• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 76
  • Tagged with
  • 77
  • 77
  • 41
  • 39
  • 19
  • 19
  • 17
  • 17
  • 15
  • 15
  • 14
  • 14
  • 14
  • 13
  • 11
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Coping de idosos cuidadores frente à sobrecarga do cuidado

Guimarães, Frank Evilácio de Oliveira 12 May 2016 (has links)
Submitted by Juliana Paiva (julianammp@yahoo.com) on 2018-06-12T13:15:17Z No. of bitstreams: 1 FRANK EVILÁCIO DE OLIVEIRA GUIMARÃES.pdf: 1775559 bytes, checksum: c010ca2deb3884be1214623ecc46d6ba (MD5) / Approved for entry into archive by Edvaldo Souza (edvaldosouza@ufba.br) on 2018-07-11T21:03:48Z (GMT) No. of bitstreams: 1 FRANK EVILÁCIO DE OLIVEIRA GUIMARÃES.pdf: 1775559 bytes, checksum: c010ca2deb3884be1214623ecc46d6ba (MD5) / Made available in DSpace on 2018-07-11T21:03:48Z (GMT). No. of bitstreams: 1 FRANK EVILÁCIO DE OLIVEIRA GUIMARÃES.pdf: 1775559 bytes, checksum: c010ca2deb3884be1214623ecc46d6ba (MD5) / Introdução: O cuidar é ação, e o cuidador agente deste. Ao realizar ações de cuidado, exige do cuidador equilíbrio físico, emocional e espiritual. Quando este é idoso, as limitações relacionadas à idade, a sobrecarrega física, emocional e estresse emergem. Assim, lidar com as demandas de cuidado ao outro em domicílio, muitos cuidadores utilizam de estratégias de Coping para alívio de sua sobrecarga. O Coping consiste nos esforços cognitivos e comportamentais, que objetivam a adaptação e enfrentamento em situações de estresse e sobrecarga, comumente vivenciada por idosos cuidadores no seu cotidiano de cuidado a pessoa dependente. Objetivo: compreender as estratégias de Coping utilizadas pelas pessoas idosas cuidadoras no enfrentamento da sobrecarga do cuidado. Metodologia: Trata-se de um estudo qualitativo, realizado com 10 idosos cuidadores de outros idosos, cadastrados no Programa Melhor em Casa (PMC) no município de Salvador – Bahia entre agosto e outubro de 2015. A coleta de dados deu-se através da utilização dos instrumentos: Zarit Burden Interview (ZBI), questionário sociodemográfico, e roteiro de entrevista semiestruturada gravadas em áudio. A análise e tratamento dos depoimentos deu-se por método de Análise de Conteúdo proposto por Bardin e inferência teórica de Coping. Resultados: a idade variou de 63 a 80 anos, sua maioria mulheres, em cuidado integral, com apresentação de sobrecarga moderada a severa, segundo ZBI. Após transcrição e análise dos discursos, identificaram-se duas categorias: Cotidiano de Idosos Cuidadores Frente a Sobrecarga e Estratégias de Coping frente à sobrecarga do cuidado e suas respectivas subcategorias. Na categoria “Cotidiano de Idosos Cuidadores”, foram identificados mais processos de sobrecarga referentes aos cuidados gerais à pessoa idosa, seguido do esquecimento de si. Na segunda categoria, foram percebidos quais as de estratégias de coping mais utilizadas pelos idosos cuidadores. Nessa segunda categoria observou-se que as estratégias mais utilizadas pelos idosos no enfrentamento de sua sobrecarga foram: os processos de Distração, Apoio religioso e social e de Ação direta e resiliência respectivamente. Conclusão: O uso de estratégias coping por esses idosos, visaram à busca da resiliência e estabilização do ser, evitando assim um estado maior de desgaste. As estratégias de coping constituiu um fenômeno muito utilizado, entretanto pouco conhecido pelos idosos cuidadores. Esta pesquisa também propõe que um melhor o conhecimento sobre a temática, como a importância do conhecimento dela para a Enfermagem, que se configura como agente sensibilizador dessa parte da população. / Introduction: Caring is action, and caregiver is agent. When performing care actions, the caregiver demands physical, emotional and spiritual balance. When this is old, the limitations related to age, physical overload, emotional stress and emerge. Thus, coping with the demands of caring for others at home, many caregivers use coping strategies to relieve their overload. Coping consists of cognitive and behavioral efforts that aim to adapt and cope in situations of stress and overload, commonly experienced by elderly caregivers in their daily care of the dependent person. Objective: to understand Coping strategies used by elderly caregivers in coping with the overload of care. Methodology: This is a qualitative study, carried out with 10 elderly caregivers of other elderly people enrolled in the Best Home- Based Program (PMC) in the city of Salvador-Bahia between August and October 2015. Data collection took place through Use of the instruments: Zarit Burden Interview (ZBI), sociodemographic questionnaire, and semi-structured interview script recorded in audio. The analysis and treatment of the testimonies was by method of Content Analysis proposed by Bardin and theoretical inference of Coping. Results: age ranged from 63 to 80 years, mostly women, in full care, with moderate to severe overload, according to ZBI. After transcription and analysis of the speeches, two categories were identified: Daily life of Elderly Caregivers Faced with Overload and Coping Strategies regarding the overload of care and their respective subcategories. In the category "Daily Care of Elderly Caregivers", more overload processes were identified regarding general care for the elderly, followed by self forgetfulness. In the second category, the most coping strategies used by elderly caregivers were perceived. In this second category it was observed that the strategies most used by the elderly in coping with their overload were: the processes of Distraction, Religious and Social Support and Direct Action and Resilience respectively. Conclusion: The use of strategies coping by these elderly, aimed at the search for resilience and stabilization of the being, thus avoiding a higher state of attrition. The coping strategies constituted a widely used phenomenon, however little known by the elderly caregivers. This research also proposes that a better knowledge about the subject, as the importance of the knowledge of it to Nursing, which is configured as sensitizing agent of this part of the population. / Introducción: La atención es la acción, y el cuidador es quien lo hace. Para llevar a cabo las acciones de atención el cuidador necesita equilibrio del cuerpo, emocional y espiritual. Cuando el cuidador es anciano las limitaciones relacionadas con la edad, el peso físico, emocional y el estrés emergen. Por lo tanto, para cuidarlos desde su vivienda, muchos cuidadores utilizan estrategias de “Coping” para abrandar su laburo. “Coping” consiste en los esfuerzos cognitivos y conductuales, que pretenden adaptarse y atrapar las situaciones de estrés y sobrecarga comúnmente experimentados por los cuidadores grandes de ancianos en la rutina del laburo con la persona dependiente. Objetivo: Entender las estrategias de “Coping” utilizadas por los cuidadores grandes de ancianos para atrapar la gran carga asistencial. Metodología: Eso es un estudio cualitativo, hecho con 10 cuidadores grandes de ancianos suscriptos en el Programa Melhor em Casa (PMC) en la ciudad de Salvador – Bahía,Brasil, en los meses de agosto y octubre del año 2015. La recolección de los datos se llevó a cabo a través del uso de: entrevistas Burden Zarit (ZBI), cuestionario sociodemográfico y guía de entrevista semiestructurada que también registraran se en audio. El análisis y procesamiento de deposiciones producido por el método de análisis de contenido propuesto por Bardin y la inferencia teórica de afrontamiento. Resultados: En el rango de edad hube variaciones desde 63 hasta 80 años, la mayoría son mujeres, para el cuidado completo, se lo presentó sobrecarga de moderada a severa, según ZBI. Tras el análisis de la transcripción y el discurso, se identificaron dos categorías: La rutina de los cuidadores mayores ante la sobrecarga y estrategias de “Coping” ante la sobrecarga del cuidado y sus subcategorías. En la categoría de "rutina de los cuidadores grandes de la edad avanzada", identificaran se los procesos más generales acerca de la atención general para con los ancianos, seguido por el olvido de sí. En la segunda categoría, fueron percibidos las estrategias de “Coping” más utilizadas por los cuidadores de edad avanzada. En esta segunda categoría se puede observar que las estrategias más utilizadas por los cuidadores grandes para enfrentar su agotamiento general fueron el proceso de distracción, apoyo religioso y social y la acción directa y la resistencia respectivamente. Conclusión: El uso de las estrategias de “Coping” para estas personas mayores, tienen el objetivo de lograr la resistencia y estabilidad del bienestar, evitando así un mayor estado de agotamiento. Las estrategias de “Coping” fueran un fenómeno ampliamente utilizado, aunque poco conocida por los cuidadores de edad avanzada. Esta investigación también sugiere que un mejor conocimiento acerca del tema, la importancia de su conocimiento de la enfermería, que se muestra como un sensibilizador de esa parte de la población. Palabras clave: edad avanzada; cuidadores; adaptación psicológica.
2

Consumo de antidepressivos en tre idosos: Evidências do projeto Bambuí

Vicente, Adriano Roberto Tarifa January 2015 (has links)
Submitted by Nuzia Santos (nuzia@cpqrr.fiocruz.br) on 2015-12-29T16:05:30Z No. of bitstreams: 1 Tese_EPI_AdrianoRobertoTarifaVicente.pdf: 245190 bytes, checksum: dee37031f981aaada12e243fea6378f2 (MD5) / Approved for entry into archive by Nuzia Santos (nuzia@cpqrr.fiocruz.br) on 2015-12-29T16:05:43Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Tese_EPI_AdrianoRobertoTarifaVicente.pdf: 245190 bytes, checksum: dee37031f981aaada12e243fea6378f2 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-12-29T16:05:43Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Tese_EPI_AdrianoRobertoTarifaVicente.pdf: 245190 bytes, checksum: dee37031f981aaada12e243fea6378f2 (MD5) Previous issue date: 2015 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisa Rene Rachou / Objetivo: Investigar o uso de antidepressivos entre idosos residentes em comunidade, em termos da prevalência e dos fatores associados, além das classes farmacológicas e princípios ativos mais utilizados. Metodologia: Participaram deste estudo seccional 1.606 idosos (60 ou mais anos de idade), integrantes da linha da linha-base da coorte do Projeto Bambuí, um estudo longitudinal sobre envelhecimento e saúde, desenvolvido na cidade de mesmo nome, em Minas Gerais. A variável-evento foi o uso referido de antidepressivos nos últimos 90 dias, com verificação de embalagem. A classi ficação dos medicamentos foi baseada no Anatomical Therapeutic Chemical Index (ATC Code). Usuários e não usuários de antidepressivos foram comparados quanto a características sociodemográficas, de condição de saúde e uso de serviços de saúde, além de suporte social e religiosidade, por meio do teste do qui-quadrado de Pearson. O modelo de regressão logística foi utilizado para testar hipóteses de associação, gerando estimativas brutas e ajustadas de odds ratios e respectivos intervalos de confiança de 95%, considerando o nível de significância de 5%. Resultados: A prevalência do uso de antidepressivo foi de 8,4% (IC95%: 7,1%-9,8%). Os antidepressivos tricíclicos (ADT) foram aqueles mais utilizados (76,4%) e a amitriptilin a (34,7%) foi o princípio ativo predominante entre os antidepressivos referidos. Após o ajustamento múltiplo, associações positivas e independentes foram observadas para o sexo feminino (OR=3,74; IC95% 2,15-6,49), auto-avaliação da saúde como ruim (OR=2,05; IC 95% 1,15-3,65), número de consultas médicas (OR=1,06; IC95% 1,02-1,08) e cobertura por pl ano de saúde (OR=1,76; IC95% 1,11-2,80; associações negativas e independentes foram observadas para disfunção cognitiva (OR=0,43; IC95% 0,21-0,84) e frequência semanal ao culto religioso (OR=0,44; IC95% 0,28-0,71). Conclusão: Nossos resultados mostraram o sexo feminino como a característica mais fortemente associada ao uso de antidepre ssivos, e que, nessa população, a religiosidade possivelmente ocupa um lugar de destaque no arsenal de estratégias de enfrentamento de problemas de saúde, especialmente os mentais. Em razão disso, os profissionais de saúde devem considerar a religiosidade e dos pacientes quando das orientações e tratamento propostos no enfrentamento do seu sofrimento mental. / Aim: The present study aimed to investigate the prevalence of antidepressant use and its correlates in the elders living in the community. Additionally, it aimed to identify the most widely used antidepressants, in terms of their pharmacological class and active principle. Methods: 1,606 elderly residents with 60 years or more on January 1st 1997 were identified and found eligible to constitute the baseline cohort of the Bambuí Project, a longitudinal study on aging and health, developed in the city of the same name, in Minas Gerais state. The dependent variable was the consumption of antidepressants, mentioned by participants and verified by inspection of the packaging. Drugs were coded using the Anatomical Therapeutic Chemical Index (ATC Code). The Pearson's chi-squared test was used to compare the antidepressant users with non-users in terms of sociodemographic characteristics, health and use of health services provided, as well as social support and religiousness. Factors statistically associated with antid epressant use were tested by logistic regr ession model, which generated crude and adjusted estimates of odds ratios and 95% confidence intervals, considering the significance level of 5%. Results: The prevalence of antidepressant use was 8.4% (95%CI:7.1%-9.8%). Tricyclic (pharmacological group) and amitriptyline (chemical substance) were the most frequently antidepressants used. After multiple adjustment, positive and independent associations were observ ed for females (OR=3.74; 95%CI:2.15-6.49), poor self-rated health (OR=2.05; IC95%:1.15-3.65), health insurance coverage (OR=1.76; 95%CI:1.11-2.80) and number of medical consultations (OR=1.06; 95%CI:1.02-1.08). Independent negative associations were observed for cognitive impairment (OR=0.43; 95%CI:0.21-0.84) and weekly church attendance (OR=0.44; 95% CI:0.28-0.71). Conclusion; Our results showed female sex as the characteristic most strongly associated with the use of antidepressants, and that, in this population, religiousness occupies a prominent place in the arsenal of strategies for coping with health problems, especially mental health ones. As a result, healthcare professionals should consider the religiosity of patients when the proposed guidelines and treatment in addressing their mental suffering.
3

Estratégias de enfrentamento nas disfonias orgânica e comportamental / Coping strategies on organic and behavioral dysphonia

Vaiano, Thays Christina Garcia [UNIFESP] January 2014 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-12-06T23:46:37Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2014 / Objetivo: Analisar as estrategias de enfrentamento utilizadas por individuos com diagnostico de disfonia organica e individuos com diagnostico de disfonia de base comportamental. Metodo: Participaram da pesquisa 53 sujeitos divididos em dois grupos: Grupo 1 (G1) formado por 33 pacientes com disfonia organica e Grupo 2 (G2)formado por 20 pacientes com disfonia comportamental. Todos responderam um questionario de identificacao e caracterizacao pessoal, Lista de Sinais e Sintomas de Voz, Protocolo de Estrategias de Enfrentamento das Disfonias u PEED 10, Protocolo Qualidade de Vida em Voz - QVV. Resultados: A auto-avaliacao vocal, o numero de sinais e sintomas e os escores do QVV nao diferenciaram os grupos. Pacientes com disfonia organica utilizam mais estrategias de enfrentamento que sujeitos com disfonia organica (p=0,018). Individuos com disfonia organica (G1) utilizam em primeiro lugar mais estrategias de autocontrole (6,58), seguido de evitacao/passividade (6,27), busca de informacao (5,36) e ressignificacao (3,70), portanto, este grupo faz mais uso de estrategias com foco na emocao. O grupo de individuos com disfonia comportamental (G2) utiliza em primeiro lugar, a estrategia com foco no problema de busca de informacao (5,65), seguida por estrategias com foco na emocao, tais como ressignificacao (4,60), autocontrole (4,50) e evitacao/passividade (1,55). Em ambos grupos pudemos observar que quanto maior o numero de estrategias utilizadas para enfrentar a difonia, melhores os escores do QVV. Conclusao: Individuos com disfonia organica e comportamental usam estrategias de enfrentamento variadas, o primeiro grupo faz mais uso de estrategias com foco na emocao e o segundo, com foco no problema. A quantidade de estrategias de enfrentamento utilizada correlaciona-se positivamente com a qualidade de vida nos aspectos relacionados a voz. O numero e tipo de estrategias utilizadas para enfrentar um disturbio de voz estao relacionados a percepcao do impacto da disfonia na qualidade de vida do paciente / BV UNIFESP: Teses e dissertações
4

Aplicabilidade e valor diagnóstico da escala FACES III (versão para casal sem filhos) para aferição da percepção do cônjuge e dos conceitos de seu modelo teórico : coesão e adaptação

Hidalgo, Maria Paz Loayza January 1997 (has links)
Resumo não disponível.
5

Métodos de enfrentamento religioso se associam com depressão, aspectos sociais da qualidade de vida e vitalidade entre pacientes com doença renal crônica submetidos à hemodiálise / Religious coping methods are associated with depression, social functioning and vitality among end-stage renal disease patients on hemodialysis

Capote Júnior, José Roberto Frota Gomes January 2016 (has links)
CAPOTE JÚNIOR, J. R. F. G. Métodos de enfrentamento religioso se associam com depressão, aspectos sociais da qualidade de vida e vitalidade entre pacientes com doença renal crônica submetidos à hemodiálise. 2016. 66 f. Dissertação (Mestrado Ciências da Saúde) - Campus de Sobral, Universidade Federal do Ceará, Sobral, 2016. / Submitted by Djeanne Costa (djeannecosta@gmail.com) on 2016-08-17T23:32:15Z No. of bitstreams: 1 2016_dis_jrfgcapotejunior.pdf: 490248 bytes, checksum: 213a2a3cc0ae7e292a19040af4921d97 (MD5) / Approved for entry into archive by Djeanne Costa (djeannecosta@gmail.com) on 2016-08-17T23:41:04Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_dis_jrfgcapotejunior.pdf: 490248 bytes, checksum: 213a2a3cc0ae7e292a19040af4921d97 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-17T23:41:04Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_dis_jrfgcapotejunior.pdf: 490248 bytes, checksum: 213a2a3cc0ae7e292a19040af4921d97 (MD5) Previous issue date: 2016 / Low quality of life and high prevalence of depression are universally found among end-stage renal disease patients undergoing hemodialysis. In the past decade, technical advances of dialysis therapy have not been sufficient to improve quality of life or decrease the prevalence of depression. Many variables associated with poor quality of life and depressive symptoms are not modifiable, like gender, age, and comorbidity. The relationship of spirituality and well-being is well documented in the literature. In the nephrology area, there are reports of better quality of life and less depression among dialysis patients with greater perception of spirituality and religiosity. Nevertheless, more studies on spirituality are necessary among hemodialysis patients, especially because to some extent spirituality can be modified, and strategies aiming at engaging patients in discussions about their spiritual concerns can be implemented by the care team. We conducted an observational study comprising 161 end-stage renal disease patients undergoing hemodialysis in the only dialysis center in northern Ceará state, northeast Brazil. Spirituality was assessed by the Religious Coping Activity Scales (RCOPE). Depression was screened by the 20-item version of the Center for Epidemiologic Studies Depression Scale (CES-D). Quality of life was evaluated through the Brazilian version of the Medical Outcomes Study 36-Item Short Form Health Questionnaire (SF-36). We found depression rate of 27.3%. Positive religious coping was negatively correlated with depression score (r=-0.200; p=0.012), meaning the more positive religious coping was, the lower the depression score tended to be. In addition, positive religious coping was an independent protective factor for depression (OR=0.132; CI 95%=0.021-0.910; p=0.039). Regarding quality of life, positive religious coping was able to independently predict better quality of life scores related to the following dimensions: bodily pain (b=14.401; p=0.048) and vitality (b=12.580; p=0.022). On the other hand, negative religious coping independently predicted worse score of the dimension social functioning (b=-21.158; p=0.017). Our results add further evidence that spirituality is a powerful mediator of quality of life and depression. Clinical implications for the care team are: patients using religious resources should be encouraged, while psycho-spiritual interventions should be tried targeting religious struggle (negative religious coping) among hemodialysis patients. / Baixa qualidade de vida e elevada prevalência de depressão são universalmente encontradas entre os pacientes com doença renal crônica em hemodiálise. Na última década, os avanços técnicos da terapia de diálise não têm sido suficientes para melhorar a qualidade de vida ou diminuir a prevalência de depressão. Muitas variáveis associadas com má qualidade de vida e sintomas depressivos não são modificáveis, como gênero, idade e comorbidades. A relação de espiritualidade e de bem-estar está bem documentada na literatura. Na área de Nefrologia, existem relatos de melhor qualidade de vida e menos depressão em pacientes de diálise com maior percepção de espiritualidade e religiosidade. No entanto, mais estudos sobre espiritualidade são necessários entre os pacientes em hemodiálise, especialmente porque, em certa medida, a espiritualidade pode ser modificada, e estratégias objetivando o engajamento de pacientes em discussões sobre suas preocupações espirituais podem ser implementadas pela equipe de cuidados. Foi realizado um estudo observacional, composto por 161 pacientes com doença renal terminal em hemodiálise, no único centro de diálise do norte do estado do Ceará, nordeste do Brasil. A Espiritualidade foi avaliada pela Escala de Coping religioso-espiritual, a Religious Coping Activity Scales (RCOPE). A Depressão foi rastreada pela versão de 20 itens da Escala CES-D (Center for Epidemiologic Studies Depression Scale). A Qualidade de vida foi avaliada através da versão brasileira do questionário Medical Outcomes Study 36-Item Short Form Health Questionnaire (SF-36). Encontramos a taxa de depressão de 27,3%. Coping religioso positivo foi negativamente correlacionado com o escore de depressão (r =-0.200; p = 0,012), significando que quanto maior for o coping religioso positivo, mais baixo o escore de depressão tende a ser. Além disso, o coping religioso positivo foi um fator de proteção independente para a depressão (ou = 0,132; IC 95% = 0.021-0.910; p = 0.039). Com relação à qualidade de vida, o coping religioso positivo foi um preditor independente de melhores escores de qualidade de vida relacionadas com as seguintes dimensões: dor (b = 14.401; p = 0,048) e vitalidade (b = 12.580; p = 0,022). Por outro lado, o coping religioso negativo foi um preditor independente para pior escore na dimensão “aspectos sociais” da qualidade de vida (b =-21.158; p = 0,017). Nossos resultados acrescentam mais uma evidência de que a espiritualidade é um potente mediador da qualidade de vida e depressão. Implicações clínicas para a equipe de cuidados são: pacientes usando recursos religiosos devem ser incentivados, enquanto as intervenções psicoespirituais devem ser implementadas como alvo em combate à luta religiosa (coping religioso negativo) entre os pacientes em hemodiálise.
6

Aplicabilidade e valor diagnóstico da escala FACES III (versão para casal sem filhos) para aferição da percepção do cônjuge e dos conceitos de seu modelo teórico : coesão e adaptação

Hidalgo, Maria Paz Loayza January 1997 (has links)
Resumo não disponível.
7

Ansiedade e estratégias de enfrentamento adotadas pelas mulheres com diagnóstico de câncer de mama em tratamento quimioterápico

Silva, Araceli Vicente da 29 July 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T15:38:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_7607_Dissertação final1.pdf: 1443456 bytes, checksum: 5d03ef4c3f13164b1e9096ee9fa44073 (MD5) Previous issue date: 2015-07-29 / Objetivos: identificar o traço e o estado de ansiedade e as estratégias de enfrentamento psicológico adotadas pelas pacientes com câncer de mama e examinar as suas relações com as variáveis sociodemográficas e clínicas, e correlacionar as estratégias de enfrentamento adotadas com o traço e estado de ansiedade. Metodologia: trata-se de um estudo descritivo do tipo corte transversal, desenvolvido no setor de quimioterapia do ambulatório Ylza Bianco, que pertence ao Hospital Santa Rita de Cássia, localizado no município de Vitória, ES. A amostra é composta, de forma aleatória, por 307 mulheres com câncer de mama em tratamento quimioterápico endovenoso prévio, adjuvante ou paliativo. Os dados foram coletados por meio de entrevista, utilizou-se a Escala de Modo de Enfrentamento de Problemas (EMEP) e do Inventário de Ansiedade (A-Traço) e Estado (B-Estado) – IDATE. Para análise estatística utilizou-se o SPSS versão 19.0. Resultados: 60,9% das pacientes demonstraram ter baixo nível do traço de ansiedade e 91,5% baixo nível do estado de ansiedade. A estratégia de enfrentamento mais utilizada pelas pacientes foi o enfrentamento com foco no problema, seguida pelo foco na religião, sendo o enfrentamento com foco no suporte social e na emoção os menos utilizados. As correlações do traço de ansiedade e estratégias de enfrentamento com foco no problema (p < 0,000); com foco na emoção (p < 0,000); o estado de ansiedade com enfrentamento com foco no problema (p = 0,001); e com foco na emoção (p = 0,004) demostraram ser significativas. Conclusão: as variáveis sociodemográficas e clínicas influenciam de maneira direta no nível de ansiedade e na escolha da estratégia de enfrentamento a ser adotada pelas pacientes. Verificou-se que a estratégia de enfrentamento eleita pelas mulheres tem relação direta com o seu estado e seu traço de ansiedade. Os profissionais devem conhecer a correlação existente entre o enfrentamento e a ansiedade, para desenvolver medidas a implementar para ajudar os pacientes a eleger estratégias eficientes de enfrentamento e, como consequência, reduzir o nível de ansiedade. / Objectives: To identify the trait and state anxiety and psychological coping strategies for patients with breast cancer, and to examine its relationship with sociodemographic and clinical variables, and to correlate the coping strategies adopted with the trait and state anxiety. Methodology: This is a descriptive crosssectional study, developed in the chemotherapy Ylza Bianco outpatient sector of the Hospital Santa Rita, located in Vitória / ES. The sample was randomly taken, and was composed by 307 women with prior breast cancer intravenous chemotherapy, either adjuvant or palliative. Data was collected through interviews, and the Confront Problems Mode Scale (EMEP) and the Anxiety Inventory (A-Trait) and State (State B) – IDATE scales were used. For statistical analysis, the SPSS program, version 19.0, was used. Results: 60.9% of patients were found to have low levels of trait anxiety, and 91.5% low level of the state of anxiety. The coping strategy most used by patients was coping focused on the problem, followed by focus on religion, and the coping strategies focused on social support and emotion were the least used. A significant correlation of trait anxiety and coping strategies focused on the problem (p<0,000); with focus on emotion (p<0,000); state of anxiety with coping focused on the problem (p=0,001 ); and with focus on emotion (p=0,004) was proved. Conclusion: The socio-demographic and clinical variables influence in a direct way in the level of anxiety and choice of coping strategy to be adopted by patients. It was found that the coping strategy chosen by women is directly related to their state and trait anxiety. Providers should know the correlation between coping and anxiety to develop measures to implement and help patients to choose efficient strategies for coping and, as a consequence, reducing the level of anxiety.
8

Aplicabilidade e valor diagnóstico da escala FACES III (versão para casal sem filhos) para aferição da percepção do cônjuge e dos conceitos de seu modelo teórico : coesão e adaptação

Hidalgo, Maria Paz Loayza January 1997 (has links)
Resumo não disponível.
9

Adaptação transcultural e propriedades psicométricas do COPE breve em uma amostra brasileira / Cross-cultural adaptation and psychometric properties of the brief COPE in a brazilian sample

Brasileiro, Sarah Vieira 30 March 2012 (has links)
Submitted by Erika Demachki (erikademachki@gmail.com) on 2014-10-15T19:55:27Z No. of bitstreams: 2 Dissertação - Sarah Vieira Brasileiro - 2012.pdf: 1160405 bytes, checksum: b447baafe8b8b6924a80db0ea434688c (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) / Approved for entry into archive by Jaqueline Silva (jtas29@gmail.com) on 2014-10-16T18:08:33Z (GMT) No. of bitstreams: 2 Dissertação - Sarah Vieira Brasileiro - 2012.pdf: 1160405 bytes, checksum: b447baafe8b8b6924a80db0ea434688c (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-10-16T18:08:33Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Dissertação - Sarah Vieira Brasileiro - 2012.pdf: 1160405 bytes, checksum: b447baafe8b8b6924a80db0ea434688c (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Previous issue date: 2012-03-30 / Evidence indicates that some strategies of coping may play an important role in the disease psychological adaptation. It is important to evaluate the different ways of how people respond to stressful situations. Questionnaires for the assessment of coping have been widely used and recommended both in clinical practice and for research. The aim of this study was therefore to adapt the Brief COPE for the Brazilian population and to evaluate the psychometric properties of this instrument in a Brazilian sample. The cross-cultural adaptation of the Brief COPE followed procedures recommended by Beaton et al. and the final version was tested on a sample of 30 patients. Two hundred and thirty-seven individuals participated in the evaluation of the psychometric properties of the adapted version (Brief COPE). The intra-observer reliability was assessed in the reapplication of the Brief COPE after four weeks by the same observer. Factor analysis was conducted to evaluate the factorial validity of the Brief COPE. The internal consistency was estimated using the Cronbach’s alpha, calculated for each sub-scale and full scale factors. Regarding the results, the test-retest rateswere mostly above 0.75, demonstrating good reliability. Cronbach’s alpha for the whole Brief Cope was 0.84; 2 out of 14 sub-scales achieved Cronbach's alpha of at least 0.70, the other sub-scales were below this parameter. Factor analysis revealed four factors. We conclude that the Brief COPE was properly translated for use in the Brazilian population, demonstrating to be a reliable instrument to assess coping strategies. / Evidências indicam que algumas estratégias de coping podem desempenhar um papel importante na adaptação psicológica à doença. Faz-se importante avaliar as diferentes formas de como as pessoas respondem a situações estressantes. Questionários para avaliação do coping têm sido amplamente utilizados e recomendados tanto na prática clínica como em pesquisas. O Brief COPE é um inventário usado para investigar as diferentes formas de como as pessoas respondem a situações estressantes. O objetivo deste estudo, portanto, foi adaptar culturalmente o Brief COPE para a população brasileira e avaliar as propriedades psicométricas deste instrumento em uma amostra de brasileiros. A adaptação transcultural do Brief COPE seguiu procedimentos recomendados por Beaton et al. e a versão final foi testada em uma amostra de 30 pacientes. Duzentos e trinta e sete indivíduos participaram da avaliação das propriedades psicométricas da versão adaptada (COPE Breve). A confiabilidade intra-observador foi avaliada na reaplicação do COPE Breve após quatro semanas pelo mesmo observador. A análise fatorial exploratória foi conduzida para avaliar a validade fatorial do COPE Breve. A avaliação da consistência interna foi estimada por meio do Coeficiente Alfa de Cronbach, calculado para cada sub-escala, fatores e escala total. Com relação aos resultados, os índices de confiabilidade apresentaram valores elevados, onde a maioria ficou acima de 0,75. A escala total apresentou Alfa de Cronbach = 0,84, demonstrando elevada consistência. A análise fatorial revelou quatro fatores. Concluímos que o Brief COPE foi adequadamente traduzido para ser utilizado na população brasileira, demonstrando ser um instrumento confiável para avaliar a estratégias de coping.
10

Validação da escala de verificação do nível de adaptação da pessoa com estomia (ENAE) elaborada à luz do modelo de Roy

Xavier, Suenia Silva de Mesquita 26 February 2018 (has links)
Submitted by Automação e Estatística (sst@bczm.ufrn.br) on 2018-06-15T21:26:16Z No. of bitstreams: 1 SueniaSilvaDeMesquitaXavier_TESE.pdf: 2497206 bytes, checksum: 24a47133f8f1eddc84bba53debccb10d (MD5) / Approved for entry into archive by Arlan Eloi Leite Silva (eloihistoriador@yahoo.com.br) on 2018-06-19T20:51:03Z (GMT) No. of bitstreams: 1 SueniaSilvaDeMesquitaXavier_TESE.pdf: 2497206 bytes, checksum: 24a47133f8f1eddc84bba53debccb10d (MD5) / Made available in DSpace on 2018-06-19T20:51:03Z (GMT). No. of bitstreams: 1 SueniaSilvaDeMesquitaXavier_TESE.pdf: 2497206 bytes, checksum: 24a47133f8f1eddc84bba53debccb10d (MD5) Previous issue date: 2018-02-26 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq / Estomia é a abertura de qualquer víscera oca para o exterior do corpo por meio de um ato cirúrgico, com finalidade de suprir a necessidade de alimentação ou eliminação. Ter uma estomia pode trazer limitações às perspectivas de vida visto que as alterações físicas transcursam o campo fisiológico e atingem o campo psicossocial, o que demanda do indivíduo uma adaptação frente à nova realidade. Acredita-se que a utilização de um instrumento elaborado a partir de uma teoria de enfermagem com foco na adaptação, como o Modelo de Adaptação de Roy, pode colaborar para a Sistematização da Assistência de Enfermagem e para o cuidado a pessoas com estomia. Nesse sentido, objetivou-se analisar evidências de validade da Escala de Verificação do Nível de Adaptação da Pessoa com Estomia (ENAE) elaborada à luz do Modelo de Roy. Trata-se do estudo metodológico de validação da ENAE, que foi desenvolvido em quatro etapas: 1ª polo teórico constituído por duas rodadas de submissão do instrumento aos juízes, realização do teste piloto e correção léxica e gramatical; 2ª polo experimental que envolveu o planejamento da aplicação do instrumento, aplicação e coleta de dados, sendo o instrumento aplicado à 200 pessoas com estomia no Centro de Reabilitação Infantil e Adulto do Rio Grande do Norte; 3ª polo analítico envolveu à realização das análises estatísticas, com aplicação do Alfa de Cronbach para análise da consistência interna dos itens, correlação de Pearson e teste T para análise da precisão do instrumento, e teste de kruskal-Wallis para a verificação das evidências de validade de critério; 4ª associação entre as características sociodemográficas, clínicas e de saúde e as dimensões da ENAE em que utilizou-se o teste de Mann-Whitney. Como resultado, na primeira etapa 13 itens receberam sugestões de melhoria, 3 itens foram unificados por similaridade de abordagem e 1 item foi excluído. Após os ajustes realizados na primeira etapa, foi alcançado o consenso dos juízes quanto à representatividade dos itens e a permanência nos modos. A versão final do instrumento ficou composta por 32 itens distribuídos em quatro modos adaptativos, sendo os índices de Alfa de Cronbach: modo fisiológico (α=0,680), autoconceito (α=0,889), função de papel (α=0,749) e interdependência (α=0,793), valor global de Alfa de 0,980. No teste-reteste, quanto a confiabilidade, observouse correlações entre 0,723 a 0,870, sendo todas fortes e significativas (p<0,005) e quanto a precisão, verificou-se que as médias dos escores foram bastante semelhantes entre o teste e o reteste, portanto sem diferença estatisticamente significativa (teste T). Quanto a validade de critério, verificou-se uma relação significativa (p<0,001) por meio do teste de Kruskal-Wallis Verificou-se relação significativa entre sexo, faixa etária, renda, tempo de estomia, critério de permanência e presença de complicações e os domínios da ENAE. Assim, aceita-se a hipótese alternativa do estudo, a medida que o instrumento apresentou fortes evidências de validade. Espera-se que a utilização de um instrumento construído a partir de uma teoria e validado cientificamente, possa contribuir para a prática assistencial as pessoas com estomias e colaborar com o desenvolvimento da enfermagem enquanto ciência. / Ostomy is the opening of any hollow viscera to the outside of the body through a surgical procedure, aiming to supplement the need for feeding or elimination. Having an ostomy can restrict perspectives in life given that the physical alterations extend beyond the physiological realm and reach the psychosocial, which demand that the individual adapt to the new reality. It is believed that the use of an instrument developed based on a theory of caretaking that focuses on adaptation, such as the Roy Adaptation Model, can collaborate with the Systemization of Nursing Care Assistance and to the care of people with ostomy. Thus, this study aims to analyze evidence of the validity of the Verification of the Level of Adaptation Scale for People with Ostomy (ENAE – in Portuguese), based on the Roy Model. This research is characterized as a methodological validation study of the ENAE, which was developed in four stages: 1st – the theoretical pole constituted by two rounds of submissions of the instrument to the judges, the carrying out of a pilot test, and lexical and grammatical correction; 2nd – the experimental pole that involves the planning of the application of the instrument, application and collection of data, the instrument having been applied to 200 people with ostomy at the Child and Adult Rehabilitation Center of Rio Grande do Norte; 3rd – the analytical pole involving the carrying out of the statistical analysis, applying Cronbach’s Alpha to analyze the internal consistency of the items, Pearson correlation, and T test to analyze the precision of the instrument, as well as the Kruskal-Wallis test to verify the evidence of criteria validity; 4th- the socio-demographic, clinical and health characteristics, and the dimensions of the ENAE in which the Mann-Whitney test was used. As a result, in the first stage, 13 items received suggestions for improvement, 3 items were unified as their approaches were similar, and 1 item was excluded. After the adjustments were completed in the first stage, a consensus among the judges was arrived at with regard to the representativeness of the items and the permanence in the modes. The final version of the instrument comprised 32 items distributed in four adaptive modes, the Cronbach’s Alpha rates being: physiological mode (α=0,680), self-concept (α=0,889), role function (α=0,749) and interdependence (α=0,793), with a global value of Alpha at 0,980. In the test-retest, regarding reliability, it was observed that the correlations were between 0,723 to 0,870, all of them strong and statistically significant (p<0,005) and with regard to the precision, it was verified that the means of the scores were very similar between the test and the retest, therefore without any statistically significant difference (T test). As for the criteria validity, it was verified that a significant relationship exits (p<0,001) through the Kruskal-Wallis test. A significant relationship was verified among sex, age, income, time of ostomy, permanence and presence of complications and the ENAE domains. Thus, the alternate hypothesis of the study is accepted, insofar as the instrument presented strong evidence of validity. The expectation is that the use of an instrument developed from a theory and validated scientifically, can contribute to the assistance practice for people with ostomy and aid in the development of nursing as a science.

Page generated in 0.0857 seconds