• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1417
  • 16
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 1472
  • 1472
  • 877
  • 261
  • 230
  • 210
  • 205
  • 204
  • 193
  • 167
  • 162
  • 158
  • 157
  • 148
  • 146
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
21

Terapia ocupacional como instrumento nas ações de saude mental

Benetton, Maria Jose 1994 (has links)
Orientadores: Itiro Shirakawa, Roosevelt Moises Smake Cassorla Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas Made available in DSpace on 2018-07-19T18:19:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Benetton_MariaJose_D.pdf: 10625380 bytes, checksum: 4c3152e9e3e75848fcc63a638c0e7a6a (MD5) Previous issue date: 1994 Resumo: A Terapia Ocupacional tem no empirismo, muitas vezes, um elemento dificultador de sua transmissão. Ela toma o que de experimentado e pronto existe no empirismo da clínica buscando a generalização de maneira a poder demonstrar tais experimentos como pressupostos para a criação e o estabelecimento de técnicas. Como se trata da aplicabilidade das intervenções da Terapia Ocupacional na área de Saúde Mental, os procedimentos clínicos analisados foram escolhidos dentro desse universo. Com tal objetivo, a autora define em primeiro lugar a profissão Terapia Ocupacional. Terapia Ocupacional é a arte de aplicar conhecimentos científicos empíricos e certas habilidades específicas decorrentes do uso de atividades, a criação de estruturas, dispositivos e processos que se utilizam para converter recursos físicos, psicológicos e sociais em formas adequadas à preservação, manutenção e tratamento em áreas como Saúde, Educação, Social e outras correlatas. Assim definida, a profissão Terapia Ocupacional adquire o caráter de método constituído por procedimentos técnicos também denominados de terapia ocupacional. A autora define no geral a população-alvo da Terapia Ocupacional como indivíduos que por fatores de ordem física e/ou psicológica e/ou social apresentam, definitivamente ou temporariamente, problemas de inserção social. Indivíduos que, por esses motivos, podem ser denominados de problema social. A característica absolutamente contextual através da qual devem ser analisados tais problemas não permite mais do que a existência, para esses indivíduos, de um diagnóstico situacional em Terapia Ocupacional. Um diagnóstico, então, que não permite classificações ou generalizações mais do que as já previstas pelas áreas correlatas à da Terapia ocupacional e que são por ela recebidas e aceitas como componentes a mais para um diagnóstico situacional. A Saúde Mental, como área de conhecimento, está implícita em todo caminho a ser trilhado pela Terapia Ocupacional. Além disso,se toda memória social trazia a Terapia Ocupacional como ligada à doença mental, esta tese propõe uma revisão de tal forma a fazê-la parte do conhecimento multidisciplinar na área de Saúde Mental. O estudo das intervenções neste área, então, inicia-se com a definição de seu instrumento: atividades. Para a autora, são as atividades, tomadas como instrumento técnico nos procedimentos de terapia ocupacional, que especificam a Terapia Ocupacional. Ela, porém, toma o cuidado do explicitar que tal uso não é exclusivo da terapeuta ocupacional. Para a terapia ocupacional, atividades (no plural) são definidas como o terceiro elemento de uma relação que ocorre a partir do pressuposto de que existe uma terapeuta ocupacional e um segundo indivíduo que apresenta qualquer tipo de motivo, necessidade ou vontade de lá se encontrar para fazer terapia ocupacional. Vistas dessa maneira as atividades são instrumentos indispensáveis na clínica de terapia ocupacional e, como tal, alvo de conhecimento imprescindível para as terapeutas ocupacionais, que a autora sugere seja adquirido na disciplina que denomina de Laboratório de Análise de Atividades terapeutas ocupacionais, que a autora sugere seja adquirido na disciplina que denomina de Laboratório de Análise de Atividades. No que diz respeito à definição e análise do instrumento atividades, a autora localiza alguns temas importantes: a relação entre processo e produto na realização de atividades; o não pré-estabelecimento de significações e de objetivos na escolha e determinação para o uso terapêutico das atividades; a importância dos materiais utilizados na realização de atividades; e ainda Arte e Criatividade, temas constantemente relacionados ao uso e análise de atividades em Terapia Ocupacional. O segundo termo a ser tratado é a terapeuta ocupacional. Se pensamos na memória social como resultado da tradição cultural, a Terapia Ocupacional é uma profissão marcada, até hoje, pelo feminino. A partir dessa constatação procura-se estabelecer discussões sobre a eficácia da combinação de aspectos terapêuticos e psicoeducacionais na formação, na qualificação, na responsabilidade e no sucesso das terapeutas ocupacionais. São revistas, à luz de novos aportes teóricos, questões vocacionais da personalidade terapêutica, antigamente definida como materna, e da profissão feminina, ambos em função do estabelecimento de um saber. Definidas estas questões prioritárias, abre-se o espaço para apresentações técnicas. Tendo em mente a impossibilidade da pura e simples aplicação de técnicas na clínica, a autora opta por denominar de procedimentos terapêuticos sua forma de atuação clínica. É certo que, na clínica, procedimentos terapêuticos são inesgotáveis. Então, a autora utiliza-se de uma adaptação da técnica de trilhas associativas, por ela inventada para a clínica, para a apresentação desses procedimentos dentro de uma certa lógica associativa. Com isso os temas trabalhados foram: 1- Delimitação do campo de intervenção da Terapia Ocupacional em Saúde Mental como busca de soluções que, de início, são de ordem prática tanto através das elaborações teóricas que as determinaram, como das que surgiram da própria prática, na expectativa de que tenham sido'suficientemente generalizadas e, portanto, capazes de ser transmitidas. 2 - Definição de terapia ocupacional dinâmica que busca estabelecer a relação triádica paciente-terapeuta-atividade calcada em duas estruturas dinâmicas: a da realização de atividades, e a intrapsíquica, definida pela Psicanálise. 3. Como conseqüência dessa postura o espaço terapêutico da terapia ocupacional é estabelecido como estando entre a realidade externa e a realidade interna do indivíduo. 4. Para que tenha um sentido tanto terapêutico como psicoeducacional, a intervenção nesse espaço entre realidades deve ser constituída num campo onde se reconheça a existência da transferência. 5. Após definidos os manejos de situações dentro desses temas apresentados, a autora relata historicamente a composição da técnica das trilhas associativas, que tinha como primeira função criar espaços para a existência de associações entre fatos e fenômenos tanto da realidade interna quanto da realidade externa do indivíduo. Esse primeiro movimento abriu portas para o estabelecimento de novos procedimentos voltados para a clínica da terapia ocupacional, que pretende ser social em dois sentidos: na multidisciplinaridade voltada para o conhecimento, e no direcionamento da manutenção e expansão da sociabilidade para doentes mentais. 6. A colocação anterior nos remete a três outros procedimentos clínicos importantes: o do ensino de atividades; o do significado das atividades, que acaba por remeter ao significado da própria terapia ocupacional; e o atendimento em grupos. Chega-se, por fim, aos resultados, que a autora preferiu demonstrar através da apresentação de casos clínicos tanto do seu consultório particular como dos ambulatórios específicos do Departamento de Psiquiatria e Psicologia Médica da Escola Paulista de Medicina, onde atua como assistente clínica, professora e supervisora. Como conclusão, não se pode esperar de uma tese baseada em constatações um fechamento com confirmações ou exclusões. As apreciações finais giram em torno, fundamentalmente, de proposições para estudos e, pesquisas em Terapia Ocupacional mas, principalmente, para a clínica da Terapia Ocupacional Abstract: Empiricism in Occupational Therapy frequently inhibits its diffusion. 8ased upon what has already been clinically experimented, Occupational Therapy generalizes in arder to be able to demonstrate that such experiments are presuppositions enabling the creation and establishment of techniques. Since we are dealing with the use of Occupational Therapy interventions in mental Health, the clinical procedures that were analysed were chosen within this context. Having such objectives in mind, the author firstly defines the profession Occupational Therapy. Occupational Therapy is the art of applying empiric scientific knowledge and some specific skills resulting from the use of activities. It creates structures, mechanisms and processes used to convert physical, pshychological and social resources into forms that permit preserving, maintaining and treating in areas such as Health, Education, Social and others of the sort. From this point of view, the profession (Occupational Therapy) becomes a method constituted by technical procedures that are also known as occupational therapy. The author generally defjnes the Occupational Therapy target population as being farmed by individual s who definitively have social problems because of physical and/or psychological and/or social factors. Individuals who, for these reasons, are seen as a social problem. The strictly contextual factor through which such problems must be examined gives to these individuals a situational diagnosis in Occupational Therapy. A diagnosis that doesn't accept more classifications or generalizations than those that have already been established by correlated areas, considered by Occupational Therapy as additional components for a situational diagnosis. Mental Health seen as a knowledge area is implicitly present in every path Occupational Therapy is supposed to cover. Moreover, if social memory used to connect Occupational Therapy with Mental illness in the past, this thesis intends to reexamine this issue in order to consider it as a par tof a multidisciplinary knowledge in Mental Health. Thus, the study of interventions in this area begins with its tool: activities. To the author, the activities are seen as a technical tool in occupational therapy procedures which determine what Occupational Therapy is. However, the author emphasizes that the occupational therapist is not the only one to make use of this resource. As far as Occupational Therapy is concerned, activities are the third element of a relation that is based on the assumption that there is a first element called occupational therapist and a second one which is the individual himself who for some reason needs or wants to be under occupational therapy treatment. From this point of view, activities are fundamental tools in the Occupational Therapy clinic. Therefore, it is of utmost importance that occupational therapists have such knowledge. The author suggest this knowledge should be learned in what she calls "Activity Analysis Laboratory". In terms of definition and analysis of activities, the author points out some important issues: the relationship between process and product while activities are undertaken; no predetermination of significance or objectives in choosing and determining activities for therapeutical use; the importance of materials used in activities; Art and Creativity, topics frequently related to the use and analysis of activities in Occupational Therapy. The occupational therapist is the second aspect to be studied. If we think in terms of social memory as a result of cultural tradition, Occupational Therapy is a profession that concerns women basically. Taking this fact into account, there are discussions on the effectiveness of combining therapeutic and psychoeducational aspects in the occupational therapist~.;' education, qualification, responsibility and success. Submitted to new theoretical contributions, vocational issues concerning the therapeutical personality are reexamined. In the past, it was seen as having a motherly aspect and being a feminine profession. After these fundamental concepts are cleared the author introduces technical presentations. Having in mind it is impossible to simply use techniques in the clinic, the author defines her performace in the clinic as a technical procedures. It is evident that there are uncountable therapeutical procedures in the clinic. Consequently, the author uses an adpatation of the associative paths technique. This technique was created by the author for clinical utilization purposes in order to present these procedures within a certain associative logic. Here are the issues related to this technique: 1- To fix limits to Occupational Therapy interventions in Mental Health, that is, try to find answers that firstly are of a practical nature either through theoretical ideas which determined them or through those emerging from practice itself. These answers are expected to be generalized enough to enable their diffusion. 2- To define dynamic occupational therapy as establishing the triadic relation ( patient-therapist-activity ) based on two dynamic structures: that of undertaking activities and the intrapsychic as it is defined by Psychoanalysis. 3- Consequently, the Occupational Therapy Therapeutical area is established between the individual's external reality. 4- In order to have either a therapeutical or a psychoeducational character, the intervention in the area between two realities must take place where transference admittedly exists. 5- After having determined how to manage the situations within these topics, the author reports historically the constitution of the associative paths technique whose primary function was to create areas enabling associations with facts and phenomena from the individual's interior and exterior reality. This first movement introduced possibilities in terms of establishing new procedures concerning the Occupational Therapy clinic that intends to be social in two different ways: providing multidisciplinarity oriented to knowledge and maintaining and expanding sociability for the mentally ill. 6- This previous topic poses three other important clinical procedures: teaching activities, the meaning of activities which ends up by requiring the meaning of Occupational Therapy itself; and working with groups. Finally, as far as the results are concerned , the author preferred to demonstrate them through clinical cases presentation both in her private office and in Escola Paulista de Medicina Psychiatry and Psychology Department, where she works as a clinic assistant, teacher and supervisor. To conclude, it is impossible to have a thesis based on evidences ending with confirmations or exclusions. Final considerations fundamentally indicate proposals for studies and researches in Occupational Therapy specially oriented to the clinic Doutorado Doutor em Saude Mental
22

Higiene mental e eugenia : o projetode "regeneração nacional" da Liga Brasileira de Higiene Mental (1920-30)

Reis, Jose Roberto Franco 1994 (has links)
Orientador: Maria Clementina Pereira Cunha Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas Made available in DSpace on 2018-07-19T23:32:36Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Reis_JoseRobertoFranco_M.pdf: 7804555 bytes, checksum: 59acc974df610b5b4f9e1da020efb057 (MD5) Previous issue date: 1994 Resumo: Este trabalho tem por objetivo discorrer sobre as propostas da psiquiatria higiênica brasileira das décadas de 20 e 30, notadamente de sua instituição mais expressiva no período que foi a Liga Brasileira de Higiene Mental (LBHM), criada em 1923. Tomando por eixo de análise os desdobramentos teóricos e práticos dessa psiquiatria, que consagrava o princípio da prevenção e elegia a eugenia e higiene mental como referentes conceituais básicos, buscou-se esclarecer aspectos importantes do seu novo e ambicioso projeto de intervenção social que, de forma geral, se vinculava ao tema tão caro à época da "regeneração" e/ou "construção" nacional. Como para alcançar tal intuito de regenerar a nacionalidade exigia que se enfrentasse a questão da composição racial do brasileiro, os psiquiatras e médicos agrupados em torno da Liga Brasileira de Higiene Mental se valeram extensamente de proposições eugênicas, vistas, pois, como melhor meio de racionalizar esse processo. Abstract: This work has the objective of discoursing the proposals of the Brazilian hygiene psychiatry during the decades of the 20's and 30's, specially its most important institution, the Brazilian League of Mental Hygiene (LBHM), founded in 1923. Using as axis of analyses the theorical and practical expansion of this psychiatry that rendered the principal of prevention and had elected the eugenic and mental hygiene as basic concepts of reference, this work has the intention of enlightening important Aspects of its new and ambitious project of social interference which, in a general sense, was linked to the 50 highly esteemed theme of that time: the national "regeneration" and/or "construction". To achieve such aim of regenerating the nationality, required that one should face the problem of racial mixture of the Brazilian population, 50 psychiatrists and doctors gathered in the Brazilian League of Mental Hygiene, were supported greatly on the eugenic proposal, due to the fact that it became the best form of rationalizing this process. Mestrado Mestre em História
23

Médicos dependentes químicos : características da clientela atendida por psiquiatras na cidade de Recife

ALBUQUERQUE, José Francisco de 2004 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:01:38Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo8641_1.pdf: 408836 bytes, checksum: aba42741410831e1183cf22e0d2d4d1b (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2004 O estudo teve por objetivo identificar as características da clientela formada por médicos dependentes químicos, atendidos por psiquiatras na cidade de Recife. A dependência de substâncias psicoativas entre médicos é ainda pouco estudada , com escassos registros na literatura, especialmente no que se refere às repercussões na vida pessoal e no exercício profissional dos mesmos. Trata-se de um estudo descritivo do tipo série de casos, onde foram estudados aspectos relativos à pessoa do médico, a sua formação, ao exercício profissional e ao uso de substâncias psicoativas, expressando as respectivas freqüências. A amostra foi constituída por 64 casos após o preenchimento de questionário (elaborado pelo pesquisador), a partir de dados de prontuários médicos. Os achados identificam uma população predominantemente do sexo masculino (75%), com idade média de 46 anos, casados, com renda mensal entre 9 e 20 salários mínimos e com múltiplos vínculos de trabalho, havendo o predomínio do vínculo público. Atuam nas especialidades de Clínica Médica (37,5%), Cirurgia (23,4%), Anestesiologia (21,9%), Ginecologia/Obstetrícia (10,9%) e Psiquiatria (6,3%). As substâncias mais utilizadas são o álcool, os derivados opióides, os sedativos/hipnóticos, cocaína/crack e canabis entre outras. Cerca de 56% usam o álcool há mais de 20 anos, predominando uma freqüência de uso diário. Para as outras substâncias, a freqüência do uso é semelhante porém, o tempo de uso se encontra em até 10 anos. Aproximadamente 85% apresentam problemas no casamento e no exercício profissional, 37,5% sofreram acidentes de trânsito e apenas 7,8% foram notificados junto ao CREMEPE (Conselho Regional de Medicina de Pernambuco). Dentre as dificuldades no exercício profissional constam: trabalhar alcoolizado ou sob efeito de outras substâncias, as faltas ao trabalho e o desvio de medicamentos. A maioria (75%) foi encaminhado para tratamento por iniciativa dos familiares. Considerando a existência de comorbidade associada à dependência de substâncias psicoativas, ressalta-se o diagnóstico do Transtorno do Humor (78,1%), Transtornos Neuróticos/Estresse/Somatoformes (29,7%), Transtorno de Personalidade (14,1%) e Esquizofrenia (1,6%). Os resultados desse estudo, pioneiro no Nordeste, poderão ser importantes para reflexões sobre o tema e servir de subsídios para a implantação de programas de atenção à saúde do médico no Estado de Pernambuco
24

A Violência na Escola e os Transtornos Mentais Comuns (tmc) em Professores de Escolas Municipais de Jaboatão dos Guararapes – Pernambuco.

Lima, Alyne Fernanda Tôrres de 17 March 2014 (has links)
Submitted by Etelvina Domingos (etelvina.domingos@ufpe.br) on 2015-04-10T17:13:59Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO Alyne Fernanda Tôrres de Lima.pdf: 1472269 bytes, checksum: 52a34cbc523b074f72476404736061f8 (MD5) Made available in DSpace on 2015-04-10T17:13:59Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO Alyne Fernanda Tôrres de Lima.pdf: 1472269 bytes, checksum: 52a34cbc523b074f72476404736061f8 (MD5) Previous issue date: 2014-03-17 Reuni CAPES INTRODUÇÃO: A violência é um fenômeno multifatorial que atinge diversos setores da sociedade. Nas escolas a violência, além de outros problemas, tem repercutido de maneira negativa atingindo os professores e muitas vezes causando problemas a sua saúde física e emocional. OBJETIVO: conhecer a associação entre a violência na escola e Transtornos Mentais Comuns (TMC) em professores da rede municipal de ensino de Jaboatão do Guararapes – Pernambuco. METODOLOGIA: Um estudo do tipo transversal exploratório, foi realizando com 525 professores da rede pública municipal de ensino. Os professores responderam a um questionário que tratava sobre a violência nas escolas e sobre a sua saúde. Para conhecer a prevalência dos Transtornos Mentais Comuns foi utilizado o Self Reporting Questionnaire (SRQ-20) um instrumento indicado pela Organização Mundial de Saúde para pesquisa de Transtornos Mentais Comuns. RESULTADOS: Os resultados mostraram que a agressão física e a agressão verbal contra o professor, a agressão ou ameaça com arma de fogo ou arma branca, o tráfico e o consumo de drogas na estão associados aos TMC. CONCLUSÃO: A violência afeta a saúde emocional do professor aumentando a chance de transtornos mentais comuns entre os pesquisados e que se faz necessário investir na capacitação do professor para o enfrentamento desse problema e em ações de prevenção da violência.
25

Vivencias clinicas de um grupo de mães, cujos filhos estão em ludoterapia

Arruda, Sergio Luiz Saboya, 1955- 1991 (has links)
Orientadores : Roosevelt Moises Smeke Cassorla, Miguel de la Puente Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas Made available in DSpace on 2018-07-14T01:42:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Arruda_SergioLuizSaboya_D.pdf: 3774908 bytes, checksum: c36b17349508609c50f869ba3976c8eb (MD5) Previous issue date: 1991 Resumo: Os grupos de acompanhamento de mães, realizados no ambulatório do Setor de Saúde Mental Infantil da Unicamp, originaram-se de desdobramentos da aplicação de algumas diretrizes de saúde mental de crianças recomendadas pela Organização Mundial da Saúde. São destinados às mães de crianças em ludoterapia grupal, buscando proporcionar-lhes espaço próprio para conversarem e compreenderem, dentro de certos limites, algumas fantasias, angústias, defesas e reações perante os sintomas, o crescimento, o desenvolvimento e o processo de ludoterapia dos filhos, e perante o relacionamento mãe-filho. Embora se apóiem em referenciais psicodinâmicos e possam ter repercussões psicoterapêuticas, não se trata de grupo de orientação, de aconselhamento, ou de psicoterapia. No presente estudo, apoiamo-nos no método clínico, e objetivamos discorrer acerca das vivências clínicas de um grupo de acompanhamento de mães. Nos dois primeiros capítulos, relatamos, sucintamente, o contexto ambulatorial do Setor de Saúde Mental Infantil e o desenvolvimento dos grupos de pais e de crianças realizados neste serviço. Em seguida, descrevemos e ilustramos o funcionamento e a evolução de um grupo de acompanhamento. No capítulo quarto, comentamos alguns temas significativos para uma melhor compreensão das fantasias, angústias, defesas e reações das mães relacionadas aos filhos, à dinâmica mãe-filho e à ludoterapia. Por fim, procuramos sintetizar as principais idéias a respeito da prática clínica com os grupos de acompanhamento de mães Abstract: The parallel groups of mothers, meeting in the out-patient clinic of the Child Mental Health Service of the State University of Campinas, put into pratice some of the guidelines for child mental health recommended by the World Health Organization. They are imended for the mothers of children in group psychotherapy in an attempt to provide them with an opportunity to talk and to understand. within certain limits. some of their phantasies, anxieties and reactions regarding the symptoms, growth, development and the process of psychotherapy of their children, as well as the mother child relationship itself. Although supported by a psychodynamic frame of reference and with possible psychotherapeutic repercussions in the mothers, in no way does this purport to be either an orientation. counselling or psychotherapeutic group. In this study, the clinical method is used in order to relate the clinical experience of a parallel group of mothers. In the first two chapters, a concise account of the out-patient clinic of the Child Mental Health Service and of the development of the parent and the child group is presented. The functioning and evolution of a parallel group are then described and illustrated. In the fourth chapter, certain significant topics are commented on in order to achieve a better understanding of the phantasies. Anxiety, defences and reactions of the mother with regard to her child, to the mother-child relationship and to the psychotherapeutic process. Lastly the main ideas concerning clinical practice with the parallel groups of mothers are summarized Doutorado Doutor em Saude Mental
26

Grupo de encontro de Mães : vivencias clinicas do seu funcionamento em um ambulatorio de saude mental infantil

Arruda, Sergio Luiz Saboya, 1955- 1989 (has links)
Orientador : Miguel de la Puente Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas Made available in DSpace on 2018-07-14T03:09:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Arruda_SergioLuizSaboya_M.pdf: 2655493 bytes, checksum: 05bfcb8b457b01cbbcb740363594786e (MD5) Previous issue date: 1989 Resumo: Esta dissertação objetiva discorrer sobre os encontros e as vivências clínicas de um grupo de Encontro de Mães do ambulatório do Setor de Saúde Mental (Setor Infantil) da Universidade Estadual de Campinas, ligando-os entre si, vinculando-os ao contexto assistencial do referido Setor e à população por ele atendida. Os Grupos de Encontro de Mães originaram-se de desdobramentos da aplicação, no ambulatório do Setor Infantil, de algumas diretrizes de saúde mental de crianças recomendadas pela Organização Mundial da Saúde, às quais foram incorporadas idéias e experiências de alguns estudos realizados, principalmente, na América Latina. Os Grupos de Encontro podem ter tanto propósitos terapêuticos, corno, principalmente, de promoção de saúde mental das crianças, através de suas mães. Este trabalho de dissertação utiliza-se de material clínico, procura respeitar os significados etimológicos do termo "dissertação", e apoia-se em um referencial conceitual que tenta considerar: (a) a polissemia dos fenômenos humanos; (b) a "criticidade" como o principal critério de cientificidade das ditas Ciências Humanas. No primeiro capítulo, é exposto o contexto ambulatorial do Setor de Saúde Mental Infantil e são realizadas descrições da população de crianças por ele atendida. No segundo capítulo, é feita uma breve caracterização dos Grupos de Mães do Setor Infantil, discorrendo-se sobre o seu desenvolvimento, e tecendo-se, a seguir, algumas considerações introdutórias e genéricas sobre o funcionamento dos Grupos de Encontro de Mães, que é um tipo de Grupo de Mães. No terceiro capítulo, são realizadas ilustrações e análises do funcionamento de um Grupo de Encontro de Mães do Setor Infantil, ocorrido entre 23 de agosto e 15 de outubro de 1987. No último capítulo, são apresentadas algumas reflexões que assinalam críticas e aprendizados referentes aos pressupostos utilizados, e ao funcionamento do Grupo de Encontro de Mães estudado, elaborando-se algumas hipóteses sobre os seus mecanismos de funcionamento Abstract: This dissertation proposes a discourse about the clinical encounters and experiences of a Mothers' Encounter Group of the outclinic of the Child Menta] Health Sector (Child Sector) of the University of Campinas (UNJCAMP). It considers these groups as interconnected with the assistencial context of the Child Sector and with the population attended by the Child Sector Mothers' Encounter Groups originated from developments in the application in the Child Sector of the outclinic of some of the guidelines for child mental health recommended by the World Health Organization and of ideas and experiences from studies undertaken principally in Latin America.. The Encounter Groups can have as their objective not only the promotion of child mental health but also therapeutical purposes. The dissertation uses clinical material and endeavors to respect the etymological significance of the term "dissertation". It relies on a conceptual reference which seeks to considera the "variety of significations" (greek "polisemia") of humam phenomena, b. "criticability" as the principal scientific of the so called Humam Sciences. In the first chapter an exposition of the outclinic context of the Child mental Health is made, along with descriptions of the child population attended. The second chapter makes a brief characterization of the Mothers' Groups of the Child Sector, discoursing about its development and interlacing some introductory and generic considerations about the function of Mothers' Encounter Groups, which are a type of Mothers' Group. The third chapter presents illustrations and analyses of the function of a particular Mothers' Encounter Group of the Child Sector which occurred between August 23 and October 15 of ]987. The final chapter includes some reflections which point out criticism and learning refering both to the presuppositions employed and to the function of the Mothers' Encounter Group studied, elaborating some hypotheses about their functional mechanisms Mestrado Mestre em Ciências Médicas
27

A inserção da psicanálise na saúde mental da reforma psiquiátrica brasileira : possibilidades e desafios

Sousa, Paula Stein de Melo e 2010 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, 2010. Submitted by Allan Wanick Motta (allan_wanick@hotmail.com) on 2011-01-18T16:44:27Z No. of bitstreams: 1 2010_PaulaSteindeMeloeSousa.pdf: 290983 bytes, checksum: e5cb6770e2db7fdd764590f740a258a8 (MD5) Approved for entry into archive by Daniel Ribeiro(daniel@bce.unb.br) on 2011-01-19T01:13:09Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_PaulaSteindeMeloeSousa.pdf: 290983 bytes, checksum: e5cb6770e2db7fdd764590f740a258a8 (MD5) Made available in DSpace on 2011-01-19T01:13:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_PaulaSteindeMeloeSousa.pdf: 290983 bytes, checksum: e5cb6770e2db7fdd764590f740a258a8 (MD5) O presente trabalho teve como objetivo estudar como se dá a inserção da Psicanálise no campo da Saúde Mental, contextualizado no paradigma da Reforma Psiquiátrica. O estudo foi desenvolvido a partir da revisão bibliográfica de publicações de autores contemporâneos que se dedicam ao estudo da interface entre psicanálise e saúde mental. O estudo do material compreendeu aproximadamente 50 publicações, dentre elas, livros, artigos científicos, capítulos de livros, dissertações de mestrado e teses de doutorado. A partir do estudo destas publicações, identificamos centros de pesquisa que desenvolvem trabalhos nessa área, dos quais destacamos o IPUB – Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro e o IPSM/MG – Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de Minas Gerais. Partindo do pressuposto que existe parceria de trabalho possível entre psicanálise e saúde mental, buscamos inicialmente tecer aproximações entre os dois saberes, para depois apresentar as possibilidades de inserção da psicanálise nesse contexto por meio das propostas de autores contemporâneos que apostam nessa interface. Em seguida, algumas questões para a psicanálise nos serviços públicos de saúde mental são problematizadas. Por fim, buscase promover diálogos entre saúde mental, psicanálise e o sofrimento psíquico grave. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT The present work aims to study how the psychoanalysis can be included in the mental health field in the context of psychiatric reform. The study was developed from the literature review of publications by contemporary authors who study the interface between psychoanalysis and mental health. The study of the material consisted of approximately fifty publications, among them books, scientific articles, book chapters, dissertations and doctoral theses. From the study of these publications, we identified research centers who study this interface, which we included IPUB – Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro and IPSM/MG – Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de Minas Gerais. At first we try to make dialogues between psychoanalysis and mental health and then point the possibilities of inclusion of psychoanalysis in this context. The proposals of contemporary authors who bet on that interface are presented. Then, some questions for psychoanalysis in public mental health are developed. Finally, we seek to promote dialogues between mental health, psychoanalysis and serious psychic suffering.
28

Avaliação da qualidade de vida dos usuários do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Palmas - TO Assessment of quality of life of users of the Center for Psychosocial Care (CAPS) of Palmas - TO

Vasques Junior, Emilio Fernando 2 August 2010 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2010. Submitted by Shayane Marques Zica (marquacizh@uol.com.br) on 2011-02-21T20:44:15Z No. of bitstreams: 1 2010_EmilioFernandesVasquesJunior.pdf: 1760562 bytes, checksum: 6d6f3ce758b25c66ea45ddfe052751b8 (MD5) Approved for entry into archive by Marília Freitas(marilia@bce.unb.br) on 2011-03-29T12:46:58Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_EmilioFernandesVasquesJunior.pdf: 1760562 bytes, checksum: 6d6f3ce758b25c66ea45ddfe052751b8 (MD5) Made available in DSpace on 2011-03-29T12:46:58Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_EmilioFernandesVasquesJunior.pdf: 1760562 bytes, checksum: 6d6f3ce758b25c66ea45ddfe052751b8 (MD5) A história do tratamento dos indivíduos com transtornos mentais evolui de uma época em que eram associados ao sobrenatural, seguido do entendimento por Philippe Pinel, na França do século XVIII, de que eram pessoas doentes e que necessitavam de tratamento, ficando isolados em hospitais. Este olhar alienista perdurou no Brasil com a construção de macro-hospitais na década de 40 e 50, manteve-se até a década de 70, época em que o tratamento baseava-se apenas no controle dos sintomas. No mesmo período, surgem movimentos questionando o tratamento asilar e um novo paradigma, no qual prevalece não mais focar na doença, e sim, produzir a saúde mental. A partir deste fato, um novo olhar, focado na participação e reinserção do usuário na família e na sociedade, tem como base o fechamento gradativo dos manicômios e a substituição por pequenas unidades de tratamento ambulatorial, denominadas Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). Nessas duas últimas décadas, cresceu muito também o interesse em se estudar a qualidade de vida dos portadores de transtornos mentais e as repercussões desta qualidade sobre o dia-a-dia. Observa-se que a qualidade de vida dessas pessoas não está relacionada apenas com a possibilidade de vida mais longa, pois viver com o transtorno é deparar-se com situações de discriminação, abandono, segregação, estigmatização, falta de recursos sociais e financeiros, ruptura nas relações afetivas e problemas com a sexualidade. Este trabalho traz uma avaliação da qualidade de vida dos usuários do CAPS de Palmas, realizado no ano de 2009, por intermédio da utilização do Wisconsin - quality of life index (WQLI). Os dados foram analisados mediante estatísticas descritivas e de teste de χ2 com α = 0,05.Tratam-se de usuários, em sua maioria, jovens, solteiros, com baixa escolaridade, que vivem com os familiares e não possuem trabalho remunerado. A maioria está satisfeita com relação à sua vivência, acham que seu estado emocional e sua saúde física são bons, seguem as indicações médicas e acham fundamental a medicação para sua melhora, além de não considerarem os sintomas como importantes para sua qualidade de vida que foi considerada boa. As queixas se referem à falta de emprego e de apoio inconstante da família. Isso demonstra que, em uma análise com base subjetiva, apresentam uma boa qualidade de vida, contudo, se considerado critérios objetivos, fatores importantes, como emprego e suporte social mais estável, ainda são insatisfatórios e demonstram a necessidade de aprimoramento dos serviços nesta direção. __________________________________________________________________________________________ ABSTRACT The history of treatment of individuals with mental disorders has evolved from a time when they were associated with the supernatural, followed by the understanding by Philippe Pinel in France in the eighteen century that they were sick and in need of treatment, being isolated in hospitals. This look alienist persisted in Brazil with the construction of large hospitals in the 40 and 50 remained until the '70s, in which treatment was based only on symptom control. At the same time, movements arise questioning asylum and a new treatment paradigm, in which prevails no more focus on disease, but rather produce mental health. From this fact, a new look, focusing on user participation and reintegration into the family and society, is based on the gradual closure of asylums and replacing them with small units of outpatient treatment, called Center of Psychosocial Attention (CAPS). In these last two decades has grown too much interest in studying the quality of life of people with mental disorders and impact of quality on the day - day. Well, it is observed that the quality of life of these people is not only related to the possibility of longer life, for living with this disorder are faced with discrimination, abandonment, separation, stigma, lack of social resources and financial breakdown in relationships and problems with sexuality. This paper provides an assessment of quality of life of users of CAPS Palmas conducted in 2009 using the Wisconsin - quality of life index (WQLI). Data were analyzed with descriptive statistics and test χ2 test with α = 0.05. It's users, mostly young, unmarried, low education, living with relatives and has no paid work. Most are satisfied with respect to their experience, think that your emotional state and physical health are good, follow the medical indications and find essential medications for its improvement as well as the symptoms do not consider as important to their quality of life that was considered good. Complain of lack of employment and family support fickle. This demonstrates that an analysis based on subjective provide a good quality of life, however, objective criteria are considered important factors such as employment and social support more stable, are still not satisfactory and demonstrate the need for improved services in that direction.
29

Padrão espacial do suicídio no Distrito Federal

Tomasini, Ana Júlia 14 December 2016 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Geografia, Programa de Pós-Graduação em Geografia, 2016. Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2017-02-08T17:04:17Z No. of bitstreams: 1 2016_AnaJúliaTomasini.pdf: 2568652 bytes, checksum: bb22141f424f265e6bdec06b22038104 (MD5) Rejected by Ruthléa Nascimento(ruthleanascimento@bce.unb.br), reason: Altere o título por favor? Obrigada! on 2017-02-13T19:10:12Z (GMT) Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2017-02-13T19:50:19Z No. of bitstreams: 1 2016_AnaJúliaTomasini.pdf: 2568652 bytes, checksum: bb22141f424f265e6bdec06b22038104 (MD5) Rejected by Ruthléa Nascimento(ruthleanascimento@bce.unb.br), reason: on 2017-02-13T19:52:55Z (GMT) Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2017-02-13T19:53:22Z No. of bitstreams: 1 2016_AnaJúliaTomasini.pdf: 2568652 bytes, checksum: bb22141f424f265e6bdec06b22038104 (MD5) Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2017-02-14T15:06:29Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_AnaJúliaTomasini.pdf: 2568652 bytes, checksum: bb22141f424f265e6bdec06b22038104 (MD5) Made available in DSpace on 2017-02-14T15:06:29Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_AnaJúliaTomasini.pdf: 2568652 bytes, checksum: bb22141f424f265e6bdec06b22038104 (MD5) O suicídio enquanto uma questão de saúde pública, precisa ser mais estudado através de metodologias que proporcionem mais subsídios para o entendimento desse fenômeno complexo que se tornou uma grande questão social e de saúde na contemporaneidade. Assim, o presente estudo pretende analisar o padrão espacial da distribuição das taxas de mortalidade por suicídio no Distrito Federal no período de 2000-2015 e verificar se existe relação com variáveis sócioeconômicas- culturais das diferentes Regiões Administrativas do Distrito Federal - DF, através de técnicas de geoprocessamento pelo uso de geotecnologias. A metodologia consistiu em pesquisa exploratória, revisão da literatura, levantamento de dados e uso de geotecnologias como análise de Kernel. Foi traçado um perfil do suicídio durante o período dos anos de 2000-2015, e esse perfil foi caracterizado como a maioria do gênero masculino, sobrepondo-se três a quatro vezes mais que no gênero feminino. Os jovens também são maioria nas incidências de óbitos por suicídio; o meio utilizado na maioria dos casos é o enforcamento na própria residência, e os desempregados, estudantes, aposentados e a área de segurança policiais e militares tem maior expressividade nos óbitos por suicídio no Distrito Federal no período estudado. Esse perfil foi em consonância com a literatura, sendo um resultado que vai ao encontro dos dados a nível local e mundial, muito ainda, a literatura não tenha uma vasta produção sobre os fatores que podem explicar sociologicamente e fenomenologicamente o porquê desses resultados. O padrão espacial mostrou maior expressividade nas áreas urbanizadas, sendo uma importante categoria a ser analisada para a gestão de políticas públicas na área. Suicide as a public health issue needs to be further studied through methodologies that provide more support for the understanding of this complex phenomenon that has become a major social and health issue in contemporary times. Thus, the present study intends to analyze the spatial pattern of the distribution of death rates by suicide in the Federal District of Brazil in the period of 2000 through 2015 and to verify if there is a relationship with socioeconomic-cultural variables of the different Administrative Regions of the Federal District, by means of techniques of geoprocessing by the use of geotechnologies. The methodology consisted of exploratory research, literature review, data collection and use of geotechnologies as the Kernel map. A profile of suicide was drawn during the period 2000-2015, and this profile was characterized as the majority of the male gender, overlapping three to four times more than in the female gender. Young people are also the majority in the incidence of suicide deaths; the means used in the majority of cases is hanging in his or her own residence, and the unemployed, students, retirees and the employees in the security area - police and military - have greater expressiveness in suicide deaths in the Federal District during the studied period. This profile was in agreement with the literature, being a result that meets the data at local and world level, even though the literature does not have a vast production on the factors that can explain sociologically and phenomenologically the cause of these results. The spatial pattern showed greater expressiveness in the urbanized areas, being an important category to be analyzed for the management of public policies in the area.
30

A invenção diagnóstica ontem e hoje : há possibilidades para redescrições ?

Verde, Madalena de Queiroz Lima 19 December 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2018-09-21T23:14:00Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2008-12-19 O presente estudo emprega a metodologia de pesquisa qualitativa bibliográfica e tem como objetivo problematizar e realizar uma análise do diagnóstico na área de saúde mental, derivada da constatação de um aumento importante na formulação de novas categorias nosográficas nos atuais manuais de classificação psiquiátricos - sobretudo no Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM) - e de constatações clínicas que identificam um acréscimo na procura por diagnósticos. Aplicando ao diagnóstico um significado de relevância para a condução da própria vida, pacientes buscam, mediante emissões diagnósticas, definições e justificativas para as dificuldades e o sofrimento vivido, descrevendo a si mesmo como uma entidade nosográfica procedente de um mal funcionamento biológico corporal. O estudo, opondo-se ao caráter de verdade absoluta essencialista e universal atribuído ao diagnóstico na contemporaneidade, propõe compreendê-lo na interdependência do contexto social-históricopolítico. Para tanto, identifica a classificação dos fenômenos psicopatológicos na tradição da racionalidade médica ocidental, ancorada em sisifismo à procura por uma causalidade orgânica para a experiência da loucura bem como um diagnóstico nos dias de hoje como um veículo para a constituição de identidades biológicas reducionistas da subjetividade. Na atualidade, com a formulação do DSM-III como um instrumento diagnóstico decisivo na elaboração da idéia de transtorno mental como entidade universal essencialista, essa idéia corrobora o cenário das bioidentidades e de profundas mudanças ocorridas nas esferas política, econômica e antropológica do mundo. Concluindo, com contribuições na psicanálise, são analisadas condições de possibilidades para a emersão de novos discursos e de uma prática clínica que permitam produzir redescrição diagnósticas de um reducionismo fisicalista da subjetividade , ressaltando a singularidade e irredutibilidade da condição humana. Palavras-chave: diagnóstico, contemporaneidade, medicina, psicanálise.

Page generated in 0.0858 seconds