• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 81
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 82
  • 82
  • 34
  • 34
  • 20
  • 17
  • 16
  • 12
  • 12
  • 11
  • 11
  • 11
  • 9
  • 8
  • 7
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Investigação de aspectos neuroquímicos e comportamentais em modelos animais e pacientes com epilepsia

Lopes, Mark William January 2016 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Bioquímica, Florianópolis, 2016 / Made available in DSpace on 2016-09-20T04:53:32Z (GMT). No. of bitstreams: 1 339433.pdf: 21924736 bytes, checksum: dd6fbdfa00771e9752cbb8d43e7a0d5c (MD5) Previous issue date: 2016 / A epilepsia é uma doença crônica caracterizada por ataques epilépticos recorrentes. A maioria dos pacientes com epilepsia do lobo temporal (ELT), que é o tipo mais comum de epilepsia, além de apresentarem crises convulsivas são acometidos por transtornos neuropsiquiátricos. Estes distúrbios neurocomportamentais e os episódios de crise são provenientes de alterações nos circuitos neurais e maquinaria neuroquímica/celular utilizada para eventos fisiológicos. Além disso, sistemas de sinalização inter e intracelular que são fundamentais para a atividade sináptica são passíveis de regulação e podem estar envolvidos na fisiopatologia da epilepsia. Dessa forma, o presente trabalho tem como objetivos: 1) caracterizar alterações específicas da transmissão glutamatérgica e vias de sinalização intracelular no hipocampo dorsal e ventral e córtex temporal de ratos Wistar adultos submetidos ao modelo da pilocarpina de epilepsia; 2) investigar a relação temporal entre a ELT e comorbidades psiquiátricas através de testes comportamentais realizados nas fases de maturação e epilepsia crônica de ratos Wistar adultos submetidos ao modelo da pilocarpina; 3) caracterizar alterações específicas da transmissão glutamatérgica e vias de sinalização intracelular em amostras de neocortex, amígdala e hipocampo dos pacientes com ELT submetidos ao processo cirúrgico, e especificamente na amígdala, investigar os efeitos da administração de dexametasona; 4) através do uso de ferramentas de manipulação genética investigar o papel da enzima carboxipeptidase A6 (CPA6) e moléculas de sinalização celular no modelo de crises convulsivas induzidas por pentilenotetrazol (PTZ) e pilocarpina em zebrafish. Os principais resultados incluem: 1) diminuição na fosforilação de PKA/GluA1-Ser845, aumento na expressão de GFAP e diminuição na expressão do transportador GLT1 no hipocampo dorsal na fase crônica do modelo da pilocarpina. Em contraste, no hipocampo ventral ocorreu diminuição na fosforilação de PKC/GluA1-Ser831. Estes resultados sugerem um desequilíbrio região específico da transmissão glutamatérgica e de vias de sinalização em resposta a Pilo-SE; 2) déficits na discriminação olfatória e memória social de curto prazo nos períodos de maturação e epilepsia crônica de ratos submetidos ao modelo da pilocarpina; 3) diminuição na fosforilação de CaMKII/GluA1-Ser831 na amígdala de pacientes com ELT tratados cirurgicamente após uma única dose de dexametasona; 4) larvas de zebrafish geneticamente modificadas (knockdown para CPA6), apresentaram resistência a crises convulsivas induzidas por PTZ e pilocarpina. Alterações na sinalização peptidérgica e a supressão de inputs excitatórios após a perda de função da enzima CPA6 podem estar envolvidos no mecanismo de resistência. Em conjunto, as alterações neuroquímicas identificadas em regiões cerebrais específicas podem ser valiosas para a compreensão da fisiopatologia da epilepsia e podem ajudar a estabelecer alvos terapêuticos para o tratamento desta neuropatologia. Por fim, os modelos animais aplicados neste estudo reproduziram características específicas da doença, podendo assim ser utilizados como ferramenta para estudar estratégias neuroprotetoras, bem como os mecanismos neurobiológicos e psicopatológicos associados a epileptogênese. <br> / Abstract : Epilepsy is a chronic disease characterized by recurrent seizures. The majority of patients with temporal lobe epilepsy (TLE), which is the most common type of epilepsy, have to live not only with epileptic episodes but also with neuropsychiatric disorders. These neurobehavioral disorders and seizures come from changes in neural circuitry and neurochemistry/cellular machinery used in physiological events. In addition, inter- and intracellular signaling systems that are critical to synaptic activity are subject to regulation and may be involved in the pathophysiology of epilepsy. Thus, this study aimed to: 1) characterize specific changes of glutamatergic transmission and intracellular signaling pathways in the dorsal and ventral hippocampus and temporal cortex of adult Wistar rats submitted to the pilocarpine model of epilepsy; 2) investigate the temporal relationship between TLE and psychiatric comorbidities through behavioral tests performed in the maturation and chronic epilepsy phases of adult Wistar rats submitted to the pilocarpine model; 3) characterize specific changes of glutamatergic transmission and intracellular signaling pathways in the samples of neocortex, amygdala and hippocampus of TLE patients undergoing surgical process, and specifically at amygdala, investigate the effects of dexamethasone administration; 4) using tools of genetic engineering, investigate the role of enzyme carboxypeptidase A6 (CPA6) and cellular signaling molecules in the model of seizures induced by pentylenetetrazole (PTZ) and pilocarpine in zebrafish. The main results include: 1) decrease of PKA/GluA1-Ser845 phosphorylation, increase of GFAP expression and decrease in GLT1 transporter expression in the dorsal hippocampus in the chronic period of the pilocarpine model. In contrast, in the ventral hippocampus the phosphorylation of PKC/GluA1-Ser831was decreased. These results suggest an imbalance region-specific of glutamatergic transmission and signaling pathways in response to Pilo-SE; 2) deficits in olfactory discrimination and short-term social memory during maturation and chronic epilepsy periods of rats submitted to the pilocarpine model; 3) decrease in phosphorylation of CaMKII/GluA1-Ser831 in the amygdala of TLE patients surgically treated after a single dose of dexamethasone; 4) zebrafish larvae genetically modified (knockdown to CPA6) showed resistance to seizures induced by PTZ and pilocarpine. Changes in peptidergic signaling and suppression of excitatory inputs following CPA6 loss of function may be involved in mechanisms of resistance. Taken together, the neurochemical changes identified in specific brain regions may be valuable for understanding the pathophysiology of epilepsy and can help establish therapeutic targets for the treatment of neuropathology. Finally, the animal model used in this study reproduces specific characteristics of the disease, and thus can be used as a tool to study neuroprotective strategies as well as psychopathological and neurobiological mechanisms underlying to epileptogenesis.
2

Atribuição de causalidade e de controle a loucura por diversos profissionais e por religiosos

Silva, Lucia Helena Lopes de Mello e 14 September 1984 (has links)
Submitted by Estagiário SPT BMHS (spt@fgv.br) on 2012-05-17T13:50:02Z No. of bitstreams: 1 000029927.pdf: 23102372 bytes, checksum: 58b61efd1f866d8b5fe6e017b34f8a82 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-05-17T13:52:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000029927.pdf: 23102372 bytes, checksum: 58b61efd1f866d8b5fe6e017b34f8a82 (MD5) Previous issue date: 1984 / The present study was designed to obtain data regarding perception about causes and control of mental health, among university level professionals and members of a religious denomination (priests and nouns). Two questionnaries were utilized for the study, with two point scales: the Mental Health Locus of Origin (MHLO) and the Mental Health Locus of Control (MHLC) questionnaries. The questionnaries were submitted to and answered by a total of 420 subjects, 360 of whom were professionals (psychologists, psysicians including psychiatrists, nurses including psychiatric nurses, social assistants, sociologísts, administration technologists, economists and engineers) and 60 were priests and nuns. Distribution of the subject s was performed according to the number of points achieved in each scale: utilizing the MHLO scale, subjects were separated be tween those that hold the opinion that mental disease has organic causes and those that believe mental disease is linked to environmental causes. Utilizing the MHLC scale, the subjects were separated according to their opinion on whether the success of psychotherapy depends more on the behavior of the patient or on the therapists capabilities. Results obtain e d from both questionnaries were statistícally analysed for each professional group. The correlation coefficient between locus of origin and locus of control was obtaíned. These results allowed the A. to conclude that humanities-oriented professionals believed more than humanities-oriented professionals, and these more than religious subjects and technologists, that mental desease is caused by environmental factors and that its control depends more on the patient's behavior than on the therapist's capabilities. / O presente trabalho objetivou conhecer a percepção de profissionais de nível superior e religiosos sobre as causas e o controle da doença mental. Levantou-se opiniões de 360 profissionais (psicólogos, médicos e médicos psiquiatras, enfermeiros e enfermeiros psiquiatras, assistentes sociais, sociólogos, técnicos de administração, economistas e engenheiro s) e 60 religiosos (padres e freiras). Foram utilizadas duas escalas em forma de questionário: a Mental Health of Locus of Origin (MHLO) e a Mental Health Locus of Control (MHLC). Foi feita a distribuição dos sujeitos de acordo com os pontos obtidos em cada escala; discriminou-se o número de sujeitos que acreditam mais nas causas orgânicas da doença mental e o número de sujeitos que acreditam nas causas ambientais, segundo cada item da MHLO. Também discriminou-se quantos sujeitos acreditam que o sucesso da psicoterapia depende mais do comportamento do cliente e os que acreditam que tal sucesso depende mais da capacidade do terapeuta, segundo cada item da MHLC. Caluulou-se o coeficiente de correlação entre locus de origem e locus de controle da doença mental, e coeficiente de confiabilidade das duas escalas. As principais conclusões indicam que os psicólogos, assistentes sociais e ·sociólogos acreditam mais que os médicos e enfermeiros e estes mais do que os religiosos e os tecnólogos que a doença mental e causada por fatores ambientais e que o seu controle depende mais do comportamento do cliente do que d a capacidade do terapeuta.
3

Prevalência de transtornos mentais comuns e fatores associados na população adulta de Florianópolis

Moraes, Ramona Sant Ana Maggi de 25 October 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Florianópolis, 2010 / Made available in DSpace on 2012-10-25T00:22:17Z (GMT). No. of bitstreams: 1 283420.pdf: 637592 bytes, checksum: c3ae80d211f8bf1671355cd9cba376b2 (MD5) / Nas últimas décadas, tem crescido a importância atribuída a estudos epidemiológicos psiquiátricos com delineamento transversal por determinarem a frequência dos transtornos, as características associadas a variações, bem como por sua relevância tanto nas decisões políticas em saúde mental, no direcionamento da assistência médica na atenção básica e especializada de saúde, bem como para avaliar a efetividade das ações desenvolvidas, além de proporcionarem uma compreensão mais ampla das consequências diretas e indiretas destes agravos para o funcionamento individual, familiar e social da pessoa afetada. Desta maneira o presente estudo objetivou investigar a prevalência de Transtornos Mentais Comuns (TMC) e sua associação com fatores demográficos, socioeconômicos, comportamentos relacionados à saúde, condições de saúde e uso de serviços de saúde na população adulta de Florianópolis, Brasil. Os dados são oriundos da pesquisa EpiFloripa Adulto 2009, um estudo transversal de base populacional que investigou a saúde e as condições de vida da população na faixa etária de 20 a 59 anos da zona urbana de Florianópolis. O desfecho investigado foi rastreado através do instrumento Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20), que é composto por 20 questões do tipo sim/não. O ponto de corte adotado foi de 8 ou mais respostas positivas para ambos os sexos. Realizou-se estatística descritiva de cada variável selecionada e, calculados os respectivos intervalos de confiança de 95%, foi utilizada regressão de Poisson, conduzidas análises bruta e multivariável para estimação de razões de prevalência como medida de associação, calculados os respectivos intervalos de confiança de 95% e o nível de significância foi testado por meio dos testes de Wald para heterogeneidade e tendência linear através do programa estatístico STATA 9. Obteve-se uma prevalência de TMC de 15,2% (IC95%: 12,9-17,5) sendo significativamente mais alta, após análise ajustada, no sexo feminino (RP: 2,7; IC95% 2,1-3,4), cor da pele preta (RP: 1,7; IC95% 1,3-2,2), pessoas que estudaram 4 anos ou menos (RP: 2,0; IC95% 1,4-2,8), aqueles no primeiro tercil de renda (RP: 1,6; IC95% 1,2-2,2), divorciados/separados/viúvos (RP: 1,5; IC95% 1,1-1,9), não praticantes de atividade física no lazer (RP: 1,6; IC95% 1,3-2,1), fumantes (mais de 20 cigarros por dia) (RP: 2,6; IC95% 1,7-3,8), aqueles que avaliaram sua saúde negativamente (RP: 2,5; IC95% 2,0-3,1), quem têm pelo menos uma doença crônica (RP: 2,7; IC95% 1,8-3,9), quem consultou com o médico nos 15 dias anteriores a entrevista (RP: 1,3; IC95% 1,1-1,6) e quem teve internação hospitalar nos 12 meses anteriores a entrevista (RP:1,5; IC95% 1,1-2,0). Espera-se que estes resultados contribuam para o entendimento qualificado do problema, por parte dos profissionais e gestores, e que reflita na prática da programação e do planejamento das ações intersetoriais relacionadas à saúde mental no município de Florianópolis.
4

Primeiras crises psicóticas : identificação de pródromos a partir de pacientes e familiares

Carvalho, Nerícia Regina de 28 August 2006 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2006. / Submitted by Thaíza da Silva Santos (thaiza28@hotmail.com) on 2009-10-09T02:34:20Z No. of bitstreams: 1 2006_Nericia Regina de Carvalho.pdf: 648223 bytes, checksum: 686035ff1c3a342a06607461e21e5884 (MD5) / Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2009-10-09T13:32:44Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2006_Nericia Regina de Carvalho.pdf: 648223 bytes, checksum: 686035ff1c3a342a06607461e21e5884 (MD5) / Made available in DSpace on 2009-10-09T13:32:44Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2006_Nericia Regina de Carvalho.pdf: 648223 bytes, checksum: 686035ff1c3a342a06607461e21e5884 (MD5) Previous issue date: 2006-08-28 / O presente trabalho procurou caracterizar as crises psicóticas por meio da fala de pacientes que passaram por situação de primeiras crises e de seus familiares, a partir da literatura e pesquisas recentes sobre intervenção precoce nas psicoses (McGorry & Edwards, 2002), dos estudos sobre crise (DiTomasso & Kovat, 1995 e Miermont, 1994; Tavares, 2004) e sobre família (Addington & cols., 2005; Erikson, 1974; Eiguer, 1985; McCown & Johnson, 1993; Bateson, 1990; Palazzoli, 1998 e Costa, 2003). Participaram da pesquisa cinco pacientes em tratamento de primeiras crises e seis familiares, selecionados no Hospital São Vicente de Paula, em Taguatinga/DF, no CAEP (Centro de Atendimento e Estudos Psicológicos) do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília, por meio do GIPSI (Grupo de Intervenção Precoce nas Psicoses) e nos CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) "Vida" e "Novo Mundo", em Goiânia. Foram realizadas entrevistas, construídas para este trabalho, com o paciente e seu familiar, baseadas na Escala Breve de Avaliação Psiquiátrica (BPRS). Os dados obtidos foram trabalhados com a análise de conteúdo (Franco, 2003). Constatou-se que as crises psicóticas se manifestaram conforme a literatura corrente (McGorry & Edwards, 2002; DSM–IV, 2002; OMS, 1993). Ansiedade, medo, isolamento social e desconfiança foram os pródromos identificados; e alucinação e delírio, os sintomas recorrentes. Observou-se que a crise psicótica afeta o paciente e sua família, ocasionando não só o sofrimento decorrente da doença mental, mas ônus financeiro, desemprego e perda da autonomia do paciente, fatos de ocasionaram alterações nos relacionamento familiar. Constatou-se também que a procura pelo serviço médico é sempre a primeira providência adotada. Contudo, esta pesquisa enseja continuações, para se averiguar, por exemplo, a dinâmica familiar e as mudanças estruturais na personalidade do paciente e seus impactos na prevenção ou manifestação das crises psíquicas graves. ________________________________________________________________________________ ABSTRACT / This work try to characterizes the first psychotic crisis by the account of the patient’s whom has been thorough this situation and by the account of his/her family member, based on the recent literature and researches about early intervention in psychosis (McGorry &. Edwards, 2002), and based on the studies about crisis (DiTomasso & Kovat, 1995 & Miermont, 1994; Tavares, 2004) and about family (Addington & cols., 2005; Bateson, 1990; Eiguer, 1985; Erikson, 1974; McCown & Johnson, 1993; Palazzoli, 1998; Costa, 2003). Five patients in psychiatric handling and six family members took part in this work. They were chosen from four psychiatric/psychological institutions. Two in Brasilia: Hospital São Vicente de Paula, Taguatinga/DF and CAEP (Centre of Services and Psychological Studies) of the Institute of Psychology from the University of Brasilia, linked to GIPSI (Group of Early Intervention in Psychosis) and the other ones in CAPS (Centres of Psychossocial Attetion) “Vida” and “Novo Mundo” in Goiania/GO. Two scripts of interview were built for this research based in brief psychiatric rating scale (BPRS). The data obtained were worked through the Analysis of Content (Franco, 2003). It was noted that psychotic crisis were manifestated according to literature states (DSM –IV, 2002; McGorry & Edwards, 2002; OMS, 1993). Anxiety, social isolation, scare and suspicion were the identified prodroms and hallucination and delirium, the most related symptoms. It was anoted that psychotic crisis increases not only suffering but also financial obligations, unemployment and loss of the patient’s autonomy and make some changes in the family relationship. Looking for medical care was the first providence adopted by the patients and their families. However, this work offers continuations for other researches, in order to study more deeply about familiar dynamics and structural changes in the patients’ personality and their impact in the prevention and manifestation of serious psychic crisis.
5

Prevalencia das dermatoses em doentes mentais confinados : contribuição para o seu estudo

Steiner, Denise 26 August 1992 (has links)
Orientador : Elemir Macedo de Souza / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-15T21:14:07Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Steiner_Denise_D.pdf: 4170527 bytes, checksum: 3fe36c29dd7e674a746fbe361e408d94 (MD5) Previous issue date: 1992 / Resumo: Realizou-se exame dermatológico completo em todos os doentes mentais (1847) internados no Complexo Hospitalar do Juqueri, no período de Setembro a Dezembro de 1990, encontrando-se 85,54% com alguma dermatose. A população constituía-se de 940 mulheres, 907 homens, com predomínio de indivíduos brancos (71,2%), idade média de 54,5 anos e tempo médio de internação de 20 anos. As doenças psiquiátricas específicas mais encontradas foram a esquizofrenia, a oligofrenia e a epilepsia. As dermatoses mais freqüentes assim como os grupos mais prevalentes foram discutidos em seus aspectos relevantes. Algumas dermatopatias específicas assim como as dermatoses psicossomáticas também foram abordadas. Conclui-se que os doentes mentais internados têm, em geral, as mesmas doenças de pele da população geral não permitindo a correlação das dermatoses com as doenças psiquiátricas. Algumas entidades nosológicas como, dermatite seborréica, fotossensibilidade e hirsutismo foram mais freqüentes em comparação com a população não doente. As dermatoses ditas psicossomáticas foram pouco prevalentes. A situação de vida, internamento crônico, alimentação, drogas, parecem facilitar o aparecimento de algumas dermatoses / Abstract: AlI the mental patients of "Complexo Hospitalar do Juqueri" (1847) were investigated, from September to December, 1990, and 85,54% were found to have skin disease. The distribution by sex was 940 female and 907 malei 71,2% were whitei the medium age was 54,5 years and the long-stay medium time was 12 years. The prevalent mental ilnesses were schizopherenic disorders, mental deficiency and epilepsy. The most frequent dermatoses and the most prevalent groups of skin disorders were discussed. Some especifc dermatoses as well as the psychosomatic dermatoses had a special attention. No correlation between any particular mental and skin disease was stablished. Seborrhoeic dermatitis, photosensitivity and hirsutism appeared to be more prevalent than in the healthy population. The so called psychosomatic dermatoses had little prevalence. The way of living, cronic long-stay, meal, drugs, seem to help the outcoming of some dermatoses / Doutorado / Doutor em Medicina
6

Tentativas de suicidio com risco de vida : intencionalidade suicida, letalidade medica e analise de agrupamentos

Rapeli, Claudemir Benedito 29 June 2001 (has links)
Orientador: Neury Jose Botega / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-28T13:32:51Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Rapeli_ClaudemirBenedito_D.pdf: 31515116 bytes, checksum: 4b0d9df6bc635986475bc2c9dc8e61e2 (MD5) Previous issue date: 2001 / Resumo: Este estudo foi realizado no Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas, Campinas - SP. Teve por objetivos relacionar o grau de intencionalidade suicida com o grau de letalidade médica e verificar a existência de subgrupos de pacientes e caracterizá-Ios clinicamente. Foram avaliados 121 pacientes. Os sujeitos deste estudo foram os indivíduos atendidos no pronto-socorro por tentativa de suicídio e que aí permaneceram por 24 horas ou mais para observação e aqueles que necessitaram de internação em uma das enfermarias do hospital. Para avaliação foi utilizado um questionário ("Questionário de Tentativa de Suicídio - QTS") composto por uma anamnese estruturada e escalas psicométricas. Na análise foi utilizado o teste Qui-quadrado ou Exato de Fisher para verificar associação ou comparar proporções entre variáveis categóricas e o teste de Mann-Whitney para variáveis contínuas ou ordenáveis. Na verificação de correlação entre intencionalidade suicida e letalidade médica o Coeficiente de Correlação Linear de Spearman foi utilizado. A análise de Regressão Logística Politômica Multivariada, a Análise de Correspondência e a Análise de Agrupamentos ("Cluster Analysis") foram utilizadas para identificar as variáveis que poderiam discriminar grupos resultantes da interação entre diversas variávels. Os pacientes foram em sua maioria adultos jovens e do sexo masculino (64,5%). A média de idade foi 32,6 anos. Dois terços dos pacientes tinham menos que oito anos de escola cursados com sucesso e metade dos pacientes eram solteiros. Em 82% dos pacientes o método utilizado foi o envenenamento. Oito pacientes faleceram, todos do sexo masculino com média de idade de 27,5 anos. Três variáveis associaram-se com maior intencionalidade suicida: método mais violentos, presença de sintomas de depressão e hipótese diagnóstica de transtorno afetivo. Duas variáveis se associaram com maior letalidade médica: sexo masculino e ocorrência de uma tentativa de suicídio anterior. Três subgrupos, excluindo-se os pacientes que faleceram, foram identificados pela análise de agrupamentos. O primeiro subgrupo, com 43 pacientes: a maioria do sexo feminino com média de idade de 32,7 anos; o envenenamento foi o método utilizado; metade dos pacientes apresentou maior letalidade médica e dois terços apresentaram menor intencionalidade suicida. O segundo subgrupo, formado por 53 pacientes: a maioria do sexo masculino com média de idade de 30 anos; o envenenamento foi o único método utilizado; a maioria apresentou maior letalidade médica e maior intencionalidade suicida. O terceiro subgrupo, formado por 17 pacientes: a maioria do sexo masculino com média de idade de 42,7 anos; todos utilizaram método mais violentos; a maioria com maior letalidade médica e maior intencionalidade suicida / Abstract: This study was carried out at the general hospital of the Universidade Estadual de Campinas, in Campinas, Brazil. The aims of the study were to assess the relationship between suicide intention and medical lethality, as well as to verify the existence of different groups of suicide attempters. The study subjects were those patients admitted to the hospital after a suicide attempt and those who stayed in the casualty department for more than 24 hours. A structured interview including psychometric scales, sociodemographic and clinical data, was used. The following statistical tests were used: Chi-squared, Fisher, Mann-Whitney, Spearman correlation, multivariate politomic logistic regression, correspondence analysis and cluster analysis. Most patients were male (64.5%) and young adults. The mean age was 32.6 years. Half of the patients were single and two thirds had less than 8 years of scholarship. Poisoning was the method of suicide most frequently used (82%). There were 8 deaths in young male adults (mean age = 27.5 years). 175 Three variables were associated with greater medicallethality: the use of a violent method~ depressive symptoms and the diagnosis of an affective disorder. Two variables were associated with medicallethality: male and a previous suicide attempt. Three groups of patients (excluding 8 cases of death) were identified by cluster analysis: 1. A group of 43 subjects (most of them female, mean age = 32.7 years) who used self-poisoning as suicide method. Half presented higher degrees of medical lethality and two thirds lower leveI of suicide intention; 2. A group of 53 subjects (most males, mean age = 30 years) who used self-poisoning and presented both high medical lethality and suicide intention; 3. A group of 17 subjects (most males, mean age = 42.7) who used violent method in the suicide attempt and presented higher levels of medical lethality and suicide intention / Doutorado / Doutor em Ciências Médicas
7

Contribuições de Espinosa para o conceito de saúde mental /

Lima, Orion Ferreira. January 2012 (has links)
Orientador: Alfredo Pereira Junior / Banca: Elisabete Cardieri / Banca: Maria Luisa Bissoto / Banca: Ana Lucia Machado / Banca: Marcos Ferreira de Paula / Resumo: O presente trabalho pretende compreender em que medida as contribuições de Espinosa são importantes para o conceito de saúde mental. Historicamente a doença mental se delineou pelas sombras dos sintomas apresentados pelos indivíduos, de modo que a loucura tornou-se sinônimo de erro, ou seja, de tudo aquilo que constitui deturpação da realidade. Nessa perspectiva, o louco tornou-se um alienado, alheio a si mesmo e ao mundo, em suma, um nãosujeito. Entendida nesse sentido, a doença mental assume o caráter de desajuste biológico, mais especificamente falando na esfera cerebral. Como sinônimo de erro, o doente deveria, isolado do mundo, procurar "ajustar-se" à realidade. É nesse universo de isolamento que a loucura torna o indivíduo o sujeito da desrazão, em outras palavras, o sujeito, por conta de sua alienação, deixa de ser protagonista de sua própria história, dando lugar ao objeto de alienação. Nessa concepção de institucionalização da loucura, a doença mental se molda a partir do conceito de distúrbio ou de "desajuste" que se revela numa sintomatologia bizarra. Não há nenhuma preocupação com o indivíduo, entendido aqui em sua totalidade. Com o advento da chamada "reforma psiquiátrica", apregoada pelas idéias de Basaglia, Rotelli e estimulada, sobretudo, por uma filosofia da emancipação do sujeito proposta por Foucault, começa-se a fomentar a desconstrução de um mecanismo psiquiátrico fundado na noção de poder-saber. O próprio estabelecimento da doença mental nos sugere pensar que uma subjetividade diferente está emergindo, de modo que não faz nenhum sentido tratarmos os sintomas deixando de lado o sujeito como também sua existência e seu sofrimento. Por muito tempo focalizamos nossa atenção no conceito de doença mental e, conseqüentemente em seus sintomas. Construímos nossas teorias e práticas a partir de uma série coordenadas ... / Abstract: This study aims to understand the extent to which Spinoza's contributions are important to the concept of mental health. Historically, mental illness was outlined as shadows of symptoms experienced by individuals, so that madness became synonymous with error, ie, everything that constitutes misrepresentation of reality. From this perspective, the madman became an alienated alien to himself and the world, in short, a non-subject. Understood in this sense, mental illness takes on the character of biological imbalance, specifically speaking on the brain sphere. As a synonym for error, the patient should, isolated from the world, look for a "fit" with reality. In this universe of isolation madness makes the individual the subject of unreason, in other words, the subject, is no longer the protagonist of his own story. In this conception of institutionalization of madness, mental illness is molded from the concept of disorder or "misfit" that reveals it self in a bizarre symptoms. There is no concern for the individual, understood here in its entirety. With the advent of so-called "psychiatric reform," trumpeted by the ideas of Basaglia, Rotelli and stimulated primarily by a philosophy of emancipation of the subject proposed by Foucault begins to promote the deconstruction of a psychiatric facility founded on the notion of power-knowledge . The very establishment of mental illness suggests that a subjectivity different thinking is emerging, so it makes no sense to treat the symptoms aside from the subject as well as their existence and their suffering. For a long time we focused our attention on the concept of mental illnesses and consequently their symptoms. We build our theories an...(Complete abstract click eletronic access below) / Doutor
8

A desconstrução do manicômio interno como determinante para a inclusão social da pessoa em sofrimento mental

Machado, Daniela Martins 07 August 2006 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2006. / Submitted by Diogo Trindade Fóis (diogo_fois@hotmail.com) on 2009-11-13T18:19:37Z No. of bitstreams: 1 Dissert_final.pdf: 1726390 bytes, checksum: 0925bdaffef4016e53409651b2928115 (MD5) / Approved for entry into archive by Lucila Saraiva(lucilasaraiva1@gmail.com) on 2010-05-31T18:41:47Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissert_final.pdf: 1726390 bytes, checksum: 0925bdaffef4016e53409651b2928115 (MD5) / Made available in DSpace on 2010-05-31T18:41:47Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissert_final.pdf: 1726390 bytes, checksum: 0925bdaffef4016e53409651b2928115 (MD5) Previous issue date: 2006-08-07 / O estudo teve como objetivo identificar e analisar as representações sociais dos auxiliares de enfermagem que trabalhavam na “Residência Terapêutica” do Instituto de Saúde Mental, acerca da loucura e do louco, da clientela da unidade e de suas práticas, bem como, verificar como estas representações e as práticas realizadas têm favorecido ou dificultado o processo de inclusão social desta clientela. Para tanto, utilizamos a metodologia qualitativa, na modalidade de estudo de caso, que constou, primeiramente, de análise documental e do relato da nossa vivência no âmbito da instituição, o que possibilitou nossa contextualização sóciohistórica, frente ao panorama local e nacional de atenção à saúde mental. No segundo momento, visando captar as representações sociais, realizamos entrevistas com 11 auxiliares de enfermagem que prestavam assistência direta aos usuários da “Residência Terapêutica” há pelo menos seis meses, por meio de um roteiro semi-estruturado, cujo propósito era permitir a livre expressão destes sujeitos acerca das questões levantadas. O Projeto de Pesquisa foi aprovado por um Comitê de Ética e os sujeitos assinaram um termo de consentimento livre e esclarecido. A análise dos dados foi realizada por meio da técnica de análise de conteúdo, dos quais emergiram três categorias: o significado da loucura, o trabalho em saúde mental e o caminho da inclusão social. Evidenciamos que a loucura é ainda compreendida dentro do paradigma manicomial, enquanto desrazão, desequilíbrio e doença, do mesmo modo, o louco é visto como pessoa debilitada, dependente, em constante sofrimento e doente. As práticas de atenção em saúde mental caminham do modelo médico-biologicista, com forte cunho hospitalocêntrico e medicamentoso, para o modelo humanista, em que se valoriza o relacionamento interpessoal e a produção de subjetividade singularizada, apontando para a desinstitucionalização e para práticas de reabilitação, aproximando-se do paradigma psicossocial. O avanço destas práticas, no entanto, é dificultado pela ausência de um projeto institucional, interdisciplinar para o serviço residencial terapêutico e pela ausência de projetos terapêuticos interdisciplinares individualizados, voltados à inclusão social da clientela da unidade. Verificamos a necessidade de superar barreiras governamentais, para favorecer a efetivação de políticas públicas inclusivas em saúde mental; barreiras institucionais, para favorecer o repensar de saberes e práticas e, sobretudo, das barreiras subjetivas, para possibilitar a desconstrução do manicômio interno – o mais contundente instrumento de exclusão social do louco. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / The study’s objective was to identify and analyze social representatives of the nursing assistants which worked under the “Therapeutic Domicile” of the Mental Health Institute, on the madness of the mad, professional practices, clients social inclusion possibilities, as well as tried to analyze how this representations and usual practices has being favored or rendered difficult the social inclusion process of the clients of the “Therapeutic Domicile”. For that we had used qualitative methodology, at case study model, which included at first, documental analysis and a report based on our experience of life within the institution; what allowed us to contextualize its socio-historic, upon the local and national scene on the mental health. The next step, aiming to capture social representations, we held interviews with eleven nursing auxiliaries which worked directly with the “Therapeutic Domicile” users, at least for six months, thought a semi-structured guide-book, which purpose was to allow free expression of these citizens about raised issues. The research Project was approved by an Ethics Committee and the citizens signed a clear and free permission term. The data analysis was accomplished using the content analysis, from where three categories were raised: the madness meaning, the mental health work and the social inclusion way. We found out that clearly the madness is still understandable within the mad-house pattern, whilst unreasonableness, unsteadiness and disease, by the same way the mad is seen like a feebleminded person, dependent, in constant suffering and sick. The mental health care practices move towards from the medical-biologist model, with a strong hospital centric and medicamental matrix, to the humanistic model, in which the interpersonal relationship and the singular subjective quality of character production is valued, that points out to a deinstitutionalization and for rehab practices, approaching to the psychosocial paradigm. The progress of this practices, although, becomes difficult because of the lankness of an institutional interdisciplinary project to the activity domiciliary therapeutic and by the lack of individualized interdisciplinary therapeutics, directed to the units clients social inclusion. We understand that there’s a need of overcome governmental barriers, which favors the effect of rendering effective the mental health inclusive public politics, institutional barriers, allowing the rethink of practices and knowledge and above it all the subjective barriers that allow the deconstruction of the intern mad-house – the most incisive instrument of social exclusion of the mad.
9

A enfermagem e a pessoa portadora de distúrbios psíquicos :: buscando compreender seu sendo /

Oliveira, Marília de Fátima Vieira de January 1999 (has links)
Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. / Made available in DSpace on 2012-10-18T15:03:20Z (GMT). No. of bitstreams: 0Bitstream added on 2016-01-09T04:25:55Z : No. of bitstreams: 1 161286.pdf: 1744710 bytes, checksum: 1072350dfa1733988fe77170ab7bb7db (MD5) / Trata-se de um estudo realizado no Instituto de Psiquiatria de Santa Catarina (I.P.Q) e no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Referência Regional de Florianópolis, no período de outubro a dezembro de 1998. A coleta de dados ocorreu a partir de uma abordagem fenomenológica, utilizando-se da a aplicação de uma única entrevista com cada cliente. Para interpretação compreensiva dos aspectos essenciais apreendidos, desenvolvi um estudo qualitativo respaldado na hermenêutica fenomenológica de Martin Heidegger.
10

Concepções de saúde e doença mental : adaptação transcultural do instrumento de acesso aos cuidados em saúde mental

Morais, Camila de Aquino 09 December 2014 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2014. / Submitted by Ana Cristina Barbosa da Silva (annabds@hotmail.com) on 2015-05-25T16:27:27Z No. of bitstreams: 1 2014_CamiladeAquinoMorais.pdf: 676548 bytes, checksum: 90b54004b1f0e259255d21f23e2c5461 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2015-05-25T18:27:01Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_CamiladeAquinoMorais.pdf: 676548 bytes, checksum: 90b54004b1f0e259255d21f23e2c5461 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-05-25T18:27:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_CamiladeAquinoMorais.pdf: 676548 bytes, checksum: 90b54004b1f0e259255d21f23e2c5461 (MD5) / O conceito de saúde e doença reflete a conjuntura social, econômica, política e cultural, sendo influenciado pela época, lugar, classe social, valores individuais, concepções científicas, religiosas e filosóficas. O estudo dos conceitos de saúde/doença junto aos os indivíduos e grupos específicos permite adequar os serviços de prevenção e intervenção a cada população. O objetivo dessa tese é apresentar evidências de validade do instrumento Acesso aos Cuidados em Saúde Mental (ACSM), nome dado a versão brasileira do instrumento Access to Mental Health Care (AMHC). Para isso foram elaborados três artigos. O artigo I apresenta uma revisão narrativa das pesquisas realizadas sobre concepções e representações em saúde e doença mental e descreve os estudos preliminares do instrumento AMHC no exterior e no Brasil. O artigo II descreve o processo de adaptação transcultural (ATC) do instrumento AMHC para a versão brasileira (ACSM) e apresenta as evidências de validade do questionário ACSM. Os eixos de análise comparando a equivalência entre o instrumento original (AMHC) e o adaptado (ACSM) são apresentados em seis dimensões: equivalência conceitual, de item, semântica, operacional, de mensuração e funcional. O artigo III compara os constructos do instrumento considerando as subcultura sendo estas: o nível socioeconômico, o sexo, as regiões brasileiras e o grupo clínico e não clínico. Nesse trabalho observa-se a equivalência satisfatória do instrumento no âmbito conceitual, item, semântico e operacional. As discrepâncias psicométricas na extração dos fatores não significam necessariamente alguma falha importante no processo de adaptação em si. A amostra de adolescentes foi composta por 480 jovens, 54,8% do sexo feminino e 45,2% do masculino. A idade dos jovens variou de 12 a 19 anos. (M= 15,31, SD= 1,69). Os estados participantes foram: Brasília (39,3%), Porto Alegre (40,2%), Belém (12,7%) e Fortaleza (7,7%). Os grupos de coleta ocorreram em escola pública, particular, rede pública e particular de saúde. Diferenças por NSE, sexo, estados e grupo clínico e não clínico apareceram em diferentes fatores .Diferenças significativas foram encontradas em todos os fatores, exceto o fator concepção de doença mental. O nível de subcultura que apresentou mais diferença nos fatores foi o grupo clínico/não clínico, caracterizado pela experiência ou não de adoecimento em saúde mental. O segundo nível de subcultura que apresentou mais diferença nos fatores foi o NSE. As diferenças em relação aos estados brasileiros e por sexo ocorreram em poucos fatores. Estudos futuros, apresentando em profundidade aspectos da equivalência de mensuração, são fundamentais, como análise fatorial exploratória utilizando a estrutura pré estabelecida do questionário e identificar a existência de subdimensões na mesma seção e comparar essas com as análises do estudo de validação suíço. Também é pertinente averiguar a estrutura original e a em escrutínio através de análise fatorial confirmatória por modelos de equações estruturais. Investigar as concepções dos usuários visando a compreender os conceitos, crenças e mitos relativos à sua concepção de saúde e adoecimento vão ao encontro de uma política que permite, a partir da perspectiva do usuário, fornecer subsídios para rever a acessibilidade e o atendimento a esta população. Conhecer as concepções dos jovens de diferentes segmentos socioeconômicos e culturais pode permite aos setores de atenção à saúde, pública e suplementar, que articulem às discussões e proposições em relação à melhoria da atenção em saúde mental. ______________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / The concept of health and disease reflects the social, economic, political and cultural context and is influenced by time, place, social class, individual values, scientific conceptions, religious and philosophical. The study of the concepts of health / illness with individuals and specific groups allows tailor prevention and intervention services to each population. The objective of this thesis is to present evidence of validity of the instrument Access to Mental Health Care (ACSM), the name given to the Brazilian version of the instrument Access to Mental Health Care (AMHC). For this were developed three articles. Article I provides a narrative review of research on conceptions and representations in health and mental illness and describes the preliminary studies of AMHC instrument in Brazil and abroad. Article II describes the cross-cultural adaptation process of AMHC instrument for the Brazilian version (ACSM) and presents the evidence of validity of the ACSM survey. The axes of analysis comparing the equivalence between the original instrument (AMHC) and adapted (ACSM) are presented in six dimensions: conceptual equivalence, item, semantic, operational, measurement and functional. Article III compares the constructs of the instrument considering the subculture these being: socioeconomic status, sex, Brazilian regions and the clinical and non-clinical group. In this study, we observed satisfactory equivalence of the instrument in the conceptual framework, item, semantic and operational. Psychometrics discrepancies in the extraction of the factors does not necessarily mean some major flaw in the process of adaptation itself. The adolescent’ sample consisted of 480 youth, 54.8% female and 45.2% male. The age of the young people ranged from 12 to 19 years. (M = 15.31, SD = 1.69). Participating states are: Brasilia (39.3%), Porto Alegre (40.2%), Belém (12.7%) and Fortaleza (7.7%). Group foraging occurred in public school, private, public and private health. Differences by SES, sex, states and clinical and nonclinical group appeared on various factors. Significant differences were found in all factors except the design factor of mental illness. The level of subculture that made the most difference in the factors was the clinical / non-clinical group, characterized by experience or no illness in mental health. The second level of subculture that made the most difference in the factors was the NSE. The differences in relation to Brazilian states and sex occurred in a few factors. Future studies, with in-depth aspects of the measurement equivalence, are necessary, as exploratory factor analysis using the pre-established structure of the questionnaire and identify the existence of sub-dimensions in the same section and compare these with the analysis of the study of Swiss validation. It is also relevant to determine the original structure and in scrutiny through confirmatory factor analysis by structural equation models. Investigate the concepts of users in order to understand the concepts, beliefs and myths concerning their conception of health and illness will meet a policy that allows, from the user's perspective, provide subsidies to review the accessibility and the care of this population. Knowing the views of young people from different socioeconomic and cultural segments can allow health care sectors, public and further, encompassing the discussions and proposals regarding the improvement of mental health care.

Page generated in 0.0573 seconds