• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 888
  • 16
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 921
  • 921
  • 611
  • 175
  • 157
  • 150
  • 145
  • 134
  • 128
  • 121
  • 115
  • 115
  • 112
  • 110
  • 105
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
21

Experiências em situação de crise de sujeitos em sofrimento psíquico : análise de narrativas Experiences in crisis situation of subject in distress : analysis of narratives

Souza, Adriano Rodrigues de 2013 (has links)
SOUZA, Adriano Rodrigues de. Experiências em situação de crise de sujeitos em sofrimento psíquico : análise de narrativas. 2013. 149 f. Tese (Doutorado em Saúde Pública) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2013. Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2013-12-06T15:25:02Z No. of bitstreams: 1 2013_tese_arsouza.pdf: 1605412 bytes, checksum: e22e65e32b9392a2ba5940a5917bf15e (MD5) Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2013-12-06T15:26:25Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_tese_arsouza.pdf: 1605412 bytes, checksum: e22e65e32b9392a2ba5940a5917bf15e (MD5) Made available in DSpace on 2013-12-06T15:26:25Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_tese_arsouza.pdf: 1605412 bytes, checksum: e22e65e32b9392a2ba5940a5917bf15e (MD5) Previous issue date: 2013 This study ought to redeem experiences of families and individuals in psychological distress during crisis situations. Historicizing these facts, it was possible to portray a life context that branches in various ways to achieve a dignified and decisive care. It is a qualitative study that used thematic oral history as a method of seizure of narratives. The narratives are presented in full, with textualization of the author, whose objective was to maintain the uniqueness and specificity contained in the speech. As storytellers, we had seven subjects, six women and one man, these were identified in several ways, with the Zero point the System of Emergency Medical Service (SAMU). To disclose the ideas contained in the narratives, I used Paul Ricoeur’s methodological referential, that consider understanding as a ordination of the narrative enunciation and when this organizational structure is not established , it is not possible to understand the narrative, requires an explanation. In order to achieve this explanation, I chose to use aspects encoded as therapeutic measures and their diversity; care and its dimensions in the family perspective in relation to the health care network, the future vision of the family and the individual in crisis. The narratives revealed psychological distress marked by multi-causalities, enhanced through which the subject is inserted. The absence of network emergency assistance to crisis situations was recorded in all narratives collected, focusing mainly on the lack of structures to rear services, which generates psychological distress in relatives, individuals and neighbors. Marked also the reports of excessive violence by the subject in crisis situations. Therapy with herbs gained remarkable importance in the accounts of family members, followed by spiritual acts, measures sought to address the lack of adequate assistance. From this context, care gain relevant importance in understanding the crisis installed, since it is possible to find different forms of treatments, including archaic methods to segregational prison. Finally, I found in the narratives hope of cure or treatment that enables individuals and families return to a healthy and normal life. Found in the study reports the peculiar reality experienced in the context of psychic crisis situations, such as non-formation of the triad of subject care, and family care network, which in spite of the family realize that the psychiatric hospital care structure is not desired, makes use of this because it is the only resource available and it is necessary to review the support behind the new services installed by the Psychiatric Reform. Este estudo buscou resgatar a vivencia dos familiares e sujeitos em sofrimento psíquico durante situações de crise. Historicizando esses fatos foi possível retratar um contexto de vida que se ramifica de diversas formas para alcançar um atendimento digno e resolutivo. Trata-se de estudo qualitativo que utilizou a História Oral Temática como método de apreensão das narrativas. As narrativas estão apresentadas na íntegra, com textualização do autor, cujo objetivo foi manter a singularidade e especificidade contidas no discurso. Como narradores, tivemos setes sujeitos, seis mulheres e um homem, estes foram identificados de diversas formas, tendo como ponto zero o Sistema de Atendimento Médico de Urgência (SAMU). Para desvelar as ideias contidas nas narrativas, utilizei o referencial metodológico de Paul Ricoeur que considera a compreensão como ordenação do enunciado narrativo e quando esta estrutura organizacional não se estabelece, não é possível compreender a narrativa, requer uma explicação. Objetivando alcançar esta explicação, optamos por utilizar aspectos codificados, explicação causal do sofrimento mental a partir da visão dos sujeitos do estudo do reconhecimento da crise a busca por apoio terapêutico e seus descaminhos, a rede de atenção em saúde mental como recurso de apoio buscado pelos sujeitos, o cuidado e suas dimensões: perspectiva da família e da rede, o porvir na visão do familiar e do sujeito em crise. As narrativas revelaram sofrimento psíquico marcado por multicausalidades, potencializado pelo meio ao qual o sujeito encontra-se inserido. A ausência de rede de assistência emergencial às situações de crise foi registrada em todas narrativas coletadas, tendo como foco principal a carência de estruturas de retaguarda aos serviços substitutivos, o que gera sofrimento psíquico em familiares, sujeito e vizinhos. Marcaram, também, os relatos excessivos de violência praticados pelo sujeito em situações de crise. A terapêutica com ervas ganhou notória importância nos relatos dos familiares, seguido pelos atos espirituais, medidas buscadas para suprir a ausência da assistência adequada. A partir deste contexto, o cuidado ganha relevante importância no compreender as situações de crise instaladas, uma vez que é possível encontrar diversas formas de tratamentos, inclusive métodos arcaicos à segregação prisional. Por fim, encontrei nas narrativas a esperança de cura ou tratamento que permita aos familiares e sujeitos retornarem a uma vida saudável e normal. Evidenciei no estudo relatos peculiares da realidade vivenciada no contexto das situações de crises psíquicas, como a não formação da tríade de cuidado sujeito, família e rede de atenção, que a despeito de a família perceber que o hospital psiquiátrico não é a estrutura assistencial desejada, lança mão deste por ser o único recurso existente e que é preciso rever o suporte de retaguarda dos novos serviços instalados pela Reforma Psiquiátrica.
22

Análise do consumo de psicofármacos na atenção primária à saúde no município de Sobral, Ceará Analysis of psychotropic drug use in primary health care in the municipality of Sobral, Ceará

Almeida, Katarina Themotheo de 7 June 2016 (has links)
ALMEIDA, K. T. Análise do consumo de psicofármacos na atenção primária à saúde no município de sobral,ceará. 2016. 191 f. Dissertação (Mestrado em Saúde da Família) - Campus da Medicina, Universidade Federal do Ceará, Sobral, 2016. Submitted by Mestrado Saúde da Família (saudedafamiliasobral@gmail.com) on 2016-11-23T18:37:46Z No. of bitstreams: 1 2016_dis_ktalmeida.pdf: 3283363 bytes, checksum: 662dc50254423c6f89f370d8b125b7fd (MD5) Approved for entry into archive by Ana Márcia Sousa (marciasousa@ufc.br) on 2017-01-19T12:41:31Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_dis_ktalmeida.pdf: 3283363 bytes, checksum: 662dc50254423c6f89f370d8b125b7fd (MD5) Made available in DSpace on 2017-01-19T12:41:31Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_dis_ktalmeida.pdf: 3283363 bytes, checksum: 662dc50254423c6f89f370d8b125b7fd (MD5) Previous issue date: 2016-06-07 Psychotropics were instituted them as the main therapeutic resource used to treat any discomfort, for this reason, the research sought to understand the reasons and motivations for their use. It is a qualitative and q uantitative approach to descriptive, exploratory and document type. It occurred in the Health Center of Sumaré neighborhood family. We analyzed 183 medical records of psychotropic drug users and we profile the clientele in CSF using controlled medications. Soon after, we conducted semi-structured interviews with 09 users and 04 family members. We also note, among the 10 CSF health professionals, 04 members of staff and NASF 05 Residence in Health of the Family, their understanding of the practice of prescription, acquisition and use of medication. As a result, we had the profile of CSF Sumaré psychotropics clientele consists mainly of women between 40 and 59 years, with low education, 'unmarried' and outside the labor market. The main reasons that led to the use of the drug were depression, anxiety and insomnia. The amitriptyline and fluoxetine were the main psychoactive drugs used. Patients are prescribed mainly non-medical specialists are using less than a year, and some patients know what they consume, oth ers not. The vast majority believes that there was an improvement after the use of medication due to its benefits such as improved sleep, feeding, behavior and control of the crisis. Both users and health professionals consider important to use the medication, but also elect therapeutic groups, as another important tool for treatment. They believe that there are many people making use of psychotropic drugs in the environment in which they live. Professionals interviewed consider that, before people with dep ression, anxiety and psychotic symptoms, the best approach is to refer the patient to the doctor or psychologist, or if necessary, to the CAPS or hospitals. The main challenges of the Family Health Strategy is the establishment of an appropriate mental health care, in addition to renewals revenue and referrals to psychiatrists or psychologists. For this, teams need to be trained and managers should invest more resources to the development of assistance programs for people with mental disorders and psychiatric drugs users. Os psicofármacos instituíram -se como o principal recurso terapêutico utilizado para tratar qualquer mal-estar, por este motivo, a pesquisa buscou compreender os motivos e motivações para a sua utilização. Trata-se de uma abordagem qualitativa e quantitativa do tipo descritiva, exploratória e do cumental. Ocorreu no Centro de Saúde da Família do bairro Sumaré. Analisamos 183 prontuários médicos dos usuários de psicofármacos e traçamos o perfil da clientela atendida no CSF que usa medicação controlada. Logo em seguida, realizamos entrevistas semiestruturadas com 09 usuários e 04 familiares. Verificamos também, entre os 10 profissionais de saúde do CSF, 04 integrantes da equipe do NASF e 05 da Residência em saúde da Família, a compreensão deles em relação à prática de prescrição, aquisição e uso da medicação. Como resultado, tivemos que o perfil da clientela de psicofármacos do CSF Sumaré é formado basicamente por mulheres, entre 40 e 59 anos, de baixa escolaridade, „sem companheiro‟ e fora do mercado de trabalho. Os principais motivos que desencadearam o uso da medicação foram depressão, ansiedade e insônia. A amitriptilina e a fluoxetina foram os principais psicofármacos utilizados. Os pacientes recebem a prescrição principalmente dos médicos não especialistas, estão usando há menos de um ano, e alguns pacientes conhecem o que consomem, outros não. A grande maioria considera que houve melhora após o uso da medicação, devido aos seus benefícios como: melhora do sono, da alimentação, do comportamento e controle da crise. Tanto os usuários quanto os profissionais de saúde consideram importante o uso da medicação, mas também elegem os grupos terapêuticos, como outra ferramenta importante para o tratamento. Acreditam que há muitas pessoas fazendo uso de psicofármacos no meio em que vivem. Os profissionais entrevistados consideram que, diante de pessoas com sintomas depressivos, ansios os e psicóticos, a melhor conduta é encaminhar o paciente para o médico ou psicólogo, ou se preciso, para o CAPS ou hospitais. Os principais desafios da Estratégia Saúde da Família são a realização de um atendimento adequado em saúde mental, além das renovações de receitas e encaminhamentos a psiquiatras ou psicólogos. Para isso, as equipes precisam ser capacitadas e os gestores deveriam investir mais recursos para a elaboração de programas de assistência aos portadores de transtornos mentais e usuários de psicofármacos.
23

O acompanhamento terapêutico (AT) como um dispositivo para a psicanálise no campo da saúde mental

Fantin, Alana Dallacosta 2017 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, 2017. Made available in DSpace on 2018-01-16T03:21:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 349864.pdf: 1262836 bytes, checksum: 6010fa977011e98eadcce2f12e96580f (MD5) Previous issue date: 2017 Este trabalho de dissertação parte de questões despertadas ao longo de minha trajetória profissional como praticante da psicanálise e acompanhante terapêutica com psicóticos no campo formalmente definido como Saúde Mental, e pretende investigar as possibilidades de sustentar uma clínica do sujeito neste contexto. A pesquisa percorre os caminhos historicamente construídos em torno do tratamento da loucura, desde a conjectura que permitiu à ciência cartesiana situá-la como desrazão, passando por sua apropriação como doença mental no âmbito médico, chegando ao atual campo da Saúde Mental, multidisciplinar e polifônico. Neste caminho, o trabalho de acompanhamento terapêutico revela-se como uma prática que dialoga com os movimentos de reforma psiquiátrica, ganhando maior expressão na medida em que se aproxima dos princípios concernentes à lógica psicossocial, tramada em oposição ao modo asilar. A psicanálise, por sua vez, em tempos de recrudescimento das neurociências e das terapias de efeitos rápidos, oferece uma escuta singular, aberta aos movimentos subjetivos de cada paciente acompanhado. A pesquisa percorre as perspectivas de aproximação da psicanálise ao campo da saúde pública, seguindo a indicação freudiana de conhecer o campo em que o psicanalista pretende adentrar. Esta via de estudo busca em Freud e em Lacan as possibilidades de oferecer tratamento aos sujeitos psicóticos nos espaços da cidade, priorizando o encontro e o enlace entre acompanhantes e acompanhados como o lugar possível para a clínica psicanalítica. Partindo desta construção, o foco da pesquisa volta-se para as especificidades da clínica psicanalítica com psicóticos, seus impasses e desafios, através do relato de fragmentos dos acompanhamentos realizados, discutindo a função que o analista pode desempenhar nesses casos, os vínculos estabelecidos e seus efeitos na construção de soluções subjetivas dos pacientes acompanhados. Abstract : This dissertation paper has its roots in some questions that came from my professional trajectory as a psychanalysis practitioner and therapeutic accompaniment with psychotic individuals in the formally defined field of Mental Health, and aims to investigate the possibilities of sustaining a clinic practice of the subject in this context. The research goes trough the historically built paths around madness treatment, from the conjecture that aloud the cartesian science to place it as ?non-reason?, through its appropriation as mental illness in the medical field, getting to the current Mental Health field, multidisciplinary and polyphonic. In this path, the therapeutic companion doing reveals itself as a practice that dialogues with the psychiatry reform movements, gaining larger expression as it approaches the principles that are relative to the psychosocial logic, made in opposition to the asylum system. Psychanalysis, in it?s behalf, as we see the strengthening of neurosciences and quick effect therapies, offers a singular listening, opened to the subjective movements of each accompanied patient. The research goes in the direction pointed by the approach between psychanalysis and the public health field, following the Freudian indication of knowing the field that the psychanalyst wants to get in. This study approach searches in Freud and Lacan the possibilities to offer treatment to the psychotic in the urban environment, prioritising the encounter and the link between accompaniment and accompanied ones as the possible place to the psychanalytic clinic practice. From this idea, the research turns it focus to the specifics of the psychanalytic clinic practice with psychotic subjects, its obstacles and challenges, through the report of fragments from the made monitories, discussing the function the analyst might have in these cases, the stablished links and their effects in the accompanied patients? subjective solutions? constructions.
24

Experiências de crise: narrativas autobiográficas de sujeitos em sofrimento psíquico Crisis experiences: autobiographical narratives of subjects in psychic suffering

Soares, Camila Alves 31 March 2016 (has links)
SOARES, C. A. Experiências de crise: narrativas autobiográficas de sujeitos em sofrimento psíquico. 2016. 181 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016. Submitted by Erika Fernandes (erikaleitefernandes@gmail.com) on 2017-02-24T13:34:14Z No. of bitstreams: 1 2016_dis_casoares.pdf: 1877433 bytes, checksum: 82aeb50c0043803fdf9471177b5e4cb7 (MD5) Approved for entry into archive by Erika Fernandes (erikaleitefernandes@gmail.com) on 2017-02-24T13:34:24Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_dis_casoares.pdf: 1877433 bytes, checksum: 82aeb50c0043803fdf9471177b5e4cb7 (MD5) Made available in DSpace on 2017-02-24T13:34:24Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_dis_casoares.pdf: 1877433 bytes, checksum: 82aeb50c0043803fdf9471177b5e4cb7 (MD5) Previous issue date: 2016-03-31 The objective of this study was to understand the crisis experiences from subjects in psychological distress through their autobiographical narratives, concepts identification, knowledge of the explanations attributed to emergence of the crises, and analysis of the care strategies sought for these situations. Historically, crises have been considered to be mainly negative experiences that had to be eliminated from the subjects and the "concrete element" of mental illness. With contribution from Psychiatric Reform movement, and the premise of putting "mental illness in parentheses”, it has been sought to understand crisis in a contextual perspective, inserted in people’s life history. Several studies point to problems of healthcare teams in crises management in services, strengthening the need for psychiatric hospital, especially for those situations. In the literature, crisis situations are identified as moments of solitude, fear, depersonalization, misunderstanding and altered perception of time and space; on the other hand, crises can be moments of passage that lead to learning and transformation. In terms of methodology, this was a qualitative research, designed as a biographical study, linked to a narrativist perspective, focused on experience, through a socially contextualized way. We used narrative interview as tool, and for empirical material processing, the contemporary hermeneutic perspective of Hans-George Gadamer was used, in order to understand the text and the subjects involved in this act of interpretation, aimed at the understanding of our object. As for the results, we found three main dimensions of analysis: crisis conceptions; origin of the crises; and care and treatment. We realized that the crisis experiences were difficult to nominate, given their complexity; however, we were able to identify important features of depersonalization, urgency, inevitability and identity fragmentation in these situations. The subjects attribute their rise to biological conditions and experiences related to poverty and vulnerability, especially those involving violence against women. In search for help, they turn to family, religion and spirituality, medicines, and to mental health services, CAPS and psychiatric hospitals, assigning them different roles and values. We concluded, with this study, that there is need to valorize the experiences and experience knowledge of the crises by the subjects themselves, when in psychological distress, and reaffirm substitutive mental health services as strategic places of care in order to promote reframing spaces for these experiences. Objetivamos, neste estudo, compreender as experiências de crise de sujeitos em sofrimento psíquico por meio de suas narrativas autobiográficas, identificando as concepções, conhecendo as explicações atribuídas ao surgimento das crises; e analisando as estratégias de cuidado buscadas para essas situações. Historicamente, as crises foram consideradas experiências predominantemente negativas que precisavam ser eliminadas dos sujeitos e o “elemento concreto” da doença mental. Com a contribuição do movimento da Reforma Psiquiátrica, e a premissa de por a “doença mental entre parênteses”, as crises buscaram ser compreendidas numa perspectiva contextualizada, inseridas na história de vida das pessoas. Diversos estudos apontam dificuldades das equipes de saúde no manejo das crises nos serviços, reforçando a “necessidade de hospital Psiquiátrico”, principalmente para essas situações. Na literatura, identificamos as situações de crise como momentos de solidão, medo, despersonalização, incompreensão, alteração da percepção do tempo e espaço, por outro lado, as crises podem ser momentos de passagem, que levam ao aprendizado e transformação. Em termos metodológicos, trata-se de pesquisa de abordagem qualitativa, delineada como um estudo biográfico, vinculado a uma perspectiva narrativista, centrada na experiência e orientada sócioculturalmente. Para os procedimentos de coleta de dados empregamos como instrumento a Entrevista Narrativa e, para o processamento do material empírico, utilizamos como lente a perspectiva hermenêutica contemporânea de Hans-George Gadamer, de modo a compreender o texto e os sujeitos envolvidos nesse ato de interpretação, voltado à compreensão do nosso objeto. Quanto aos resultados, encontramos três dimensões principais de análise: concepções de crise; origem das crises; e cuidado e tratamento. Percebemos que as experiências de crise são de difícil nomeação, dada sua complexidade, porém identificamos características importantes de despersonalização, urgência, inevitabilidade e fragmentação da identidade nessas situações. Os sujeitos atribuem seu surgimento a condições biológicas e experiências relacionadas à pobreza e vulnerabilidade, principalmente as que envolvem a violência contra a mulher. Em busca de ajuda, os sujeitos recorrem à família, ao poder da religião e da espiritualidade, ao remédio, e aos serviços de saúde mental, CAPS e hospitais psiquiátricos, atribuindo-lhes lugares e importâncias distintas. Concluímos, com este estudo, a necessidade da valorização da experiência e do saber de experiência sobre as crises pelos próprios sujeitos em sofrimento psíquico e reafirmamos os serviços substitutivos em saúde mental como lugares estratégicos de cuidado, na promoção de espaços de ressignificação dessas experiências.
25

A trajetória do câncer contada pela enfermeira

Justino, Eveline Treméa 4 April 2012 (has links)
Resumo: Pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso, que teve como objetivo descrever as ações de cuidado realizadas pelos sujeitos antes, durante e após a quimioterapia antineoplásica, desenvolvida em uma clínica privada de oncologia, localizada na cidade de Curitiba, Paraná, durante o período de 2010 a 2011. A amostra foi constituída por dez sujeitos, adultos, de ambos os sexos, que foram submetidos à quimioterapia antineoplásica por câncer de intestino e que haviam terminado o tratamento há mais de três meses. A coleta dos dados ocorreu nos meses de janeiro a maio de 2011, foi empregada a técnica relatos de vida, mediante entrevista narrativa. A idade dos sujeitos variou de 35 a 60 anos, seis eram do sexo masculino e quatro do feminino, e uma característica peculiar foi o elevado grau de escolaridade. A confluência das falas e a percepção e interpretação do pesquisador possibilitaram a definição das categorias revelação, adaptação e vivência da cura. Na categoria “revelação”, identificou-se uma fase de constantes incertezas com a suspeita de que algo fora do normal estava acontecendo com seus corpos, mas ao mesmo tempo tentava fugir ou encontrar outras respostas para os sinais e sintomas. As ações de cuidado desenvolvidas neste período foram abandono de hábitos inadequados, busca por exames diagnósticos, preocupação com a família, entre outros. O diagnóstico de câncer de intestino desencadeia angústia, ansiedade e medo da possibilidade da morte. Após o impacto do diagnóstico, vem a fase de adaptação às novas situações impostas pelo câncer de intestino, repleta de alterações na rotina de vida, com acréscimo de ações de cuidado e com a prevenção aos efeitos colaterais da quimioterapia antineoplásica. Para além das orientações e cuidados oriundos dos profissionais da saúde, os sujeitos buscaram na medicina alternativa complementar novas estratégias de cuidado. Com o término do tratamento, o sujeito vivencia a cura mas ainda convive com o fantasma do câncer, demonstrado pelo medo da recidiva. O retorno ao trabalho foi uma forma de ocupação da mente a fim de evitar as lembranças da doença e, também, uma demonstração de que são capazes de voltar à rotina anterior. O enfoque principal desse estudo foram as ações de cuidado que o sujeito realiza em prol do seu bemestar durante o tratamento do câncer de intestino. Estas puderam ser descritas nos relatos de vida obtidos, subsidiadas pelas informações repassadas pela equipe de saúde e transformadas de acordo com o conhecimento e experiências prévias dos sujeitos. Destaque para o enfermeiro, que, em sua prática profissional, orienta quanto à doença, tratamento, possíveis efeitos colaterais e cuidados necessários; também acolhe o sujeito e sua família, auxiliando no enfrentamento da doença, facilitando com isto a reabilitação.
26

O autorretrato na perspectiva do sistema teórico da afetividade ampliada : contribuições para a compreensão da identidade de sujeitos que frequentam um centro de atenção psicossocial

Lima, Terezinha Pacheco dos Santos 2014 (has links)
Orientadora: Profª Drª Helga Loos San'tAna Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa: Curitiba, 28/03/2014 Inclui referências : f. 159-164 Resumo: As manifestações artísticas acompanham o desenvolvimento humano desde que se têm os primeiros registros da ação humana no mundo. Esse aspecto relacional entre o sujeito e a arte se mostra como algo intrínseco à condição humana, e é por meio dessa relação que o sujeito se autopercebe em sua humanidade. Entretanto, alguns aspectos desse mesmo movimento se desenham de forma específica para cada sujeito, acolhendo o que ele tem de mais singular. O presente estudo considera que a construção da identidade do sujeito passa por identificações que implicam o si mesmo, o outro e o meio vivencial. Com a prática do autorretrato, em uma concepção ampliada, busca-se no presente estudo reconhecer indicadores da qualidade dessas interações, ou seja, de relações que permeiam a autopercepção e definem a autoimagem de sujeitos que frequentam um Centro de Atenção Psicossocial. Para sustentar a pesquisa, tem-se como base teórico-metodológica principal o Sistema Teórico da Afetividade Ampliada - STAA, que caracteriza o desenvolvimento humano através da análise inter-relacional de quatro dimensões psíquicas, representadas por quatro categorias fundamentais: identidade (dimensão configurativa), self (dimensão recursiva), resiliência ampliada (dimensão criativa) e alteridade (dimensão moduladora). A partir deste sistema, buscou-se investigar aspectos da constituição da identidade do sujeito com conflitos psíquicos persistentes e o papel da autopercepção nesse processo. Tomou-se como hipótese que a imagética do pensar, em seu aspecto relacional (do sujeito com o outro), implica significativamente nas identificações e na configuração da identidade desse sujeito. O estudo empírico se desenvolveu por meio de uma escuta qualificada e a aplicação de instrumentos relacionados às atividades artísticas, a partir do que se obtiveram resultados analisados por métodos qualitativos. Participaram do estudo 12 sujeitos do sexo feminino, entre 25 e 45 anos, que frequentam atividades artístico-culturais oferecidas no espaço do Centro de Atenção Psicossocial/CAPS II, do Sistema Municipal de Saúde/SMS de um município da região metropolitana de Curitiba (PR), região sul do Brasil. Dentre os resultados obtidos, destacou-se a importância do aspecto relacional nos processos de constituição desses sujeitos, com foco na qualidade das interações existentes em seu entorno, fator que se mostra significativo para um desenvolvimento humano satisfatório e integrado. No espaço vital que compreende os materiais, o propositor e os participantes, foram identificadas possibilidades de ressignificações subjetivas (ao nível do self) e identitárias, por meio de relações intrínsecas entre o sujeito e a sua visualidade. Tais relações, implicadas pelas identificações, se mostraram determinantes na imagética da identidade, bem como as relações de alteridade que permitiram redimensionar suas crenças autorreferenciadas, como também reintegrar recursos antes não disponíveis. Na concepção da resiliência ampliada, observou-se que os participantes da presente amostra se mostravam pouco resilientes; no entanto, à medida que ocorria uma remodelação de sua identidade, os participantes mostravam, também, avanços em sua capacidade de resiliência. Palavras-chave: Autorretrato. Autopercepção. Imagem. Identidade. Afetividade Ampliada. Saúde Mental. Abstract: The artistic manifestations go along with human development since the first records of human action exist in the world. This relational aspect between the subject and the art shows as something intrinsic to the human condition, and it is through this relationship that the subject perceived himself in his humanity. However, some aspects from this same movement draw themselves in a specific way for each subject, welcoming what he has of most singular. The present study considers that the identity of the subject passes between the relationships that imply to themselves, the other and through experiential. With the practice of self-portrait, in the expanded concept, it's seek in the present study to identify the indicators of quality in this interactions; in other words, the relations that permeate self-perception and define the self-image if the subjects attending the Psychosocial Care Center. In order to sustain research, the main basis of theoretical and methodological is the Theoretical System Extended Affectivity - TSEA, that characterizes the human development through the interrelational analysis of four dimensions, which are represented by four categories: identity (configurative dimension), self (recursive dimension), alterity (modulating dimension) e resilience (creative dimension). From this system, it was pursued to investigate aspects of the constitution of the identity of the subject with persistent psychic conflicts, and the role of auto perception in this process. The hypothesis became that the imagery of thinking, in its relational aspect (of the subject with another), implies significantly in the identifications and in the configuration of the identity of this subject. The empirical study was developed by means of a qualified listener and by the application of instruments related to artistic activities, from that results were obtained analyzed through the qualitative analysis. The subjects selected for the study were twelve, between 25 and 45 years old. They are participants of the activities artistic and cultural in the space of Psychosocial Care Center, of a Municipal Health System in the metropolitan region of Curitiba(PR), Brazilian South. Between the results, its highlighted the importance of relational aspect in the process of constitution of this subjects, focusing the quality in the interactions, factor that shows significant to the development of the satisfied and integrated human. In the vital space that comprehend the materials, the proposer and the participants, possibilities of subjective (to self-level) and identity were identified, by means of intrinsic relations between the subject and his visuality. Such relations, implied by identifications, show themselves determinants in the imagery of the identity, as well as relations of alterity that allowed resize yours self-referenced beliefs, as well as reintegrate resources previously not available. In the conception of extended resilience, was observed that the participants of the present sample are showed slight resilient; however, as the remodel of their identity occurred, the participants showed also, advancements in their resilience. Keywords: Self-portrait. Self-perception. Image. Identity. Extended Affectivity. Mental health.
27

Inventividade, Trabalho e Transtornos Mentais Graves: sobre interferências recíprocas entre cognição e atividade Inventivité, travail et troubles mentaux graves: sur les interférences mutuelles entre cognitif er affectif

Irapoan Nogueira Filho 3 April 2012 (has links)
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro RÉSUMÉ Cette thèse vise à étudier la contribution possible des concepts d'aimer et de jouer (sur la biologie de l'amour, proposé par Maturana) pour comprendre les façons de comprendre /intervenir dans le travail, la perspective de la psychologie du travail & organisationnelinventive. L'enquête a été menée à partir d'une expérience du chercheur, à la suite d'un utilisateur d'un service de santé mentale dans la ville de Rio de Janeiro, au Brésil, dans son travail comme un boulanger dans les aliments coopérative. Alors que face à des situationsplus courantes, ont montré que l'utilisateur a du mal à traiter avec la variabilité du milieu, avec des situations qui ont fui à leur routine, l'affichage d'un niveau d'anxiété qui l'a empêché d'accomplir toutes les tâches. Le chercheur a agi pour lui demander de vive voix queexplicitasse affligé, de toutes les situations anxiogènes, la recherche, ainsi que l'aiguillage despatients que de telles situations. Après six mois, le patient pourrait faire face à la pertinenteimprévisibles de l'activité, de travail productive ou non. Nous avons effectué trois analyses de ce cas clinique. Dans un premier temps, nous avons utilisé la catégorie des ritournelle(appartenant à la schizo-analyse) et le second, la notion d'activité dirigée (appartenant à la Clinique de l'activité). Activité à la fois clinique et schizo appartiennent à un ensemble dematériaux théoriques identifiés comme pertinents à la réflexion sur la question de l'invention. Dans la troisième analyse, nous avons utilisé les concepts d'amour et de jouer. Enfin, les trois analyses ont été articulé, afin d'étudier les possibilités de synergie entre eux. Parmi les conclusions, la recherche a fait de l'existence d'une composante affective dans le processus,toujours collectif, de créer des normes dans le lieu de travail. Il a souligné également le faitque cette composante affective est essentielle pour maintenir la vitalité du genre d'activités professionnelles. Enfin, et non des moindres, nous avons remarqué une nature fragile de cettecomposante, avec le concept de trace-reépétition a souligné la nature de son exercice: personne n'est là pour le faire doit être pratiqué à tout moment, ou peut venir à l'atrophie, ce qui rend difficile de maintenir le genre. A presente tese tem por objetivo investigar as possibilidades de contribuição dos conceitos de amar e brincar (pertinentes à Biologia do Amar, proposta por Maturana) para a compreensão dos ?modos de compreender/intervir sobre o trabalho?, na perspectiva de uma Psicologia do Trabalho & Organizacional inventiva. A investigação foi realizada a partir de uma experiência do pesquisador, acompanhando um usuário de um Serviço de Saúde Mentaldo município do Rio de Janeiro, Brasil, em seu trabalho como padeiro em uma Cooperativa de Culinária. Apesar de lidar bem com situações mais rotineiras, esse usuário demonstrava ter muita dificuldade em lidar com as variabilidades do meio, com situações que fugiam à sua rotina, apresentando um nível de ansiedade que o impedia de realizar quaisquer tarefas. O pesquisador atuou no sentido de solicitar que ele explicitasse verbalmente o que o afligia,descrevendo todas as situações ansiogênicas, buscando, juntamente com esse paciente, encaminhamentos para tais situações. Ao final de seis meses, o paciente conseguia lidar com os imprevisíveis pertinentes à atividade, laborativa ou não. Foram realizadas três análises deste caso clínico. Na primeira, utilizou-se a categoria de ritornelo (pertencente à Esquizoanálise) e na segunda, o conceito de atividade dirigida (pertencente à Clínica da Atividade). Ambas, Esquizoanálise e Clínica da atividade pertencem a um conjunto de materiais teóricos apontados como relevantes para se pensar a questão da invenção. Na terceira análise, foram utilizados os conceitos de amar e brincar. Finalmente, as três análises foram articuladas, com o objetivo de investigar as possibilidades de sinergia entre elas. Dentre as conclusões, a pesquisa apontou para a existência de um componente afetivo no processo,sempre coletivo, de criação de normas no trabalho. Apontou ainda para o fato de que este componente afetivo é essencial para a manutenção da vitalidade do gênero de atividades profissionais. Por último, e não menos importante, percebeu-se uma natureza frágil deste componente, que com o conceito de traço-ensaio apontamos para sua natureza de exercício: é da ordem de um fazer, que tem de ser praticado em todo momento, ou pode vir a atrofiar-se,tornando mais difícil a manutenção do gênero.
28

Um Estudo Sobre a Saúde Mental de Serra-es: da Surpresa ao Encantamento.

ROSSONI, C. G. 20 November 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-30T10:37:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_2499_2004_CLÁUDIA ROSSONI.pdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Previous issue date: 2006-11-20 Esta pesquisa estuda as condições norteadoras da modelagem utilizada na organização do serviço de saúde mental do município de Serra, que tem nas Equipes de Saúde Mental das Unidades Regionais de Saúde um serviço extrahospitalar para a reorientação do modelo assistencial. Pesquisa qualitativa realizada através do estudo de um caso que teve como método de coleta de dados o Grupo Focal. Foram realizados 05 (cinco) Grupos Focais com os profissionais das equipes de saúde mental, nos meses de outubro a dezembro de 2005 e os dados foram analisados em seu conteúdo, com base em Bardin. Classifica as condições norteadoras que modelam o serviço de saúde mental em duas modalidades: constituídas e constituintes. As constituídas pela política municipal de saúde mental são as que apontam a diretriz política e técnicoadministrativa e as constituintes as que se referem às práticas sociais desenvolvidas no cotidiano da instituição de saúde pelos profissionais de saúde mental, a partir dos processos vivenciados por esses atores na relação com o território e a demanda em saúde. Conclui que o serviço implantado tem potencialidades e contribuições para a reorientação do modelo assistencial. Destaca que as condições constituídas foram importantes para a criação e consolidação do serviço de saúde mental, mas está centrada nas condições constituintes a modelagem deste serviço, pois é na relação cotidiana entre seus atores que se torna possível introduzir novas formas de lidar com o sofrimento psíquico e construir uma nova cultura em saúde mental. Para tanto, é necessária a ampliação de uma rede de saúde mental e uma política de educação permanente de seus profissionais para a apropriação do território e atendimento das demandas em saúde. Captar esses fenômenos foi importante para reconhecer as potencialidades do serviço na efetivação da política de saúde mental do município e apreender seus limites e perspectivas.
29

Loucos nas ruas : um estudo sobre o atendimento à população de rua adulta em sofrimento psíquico na cidade do Recife

Maria da Cunha Albuquerque, Cintia 31 January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T22:58:52Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo3605_1.pdf: 3138654 bytes, checksum: 8ea92e9217d51155123dc1786de12ef2 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2008 A concretização deste trabalho só foi possível devido à existência de tantas histórias de vida marcadas pelo estigma da loucura e pela condição de vivenciá-la nas ruas da cidade do Recife. É pela preocupação e cuidado com essas histórias que este trabalho se justifica e ganha sentido, propondo-se a refletir sobre a temática do direito e acesso à saúde da população de rua em sofrimento mental. Mais especificamente, buscando compreender como os serviços de assistência social e saúde mental estão acolhendo a demanda de sofrimento psíquico que acomete pessoas adultas que moram nas ruas da nossa cidade. Ao trabalhar com População de Rua colocamos em cheque muitos dos conceitos imprescindíveis para o funcionamento normal e correto dos serviços, pois historicamente as contingências e realidades desta população não vêm sendo levadas em consideração. Para alcançar tais objetivos, foram escutadas diversas vozes e versões sobre três histórias de vida de pessoas em sofrimento psíquico que vivem nas ruas da cidade do Recife. Narrativas apresentadas por familiares, profissionais, exvizinhos foram ouvidas e refletidas, na tentativa de entender o percurso desde o início do sofrimento, a ida para as ruas e as alternativas construídas para a resolução de cada caso. Procurei compreender os diversos posicionamentos e as diferentes versões das pessoas envolvidas em cada caso escolhido, buscando entendê-los nos endereçamentos do diálogo. Na narrativa dos familiares, procurei as explicações e sinais para o início do sofrimento psíquico de cada usuário, bem como os motivos que os levaram a sair de casa e se distanciarem de suas famílias; com os profissionais do SESR, as entrevistas tiveram como foco a situação encontrada no primeiro atendimento na rua e os caminhos percorridos junto a cada usuário no seu processo de atendimento; com os profissionais dos Caps e das Casas de Acolhida do Iasc, quis saber como cada usuário chegou e foi acolhido naquele serviço, qual a avaliação feita de cada história de vida e que encaminhamentos foram construídos para solucionar cada caso. Dessa forma, foram escutadas diversas versões e opiniões sobre as referidas histórias, o que permitiu a construção de uma outra versão para análise, que será aqui apresentada. Essa, trouxe um leque de possibilidades e questionamentos sobre o cuidado em saúde mental oferecido à população em situação de rua na nossa cidade. Algumas questões saltaram aos olhos, que foram: a transferência da responsabilidade pelo cuidado do Estado para a família; a exigência de ter que sair das ruas, possuir referência familiar e domiciliar para iniciar o tratamento em saúde mental; e, por fim, a (im)possibilidade de compartilhamento da responsabilidade pelos moradores de rua pelas políticas de Saúde e Assistência Social da nossa cidade. Para que o atendimento oferecido à população de rua em sofrimento mental em Recife consiga ser efetivado de forma tal que respeite as especificidades dessas pessoas, parece necessário que ocorra o estranhamento dos profissionais e serviços frente às condições dessas pessoas que vivem nas ruas, ocasionando a desnaturalização de conceitos e pré-requisitos já estabelecidos, pois só assim será possível a invenção de novas e diferentes formas de atenção e cuidado para com a População de Rua. Por fim, defendo que o respeito às diferenças e a garantia universal e integral de proteção social, tão presentes nos discursos e nas leis vigentes em nosso país, precisam ser ampliados para qualquer grupo social, mesmo que ele desorganize e se contraponha às nossas certezas e convicções sobre a melhor forma de estar no mundo
30

Reforma Psiquiátrica avanços e desafios das práticas dos profissionais de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS)

Cusinato, Caroline. 2016 (has links)
Orientador: Sueli Terezinha Ferrero Martin Banca: Wanda Maria Junqueira de Aguiar Banca: Guilherme Correa Barbosa Resumo: Esta pesquisa visou identificar os avanços e os retrocessos da Reforma Psiquiátrica, assim como os desafios contemporâneos que envolvem os progressos e/ou a reprodução da lógica manicomial nas práticas profissionais dos trabalhadores de um CAPS. Entendemos a reforma psiquiátrica como um processo histórico que tem como objetivos questionar e propor novas estratégias para a transformação do modelo clássico e do paradigma da psiquiatria. O estudo foi realizado em um CAPS I de um município do interior de São Paulo, no qual participaram oito trabalhadores com nível superior e que atuavam há mais de um ano nesse serviço. A pesquisa foi pautada na Teoria Histórico-Cultural, portanto, alicerçada aos pressupostos metodológicos do materialismo histórico-dialético. Os procedimentos utilizados envolveram entrevistas semiestruturadas, observação participante e registros no diário de campo. A partir das entrevistas e da análise das informações coletadas pudemos compreender que alguns trabalhadores no cotidiano do serviço identificam em suas práticas, muitas vezes, uma reprodução da lógica manicomial, realizando constantemente um movimento pessoal e coletivo para que tal lógica seja superada. Enquanto uma outra parcela de trabalhadores acaba por reproduzir e naturalizar essa lógica dentro do serviço que tem como proposta a ruptura com o paradigma manicomial. No entanto, não podemos simplificar a compreensão dos trabalhadores entrevistados em dois grupos completamente distintos (manicomiais... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) Abstract: This survey aimed to identify the advances and regressions of the Psychiatric Reform, as well as contemporary challenges involving the progress and / or reproduction of asylum practices in professionals of a CAPS in the professional practices of workers in a CAPS. We understand the psychiatric reform as a historical process that aims to question and propose new strategies for the transformation of the classical model and paradigm of psychiatry.This study was conducted in the CAPS I of a city in the interior of São Paulo, where eight graduated employees working in this area for over one year were interwied. The survey was guided by the Historical-Cultural Theory, therefore, supported the methodological assumption of historical dialectical materialism. The procedures used involved semi-structured interviews, participant observation and records in a field diary. Based on the collected data we understood that some of these workers often identify on their routine a reproduction of asylum practices, constantly struggling personally and collectively to overcome this situation. Others employees, on the other hand, eventually reproduced and naturalized this practice within the service that intends to break with the asylum paradigm. However we cannot it is not correct to simplify the understanding of these workers in two completely different groups (asylum x anti asylum), once it was observed that many times, some workers had conflicting views, sometimes in defense of the psychosocial mental health practices, others according to the reproduction of asylum logic. We also noted that the understanding or the lack of public policies sometimes is related to overcoming or not the asylum practices. We observed that strengthen and fully implement of public policies of mental health is important to overcome this fact, once the non-consolidation of these policies hinders the... (Complete abstract electronic access below) Mestre

Page generated in 0.0805 seconds