• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 50
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 55
  • 30
  • 15
  • 9
  • 9
  • 8
  • 7
  • 7
  • 7
  • 7
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 5
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
41

Pornotopia : história, desafios e reimaginações das pornografias feministas

Duarte, Larissa Costa 2014 (has links)
A pornografia centralizou boa parte dos debates públicos sobre políticas sexuais nos Estados Unidos da América entre as décadas de 1970 e 1980. Largamente mobilizado por parte do movimento feminista, as políticas anti-pornografia do período levaram ao surgimento de uma contra-proposta singular: a chamada pós-pornografia, ou, como é mais frequentemente conhecida, a pornografia feminista. Esta dissertação é sobre o surgimento deste movimento bem como sobre seu projeto: analisarei, deste modo, o contexto sociopolítico que possibilitou o aparecimento da pós-pornografia, as implicações e associações teórico-ideológicas da mesma, as transformações ocorridas em sua ideação desde seu aparecimento até os dias atuais, e, finalmente, as relações entre este movimento e as teorias sociais discutidas e perpetradas pelas Ciências Sociais. Pornography has centralized much of the public debate about sexual policies in the United States between the 1970s and 1980s. Widely deployed by the feminist movement, the anti-pornography policies of the time led to the emergence of a natural counter-proposal: the so called post-pornography, or, as is more often known, the feminist pornography. This dissertation is about the rise of this movement as well as on its project: I will analyze, therefore, the socio-political context that enabled the rise of the post-porn, the implications and, theoretical and ideological associations of it, the changes that occurred in its ideation since its appearance until the present day, and finally the relationship between this movement and the social theories discussed perpetrated by the Social Sciences.
42

Pornografia de vingan?a : vulnerabilidades femininas e poder punitivo

Rodr?guez, Liziane da Silva 14 March 2018 (has links)
Submitted by PPG Ci?ncias Criminais (ppgccrim@pucrs.br) on 2018-05-11T13:12:37Z No. of bitstreams: 1 LISIANE - PORNOGRAFIA DE VINGAN?A VULNERABILIDADES FEMININAS E PODER PUNITIVO.pdf: 1624507 bytes, checksum: 157ffb0c020f7974164ff0269118d0f4 (MD5) Approved for entry into archive by Caroline Xavier (caroline.xavier@pucrs.br) on 2018-05-16T14:15:42Z (GMT) No. of bitstreams: 1 LISIANE - PORNOGRAFIA DE VINGAN?A VULNERABILIDADES FEMININAS E PODER PUNITIVO.pdf: 1624507 bytes, checksum: 157ffb0c020f7974164ff0269118d0f4 (MD5) Made available in DSpace on 2018-05-16T14:19:04Z (GMT). No. of bitstreams: 1 LISIANE - PORNOGRAFIA DE VINGAN?A VULNERABILIDADES FEMININAS E PODER PUNITIVO.pdf: 1624507 bytes, checksum: 157ffb0c020f7974164ff0269118d0f4 (MD5) Previous issue date: 2018-03-14 This dissertation, which belongs to the research line ?Violence, Crime and Security? of the Post-Graduate Program in Criminal Sciences, addresses the phenomenon of pornography from a criminological bias having as an anchor point a critical feminist perspective on punitive power. In this sense, an overview of the history of feminism is presented including its first accomplishments and discursive transformations. Focusing on revenge pornography, it is the objective of the study to demonstrate that the woman still remains as a product of male control from the angle of revenge and sexuality. Based on this observation, starting from a political-criminological approach, the analysis uncovers the punitive power as a selective and stigmatizing field and question its alleged "protection" in the confrontations of female vulnerabilities, more specifically on the complex a phenomenon under discussion that involves female sexual freedom. A disserta??o, que comp?e a linha de ?Viol?ncia, Crime e Seguran?a? do Programa de P?s- Gradua??o em Ci?ncias Criminais, aborda o fen?meno da pornografia de vingan?a, a partir de um vi?s criminol?gico, tendo como ponto de ancoragem uma perspectiva feminista cr?tica ao poder punitivo. Nesse sentido, ? realizado um panorama da hist?ria do Feminismo, suas primeiras conquistas e transforma??es discursivas. Por meio do recorte da chamada pornografia de vingan?a, pretende-se demonstrar que a mulher ainda permanece como produto de controle masculino sob o ?ngulo das vingan?as e da sexualidade. A partir dessa constata??o, partindo-se de uma abordagem pol?tico-criminol?gica, volta-se ? an?lise do poder punitivo como campo seletivo e estigmatizante, pretendendo question?-lo em sua pretensa ?prote??o? aos enfrentamentos ?s vulnerabilidades femininas, em especial quanto ao complexo fen?meno em discuss?o que envolve a liberdade sexual feminina.
43

Subjetividade e pornô online: uma análise institucional do discurso Subjectivity and internet porn: an institutional analysis of discourse

Thiago Emanuel Luzzi 28 July 2017 (has links)
O presente trabalho tem como objeto/corpus analisado a pornografia online, e tem como objetivo responder às questões: \"como é o gênero discursivo do pornô online?\" e \"onde se pode reconhecer a produção de subjetividade no dispositivo pornô online?\". As perguntas foram formuladas a partir do repertório conceitual minimalista da Análise Institucional do Discurso (AID), criada por Marlene Guirado; a AID é o método, a estratégia de pensamento que orienta o trabalho e o instrui acerca dos conceitos de discurso, gênero discursivo, instituição e subjetividade. Para realizar a pesquisa, procedemos em três etapas: (1) análise de sites; (2) análise de vídeos; e (3) análise de comentários de usuários. Cada etapa corresponde a um tipo de recorte para o material. No primeiro caso, decidimos seguir a estrutura de XVideos.com, cotejando-a pontualmente com as de oito outros sítios; no segundo, escolhemos um vídeo heterossexual \"profissional\" chamado Sex Instruction, podendo confrontá-lo com materiais de categorias diferentes (gay, amador etc.); na terceira etapa, observamos os comentários escritos anonimamente para os vídeos antes analisados, e para alguns outros. Como resultados, quanto ao gênero discursivo, vimos que o site define seu usuário como alguém que sabe aquilo por que se interessa, e procura ativa e responsavelmente o \"sexo explícito\"; essa posição de autonomia não se sustenta no interior do vídeo, onde prevalece o interesse da câmera e a imagem de um corpo muito peculiar, ali composto. Já quanto à questão do sujeito, pudemos ver que o site desenha um usuário que é assediado pelas imagens pornográficas, interpelado até mesmo como corpo sexual que pode ser comparado com aqueles do pornô; o sujeito é produzido como alguém que pode participar do pornô e de um apagamento que ele opera nas \"pessoas\", que acabam dissolvendo-se na atmosfera de êxtase incessante, na figura corporal pornográfica e até na linguagem utilizada no site. Conclui-se daí que o pornô online, embora prometa uma subserviência eficiente aos desejos de seu usuário, é uma instituição que absorve os consumidores em seu funcionamento, estabelecendo lugares discursivos, moldando subjetividades e instituindo concepções propriamente pornôs de corpo, de sexo e de comunidade The present work has as analyzed subject/corpus the internet pornography, and aims to answer the following questions: \"how is the discursive genre of internet porn?\" And \"where can we recognize the production of subjectivity in the internet porn apparatus (dispositif)?\". The questions were formulated from the minimalist conceptual repertoire of the Institutional Analysis of Discourse (AID in Portuguese), created by Marlene Guirado. AID is the method, the strategy of thought that guides our work and instructs it in the concepts of discourse, discursive genre, institution and subjectivity. To carry out the research, we proceeded in three steps: (1) website analysis; (2) video analysis; and (3) users comments analysis. Each step corresponds to a type of cut for the material. In the first case, we decided to follow the structure of XVideos.com, and opportunely confronted it with that of eight other websites; in the second, we chose a \"professional\" heterosexual video called Sex Instruction, which could be compared to materials of different categories (gay, amateur, etc); and in the third step, we observed the comments written anonymously for the videos previously analyzed, as well as for some others. As a result, regarding the discursive genre, we perceived that the website defines its user as someone who knows what he is interested in, and actively and in a responsible way searches for \"explicit sex\"; this position of autonomy is not sustained within the video, for it is privileged the interest of the camera and the image of a very peculiar body which is composed there. As for the issue of the subjectivity, we could see that the website delineates a user who is constantly harassed by pornographic images, even called as a sexual body that can be compared to those of the porn. The subject is produced as someone who can take part in the porn and in a type of effacement that it operates on the \"individuals\", who end up being dissolved in the atmosphere of ceaseless ecstasy, in the pornographic body figure and even in the language used on the website. It follows that the internet porn, while promising efficient subservience to the desires of its users, is an institution that engages consumers in its functioning, by establishing discursive places, shaping subjectivities, and setting up properly pornographic conceptions of body, sex, and community
44

O discurso jurídico sobre pornografia de vingança no Brasil

Silva, Sirlanda Maria Selau da 8 August 2016 (has links)
Submitted by Silvana Teresinha Dornelles Studzinski (sstudzinski) on 2016-09-14T13:45:21Z No. of bitstreams: 1 Sirlanda Maria Selau da Silva_.pdf: 765731 bytes, checksum: 461af05b227ee0603b6e0f093bbf7f53 (MD5) Made available in DSpace on 2016-09-14T13:45:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Sirlanda Maria Selau da Silva_.pdf: 765731 bytes, checksum: 461af05b227ee0603b6e0f093bbf7f53 (MD5) Previous issue date: 2016-08-08 CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior A pornografia de vingança será analisada a partir dos discursos que se processam no judiciário brasileiro, em especial nas ações cíveis que buscam tutelar direitos e obrigações, ensejados aos indivíduos envolvidos no fenômeno. Nesta perspectiva, a vingança pornográfica é tomada como uma prática, pela qual imagens íntimas são disponibilizadas no ciberespaço, sem o consentimento do seu titular, como o intuito de impingir-lhe constrangimentos, humilhações e outras violações à esfera da sua personalidade. Conforme se depreende das ocorrências analisadas no curso da pesquisa, tal prática se origina como o término de relacionamento pessoal, de ordem afetiva e/ou sexual e, via de regra, incide em relação entre homens e mulheres. Nesta perspectiva, a pornografia de vingança, guarda similaridade com outros fenômenos que se inserem em uma lógica de violências relacionais de gênero, bem como um empreendimento de controle da sexualidade em diversos aspectos. Desta forma, o discurso jurídico a respeito da pornografia de vingança no Brasil será problematizado nestas duas perspectivas. A etnografia de documentos – processo judiciais – foi aqui adotada como uma perspectiva de análise, pela qual se viabilizou o acesso a este discurso particular: o discurso jurídico, o qual é atravessado por discursos diversos, circulares, on e off ao processo judicial. The revenge porn will be analyzed starting by speeches that have been process in Brazilian judiciary, in especial civil lawsuit that find tutelar rights and obligations, experienced to inviduals envolved on these events. By this perspective, the revenge porn is taken as a committed, whereby close images shared on cyberpace, without the holder consent, in order to foist him constraints, humiliations and other violation the sphere of his personality. As appears from the events analyzed in the course of research, this practice arises due the end of relationship. Of affective and/or sexual order, general rule, focus in men and women relations. These perspectives, the revenge porn, take similarity with other events falling into a relational logical violence gender. As well as an project control of sexuality in various aspects. So, legal speeches about revenge porn will problematised these two perspectives. The ethnography documents - court lawsuits - was adopted as a perspective of analyzes, whereby makes possibile the access to these particular speech: The legal speeches, which is crossed by several circular speeches, on and off to court lawsuit.
45

Desnudando a ditadura militar: as revistas erótico-pornográficas e a construção da(s) identidade(s) do homem moderno (1964-1985) Stripping brazilian military dictatorship: the erotic-pornographic magazines and the building of modern man identities (1964-1985)

Ribeiro, Anderson Francisco [UNESP] 14 July 2016 (has links)
Submitted by ANDERSON FRANCISCO RIBEIRO null (andersonkingao@gmail.com) on 2016-07-31T18:50:32Z No. of bitstreams: 1 Versão final - Tese Final - Acabada - Anderson - 2016 - Unesp.pdf: 9469726 bytes, checksum: c10fbc46a3476147edd83990df06d97b (MD5) Approved for entry into archive by Ana Paula Grisoto (grisotoana@reitoria.unesp.br) on 2016-08-02T14:29:04Z (GMT) No. of bitstreams: 1 ribeiro_af_dr_assis.pdf: 9469726 bytes, checksum: c10fbc46a3476147edd83990df06d97b (MD5) Made available in DSpace on 2016-08-02T14:29:04Z (GMT). No. of bitstreams: 1 ribeiro_af_dr_assis.pdf: 9469726 bytes, checksum: c10fbc46a3476147edd83990df06d97b (MD5) Previous issue date: 2016-07-14 Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) O campo da cultura brasileira, durante o período da ditadura militar brasileira (1964-1985), foi aos poucos invadido por determinados tipos de publicações pouco percebidas pela historiografia: as revistas eróticas e pornográficas. Estas ajudaram a configurar e constituir identidades, principalmente no que se refere à questão da sexualidade e da masculinidade, estabelecendo espaços de negociação na modernização dos costumes, em meio a uma reforma conservadora. Dessa maneira, a pornografia do período incorporou formas de normalizar o leitor das revistas através de posicionamentos, colaborações dos leitores e formas de resistência, através de anonimatos e publicações proibidas. Com isso, diluídas em uma área cinzenta de um processo mais complexo e contraditório, vários enunciados vindos da sociedade tentaram criar um discurso “verdadeiro” sobre o sexo, o qual acabou assimilado pelo mercado, e que pretendemos desnudar. A partir do pensamento histórico genealógico de Michel Foucault, procuraremos indicar que a pornografia enquanto “desordem do discurso” abriu espaço para visões diversas, que são contrárias ao discurso homogeneizante de poder e masculinidade. O público dessas revistas se mostrava amplo e contava com estudantes do colegial (Ensino Médio), senhores, senhoras, “homossexuais”, generais, moças, médicos e padres que leram e emitiram diversos discursos sobre estes dois grupos, aparentemente distintos, de periódicos: as revistas softcore com discurso normatizador, como: Ele Ela (1969), Status (1974), Homem (1975), esta que depois fora transformada na revista Playboy (1978) - e outra mais explícita, as revistas hardcore, transgressora de discursos e consumida principalmente pelas classes populares: os “catecismos” de Carlos Zéfiro (década de 50 a 70 no Rio de Janeiro), as publicações das editoras Edrel (São Paulo-SP) e Grafipar (Curitiba-PR), além de revistas hardcore e das fotonovelas eróticas. Os periódicos indicados nos ajudarão a compreender essa afirmação e construção das identidades do homem brasileiro moderno. The field of Brazilian culture during the period of the Brazilian military dictatorship (1964-1985), was gradually invaded by certain types of confusing publications: the erotic and pornographic magazines. These helped to shape and form the identities, especially in regard to the issue of sexuality and masculinity, establishing trading channels in the modernization of customs, in a conservative reform. Thus, the period of pornography incorporated ways to normalize the reader of magazines through placements, contributions from readers and forms of resistance through anonymity and banned publications. As a result, diluted in a gray area of a more complex and contradictory process, various statements coming from the company tried to create a “true” speech about sex, which eventually assimilated by the market, and we intend to denude. From the genealogical historical thought of Michel Foucault, we seek to indicate that the pornography while "disorder of speech" created room for different views that are contrary to the homogenizing discourse of masculinity. The audience of these magazines is proved large and had high school students, older mans and womans, "gay", generals, younger womens, doctors and priests who had read and issued discourses on these two groups of apparently distincts periodicals: the softcore magazines with speech normalizing, like: Ele Ela (1969), Status (1974), A revista do Homem (1975), this which was transformed in the magazine call Playboy (1978) - and a more explicit, the hardcore magazine, transgressive discourses and mostly consumed by the lower classes: the "cathecisms" of Carlos Zéfiro (from the 50s to 70s, in Rio de Janeiro), the publications of Edrel (São Paulo-SP) and Grafipar (Curitiba-PR) publishers. These indicated periodics help us to understand this identity statement of the modern man.
46

Pornografia e política

Maciel, Luis Gustavo Razzera 2016 (has links)
A pornogra a foi apresentada como problema político por uma ramificação anti-porn do feminismo no final dos anos 1970 nos EUA. Esse grupo rompeu com o feminismo liberal e com perspectivas liberais de igualdade sexual ao tratar radicalmente a excitação sexual masculina como uma forma de subordinação da mulher e discriminação sexual, dadas condições específicas sob as quais a excitação era concebida como danosa. Mas essas condições, do modo como foram definidas por esse grupo, eram muito amplas. Quando interpretadas, poderiam ir de situações de tortura e estupro reais até a leitura da Ilíada. Essa definição foi codificada em lei por Catherine MacKinnon nos anos 1980, mas rejeitada pela Suprema Corte como tentativa de censura de conteúdo, uma violação da liberdade de expressão. Da perspectiva anti-porn, a Suprema Corte decidiu que a liberdade de expressão era superior a igualdade sexual, e que a pornogra a poderia continuar a subordinar as mulheres aos homens. O problema político que encontramos aqui e o problema de como equilibrar liberdade e igualdade, de modo que as pessoas sejam tratadas com igualdade sem ter sua liberdade violada. Apresentamos uma crítica liberal, de Ronald Dworkin, a posição anti-porn. Ela é uma defesa singular da pornografia, pois não apela a liberdade de expressão, mas sim ao próprio direito a igualdade A pornografia é defendida como um importante modo de vida para muitas pessoas que têm diferentes perspectivas sobre o valor e o significado da prática pornográfica. Elas têm um direito a independência moral, que a definição anti-porn de pornografia viola, pois tenta atribuir tanto o valor como o sentido da prática sem consideração pelos valores e sentidos que pessoas de fato envolvidas na pornografia dão a ela. A liberdade de expressãoé concebida como necessária a esse processo de dar valor e sentido a uma atividade. Segundo essa concepção, liberdade não conflita com igualdade, porque, para que sejam tratadas com igualdade, as pessoas devem ser livres para expressar, atrav es de suas vidas, diferentes valores e sentidos, que por sua vez devem ser respeitados em decisões políticas que as afetam. A posição liberal deixa aberta a possibilidade de reformar a pornografia, de as pessoas reinventarem a pornografia do modo como for adequado as suas vidas em sua presente situação, enquanto a anti-porn não deixa, pois concebe a pornografia de um modo unico e fixo. A principal critica liberal da posição anti-porn, portanto, nãoé sobre seu conteúdo, sobre o que feministas anti-porn dizem que a pornografia seja ou faça, mas ao modo como elas tratam as pessoas, que é sem respeito pelo sentido de suas atividades e pelo valor que estão tentando dar as suas vidas através da pornografia. Pornography was introduced as a political problem by the anti-porn branch of feminism in the late 1970's in the USA. This group broke with liberal feminism and liberal perspectives on sexual equality when they radically treated male sexual excitement as a form of women subordination and sex discrimination, given speci c conditions under which the excitement was conceived as harmful. But those conditions, the way they were de ned by this group, were very broad. When interpreted, they could go from actual situations of torture and rape to the reading of the Iliad. This de nition was codi ed into law by Catherine MacKinnon in the 1980's but rejected by the Supreme Court as an attempt of content censorship, a violation of freedom of expression. From the anti-porn perspective, the Supreme Court decided that freedom of speech was superior to sex equality, and that pornography could continue to subordinate women to men. The political problem that we nd here is the problem of how to balance liberty and equality, so that people can be treated with equality while not having their freedom violated. We present a liberal critique, by Ronald Dworkin, of the anti-porn position. It's a singular defense of pornography, as it does not call for freedom of expression but for the right to equality itself. Pornography is defended as an important way of life for many people that have di erent perspectives on the value and meaning of the pornographic practice They have a right to moral independence, which the anti-porn de nition of pornography violates as it tries to give both the value and the meaning of the practice without concern for the value and meaning people actually involved in pornography give to it. Freedom of expression is conceived as necessary for this process of giving value and meaning to an activity. In that sense, liberty does not con ict with equality, because for people to be treated with equality they should be free to express, through their lives, di erent values and meanings, which in turn should be respected in political decisions a ecting them. The liberal position leaves open the possibility to reform pornography, for people to reinvent pornography as they see t for their lives in their present situation, which the anti-porn does not, since it conceives pornography in a single and xed way. The main liberal critique of the anti-porn position, thus, is not about it's content, about what anti-porn feminists say pornography is or what pornography does, but the way they treat people, which is without respect for the meaning of their actvity and the value they are trying to give to their lives through pornography.
47

Boca do lixo: erotismo, pornografia e poder no cinema paulista durante a ditadura militar (1964-1985) Boca do Lixo: eroticism, pornography and power in São Paulo cinema during the military dictatorship (1964-1985)

Caio Túlio Padula Lamas 30 September 2013 (has links)
O cinema brasileiro, historicamente caracterizado por sua marginalização no circuito de exibição e distribuição em detrimento do cinema estrangeiro, viveu um período de público significativo e títulos provocantes durante a década de 1970, com a Boca do Lixo, polo de produção cinematográfico localizado nas ruas do Triunfo, Gusmões, Vitória e dos Andradas, centro de São Paulo. Inserida em um contexto de efervescência política e comportamental, seus longas-metragens abordavam os corpos de belas mulheres, em tramas marcadas por elementos eróticos e pornográficos. Ao mesmo tempo, a Censura, órgão federal subordinado ao Ministério da Justiça, tinha como um de seus critérios para os cortes que impunha sobre as produções simbólicas a presença de cenas consideradas imorais e ofensivas ao decoro público. Partindo de questões como as diferenças entre o erotismo e a pornografia e as formas através das quais o poder lidou com a sexualidade ao longo da história do Ocidente, esta pesquisa foca-se na análise de cinco filmes da Boca do Lixo e seus respectivos processos censórios: Amadas e Violentadas (1976), A Ilha dos Prazeres Proibidos (1978), Histórias que Nossas Babás não Contavam (1979), A Noite das Taras (1980) e Mulher Objeto (1981). Neles foi encontrada uma gradação do erótico ao pornográfico, na medida em que se buscava aprimorar a qualidade dos prazeres, passando assim a outro regime de visibilidade. A Censura, por sua vez, atuou a partir de um modelo normativo de sexualidade, separando as abordagens consideradas normais das desviantes. Ao final, conclui-se que os filmes supracitados foram tolerados pela Censura graças à autocensura dos produtores e diretores: atuava-se na linha divisória aceita pelo órgão estatal ou desafiava-se essa linha, uma vez que houvesse recursos de apelação disponíveis e acessíveis. Brazilian cinema, historically characterized by its marginalization in movie theaters and distribution circuit at the expense of foreign cinema, experienced a period of significant public and provocative titles during the 1970s with the Boca do Lixo, a filmmaking center located at the streets of Triunfo, Gusmões, Vitória and Andradas, in São Paulo downtown. Inserted in a context of political and behavioral turmoil, its feature films represented the bodies of beautiful women in plots marked by erotic and pornographic elements. At the same time, Censorship, a federal agency under the Ministry of Justice, had as one of its criteria for the cuts imposed on the symbolic productions the presence of scenes deemed immoral and offensive to public decorum. Considering issues such as the differences between eroticism and pornography, and the ways in which power has dealt with sexuality throughout the history of the West, this research focuses on the analysis of five films from Boca do Lixo and their processes in Censorship: Amadas e Violentadas (Beloved and Raped, 1976), A Ilha dos Prazeres Proibidos (The Island of Forbidden Pleasures, 1978), Histórias que Nossas Babás não Contavam (Tales that our nannies didn\'t use to tell, 1979), A Noite das Taras (The Night of Pleasures, 1980) and Mulher Objeto (Object Woman, 1981). It was found a gradation from erotic to pornographic, as they sought to improve the quality of pleasures, passing through another regime of visibility. Censorship, in turn, acted in a normative model of sexuality, separating the approaches considered deviant from normal. At the end, it is concluded that the five films were tolerated by the Censorship due to the self-censorship of producers and directors, working on the dividing line accepted by the state agency, or defying that line up once appeals were available and accessible.
48

Pornografia e política

Maciel, Luis Gustavo Razzera 2016 (has links)
A pornogra a foi apresentada como problema político por uma ramificação anti-porn do feminismo no final dos anos 1970 nos EUA. Esse grupo rompeu com o feminismo liberal e com perspectivas liberais de igualdade sexual ao tratar radicalmente a excitação sexual masculina como uma forma de subordinação da mulher e discriminação sexual, dadas condições específicas sob as quais a excitação era concebida como danosa. Mas essas condições, do modo como foram definidas por esse grupo, eram muito amplas. Quando interpretadas, poderiam ir de situações de tortura e estupro reais até a leitura da Ilíada. Essa definição foi codificada em lei por Catherine MacKinnon nos anos 1980, mas rejeitada pela Suprema Corte como tentativa de censura de conteúdo, uma violação da liberdade de expressão. Da perspectiva anti-porn, a Suprema Corte decidiu que a liberdade de expressão era superior a igualdade sexual, e que a pornogra a poderia continuar a subordinar as mulheres aos homens. O problema político que encontramos aqui e o problema de como equilibrar liberdade e igualdade, de modo que as pessoas sejam tratadas com igualdade sem ter sua liberdade violada. Apresentamos uma crítica liberal, de Ronald Dworkin, a posição anti-porn. Ela é uma defesa singular da pornografia, pois não apela a liberdade de expressão, mas sim ao próprio direito a igualdade A pornografia é defendida como um importante modo de vida para muitas pessoas que têm diferentes perspectivas sobre o valor e o significado da prática pornográfica. Elas têm um direito a independência moral, que a definição anti-porn de pornografia viola, pois tenta atribuir tanto o valor como o sentido da prática sem consideração pelos valores e sentidos que pessoas de fato envolvidas na pornografia dão a ela. A liberdade de expressãoé concebida como necessária a esse processo de dar valor e sentido a uma atividade. Segundo essa concepção, liberdade não conflita com igualdade, porque, para que sejam tratadas com igualdade, as pessoas devem ser livres para expressar, atrav es de suas vidas, diferentes valores e sentidos, que por sua vez devem ser respeitados em decisões políticas que as afetam. A posição liberal deixa aberta a possibilidade de reformar a pornografia, de as pessoas reinventarem a pornografia do modo como for adequado as suas vidas em sua presente situação, enquanto a anti-porn não deixa, pois concebe a pornografia de um modo unico e fixo. A principal critica liberal da posição anti-porn, portanto, nãoé sobre seu conteúdo, sobre o que feministas anti-porn dizem que a pornografia seja ou faça, mas ao modo como elas tratam as pessoas, que é sem respeito pelo sentido de suas atividades e pelo valor que estão tentando dar as suas vidas através da pornografia. Pornography was introduced as a political problem by the anti-porn branch of feminism in the late 1970's in the USA. This group broke with liberal feminism and liberal perspectives on sexual equality when they radically treated male sexual excitement as a form of women subordination and sex discrimination, given speci c conditions under which the excitement was conceived as harmful. But those conditions, the way they were de ned by this group, were very broad. When interpreted, they could go from actual situations of torture and rape to the reading of the Iliad. This de nition was codi ed into law by Catherine MacKinnon in the 1980's but rejected by the Supreme Court as an attempt of content censorship, a violation of freedom of expression. From the anti-porn perspective, the Supreme Court decided that freedom of speech was superior to sex equality, and that pornography could continue to subordinate women to men. The political problem that we nd here is the problem of how to balance liberty and equality, so that people can be treated with equality while not having their freedom violated. We present a liberal critique, by Ronald Dworkin, of the anti-porn position. It's a singular defense of pornography, as it does not call for freedom of expression but for the right to equality itself. Pornography is defended as an important way of life for many people that have di erent perspectives on the value and meaning of the pornographic practice They have a right to moral independence, which the anti-porn de nition of pornography violates as it tries to give both the value and the meaning of the practice without concern for the value and meaning people actually involved in pornography give to it. Freedom of expression is conceived as necessary for this process of giving value and meaning to an activity. In that sense, liberty does not con ict with equality, because for people to be treated with equality they should be free to express, through their lives, di erent values and meanings, which in turn should be respected in political decisions a ecting them. The liberal position leaves open the possibility to reform pornography, for people to reinvent pornography as they see t for their lives in their present situation, which the anti-porn does not, since it conceives pornography in a single and xed way. The main liberal critique of the anti-porn position, thus, is not about it's content, about what anti-porn feminists say pornography is or what pornography does, but the way they treat people, which is without respect for the meaning of their actvity and the value they are trying to give to their lives through pornography.
49

Dilatando o corpo da arte: provocações de Um Crime Delicado na literatura e no cinema The provocations of A Delicate Crime in literature and film

Cristina Ferrari de Sá 26 March 2015 (has links)
A dissertação estuda o romance Um Crime Delicado, de Sérgio SantAnna (1996), ao filme quase homônimo, de Beto Brant (2005), tendo como principal questão a imagem do corpo no contexto sócio-cultural urbano e a sua representação na arte contemporânea. O romance de SantAnna acolhe, na urdidura ficcional, subtemas da maior relevância, tais como o lugar da deficiência física no horizonte de uma cultura hedonista, violência sexual (contra a mulher) e os poderes da crítica de arte (da autojustificação ao desvirtuamento de seus fins). A adaptação fílmica, por sua vez, introduz mudanças na obra de partida que complementam e enriquecem o romance e suas questões. No exercício comparativo, a tradicional discussão sobre as relações interartísticas (calcadas em Lessing), o culto à beleza e respectiva hostilização da feiura, os limites da exacerbação sensorial a partir do uso artístico da nudez provocaram a incorporação de outras obras de arte e de artistas à discussão de conceitos imprescindíveis: o abjeto, o contraditório, a intermidialidade. No primeiro capítulo, circunscrevemos historicamente nosso tema, focalizando a representação do corpo como lugar de multiplicação e relativização de significações; a seguir, apresentamos o painel de contradições que a sociedade excitada do século XX (Christoph Türcke, 2010) projeta sobre a questão corporal; e, para finalizar, propusemos a dilatação teórica do adágio horaciano ut pictura poesis /a poesia é como a pintura ao cinema poético (com suporte teórico de Claus Clüver, 2011, e Wolfgang Moser, 2006). Concluímos sugerindo que as intermidializações propõem novas interpretações aos textos literários, mas podem ser bem mais contundentes como formas de potenciação estética e de crítica social. The dissertation studies the novel A Delicate Crime, Sérgio Sant'Anna (1996), the film almost homonym, Beto Brant (2005), the main issue of body image in the urban socio-cultural context and its representation in contemporary art. The romance of Sant'Anna welcomes, in the fictional warp, sub-themes of paramount importance, such as the place of disability on the horizon of a hedonistic culture, sexual violence (against women) and the powers of art criticism (self-justification of the distortion its purposes). The film adaptation, in turn, introduces changes in starting work that complement and enrich the novel and its issues. In the comparative exercise, the traditional discussion of the art transposition (modeled on Lessing), which implicate midia, technique and content changes, the cult of beauty and ugliness of their harassment, the limits of sensory exacerbation from the artistic use of nudity caused the incorporation of other works of art and artists the discussion of essential concepts: the abject, the contradictory, the intermediality. In the first chapter, historically circumscribe our theme, focusing on the representation of the body as a place of multiplication and relativity of meanings; the following are the contradictions panel that "excited society" of the twentieth century (Christoph Türcke, 2010) projected on the body concerned; and, finally, we proposed the theoretical expansion Horation adage - ut pictura poesis / "Poetry is like painting" - the poetic cinema (with theoretical support Claus Clüver 2011, and Wolfgang Moser, 2006). We conclude by suggesting that the questions about midia transposition propose new interpretations to literary texts, but can be much more forceful as forms of cosmetic enhancement and social criticism.
50

Um genero alegre : imprensa e pornografia no Rio de Janeiro (1898-1916)

Pereira, Cristiana Schettini 1997 (has links)
Orientador: Maria Clementina Pereira Cunha Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas O exemplar do AEL pertence a Coleção CPDS. Made available in DSpace on 2018-07-22T07:07:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Pereira_CristianaSchettini_M.pdf: 6610731 bytes, checksum: a18d8d3b164da1d48169528ed5e1ebab (MD5) Previous issue date: 1997 Resumo: Não informado Abstract: Not informed Mestrado Mestre em História

Page generated in 0.1235 seconds