• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 51
  • Tagged with
  • 52
  • 33
  • 18
  • 14
  • 11
  • 11
  • 11
  • 9
  • 9
  • 9
  • 8
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Características citológicas do escarro induzido em adultos hígidos

Veras, Tiago Neves 26 October 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, Florianópolis, 2011 / Made available in DSpace on 2012-10-26T03:28:25Z (GMT). No. of bitstreams: 1 286101.pdf: 888730 bytes, checksum: 871945ec2bc8578c0b0b4733598f88d3 (MD5) / Métodos: o escarro induzido foi obtido de 88 adultos não tabagistas hígidos (39 homens) com idade média de 36 anos (variação, 18 a 68 anos). Devido à distribuição não gaussiana da contagem celular total e de alguns componentes celulares (eosinófilos e linfócitos) os resultados da citologia do escarro encontram-se expressos como média e desvio padrão, mediana, intervalo interquartil além dos Percentis (10 e 90). Diferenças entre grupos foram analisadas usando ANOVA ou teste t para amostras não pareadas. Foram considerados significativos os valores de p inferiores a 0.05. Resultados: A contagem celular total foi de 4.8, 3.5 (10.8) x 10 106 cels/g [(média, IQR, p90)] e a viabilidade celular foi de 77.5, 79.0 (94)%. Houve predomínio de macrófagos 77.5, 71.0 (86)% e neutrófilos 23.4, 21.7 (41.3)%. Eosinófilos estiveram virtualmente ausentes (0.1, 0 (0.5)% no escarro induzido da maioria dos adultos saudáveis. Linfócitos (3.1, 3 (6.5) %) e células broncoepiteliais (0.1, 0 (0.5) %) foram escassas. Não houve influência estatisticamente significante de sexo e atopia na celularidade do escarro. Conclusões: nesta amostra de adultos voluntários hígidos, a proporção de neutrófilos no escarro induzido foi menor que a de estudos anteriores. Este achado pode ser devido a variações regionais na poluição do ar e sugere a necessidade de mais estudos para determinar as faixas normais de celularidade do escarro induzido da população brasileira.
2

Características citológicas do escarro induzido em crianças com asma atópica e não-atópica no Sul do Brasil

Drews, Anna Cláudia January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T19:06:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000391471-Texto+Completo-0.pdf: 662514 bytes, checksum: 912dcef08dcb51f019b4e11114329855 (MD5) Previous issue date: 2007 / Introduction: Induced sputum (IS) is a useful non-invasive method to evaluate lower airway inflammation, the principal characteristic observed in asthmatic subjects. Asthma in adult patients is most times associated with allergy and these patients present eosinophilic inflammation in the airways as its main feature. Most children with asthma present non-allergic disease, and it is still not well defined wich is the predominant inflamatory profile in these cases. There are few studies comparing bronchial inflammation in these different asthma phenotypes. The aim of this study was to evaluate the cytological profile of IS in children with atopic and non-atopic asthma, compared with a healthy control group. Methods: Of children who participated in the ISAAC-Phase II study in Southern Brazil, had completed the respiratory disease questionary and had done skin prick tests for common allergens, a sub-group was alleatory selected. They represented two asthma phenotypes and a healthy control group, known as: atopic asthma (AA), non-atopic asthma (NAA), and non asthmatics/non-atopic (NANA, control group). Sputum was induced with 4. 5% hypertonic saline solution for all participating children; cytology profiles were compared among these the three groups. Results: Ninety children were selected to participate in this study and 76 children were included (28 AA, 29 NAA, and 19 NANA), with mean age of 13 (0. 97) years. Sputum was successfully induced in 55 (72. 3%) children (21 AA, 21 NAA, and 13 NANA). Demographic data and VEF1 mean were similar in the three groups. The median eosinophil (interquartile range) proportion was significantly higher in the sputum of AA [9 (14)], compared with both NAA [1 (2)], and NANA [0. 5 (1)], p<0. 001. The proportion of children with sputum eosinophilia (eos ³3%) was also significantly higher among the AA (81%), compared with the NAA (23. 8%) and the NANA (without any) (p<0. 001). The median neutrophil (interquartil range) was significantly higher in the sputum of NAA [18 (5. 6)], compared with AA [11 (2)], and NANA [13 (7)], p<0. 001. Conclusions: The results suggest that airway eosinophilia, as observed in adults, can be detected since pre-adolecence in children with atopic asthma. Children with non-atopic asthma did not present this inflammatory profile. In this group a higher proportion of neutrophil was observed. / Introdução: O escarro induzido (EI) é um método não-invasivo útil para avaliar a inflamação de vias aéreas inferiores, característica principal observada na asma. Sabe-se que em adultos a inflamação do tipo eosinofílica é a mais comumente encontrada, pois a maioria desses pacientes apresenta alergia como característica associada. Em crianças, observa-se um número significativo de asmáticos com características não-alérgicas e nestes casos ainda não está bem definido qual o padrão inflamatório predominante. Há poucos estudos comparando a inflamação brônquica entre estes diferentes fenótipos de asma. Nosso estudo teve como objetivo avaliar características citológicas do EI em crianças com asma atópica e não-atópica, comparando-as a um grupo controle sadio. Métodos: Dentre crianças que participaram da fase II do estudo ISAAC no sul do Brasil, que tinham respondido ao questionário de doenças respiratórias e haviam sido submetidas a testes cutâneos para alérgenos ambientais comuns, uma sub-amostra aleatória foi selecionada. Assim definiram-se grupos representando dois fenótipos clínicos de asma e um grupo controle de normais, a saber: asma atópica (AA), asma nãoatópica (ANA) e controles não-asmáticos/não-atópicos (NANA). Todas estas crianças tiveram escarro induzido através de solução salina a 4. 5% e as características citológicas foram comparadas entre os três grupos. Resultados: Noventa crianças foram selecionadas a participar do estudo, sendo incluídas setenta e seis crianças (28 AA, 29 ANA e 19 NANA), com média de idade de 13 (0. 97) anos. O escarro foi induzido com sucesso em 55 (72. 3%) crianças (21 AA, 21 ANA e 13 NANA). Os dados demográficos e a média do VEF1 foram similares nos três grupos. A mediana (intervalo interquartil) da proporção de eosinófilos foi significativamente superior no escarro dos AA [9 (14)], comparado aos ANA [1 (2)] e aos NANA [0. 5 (1)], p<0,001. A proporção de crianças com eosinofilia no escarro (eos ≥3%) foi também significativamente maior nos AA (81%) que nos ANA (23. 9%), e não houve nenhum caso entre os NANA (p<0,001). A mediana (intervalo interquartil) da contagem de neutrófilos foi significativamente maior no escarro dos ANA [18 (5. 6)], comparado aos AA [11 (2)] e aos NANA [(13 (7)], p<0. 001. Conclusões: Os resultados indicam que uma inflamação eosinofílica, assim como ocorre em pacientes adultos, pode ser detectada desde a pré-adolescência em crianças com asma atópica. Por outro lado, asmáticos não-atópicos não apresentam este perfil de resposta inflamatória, sendo neste grupo evidenciada uma maior proporção de neutrófilos.
3

O exame citológico diferencial neutrófilos/eosinófilos no escarro

Vieira, Vera Beatriz Guirland January 1977 (has links)
Resumo não disponível
4

O exame citológico diferencial neutrófilos/eosinófilos no escarro

Vieira, Vera Beatriz Guirland January 1977 (has links)
Resumo não disponível
5

Celuraridade e hiperresponsividade das vias aéreas em crianças com sintomas de refluxo gastroesofágico

Ratier, Jaqueline Cavalcanti de Albuquerque January 2011 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, Florianópolis, 2011 / Made available in DSpace on 2012-10-25T17:06:28Z (GMT). No. of bitstreams: 1 294931.pdf: 996172 bytes, checksum: 525a3adf9fc044907f897f92497ac835 (MD5) / Objetivos: Determinar se a celularidade das vias aéreas e a presença de hiperresponsividade (HRVA) em crianças portadoras de sintomas digestivos compatíveis com doença refluxo gastroesofágico (DRGE) e assintomáticas do ponto de vista respiratórios (grupo gástrico), encaminhadas para diagnóstico através de phmetria de 24 horas diferem do encontrado em crianças saudáveis (grupo controle). Métodos: Estudo transversal, controlado não intervencional, prospectivo, exploratório no qual foram incluídas de forma consecutiva 25 crianças no grupo gástrico (idade média 11.2 anos) e 15 no grupo controle (idade 11.1 anos). O estudo consistiu de três ou quatro visitas nas quais as crianças foram submetidas à pHmetria de 24 horas, teste de broncoprovocação com metacolina, indução do escarro com solução salina hipertônica e teste cutâneo, às cegas das características clínicas dos participantes. Por motivos éticos, pHmetria de 24 horas foi realizada apenas nas crianças do grupo gástrico. Resultados:. Enquanto que 70% das crianças com pHmetria de 24 hs positiva tiveram um teste de broncoprovocação por metacolina positivo apenas 42.5% das crianças do grupo controle tiveram este teste positivo (p=0.08). A prevalência de HRVA no grupo de crianças com sintomas digestivos e pHmetria de 24 hs negativa foi levemente inferior (62.5%) ao encontrado nas crianças com pHmetria positiva. A celularidade total e diferencial do escarro induzido foi similar entre as de crianças do grupo gástrico e do grupo controle. Eosinofilia no escarro ocorreu em sete participantes do estudo. Destes, seis (85.7%) eram do grupo gástrico e apenas um deles não tinha refluxo ácido comprovado. Além disso, eosinofilia no escarro foi três vezes mais frequente no grupo gástrico com refluxo ácido do que no grupo controle. Não houve associação entre HRVA e atopia ou magnitude da eosinofilia no escarro. Conclusão: Cerca de um terço das crianças portadoras de DRGE e HRVA assintomática nesse estudo apresentaram inflamação eosinofilica das vias aéreas. Estudos adicionais são necessários para determinar se isto indica ou não a presença de asma latente nestas crianças.
6

Análise de um procedimento simplificado de coleta de escarro para avaliação da atividade bactericida precoce de fármacos contra a tuberculose.

NASCIMENTO, C. P. 25 April 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T15:34:48Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_4804_.pdf: 969669 bytes, checksum: a651ed85bb8ef2abf7d1109ca6e8633f (MD5) Previous issue date: 2011-04-25 / Em ensaios clínicos para avaliação de novos fármacos contra a tuberculose a principal metodologia utilizada é a avaliação da atividade bactericida precoce (ABP), que consiste em quantificar a queda da carga bacilar presente na amostra de escarro, por meio de coletas noturnas com duração de 12 a 16 horas, durante os dois primeiros dias de tratamento. Contudo, nos ensaios clínicos, o procedimento de coleta de escarro por um período de 12 a 16 horas apresenta vários inconvenientes. Requer internação e distanciamento do paciente da família, oferece maior risco de contaminação da cultura, apresenta maior custo financeiro em decorrência da internação do paciente e proporciona desconforto ao paciente por ter que coletar amostra de escarro durante um longo período. Diante destes fatos nos propusemos a desenvolver e avaliar um procedimento de coleta de escarro mais simples, com menor tempo, que não requeira a internação do paciente e que apresente a mesma eficiência de um procedimento por 12 horas. Para esse propósito foram realizadas culturas quantitativas de escarro, para mensurar a carga bacilar de diferentes procedimentos de coletas: pontual, 5 horas e 12 horas. Para avaliação dos procedimentos de coletas este trabalho foi dividido em duas etapas. Na primeira etapa ao comparar-se as cargas bacilares de escarro provenientes de coletas pontual e por um período de 5 ou 12 horas, verificou-se não haver diferença estatística significante (p = 0, 27), entre as cargas bacilares das coletas de 5 horas (6,08 log10 UFC/mL) e 12 horas (6,16 log10UFC/mL). Ao passo que a diferença de carga bacilar da coleta pontual (5,53 log10UFC/mL), mostrou-se estatisticamente significante quando comparada aos procedimentos com duração de 5 e 12 horas (p < 0,001). Para a segunda etapa os pacientes foram submetidos a 4 procedimentos de coletas em dias consecutivos: 2 coletas por 5 horas e 2 coletas por um período de 12 horas para se analisar a variação de carga bacilar intra e inter-paciente. Assim ao compararmos a variação de carga bacilar intra-paciente dos procedimentos de 5 horas (0, 029 log10 UFC/mL) e 12 horas (0, 01 log10 UFC/mL), não foi verificada diferença estatisticamente significante (p = 0, 56). Além disso, a coleta matinal permitiu reduzir a variação inter-paciente e melhorar a precisão de estimativa da média de variação de carga bacilar de um dia de coleta para o outro (erro padrão da coleta 5 horas = 0, 019 e erro padrão da coleta 12 horas = 0, 028). Com base nos resultados foi demonstrado que uma adequada coleta de escarro matinal por 5 horas apresenta uma população de Mycobacterium tuberculosis, tão representativa quanto à proporcionada pelo procedimento de coleta noturno com duração de 12 horas. Dessa forma, o procedimento de escarro simplificado (5 horas) proposto pelo presente estudo pode ser utilizado em ensaios clínicos de avaliação de ABP em substituição a coleta por 12 horas, sem prejuízo a avaliação da ABP do fármaco em estudo. PALAVRAS-CHAVE: atividade bactericida precoce, coleta de escarro, ensaio clínico, Mycobacterium tuberculosis, tuberculose.
7

Qualidade de vida e inflamação das vias aéreas em diferentes níveis de controle da asma

Rocha, Cristiane Cinara January 2013 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, Florianópolis, 2013. / Made available in DSpace on 2014-08-06T17:29:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 324676.pdf: 1768829 bytes, checksum: 60d0c4abd1c8bf1369e6b32a7b985e72 (MD5) Previous issue date: 2013 / Introdução: A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas cujo objetivo principal do tratamento é atingir e manter o controle. Diversos estudos demonstram que a qualidade de vida dos asmáticos é diminuída pela doença e que esta redução pode estar relacionada ao seu controle. No entanto, até o presente, nenhum estudo avaliou o impacto do controle aferido pela GINA 2012 na qualidade de vida. Objetivos: O presente estudo visa, determinar, nos diferentes níveis de controle da asma propostos pela GINA 2012: (1) o impacto do controle da asma na qualidade de vida dos asmáticos; (2) a inflamação das vias aéreas (eosinofílica e neutrofílica) por meio da análise do escarro induzido; (3) o escore de qualidade de vida medido pelo questionário padronizado de qualidade de vida em asma [AQLQ(S)]. Métodos: Estudo transversal, com 86 participantes, com asma persistente e todos em uso de um corticoide associado com um broncodilatador de ação prolongada, com asma controlada (AC), parcialmente controlada (APC) ou não controlada (ANC) pela escala GINA 2012, avaliados em uma única visita realizada no Núcleo de Pesquisa em Asma e Inflamação das Vias Aéreas, do Hospital Universitário, da Universidade Federal de Santa Catarina (NUPAIVA/HU/UFSC). A qualidade de vida foi estabelecida pelo questionário doença-específico AQLQ(S). O componente inflamatório foi avaliado por meio do escarro induzido. Resultados: Os resultados demonstraram que a qualidade de vida diminuiu com a piora do controle da asma e que o impacto da falta de controle sobre a qualidade de vida foi estatisticamente significante e clinicamente importante mesmo nos pacientes com APC. Na maioria (75%) dos pacientes com AC, a influência da doença na qualidade de vida foi mínima ou ausente. Em contraste, em apenas uma minoria dos pacientes com APC (28%) e com ANC (6%) o comprometimento da asma na qualidade de vida foi mínimo ou ausente (p < 0.001). A maior média das diferenças (AC vs APC) foi observada no domínio estímulo ambiental, enquanto a menor média das diferenças (AC vs APC) foi observada no domínio de sintomas. Inflamação eosinofílica das vias aéreas foi encontrada nos três níveis de controle da asma. Escarro neutrofílico foi encontrado em quase metade dos pacientes com APC e ANC e em apenas um paciente com AC (p = 0,001). Conclusões: O impacto da doença na qualidade de vida é significativo e clinicamente importante mesmo em pacientes com asma parcialmente controlada. A falta de concordância da inflamação das vias aéreas com a escala da GINA 2012 e AQLQ(S) indica que a inflamação das vias aéreas mede um componente diferente do controle da asma.<br> / Abstract : Introduction: Asthma is a chronic inflammatory respiratory disease whose main goal of treatment is to achieve and maintain control. Several studies have shown that quality of life is diminished by asthma and that this reduction may be related to its control. However, to date, no study has evaluated the impact of control measured by GINA 2012 on quality of life. Objectives: This study aims to determine, in the different levels of asthma control proposed by GINA 2012: (1) the impact of asthma control in the quality of life of asthmatics; (2) airway inflammation and eosinophilic and neutrophilic inflammation through analysis of induced sputum; (3) the score of quality of life measured by the asthma quality of life standardized questionnaire [AQLQ(S)]. Methods: Cross-sectional study with 86 participants, all in a corticosteroid use associated with a long-acting bronchodilator with controlled (CA), partly controlled (PCA) or uncontrolled asthma (UA), by GINA 2012 scale, evaluated at a single visit held at the Asthma and Airway Inflammation Center Research, University Hospital, Federal University of Santa Catarina (NUPAIVA/HU/UFSC). The quality of life was established by the AQLQ(S). The inflammation component was assessed by induced sputum. Results: The results showed that quality of life decreased with worsening of asthma control and the impact of the lack of control over the quality of life was statistically significant and clinically important even in patients with PCA. Most (75%) of patients with CA, the influence of disease on quality of life was minimal or none. In contrast, in only a minority of patients with PCA (28%) and UA (6%) the impact of asthma on quality of life was minimal or none (p < 0.001). The greatest mean differences (CA vs. PCA) was observed in the environmental stimulus domain, while the lowest average difference (CA vs PCA) was observed in the symptoms domain. Eosinophilic airway inflammation was found in all three levels of asthma control. Neutrophilic sputum was found in almost half of patients with PCA and UC and in only one patient with CA (p = 0.001). Conclusions: The impact of asthma on quality of life is significant and clinically important even in patients with PCA. The lack of concordance of airway inflammation with the different levels of the GINA 2012 scale and AQLQ(S) score indicates that the airway inflammation measures a different component of asthma control.
8

O exame citológico diferencial neutrófilos/eosinófilos no escarro

Vieira, Vera Beatriz Guirland January 1977 (has links)
Resumo não disponível
9

Caracter?sticas citol?gicas do escarro induzido em crian?as com asma at?pica e n?o-at?pica no Sul do Brasil

Drews, Anna Cl?udia 23 May 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2015-04-14T13:33:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 391471.pdf: 662514 bytes, checksum: 912dcef08dcb51f019b4e11114329855 (MD5) Previous issue date: 2007-05-23 / Introdu??o: O escarro induzido (EI) ? um m?todo n?o-invasivo ?til para avaliar a inflama??o de vias a?reas inferiores, caracter?stica principal observada na asma. Sabe-se que em adultos a inflama??o do tipo eosinof?lica ? a mais comumente encontrada, pois a maioria desses pacientes apresenta alergia como caracter?stica associada. Em crian?as, observa-se um n?mero significativo de asm?ticos com caracter?sticas n?o-al?rgicas e nestes casos ainda n?o est? bem definido qual o padr?o inflamat?rio predominante. H? poucos estudos comparando a inflama??o br?nquica entre estes diferentes fen?tipos de asma. Nosso estudo teve como objetivo avaliar caracter?sticas citol?gicas do EI em crian?as com asma at?pica e n?o-at?pica, comparando-as a um grupo controle sadio. M?todos: Dentre crian?as que participaram da fase II do estudo ISAAC no sul do Brasil, que tinham respondido ao question?rio de doen?as respirat?rias e haviam sido submetidas a testes cut?neos para al?rgenos ambientais comuns, uma sub-amostra aleat?ria foi selecionada. Assim definiram-se grupos representando dois fen?tipos cl?nicos de asma e um grupo controle de normais, a saber: asma at?pica (AA), asma n?oat?pica (ANA) e controles n?o-asm?ticos/n?o-at?picos (NANA). Todas estas crian?as tiveram escarro induzido atrav?s de solu??o salina a 4.5% e as caracter?sticas citol?gicas foram comparadas entre os tr?s grupos. Resultados: Noventa crian?as foram selecionadas a participar do estudo, sendo inclu?das setenta e seis crian?as (28 AA, 29 ANA e 19 NANA), com m?dia de idade de 13 (0.97) anos. O escarro foi induzido com sucesso em 55 (72.3%) crian?as (21 AA, 21 ANA e 13 NANA). Os dados demogr?ficos e a m?dia do VEF1 foram similares nos tr?s grupos. A mediana (intervalo interquartil) da propor??o de eosin?filos foi significativamente superior no escarro dos AA [9 (14)], comparado aos ANA [1 (2)] e aos NANA [0.5 (1)], p<0,001. A propor??o de crian?as com eosinofilia no escarro (eos &#8805;3%) foi tamb?m significativamente maior nos AA (81%) que nos ANA (23.9%), e n?o houve nenhum caso entre os NANA (p<0,001). A mediana (intervalo interquartil) da contagem de neutr?filos foi significativamente maior no escarro dos ANA [18 (5.6)], comparado aos AA [11 (2)] e aos NANA [(13 (7)], p<0.001. Conclus?es: Os resultados indicam que uma inflama??o eosinof?lica, assim como ocorre em pacientes adultos, pode ser detectada desde a pr?-adolesc?ncia em crian?as com asma at?pica. Por outro lado, asm?ticos n?o-at?picos n?o apresentam este perfil de resposta inflamat?ria, sendo neste grupo evidenciada uma maior propor??o de neutr?filos
10

Importância da citometria de fluxo na avaliação da resposta imune celular em indivíduos portadores de tuberculose pulmonar soronegativos ou soropositivos ao HIV

Gaspar, Pâmela Cristina January 2014 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Farmácia, Florianópolis, 2014. / Made available in DSpace on 2015-02-05T20:39:19Z (GMT). No. of bitstreams: 1 327519.pdf: 2268831 bytes, checksum: 8560bf1399a17486016d9ddffbe61734 (MD5) Previous issue date: 2014 / A tuberculose (TB) é uma doença infectocontagiosa causada pelo Mycobacterium tuberculosis (MTB) transmitida diretamente de pessoa para pessoa, através da inalação de partículas infectadas pelo MTB. A TB é considerada um problema de saúde pública mundial. A cada ano, são registrados mundialmente, aproximadamente, 9 milhões de novos casos de TB e 1,4 milhões de mortes decorrentes da doença. Indivíduos infectados pelo MTB podem desenvolver tanto uma doença progressiva quanto uma infecção latente, dependendo do seu estado imunológico. Com o advento da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), caracterizada como uma disfunção grave do sistema imunológico de pacientes infectados pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), houve um profundo impacto sobre o aumento do número de novos casos de TB. Apesar da forte correlação entre o desenvolvimento da TB e a diminuição de células T CD4+ no sangue periférico de indivíduos coinfectados pelo MTB/HIV estar bem estabelecida, a resposta imune celular pulmonar permanece incerta. Informações relacionadas à citologia do escarro de pacientes com TB são escassas e não se sabe exatamente se há diferenças na resposta imune celular pulmonar entre os pacientes HIV soropositivos e HIV soronegativos. Estas observações reforçam a importância da pesquisa para o desenvolvimento e avaliação de métodos que permitam o estudo das células que envolvem a resposta imune pulmonar no combate à infecção pelo MTB, principalmente nos casos de coinfecção pelo HIV/MTB. A análise das células de escarro por microscopia óptica é um método bem estabelecido para a determinação das subpopulações leucocitárias. No entanto, essa metodologia possui algumas limitações, como a impossibilidade de diferenciação de subtipos celulares morfologicamente idênticos e a necessidade de uma amostra de boa qualidade. Diante do exposto, o objetivo desse trabalho foi a investigação da importância da citometria de fluxo na avaliação da resposta imune celular em indivíduos portadores de tuberculose pulmonar ativa e bacilíferos soro negativos ou soro positivos ao HIV. Inicialmente, realizou-se a padronização da citometria de fluxo para avaliação dos fenótipos leucocitários do escarro. Após a padronização, avaliou-se a celularidade de 30 amostras de escarro de pacientes portadores de TB pulmonar ativa e bacilíferos. Os resultados demonstraram que os neutrófilos (95,68%) compunham maior percentual do que os monócitos/macrófagos (2,62%) e os linfócitos (1,64%) na celularidade total das amostras de escarro analisadas. Além disso, com relação ao total de linfócitos T (100%),foram observados em média 12,31% de linfócitos T auxiliares, 24,13% de linfócitos T citotóxicos, 62,85% de linfócitos T gama/delta (?d) e 0,02% de linfócitos T com fenótipo CD4+ e CD8+. Após a determinação da celularidade, os resultados das amostras de escarro foram subdividos em dois grupos, soropositivos e soronegativos ao HIV. Na associação desses subgrupos leucocitários acima descritos, foram observadas diferenças estatisticamente significativas somente para os percentuais de monócitos/macrófagos. Os resultados encontrados mostram que a citometria de fluxo é um método eficaz para avaliar os diferentes subtipos de linfócitos presentes nas amostras de escarro, mesmo daquelas consideradas inviáveis para análise por microscopia óptica. Sendo assim, é de grande importância para o enriquecimento das informações associadas à imunologia da coinfecção pelo MTB/HIV.<br> / Abstract : Tuberculosis (TB) is an infectious disease caused by Mycobacterium tuberculosis (MTB) that is transmitted directly from person to person through inhalation of infected particles MTB. TB is considered a worldwide public health problem. Each year, an estimated 9 million people developed TB and 1.4 million died from the disease. MTB-infectious individuals may develop either a progressive disease as well as a latent infection, and it is imune-dependent status. With the advent of Acquired Immunodeficiency Syndrome (AIDS) that is characterized as a severe dysfunction of the immune system of patients infected with human immunodeficiency virus (HIV), there was a profound impact on increasing number of new TB cases. Despite the strong relationship between the TB development and the decrease of CD4 + cells in peripheral blood of co-infected MTB/HIV individuals be well established, the lung cellular immune response remains unclear. Information regarding the sputum of TB patients is scarce and it is not known exactly if there are cellular differences in lung immune response among HIV-positive and HIV-negative individuals. These observations emphasize the importance of research for development and evaluation techniques to study cells that surround the pulmonary immune response against MTB infection, especially in cases of coinfection HIV/MTB. The analysis of sputum cells by optical microscopy is a well-established method for the determination of leukocyte subpopulations. However, this methodology has some limitations such as the inability to differentiate morphologically identical cell subtypes and the need for a good quality sputum sample. Given the above, the aim of this study was to investigate the importance of flow cytometry to assess the cellular immune response in individuals with active pulmonary TB and bacillary, in HIV-negative or HIV-positive. First, the standardization of flow cytometry was done for assessment of leukocyte phenotypes sputum. After standardization, there were evaluated the cellularity of 30 sputum samples from patients with active pulmonary TB. The results demonstrated that neutrophils (95.68%) comprised the greatest percentage of sputum cellularity cells comparing to monocytes/macrophages (2.62%) and lymphocytes (1.64%) populations in the analyzed samples. Besides that, regarding to total T-lymphocytes (100%) there were observed on average of 12.31% of T helper, 24.13% of T cytotoxic, 62.85% of T gamma/delta (?d) and 0.02% of T with the phenotype CD4+ and CD8+. After the sputum cellularity determination, the results of the sputum samples were subdivided into two groups,HIV-positive and HIV-negative. In the association of these leukocyte subsets described above, only statistically significant differences were observed for the percentage of monocytes/ macrophages. The results show that flow cytometry is a powerful method to evaluate the different subtypes of lymphocytes present in sputum samples, even those considered unviable for analysis by light microscopy. Therefore, flow cytometry is of great importance to enrich the informations about the co infection MTB/HIV immunology.

Page generated in 0.1426 seconds