• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 170
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 173
  • 81
  • 42
  • 40
  • 40
  • 38
  • 37
  • 35
  • 35
  • 33
  • 26
  • 21
  • 16
  • 15
  • 14
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

De menina a mulher : um ensaio sobre o enigma da feminilidade na clínica psicanalítica

Dall'Agnol, Viviane Carla January 2005 (has links)
A presente pesquisa apresenta o dado clínico relativo à feminilidade, mais especificamente, à construção do ser feminino diante do seu enigma. Questiona-se o que pode ser apontado sobre a construção da feminilidade na menina, considerando a relação específica mãe e filha. Propõe-se que os momentos de ressurgência, vocábulo que se torna constructo ao final do trabalho, possibilita o reinventar e o exercer a feminilidade. Para tanto utiliza-se o referencial psicanalítico freudiano e lacaniano, especificamente ao que diz respeito as operações de alienação e separação. O método de pesquisa é o psicanalítico, o qual leva em conta as formações do inconsciente, decorrente dos processos de serendipidade, do solipsismo metodológico e de alteridade. Na pesquisa psicanalítica emprega-se a construção do caso como forma de comunicar os achados da pesquisa, assim como lança-se mão do ensaio metapsicológico para discutir os resultados. Durante a construção do caso verifica-se a operação de separação, de Helena, do Outro materno, durante o processo de análise, o qual possibilitou a menina em ressurgência apropriar-se e assumir o curso de seu desejo. A análise, desta forma, proporciona a menina em ressurgência o ensejo de ser diferente de sua mãe e não uma reprodução. Esta inviável, levando em conta que uma mulher feminina é única e por isso não há como reproduzi-la. Aponta-se, assim, a importância da separação entre mãe e filha para que a segunda possa ser sujeito do seu desejo e, conseqüentemente, autorizar-se a reinventar e a exercer a feminilidade, sendo a ressurgência um momento facilitador para tornar-se uma mulher feminina. Nesse sentido o tratamento analítico aponta o enigma de cada mulher feminina, mas não o revela, pois nesta há sempre algo a ser dito de maneira muito particular. / The present piece of research shows clinical data referring to femininity and, more specifically, to the construction of the feminine being before its enigma. Questions are often raised on what can be done for the construction of femininity in girls, taking into consideration the specific mother-daughter relation. Resurgence moments, a word that becomes construct at the end of the research, allow to reinvent and exercise femininity. To this end, the Freudian and Lacanian psychoanalytic reference is cited, specifically concerning the operations of alienation and separation. The research method is the psychoanalytic, which takes into account the formation of the unconscious mind resulting from the processes of serendipidity, solipsism, and alterity. In the psychoanalytic research, the construction of the case is employed as a way to communicate the findings of the research, as well as the metapsychological trial to discuss the results. During the construction of the case, Helena`s separation from the maternal Other one takes place during the process of analysis, enabling the girl in resurgence to take over the course of her desire. This way, the analysis offers the girl in resurgence the opportunity to be different from her mother and not a reproduction. Such a reproduction is unfeasible, taking into account that a feminine woman is unique and therefore cannot be reproduced. Emphasis is thus placed on the importance of the separation from mother to daughter so that the second one may be the subject of her desire and, consequently, authorize herself to reinvent and exercise her femininity, the resurgence being a facilitator for her to become a feminine woman. In this sense, the analytic treatment shows the enigma of each feminine woman, although without revealing it, as in her there is always to be said in a very particular way.
2

De menina a mulher : um ensaio sobre o enigma da feminilidade na clínica psicanalítica

Dall'Agnol, Viviane Carla January 2005 (has links)
A presente pesquisa apresenta o dado clínico relativo à feminilidade, mais especificamente, à construção do ser feminino diante do seu enigma. Questiona-se o que pode ser apontado sobre a construção da feminilidade na menina, considerando a relação específica mãe e filha. Propõe-se que os momentos de ressurgência, vocábulo que se torna constructo ao final do trabalho, possibilita o reinventar e o exercer a feminilidade. Para tanto utiliza-se o referencial psicanalítico freudiano e lacaniano, especificamente ao que diz respeito as operações de alienação e separação. O método de pesquisa é o psicanalítico, o qual leva em conta as formações do inconsciente, decorrente dos processos de serendipidade, do solipsismo metodológico e de alteridade. Na pesquisa psicanalítica emprega-se a construção do caso como forma de comunicar os achados da pesquisa, assim como lança-se mão do ensaio metapsicológico para discutir os resultados. Durante a construção do caso verifica-se a operação de separação, de Helena, do Outro materno, durante o processo de análise, o qual possibilitou a menina em ressurgência apropriar-se e assumir o curso de seu desejo. A análise, desta forma, proporciona a menina em ressurgência o ensejo de ser diferente de sua mãe e não uma reprodução. Esta inviável, levando em conta que uma mulher feminina é única e por isso não há como reproduzi-la. Aponta-se, assim, a importância da separação entre mãe e filha para que a segunda possa ser sujeito do seu desejo e, conseqüentemente, autorizar-se a reinventar e a exercer a feminilidade, sendo a ressurgência um momento facilitador para tornar-se uma mulher feminina. Nesse sentido o tratamento analítico aponta o enigma de cada mulher feminina, mas não o revela, pois nesta há sempre algo a ser dito de maneira muito particular. / The present piece of research shows clinical data referring to femininity and, more specifically, to the construction of the feminine being before its enigma. Questions are often raised on what can be done for the construction of femininity in girls, taking into consideration the specific mother-daughter relation. Resurgence moments, a word that becomes construct at the end of the research, allow to reinvent and exercise femininity. To this end, the Freudian and Lacanian psychoanalytic reference is cited, specifically concerning the operations of alienation and separation. The research method is the psychoanalytic, which takes into account the formation of the unconscious mind resulting from the processes of serendipidity, solipsism, and alterity. In the psychoanalytic research, the construction of the case is employed as a way to communicate the findings of the research, as well as the metapsychological trial to discuss the results. During the construction of the case, Helena`s separation from the maternal Other one takes place during the process of analysis, enabling the girl in resurgence to take over the course of her desire. This way, the analysis offers the girl in resurgence the opportunity to be different from her mother and not a reproduction. Such a reproduction is unfeasible, taking into account that a feminine woman is unique and therefore cannot be reproduced. Emphasis is thus placed on the importance of the separation from mother to daughter so that the second one may be the subject of her desire and, consequently, authorize herself to reinvent and exercise her femininity, the resurgence being a facilitator for her to become a feminine woman. In this sense, the analytic treatment shows the enigma of each feminine woman, although without revealing it, as in her there is always to be said in a very particular way.
3

De menina a mulher : um ensaio sobre o enigma da feminilidade na clínica psicanalítica

Dall'Agnol, Viviane Carla January 2005 (has links)
A presente pesquisa apresenta o dado clínico relativo à feminilidade, mais especificamente, à construção do ser feminino diante do seu enigma. Questiona-se o que pode ser apontado sobre a construção da feminilidade na menina, considerando a relação específica mãe e filha. Propõe-se que os momentos de ressurgência, vocábulo que se torna constructo ao final do trabalho, possibilita o reinventar e o exercer a feminilidade. Para tanto utiliza-se o referencial psicanalítico freudiano e lacaniano, especificamente ao que diz respeito as operações de alienação e separação. O método de pesquisa é o psicanalítico, o qual leva em conta as formações do inconsciente, decorrente dos processos de serendipidade, do solipsismo metodológico e de alteridade. Na pesquisa psicanalítica emprega-se a construção do caso como forma de comunicar os achados da pesquisa, assim como lança-se mão do ensaio metapsicológico para discutir os resultados. Durante a construção do caso verifica-se a operação de separação, de Helena, do Outro materno, durante o processo de análise, o qual possibilitou a menina em ressurgência apropriar-se e assumir o curso de seu desejo. A análise, desta forma, proporciona a menina em ressurgência o ensejo de ser diferente de sua mãe e não uma reprodução. Esta inviável, levando em conta que uma mulher feminina é única e por isso não há como reproduzi-la. Aponta-se, assim, a importância da separação entre mãe e filha para que a segunda possa ser sujeito do seu desejo e, conseqüentemente, autorizar-se a reinventar e a exercer a feminilidade, sendo a ressurgência um momento facilitador para tornar-se uma mulher feminina. Nesse sentido o tratamento analítico aponta o enigma de cada mulher feminina, mas não o revela, pois nesta há sempre algo a ser dito de maneira muito particular. / The present piece of research shows clinical data referring to femininity and, more specifically, to the construction of the feminine being before its enigma. Questions are often raised on what can be done for the construction of femininity in girls, taking into consideration the specific mother-daughter relation. Resurgence moments, a word that becomes construct at the end of the research, allow to reinvent and exercise femininity. To this end, the Freudian and Lacanian psychoanalytic reference is cited, specifically concerning the operations of alienation and separation. The research method is the psychoanalytic, which takes into account the formation of the unconscious mind resulting from the processes of serendipidity, solipsism, and alterity. In the psychoanalytic research, the construction of the case is employed as a way to communicate the findings of the research, as well as the metapsychological trial to discuss the results. During the construction of the case, Helena`s separation from the maternal Other one takes place during the process of analysis, enabling the girl in resurgence to take over the course of her desire. This way, the analysis offers the girl in resurgence the opportunity to be different from her mother and not a reproduction. Such a reproduction is unfeasible, taking into account that a feminine woman is unique and therefore cannot be reproduced. Emphasis is thus placed on the importance of the separation from mother to daughter so that the second one may be the subject of her desire and, consequently, authorize herself to reinvent and exercise her femininity, the resurgence being a facilitator for her to become a feminine woman. In this sense, the analytic treatment shows the enigma of each feminine woman, although without revealing it, as in her there is always to be said in a very particular way.
4

Mitos em relação a retirada do utero em mulheres hospitalizadas no periodo pre-operatorio

Sbroggio, Adriana Magrin Rivera 17 June 2004 (has links)
Orientadores : Aloisio Jose Bedone, Maria Jose Martins Duarte Osis / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-08-03T23:29:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Sbroggio_AdrianaMagrinRivera_M.pdf: 1766897 bytes, checksum: fee152a1b2d9fb76d465cf7208e6e88d (MD5) Previous issue date: 2004 / Resumo: Objetivos é Identificar os mitos quanto ao significado da perda do útero em mulheres hospitalizadas no período pré-operatório da cirurgia de histerectomia. Sujeitos e Métodos: Realizou-se um estudo do tipo qualitativo em amostra proposital de dez mulheres que estavam hospitalizadas no período pré-operatório com indicação cirúrgica de histerectomia. Foram utilizados uma ficha de caracterização para a coleta de informações pessoais e um roteiro semi-estruturado com perguntas de partida e de aprofundamento, ambos pré-testados. Nas entrevistas, que foram gravadas mediante autorização das mulheres, foi seguido o roteiro abordando os principais temas: as funções do útero e seu significado; útero e feminilidade; útero, sexualidade e imagem corporal e relacionamento conjugal. As entrevistas foram transcritas e realizou-se a análise temática do conteúdo. Resultados Nas falas das mulheres, os mitos mais recorrentes em relação ao útero referiram-se à perda da feminilidade, frigidez, a não serem mais as mesmas, à possibilidade da mudança na imagem corporal, à interferência na vida afetiva e sexual (ficar oca, vazia, ter um buraco) e à percepção do companheiro a seu respeito. Conclusão: As mulheres apresentaram mitos quanto à retirada do útero, relacionados à sua identidade social de gênero e à falta de conhecimento sobre seu corpo, órgãos e suas funções. Apresentou-se a necessidade de atuar educativamente junto a essas mulheres para criar oportunidades de reflexão sobre esses mitos e assimilação de informações científicas / Abstract: Objective: To Identify the myths regarding the loss of the womb between the women hospitalized in the pre-surgery period from the surgery of hysterectomy. Subjects and method: It was carried out a study of the qualitative kind in a sample proposed of ten women that were hospitalized in the pre-surgery with indication of hysterectomy surgery. It was utilized an application of characterization to collects (research) of personal information and a script was structured with questions to start and deepening the questions, both pre-tested. The interviews were recorded by the authorization of the women interviewed, followed the script approaching the main themes: the functions of the womb and its meaning; womb and femininity; womb, sexuality and corporal image and conjugal relationship. The interviews were transcribed and carried out itself analysis the theme of the content. Results: The myths regarding the womb more common in women's speech, referred to the loss of femininity, frigidity, they will not be the same person as they were before, the possibility of a change in the corporal image, the interference in the sexual and affectionate life (stayed hollow, empty, have a hole) and their companion's perception about them. Conclusion: The women present myths regarding the loss of the womb, related to theirs social identity of gender, lack of knowledge of their body, the body organs and theirs functions. Presents itself the need of a leaming educational process for those women, to create opportunities of reflection about those myths and assimilation of scientific information / Mestrado / Ciencias Biomedicas / Mestre em Tocoginecologia
5

“Quando a menina enjoa da boneca....” : ensaio sobre o Complexo de Édipo e a construção do feminino

Costa, Kelen Santana da 10 August 2009 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, 2009. / Submitted by Elna Araújo (elna@bce.unb.br) on 2010-03-31T21:04:45Z No. of bitstreams: 1 2009_KelenSantanadaCosta.pdf: 702280 bytes, checksum: e8dffb87e08facbdfee1c9ed00352eee (MD5) / Approved for entry into archive by Daniel Ribeiro(daniel@bce.unb.br) on 2010-05-17T20:42:51Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_KelenSantanadaCosta.pdf: 702280 bytes, checksum: e8dffb87e08facbdfee1c9ed00352eee (MD5) / Made available in DSpace on 2010-05-17T20:42:51Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_KelenSantanadaCosta.pdf: 702280 bytes, checksum: e8dffb87e08facbdfee1c9ed00352eee (MD5) Previous issue date: 2009-08-10 / Este trabalho investiga as vicissitudes do complexo de Édipo da menina e sua relação com a construção da feminilidade na teoria de Freud, a partir de uma incursão teórica referente ao assunto em sua obra. Foram utilizadas também algumas contribuições de autores contemporâneos, com destaque a Jacques Lacan, que enfatiza a noção de falta de objeto como central na estruturação do psiquismo. A pesquisa inicia com a abordagem da (re)descoberta da sexualidade infantil por Freud, mais especificamente do texto Três ensaios sobre a sexualidade, no qual Freud já antecipa a noção de um tornar-se mulher. Examina ainda o trajeto freudiano no desenvolvimento do constructo do Complexo de Édipo, que se tornou um dos mais importantes e controversos da teoria psicanalítica. E verificou que as especificidades do complexo edipiano da menina foram gradualmente descobertas a partir do gradual abandono da crença na existência de uma simetria nos complexos de meninos e meninas. Foi averiguado que o resultado proeminente do complexo de Édipo, tanto para meninos e meninas, é uma identificação à imagem fálica paterna. A pesquisa prossegue investigando a descoberta freudiana da existência de uma longa e forte relação pré-edipiana da menina com a mãe, que representou uma verdadeira revolução nos estudos da sexualidade feminina. O trabalho mostra, por fim, que a travessia do complexo edipiano na menina é fundamental no sentido de fornecer-lhe as bases para o advento como sujeito e uma identificação sexual, mas não garante a saída rumo à feminilidade. Daí a conclusão de que a feminilidade é um percurso repleto de meandros, um devir, um tornar-se, em constante construção. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / This research investigates the vicissitudes of the Oedipus complex of the girl and its relationship with the construction of femininity in Freud’s theory, from a theoretical study of this subject in his works. It also uses some contributions from contemporary authors, especially Jacques Lacan, which emphasizes the notion of lack of object as central in the structuring of the psyche. The research begins with the approach of the (re)discovery of infantile sexuality, more specifically of the text Three Essays on the Theory of Sexuality, in which Freud anticipates the notion of becoming a woman. It also examines the path of Freud in the developmente of the concept of the Oedipus complex, which became one of the most important and controversial subjects of psychoanalytic theory. The specificities of the girl´s Oedipal complex were perceived by Freud as he gradually abandoned the belief in the existence of a simmetry in the complexes of boys and girls. It was found that the outstanding result of the Oedipus complex, for both boys and girls, is an identification with the paternal phallic image. The research continues investigating the Freudian discovery of the existence of a long and strong pre-Oedipal relation of the girl with her mother, which represented a revolution in the studies of female sexuality. At last, this work demonstrates that the passage through the Oedipus complex is crucial to provide the girl with the foundations for the emergence as a subject and with a sexual identity, but it does not guarantee an exit toward femininity. Hence, it concludes that femininity is a journey full of intricacies, a ‘becoming’, in constant construction.
6

Técnica, dor, feminilidade

Boaventura, Patrícia Luiza Bremer January 2011 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Florianópolis, 2011 / Made available in DSpace on 2012-10-26T05:47:38Z (GMT). No. of bitstreams: 1 297400.pdf: 1799107 bytes, checksum: ce2da2500355b8a3a0ddc4696a829151 (MD5) / O esporte, fenômeno social e cultural, oferece uma variedade de reflexões e interlocuções significativas que sugerem uma educação do corpo. A construção dos corpos e suas formas expressam sentidos e significados que envolvem valores, preconceitos, posturas, discursos, normas e regras, reafirmados e incorporados por um conjunto de técnicas e recursos presentes na lógica do treinamento esportivo. Características singulares estão presentes nesse universo e é na Ginástica Rítmica (GR), esporte que produz e reproduz corpos femininos, que compreenderemos os aspectos relacionados ao corpo. Essa modalidade consiste em dinâmicas e ritmos específicos que surgiram de uma necessidade de movimentos para o sexo feminino. A partir de um registro etnográfico, foi realizado um trabalho de campo em 2008 e 2010 com uma equipe de Ginástica Rítmica da cidade de Timbó - SC, quando se observou a estrutura e a organização da instituição, os sistemas de treinamentos, as rotinas, os discursos e os ambientes de competições. Foram realizadas intervenções registradas em diário de campo e entrevistas com atletas e treinadoras. As análises apresentadas contribuem para um debate sobre os aspectos das pedagogias do corpo na Ginástica Rítmica, a incorporação e reprodução de discursos referentes ao corpo feminino, os contrapontos entre feminilidade e performance e a relação entre infância e tradição esportiva.
7

Admirável corpo novo : cirurgia plástica e reconfiguração corporal

de Sousa Mélo, Roberta January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:14:57Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo442_1.pdf: 1434357 bytes, checksum: 4d95b781634384b7e131c72b58d46d1d (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2006 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / Colocando o corpo feminino em perspectiva, este trabalho concentra-se no consumo da cirurgia plástica como fenômeno suscitador de relevantes questões sociológicas. Analisando de modo mais específico o uso das cirurgias estéticas, reconhecemos que corporeidade, sexualidade e sociabilidade constituem-se integrantes de tal processo. Os questionamentos aqui presentes levam aos estudos sobre o corpo tecnologicamente investido, trabalhado nos aspectos que melhor materializem os objetivos da consumidora e sua localização nos arranjos das estruturas sociais. De um lado, o corpo passivo, assimilador de regras e de padrões estéticos. Do outro, o corpo que se utiliza das tecnologias, produto humano por excelência, para refazer-se e recriar-se
8

A feminilidade doente ou de como um saber vai sendo esquecido

Silva, Maria Escolástica Álvares da 18 June 1993 (has links)
Orientador : Antonio Muniz de Rezende / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação / Made available in DSpace on 2018-07-18T12:44:07Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Silva_MariaEscolasticaAlvaresda_D.pdf: 11297671 bytes, checksum: 966678408645103747aa87e609960957 (MD5) Previous issue date: 1993 / Resumo: Nosso estudo visa estabelecer o conceito de ¿feminidade¿ como um saber que foi se perdendo ao longo da história, particularmente com a instituição do sistema monoteísta patriarcal e a organização de uma certa estrutura psíquica fundada no recalque da cultura anterior. D}entro dessa nova organização a ¿feminidade¿ se tornou estruturalmente negativa, expressando por meio de mecanismos como o sintoma histérico e a subversidade social aquilo que outrora positivava-se como transcendência mística. Tentamos demonstrar esta hipótese através da instituição básica de uma dicotomia fundamental no ser humano que o divide em duas posições: ativa e passiva. Tomando a referencia psicanalítica do Falo como organizador dessas duas posições sexuais, encontramos duas estruturas não-simétricas e não complementares que confirmam a existência de um lugar topológico do ser para além da própria divisão sexual que o determina. A ele corresponde nossa definição de ¿feminidade¿, lugar de passividade e de transcendência, mas que foi transformado em submissão no sistema patriarcal. A esse lugar também corresponde um saber somente designável pela lógica para consistente, naquilo que vai além dos paradigmas clássicos da lógica forma / Doutorado / Filosofia e História da Educação / Doutor em Educação
9

Narrativas Modernas e ContemporÃneas do Amor e da Feminilidade

Danielly Passos de Oliveira 26 September 2008 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / Este trabalho consiste numa anÃlise de narrativas modernas e contemporÃneas sobre o amor e a feminilidade. Iniciamos com um percurso por textos histÃricos, com o objetivo de compreender o processo de formaÃÃo de um arranjo especÃfico entre os conceitos de amor romÃntico e de feminilidade. Tal arranjo estabeleceu, para as mulheres burguesas do sÃculo XIX, um perfil emocional (justificado pela natureza do corpo feminino) e um destino social, definido pelos papÃis de esposa, de mÃe e de dona-de-casa. Buscamos situar alguns dos principais elementos que ajudaram a compor um regime de verdade sobre o amor, as mulheres e a feminilidade, e tambÃm refletir sobre os acontecimentos que contribuÃram para que tal regime fosse questionado. Para tanto, analisamos trÃs obras literÃrias que causaram polÃmica, quando publicadas: âMadame Bovaryâ, de Gustave Flaubert, âLa vagabondeâ, de Colette e âLa garÃonneâ, de Victor Margueritte. Cada um dos trÃs livros criticou, de modo singular, a concepÃÃo segundo a qual as mulheres sÃo naturalmente voltadas para o amor e para os assuntos domÃsticos. A leitura das narrativas modernas nos permitiu elaborar um roteiro, o qual conduziu nosso percurso pela contemporaneidade. Finalmente, realizamos entrevistas com mulheres brasileiras e francesas, solteiras ou divorciadas, sem filhos, e que possuem uma elevada formaÃÃo acadÃmica. Nosso objetivo foi o de compreender como essas mulheres definem e relacionam o amor e a feminilidade. A anÃlise dos discursos apontou a presenÃa de traÃos do amor romÃntico que acompanham a expansÃo das idÃias individualistas, a dificuldade de se construir um modelo consistente para os relacionamentos amorosos atuais e, principalmente, a tentativa de se inventar outros arranjos possÃveis para o amor e as relaÃÃes de gÃnero.
10

Noção de feminilidade em Melanie Klein : subjetivações para além de um registro fálico /

Klipan, Marcos Leandro. January 2015 (has links)
Orientador: Jorge Luís Ferreira Abrão / Banca: Paulo José da Costa / Banca: Audrey Setton Lopes de Souza / Banca: Diana Pancini de Sá Antunes Ribeiro / Banca: Walter José Martins Migliorini / Resumo: Este trabalho pretende compreender as transformações do tema feminilidade na obra de Melanie Klein e com isso traçar um percurso histórico e epistemológico sobre o significado desta temática para o pensamento desta autora. De modo específico, também, objetivamos discutir e problematizar como a noção da feminilidade pode oferecer uma maneira inovadora na forma de ler e compreender o texto kleiniano. Além disso, acreditamos que esse tema permitira pensar outras trilhas subjetivas na contemporaneidade, o que repercutiria, posteriormente, na forma de compreender a Psicanálise deslocada do eixo fálico. Isso porque, desde o início dessa pesquisa nos pautamos na ideia de que haveria, como é defendida por alguns autores contemporâneos da Psicanálise e que já havia sido refletido por Freud ao final de sua obra, a possibilidade de compreender modos de subjetivação fora do registro fálico, ou seja, anteriores à estrutura tradicional do complexo de Édipo e herança de nossa cultura Ocidental. Feminilidade, então, seria esse modo de subjetivação em um tempo psíquico muito primitivo da criança com sua mãe, o que permitiria articulações subjetivas diferenciadas / Abstract: This work intends to understand the theme of femininity changes in the work of Melanie Klein and then trace a historical and epistemological route on the significance of this issue to the thought of this author. Specifically, we also aim to discuss and question how the notion of femininity can offer an innovative way in order to read and understand the Kleinian text. Despite that, we believe that this issue will allow other subjective tracks to come up in contemporary times, what repercussions later in the way of understanding psychoanalysis displaced the phallic trait. In other words, since the beginning of this research we were based on the idea that there would be, as is advocated by some contemporary authors of psychoanalysis and that had been reflected by Freud at the end of his work, the ability to understand modes of subjectivity out of phallic trait i.e. prior to the traditional structure of the Oedipus complex and heritage of our Western culture. Femininity, so it would be this subjectivity so in a very primitive psychic time of the child with his mother, which would allow different subjective joints / Doutor

Page generated in 0.0863 seconds