• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1158
  • 18
  • 17
  • 17
  • 17
  • 15
  • 6
  • 4
  • 3
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 1206
  • 578
  • 228
  • 227
  • 172
  • 147
  • 141
  • 129
  • 124
  • 118
  • 113
  • 98
  • 97
  • 95
  • 92
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
31

O ensino de dança em "jogo" : por uma metodologia contemporânea

Greca, Juliana Maria 14 July 2016 (has links)
Submitted by Luiza Kleinubing (luiza.kleinubing@udesc.br) on 2018-03-22T17:29:56Z No. of bitstreams: 1 JULIANA MARIA GRECA.pdf: 1612634 bytes, checksum: 4880e70c2976015eb7ae7066737c758f (MD5) / Made available in DSpace on 2018-03-22T17:29:56Z (GMT). No. of bitstreams: 1 JULIANA MARIA GRECA.pdf: 1612634 bytes, checksum: 4880e70c2976015eb7ae7066737c758f (MD5) Previous issue date: 2016-07-14 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / This research argues about the role of dance education in schools, being its main concern: What is the role that dance represents on the political and educational contexts of the educational institutions that provide it as a pedagogical practice? The approach to the theme is made from contemporary, artistic, and educational assumptions that justify a transformation of the traditional dance teaching panorama in schools. This perspective is supported by and based on theoretical studies originated from Art Education in Dance with methodological educational mediating discussions. Using the Dance in context methodology and the concept of artist/teacher by Isabel Marques, along with the liberating educational practice concept of Paulo Freire, guiding questions for developing a contemporary and critically coherent approach to dance in schools, in a critically coherent politicalpedagogical context in which it is inserted, are both exploited and presented. Thus, the game concept of João Batista Freire is presented as a place for profitable proposition for new paradigms to dance education in educational settings. The discussion is illustrated by practical examples designed in response to a questioning of my own educational work context, the Universidade Tecnológica Federal do Paraná (Federal Technological University of Paraná). / Esta pesquisa problematiza o ensino de dança em escolas e tem por principal inquietação: Qual o papel que a dança cumpre diante dos contextos político-pedagógicos das instituições educacionais que a acolhem como prática pedagógica? A abordagem do tema é realizada a partir de pressupostos artístico-educacionais contemporâneos que justificam uma transformação do panorama do ensino tradicional de dança nas escolas. O amparo para construção dessa perspectiva se baseia no referencial teórico dos estudos em Arte-Educação fecundos na Dança, com mediação metodológica de discussões sobre educação. Através da metodologia Dança no contexto e do conceito artista/docente de Isabel Marques, juntamente com o conceito de educação libertadora de Paulo Freire, exploram-se e evidenciam-se questões norteadoras para elaboração de uma metodologia contemporânea para dança na escola, a qual seja criticamente coerente ao contexto político-pedagógico em que esteja inserida. Desse modo, o conceito de jogo de João Batista Freire é apresentado como lugar profícuo para proposição de novos paradigmas ao ensino de dança em ambientes educacionais. A discussão é ilustrada por exemplos práticos concebidos em resposta à problematização do meu próprio contexto educacional de trabalho, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná.
32

MUDANÇA DE TRILHOS: A INVENÇÃO COMO DESTERRITORIALIZAÇÃO DAS AÇÕES PEDAGÓGICAS EM DANÇA.

Santos, Maiara de Almeida January 2018 (has links)
Submitted by Diana Alves (ppgdancaufba.adm@gmail.com) on 2018-09-20T14:44:24Z No. of bitstreams: 1 DISSERTACAO HOMOLOGAÇÃO2pdf.pdf: 846083 bytes, checksum: 998eb61d1c66176c30695162c497b15d (MD5) / Approved for entry into archive by Setor de Periódicos (per_macedocosta@ufba.br) on 2018-09-24T17:46:12Z (GMT) No. of bitstreams: 1 DISSERTACAO HOMOLOGAÇÃO2pdf.pdf: 846083 bytes, checksum: 998eb61d1c66176c30695162c497b15d (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-24T17:46:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DISSERTACAO HOMOLOGAÇÃO2pdf.pdf: 846083 bytes, checksum: 998eb61d1c66176c30695162c497b15d (MD5) / Esta dissertação parte das inquietações quanto às ações pedagógicas em dança, que se encontram na esfera do controle sobre os corpos dos discentes e pretende evidenciar que muitas ações pedagógicas no ensino da dança são normatizadas e legitimadas e, que, portanto, se encontram impregnadas de diversos entendimentos que afetam diretamente não apenas os modos dos corpos aprenderem, mas, também, se perceberem no mundo. Por isso, busca-se ratificar e problematizar algumas dessas ações pedagógicas em dança, entendendo-as sob uma perspectiva de jogo de forças, de ações de poder. O poder, aqui, é entendido como biopoder (FOUCAULT, 1988), pois não é algo localizável, pontual, mas atuante em toda a vida do sujeito. Faz-se necessária a reflexão, ao contrário de descurar a prática pedagógica em dança, já que a existência de ações coercitivas se dão no corpo e não se encerram em uma sala aula. Interferem nos corpos, resvalando em seus modos de conhecer, sentir, experimentar: em sua vida como um todo. Deste modo, este estudo aponta como a ação pedagógica em dança está estratificada em territórios fixos com poucas possibilidades de escape. Para se pensar/fazer outros modos de conceber o ensino da dança que a afirme como um espaço propositor, que contribua para o aumento de potência dos corpos,é preciso traçar linhas de fuga, criando novos territórios continuamente e abertos a novas desterritorializações. Afinal, o corpo é processual e o aprendizado também. Como não há um modelo a seguir, mesmo porque contradiz as proposições, aqui, apresentadas, aponta-se como um possível caminho, a aprendizagem inventiva (KASTRUP, 1999) para se pensar nas ações pedagógicas em dança. Na perspectiva da aprendizagem inventiva, propõe-se a percepção do corpo, na dança, que problematize, instigue, questione, invente, onde professores e alunos compartilhem o levantamento de questões, ampliando a potência de existir dos corpos. Deste modo, o ensino da dança pode ser percebido como um espaço de biopotência, possibilitando a formação de corpos engajados que gerem escapes às ações do biopoder.
33

(In)vestindo discursos: um estudo sobre o figurino em obras de dança contemporânea

Santos, Leandro Pereira dos 18 May 2018 (has links)
Submitted by Diana Alves (ppgdancaufba.adm@gmail.com) on 2018-09-20T14:28:20Z No. of bitstreams: 1 Dissertação - Leandro Pereira dos Santos.pdf: 831845 bytes, checksum: 1a66f1625e1f4c0d38bf5212fcaf4702 (MD5) / Approved for entry into archive by Setor de Periódicos (per_macedocosta@ufba.br) on 2018-09-24T17:55:17Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação - Leandro Pereira dos Santos.pdf: 831845 bytes, checksum: 1a66f1625e1f4c0d38bf5212fcaf4702 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-24T17:55:17Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação - Leandro Pereira dos Santos.pdf: 831845 bytes, checksum: 1a66f1625e1f4c0d38bf5212fcaf4702 (MD5) / O presente estudo apresenta um olhar amplo para as questões que envolvem o figurino na dança contemporânea e os discursos possíveis que reverberam desse elemento em cena. Assim, a ideia aqui articulada aponta o figurino enquanto elemento cênico articulador de conceitos e sob aspectos do não determinismo, um figurino neutro. A neutralidade mencionada no texto tem referência no estudo desenvolvido pelo sociólogo Roland Barthes (2003), em que o mesmo aponta uma neutralidade que se distancia do pensamento construído pelo senso-comum onde o neutro se caracteriza enquanto o inexistente. Para isso, um breve estudo (panorama histórico) sobre o figurino na dança apresentado por Antônio José Faro (2011), o conceito de roupa e de moda apresentados por Malcolm Barnard (2003), o pensamento sobre o que é contemporâneo de Giorgio Agamben (2009), a ideia de imagem discutida por Adriana Bittencourt (2012), dentre outros autores citados no texto, são imprescindíveis para o entendimento aqui proposto. O desenvolvimento das análises apresentadas são a partir das seguintes obras de dança contemporânea: Encarnado (2005) da Lia Rodrigues Cia de Dança e Partes sem roteiros (2008) do His-contemporâneo de Dança. Ambas as obras, apresentam figurinos que não seguem uma narrativa linear das questões em cena, ao mesmo tempo em que apontam deslocamentos e ampliação das possibilidades de interpretação.
34

Instalação coreográfica: crítica e limiar

Sheldon, Ana Rizek 09 December 2014 (has links)
Submitted by Diana Alves (ppgdancaufba.adm@gmail.com) on 2016-06-09T12:38:12Z No. of bitstreams: 1 Dissertação Ana Rizek.pdf: 691379 bytes, checksum: fb3b9ca0bb11cf9799308f04aec7a8e4 (MD5) / Approved for entry into archive by Alda Lima da Silva (sivalda@ufba.br) on 2016-06-13T17:37:42Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação Ana Rizek.pdf: 691379 bytes, checksum: fb3b9ca0bb11cf9799308f04aec7a8e4 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-06-13T17:37:42Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação Ana Rizek.pdf: 691379 bytes, checksum: fb3b9ca0bb11cf9799308f04aec7a8e4 (MD5) / Esta dissertação apresenta uma reflexão acerca da ocorrência de um modo de composição nomeado “instalação coreográfica” por artistas e críticos da cena paulistana da dança contemporânea na primeira década do século XXI. O ponto de partida da pesquisa foi o trabalho Vestígios da coreógrafa paulistana Marta Soares, embora o resultado escrito não se restrinja a uma análise monográfica sobre a obra. O principal desafio metodológico desse estudo foi encontrar uma maneira de dissertar a respeito de um jeito de compor um pensamento em dança que fugisse à descrição ilustrativa ou ao ímpeto por uma definição teórica. O foco da discussão está, assim, nas interlocuções entre dança e artes visuais inscritas no campo da dança contemporânea, identificadas na instalação coreográfica pela hipótese de que nessa forma compositiva opera um dispositivo crítico de relação entre obra e contexto de existência. As noções de limiar (BENJAMIN, 2007) e zona de transitividade (BRITTO, 2008a) foram fundamentais para circunscrever a hipótese deste trabalho.
35

Compor danças: processo complicado do fazer e do aprender

Roel, Renata Santos 29 July 2014 (has links)
Submitted by Diana Alves (ppgdancaufba.adm@gmail.com) on 2016-06-09T12:59:50Z No. of bitstreams: 1 Dissertação Renata Roel.pdf: 1274670 bytes, checksum: d23603f86f021eb508896c58bcf9a654 (MD5) / Approved for entry into archive by Alda Lima da Silva (sivalda@ufba.br) on 2016-06-13T17:38:10Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação Renata Roel.pdf: 1274670 bytes, checksum: d23603f86f021eb508896c58bcf9a654 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-06-13T17:38:10Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação Renata Roel.pdf: 1274670 bytes, checksum: d23603f86f021eb508896c58bcf9a654 (MD5) / Este estudo focaliza a especificidade da composição em dança, remetendo-se tanto ao processo de elaboração quanto à configuração resultante de uma dança. O que aqui se propõe é pensar a composição, considerando a coimplicação das ações de fazer e aprender, ou seja, um fazer que é também aprender. Ao mesmo tempo, ganham destaque aspectos referentes à autonomia do processo criativo e aspectos referentes às diferenças nos modos de operar do artista. Trata a prática da composição como um lugar de aprendizagem aberto, não dependente de metodologias fixas, externas e de modelos pré-existentes. Isto também promove a reflexão acerca do entendimento das habilidades, tratando-as enquanto prática relacional, que colabora para a construção e reconstrução de ações e ideias em movimento a depender das situações e dos contextos. Nesse sentido, o artista se move pelas ideias que emergem no e do processo. Há ainda espaço para pensar a experiência compositiva enquanto campo de testes que reloca alguns entendimentos concernentes as práticas compositivas em dança feita por artistas que concebem e também executam suas próprias danças como ideias no mundo. Para o desenvolvimento desse estudo, utiliza-se de um procedimento metodológico que investe na interseção do fazer artístico e acadêmico tecido de forma colaborativa. Faz-se interlocução com o sociólogo Richard Sennett (2012), o pedagogo Jorge Larrosa Bondía (2002) e o astrofísico Jorge Abulquerque Vieira (2006) e com as teóricas da dança Adriana Bittencourt (2012), Fabiana Dultra Britto (2008), Jussara Sobreira Setenta (2008) dentre outros.
36

Repulsa e abjeção na dança contemporânea: a crise como potência transgressora e o anestesia-mento crítico

Cruz, Isaura Suélen Tupiniquim January 2016 (has links)
Submitted by Diana Alves (ppgdancaufba.adm@gmail.com) on 2016-07-21T13:02:59Z No. of bitstreams: 1 DISSERTACAO-IsauraTupiniquim.pdf: 1343081 bytes, checksum: 2a53fed798aae9087a991b2ec1023584 (MD5) / Approved for entry into archive by Patricia Barroso (pbarroso@ufba.br) on 2016-07-21T16:39:10Z (GMT) No. of bitstreams: 1 DISSERTACAO-IsauraTupiniquim.pdf: 1343081 bytes, checksum: 2a53fed798aae9087a991b2ec1023584 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-07-21T16:39:10Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DISSERTACAO-IsauraTupiniquim.pdf: 1343081 bytes, checksum: 2a53fed798aae9087a991b2ec1023584 (MD5) / Ao gerar mudanças no corpo e na arte, a crise como transgressão é uma potência que mobiliza a história e as práticas políticas. O anestesiamento crítico, decorrente de uma circularidade formada no circuito artístico, ao estabelecer uma hegemonia discursiva nas produções estéti-cas, produz um paradoxo entre a transgressão como pressuposto na dança contemporânea e a normatização das ações nesse campo. De uma perspectiva da biopolítica, que captura os dese-jos e a imaginação, os discursos de transgressão na arte podem ter seu espaço reservado, prin-cipalmente quando não existe um interdito contra o qual se opor. Nessa concepção política, os poderes são diluídos e capitalizáveis, anestesiando as forças de tensão e a capacidade crítica dos corpos. A transgressão está vinculada ao interdito, pois ambos são fundamentos implícitos à conjuntura existencial e social do corpo. A noção de transgressão da linguagem articula e problematiza a esfera artística que, atrelada aos conceitos de performatividade, heterogenei-dade e heterologia, expõe uma contradição entre o conteúdo dos discursos e as práticas en-gendradas nas demandas de mercado, fragilizando o corpo performativo, tanto nas experimen-tações da vanguarda da década de 1960 quanto nas suas implicações históricas, que se esten-dem à atualidade. Nesta pesquisa, as análises das produções artísticas são abordadas a partir dos conceitos de informe e de abjeção, os quais se aproximam radicalmente da transgressão, devido à produção de conflito e repulsa.
37

Fandango paranaense da Ilha dos Valadares – processos de tradução cultural e aprendizagem inventiva na dança

Ferreira, Thais de Jesus January 2016 (has links)
Submitted by Diana Alves (ppgdancaufba.adm@gmail.com) on 2016-07-21T12:42:21Z No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO THAIS FERREIRA.pdf: 3126149 bytes, checksum: f84c32d7d3299dc3cab7c354c7d8a62e (MD5) / Approved for entry into archive by Patricia Barroso (pbarroso@ufba.br) on 2016-07-21T16:45:11Z (GMT) No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO THAIS FERREIRA.pdf: 3126149 bytes, checksum: f84c32d7d3299dc3cab7c354c7d8a62e (MD5) / Made available in DSpace on 2016-07-21T16:45:11Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO THAIS FERREIRA.pdf: 3126149 bytes, checksum: f84c32d7d3299dc3cab7c354c7d8a62e (MD5) / Essa dissertação trata dos processos de tradução cultural e de aprendizagem inventiva na dança do Fandango Paranaense da Ilha dos Valadares, Paranaguá. O processo de tradução cultural consiste em um olhar para as tradições, atualizado e imbricado na dinamicidade da cultura popular, articulando, para tanto, perspectivas dos autores Bhabha (2013), Hall (2013) e Santos (2010). A aprendizagem inventiva (KASTRUP, 2007) se dá pela problematização e invenção, e essa proposta é deslocada para analisar os processos de ensino-aprendizagem presentes na dança popular, mais especificamente no Fandango Paranaense, considerando como um campo da educação não-formal. Essa manifestação popular foi entrecruzada por processos de resistência e ressignificação, ao mesmo tempo em que por colonização e recolonização, possibilitando, de um lado, a inventividade e, de outro, a obliteração do processo de criação. Assim, a aprendizagem da dança popular brasileira, no caso o Fandango, se apresentou por diferentes aspectos, pela repetição e replicação de movimentos e pela ação criativa e inventiva nos estados de corpo. A cartografia (PASSOS; KASTRUP; ESCÓSSIA, 2009), como uma tipologia das pesquisas de cunho qualitativo, foi adotada como percurso metodológico, constituído no ato de pesquisar, visando entender a relação entre cultura e educação. Assim, a imersão no campo da pesquisa, a contextualização do Fandango e as ações corporificadas que emergiram do processo constituíram os caminhos. Para tanto, algumas pistas se compuseram delineando a pesquisa de campo: corpo-dança, corpo-texto e corpo-dança-caiçara; e para complementar as pistas norteadoras se criaram micro pistas que são: parar para olhar, ouvir e sentir; pousar e desfocar a atenção; intervir sem inferir; registrar sensações e anseios; acompanhar processos; e descrever ações. As pistas criadas desenharam caminhos para a compreensão da problemática, que permitiu, pela observação participativa, a tradução cultural do Fandango Paranaense e o entendimento dos processos de aprendizagem na dança popular brasileira que apresentaram a ação corporificada de distintas formas, inventivas e/ou repetitivas, com as replicações abarcando as diferenças.
38

Coreografia da burocracia: implicações políticas nos processos criativos em dança

Monteiro, Fábio Luís Oliveira January 2014 (has links)
Submitted by Diana Alves (ppgdancaufba.adm@gmail.com) on 2016-08-18T14:10:28Z No. of bitstreams: 1 Dissertação Fabio Luis.pdf: 5478199 bytes, checksum: 3277c59c9c16d92029694d6a79fcb2f4 (MD5) / Approved for entry into archive by Patricia Barroso (pbarroso@ufba.br) on 2016-08-18T20:18:28Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação Fabio Luis.pdf: 5478199 bytes, checksum: 3277c59c9c16d92029694d6a79fcb2f4 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-18T20:18:28Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação Fabio Luis.pdf: 5478199 bytes, checksum: 3277c59c9c16d92029694d6a79fcb2f4 (MD5) / Este estudo reflete sobre o trânsito entre gestão cultural, políticas públicas e criação artística. O objetivo é refletir sobre as implicações dos editais, enquanto instrumento de aplicação de uma política cultural, nos processos criativos em dança. Será observada, para tanto, a gestão da Secretaria de Cultura da Bahia, no período de 2007 a 2010. Este período marcou o fortalecimento dos editais como mecanismos de distribuição dos recursos públicos para a cultura. Para tanto, avançaremos no entendimento de cultura e suas dimensões através de reflexões propostas por Raymond Williams, José Joaquín Brunner e Isaura Botelho. Após apresentado o arcabouço teórico inicial, será apresentado um panorama da evolução das políticas públicas para a cultura no Brasil, para logo em seguida aprofundar no contexto da Bahia. Para o desenvolvimento desta argumentação foram ouvidos artistas que realizaram processos criativos sem a subvenção através de editais e com a subvenção através de editais. Fazem parte desta discussão autores como Michael Foucault, Eneida Leal Cunha, Helena Katz, Gisele Nussbaumer, Rosa Hércoles, Lúcia Matos, Peter Pál Perbart, Jussara Setenta e Albino Rubim. A partir desses autores, analisarei duas obras de dança: “A Projetista”, de Dudude Herrmann, e “Edital”, de minha autoria. Ambos os trabalhos trazem a burocracia como matéria de criação. Defendo que é necessária a atenção e contínua observação na implementação dessas políticas públicas, a fim de evitar impactos danosos à criação artística.
39

Re-enactment no filme pinta um fluxo de memória na dança contemporânea

SILVA, RAILDA January 2016 (has links)
Submitted by Diana Alves (ppgdancaufba.adm@gmail.com) on 2016-08-19T11:40:59Z No. of bitstreams: 1 Dissertação Railda 2016.2 pdf.pdf: 2538381 bytes, checksum: fca561dc9cddb0cb2c7e0ba531fa4ca1 (MD5) / Approved for entry into archive by Patricia Barroso (pbarroso@ufba.br) on 2016-08-19T15:22:49Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação Railda 2016.2 pdf.pdf: 2538381 bytes, checksum: fca561dc9cddb0cb2c7e0ba531fa4ca1 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-19T15:22:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação Railda 2016.2 pdf.pdf: 2538381 bytes, checksum: fca561dc9cddb0cb2c7e0ba531fa4ca1 (MD5) / Esta pesquisa analisa o re-enactment (Lepecki, 2010) no filme Pinta como um fluxo de memória na dança contemporânea. O filme Pinta (2013) tem direção do artista Jorge Alencar e “Dimenti - produtora cultural e ambiente de criação artística”. O estudo aporta-se na compreensão de que a obra artística contemporânea, pode não limitar sua materialização a uma determinada linguagem, e que a quantidade crescente de re-enactments do corpo na dança contemporânea, não se restringem só ao palco enquanto espaço cênico para a dança, mas em distintas intermediações que favorecem e produzem transformações e atualizações. A escolha do tema se justifica pelo interesse de aprofundar conhecimentos sobre as relações complexas da dança contemporânea e seus possíveis e inesgotáveis processos de sentidos, no intuito de elaborar princípios, técnicas e aspectos composicionais que ativam estéticas de obras passadas para o presente. A metodologia de trabalho é de característica qualitativa, com estudo de caso, utiliza entrevista semiestruturada, questionário e os registros videográficos de espetáculos e filmes utilizados para montagem de Pinta. Para referenciar discussões sobre re-enactment, dança contemporânea, hibridismo de processos compositivos foram acessados principalmente os textos dos autores Agamben (2009), Canclini (2008), Lepecki (2010), e finalmente para falar de corpo numa aproximação dos processos evolutivos que o corpo está envolvido com a memória, trazemos Greiner e Katz (2005). Ao analisar o processo de Pinta foi possível perceber que o filme produz um fluxo contínuo de memória a partir de materiais artísticos descontínuos, em ação para novas significações. Desse modo, é possível entender o re-enactment como uma prática de revisitamentos de desejos identificados tanto no artista como na obra, ambos são atingidos pelo desejo de presença.
40

Dança e intervenção urbana: a contribuição do regime dos editais para a espetacularização da arte e da cidade contemporânea

Ribeiro, Tiago January 2013 (has links)
Submitted by Diana Alves (ppgdancaufba.adm@gmail.com) on 2016-10-20T14:26:04Z No. of bitstreams: 1 Dissertação Tiago Nogueira.pdf: 1856813 bytes, checksum: 651cbba9f387fa8e267efe05712ca0cf (MD5) / Approved for entry into archive by Patricia Barroso (pbarroso@ufba.br) on 2016-10-20T17:12:13Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação Tiago Nogueira.pdf: 1856813 bytes, checksum: 651cbba9f387fa8e267efe05712ca0cf (MD5) / Made available in DSpace on 2016-10-20T17:12:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação Tiago Nogueira.pdf: 1856813 bytes, checksum: 651cbba9f387fa8e267efe05712ca0cf (MD5) / A pesquisa visa analisar o encontro da dança com a Intervenção Urbana dentro do regime dos editais de financiamento público para arte, apontando para duas implicações resultantes: o anestesiamento crítico na esfera da arte e o anestesiamento da experiência no espaço urbano. Ambos fatores colaboram com o atual processo de espetacularização das cidades e com os jogos de visibilidade e de invisibilidade que existem nos sistemas de dominação. No âmbito das relações políticas dos modos de fazer-se ver, a dança é abordada sob a perspectiva de um dispositivo; este, por sua vez, não tem forma, mas é formador. Um dispositivo opera na esfera do poder - que é inseparável da produção de saber - e é composto de enunciados, espaços e práticas. Uma intervenção é propositiva e radicaliza a relação do corpo com o ambiente, do corpo com o próprio corpo e do corpo com demais corpos, simultaneamente - seja a intervenção judicial, clínica, urbana ou artística. Nestas condições, quais as implicações políticas da relação entre dança, intervenção, cidade e o sistema dos editais como condição para criar? Esta é uma questão que se desenvolve durante toda a dissertação com o intuito de problematizar a institucionalização das relações entre corpo, dança e cidade e perceber como isto implica na produção de subjetividades e na formação de “corpografias”. Estando anestesiadas tanto a potência crítica da arte dentro do sistema dos editais quanto a experiência dos espaços urbanos nos processos de espetacularização da cidade, resta-nos criar novas condições para a emergência de novos pensamentos e de novas situações que provoquem possíveis experiências críticas na relação da dança com a cidade.

Page generated in 0.0365 seconds