• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 89
  • 1
  • Tagged with
  • 92
  • 92
  • 72
  • 41
  • 30
  • 27
  • 26
  • 26
  • 25
  • 25
  • 22
  • 17
  • 17
  • 14
  • 13
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Conta-me como foi: percursos escolares de jovens e adultos com deficiência e transtorno global do desenvolvimento, mediados por processos de compensação social.

TEIXEIRA, R. I. O. 13 March 2014 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T11:04:00Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_8185_Renata Imaculada - Tese doutorado.pdf: 1116194 bytes, checksum: 83bd3eb1f817dda426806d327cfa251f (MD5) Previous issue date: 2014-03-13 / Este estudo investiga o percurso escolar de jovens com deficiência e transtorno global do desenvolvimento (TGD) a fim de evidenciar aspectos que possam ter contribuído para o surgimento de processos de compensação sociopsicológica que promovem aprendizagem e desenvolvimento em sua vida acadêmica e profissional. Baseia-se na tese de que o trabalho em prol de um estágio diferenciado de consciência, necessário à formação humana num patamar mais elevado, de alunos com deficiência e TGD, pode ser alcançado pela recuperação de suas histórias de vida e suas narrativas a respeito das experiências de escolarização e das mediações vivenciadas junto a profissionais, familiares e alunos, levando à processos de compensação sóciopsicológicas. Adota a abordagem histórico-cultural como aporte teórico, prioritariamente os estudos de Vigotski, que ajudam a compreender a constituição da subjetividade dos jovens com deficiência e TGD e a prospecção de suas vidas como profissionais tendo como foco os processos de compensação social a partir da investigação de seus percursos escolares. Simultaneamente, enfoca os estudos de Walter Benjamin sobre a filosofia da história para compreender a escrita do passado, a memória, o tempo histórico, a narrativa, entre outros aspectos. Define como sujeitos de estudo três jovens, alunos da educação profissional e tecnológica do Instituto Federal de Educação Profissional e Tecnológica do Espírito Santo, matriculados em diferentes campi: uma aluna com diagnóstico de TGD associado à psicose, um aluno surdo e um aluno com autismo, cada um, em sua especificidade, narrando sua história de vida desde a infância até o momento presente, com enfoque em situações vividas no percurso escolar, relações com a família, imagens de si e da deficiência e expectativas para o futuro profissional. Considera como categorias de análise as lembranças da infância, os aspectos do percurso escolar que predominam nos discursos dos sujeitos, a inclusão na educação profissional, as marcas de si nas relações com o Outro e pistas para pensar a inclusão escolar, com base nas histórias contadas que evidenciam processos de compensação sociopsicológicos. Com base nas histórias de vida dos sujeitos pesquisados, conclui que, mesmo diante dos dilemas e das dificuldades vivenciadas por eles em sua trajetória escolar, a aprendizagem da pessoa com deficiência e TGD é possível porque eles conseguem ingressar e permanecer na escola regular. Conclui também que as condições socioeconômicas e o apoio da família se constituem em um fator que muito contribui para que esses sujeitos, cada um ao seu modo, possam ter acesso à escola e nela permanecer, bem como atingir processos de compensação sociopsíquicas.
2

Inclusão digital de idosos: relatos e reflexões

ARREVABENI, M. C. 06 December 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T11:11:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_5606_Monica_Costa_Arrevabeni.pdf: 2738086 bytes, checksum: 81c55c457d8e0c47bf8862d9d414f1e0 (MD5) Previous issue date: 2011-12-06 / Este estudo nasceu da experiência de inclusão digital da mãe da pesquisadora, uma mulher de 60 anos, viúva desde os 31, que após o crescimento dos filhos passou a se sentir inútil e sem razões para viver. O impacto social positivo desse evento na vida de Maria da Penha foi o gatilho para o interesse na relação entre idosos e tecnologias. O trabalho analisou a estereotipação dos longevos, políticas públicas referentes ao envelhecimento e relações entre velhice, educação e tecnologia. A metodologia foi de natureza qualitativa, com inspiração fenomenológica e desenvolvida a partir do estudo de caso. Uma turma que frequentava aulas de Inclusão Digital na Faculdade da Melhor Idade de Colatina (FAMIC) foi escolhida para a investigação de histórias que envolvem a interação de idosos com a informática. Foram acompanhados 13 encontros durante cinco meses do primeiro semestre de 2011 e registrados alguns anseios, dificuldades, medos e sucessos dos idosos. Os depoimentos de cinco deles foram analisados para se entender os efeitos causados pelo uso do computador em suas vidas. A intenção foi dar voz aos sujeitos pesquisados, admitindo que suas vivências, opiniões e entendimentos constituem fonte importante de reflexão sobre o fenômeno que envolve o envelhecimento da população mundial e a tecnologização da sociedade. O fato do curso se voltar para pessoas de mais idade foi visto como muito positivo; a desmistificação do computador, provocando autonomia, foi muito destacada; e a inclusão digital como meio de inclusão social, o ponto forte dos relatos e reflexões
3

Como nascem as fadas de leitura? experiências lúdicas de leitura e mediação didática de professores do ensino fundamental II

Popoff, Sandra Constantin 24 March 2014 (has links)
Submitted by Uillis de Assis Santos (uillis.assis@ufba.br) on 2017-05-15T11:04:51Z No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO - POPOFF PPGE - 2017.pdf: 3498831 bytes, checksum: 7a3d842191c69e993c73904ace80c19e (MD5) / Approved for entry into archive by Uillis de Assis Santos (uillis.assis@ufba.br) on 2017-05-15T11:06:38Z (GMT) No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO - POPOFF PPGE - 2017.pdf: 3498831 bytes, checksum: 7a3d842191c69e993c73904ace80c19e (MD5) / Made available in DSpace on 2017-05-15T11:06:38Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO - POPOFF PPGE - 2017.pdf: 3498831 bytes, checksum: 7a3d842191c69e993c73904ace80c19e (MD5) / O trabalho busca compreender como professores, que tem histórias de vida marcadas pela literatura ressignificam a ludicidade em suas mediações de leitura em ambiente escolar no ensino fundamental II. A pesquisa foi realizada com uma professora e um professor de escolas públicas, uma em Salvador e outra em Feira de Santana, mediante abordagem fenomenológica utilizando histórias de vida, com o auxílio dos instrumentos: observação participante, entrevista narrativa e texto autobiográfico. Os professores participantes da pesquisa não têm formação na área da linguagem, mas são licenciados em Biologia e Matemática. A ludicidade como premissa fundante da experiência com a leitura literária na vida dos sujeitos foi investigada, assim como, a sua expressão lúdica foi observada nas mediações didáticas e partilhas espontâneas de saber literário. Os resultados apontam as experiências de leitura como acionadoras da construção de um perfil lúdico envolvendo memórias afetivas e imaginário literário, que na dimensão do coletivo pode reverberar em partilhas de experiências literárias mediante mediação lúdica de leitura. Os conceitos que permitiram uma análise sensível da realidade estudada foram encontrados em Luckesi (1998, 2000, 2002, 2004, 2016), Brougère (1998, 2002), Maffesoli (1998, 2001), Callois (1990), D’Ávila (2007, 2009, 2008, 2014, 2016) dentre outros. Concluo que o “eu lúdico”, como impulso inicial do sujeito, mediante contínuas experiências afetivas com a leitura literária, concretiza um perfil profissional, que, por sua vez, influencia a forma e a qualidade das mediações didáticas. / The paper seeks to understand how teachers, who have life histories marked by literature, re - signify playfulness in their reading mediations in school environment in elementary school II. The research was carried out with a teacher and a teacher of public schools, one in Salvador and another in Feira de Santana, through a phenomenological approach using life stories, with the aid of the instruments: participant observation, narrative interview and autobiographical text. The teachers participating in the research are not trained in the area of language, but have a degree in Biology and Mathematics. Ludicity as the founding premise of the experience with literary reading in the subjects' lives was investigated, just as their playful expression was observed in didactic mediations and spontaneous sharing of literary knowledge. The results point out the reading experiences as triggers of the construction of a playful profile involving affective memories and literary imaginary, that in the dimension of the collective can reverberate in sharing of literary experiences through playful mediation of reading. The concepts that allowed a sensitive analysis of the studied reality were found in Luckesi (1998, 2000, 2002, 2004, 2016), Brougère (1998, 2002), Maffesoli (1998, 2001), Callois (1990), D’Ávila (2007, 2008, 2014, 2016), among others. I conclude that the "playful self", as the initial impulse of the subject, through continuous affective experiences with literary reading, concretizes a professional profile, which, in turn, influences the form and quality of didactic mediations.
4

Esta é a nossa voz: narrativas de vida dos estudantes do 7º ano do Colégio Estadual Reitor Calmon

Ribeiro, Soraya Coelho da Silva January 2017 (has links)
Submitted by Roberth Novaes (roberth.novaes@live.com) on 2018-09-19T16:49:43Z No. of bitstreams: 1 ESTA É A NOSSA VOZ....pdf: 2365887 bytes, checksum: 06319e51738eb291407cc27eb432bea3 (MD5) / Approved for entry into archive by Setor de Periódicos (per_macedocosta@ufba.br) on 2018-09-21T18:36:26Z (GMT) No. of bitstreams: 1 ESTA É A NOSSA VOZ....pdf: 2365887 bytes, checksum: 06319e51738eb291407cc27eb432bea3 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-21T18:36:26Z (GMT). No. of bitstreams: 1 ESTA É A NOSSA VOZ....pdf: 2365887 bytes, checksum: 06319e51738eb291407cc27eb432bea3 (MD5) / O presente Memorial é uma narrativa reflexiva de formação. Nele constam as minhas reflexões e memórias de letramentos, daquilo que me fez e constituiu como professora e pesquisadora. Estão também registrados aqui, detalhadamente, a pesquisa-ação-formaçãoexperiencial, através da abordagem autobiográfica, realizada em sala de aula com alunos do 7º ano do Colégio Estadual Reitor Miguel Calmon, em Simões Filho, cujo corpus é constituído das narrativas dos estudantes escritas no período dos vinte e um encontros que realizamos, nos quais foram feitas, além da escrita dos textos, rodas de conversa e leituras de textos motivadores para a escrita das histórias de vida dos estudantes. Nessa pesquisa, assumo como objetivo investigar as narrativas dos estudantes acerca de seus processos de letramentos e a influência desses para sua construção identitária, pessoal e estudantil e sua influência na formação dos educandos como leitores e produtores de textos especialmente os do gênero autobiográfico. Nesse sentido, ressalta-se que o desenvolvimento da pesquisa aconteceu sob a perspectiva da língua como lugar de interação e através do processo sócio-interacionista de ensino aprendizagem. Ao escolher as narrativas autobiográficas como abordagem da pesquisa, temas como família, relações interpessoais, na escola, com seus pares e professores e projeções para o futuro são também abordadas. / The present Memorial is a reflective narrative of formation. In it are my reflections and memories of my literacy, have taught me and constitute me as a teacher and researcher. Also the action-formation-experiential-research is registered here through the autobiographical approach, carried out in the classroom with 7th grade students of the Reitor Miguel Calmon State school, in Simões Filho, whose corpus is constituted of the narratives of students written in the period of the twenty-one meetings we have made. In these meetings, in addition to the writing of the texts, we had conversation wheels, and reading motivational text for the writing of students' life histories. In this research, I aim to investigate students' narratives about their literacy processes and their influence on their identity, personal and student construction and their influence on the formation of students as readers and producers of texts especially those of the autobiographical genre. In this sense, it is emphasized that the development of the research happened from the perspective of language as a place of interaction and through the socio-interactionist process of teaching learning. In choosing autobiographical narratives as a research approach, topics such as family, interpersonal relationships, at school, with peers and teachers, and projections for the future are also addressed.
5

Histórias de vida de mulheres romeiras: experiências sociorreligiosas e os processos formativos na terra da Mãe das Dores e do Padre Cícero / Life stories of religious pilgrim women: socioreligious experiences and formative processes on land of Padre Cícero and our Lady of Sorrows

Silva, Adriana Maria Simião da January 2017 (has links)
SILVA, Adriana Maria Simião da. Histórias de vida de mulheres romeiras: experiências sociorreligiosas e os processos formativos na terra da Mãe das Dores e do Padre Cícero. 2017. 335f. – Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2017. / Submitted by Gustavo Daher (gdaherufc@hotmail.com) on 2017-11-03T12:53:09Z No. of bitstreams: 1 2017_tese_amssilva.pdf: 7507014 bytes, checksum: 8bb08a83b3ae35ec3e3cbeac2d861b6d (MD5) / Approved for entry into archive by Márcia Araújo (marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2017-11-03T18:27:07Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_tese_amssilva.pdf: 7507014 bytes, checksum: 8bb08a83b3ae35ec3e3cbeac2d861b6d (MD5) / Made available in DSpace on 2017-11-03T18:27:07Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_tese_amssilva.pdf: 7507014 bytes, checksum: 8bb08a83b3ae35ec3e3cbeac2d861b6d (MD5) Previous issue date: 2017 / This research aims to investigate the life stories of religious pilgrim women, known as romeiras, participants of “Meeting at three o’clock”, in the city of Juazeiro do Norte. This meeting has as objective the comprehension, biographically, of how the socioreligious experiences experienced by romeiras women repercuted in the constitution of formative processes of their identities and subjectivities. Our investigative process combined grounds and procedures of ethnography and (auto) biographical research. Our principal point was the “Meeting at three o’clock”, an event organized by the Pastoral of Pilgrimage, that always happens at three o’clock, in the most principal periods of catholic pilgrimage. We use “Meeting at three o’clock” as our research place, and as source: a) biographical narrative produced by catholic religious pilgrim women expressed in spoken interviews, and later transformed into life stories; b) biographical fragments presented in the meeting (life reports, testimonies, prayers popular sacred music, known as “benditos, etc) and integrative activity (autobiographical albums and mandalas); c) ethnographic observations, audiovisual records, focused interviews and roaming journal. The material produced and collected throughout this research was analyzed based in the method of textual discursive analysis. The analysis of life stories has made it possible for us to comprehend that the socioreligious experiences, marked by the condition of being a romeira, devout and engaged, correlated to the circumstances of being, staying and remaining at catholic pilgrimage, known as romaria, generate important changes that lead to a self-awareness awakening and condition of religious pilgrim, which creates existential senses. These theses constitute founders and trainers experiences of their trajectories and create existential senses. The perception of these senses leads us to the transformation of attitudes and behaviors capable of contributing to a personal and collective empowerment. On the whole, the experiential learning and knowledge, learned in this process, contribute to the formation of the identities of romeiras, devoted and engaged, and to the consolidation, continuity and transmission of structural meanings of collective processes of empowerment. / Esta pesquisa teve como objetivo investigar as histórias de vida de mulheres romeiras, participantes da Reunião das Três Horas, em Juazeiro do Norte, buscando compreender, pela via biográfica, como as experiências sociorreligiosas, vivenciadas por mulheres romeiras, repercutem na constituição de processos formativos de suas identidades e subjetividades. O processo investigativo conjugou fundamentos e procedimentos da pesquisa (auto)biográfica e da etnografia. Teve como cenário principal a Reunião das Três Horas, um evento organizado pela Pastoral da Romaria, realizado, sempre às quinze horas, nos períodos das principais romarias. Utilizou como fontes: a) as narrativas biográficas produzidas pelas mulheres romeiras, expressas nas entrevistas narrativas e, posteriormente, transformadas em histórias de vida; b) os fragmentos biográficos (testemunhos e benditos), apresentados nessa reunião e na atividade integradora; c) observações etnográficas, registros audiovisuais, entrevistas focalizadas e o diário de itinerância. O material produzido e coletado, ao longo da pesquisa, foi analisado com base no método de análise textual discursiva. A análise das histórias de vida possibilitou compreender que, as experiências sociorreligiosas, marcadas pela condição de tornar-se romeira, ser romeira devota e fazer-se romeira devota e engajada; correlacionadas às circunstâncias de ser, estar e permanecer em romaria, geram mudanças importantes que, levam a um despertar da consciência de si e da condição romeira. Estas constituem as experiências fundadoras e formadoras, de suas trajetórias e criam sentidos existenciais. A percepção desses sentidos propicia transformações de atitudes e comportamentos, capazes de contribuir para um empoderamento pessoal e coletivo. No conjunto, as aprendizagens experienciais e os saberes existenciais, apreendidos nesses percursos, colaboram para a formação das identidades de romeiras, devotas e engajadas, e contribuem para a consolidação, continuidade e transmissão de sentidos estruturais da romaria e de processos coletivos de empoderamento.
6

Trajetórias de vida : um estudo sobre a complexidade da experiência na rua

de Lemos Sobral, Maria 31 January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T22:58:09Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo3586_1.pdf: 1014099 bytes, checksum: 89fa3a815db1979d99af5e86a7759902 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2008 / A dura realidade das crianças e adolescentes que vivem nas ruas há muito tempo chama a atenção da sociedade. Ao longo da história brasileira, diversas instituições se dispuseram a resolver o problema das crianças de rua; contudo, suas políticas de atendimento costumavam relacionar-se mais com os interesses da sociedade do que propriamente com as necessidades das crianças. Segundo Rizzini e Butler (2003), o avanço das pesquisas sobre o assunto permitiu perceber que o processo de apropriação da rua se constitui de maneira gradual e progressiva, incorporando-se ao sistema identitário da criança e do adolescente. Desse modo, considerado de maneira isolada, qualquer fator, mesmo que importante, não explica a complexidade do fenômeno. A trajetória seria, portanto, o elemento central que define o lugar que a criança ocupa na rua. O conhecimento dessa trajetória permite compreender a relação que a criança estabelece com a rua como seu espaço prioritário de vida. No presente trabalho, buscou-se compreender como se processam os vínculos das crianças e dos adolescentes com a família, com a rua e com as instituições que as assistem, bem como as implicações do contexto socioeconômico na construção desses vínculos. Foram analisadas as relações entre essas instâncias, de modo a compreender o lugar que elas ocupam nos processos de subjetivação dos sujeitos em questão. A metodologia adotada neste estudo foi a história de vida, tendo sido entrevistados três sujeitos dois adolescentes e uma jovem com vivência de rua. A partir das narrativas, buscou-se contribuir para o entendimento sobre as trajetórias de vida dos participantes, ao esclarecer quais os mecanismos por eles utilizados para incorporar ou rejeitar os significados psicossociais da rua. Os resultados sinalizam que as crianças e adolescentes que se envolveram com grupos na rua em seus percursos, demonstram mais dificuldade de romper com esse universo, haja vista a vinculação imaginária construída com os pares. Observou-se que, nesses grupos, os sujeitos costumam agir, preponderantemente, pelo registro das emoções, construindo, desse modo, uma aliança identitária de difícil ruptura. O convívio com outras realidades, diferentes daquelas experimentadas na rua, permite aos sujeitos a construção de novas referências identificatórias de modo a fragilizar a rua como um campo prioritário em suas vidas. Espera-se, com os resultados desta pesquisa, contribuir para a construção de práticas voltadas para a melhoria de vida das crianças e adolescentes em situação de rua
7

POLÍTICAS DE JUVENTUDE, GOVERNO DA VIDA E EDUCAÇÃO: UMA APROXIMAÇÃO ÀS AÇÕES DE RE(X)ISTÊNCIA DE JOVENS MORADORES DAS PERIFERIAS NA PARAÍBA

Oliveira, Mariana Lins de 04 July 2015 (has links)
Submitted by Irene Nascimento (irene.kessia@ufpe.br) on 2016-02-24T16:37:03Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Tese_imprimir_biblioteca_pdf.pdf: 3314917 bytes, checksum: aa843c643a0a71fa698b22e0f06cc844 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-02-24T16:37:03Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Tese_imprimir_biblioteca_pdf.pdf: 3314917 bytes, checksum: aa843c643a0a71fa698b22e0f06cc844 (MD5) Previous issue date: 2015-07-04 / A pesquisa aqui apresentada tem como objeto ações vivenciadas por jovens pobres, moradores de bairros periféricos, consideradas de resistência aos padrões normativos estabelecidos. Nosso interesse consistiu em dar visibilidade aos modos peculiares de viver a juventude, buscando ressaltar questões outras que não estão sendo incorporadas por essas políticas. Refere-se às histórias de jovens que têm construído modos de vida que extrapolam as normatividades, não se contrapondo necessariamente à própria política, mas indo além, se excedendo nos discursos vigentes, presentes na sociedade. Tomamos como referência o pensamento de Michel Foucault para discutirmos sobre a sociedade de normalização e a biopolítica. Recorremos a Deleuze, Guattari, Foucault e Ortega, para refletirmos sobre as possibilidades de construirmos experiências de resistência aos discursos estabelecidos em relação à condição juvenil. Para tanto, buscamos problematizar as distintas concepções de juventude presentes em momentos históricos significativos e identificamos os diferentes modos de tratamento das juventudes pelas políticas públicas. Analisamos as distintas experiências de vida dos jovens pobres em duas comunidades do Estado da Paraíba, por meio da reconstrução de suas trajetórias, bem como problematizamos os processos formativos construídos e vivenciados por estes mesmos jovens. Participaram do nosso estudo cinco jovens moradores das comunidades de São Rafael, localizada na cidade de João Pessoa e da cidade de Zabelê-PB. As políticas de juventude, no contexto do Estado governamentalizado, têm funcionado como dispositivos biopolíticos de controle e governo das condutas dos jovens. Assim, as ações dos programas governamentais voltadas para o público dos jovens pobres, moradores das periferias urbanas (público específico das atuais políticas de juventude no Brasil) têm como função normalizar os seus comportamentos e, em última instância, administrar as suas vidas. Através da escuta das histórias de vida, encontramos experiências inusitadas, bem como, subjetividades disciplinadas, controladas e bem enquadradas. Observamos de forma marcante vivências de educação não formal em todas as histórias. Em todas as histórias de vida há um rompimento com os caminhos vividos por suas famílias. A formação de redes de colaboração e cooperação, bem como, a presença de um território, nos pareceu grandes impulsionadores na construção e na escolha de criar outras formas de vida. Encontramos jeitos de viver a juventude que não se diferem da forma hegemônica de ser jovem. Porém encontramos, também, indícios de que os jovens participantes da pesquisa têm elaborado subjetividades que não estão totalmente capturadas. / The present paper shares the experiences of young people living in poor suburbs, that are considered as a resistance to established regulatory standards. Our interest was in making the peculiar ways of experiencing youth more apparent, trying to highlight other issues that are not being incorporated by these policies. We reference stories of young people who have lifestyles that go beyond the normative issues, not necessarily in opposition to politics themself, but going beyond them, exceeding the prevailing social discourse. We seek to question the different conceptions of the present youth groups in historically significant moments and identify the different ways of treatment of youth groups by public policies. We take as reference the thought of Michel Foucault to discuss on society standardization and biopolitics. We use Deleuze, Guattari, Foucault and Ortega, to reflect on the possibilities of building experiences of resistance to the speeches established in relation to the juvenile condition. We analyze the different life experiences of poor young people in two communities in the State of Paraíba by reconstructing their history as well as confronting the formative processes built and experienced by these young people. Present in our study, were five young residents of the community of San Rafael, located in the city of João Pessoa and of the city of Zabele-PB. Youth policies in the context of a governmentalised State has worked as a biopolitical control system and governance of youth group behavior. Thus, the actions of governmental programs are geared to youth groups, residents of urban peripheries (specific audience of the current youth policies in Brazil) having the function to normalize their behavior, and ultimately, managing their lives. By listening to their life stories, we find unusual experiences, as well as disciplined, controlled and well framed subjectivities. We observed non-formal education experiences in all the stories. In all the life stories told, there is a departure from their families. The creation of collaborative and cooperative networks, as well as the presence of territory, appeared to be driving forces in the construction and in the choice to create other ways of life. We found ways to experience youth that do not differ from the hegemonic form of being young. However, we also found evidence that the young participants of the survey have prepared subjectivities that have not been yet fully captured
8

User-centered design of a mobile storytelling application for older adults

Tenreiro, Pedro Miguel Camilo January 2011 (has links)
Tese de mestrado integrado. Engenharia Informática e Computação. Universidade do Porto. Faculdade de Engenharia. 2011
9

Por uma outra Epistemologia de Formação: Conversas sobre um Projeto de Formação de Professoras no Município de Queimados / Towards a new teacher education epistemology: Conversations about a Teachers Education project in the Town of Queimados

Graça Regina Franco da Silva Reis 09 December 2014 (has links)
Esta tese origina-se da pesquisa de doutoramento realizada por meio do projeto de extensão Conversas entre professores: a prática como ponto de encontro, outra forma de pensar a formação e os currículos praticados no município de Queimados/RJ com professoras da rede municipal. Seu objetivo é pensar uma Epistemologia de Formação Contínua fundamentada no trabalho em sala de aula, na troca de experiências, nas histórias de vida e nos saberes experienciais enredados na vida cotidiana apontando/desinvisibilizando a complexidade que faz parte da vida e do processo de formação que é contínuo assim como os usos e a importância das narrativas nesse processo. Desenvolve-se a partir de uma metodologiapolítica que envolve os cotidianos das salas de aula, as rodas de conversa com narrativas de experiências e de histórias de vida. Defende que a formação se dá continuamente, ou seja, é um processo que começa com o nascimento e se tece por toda a vida dos sujeitos. Para isso, discute tanto a importância das memórias de vida como dispositivo de autoformação, pensando por que o exercício de autoconhecimento é tão importante nessa trajetória quanto a importância que o compartilhamento de experiências, por meio das narrativas, tem na formação contínua. Considera a ideia de que as políticas oficiais de educação se tecem a partir dos embates cotidianos entre diferentes grupos, ou seja, não há uma política separada da prática, há políticaspráticas, o que significa que todas as ações desenvolvidas pelos praticantes das escolas são também fruto de decisões e convicções políticas e expressam valores e objetivos também políticos. Traz ainda discussão acerca do que vem sendo dito em textos oficiais de políticas públicas para a formação continuada no Brasil e de que forma esses textos vêm sendo lidos e usados no município de Queimados. Pretende se apresentar como uma políticaprática contra-hegemônica, que desinvisibliza os cotidianos escolares mostrando que o que parece posto como política de formação contínua é um processo de embates que se tece coletivamente e cotidianamente. Pratica um exercício da suspeita que tem mostrado que há outras maneiras de produzir políticaspráticas de formação que estão enredadas às histórias de vidas das professoras / This thesis has its origin in the doctoral research Conversas entre professores: a prática como ponto de encontro, outra forma de pensar a formação e os currículos praticados carried out with Municipal Public School teachers in Queimados, Rio de Janeiro. The main purpose of this investigation is to envisage a Continuing Education Epistemology based on the classroom praxis and the exchange of teachers life experiences in professional and non-professional backgrounds, de-invisibilizing life and continuing education complexity. It also makes evident the importance of narratives for the comprehension of the process itself. Standing on a methodology/policy that embraces classroom life and teachers narratives about their own experiences inside and outside classrooms contexts, this work supports that life memories are a crucial element of self-formation likewise sharing such memories among peers. It considers the notion that public educational policies are not conceived apart from teachers daily practices. Instead, they are practices-policies woven from the clash among different groups with their own political convictions, therefore expressing their political values and objectives. This study also brings to light what has been stated about Continuing Education in official documents in Brazil and how the concepts in such documents have been understood and applied to teachers practices in Queimados. Presenting itself as counter-hegemonic practices-policies that de-invisibilize school life, this work shows public education policies as a daily, collective intertwined process of disputes, understanding that there are new ways to produce practices-policies of (self)formation which entangle teachers life stories
10

Gerando eus, tecendo redes e trançando nós: ditos e não ditos das professoras e estudantes negras nos cotidianos do curso de pedagogia / Generating selves, weaving webs and braiding us: spoken and unspoken of black female teachers and students in everyday of pedagogy course

Margareth Maria de Melo 27 July 2012 (has links)
O presente trabalho objetiva compreender como a temática afrobrasileira era abordada nos cotidianos do Curso de Pedagogia, campus I, da Universidade Estadual da Paraíba. A questão norteadora da pesquisa foi descobrir como professoras e estudantes negras se sentem e enfocam essa temática nas suas redes de conhecimentos, práticas e relações. Para tanto, foi preciso adentrar na história do povo negro no Brasil a partir da luta dos movimentos sociais negros buscando entender as noções de raça, racismo, identidade e os limites da educação do/a negro/a ao longo da história brasileira. Neste percurso se dialoga com diversos estudiosos/as como: Santos (2002), Viana (2007), Oliveira (2003, 2006, 2007, 2008), Fernandes (2007), Domingues (2009), Munanga (2002, 2006, 2009), Veiga (2007, 2008)), Pereira (2008, 2009), Gomes (2003, 2006, 2008), Morin (2000), Hall (2003), Moreira e Câmara (2008), dentre outros. Exemplificando a luta e a resistência de mulheres negras são apresentadas as histórias de vida de quatro professoras e quatro estudantes negras, praticantes (CERTEAU, 2007), sujeitos da pesquisa, que expõem o processo de tessitura de suas identidades. Suas narrativas evidenciam indícios de racismo e discriminação que marcaram suas trajetórias, desde o seio familiar, fortalecendo-se na escola, na academia e, para algumas, chegando até o ambiente de trabalho. Uma das professoras é a pesquisadora que, à medida que narra a história de vida das praticantes, tece sua própria história, como mulheres costurando uma colcha de retalhos em que cada estampa retrata os momentos vividos. A metodologia de pesquisa nos/dos/com os cotidianos (ALVES, 2008) foi o caminho percorrido. Além da observação dos cotidianos, foram realizadas conversas (LARROSA, 2003) sobre as histórias de vida (BOSI, 2003; PORTELLI, 1997) e tecidas as narrativas a partir dessas vivências. Estas revelaram que tais mulheres, ao longo de suas histórias, viveram/vivem processos de afirmaçãonegação, visto que suas identidades não são fixas, mas negociações e renegociações (MUNANGA, 2010) que geram alegrias e conflitos. O entendimento do que é Ser Negra é experimentado por cada uma, sem um modelo padrão para suas existências. Elas foram se gerando nas relações com o/a outro/a, em cada contexto familiar, escolar, acadêmico e profissional. São senhoras de suas vidas e mesmo as mais jovens buscam fazer suas histórias com autonomia. São praticantes porque lutaram/lutam para conquistar um lugar na vida, utilizando astúcias e táticas para fabricar (CERTEAU, 2007) meios de enfrentamento das adversidades. As táticas do silêncio, do estudo e do trabalho revelaram que essas mulheres não ficaram invisíveis nem se colocaram como vítimas no espaço social. Assim, urge delinear a superação da visão da pessoa negra a partir dos traços físicos e reconhecer as raízes do povo brasileiro para compreender a história da negritude. A partir da ancestralidade, serão identificadas as origens do povo negro, que poderão trazer o passado de resistência e luta por liberdade, dignidade, cidadania que produzem o orgulho de ser negra. Orgulho que recupera a autoestima e a capacidade de organização e mobilização para combater o racismo e as desigualdades raciais. Os cursos de formação docente precisam abordar essa temática para capacitar os/as futuros/as professores/as nessa tarefa. Essa abordagem envolve o ensinaraprender, em que professores/as e estudantes assumem compromisso com uma educação crítica e inclusiva. A reflexão entre os/as docentes formadores/as nessa perspectiva plural e intercultural poderia ajudar na superação do eurocentrismo ainda presente nos conteúdos e nas mentalidades. Sob essa ótica, tecer um processo de formação docente no Curso de Pedagogia, comprometido com uma educação inclusiva, considera um contínuo fazerdesfazer, na tessitura de um diálogo permanente entre a práticateoriaprática, num movimento de pesquisaintervenção. Isso implica a reflexão da trajetória pessoal e coletiva e a articulação da ação pedagógica com um projeto político de transformação da sociedade excludente em sociedade plural e solidária. Os não ditos necessitam de aprofundamento em trabalhos posteriores, pois os silenciamentos se referem ao passado próximo e as relações interraciais na família, na academia e também nos ambientes de trabalho. Será que não existe mais racismo? Ou este foi naturalizado dificultando sua identificação nos cotidianos? Os limites do processo de introjeção do racismo, que provocam a invisibilidade de algumas praticantes, são novos desafios para estudos futuros. Assim, percebo que colcha de retalhos tecida ao longo desta trajetória não é justaposição como usualmente é entendida. Para além disto, significa a socialização das experiências vividas nos cotidianos das praticantes, a fim de inspirar atitudes de combate ao racismo que se ampliem para o contexto social. / This work aims to comprehend how afro-Brazilian theme was addressed in everyday on the pedagogy course, campus I, of the state University of Paraíba. The guiding question of this research was to discover how female teachers and black students feel themselves and focus this theme in their knowledge networks, practices and relationships. For that, it was necessary to get into the black people history in Brazil from the struggle of the social black movements searching to understand the nations of race, racism, identity and the limits of education of the black along the Brazilian history. This route it dialogues with several scholars such as: Santos (2002), Viana (2007), Oliveira (2003, 2006, 2007, 2008), Fernandes (2007), Domingues (2009), Munanga (2002, 2006, 2009), Veiga (2007, 2008), Pereira (2008, 2009), Gomes (2003, 2006, 2008), Morin (2000), Hall (2003), Moreira e Candau (2008), among others. Exemplifying the struggle and the resistance of female black women are presented the life histories of four female black teachers and students, practitioners (CERTEAU, 2007), research subjects, who expose the process of tessitura of their identities. Their narratives show evidences of racism and discrimination that marked their trajectory of lives, since within family, strengthening themselves in schools, academies and, for some of them, getting to work. One of the teachers is the researcher that, while she narrates the life histories of the participants, she also weaves her own history, like women sewing a patchwork in which each print represents the moments experienced. The research methodology in / of / with the everyday routine (ALVES, 2008) was the path. Beyond this everyday observation, they were accomplished dialogues (LARROSA, 2003) on live histories (BOSI, 2003; PORTELLI, 1997) and weaved the narratives from these experiences. Theses ones showed that such women, along their histories, lived / live processes of affirmationnegation, as their identities are not fixed, however negotiation and renegotiations (MUNANGA, 2010) that creates joys and conflicts. The understanding of Being Female Black is experienced by each one, without a standard model for their existences. These experiences were being generated in the relations with the other, in each familiar, school, academic and professional context. They are ladies of their own lives and still the youngest ones search to build their histories with autonomy. They are practitioners because they fought / fight to conquer a place in life, using wiles and tactics to fabricate (CERTEAU, 2007) ways of coping with adversities. The tactics of silence, study and work reveal that these women did not get invisible nor put themselves as victims in the social space. Thus, it urges to trace the overcoming of the blacks vision from the physical traces and recognize the roots of Brazilian people to understand the history of the black people. From the ancestry, it will be identified the black people origins which could bring the past of resistance and struggle of freedom, dignity, citizenship that produces the pride of being black. Pride which recovers the self-esteem and capacity of organization and mobilization to combat racism and racial inequality. The teaching education courses need to approach this theme to train future teachers in this task. This approaching involves the teachinglearning, in which teachers and students assume the commitment with a critical and inclusive education. The reflection among teacher trainers in this plural and intercultural perspective could help in the separation of eurocentrism still present in the contents and mentalities. In this light, weaving a process in the teaching formation, in the Pedagogy Course, committed with the inclusive education, it is considered a continuous doundo, in the tessiture of a permanent dialogue between practicetheorypractice, in a movement of researchintervention. This implies the reflection of the personal and collective tragetory and the articulation of the pedagogic action with a project of transformation of the excluding society into plural lonely society. The unsaid need of deepening in subsequent works, because the silencing refers to the near past and the relations interracial in the family, in the academy and working place as well. Is that racism no longer exists? Or was it naturalized getting difficult its identification in everyday? The limits of the process of racism introjection which causes the invisibility of some practitioners are new challengers for future studies. Thus, I realize that patchwork weaved along this path is not juxtaposition as it is usually understood. For beyond this, it means the socialization of experiences in the practitioners every day to inspire combating attitudes against racism which expand to the social context.

Page generated in 0.0945 seconds