produz uma análise do discurso jurídico. O direito possui uma linguagem calcada em performatividade. Sob a influência de John L. Austin, filósofo da linguagem inglês, Derrida assume os atos de fala, radicalizando a ação da força simbólica sobre o contexto institucional. O direito prescreve normas, toma decisões e autoriza instituições na medida em que enuncia atos performativos e performáticos. Logo, o discurso jurídico é agenciado por forças sobre forças construindo interpretações. Em suma, a justiça enquanto direito constitui-se sobre camadas discursivas, configurando-se por meio do jogo de forças imanentes. Apontar a justiça como o centro desse discurso é apenas encobrir essas tensões violentas que a controlam. A expressão tomada como título do livro, força de lei, cunhada no direito romano, exemplifica a justificação ideológica da justiça como direito, uma vez que consiste em uma força metafórica para a legitimação da violência fundadora do direito. Ao passo que se questione o fundamento último dessa razão jurídica, encontra-se a interdição da lei, ou seja, a lei está interditada ao conhecimento daquele que a busca. Assegura-se apenas a instituição. Destarte, lança-se a conjuntura mística da autoridade, pois o fundamento está guardado no silêncio dessa interdição. O ordenamento jurídico é forma vazia. Não é à toa que este aparato tenta dissimular uma aporia fundamental - o abismo entre a universalidade da lei e as singularidades da vida. Por isso, Derrida pinça a justiça da metonímia estruturante a fim de transformá-la em um indecidível, o conceito limite que promove um deslocamento estrutural através do evento temporal. Então, A justiça torna-se um acontecimento dentro da estrutura teórica e institucional do direito. É sua destruição para transformar a ordem; porvir excede a instituição jurídica e a cinde temporalmente. Ela desajusta o direito nos gonzos da historicidade. Portanto, a justiça verte-se como experiência do impossível, de outro modo, no tempo do outro. As singularidades múltiplas se emancipam em uma revolução da temporalidade. No contratempo da história, a justiça vem a ser a desconstrução
3

Desconstrução dimensional e violação de sabor / Dimensional desconstruction and flavor violation

Sá, Nayara Fonseca de 08 September 2011 (has links)
O Modelo Padrão das partículas elementares descreve com sucesso as interações eletrofracas e fortes, mostrando-se consistente com os dados experimentais disponíveis. Entretanto, há diversas questões que não são respondidas pelo mesmo, entre elas, o problema da hierarquia de gauge e o problema associado à origem das massas dos férmions. Ambos podem ser solucionados de forma natural em teorias com uma dimensão extra curva. No entanto, essas teorias violam sabor em primeira ordem de teoria de perturbações e são não renormalizáveis. Nesta dissertação utilizamos técnicas de desconstrução dimensional para resolver os problemas da hierarquia de gauge e da hierarquia de massas dos férmions com mínima violação de sabor em um modelo puramente quadridimensional. / The Standard Model of elementary particles describes the electroweak and strong interactions, and its predictions have successfully matched existing experimental data. However, there are some issues that are not addressed by this model, such as the gauge hierarchy problem and the origin of fermion masses. Both problems can be solved naturally using Warped Extra Dimensions. On the other hand, these theories are flavor-violating in tree level and are non-renormalizable. In this dissertation we apply dimensional deconstruction techniques to solve the gauge hierarchy problem and the fermion masses hierarchy problem achieving minimal flavor violation in a purely four-dimensional model
4

A desconstrução é ético-política / La déconstruction est éthico-politique

Victor Dias Maia Soares 12 February 2014 (has links)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / Ce travail vise à expliquer comme les motifs de la différance et de l'écriture évoquent les préoccupations éthiques et politiques qui nous permettent d'affirmer que ce qui est communément appelé dans la seconde moitié du XXe siècle, la déconstruction est, à partir de sa formulation initiale, éthique et politique. En ce sens, nous percevons comment l'extension de la notion de l'écriture, comme en témoigne le philosophe français-algérien Jacques Derrida, nous permet de déplacer les catégories dont traditionnellement ont organisé les domaines éthiques, juridiques et politiques, que maintenant sans des alibis métaphysiques qui leur sont si uniques, nous permettent de penser des nouvelles façons de faire justice à la singularité de l'autre. / Este trabalho tem como objetivo explicitar como os motivos da différance e da escritura evocam preocupações éticas e políticas que nos permitem afirmar que aquilo que se convencionou chamar, na segunda metade do século XX, desconstrução é, desde sua formulação inicial, ético-política. Neste sentido, percebemos como o alargamento da noção de escritura, evidenciado pelo filósofo franco-argelino Jacques Derrida, nos permite o deslocamento das categorias que tradicionalmente organizaram os campos ético, jurídico e político, que, agora sem os álibis metafísicos que lhes são característicos, nos possibilitam pensar novas formas de se fazer justiça à singularidade do outro.
5

Altinópolis : por um projeto de paisagem

Magalhães, Kelly Cristina 26 August 2016 (has links)
Submitted by Izabel Franco (izabel-franco@ufscar.br) on 2016-10-26T13:47:05Z No. of bitstreams: 1 TeseKCM.pdf: 14228273 bytes, checksum: 89f0b71294041945a843a76807dbe794 (MD5) / Approved for entry into archive by Marina Freitas (marinapf@ufscar.br) on 2016-11-08T18:22:12Z (GMT) No. of bitstreams: 1 TeseKCM.pdf: 14228273 bytes, checksum: 89f0b71294041945a843a76807dbe794 (MD5) / Approved for entry into archive by Marina Freitas (marinapf@ufscar.br) on 2016-11-08T18:22:19Z (GMT) No. of bitstreams: 1 TeseKCM.pdf: 14228273 bytes, checksum: 89f0b71294041945a843a76807dbe794 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-11-08T18:22:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 TeseKCM.pdf: 14228273 bytes, checksum: 89f0b71294041945a843a76807dbe794 (MD5) Previous issue date: 2016-08-26 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / The thesis presents the concept of landscape deconstruction as an alternative to reveal chances of landscape projects for intervention in the territory, and in particular, proposes to its definition as an analytical process and planning instrument in the case of the city of Altinópolis, state of São Paulo. In this approach the landscape of deconstruction in the city of Altinópolis occurs in three categories that enable the analysis in landscape mosaic from an understanding of the relationship timeline Border, Trama and ruin. Runs through the debate between disciplines that have contributed to the latest conceptual outlines of the word landscape, to then be guided by the analysis of the landscape transformation of history, as it emerges from the understanding of a landscape transformation project in constant motion (technical becoming) and the formation of the modern territory. The analysis of favorable material conditions and the perception that these differences and gradations are generating new forms of this landscape (difference), so attention to a historical and return continued the landscape is the ability to print a new thinking about the city and landscape, object of our study. / A tese apresenta o conceito de desconstrução da paisagem como alternativa para revelar hipóteses de projetos de paisagem para intervenção no território, e em particular, propõe a sua definição como processo analítico e instrumento de planificação no caso da cidade de Altinópolis, estado de São Paulo. Nesta abordagem a desconstrução da paisagem na cidade de Altinópolis se dá em três categorias que viabilizam a análise no mosaico de paisagem a partir de uma compreensão da relação espaço temporal Fronteira, Trama e Ruína. Percorre o debate entre as disciplinas que contribuíram para os contornos conceituais mais recentes da palavra paisagem, para então ser orientada pela análise da história da transformação da paisagem, pois dela emerge a compreensão de um projeto de transformação da paisagem em constante movimento (devir técnico) e a formação do território moderno. A análise das condições materiais favoráveis e a percepção de que essas diferenças e gradações são geradores de novas formas dessa paisagem (difference), assim também a atenção para uma continuidade histórica e retorno a paisagem é a possibilidade de imprimir um novo pensar a cidade e a paisagem, objeto de nosso estudo.
6

A desconstrução é ético-política / La déconstruction est éthico-politique

Victor Dias Maia Soares 12 February 2014 (has links)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / Ce travail vise à expliquer comme les motifs de la différance et de l'écriture évoquent les préoccupations éthiques et politiques qui nous permettent d'affirmer que ce qui est communément appelé dans la seconde moitié du XXe siècle, la déconstruction est, à partir de sa formulation initiale, éthique et politique. En ce sens, nous percevons comment l'extension de la notion de l'écriture, comme en témoigne le philosophe français-algérien Jacques Derrida, nous permet de déplacer les catégories dont traditionnellement ont organisé les domaines éthiques, juridiques et politiques, que maintenant sans des alibis métaphysiques qui leur sont si uniques, nous permettent de penser des nouvelles façons de faire justice à la singularité de l'autre. / Este trabalho tem como objetivo explicitar como os motivos da différance e da escritura evocam preocupações éticas e políticas que nos permitem afirmar que aquilo que se convencionou chamar, na segunda metade do século XX, desconstrução é, desde sua formulação inicial, ético-política. Neste sentido, percebemos como o alargamento da noção de escritura, evidenciado pelo filósofo franco-argelino Jacques Derrida, nos permite o deslocamento das categorias que tradicionalmente organizaram os campos ético, jurídico e político, que, agora sem os álibis metafísicos que lhes são característicos, nos possibilitam pensar novas formas de se fazer justiça à singularidade do outro.
7

Desconstrução dimensional e violação de sabor / Dimensional desconstruction and flavor violation

Nayara Fonseca de Sá 08 September 2011 (has links)
O Modelo Padrão das partículas elementares descreve com sucesso as interações eletrofracas e fortes, mostrando-se consistente com os dados experimentais disponíveis. Entretanto, há diversas questões que não são respondidas pelo mesmo, entre elas, o problema da hierarquia de gauge e o problema associado à origem das massas dos férmions. Ambos podem ser solucionados de forma natural em teorias com uma dimensão extra curva. No entanto, essas teorias violam sabor em primeira ordem de teoria de perturbações e são não renormalizáveis. Nesta dissertação utilizamos técnicas de desconstrução dimensional para resolver os problemas da hierarquia de gauge e da hierarquia de massas dos férmions com mínima violação de sabor em um modelo puramente quadridimensional. / The Standard Model of elementary particles describes the electroweak and strong interactions, and its predictions have successfully matched existing experimental data. However, there are some issues that are not addressed by this model, such as the gauge hierarchy problem and the origin of fermion masses. Both problems can be solved naturally using Warped Extra Dimensions. On the other hand, these theories are flavor-violating in tree level and are non-renormalizable. In this dissertation we apply dimensional deconstruction techniques to solve the gauge hierarchy problem and the fermion masses hierarchy problem achieving minimal flavor violation in a purely four-dimensional model
8

Desconstrução mínima e renaturalização : estudo de caso córrego do Aleixo, Barretos-SP

Watanuki Filho, Adhemar 12 December 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-02T20:00:43Z (GMT). No. of bitstreams: 1 4289.pdf: 11544046 bytes, checksum: 0f3759be3d930212876cbbaf08c351e4 (MD5) Previous issue date: 2008-12-12 / Financiadora de Estudos e Projetos / The interactions of man with nature begin a journey of constant changes in space. Cities as principal product of this process of deconstruction that seeks to analyze and understand in order to establish new forms of interventions concerned with the quality of the place. This practice of deconstruction space is still not understood which ensures the production of spaces marked by the use of the technique. Thus, if one replaces existing nature artificialized by nature. The present study aimed to analyze the perspective of the concepts of deconstruction minimum and the renaturation of Aleixo Stream, the city of Barretos-SP, because it has the attributes necessary to characterize the deconstructions, techniques and common problems that occur in urban streams . To develop the research, the stream in question was divided into five sections, from its source to its encounter with the treatment plant in the city, where aspects of deconstruction were evaluated from the perspective of land use, water and border areas green. Other aspects evaluated were the interventions proposed by the Municipality, with the design of Vale Avenue Fund, that instead of proposing a renaturation replace part of the heritage and border water, with foreclosures, such as point solutions to the problems of urban drainage the municipality. These flooding problems are perhaps an 'alert', instituted by nature, and that can be solved, provided that the anthropic action applied to these spaces is done in a more conscious and socially engaged. To do so, the application of the concepts of deconstruction is the minimum that can ensure the production of balanced spaces. And in cases where the "works" engineering is already consolidated, the use of instruments of intervention as the renaturation becomes essential in the design of more natural environments. / As interações do homem com a natureza dão início a uma caminhada de constantes transformações no espaço. As cidades como produto importante desse processo de desconstrução espacial é o que se procura analisar e entender, com o intuito de estabelecer novas formas de intervenções preocupadas com a qualidade do lugar. Essa prática de desconstrução espacial ainda incompreendida é o que garante a produção de espaços marcados pelo uso da técnica. Assim, substitui-se uma natureza existente por uma natureza artificializada. O presente estudo se propôs a analisar sob a ótica dos conceitos de desconstrução mínima e renaturalização o Córrego do Aleixo, do município de Barretos-SP, pois este apresenta os atributos necessários para caracterizar as desconstruções, as técnicas e problemas comuns que ocorrem em córregos urbanos. Para o desenvolvimento da pesquisa, o córrego em questão foi dividido em cinco trechos, da sua nascente até seu encontro com a estação de tratamento do município, onde foram avaliados aspectos de desconstrução sob a ótica do uso do solo, fronteiras d água e áreas verdes. Outros aspectos avaliados foram as intervenções propostas pela Prefeitura Municipal, com o projeto Avenida Fundo de Vale, que ao invés de propor uma renaturalização substituirá parte do patrimônio histórico e das fronteiras d água, com desapropriações, como soluções pontuais para os problemas de drenagem urbana do município. Esses problemas de enchentes talvez sejam um alerta , instituído pela própria natureza, eque pode ser resolvido, desde que, a ação antrópica aplicada a esses espaços seja realizada de forma mais consciente e engajada socialmente. Para tanto, a aplicação dos conceitos de desconstrução mínima é o que pode garantir a produção de espaços equilibrados. E nos casos, onde as obras de engenharia já se encontram consolidadas, a utilização de instrumentos de intervenção como a renaturalização passa a ser indispensável na concepção de ambientes mais naturais.
9

Desfuncional / Defunctional

Pedro, Gabriel Pedrosa 12 May 2010 (has links)
Desfuncionalizar as linguagens desfuncionalizar a cultura desfuncionalizar a vida. esta frase, com que a professora lucrécia ferrara sintetizou minha pesquisa, orientou a elaboração deste trabalho, iniciado pela leitura das obras fonte (1917), de marcel duchamp, e a traição das imagens (1928), de rené magritte. tais obras, como jogos de linguagens que são, como textos profundamente conscientes de suas formação e relação com os demais de sua cultura, contribuíram para formar as questões teóricas que comporiam a seqüência do trabalho, seu corpo principal. a relação das linguagens com o mundo, com a cultura pregressa que as conforma, das linguagens entre si, no interior desta cultura, e suas possibilidades de desdobramento, seus funcionamentos e processos, foram estudados, a partir de referências bibliográficas vindas da semiótica, da lingüística, da teoria e crítica de arte e, sobretudo, da filosofia (destaque para as obras de jacques derrida, gilles deleuze e félix guattari, e roland barthes; com contribuições mais pontuais, como as noções de carnavalização e intertextualidade de mikhail bakhtin, a dominância nas funções de linguagem em roman jakobson, as obras de charles peirce e ludwig wittgenstein, as análises do riso, por henri bergson, e do jogo, por johan huizinga), bem como de exemplos literários (destacadamente os livros de lewis carroll das aventuras de alice e o dom quixote, de miguel de cervantes). ao empobrecimento de nossas escrituras (nossas linguagens cultura e vida, num movimento contínuo e complexo que nos impede assim separá-las), à sufocação de suas potências por suas formas consagradas e suas funções previstas, à estagnação que a funcionalidade racionalista impõe às coisas e ao nosso estar entre elas, sob a forma de uma língua estável e definida num mundo de coisas idem, o trabalho encontra a proposta de uma escritura plenamente consciente de si, de sua constituição, seu desenvolvimento, suas escolhas, seus diálogos, sua inserção em seu contexto, e do espaço aberto entre o texto que ela se faz e o texto que fariam as normas e hábitos da linguagem para comunicar; uma escritura permanentemente atenta ao jogo, atenta ao seu corpo e às figuras que pode criar neste espaço vital que abre; uma escritura que não se esgote num fim, não se apague na repetição de um modelo, nem se necrose numa verdade; escritura poética em cuja ocorrência se abram possibilidades de construção de sentidos, para além dos significados cristalizados; irrupção do devir-música da escritura, do desfuncional (que não se resolve nem se resume na dualidade função e disfunção phármakon: remédio e veneno), dos funcionamentos patológicos, escritura apaixonada, saturação do texto, transbordamento, na desconstrução do funcionalismo de nossa cultura e de suas fronteiras. / to defunctionalize languages to defunctionalize culture to defunctionalize life. this sentence, with which professor lucrécia ferrara synthesized my study, guides this dissertation, initiated with a reading of the works fountain (1917), by marcel duchamp, and the treachery of images (1928), by rené magritte. these works, being languages games, texts profoundly conscious of their formation and their relationships with the others from their culture, have helped form the theoretical issues that would constitute the sequence of the text, its body. languages relationships with world, with the previous culture that form them, relationships among languages, within this culture, and their spreading possibilities, their functioning and procedures, were studied, with a bibliography that includes semiotics, linguistics, art theory and criticism and, above all, philosophy (especially the works of jacques derrida, gilles deleuze and félix guattari, and roland barthes; with more specific contributions, such as the notions of carnivalization and intertextuality from mikhail bakhtin, the dominance in language functions from jakobson, the works of charles sanders peirce and ludwig wittgenstein, and the analysis of laughter, by henri bergson, and of ludicity, by johan huizinga), as well as literary examples (particularly the books of alices adventures by lewis carroll, and don quixote, by miguel de cervantes). to the impoverishment of our writings (our languages culture and life, in a complex and continuous movement that prevent us to separate them), to the suffocation of their potentialities by usual forms and provided functions, to the stagnation that rationalist functionality imposes on things and on our being among them, in the form of a stable and defined language in a world compound of things idem, this work proposes a writing amply conscious of itself, of its constitution, its developments, its choices, its dialogues, its insertion in its context, and of the space created between the text it makes itself and the one which would be made by the habits and norms of the language directed to communicate; a writing permanently attentive to the game, aware of its body and the figures it can create in the vital space that it opens; a writing not depleted by ends, not obliterated by the repetition of a model, not necrosed by a truth; poetic writing in whose happening new possibilities for the construction of sense are created, beyond crystallized meanings; eruption of writings becoming-music, the defunctional (that cannot be resolved into neither reduced to the duality function and dysfunction phármakon: medicine and poison), eruption of pathological functioning, passionate writing, saturation of the text, overflow, deconstruction of our cultures functionalism and its borders.
10

O trabalho do tradutor: em busca de uma teoria para a prática / The translators work: in search of a theory to practice

Cruz, Celso Donizete 17 September 2012 (has links)
Partindo do princípio de que as concepções de tradução dependam do modo como se concebe a linguagem, e de que a dinâmica histórica das teorias sobre tradução corresponda à alternância sucessiva entre propostas universalistas e relativistas, revê-se o momento de ingresso do tema na pesquisa acadêmica, época de domínio do universalismo, tipificado pela abordagem estruturalista. Mostra-se como as limitações próprias a essa abordagem levam ao abandono do universalismo em prol de um pensamento relativista radical que acaba também não dando conta do objeto. Nesse contexto, os estudos da tradução, enquanto tendência específica da pesquisa na área, aparecem como solução conciliatória, e ganham força como a abordagem mais próxima de descrever a experiência prática com o objeto. Faltam-lhe, todavia, aprofundar seus fundamentos teóricos, o que pode ser alcançado mediante o contato com a pragmática de Wittgenstein e a praxiologia de Bourdieu. As noções desenvolvidas por esses dois pensadores abrem espaço e contribuem para o desenvolvimento de uma teoria voltada para a prática, favorecendo a compreensão da tradução como o trabalho do tradutor. / Assuming that translation concepts depend upon the way language is conceived, and also that the history of translation theories alternates between universalists and relativists points of view, this work reviews the moment when translation theory is appropriated by academic research, a time in which the spread and supremacy of Universalism is represented by the dominant structuralist approach. The inner limitations of that approach imply however the abandon of Universalists ideas and the adoption of the opposite perspective, that of an extreme Relativism, which due exactly to its extremism limits itself to criticizing the presuppositions of the former Universalist paradigm. In that context, Translation Studies, considered a specific approach to the theme, arise as a conciliatory solution and seem to be closer to the translation praxis in describing its object. But Translation Studies also lack a deeper theoretical background and that can be achieved, supposedly, through an interdisciplinary contact with Wittgensteins pragmatics and Bourdieus praxeology. The chief notions elaborated by these two scholars may help the development of a theory that defines translation as the translators work.

Page generated in 0.0726 seconds