• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 2379
  • 29
  • 28
  • 27
  • 25
  • 22
  • 21
  • 15
  • 12
  • 4
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • Tagged with
  • 2461
  • 1603
  • 259
  • 231
  • 231
  • 216
  • 176
  • 176
  • 171
  • 157
  • 144
  • 144
  • 137
  • 134
  • 130
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
31

Efeito do metilfenidato em ratos jovens submetidos ao modelo de epilepsia com pilocarpina / Efecct of methylphenidate in young rats submitted to the model of epilepsy with pilocarpine

Linhares, Maria Isabel 19 June 2017 (has links)
LINHARES, M. I. Efeito do metilfenidato em ratos jovens submetidos ao modelo de epilepsia com pilocarpina. 2017. 164 f. Tese (Doutorado em Farmacologia) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017. / Submitted by Farmacologia Pós-Graduação (posgfarmacologia@gmail.com) on 2017-07-10T17:04:04Z No. of bitstreams: 1 2017_tese_milinhares.pdf: 1764730 bytes, checksum: 3ba0f031ca5afa2118456c1d83c3ffef (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2017-07-10T17:20:52Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_tese_milinhares.pdf: 1764730 bytes, checksum: 3ba0f031ca5afa2118456c1d83c3ffef (MD5) / Made available in DSpace on 2017-07-10T17:20:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_tese_milinhares.pdf: 1764730 bytes, checksum: 3ba0f031ca5afa2118456c1d83c3ffef (MD5) Previous issue date: 2017-06-19 / Methylphenidate (MFD) is the drug used for Attention Deficit/Hiperactivity Disorder (ADHD). In the clinic, there is a prevalence of ADHD in patients with epilepsy, being identified as a common comorbidity. The FDA warns against the use of MFD in patients with epilepsy. In this way, it is resolved to investigate in more depth the possible activity of MFD in patients with epilepsy. The objective is to evaluated the effect of MFD on young rats submitted to the pilocarpine epilepsy model. Pilocarpine (PILO) was administered in young animals, at 21 days of age, at a dose of 320 mg/Kg (P320), intraperitoneal (i.p.) for induction of the epilepsy model. Behavioral crises were classified according to the Racine scale and the duration of SE (status epilepticus) was controlled with diazepam (DZ, 4mg / Kg, i.p., 60 minutes post induction). During 21 days, the animals received the MFD at doses of 2,5; 5 and 10mg/Kg and saline (SAL), 10 mL/Kg. Behavioral tests, oxidative stress assessment, TNF-α dosing, and expression analysis of COX-2 and iNOS were performed. In the open field test, an increase in locomotor activity was observed in all analyzed doses of epileptic animals. Did not change the number of rearing. The results analyzed in the high cross maze test showed that MFD increased the parameters, NEOA, at doses of 2,5; 5 and 10 mg/Kg and PEOA and PTOA at doses of 5 and 10 mg/Kg in epileptic animals. In the forced swim test, MFD decreased immobility time at all doses analyzed in epileptic and non epileptic animals. In the Y-maze test (short-term memory) there was a decrease in spontaneous alternations at doses of 2,5; 5 and 10 mg/Kg epileptic animals. In the Object Recognition test (long-term memory) there was no change in any dose of MFD. The evaluation of the oxidant actvity showed that MFD increased levels of lipid peroxidation and nitrite / nitrate, and decreased the activity of GSH and catalase. There was a decrease in AChE activity in the hippocampus and prefrontal cortex. There was an increase in myeloperoxidase activity (a biomarker of inflammation) in MFD treatment. MFD increased the levels of TNF-α induced by P320 in the hippocampus, striatum and prefrontal cortex, reinforced by the effects observed through the activity of COX-2 and iNOS, which showed increased labeling for these enzymes in the striatum. Determination of monoamine levels showed that MFD increased dopamine (DA) levels and decreased DOPAC levels in epileptic animals. In vitro experiments showed that MFD caused increased cell viability in the MTT test. The MFD presented possible pro-oxidant and pro-inflammatory actions, as well as a neuroinflammation. The MFD demonstrated a potential for anxiolytic and antidepressant activity and presented a pro-oxidant and pro-inflammatory action seen through the model of epilepsy induced by pilocarpine in young rats. / O metilfenidato (MFD) é o medicamento utilizado para Transtorno do Déficit de Atenção/ Hiperatividade (TDAH). Na clínica, há uma prevalência de TDAH em pacientes com epilepsia, sendo identificada como uma comorbidade comum. O FDA adverte contra o uso do MFD em pacientes com epilepsia. Desta forma, resolve-se investigar de forma mais aprofundada a possível atividade do MFD em um modelo pré-clínico de epilepsia. O objetivo é avaliar o efeito do MFD em ratos jovens submetidos ao modelo de epilepsia com pilocarpina. A pilocarpina (PILO) foi administrada nos animais jovens, com 21 dias de vida, na dose de 320 mg/Kg (P320), intraperitoneal (i.p.), para indução do modelo de epilepsia. As crises comportamentais foram classificadas de acordo com a escala de Racine e a duração do status epilepticus (SE) foi controlada com diazepam (DZ, 4mg/Kg, i.p., 60 minutos após a indução). Durante 21 dias, os animais receberam o MFD nas doses de 2,5; 5 e 10mg/Kg e salina (SAL), 10 mL/Kg. Em seguida, foram realizados os testes comportamentais, a avaliação do estresse oxidativo, a dosagem de TNF-α e análise da expressão de COX-2 e iNOS. Os resultados analisados no teste do labirinto em cruz elevado, mostraram que o MFD aumentou os parâmetros, NEBA, nas doses de 2,5, 5 e 10 mg/Kg e, PEBA e PTBA nas doses de 5 e 10mg/Kg nos animais epilépticos. No teste do campo aberto, foi observado aumento na atividade locomotora em todas as doses analisadas dos animais epilépticos. Não alterou o número de rearing. No teste do nado forçado, o MFD diminuiu o tempo de imobilidade em todas as doses analisadas nos animais epilépticos e não epilépticos. No teste do Y-maze (memória de curta duração) houve uma diminuição nas alternâncias espontâneas nas doses de 2,5; 5 e 10 mg/Kg dos animais epilépticos. No teste do Reconhecimento de Objetos (memória de longa duração) não houve alteração em nenhuma dose do MFD. A avaliação da atividade oxidante mostrou que o MFD aumentou os níveis de peroxidação lipídica e nitrito/nitrato, e diminuiu a atividade da GSH e da catalase. Houve uma diminuição na atividade da AChE no hipocampo e córtex pré-frontal. Houve um aumento da atividade da mieloperoxidase (um biomarcador de inflamação) no tratamento com MFD. O MFD aumentou os níveis de TNF- α induzido por P320 no hipocampo, corpo estriado e córtex pré-frontal, reforçado pelos efeitos observados através da atividade da COX-2 e iNOS que apresentou aumento na marcação para essas enzimas no corpo estriado. A determinação dos níveis de monoaminas mostrou que o MFD aumentou os níveis de dopamina (DA) e diminuiu os níveis de DOPAC nos animais epilépticos. Os experimentos in vitro mostraram que o MFD causou aumento da viabilidade celular no teste do MTT. O MFD demonstrou um potencial para a atividade ansiolítica e antidepressiva e apresentou uma ação pró-oxidante e pró-inflamatória visto através do modelo de epilepsia induzido por pilocarpina em ratos jovens.
32

Efeitos da perda de peso através de restrição energética com ou sem treinamento físico sobre parâmetros vasculares e metabólicos de indivíduos com obesidade

Fayh, Ana Paula Trussardi January 2011 (has links)
INTRODUÇÃO: Evidências suportam uma importante contribuição da obesidade abdominal e da inflamação sobre a resistência à insulina (RI) e o risco cardiovascular. A redução da massa corporal a partir da modificação do estilo de vida pode diminuir a inflamação e a RI, mas estudos não esclarecem o efeito adicional do treinamento físico na melhora desses parâmetros. OBJETIVO: Verificar o impacto da redução de 5% do peso inicial com ou sem treinamento físico sobre o tecido adiposo visceral (TAV), RI, perfil lipídico, função endotelial e inflamação em indivíduos obesos. MÉTODOS: Neste ensaio clínico randomizado, 48 indivíduos obesos (idade 31,8 + 6 anos, IMC 34,8 + 2,7 kg/m2) reduziram 5% da massa corporal inicial com dieta isolada (DI) ou acompanhada de treinamento físico (DI+EXE). Antes e após a redução do peso, foram dosados o colesterol total e frações, triglicerídeos, glicemia e insulina para o cálculo do HOMA-IR e proteína C-reativa ultrassensível (PCR-us) no sangue. A função endotelial foi avaliada pela técnica de dilatação mediada pelo fluxo (DMF), com determinação ecográfica do diâmetro arterial e o TAV foi quantificado pela tomografia computadorizada de abdômen. O treinamento físico consistiu de três sessões semanais de cicloergometria durante 45 minutos a 70% da frequência cardíaca de reserva. RESULTADOS: Treze indivíduos desistiram de participar do estudo antes de atingir redução ponderal. Nos grupos DI (n=18) e DI+EXE (n=17), colesterol total (-15,8 + 4,8 mg/dL e -10,5 + 4,9 mg/dL, respectivamente), triglicerídeos (-33,8 + 10 mg/dL e - 39,4 + 10,3 mg/dL, respectivamente), PCR-us (-1,4 + 0,4 mg/L e -0,5 + 0,4 mg/L, respectivamente), HOMA-IR (-1,38 + 0,37 e -0,95 + 0,14mg/dL respectivamente) e TAV (-23,6 + 19,4 cm2 e -35,4 + 35 cm2 respectivamente) diminuiu significativamente e de forma similar (general linear model). CONCLUSÃO: A perda de 5% da massa corporal reduziu a resistência à insulina, o TAV e a inflamação, além de melhorar alguns parâmetros do perfil lipídico nos indivíduos obesos. A função endotelial não foi alterada, e as alterações nos parâmetros foram independentes do treinamento físico.
33

O papel do sistema calicreína-cininas na obesidade e sua relação com a inflamação em camundongos B1B2 / The role of kallikrein-kinin system in obesity and its relation with inflammation in B1B2 -/- mice

Morais, Rafael Leite Tavares de [UNIFESP] 24 February 2010 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-07-22T20:50:30Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2010-02-24 / O sistema calicreína-cininas desempenha funções estabelecidas em diversos processos biológicos como transmissão de dor, controle da pressão arterial, geração e manutenção do estado inflamatório. Neste presente trabalho nós mostramos, pela primeira vez, a relação do sistema calicreína-cininas a processos metabólicos em camundongos nocaute para ambos os receptores B1 e B2 (B1B2 -/-). Os camundongos B1B2 -/- foram protegidos do desenvolvimento de obesidade induzida pelo tratamento com dieta hiperlipídica por doze semanas. Além disso, apresentaram menor ingestão alimentar, prevenção da intolerância à glicose, parcial proteção ao desenvolvimento de resistência à insulina e reduzidos níveis circulantes dos hormônios insulina e leptina. A expressão gênica da citocina TNF-alfa e da proteína C-reativa, componentes importantes de processos inflamatórios, estavam reduzidas em tecidos chaves no metabolismo energético, como tecido adiposo, músculo esquelético e fígado. Com isso, sugerimos que as reduzidas concentrações de insulina levaram ao aumento da utilização do tecido adiposo como fonte energética, por meio do processo de lipólise, protegendo o animal B1B2 -/- contra o ganho de massa corporal. Além da diminuída expressão de TNF-alfa e proteína C-reativa, demonstramos neste trabalho que a ausência funcional do sistema calicreína-cininas apresenta relação direta com o metabolismo e o sistema imune, sendo uma alternativa ao tratamento de patologias como diabetes tipo 2 e obesidade. / TEDE / BV UNIFESP: Teses e dissertações
34

Avaliação das atividades antiinflamatória e antinociceptiva do acetato de lupeol isolado de Himatanthus drasticus (MART.) Plumel : Apocynaceae (Janaguba) / Evaluation of antiinflammatory and antinociceptive activities of Lupeol Acetate isolated from Himatanthus drasticus (Mart.) Plumel : Apocynaceae (janaguba)

Lucetti, Daniel Luna January 2010 (has links)
LUCETTI, Daniel Luna. Avaliação das atividades antiinflamatória e antinociceptiva do acetato de lupeol isolado de Himatanthus drasticus (MART.) Plumel-Apocynaceae (Janaguba). 2010. 98 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2010. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2013-07-15T12:19:32Z No. of bitstreams: 1 2010_dis_dllucetti.pdf: 2129872 bytes, checksum: a70057f646c952fe00b8644c5c86a87e (MD5) / Approved for entry into archive by Erika Fernandes(erikaleitefernandes@gmail.com) on 2013-07-16T14:18:28Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_dis_dllucetti.pdf: 2129872 bytes, checksum: a70057f646c952fe00b8644c5c86a87e (MD5) / Made available in DSpace on 2013-07-16T14:18:28Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_dis_dllucetti.pdf: 2129872 bytes, checksum: a70057f646c952fe00b8644c5c86a87e (MD5) Previous issue date: 2010 / The lupeol acetate (FAL), isolated from the latex extracted of the stem of Himatanthus drasticus (APOCYNCEAE) is chemically classified as a pentacyclic triterpene belonging to the lupane class, was evaluated in nociception and inflammation models. In the writhing test induced by acetic acid (10 ml/kg, i.p.) in mice, FAL (50 and 100 mg/kg, i.p.) significantly reduced the number of writhing in 56 and 61%, respectively, and indomethacin (10 mg/kg, i.p.) reduced by 66%. In the formalin test, FAL (25 and 50 mg/kg, i.p.) significantly reduced the time spent by the animal licking the paw, both in the initial phase (21 and 46.5%, respectively) and in the late phase (57 , 6, and 61.3%, respectively) and morphine (7.5 mg/kg, i.p.) reduced by 62 and 91%, respectively. Pretreatment with naloxone (2 mg/kg, i.p.) significantly reversed the effects of FAL and morphine in both the early and in late phase in formalin test. In the carrageenan induced paw oedema, FAL (10, 25 and 50 mg/kg, i.p.) reduced in significant way the oedema volume in the 1st, 2nd and 3rd hour after carrageenan application (1%, 50μl, s.p.). Histopathologic analysis of mice paw tissue subjected to carrageenan, showed significant reductions in oedema and cellular infiltration. In the immunohistochemical staining in mice paw tissue subjected to carrageenan stimulus, the FAL (50mg/kg, i.p.) induced a slight reduction in the expression of TNF-α, but caused a significant reduction of tissue iNOS levels. In the dextran induced paw oedema, FAL (12.5 and 25 mg/kg, i.p.) significantly reduced the oedema volume in the 2nd and 3rd hour after dextran application (12%, 50μl, s.p.). In carrageenan-induced peritonitis, FAL (1, 10 and 20 mg/kg, i.p.) significantly reduced the number of leukocytes at 56, 80 and 92%, respectively. Pentoxifylline (1 and 25mg/kg, i.p.) inhibited by 39 and 68%, respectively, the number of leukocytes. In the myeloperoxidase (MPO) enzyme inhibition test, FAL (10, 25, 50 and 100 μg/ml) reduced the activity of MPO at 36, 80, 79 and 74%, respectively. The FAL showed no antioxidant activity in DPPH test. Together, these data reveal that the FAL has antinociceptive activity, which can be explained by its ability in mimicking the endogenous opioids effects, and antiinflammatory, explained by TNF-α and iNOS expression decreased, as well as by the myeloperoxidase activity decreasing, resulting in inhibition of leukocyte migration to the focus of inflammation. / O Acetato de lupeol (FAL), isolado do látex extraído do caule de Himatanthus drasticus (APOCYNCEAE), é quimicamente classificado como sendo um triterpeno pentacíclico pertencente à classe do lupano, foi avaliado em modelos de nocicepção e inflamação. No teste das contorções abdominais induzidas por ácido acético (10 ml/kg, i.p.) em camundongos, a FAL (50 e 100 mg/kg, i.p.) reduziu de forma significativa o número de contorções abdominais em 56 e 61%, respectivamente, e a indometacina (10 mg/kg, i.p.) reduziu em 66%. No teste da formalina, a FAL (25 e 50 mg/kg, i.p.) reduziu de forma significativa o tempo gasto pelo animal lambendo a pata, tanto na fase inicial (21 e 46,5%, respectivamente) quanto na fase tardia (57,6 e 61,3%, respectivamente) e a morfina (7,5 mg/kg, i.p.) reduziu em 62 e 91%, respectivamente. O pré-tratamento com Naloxona (2 mg/kg, i.p) reverteu de modo significativo, os efeitos da FAL e da morfina tanto na fase inicial quanto na tardia do teste da formalina. No edema de pata induzido por carragenina, a FAL (10, 25 e 50 mg/kg,i.p.) reduziu de modo significativo, o volume do edema na 1ª, 2ª e 3ª hora após a aplicação da carragenina (1%, 50μl, s.p.). Análise histopatológica do tecido de pata de camundongo submetido à carragenina, demonstrou reduções significativas no edema e do infiltrado celular. Na marcação imunohistoquímica, em tecido de pata de camundongo submetida ao estímulo da carragenina, a FAL (50mg/kg, i.p.) promoveu uma discreta redução na expressão de TNF- α, porém causou uma significante redução dos níveis de iNOS teciduais. No edema de pata induzido por dextrano, a FAL (12,5 e 25 mg/kg, i.p.) reduziu de modo significativo, o volume do edema na 2ª e 3ª hora após a aplicação de dextrano (12%, 50μl, s.p.). Na peritonite induzida por carragenina, a FAL (1, 10 e 20 mg/kg, i.p.) diminuiu de forma significativa, o número de leucócitos em 56, 80 e 92%, respectivamente. A Pentoxifilina (1 e 25mg/kg, i.p.) inibiu em 39 e 68%, respectivamente o número de leucócitos. No teste da inibição da atividade da enzima mieloperoxidase (MPO), a FAL (10, 25, 50 e 100 μg/ml) reduziu a atividade da MPO em 36, 80, 79 e 74 %, respectivamente. A FAL não demonstrou atividade antioxidante no teste do DPPH. Em conjunto, esses dados revelam que a FAL apresenta atividade antinociceptiva, que pode ser explicada pela habilidade deste composto em mimetizar efeitos de opióides endógenos, e antiinflamatória, explicada pela diminuição da expressão de TNF-α e iNOS, bem como pela diminuição da atividades da mieloperoxidase, resultando na inibição da migração de leucocitária para o foco da inflamação.
35

Efeitos anti-inflamatórios e antirreabsortivo ósseo da minociclina na doença periodontal induzida em ratos diabéticos e normais / Anti-inflammatory and anti resorptive bone effects of minocycline in periodontal disease induced in normal and diabetic rats

Menezes, Silvana Magalhães Siqueira January 2012 (has links)
MENEZES, Silvana Magalhaes Siqueira. Efeitos anti-inflamatórios e antirreabsortivo ósseo da minociclina na doença periodontal induzida em ratos diabéticos e normais. 2012. 142 f. Tese (Doutorado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2012. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-01-13T15:23:26Z No. of bitstreams: 1 2012_tese_smsmenezes.pdf: 3049520 bytes, checksum: 051fc494e6e36512b70298d5cb62c2a4 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-01-13T15:23:56Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_tese_smsmenezes.pdf: 3049520 bytes, checksum: 051fc494e6e36512b70298d5cb62c2a4 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-01-13T15:23:56Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_tese_smsmenezes.pdf: 3049520 bytes, checksum: 051fc494e6e36512b70298d5cb62c2a4 (MD5) Previous issue date: 2012 / The immune/inflammatory response has a key role in the periodontal disease (DP) whose progression results from an imbalance between periodontopathogenic microorganisms and the host response. This leads to the production and release of inflammatory mediators and tissue damage. DP is considered the sixth complication in diabetes. Furthermore, diabetes mellitus and periodontitis present common links related to inflammation processes and immunologic system stimuli and, in the presence of diabetes with uncontrolled insulin levels, the aggravation of preexistant periodontitis may occur. Also, DP may reciprocally aggravate the diabetic state. Minocycline (M) is a second generation tetracycline showing anti-inflammatory effects independent of its antimicrobial action. The objectives of the present work were to investigate the effects of M (25 and 50 mg/kg, p.o.) in an experimental model of periodontal disease (DPE), in the presence and absence of alloxan-induced diabetes (DIA) in rats. DPE was induced through a nylon thread insertion and ligation in the second superior molar of male Wistar rats (200 g).For histological analyses and measurements of biochemical parameters, as glycemia, cholesterol, triglycerides and liver transaminases (ALT and AST) the groups (n=6) were divided : DPE; DPE+DIA; DPE+M25; DPE+M50; DPE+DIA+M25 and DPE+DIA+M50. After 11 or 30 days the animals were sacrificed. . Immunohitochemistry for TNF-α, iNOS and MMP-9 was performed in groups (n=4): DPE; DPE+DIA; DPE+M50; and DPE+DIA+M50. After 11 days the animals were sacrificed. The results showed that M50 presents a potent anti-inflammatory activity, preserving the alveolar and cement bones in the DPE and DPE+DIA models, after both periods of time. Under these experimental conditions, M50 also significantly reduced blood glucose levels. Furthermore, M50 reduced imunnostainings for TNF-α, iNOS and MMP-9. M25 did not significantly reduce the inflammatory process in DPE animals sacrificed at the 11th day after DPE induction.In addition, levels of triglycerides and total cholesterol were reduced in the DPE model, in the presence and absence of diabetes, after M25 and M50 treatments. Our data demonstrated that minocycline at both doses was well tolerated, and no significant alterations in ALT levels were observed in the DPE and DPE+DIA groups, at the 11th and 30th day, as well as on the levels of AST in groups DPE (11th day). However, the DPE + DIA group treated with M50 for 30 days presented a significant increase in AST levels. Our results strongly suggest that minocycline could be used for the periodontal disease treatment, since it protects the periodontium and reduces glycemia levels in the presence of the diabetic state. These beneficial effects are probably related to the potent anti-inflammatory properties of this drug, point out to its potential as an alternative for the treatment of diseases where the inflammatory process play a key role. / A resposta imune/inflamatória tem um papel fundamental na doença periodontal (DP), onde a progressão é decorrente de um desequilíbrio entre as bactérias periodontopatogênicas e a resposta do hospedeiro frente à agressão, com produção e liberação de mediadores e subseqüente dano tecidual. A DP é considerada a sexta complicação clássica do diabetes. O diabetes mellitus e a periodontite possuem aspectos comuns no âmbito do estímulo inflamatório e imunológico, constituindo uma via de mão dupla, onde a primeira não estando com sua taxa insulínica compensada poderá agravar uma periodontite preexistente e vice-versa. A minociclina(M) é uma tetraciclina de segunda geração que apresenta efeitos anti-inflamatórios independentes de sua ação antimicrobiana. Os objetivos do presente estudo foram investigar os efeitos da M (25 e 50 mg/kg, via oral) em um modelo experimental de doença periodontal (DPE), na presença e ausência de diabetes (DIA) induzida por aloxano em ratos. A DPE foi induzida passando-se um fio de náilon em torno do segundo molar superior esquerdo de ratos machos Wistar (200 g). Para as análises histológicas e determinação dos parâmetros bioquímicos, como glicemia, colesterol, triglicerídeos e enzimas hepáticas (ALT e AST), os grupos (n=6) foram divididos em: DPE; DPE+DIA; DPE+M25; DPE+M50; DPE+DIA+M25 e DPE+DIA+M50. Após 11 e 30 dias os animais foram sacrificados. A imunohistoquímica para TNF-α, iNOS e MMP-9 foi realizada nos grupos(n=4): DPE; DPE+DIA; DPE+M50 e DPE+DIA+M50. Os animais foram sacrificados após 11 dias. Os resultados mostraram que a M50 apresenta potente atividade anti-inflamatória, preservando o osso alveolar e cemento, nos modelos experimentais de DPE e DPE + DIA, em ambos os períodos de estudo. Nestas mesmas condições experimentais, a M50 também reduziu significantemente os níveis sanguíneos de glicose. A M50 também reduziu a imunomarcação para TNF-α, iNOS e MMP-9. A M25 não reduziu o processo inflamatório nos animais com DPE, sacrificados no 11º dia. Os níveis de triglicerídeos e colesterol total foram reduzidos nos modelos experimentais de DPE e de DPE + DIA, tratados com M25 e M50. Nossos resultados demonstraram que a minociclina em ambas as doses foi bem tolerada, sem alterações significativas sobre os níveis de ALT, assim como sobre os níveis de AST nos grupos DPE (11º dia). Entretanto, o grupo DPE + DIA tratado com M50 por 30 dias, apresentou um aumento significativo na atividade da AST. Nossos resultados sugerem fortemente que a minociclina pode ser usada para o tratamento da doença periodontal, tendo em vista que protege o periodonto e reduz níveis de glicemia na presença do estado diabético. Estes efeitos benéficos são provavelmente decorrentes das propriedades anti-inflamatórias desta droga, que surge como um potente tratamento alternativo para doenças onde o processo inflamatório tem um papel fundamental.
36

Avaliação do efeito do LASSBio-596, um análago da talidomida, na angiogênese inflamatória em córnea de coelho / Evaluation of the effect of LASSBio-596, a thalidomide analogue, on inflammatory corneal angiogenesis in rabbits

Ribeiro, João Crispim Moraes Lima January 2011 (has links)
RIBEIRO, João Crispim Moraes Lima. Avaliação do efeito do LASSBio-596, um análago da talidomida, na angiogênese inflamatória em córnea de coelho. 2011. 72 f. Dissertação (Mestrado em Cirurgia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2011. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-02-27T14:31:57Z No. of bitstreams: 1 2011_dis_jcmlribeiro.pdf: 1224445 bytes, checksum: 0f6035c05cbdc2971d8b5f67e9c84c94 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-02-27T14:33:20Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011_dis_jcmlribeiro.pdf: 1224445 bytes, checksum: 0f6035c05cbdc2971d8b5f67e9c84c94 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-02-27T14:33:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011_dis_jcmlribeiro.pdf: 1224445 bytes, checksum: 0f6035c05cbdc2971d8b5f67e9c84c94 (MD5) Previous issue date: 2011 / There is exacerbation of the angiogenic process in various diseases, especially in corneal neovascularization. For the treatment of these diseases, several drugs were studied with antiangiogenic properties. The aim of this study was to evaluate the effect of LASSBio-596, structurally designed as a hybrid of thalidomide, sildenafil and arilsulfonamide, on inflammatory corneal angiogenesis. Eighteen rabbits were submitted to an alkaline cauterization in the right cornea. The animals were randomly allocated in three groups: vehicle, dexamethasone, and LASSBio-596 group. Drugs were administrated by eye drops three times per day for 21 days. Evaluations were performed on days 3, 6, 9, 12, 15, 18, and 21 post-cauterization. At these time points, digital images of the cornea were captured in a standard fashion. Angiogenic response was measured using software that was developed specifically for this purpose. It calculated the following parameters: neovascularization area (NA), total vascular length (TVL), and blood vessel number (BVN). It was observed that dexamethasone significantly decreased NA, TVL, and BVN during all assessments. From NA it was calculated the angiogenesis rate (AR) in each group. Therefore, dexamethasone completely inhibited the inflammatory corneal angiogenesis with angiogenesis rate (AR) of -0.001 ± 0.006 mm2/day, which was significantly lower (p < 0.001) than that observed after treatment with vehicle (0.078 ± 0.024 mm2/dia) and LASSBio-596 (0.054 ± 0.012 mm2/dia). Although LASSBio-596 reduced angiogenesis in relation to vehicle, according to NA, TVL and BVN values, this difference was not statistically significant. However, it was found that the AR as measured in the LASSBio-596 group was significantly lower (p < 0.05) than that seen in control animals, indicating a potential antiangiogenic effect. We conclude that topical application of LASSBio-596 at 1.0% has a partial inhibitory effect on inflammatory corneal angiogenesis in rabbits. / Observa-se exacerbação do processo angiogênico em diversas doenças, entre elas pode ser citada a neovascularização de córnea. Para o tratamento dessas doenças, são estudados diversos fármacos com propriedades antiangiogênicas. O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficácia do fármaco LASSBIO-596, estruturalmente designado como um híbrido da talidomida, sildenafil e arilsulfonamida, na angiogênese corneana inflamatória. Dezoito coelhos foram submetidos a uma cauterização alcalina pontual na região superior da córnea direita. Os animais foram randomicamente alocados em três grupos: veículo, dexametasona 4,0% e LASSBio-596 1,0%. Os tratamentos foram administrados em forma de colírio três vezes por dia durante 21 dias. Avaliações foram realizadas nos dias 3, 6, 9, 12, 15, 18 e 21 pós-cauterização. Nesses momentos, imagens digitalizadas da córnea foram capturadas de uma forma padronizada. A resposta angiogênica foi mensurada utilizando-se um software que foi desenvolvido especificamente para esta finalidade. Foram calculados os seguintes parâmetros: área de neovascularização (AN), comprimento vascular total (CT) e número de vasos sanguíneos (NV). A partir da AN, calculou-se a taxa de angiogênese (TA) em cada grupo estudado. Observou-se que a dexametasona diminuiu significativamente AN, CT e NV durante todas as avaliações. Portanto, a dexametasona inibiu completamente a angiogênese inflamatória da córnea com uma TA de -0,001 ± 0,006 mm2/dia, que foi significativamente menor (p < 0,001) do que a observada após o tratamento com o veículo (0,078 ± 0,024 mm2/dia) e LASSBio-596 (0,054 ± 0,012 mm2/dia). Apesar de o LASSBio-596 ter reduzido o processo de angiogênese em relação ao veículo, conforme AN, CT e NV, essa diferença não foi estatisticamente significante. No entanto, verificou-se que a TA medida no grupo LASSBio-596 foi significativamente menor (p < 0,05) do que a observada nos animais controle, indicando um potencial efeito antiangiogênico. Concluímos que a aplicação tópica de LASSBio-596 a 1,0% tem um efeito inibitório parcial sobre a angiogênese corneana inflamatória em coelhos.
37

Quantificação de angiogênese corneana in vivo através de processamento de imagens digitais / In vivo quantification of corneal angiogenesis using digital image processing

Jamacaru, Francisco Vagnaldo Fechine January 2006 (has links)
JAMACARU, Francisco Fechine Vagnaldo. Quantificação de angiogênese corneana in vivo através de processamento de imagens digitais. 2006. 243 f. Tese (Doutorado em Cirurgia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2006. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-03-17T15:54:20Z No. of bitstreams: 1 2006_tese_fvfjamacaru.pdf: 5917612 bytes, checksum: 9c29919c8becd22b065837cc8d0df8ac (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-03-17T15:55:34Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2006_tese_fvfjamacaru.pdf: 5917612 bytes, checksum: 9c29919c8becd22b065837cc8d0df8ac (MD5) / Made available in DSpace on 2014-03-17T15:55:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2006_tese_fvfjamacaru.pdf: 5917612 bytes, checksum: 9c29919c8becd22b065837cc8d0df8ac (MD5) Previous issue date: 2006 / A software was developed specifically for segmentation and quantification of corneal angiogenesis in digital images acquired in vivo. The purpose was to establish an automatic method to quantify the corneal progression of the neovascular response in a rapid, objective and accurate manner. It was also developed a model of inflammatory corneal angiogenesis in rabbits induced by a punctual alkaline cauterization. Angiogenic response was evaluated at days 3, 6, 9, 12, 15, 18 and 21 after cauterization. At these occasions, digital images of cornea were also captured in a standardized fashion. The software is composed of five modules, each with specific functions, which automatically identify and segment the neovessels and quantify the neovascular response through the calculation of three main parameters: neovascularization area, total vascular length and blood vessels number. Thus, the system does not require previous enhancement of the neovascularization, so that it provides the temporal and spatial monitoring of the angiogenic response in vivo. To assess the validity of the automatic method, it was determined the correlation degree between each automatic parameters and the five manual variables. It was also evaluated by comparing automatic recognition of blood vessels performed by the software on 50 subimages with the manual recognition performed by three raters by consensus (gold-standard) and then calculating the sensitivity, specificity and kappa coefficient. To assess reliability, three raters used the automatic method for analysing 50 images at two moments. The intra and inter-raters agreement was assessed by calculating intraclass correlation coefficient. To illustrate the utility of the automatic method, it was designed an assay that evaluated the effect of prednisone, thalidomide, acetylsalicylic acid, etoricoxib and celecoxib in the model of inflammatory corneal angiogenesis. The analysis of the graphics of the manual and automatic parameters showed that the temporal progression of the neovascular response in this model followed a biphasic pattern: exponential growth until day 12 (proliferation phase), followed by linear growth until day 21 (maturation phase). It was found a statistically significant positive linear correlation between automatic and manual variables, denoting that both methods measured the angiogenic response in an analogous fashion. The sensitivity of the automatic method was 85.32% and the specificity was 96.37%. The agreement between manual and automatic recognition of blood vessels was classified as almost perfect, according to kappa statistics. The inter-raters agreement was measured in six situations and it was classified as good in two of them and as excellent in the others. Among the nine situations analysed, the intra-rater agreement was classified as good in only one of them and as excellent in the others. Furthermore, the automatic system was able to detect differences in the intensity of the antiangiogenic effect of tested drugs, allowing the inhibitory activity to be graduated as full (prednisone), partial (thalidomide, acetylsalicylic acid and etoricoxib) and insufficient (celecoxib), demonstrating, thus, its value as method for quantitative analysis of angiogenesis. Therefore, such results demonstrate that the proposed automatic system constitutes an accurate and reproducible method of angiogenesis quantification. / Um programa de computador foi desenvolvido especificamente para a segmentação e quantificação de angiogênese corneana em imagens digitais capturadas in vivo. O propósito foi estabelecer um método automático para quantificar, de forma rápida, objetiva e acurada, a progressão temporal da resposta angiogênica. Desenvolveu-se ainda um modelo de angiogênese corneana inflamatória em coelhos, induzida por uma cauterização alcalina pontual, onde a resposta angiogênica foi avaliada, conforme cinco métodos manuais, nos dias 3, 6, 9, 12, 15, 18 e 21 após a cauterização, ocasiões em que também foram obtidas, de maneira padronizada, imagens digitais da córnea. O software é composto de cinco módulos, com funções específicas, que identificam e segmentam automaticamente os neovasos e quantificam a resposta angiogênica mediante a determinação de três parâmetros principais: área de neovascularização, comprimento vascular total e número de vasos sangüíneos. Assim, o sistema dispensa a rotulação prévia da neovascularização, propiciando, por conseguinte, o monitoramento espacial e temporal da resposta angiogênica in vivo. A avaliação da validade do método automático proposto envolveu a determinação do grau da correlação entre cada um dos quantificadores automáticos e os cinco parâmetros manuais. Compreendeu ainda a comparação do reconhecimento automático dos vasos sangüíneos realizado pelo software em 50 subimagens com o reconhecimento manual efetuado, consensualmente, por três examinadores (padrão-ouro), determinando-se então a sensibilidade, especificidade e o coeficiente de concordância kappa. Para avaliar a confiabilidade, três examinadores utilizaram o método automático para analisar 50 imagens em dois momentos. A concordância intra e interexaminadores foi medida pelo coeficiente de correlação intraclasse. Para ilustrar a utilidade do método automático, delineou-se um ensaio que avaliou o efeito dos fármacos prednisona, talidomida, ácido acetilsalicílico, etoricoxib e celecoxib no modelo de angiogênese corneana inflamatória. A análise dos gráficos dos quantificadores manuais e automáticos revelou que a evolução temporal da resposta angiogênica no modelo de angiogênese corneana inflamatória seguiu um padrão bifásico: crescimento exponencial até o dia 12 (fase de proliferação), seguido de crescimento linear até o dia 21 (fase de maturação). Constatou-se uma forte correlação linear positiva estatisticamente significante entre os quantificadores automáticos e manuais, denotando que o método automático mensurou a resposta angiogênica de forma análoga à realizada pelo método manual. A sensibilidade do método automático foi 85,32%, enquanto sua especificidade foi 96,37%. A concordância entre o reconhecimento manual e o reconhecimento automático dos vasos sangüíneos foi classificada pela estatística kappa como quase perfeita. A concordância interexaminadores foi avaliada em seis situações, sendo classificada como excelente em quatro delas e como boa nas outras duas. A concordância intra-examinador foi mensurada em nove situações, sendo classificada como boa em apenas uma e como excelente nas demais. Além disso, o sistema automático foi capaz de identificar diferenças na intensidade do efeito antiangiogênico dos diferentes fármacos avaliados, possibilitando graduar a atividade inibitória em plena (prednisona), parcial (talidomida, ácido acetilsalicílico e etoricoxib) e insuficiente (celecoxib), demonstrando, assim, o seu valor como método para análise quantitativa de angiogênese. Portanto, tais dados demonstram que o sistema automático proposto constitui um método de quantificação de angiogênese acurado e reprodutível.
38

Pré-condicionamento nutracêutico com arginina e mistura de óleos sobre mediadores inflamatórios em pacientes submetidos à prostatectomia radical / Preconditioning with arginine and nutraceutical oils mixture on inflammatory mediators in patients undergoing radical prostatectomy submetidos à prostatectomia radica

Tavares, Lilian de Lima January 2013 (has links)
TAVARES, Lilian de Lima. Pré-condicionamento nutracêutico com arginina e mistura de óleos sobre mediadores inflamatórios em pacientes submetidos à prostatectomia radical. 2013. 82 f. Dissertação (Mestrado em Cirurgia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2013. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-06-20T12:01:41Z No. of bitstreams: 1 2013_dis_lltavares.pdf: 1310446 bytes, checksum: 5a6ff6d2caa7cf327c3050015118430c (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-06-20T12:08:45Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_dis_lltavares.pdf: 1310446 bytes, checksum: 5a6ff6d2caa7cf327c3050015118430c (MD5) / Made available in DSpace on 2014-06-20T12:08:45Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_dis_lltavares.pdf: 1310446 bytes, checksum: 5a6ff6d2caa7cf327c3050015118430c (MD5) Previous issue date: 2013 / The host’s protective mechanisms are mediated by the ability of immunonutrients in defense mechanisms, such as the inflammatory response. Among the most investigated are arginine and polyunsaturated fatty acids derived from fish oil, anti-inflammatory agents which act on the synthesis of eicosanoids and regulate the immune response. This study is randomized, double-blind, paired, whose aim was to identify whether there is pre-conditioning effect in nutraceutical supplement containing arginine and oil mix with ω3 fatty acids (EPA, DHA and ALA) on the inflammatory mediators in surgical trauma. The supplement was administered in two doses of 200ml/day during the preoperative period (5 days before surgery) in patients undergoing radical prostatectomy (PTR). Laboratory evaluations were performed preoperatively (PRE), before administration of the supplement (5 days before surgery), before the anesthetic induction (IND) and in the 2nd postoperative day (POS). The sample (26 patients) was divided into 3 groups: G1 - skim milk (0% fat), G2 – Arginine group: Supplement with ω6: ω3 ratio of 8:1 and Arginine (10g/day) and G3 – Arginine + Oil group: Supplement with high ω9:ω6 ratio, of 3,2:1, and low ω6:ω3 ratio (of 1,4:1) and Arginine (10g/day). Inflammatory (IL-1β, IL-6, IL-8, IL-10 and TNF-α) and preconditioning (HSP-27) parameters were analyzed. There were no significant differences between groups and times. Therefore, supplementation using arginine and oil mix, with high ω9: ω6 ratio and low ω6: ω3 ratio, has no effect as a nutraceutical pre-conditioner on the inflammatory mediators in surgical trauma patients undergoing radical prostatectomy (PTR). / Os mecanismos de proteção do hospedeiro são mediados pela capacidade dos imunonutrientes modularem mecanismos de defesa, como a resposta inflamatória. Dentre os mais investigados estão a arginina e os ácidos graxos poliinsaturados derivados do óleo de peixe, agentes anti-inflamatórios que atuam na síntese de eicosanóides e regulam a resposta imune. O presente estudo é clínico randomizado, duplo-cego e emparelhado, cujo objetivo foi identificar se existe algum efeito decorrente do pré-condicionamento nutracêutico em um suplemento contendo arginina e mistura de óleos contendo ácidos graxos ω3 (EPA, ALA e DHA) sobre mediadores inflamatórios no trauma cirúrgico. O suplemento foi administrado em duas doses de 200ml/dia, durante o período pré-operatório (5 dias antes da cirurgia), em pacientes a serem submetidos à prostatectomia radical (PTR). As avaliações laboratoriais foram realizadas no pré-cirúrgico (PRE), antes da administração do suplemento (5 dias antes da cirurgia), antes da indução anestésica (IND) e no 2º pós-operatório (POS). A amostra (26 pacientes) foi distribuída em 3 grupos: G1 - leite desnatado (0% de gordura), G2 - suplemento com relação ω6:ω3 de 8:1 e Arginina (10g) e G3 - suplemento com elevada relação ω9:ω6:, de 3,2:1 e baixa relação ω6:ω3, de 1,4:1 e Arginina (10g). Foram analisados parâmentros inflamatórios (IL-1β, IL-6, IL-8, IL-10 e TNF-α) e de Pré-condicionamento (HSP-27). Não foi evidenciada diferença estatisticamente significante entre os grupos e momentos. Portanto, a suplementação nutricional oral utilizando arginina e mistura de óleos, com elevada relação ω9:ω6 e baixa relação ω6:ω3, contendo os ácidos ω3 (ALA, EPA e DHA), não possui efeito pré-condicionante nutracêutico sobre os mediadores inflamatórios no trauma cirúrgico, numa amostra de pacientes submetidos à prostatectomia radical (PTR).
39

Mecanismos de secreção de eosinófilos murinos em resposta a estímulos inflamatórios e a asma experimental

Ferreira, Kennedy Bonjour de Oliveira January 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2016-02-26T13:34:36Z (GMT). No. of bitstreams: 2 kennedy_ferreira_ioc_mest_2015.pdf: 44305121 bytes, checksum: da312c4a5b872f68587755d33c58e5f0 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2016-02-23 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Em resposta à uma variedade de estímulos, os eosinófilos são recrutados da circulação para focos inflamatórios, onde modulam a resposta imune, através da liberação de proteínas derivadas dos grânulos secretores. Eosinófilos secretam suas proteínas através de diferentes maneiras de secreção: i) clássica exocitose dos grânulos; ii) desgranulação por piecemal (PMD), um processo de secreção mediada por vesículas de transporte; e iii) a citólise. Estes mecanismos estão bem caracterizadas em humanos, mas ainda são poucos conhecidas em camundongos. Aqui, foram investigados os mecanismos subjacentes a desgranulação de eosinófilos murinos durante as respostas inflamatórias in vivo (modelo de asma) e in vitro (após estímulos pró-inflamatória). Camundongos Balb/c foram imunizados com uma suspensão de ovalbumina (OVA) (50 mg) e Al (OH) 3 (5 mg) em 200 ml de NaCl a 0,9% nos dias 0 (subcutâneamente) e 14 (por via intraperitoneal). Catorze dias depois, os desafios de OVA (50 mg) foram instilados intranasalmente 3 vezes por semana durante 4 semanas. O grupo controle recebeu solução de NaCl 0,9%. Após o tratamento, os fragmentos de pulmão foram fixados e processados para a microscopia de transmissão de eletrônica (MET). Além disso, a interleucina-13 (IL-13), IL-4, a eotaxina-1 (CCL11) e fator de crescimento transformante beta (TGF-\03B2) foram medidos em tecido pulmonar. Nos experimentos in vitro, os eosinófilos foram isolados a partir do baço de camundongos transgênicos para interleucina-5, estimulados com fator estimulante de colônia granulócito-macrófago[GM-CSF (10 ng / mL)], Lipopolissacarídeo [LPS (100 ng / ml)] ou apenas meio, durante 1 h, imediatamente fixada e processada para MET e avaliação da atividade enzimática de ribonucleases. MET revelou uma intensa infiltrado de eosinófilos no pulmão de animais tratados com OVA, mas estas células foram raramente visualizadas em pulmões dos controles Análise ultraestrutural de 975 grânulos de secreção de eosinófilos do infiltrado inflamatório pulmonar mostrou que 47% destes grânulos tinham sinais desgranulação associados à PMD, caracterizadas principalmente pela redução da densidade de elétrons, perdas na matriz ou núcleos, matriz grossa e / ou ampliação de grânulos. As vesículas foram visualizadas na proximidade de grânulos em esvaziamento. Os níveis de eotaxina-1, IL-4, IL-13 e EPO no tecido pulmonar dos camundongos estimulados com OVA foram significativamente aumentados em comparação com os controles, enquanto os níveis de TGF-\03B2 não se alterou. Eosinófilos do baço estimuladas in vitro com GM-CSF e LPS apresentaram alterações morfológicas e cerca de 20% de grânulos apresentaram sinais de PMD. Não foram encontrados fusões de grânulo-grânulo ou grânulo-membrana plasmática. Curiosamente, foram identificadas por MET uma distinta bainha eletrodensa em áreas específicas da membrana limitante grânulo, uma característica morfológica que pode estar associados com a secreção de eosinófilos murinos. Nossos dados demonstram que os eosinófilos murinos são capazes de desgranular através PMD durante as respostas inflamatórias in vivo e in vitro. Embora as características morfológicas reconhecidos como indicativo de PMD são menos pronunciada camundongos em comparação com aquelas documentadas em seres humanos, estes sinais podem ser detectados em eosinófilos murinos sob investigação cuidadosa por TEM. Além disso, nosso estudo demonstram que outros sinais morfológicos, não descritas para eosinófilos humanos, pode ser útil para compreender os processos de secreção em eosinófilos de modelos experimentais / Mechanisms governing secretion of proteins underlie the functions of human eosinophils, leukocytes involved in allergic, inflammatory and immunoregulatory responses. In response to varied stimuli, eosinophils are recruited from the circulation into inflammatory foci, where they modulate immune responses through the release of granule-derived protein. Eosinophils secrete proteins from their specific cytoplasmic granules through different secretion pathways: i) classical granule exocytosis; ii) piecemeal degranulation (PMD), a secretory process mediated by transport vesicles; and iii) cytolysis. These mechanisms are well characterized in humans, but are still poorly understood in mice. Here we investigated the mechanisms underlying eosinophil degranulation of murine models during inflammatory responses in vivo (asthma model) and in vitro (after stimulation with pro-inflammatory stimuli). Balb/c mice were immunized with a mixed suspension of ovalbumin (OVA) (50 μg) and Al(OH)3 (5 mg) in 200 μL of 0.9% NaCl on days 0 (subcutaneously) and 14 (intraperitonealy). Fourteen days later, repetitive OVA challenges (50 μg) were intranasaly instilled 3 times a week during 4 weeks. The control group received 0.9% NaCl solution. After treatment, lung fragments were fixed and processed for light and transmission electron microscopy (TEM). Moreover, interleukin-13 (IL-13), IL-4, eotaxin-1 (CCL11) and transforming growth factor beta (TGF- β) were measured in the lung tissue. For the in vitro experiments, eosinophils were isolated from the spleen of interleukin-5 transgenic mice, stimulated with GM-CSF (10 ng/mL), LPS (100 ng/mL) or medium alone for 1h, immediately fixed and processed to TEM. Both light and TEM revealed an intense eosinophil infiltration in perivascular and peribronchial spaces of OVA-treated animals, but these cells were rarely observed in control lungs. Ultrastructural analysis of 975 secretory granules from infiltrating eosinophils showed that 47% of these granules had degranulation signs associated with PMD, characterized mainly by reduced electron density, losses in the matrix or cores, coarse matrix and/or granule enlargement. Vesicles were visualized nearby emptying granules. Eotaxin-1, IL-4, IL-13 and EPO levels in the lung tissue from OVA-stimulated mice were significantly increased compared to controls while the levels of TGF- β did not change. Spleen eosinophils stimulated in vitro with GM-CSF and LPS exhibited shape changes and around 20% of emptying granules. Granule-granule or plasma membrane-granule fusions were not observed in any situation. Interestingly, we identified by TEM a distinct electron-dense brim at specific areas of the limiting granule membrane, a novel morphological feature which may be associated with secretion in mice eosinophils. Collectively, our data demonstrate that mouse eosinophils are able to degranulate through PMD during inflammatory responses occurring both in vivo and in vitro. Although the morphological features recognized as indicative of PMD are less pronounced in mice compared to those documented in humans, these signs can be detected in mice eosinophils under careful investigation by TEM. Moreover, our study demonstrate that other morphological signs, not described for human eosinophils, may be helpful to understand the secretory processes in eosinophils from mice models.
40

Estudo do galato de metila na artrite experimentalavaliação do efeito anti-inflamatório e mecanismo de ação

Correa, Luana Barbosa January 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2016-03-28T12:39:39Z (GMT). No. of bitstreams: 2 luana_correa_ioc_mest_2015.pdf: 2768105 bytes, checksum: b1e9a130c709b0d2bade1edd2959792a (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2016-02-26 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / O galato de metila (GM) é um derivado de ácidos fenólicos encontrado em várias espécies de plantas, que apresenta efeitos biológicos dos quais se destacam sua ação antioxidante, antitumoral e antimicrobiana. Evidências indiretas sugerem um possível efeito antiinflamatório do GM, dentre eles a redução da produção de interleucina (IL)-6 e óxido nítrico (NO) ao inibir a fosforilação de ERK1/2 em macrófagos estimuladas por LPS. No entanto, não há relatos na literatura demostrando o efeito anti-inflamatório do GM em modelos in vivo. A artrite reumatoide (AR) é uma doença autoimune, inflamatória e sistêmica no qual fatores genéticos e ambientais contribuem para o seu desenvolvimento. A inflamação e o dano articular são mediados pelo influxo de leucócitos para o espaço sinovial, como neutrófilos e macrófagos. Essas células são responsáveis pela produção de mediadores inflamatórios tais como citocinas, quimiocinas e mediadores lipídicos que contribuem para a formação de um tecido invasivo denominado de pannus. Diferentes modelos experimentais são utilizados para o estudo da fisiopatologia da AR, incluindo a artrite induzida por zimosan que apresenta similaridades com a doença humana. Nas últimas décadas, a AR tem sido tratada com anti-inflamatórios não esteroidais, glicocorticoides e os fármacos antirreumáticos modificadores da doença. Recentemente, agentes biológicos (anticorpos ou receptores solúveis) foram incorporados a terapia. Apesar da eficácia clínica desses medicamentos, muitos pacientes não têm uma resposta significativa ou interrompem o tratamento devido a efeitos adversos Além disso, a disponibilidade limitada de produtos biológicos eficazes em países em desenvolvimento, a necessidade de administração parentérica, e o custo relativamente elevado destes produtos, restringem o acesso a essas terapias em muitos pacientes com AR e isso promove uma busca contínua para a identificação de novos alvos terapêuticos e desenvolvimento de novos medicamentos. Produtos derivados de plantas com ação anti-inflamatória têm um potencial na luta contra a artrite. Estes incluem os flavonóides, terpenos, quinonas, catequinas, alcaloides e derivados de ácidos fenólicos. No presente trabalho, demonstramos que o GM possui efeito anti-inflamatório nos modelos de edema de pata, pleurisia e artrite induzidos por zimosan. O GM foi capaz de inibir diferentes parâmetros da artrite experimental tais como: a formação de edema articular, a migração de leucócitos para a articulação inflamada e a produção de mediadores inflamatórios tanto proteicos quanto lipídicos em dois períodos do processo inflamatório, 6 e 24 horas. Além disso, o GM foi capaz de inibir diretamente a migração e adesão dos neutrófilos e também alterou a polimerização de filamentos de actina necessários para mobilização celular. Por fim, o GM foi capaz de inibir a ativação de macrófagos induzida por zimosan e IFN-\03B3 através da redução da produção da citocina IL-6, NO, expressão das enzimas COX-2 e iNOS, além de diminuir o influxo de cálcio dos compartimentos intracelulares para o citosol da célula. Tomados em conjunto, os resultados demonstraram um efeito anti-inflamatório do GM em modelos de inflamação induzido pelo zimosan, principalmente na artrite experimental inibindo o acúmulo de neutrófilos e a ativação de macrófagos / Methyl Gallate (MG) is a phenolic acids derivative found in several plant species, which has biological effects with the following highlights antioxidant, antimicrobial and antitumor actions. Indirect evidences suggest a possible anti - inflammatory effect o f MG , among them the reduction in the interleukin (IL) - 6 and nitric oxide (NO) production by inhibiting the ERK1/2 phosphorylation in LPS - stimulated macrophages. However, there are no reports in the literature demonstrating the anti - inflammatory effect of M G in in vivo models. Rheumatoid arthritis (RA) is an autoimmune, inflammatory and systemic disease, wherein genetic and environmental factors contribute to their development. Inflammation and joint damage are mediated by the leukocytes influx into the syn ovial space, such as neutrophils and macrophages. These cells are responsible for inflamm atory mediators production such as cytokines, chemokines, and lipid mediators that contribute to the formation of an invasive tissue called pannus. Different experimen tal models are used to study the RA pathophysiology, including zymosan - induced arthritis which presents similarities to the human disease. In recent decades, RA has been treated with nonsteroidal anti - inflammatory drugs, glucocorticoids and the disease - mod ifying antirheumatic drugs. Recently, biological agents (antibodies or soluble receptors) were added to the therapy. Despite the clinical efficacy of these drugs, many patients do not have a significant response or interrupt the treatment due to adverse ef fects. In addition, the limited availability of effective biological products in developing countries, the need of parenteral administration, and the relatively high cost of these products, restrict access to these therapies in many patients with RA and th at promotes a continuous search for identification of new therapeutic targets and development of new medicines. Products derived from plants with anti - inflammatory action have a potential in combating arthritis. These include flavonoids, terpenes, quinones , catechins, alkaloids and derivatives of phenolic acids. In this study, we demonstrate that MG has anti - inflammatory effects on paw edema, pleurisy and arthritis models induced by zymosan. M G was able to inhibit different parameters of the experimental ar thritis such as edema formation, leukocyte migration into the inflamed joint, and inflammatory mediators production protein and lipid mediators in two periods of the inflammatory process, 6 and 24 hours. Moreover, the MG was able to directly inhibit the ne utrophil migration and adhesion and has also changed the actin filaments polymerization required for cell mobilization. Finally, the MG was able to inhibit macrophage activation induced by zymosan and IFN - γ by reducing the cytokine IL - 6 and NO production , COX - 2 and iNOS expression , in addition to reduce the calcium influx of intracellular compartments into the cytosol of the cell. Taken together, the results demonstrated an anti - inflammatory effect of MG in zymosan - induced inflammation models, especially in the experimental arthritis by inhibiting the neutrophils accumulation and macrophage activation

Page generated in 0.0619 seconds