• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 681
  • 110
  • 36
  • 29
  • 14
  • 7
  • 6
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 3
  • 1
  • Tagged with
  • 970
  • 173
  • 133
  • 131
  • 117
  • 109
  • 101
  • 97
  • 89
  • 83
  • 83
  • 80
  • 79
  • 70
  • 64
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
31

Identificação do biomarcador NS1 na saliva como diagnóstico da dengue / NS1 biomarker identification on saliva for dengue diagnosis

Barberio, Gabriel Salles 04 June 2013 (has links)
Muitas ferramentas de diagnóstico da dengue tornaram-se disponíveis, porém requerem coleta de sangue como amostra para análise. Um método não invasivo de confirmar a infecção por dengue seria de importância considerável para os estudos clínicos e epidemiológicos. Testes de saliva podem encorajar os pacientes a serem mais receptivos para o diagnóstico da dengue. Possíveis problemas com o uso de sangue incluem a exigência de consentimento e a cooperação do paciente. Em muitos casos, flebotomia em indivíduos com fobia de agulhas, portadores de deficiências e discrasias sanguíneas e, especialmente em bebês e crianças, ou ainda devido a razões sociais, religiosas, à necessidade de um enfermeiro treinado e à necessidade de se separar o soro do plasma antes do teste. Objetivo deste trabalho foi identificar RNA viral em amostras de saliva de pacientes infectados com dengue durante o período febril; avaliar o teste rápido para identificar NS1 em amostra de saliva; identificar a presença de NS1 em amostras de saliva por meio do teste ELISA. Foram coletas amostras de saliva de pacientes durante o período febril com e sem dengue. Todos diagnósticos foram confirmados por exame de sangue para IgM/IgG. Foi feito o teste da Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real em 10 amostras de pacientes com dengue. Em 44 amostras foram testados as tiras de diagnóstico rápido da dengue e ao teste ELISA NS1, para a detecção da proteína NS1. Esse estudo ressaltou a importância da busca pelo diagnóstico laboratorial rápido, prático e financeiramente acessível de doenças febris agudas com sintomas inespecíficos, principalmente em áreas de ocorrência de dengue. Nesse estudo foi encontrada alta especificidade (94%) e média sensibilidade (73%) nos resultados da identificação da proteína NS1 nas amostras de saliva em estágios precoces da infecção por dengue. Esse método, se aprimorado para saliva, poderá ter resultados ainda melhores, por isso mais estudos são necessários. / This study brings a literature review about the current dengue status worldwide and in Brazil followed by a systematic review that highlights the dengue diagnosis through saliva. A prospective study was also made, which evaluated the dengue virus infection diagnosis accuracy through the NS1 antigen detection in saliva samples using ELISA assays. The NS1-ELISA results in saliva were compared to the IgM-ELISA and IgG-ELISA serology. A total of 44 saliva samples were obtained from November 2012 to February 2013. The results showed that de NS1-ELISA presented a sensibility of 0.73, specificity of 0.94, Positive Predictive Value of 0.95, Negative Predictive Value of 0.70, Positive Likelihood Ratio of 13.15, Negative Likelihood Ratio of 0.28. Having these findings in mind, it is possible to suggest that the NS1 detection in saliva may be an important diagnostic tool in special cases, such as people that fear needles, with blood dyscrasias, babies, children, as well as to quickly monitor epidemics and their dissemination.
32

Conhecimento sobre a prevenção da doença da dengue em cuidadores de crianças na faixa etária entre o nascimento até quinze anos de idade.

Basques, Lívia Nogueira Bergamo January 2019 (has links)
Orientador: Ione Correa / Resumo: Introdução: Cerca de 40% da população mundial está exposta à doença, ou seja, uma média de 100 países, principalmente os que possuem o clima tropical, onde o mosquito transmissor Aedes aegypti, se prolifera. Estima-se que, anualmente, há cerca de 50 a 100 milhões de casos de dengue no mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 25% das notificações de dengue no mundo foram inferiores a 15 anos de idade, nos últimos 10 anos. Objetivo: Avaliar conhecimento dos entrevistados sobre a prevenção da doença da dengue na faixa etária entre o nascimento até 15 anos de idade. Metodologia: É um estudo transversal de abordagem quantitativa realizado em uma cidade do centro oeste do estado de São Paulo com os entrevistados responsáveis pelas crianças das escolas selecionadas por meio da aplicação de um questionário com tamanho amostral de 200 entrevistados. Resultados e discussões: Estatisticamente todas as respostas do questionário não apresentaram relevância. Ficou claro o quanto os entrevistados não cumprem as normas preconizadas pelos órgãos reguladores quando se trata de prevenção da doença da dengue. Conclusão: apesar das informações na mídia e diversos meios de informações sobre a doença existem falha na execução das medidas de prevenção pela população. Isso nos sugere dificuldade no entendimento como, por exemplo, a fonte de transmissão e a reprodução do mosquito vetor da doença em relação à agua parada. Sinalizando a necessidade de campanhas, palestras e ações educativ... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Mestre
33

Análise do efeito adjuvante de nanopartículas de albumina sérica bovina na imunização de camundongos utilizando a proteína não estrutural 1 do Dengue vírus

SILVA, Natalia Ingrid Oliveira da 08 December 2016 (has links)
A dengue é uma doença viral, sistêmica, considerada endêmica em mais de 128 países, com cerca de 3,9 bilhões de pessoas no mundo vivendo em áreas de risco de infecção. O vírus da dengue é transmitido para humanos através da picada de mosquitos fêmeas do gênero Aedes infectadas. DENV é um vírus de RNA com polaridade positiva pertencente á família Flaviviridae, gênero Flavivirus. O desenvolvimento de uma vacina que confira imunidade de forma segura e eficiente, contra os quatro sorotipos do DENV é considerado prioritário. A proteína NS1, conservada entre sorotipos do DENV (1-4), está relacionada a processos imunopatológicos observados nas formas mais graves da dengue, sendo responsável pela indução da produção de citocinas inflamatórias e aumento da permeabilidade endotelial via ativação de receptores do tipo Toll 4. Pesquisas sugerem o uso da NS1 como candidato vacinal contra dengue, uma vez que a vacinação com NS1 recombinante foi capaz de proteger camundongos contra doses letais de sorotipos homólogos e heterólogos do DENV. Estudos preliminares do nosso grupo mostram que nanopartículas de albumina sérica bovina (NPBSA) são promissores sistemas vacinais de entrega de antígenos do DENV e outros antígenos microbianos, pois possuem, provavelmente, uma atividade adjuvante. Assim, este estudo teve como objetivo verificar o potencial adjuvante das NPBSA em induzir a produção de anticorpos anti-NS1 em camundongos. Os resultados obtidos indicam que as NPBSA não apresentaram citotoxicidade significativa em culturas de células macrofágicas RAW 264.7 e células fibroblásticas BHK-21, porém, as NPS foram capturadas mais facilmente pelas células RAW 264.7 do que por células BHK-21. A NS1 do DENV-1 foi expressa em sistema procarioto e depois utilizada como antígeno. A administração subcutânea das NPs em camundongos na presença ou ausência da proteína NS1 foi capaz de induzir o recrutamento de um infiltrado inflamatório nos locais onde a mesma foi aplicada. Após a imunização, foi observado que as NPBSA foram capazes de induzir a produção de anticorpos IgM anti-NS1 em 60% dos animais imunizados e IgG anti-NS1 em 80%. Estes dados podem estar relacionados com o perfil adjuvante das NPs, que ao serem administradas associados a NS1, foram capazes de induzir uma troca de classe mais rápida, levando à produção de plasmócitos secretores de IgG. Estudos futuros serão realizados para verificar se os anticorpos produzidos são capazes de inibir a ligação da NS1 ao receptor Toll 4 e diminuir assim, a produção de citocinas pró-inflamatórias responsáveis pelo aumento da permeabilidade vascular e extravasamento de plasma. / Dengue fever is a viral, systemic disease, considering endemic in more than 128 countries, with about 3.9 billion people worldwide living in infection risk area. Dengue virus is transmitted to humans through the bite of infected female mosquitoes of the genus Aedes. DENV is a RNA virus with positive polarity belonging to the Flaviviridae family, Flavivirus genus. The development of a vaccine conferring immunity, safely and efficiently against all four serotypes of DENV is considered priority. The NS1 is a protein conserved among the serotypes of DENV (1-4) and it is related to the immunopathological process observed in the most severe forms of dengue, including the induction of inflammatory cytokine production and increased endothelial permeability via activation of Toll-like receptors 4. Researches suggest the use of NS1 as a vaccine candidate against dengue fever, since vaccination with recombinant NS1 was able to protect mice against lethal doses of homologous and heterologous serotypes of DENV. Studies in our group have shown that bovine serum albumin nanoparticles (NPBSA) are promising vaccine systems for delivery antigen of DENV and other microbial antigens as likely to have adjuvant activity. This study aimed to verify the adjuvant potential of bovine albumin nanoparticles to induce an immune response in the presence of the NS1 protein of DENV-1. The results indicate that albumin NPs did not show significant cytotoxicity in cultures of macrophagic RAW 264.7 and BHK-21 fibroblast cells, however, the nanoparticles are captured more easily by RAW 264.7 cells than for BHK-21 cells. NS1 of DENV-1 was expressed in prokaryotic system and then used as antigen. Subcutaneous administration of the NPs in mice in the presence or absence of the NS1 protein was able to induce the recruitment of an inflammatory infiltrate at the sites where it was applied. Following immunization, it was observed that NPBSA were able to induce production of anti-NS1 IgM antibodies in 60% of the immunized animals and anti-NS1 IgG in 80%, these data may be related to the adjuvant profile of NP, which when administered associated with NS1, were able to induce a faster class exchange, leading to the production of IgG secreting plasmocytes. Future studies will be carried out to verify if the antibodies produced are able to inhibit the binding of NS1 to TLR-4 receptor and thereby decrease the production of proinflammatory cytokines, responsible for increased vascular permeability and extravasation of plasma.
34

Suspected outbreak of dengue fever in Houston : clinical characteristics and determination of autochthonous transmission between 2003 and 2005.

Herrington, Emily Rebecca. Murray, Kristy O., Chappell, Cynthia L., Hardy, Robert J. January 2009 (has links)
Thesis (M.P.H.)--The University of Texas School of Public Health, . / Source: Masters Abstracts International, Volume: 47-06, page: 3498. Advisers: Kristy O. Murray; Cynthia Chappell. Includes bibliographical references.
35

Comportamento espaço-temporal da dengue e sua relação com os elementos atmosféricos e socioeconômicos em Fortaleza/CE / Behavior dengue space-time and its relationship with the atmospheric elements and socioeconomic in Fortaleza/CE

Magalhães, Gledson Bezerra January 2015 (has links)
MAGALHÃES, Gledson Bezerra. Comportamento espaço-temporal da dengue e sua relação com os elementos atmosféricos e socioeconômicos em Fortaleza/CE. 2015. 265 f. Tese (Doutorado em geografia)- Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE, 2015. / Submitted by Elineudson Ribeiro (elineudsonr@gmail.com) on 2016-06-10T19:36:17Z No. of bitstreams: 1 2015_tese_gbmagalhaes.pdf: 9936872 bytes, checksum: 63f3082d7d6f61b0f4795c5dd1925ed8 (MD5) / Approved for entry into archive by José Jairo Viana de Sousa (jairo@ufc.br) on 2016-06-13T22:40:59Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_tese_gbmagalhaes.pdf: 9936872 bytes, checksum: 63f3082d7d6f61b0f4795c5dd1925ed8 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-06-13T22:40:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_tese_gbmagalhaes.pdf: 9936872 bytes, checksum: 63f3082d7d6f61b0f4795c5dd1925ed8 (MD5) Previous issue date: 2015 / O objetivo deste trabalho constitui-se realizar uma análise sobre comportamento da dengue na cidade de Fortaleza-CE, levando em conta a influência das condições socioeconômicas e climáticas, e enfocando as diferenças socioespaciais que garantem a produção de um clima urbano e a manutenção da dengue na cidade. Para isso, foram adquiridos dados de variáveis atmosféricas, epidemiológicas e socioeconômicas. Elaborarou-se mapas, gráficos e cálculos geoestatísticos (Alfa de Crobach, Correlação de Pearson, autocorrelação espacial – I de Moran e LISA). Executou-se uma análise espaço temporal em uma perspectiva do geral ao particular e adentrou-se na análise episódica dos fenômenos epidemiológicos. A umidade relativa do ar foi a variável atmosférica que mais se correlacionou com os casos de dengue. Verificou-se correlações mais elevadas em até um mês de diferença entre as chuvas e o aumento de casos da doença, diminuindo com o adiantamento de 2 e 3 meses. Constataram-se correlações negativas entre os casos de dengue e a temperatura média do ar devido à influência da precipitação. Fortaleza apresenta espaços onde coexistem populações com precariedades sociais, vivendo em áreas frágeis ambientalmente e com elevada quantidade de casos de dengue. Os bairros da porção oeste, sudoeste e sudeste da cidade foram onde se iniciaram os episódios epidêmicos de 2011 e 2012, e também onde a doença se manteve endêmica no episódio de 2013. Nessas regiões a dengue se proliferou com maior rapidez logo no início das epidemias investigadas. As correlações entre as variáveis epidemiológicas e socioeconômicas são mais fortes nos meses de início das epidemias, quando a doença ainda não está totalmente disseminada pela cidade. As variáveis Renda Média de Moradores por Domicílio e Porcentagem de Domicílios Ligados à Rede Geral de Esgoto ou Pluvial foram as variáveis que mais se correlacionaram com a incidência da doença. A autocorrelação espacial aponta os bairros com piores condições de saneamento como aqueles com elevada incidência no início dos episódios epidêmicos. Nos episódios investigados a epidemia se anunciou com o aparecimento de alguns casos próximos entre si, para em seguida se configurar em uma epidemia explosiva.
36

Alteração no perfil etário dos casos de dengue no Ceará de 2001 a 2011 / Change in age profile of cases of dengue in Ceará 2001 to 2011

Belarmino, Glayriann Oliveira January 2013 (has links)
BELARMINO, Glayriann Oliveira. Alteração no perfil etário dos casos de dengue no Ceará de 2001 a 2011. 2013. 88 f. Dissertação (Mestrado em Patologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2013. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-03-26T13:08:30Z No. of bitstreams: 1 2013_dis_gobelarmino.pdf: 2552274 bytes, checksum: dc94148a4ed172d29bfcf0b1853f8f92 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-03-26T13:11:58Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_dis_gobelarmino.pdf: 2552274 bytes, checksum: dc94148a4ed172d29bfcf0b1853f8f92 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-03-26T13:11:58Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_dis_gobelarmino.pdf: 2552274 bytes, checksum: dc94148a4ed172d29bfcf0b1853f8f92 (MD5) Previous issue date: 2013 / In the state of Ceará dengue cases has been reported since 1986, with frequent epidemics and high mortality. Thus, the aim of this study was to describe the age distribution of dengue cases recorded in the state of Ceará between 2001-2011. We conducted a retrospective study of cases of dengue in the state of Ceará, using secondary data obtained from the Department of Health of Ceará and the Central Public Health Laboratory. We used data recorded in the Information System for Notifiable Diseases (SINAN) and Hospital Information System (SIH). In the age distribution of cases, it was considered ranges of < 9 years, 10-19, 20-59 and ≥ 60 years. We included all cases reported in SINAN with early symptoms of 1 January 2001 to 31 December 2011. For DHF cases, all fulfilled the criteria for DHF cases of WHO. The average number of confirmed cases was 27,541 cases, ranging from 3,094 in 2004 to 55,074 in 2011. There was a significant increase in the number of confirmed cases in < 9 years regarding to number of hospitalizations, number of DHF cases and number of deaths. Between the years 2003-2006, the DENV-3 serotype was predominant. Between 2007 and 2009 the DENV-2 serotype was predominant. In 2010 and 2011, the DENV-1 serotype was predominant. In 2003 the incidence of DHF was higher in the group ≥ 60 years (5.134/100.000 inhabitants). In 2007, with the return of DENV-2 serotype circulation, the incidence was higher among children <10 years (4.884/100.000 inhabitants), significantly increasing. The coefficient of hospitalization increased in all age groups, but in children < 9 years, this increase was more significant, from 0,050 / 1,000 in 2001 to 1.431/1.000 in 2011. It can be concluded that despite the greater number of cases have affected initially the adult population in recent years, with the simultaneous circulation of four serotypes, severe cases have occurred most often in children this change in the age profile of cases, possibly influenced by the reintroduction of the DENV-2 serotype, contributed to the increase in mortality from dengue. It is necessary to prepare the Assistance to early diagnose cases in the child population and consequently prevent deaths. / No estado do Ceará, casos de dengue vêm sendo notificados desde 1986, com epidemias frequentes e elevada letalidade. O objetivo deste trabalho foi descrever a distribuição etária dos casos de dengue registrados no estado do Ceará, no período de 2001 a 2011. Realizou-se estudo descritivo e retrospectivo sobre os casos de dengue notificados no Estado, através de dados secundários obtidos na Secretaria Estadual de Saúde do Ceará e Laboratório Central de Saúde Pública. Foram utilizados dados registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e Sistema de Informação Hospitalar (SIH). A distribuição etária dos casos considerou faixas de < 9 anos, 10 a 19, 20 a 59 e ≥ 60 anos. Foram incluídos todos os casos registrados no SINAN, com início de sintomas de 1º de janeiro de 2001 a 31 de dezembro de 2011. Para os casos de FHD, os mesmos cumpriram com os critérios de definição de casos de FHD da OMS. A média do número de casos confirmados foi de 27.541 casos, variando entre 3.094 em 2004 e 55.074 em 2011. Houve um aumento importante em relação ao número de casos confirmados na faixa etária de < 9 anos, no número internações, no número de casos de FHD e no número de óbitos. Nos anos de 2003 a 2006 predominou o sorotipo DENV-3. Entre 2007 e 2009 predominou o sorotipo DENV-2. Em 2010 e 2011 predominou o sorotipo DENV-1. Em 2003 a incidência de FHD foi maior na faixa etária ≥ 60 anos (5.134/100.000 habitantes). Em 2007, com o retorno da circulação do sorotipo DENV-2 a incidência foi maior entre crianças < 9 anos (4.884/100.000 habitantes), aumentando de forma significativa. O coeficiente de internação aumentou em todas as faixas etárias, mas nas crianças < 9 anos esse aumento foi mais significativo, passando de 0,050/1.000 em 2001 para 1.431/1.000 em 2011. Pode-se concluir que apesar do maior número de casos ter acometido inicialmente a população adulta, nos últimos anos, com a circulação simultânea de quatro sorotipos, os casos graves têm ocorrido com maior frequência na população infantil. Essa mudança no perfil etário dos casos, possivelmente influenciada pela reintrodução do sorotipo DENV-2, contribuiu para o aumento na letalidade por dengue. É preciso preparar a assistência para diagnosticar precocemente os casos na população infantil e consequentemente evitar óbitos.
37

Identificação de epítopos de célula B na glicoproteína-E do envelope do vírus dengue sorotipo 3 / Identification of B-cell epitopes in the envelope glycoprotein of dengue virus type 3

Silva, Andréa Nazaré Monteiro Rangel da January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2012-05-07T14:43:57Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 000032.pdf: 4330648 bytes, checksum: bd80b9612f7455644b3a3466bb6b9b7e (MD5) Previous issue date: 2007 / As infecções pelo vírus dengue têm se tornado um problema crescente de Saúde Pública em regiões tropicais e subtropicais do mundo. O vírus pertence à família Flaviviridae com quatro sorotipos antigenicamente distintos (DENV-1 a DENV-4). Uma possível estratégia para evitar a patogenia associada com uma vacina para o dengue (que deve ser tetravalente), seria a construção de uma vacina quimérica composta de epítopos críticos selecionados dos quatro sorotipos. A maioria dos epítopos envolvidos na neutralização do vírus está presente na glicoproteína E do envelope, que é a maior proteína de superfície da partícula viral. O objetivo deste trabalho foi identificar epítopos de célula B na glicoproteína E do vírus dengue sorotipo 3. Para o mapeamento de epítopos imunodominantes, noventa e cinco peptídeos (15-mers cada, sobreposição de 10) foram sintetizados (Synpep, California-USA), a partir da sequência de 490 aminoácidos da glicoproteína E do envelope do DENV-3, de cepa circulante no Brasil. Estes peptídeos foram testados por ELISA contra um pool de soros de pacientes positivos e negativos para dengue, coletados durante a fase de convalescença da infecção por DENV-3. Os resultados mostraram que os soros de humanos reagiram com onze, dos noventa e cinco peptídeos testados, distribuídos em 5 regiões com aminoácidos na posições 51-65 (peptídeo 11), 71-90 (peptídeos 15 e 16), 131-170 (peptídeos 27, 28, 29, 30, 31 e 32), 196-210 (peptídeo 40) e 246-260 (peptídeo 50). A análise da curva ROC mostrou que, dentre os peptídeos identificados, nove seriam capazes de diferenciar entre pacientes com DENV-3 de pacientes não-dengue e três capazes de diferenciar a infecção por DENV-3 daquelas por outros sorotipos virais (DENV-1 e DENV-2). Os epítopos imunodominantes aqui descritos, junto com outros epítopos bem documentados, são potencialmente relevantes para o desenho de uma vacina para o vírus dengue e para o desenvolvimento de kits de diagnóstico específicos
38

Diferenças na variação da competência vetorial entre nove populações de Aedes aegypti do munícipio de Belo Horizonte, Minas Gerais, ao Dengue virus 2

Gonçalves, Caroline Macedo January 2014 (has links)
Submitted by Nuzia Santos (nuzia@cpqrr.fiocruz.br) on 2015-04-10T17:01:38Z No. of bitstreams: 1 Tese_BCM_CarolineMacedoGoncalves-pdf.pdf: 1566062 bytes, checksum: e805bc24ca1900f82d5004ef6cd9058a (MD5) / Approved for entry into archive by Nuzia Santos (nuzia@cpqrr.fiocruz.br) on 2015-04-10T17:01:48Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Tese_BCM_CarolineMacedoGoncalves-pdf.pdf: 1566062 bytes, checksum: e805bc24ca1900f82d5004ef6cd9058a (MD5) / Approved for entry into archive by Nuzia Santos (nuzia@cpqrr.fiocruz.br) on 2015-04-10T17:02:18Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Tese_BCM_CarolineMacedoGoncalves-pdf.pdf: 1566062 bytes, checksum: e805bc24ca1900f82d5004ef6cd9058a (MD5) / Made available in DSpace on 2015-04-10T17:02:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Tese_BCM_CarolineMacedoGoncalves-pdf.pdf: 1566062 bytes, checksum: e805bc24ca1900f82d5004ef6cd9058a (MD5) Previous issue date: 2014 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisa René Rachou. Belo Horizonte, MG, Brasil / No Brasil, as epidemias de dengue ainda estão difundidas por todo o país. Além da falta de conhecimento de como os surtos da doença são capazes de iniciar e sustentar o seu ciclo de transmissão, existem poucos estudos avaliando a habilidade das populações brasileiras de A. aegypti para transmitir o vírus. O objetivo do nosso estudo foi comparar a susceptibilidade de A. aegypti capturados nas nove regionais de Belo Horizonte, ao DENV-2, nos anos de 2009 e 2011. Para tal finalidade, parâmetros como a taxa de infecção (IR), competência vetorial (CV) e a taxa de infeção disseminada (DIR) foram determinadas. Os ovos dos A. aegypti de cada regional foram coletadas separadamente e colonizados em um insetário. As fêmeas adultas foram infectadas experimentalmente com DENV-2 e o vírus foi detectado através da RT-qPCR nas amostras dos corpos e cabeças dos mosquitos. Os dados foram analisados através do programa estatístico Social Sciences – versão 17. A IR variou de 40% a 82,5% em 2009 e de 60% a 100% em 2011. A CV variou de 25% a 77,5% em 2009 e de 25% a 80% em 2011. Já a DIR oscilou de 68,7% a 100% em 2009 e 38,4% a 86,8% em 2011. Os resultados foram avaliados por um modelo logístico utilizando IR como co-variável. Em 2009, as regionais Norte, Barreiro, Centro-Sul e Venda Nova mostraram uma forte associação. Em 2011, uma forte associação foi observada entre as regionais Centro-Sul, Venda Nova, Oeste e Nordeste. Utilizando a competência vetorial com co-variável, em 2009, as regionais Centro-Sul e Venda Nova apresentaram associação mais relevante. Já em 2011, as regionais Centro-Sul, Venda Nova e Barreiro apresentaram associação significativa. Quando os dados de DIR foram analisados pelos modelos de regressão logística, Pampulha, Centro-Sul, Venda Nova, Oeste, Nordeste e Leste 2009), bem como, Centro-Sul, Venda Nova e Oeste (2011) foram as regionais que apresentaram a associação mais forte. Concluí-se que as populações de A. aegypti de Belo Horizonte exibiram ampla variação na sua competência vetorial para transmitir DENV-2. Por isso, dados e estratégias de controle do vetor, de cada uma das regionais, precisam estar disponíveis para os órgãos competentes. Análises futuras precisam ser desenvolvidas para um melhor entendimento das razões pelas quais ocorre esta grande variabilidade na CV e como estes parâmetros se correlacionam com os achados epidemiológicos dos anos seguintes. / In Brazil, dengue epidemics are still diffusing throughout the country and it is unclear if outbreaks may initiate a sustainable transmission cycle. There are few studies evaluating the ability of Brazilian Aedes aegypti populations to transmit the virus. The aim of this study was to compare the DENV susceptibility of field-captured Ae. Aegypti populations from nine distinct geographic areas of the city of Belo Horizonte in 2009 and 2011. Parameters as Infection Rate (IR), Vector Competence (VC) and Disseminated Infection rate (DIR) were determined. Aedes aegypti eggs from each region were separately collected and hatched in an insectary. Adult females were experimentally infected with DENV-2 and the virus was detected by qPCR in body and head samples. Data were analyzed with the Statistical Package for the Social Sciences version 17. IR varied from 40% to 82.5% in 2009 and 60% to 100% in 2011. VC ranged from 25% to 77.5% in 2009 and 25% to 80% in 2011. DIR oscillated from 68.7% to 100% in 2009 and 38.4% to 86.8 in 2011. The results were evaluated by a logistic model using IR as covariate. In 2009, North, Barreiro, Central South and Venda Nova showed the strongest association. In 2011, the same was observed for Central South, Venda Nova, West and Northeast regions. Using VC as covariate, in 2009, Central South and Venda Nova showed the most relevant association. In 2011, Central South, Venda Nova and Barreiro presented the most revelation association. When DIR data were analyzed by logistic regression models, Pampulha, Central South, Venda Nova, West, Northeast and East (2009) as well as Central South, Venda Nova and West (2011) were the districts showing the strongest association.We conclude that A. aegypti populations from Belo Horizonte exhibit wide variation in vector competence to transmit dengue. Because of it, vector control strategies should match the available data for each region. Further analysis should be conducted to better understand the reasons for this large variability of vector competence and how these parameters correlate with epidemiological findings in the following years.
39

Avaliação do perfil de mediadores séricos e proteínas intraplaquetárias em relação à plaquetopenia em pacientes infectados pelo vírus dengue

Barros, Tamiris Azamor da Costa January 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2015-11-04T13:29:11Z (GMT). No. of bitstreams: 2 tamiris_barros_ioc_mest_2015.pdf: 3974773 bytes, checksum: 582ff742d19972a2ff51fc3e5895c17f (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2015-04-14 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Plaquetas são fragmentos celulares derivados dos megacariócitos, que desempenham papel na hemostasia, coagulação, angiogênese, inflamação e resposta imune. Na infecção humana pelo Vírus Dengue (DENV), plaquetas constituem uma das populações celulares mais afetadas devido à plaquetopenia e disfunção plaquetária. O objetivo deste trabalho foi investigar a influência de citocinas, quimiocina e fatores de crescimento séricos e de proteínas intraplaquetárias relacionadas à angiogênese, coagulação, regulação da matriz extracelular e inflamação na plaquetopenia de pacientes infectados pelo DENV. Para tal, realizamos: (i) estudo populacional de pacientes e obtenção de soro e plaquetas em 2013, (ii) ensaios multiplex de micrarranjo líquido para quantificação dos níveis séricos de citocinas, quimiocina e fatores de crescimento e (iii) ensaio de determinação do perfil de expressão 55 proteínas intraplaquetárias. Quarenta e três pacientes DENV foram confirmados, com predominância do DENV-4. Independente da forma clínica, pacientes DENV apresentaram níveis séricos elevados de IL-10, TNF-\03B1, CXCL8/IL-8, mas não de IL-1\03B2 e IFN-\03B3 quando comparados aos controles sadios. Análises estatísticas demonstraram que níveis de IL-10 e IFN-\03B3 apresentaram correlação, respectivamente inversa e direta com a contagem de plaquetas. Ainda, IL-10 diretamente com leucócitos e linfócitos e TNF-\03B1 com linfócitos Vinte e cinco proteínas intraplaquetárias foram quantificadas, mas apenas cinco delas, PDGF-AA, TGF-\03B21, HGF, IGFBP-1 e Angiopoetina-1, apresentaram correlação direta com a contagem de plaquetas nos pacientes DENV. A quantificação sérica de PDGF e VEGF demostrou que ambos estavam diminuídos no grupo DENV mais trombocitopênico. Análise entre proteínas intraplaquetárias com funções biológicas antagônicas demonstraram que a razão anti- versus pró-inflamatórios TGF-\03B21/MIP-1\03B1 foi diminuída em pacientes DENV trombocitopênicos e as razões anti versus pró-angiogênica serpina F1/angiopoetina-1 e serpina F1/ PDGF-AB/BB apresentaram níveis aumentados em pacientes DENV trombocipênicos. Concluímos brevemente que a reintrodução do DENV-4 não resultou numa maior ocorrência de gravidade. Contudo esta reintrodução, induziu aumento dos níveis de TNF-\03B1 e CXCL8/IL-8 e da IL-10, influenciando de maneira direta ou indireta contagens de plaquetas e/ou demais células em resposta à infecção. Níveis IX intraplaquetários de PDGF, TGF-\03B21, IGFPB-1, Angiopoetina e HGF em pacientes mais trombocitopênicos poderiam prejudicar a ativação de mecanismos relacionados à angiogênese, coagulação, integridade do endotélio vascular e produção de mediadores inflamatórios. Assim, plaquetas poderiam ser consideradas células atuantes da resposta imunológica anti-DENV e, portanto, plaquetopenia é um fator prognóstico chave da imunopatogênese da dengue / Platelets are cell fragments derived from megakaryo cytes, which play a role in hemostasis, coagulation, angiogenesis, inflammation and immune response. In human infection with dengue virus (DENV), platelets are one of the most affecte d cell populations due to thrombocytopenia and platelet dysfunction. The objective of this stu dy was to investigate the influence of serum cytokines, chemokines, intraplatelet growth factors and proteins related to angiogenesis, coagulation, regulation of extracellular matrix and inflammation in thrombocytopenia of patients infected with DENV. For this purpose, we conducted: (i) population study of patients and obtaining their serum and platelets in 2013, (ii) l iquid microarray multiplex assays for quantitation of serum levels of cytokines, chemokine, and growth factors, and (iii) assay for determining expression profile of 55 intraplapletelet proteins. Forty-three DENV patients were confirmed, with a predominance of DENV-4. Regardless of type o f DENV, levels of IL-10, TNF- α , CXCL8 / IL-8, but not IL-1 β and IFN- γ were higher on serum of patients compared to healt hy individuals. Statistical analyses showed that levels of IL-10 an d IFN- γ presented correlation, respectively, inverse and direct with platelet count. Furthermore , IL-10 was directly correlated with leukocytes, lymphocytes, TNF- α and with lymphocytes. Twenty-five intraplatelet pr oteins were quantified, but only five of them, PDGF-AA, TGF- β 1, HGF, angiopoietin-1 and IGFBP-1 were directly correlated with platelet count in DENV pat ients. Both levels of PDGF and VEGF were decreased in group of DENV thrombocytopenic. Analys es between intraplatelet proteins with antagonic biological functions have shown that rati os anti- versus pro-inflammatory TGF- β 1 / MIP-1 α were decreased in thrombocytopenic DENV patients a nd the ratios anti-versus pro- angiogenic serpin-F1 / angiopoietin-1 and serpin-F1 / PDGF-AB / BB showed increased levels in thrombocytopenic DENV patients. Briefly been con cluded that the reintroduction of the DENV- 4 did not result in a higher incidence of gravity. However, levels of TNF- α and CXCL8 / IL-8 and IL-10 were increased, influencing directly or indir ectly platelet counts and/or other cells in response to infection. Levels of PDGF, TGF- β 1, IGFPB-1, angiopoietin and HGF intraplatelet of patients high thrombocytopenic may impair activatio n of mechanisms related to angiogenesis, coagulation, vascular endothelial integrity and pro duction of inflammatory mediators. Thus, platelets might be considered active anti-DENV immu ne response cells and hence thrombocytopenia is a key prognostic fator in the i mmunopathogenesis of dengue.
40

Acurácia do teste NS1 para dengue no contexto epidemiológico brasileiro

Porto, Vanessa Torales 25 July 2014 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, 2014. / Submitted by Ana Cristina Barbosa da Silva (annabds@hotmail.com) on 2014-11-05T18:03:08Z No. of bitstreams: 1 2014_VanessaToralesPorto.pdf: 950983 bytes, checksum: f7ad5fa50fff60d0a9cb4669e3ce95f4 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2014-11-05T18:32:03Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_VanessaToralesPorto.pdf: 950983 bytes, checksum: f7ad5fa50fff60d0a9cb4669e3ce95f4 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-11-05T18:32:03Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_VanessaToralesPorto.pdf: 950983 bytes, checksum: f7ad5fa50fff60d0a9cb4669e3ce95f4 (MD5) / Introdução: A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo, a forma mais grave da doença é a dengue hemorrágica, fatal se não tratada. No mundo, ocorre em mais de 100 países e territórios – 2,5 bilhões de pessoas estão sob o risco de contraí-la, e anualmente a taxa de incidência atinge 50 milhões de casos (Tauil, 2002). A dengue é uma enfermidade causada por um arbovírus da família Flaviviridae, gênero Flavivírus, que inclui quatro tipos imunológicos: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. Um importante alvo dos anticorpos para DENV é a proteína NS1, uma glicoproteína conservada que parece ser essencial para a replicação do vírus. Recentemente, os testes para a detecção do antígeno NS1 no soro humano foram evoluindo. O antígeno NS1 é encontrado juntamente com endotélio, livre ou solúvel no soro de pacientes, a partir de um dia antes do início dos sintomas e pode ser detectado, pelo menos, até cinco dias após o início dos sintomas, o que permite um diagnóstico precoce da doença. Objetivo: Avaliar a acurácia diagnóstica para a detecção do antígeno NS1 Dengue pelo formato ELISA, quando utilizada por laboratórios de saúde pública. Métodos: estudo analítico retrospectivo dos exames de dengue oriundos das unidades sentinelas de dengue e laboratórios de referência nacional e estaduais no período de 2009 a 2010. Foram calculados os valores de sensibilidade, especificidade, Valor preditivo positivo e valor preditivo negativo. Resultados: A sensibilidade média do kit encontrada nos seis estados envolvidos no estudo foi de 94,5% e a especificidade média foi de 61,20%. O valor preditivo positivo de 81,48% no ano de 2009 e em 2010 o valor caiu para 66,17%, e o valor preditivo negativo no ano de 2009 foi de 89,91% e no ano de 2010 o valor aumentou para 94,43%. Conclusão: Considerando a sensibilidade de 94,50% encontrada podemos considerar que o teste é sensível, e raramente deixará de encontrar pessoas com a doença. Em relação a especificidade de 61,20%,considera-se um valor abaixo do esperado, podendo ocasionar resultados falsos negativos. O kit é sensível, porém pouco específico. __________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Introduction: Dengue fever is one of the main public health issues in the world. In its most severe form, dengue hemorrhagic fever, it causes gastrointestinal hemorrhaging which, if untreated, can lead to death. It has been detected in more than 100 countries and territories worldwide -approximately 2.5 billion people are at risk of contracting dengue fever and incidence rate is of 50 million cases per year (Tauil, 2002). Dengue fever is caused by an arbovirus of the family Flaviviridae and genus Flavivirus and includes four serotypes: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. An important target of antibodies against DENV is the protein NS1, a conserved glycoprotein that appears to be essential for viral replication. Recently, tests for the detection of NS1 antigen in human serum have evolved. This antigen is found in the endothelium, in a free form or soluble in serum of infected patients after one day before symptoms begin, which allows for early diagnosis of the disease. Objective: To evaluate the diagnostic accuracy in the detection of the NS1 antigen in an ELISA format in public health laboratories. Methods: A descriptive retrospective cohort study of dengue laboratory results from sentinel, state and national reference laboratories in 2009 and 2010. Sensitivity, specificity, positive and negative predictive values were determined. Results: The mean sensitivity of the Elisa kit in the six states involved in this study was 94.5% and the mean specificity was 61.2%. Positive predictive value was 81.48% in 2009 and decreased to 66.17% in 2010, whereas the negative predictive value was 89.91% and increased to 94.43% in the years 2009 and 2010, respectively. Conclusion: Considering the mean sensitivity of 94.50%, it can be concluded that the test will rarely fail at detecting contaminated patients. The mean specificity was lower than expected and it can be concluded that mistakes can occur, particularly in assigning false negatives. The kit is sensitive, however non-specific.

Page generated in 0.1124 seconds