• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 91
  • 5
  • 4
  • 3
  • 2
  • 1
  • Tagged with
  • 109
  • 109
  • 60
  • 49
  • 25
  • 24
  • 20
  • 17
  • 13
  • 12
  • 12
  • 12
  • 10
  • 10
  • 10
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
11

Desempenho da pesquisa de anticorpos anti-Leishmania (Leishmania) chagasi, por citometria de fluxo, na monitoração de cura na Leishmaniose Visceral Humana / Performance of the anti-Leishmania research of antibodies (Leishmania) chagasi, for citometry of flow, in the monitor of cure in the Visceral Leishmaniasis Human being

Gomes, Izabelle Teixeira January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2012-05-07T15:26:23Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 000001.pdf: 2146845 bytes, checksum: be41c6f640ad1e8648af9fc24c2b3ad0 (MD5) Previous issue date: 2006 / A busca de marcadores de doença ativa e a validação de critérios de cura pós-terapêutica têm sido amplamente investigados na LV. Entretanto, o estabelecimento de um critério de cura sorológico ainda permanece inconclusivo. Os critérios adotados atualmente para estabelecer uma eficácia terapêutica dependem da avaliação clínica 12 meses pós-tratamento. O objetivo desse trabalho, foi avaliar a aplicabilidade da citometria de fluxo na pesquisa de anticorpos anti-promastigotas fixadas de L. (L.) chagasi (AAPF) na avaliação 12 meses após o tratamento e encontrar um indicador laboratorial de cura 2 meses e 6 meses pós-tratamento. Foi estabelecida uma relação entre os níveis de anticorpos anti L. (L.) chagasi e a eficácia do tratamento na LV, através da AAPF. Neste estudo foram avaliados soros de 21 pacientes com diagnóstico parasitológico positivo para LV, coletados antes e após o tratamento. As amostras de soro diluídas (1:1.000 a 1:128.000) foram incubadas com promastigotas fixadas, posteriormente incubadas com anti-IgG humana marcadas com FITC e IgG subclasses marcadas com SAPE na diluição de 1.000 a 128.000 para a pesquisa de IgG1 e 1:40 a 1:5.120 na pesquisa de IgG2, IgG3 e IgG4 e analisadas no citômetro de fluxo. Os resultados foram expressos como o percentual de parasitas fluorescentes positivos (PPFP) para cada amostra individual, estabelecendo 50 porcento como ponto de pacientes avaliados 12 meses após o tratamento (71,4 porcento). Entretanto, 2 meses após o tratamento foi encontrado valores de PPFP < 50 porcento em menos de 50 porcento dos pacientes. Em relação a subclasses de IgG foi encontrado valores reagentes em IgG1 e IgG3. Na pesquisa da AAPF para IgG1 pacientes apresentou melhor desempenho na monitoração terapêutica. Observamos 90,5 porcento de queda nos níveis de PPFP 6 meses e 71,4 porcento 2 meses pós-tratamento. Nossos resultados mostraram a aplicabilidade da citometria de fluxo para detecção de anticorpos anti-L. (L.) chagasi e na monitoração de cura na LV
12

Resposta imune celular e humoral de Rhipicephalus sanguineus (Latreille, 1806) (Acari: Ixodidae) desafiados com Leishmania infantum (Nicolle, 1908)

FEITOSA, Ana Paula Sampaio 26 February 2015 (has links)
Submitted by Isaac Francisco de Souza Dias (isaac.souzadias@ufpe.br) on 2016-02-25T19:12:03Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) TESE Ana Paula Sampaio Feitosa.pdf: 3707255 bytes, checksum: 56c270d2bf8dd01798cd86abcc07a877 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-02-25T19:12:03Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) TESE Ana Paula Sampaio Feitosa.pdf: 3707255 bytes, checksum: 56c270d2bf8dd01798cd86abcc07a877 (MD5) Previous issue date: 2015-02-26 / CNPQ / O Rhipicephalus sanguineus (Acari: Ixodidae) é um ectoparasita de cães domésticos e possui grande importância médica e veterinária por está associado à transmissão de inúmeros patógenos, entre eles existe a suspeita do mesmo está associado à transmissão da Leishmania infantum. O objetivo do presente estudo foi avaliar a resposta imune inata celular e humoral através da caracterização morfológica e ultraestrutural de hemócitos, avaliação da dinâmica hemocitária no 1º, 2º e 5º dia após infecção (dpi) com L. infantum, fagocitose com 1º dpi, atividade da fenoloxidase no 1º, 2º e 5º dpi, produção de óxido nítrico no 1º, 2º e 5º dpi, expressão gênica da denfesina e Glutationa S-transferase em Rh. sanguineus no tempo 0 e no 1º, 2º, 5º e 7º dpi, além de avaliar a permanência do parasita no tempo 0 e nos dias 1, 2, 5 e 7 após a infecção com L. infantum (dpi). Foram identificados cinco tipos celulares, prohemócitos, plasmatócitos, granulócitos, esferulócitos e adipohemócitos na hemolinfa do Rh. sanguineus. A partir da contagem total e diferencial dos hemócitos circulantes na hemolinfa de fêmeas de Rh. sanguineus a média do número total de hemócitos no grupo inoculado com L. infantum apresentou-se significantemente elevado (P < 0.001), no 1° e 2° dpi em relação ao grupo controle. Na contagem diferencial de hemócitos observou-se que a percentagem de plasmatócitos e granulócitos no grupo infectado, aumentou significantemente no 1°, 2° e 5° dpi (P < 0.001). Nos ensaios de fagocitose observou-se que plasmatócitos e granulócitos foram capazes de realizar fagocitose de partículas de látex e promastigotas de L. infantum, no 1dpi. A produção de NO aumentou significativamente (P < 0.05) no 2° e 5° dpi e a atividade da PO apresentou aumento significativo (P < 0.05) no 5° dpi. A expressão do gene 18S ribossomal de L. infantum teve um aumento significativo (P < 0.05) no 2°, 5° e 7° após a infecção em relação ao tempo 0. A expressão da GST foi maior no 1º e 2º dpi e o gene defensina foi maior apenas no 5º dpi. Embora não existam estudos sobre a resposta do Rh. sanguineus frente a infecção com L. infatum, estes resultados sugerem, que após a infecção com L.infantum a resposta imune celular e humoral em Rh. sanguineus é ativada, porém mais estudos são necessários para avaliar o impacto dessa resposta no combate a infecção. / The Rhipicephalus sanguineus (Acari: Ixodidae) is an ectoparasite of domestic dogs and has great medical and veterinary importance for being associated with the transmission of many pathogens, among them there is a suspicion of it is association with the transmission of Leishmania infantum. The aim of this study was to evaluate the innate cellular and humoral immune response by morphological and ultrastructural characterization of hemocytes, hemocyte dynamics evaluation, phagocytosis, phenoloxidase activity, nitric oxide production at the 1st, 2nd and 5th dpi, gene expression of denfesina and Glutathione S-transferase in Rh . sanguineus and on days 1, 2, 5 and 7 after infection with L. infantum and to evaluate the persistence of the parasite at time 0 and on days 1, 2, 5 and 7 after infection with L. infantum (dpi). Five cell types were identified, prohemocytes, plasmatocytes, granulocytes, and spherulocytes adipohemocytes in Rh. sanguineus hemolymph. From the total and differential counts of circulating hemocytes in the hemolymph of Rh. sanguineus females the average of total number of hemocytes in the group inoculated with L. infantum showed to be significantly higher (P <0.001), on 1st and 2nd dpi in comparison to control group. In differential counting of hemocytes, it was observed that the percentage of granulocytes and plasmatocytes in the infected group, increased significantly at the 1st, 2nd and 5th dpi (P <0.001). In phagocytosis assays, it was observed that plasmatocytes and granulocytes were able to perform phagocytosis of latex particles and promastigotes of L. infantum, 1 day after infection. NO production increased significantly (P < 0.05) in the 1st, 2nd and 5th dpi and the PO activity increased significantly (P < 0.05) in the 5th dpi. The expression of the 18S ribosomal gene expressed by L. infantum had a significant increase (P < 0.05) in the 2st, 5th and 7th after infection in comparison to time 0. The expression of GST was higher in the 1st and 2nd dpi and the defensin gene was higher only in 5 dpi. Although there are no studies on Rh. sanguineus response against infection with L. infatum, these results suggest that after infection with L.infantum cellular and humoral immune response in Rh. sanguineus is activate, nevertheless more studies are needed to assess the impact of such response in fighting infection.
13

E-NTPDases de Leishmania infantum chagasi: uma revisão de seus papéis biológicos na infecção e padronização metodológica para sua expressão heteróloga em sistema LESXY (Leishmania Expression System) / Leishmania infantum chagasi E-NTPDases: a review of their roles in infection and standardization for heterologous expression in LESXY system (Leishmania Expression System)

Pimentel, Filippe Gadiolli 29 February 2016 (has links)
Submitted by Reginaldo Soares de Freitas (reginaldo.freitas@ufv.br) on 2016-06-07T10:17:56Z No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 6010143 bytes, checksum: 17ea0355849d60b92bc6d90854eac3ef (MD5) / Made available in DSpace on 2016-06-07T10:17:56Z (GMT). No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 6010143 bytes, checksum: 17ea0355849d60b92bc6d90854eac3ef (MD5) Previous issue date: 2016-02-29 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / As leishmanioses compreendem um amplo espectro de doenças parasitárias causadas por protozoários do gênero Leishmania. No hospedeiro vertebrado estes parasitos infectam principalmente os macrófagos, onde conseguem escapar dos mecanismos de defesa e se proliferam. Muitos trabalhos relatam que a sinalização purinérgica é modulada durante o desenvolvimento e ativação das células do sistema imune. Para obterem sucesso na infecção, vários patógenos conseguem subverter a resposta imune através da modulação da sinalização purinérgica, promovendo uma diminuição dos níveis de ATP (molécula pró-inflamatória) e levando a um aumento dos níveis de adenosina (molécula imunossupressora). Este desfecho resulta da atividade conjunta de algumas ecto- nucleotidases, das E-NTPDases e da 5’-ecto-nucleotidase, tema que é abordado no segundo capítulo desta tese. Em Leishmania, as E-NTPDases são consideradas importantes porque participam da via de salvação de purinas, além de serem citadas em diversos artigos como responsáveis por aumento de virulência e infectividade em diferentes espécies. Em trabalhos desenvolvidos por nosso grupo de pesquisa, as E- NTPDases 1 e 2 de L. infantum foram caracterizadas em sistema bacteriano, demonstrando resultados promissores. A possibilidade de expressar essas proteínas em sistema de expressão Leishmania (Leishmania Expression System – LEXSY – Jena Bioscience) nos impulsionou a desenvolver o presente projeto, com o intuito de caracterizar essas enzimas em um organismo bem mais próximo ao original e avaliar o seu potencial uso como vacina viva. Portanto, a clonagem das Lic-E-NTPDases sistema LEXSY é o tema abordado no primeiro capítulo desta tese. / Leishmaniasis comprises a broad spectrum of parasitic diseases caused by protozoa of the genus Leishmania. In vertebrate host, these parasites mainly infect macrophages, where they can escape of defense mechanisms and proliferate. Several works have reported that the purinergic signaling is modulated during development and activation of immune cells. To achieve successful infection, many pathogens can subvert the immune response through modulation of purinergic signaling by promoting a reduction in ATP levels (pro- inflammatory molecule) and leading to increased adenosine levels (immunosuppressive molecule). This outcome results from the joint activity of some ecto-nucleotidases, the E- NTPDase and 5'-ecto-nucleotidase, a topic that is discussed in the second chapter of this thesis. In Leishmania, the E-NTPDases are considered important because they participate in purine salvage pathway, and are cited in various articles to be responsible for increased infectivity and virulence in different species. In work carried out by our research group, the E-NTPDase 1 and 2 of L. infantum were characterized in bacterial system, demonstrating promising results. The ability to express these proteins in Leishmania expression system (Leishmania Expression System - LEXSY - Jena Bioscience) prompted us to develop this project, in order to characterize these enzymes in an organism similar to the original and evaluate its potential use as a live vaccine. Therefore, the cloning of Lic-E-NTPDases in LEXSY system is the subject discussed in the first chapter of this thesis.
14

Alterações hemostáticas em cães naturalmente infectados por Leishmania (Leishmania) chagasi provenientes de inquéritos sorológicos realizados pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro

Honse, Carla de Oliveira January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2014-03-18T17:13:08Z (GMT). No. of bitstreams: 2 carla_honse_ipec_mest_2008.pdf: 692967 bytes, checksum: eadada79ac6bb425b22a8acdfd310d3a (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2013-11-21 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Foram estudados 35 cães adultos, sem raça definida, divididos em 2 grupos: LVC (leishmaniose visceral canina; n=11) e CNCP (cães negativos em cultura parasitológica; n=24). Um terceiro grupo (sadio, n=18) foi utilizado como parâmetro de referência dos testes de coagulação sanguínea. O objetivo deste estudo foi avaliar a ocorrência de alterações hemostáticas em cães naturalmente infectados por Leishmania (Leishmania) chagasi provenientes de inquéritos sorológicos para LVC realizados pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. A hemostasia primária foi avaliada através da contagem de plaquetas e mensuração do tempo de sangramento; a hemostasia secundária, através da mensuração dos tempos de protrombina e tromboplastina parcial ativada; e a fibrinólise, através da detecção dos produtos de degradação da fibrina em teste de aglutinação em látex Adicionalmente, foram realizados o hemograma e detecção de anticorpos contra Ehrlichia canis e Borrelia burgdorferi e antígenos de Dirofilaria immitis de todos os animais. De acordo com os resultados obtidos, não foi observada diferença significativa (p>0,05) entre o grupo LVC e o grupo CNCP, ainda que ambos apresentassem alterações na hemostasia primária, secundária e/ou fibrinólise. Em virtude da co-infecção de alguns animais do grupo LVC por Ehrlichia canis, não foi possível atribuir as alterações encontradas exclusivamente ao agente Leishmania (Leishmania) chagasi, sendo necessária a realização de novos estudos para melhor compreensão sobre a patogenia desta doença / Thirty five adult mongrel dogs were divided into two groups: CVL (canine visceral leishmaniasis; n=11) and DNPC (dogs with negative parasitological culture; n=24). A third group (healthy, n=18) was used as a reference in the coagulation tests. The purpose of this study was to evaluate the occurrence of haemostatic changes in dogs naturally infected by Leishmania (Leishmania) chagasi from the VL serological surveys done by Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. The primary haemostasis was evaluated by the platelet count and measurement of the bleeding time; the secondary haemostasis was evaluated through the measurement of the prothrombin time and the activated parcial thromboplastin time; and the fibrinolysis through the detection of the fibrin degradation products by latex agglutination test. In addition to that, the blood count and detection of antibodies against Ehrlichia canis and Borrelia burgdorferi , as well as antigens of Dirofilaria immitis were carried out in all the animals. According to the results, no significant difference (p>0,05) was observed among the CVL group and DNPC group, even though both presented changes in the primary and secondary haemostasis and/or the fibrinolysis. Due to the co-infection of some animals from the CVL group by Ehrlichia canis , it was not possible to attribute the alterations to agent Leishmania (Leishmania) chagasi exclusively. Hence, further studies are necessary for a better comprehension of the pathogeny of the disease.
15

Estudos sobre Lutzomyia (Lutzomyia) longipalpis (Lutz & Neiva, 1912) (Diptera: Psychodidae: Phebotominae): hábitos alimentares, infecção natural por Leishmania (Leishmania) infantum chagasi (Cunha & Chagas, 1937) e correlação com a expansão daleishmaniose visceral americana / Studies of Lutzomyia (Lutzomyia) longipalpis (Lutz & Neiva, 1912) (Diptera: Psychodidae: Phebotominae): eating habits, natural infection by Leishmania (Leishmania) infantum chagasi (Cunha & Chagas, 1937) and correlation with the expansion of American visceral leishmaniasis

Afonso, Margarete Martins dos Santos January 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2014-05-29T12:01:39Z (GMT). No. of bitstreams: 4 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 0000038.pdf: 2738587 bytes, checksum: 7dd6564c63323c9353ec15e4c463c4a5 (MD5) 0000038.pdf.txt: 326814 bytes, checksum: 1acd256ee177408fef6eab95a8608842 (MD5) 0000038.pdf.jpg: 1316 bytes, checksum: 9be572866ac5936e7312385f6a8bde28 (MD5) Previous issue date: 2013 / A Leishmaniose Visceral Americana (LVA) no Brasil é um importante problema de Saúde Pública, cuja expansão geográfica tem possibilitado o seu eselecimento em áreas urbanas das médias e grandes cidades. Desta forma, ressalta-se a importância da produção de conhecimentos sobre os fatores determinantes associados ao novo perfil epidemiológico. Este estudo procurou identificar fatores da expansão e urbanização dovetor, Lutzomyia (L.) longipalpis, numa abordagem ampla no contexto epidemiológico da LVA, considerando múltiplas interações: ambiente, parasita e reservatórios. Os objetivos foram: discutir os estudos sobre hábitos alimentares de insetos vetores de patógenos humanos, com ênfase na subfamília Phlebotominae; analisar os fatores associados ao processo de expansão e urbanização da LVA; discutir a expansão da LVA no Estado do Tocantins correlacionando incremento de desflorestamento, estratificação da doença, classes do uso do solo e presença do vetor L. (L.) longipalpis; diagnosticar a infecção natural por Leishmania (L.) infantumchagasi em associação com a fonte alimentar, através de métodos moleculares, em exemplares de L. (L.) longipalpis procedentes dos municípios de Araguaína (TO), Fortaleza (CE), Sobral (CE), e Rio de Janeiro (RJ). No atual cenário das mudanças ambientais, é fundamental a condução de estudos voltados para as doenças relacionadas ao ambiente, como a LVA. Nesta perspectiva, pesquisas sobre o vetor L. (L.) longipalpis devem produzir conhecimentos que permitam entender a epidemiologia da doença, além de subsidiar o planejamento de estratégias de controle. A análise ecoepidemiológica da LVA em Tocantins revelou que, dos 139 municípios, 120 apresentaram registros de casos humanos. / As áreas de incremento do desmatamento se mantiveram frequentes, principalmente na região norte,onde se observa elevado número de casos humanos. Em relação ao perfil de estratificação, 40% dos municípios apresentaram expansão da LVA. Lutzomyia (L.) longipalpis se mostrou presente em todas as classes do uso do solo, com correlação negativa apenas para pastagem cultivada. Em relação ao registro anual de casos humanos de LVA, dentre as áreas que apresentaram correlação positiva com maior frequência destacam-se áreas de influência urbana e ambiente urbanizado. A avaliaçãodos hábitos alimentares em flebotomíneos é capaz de responder questões importantes sobre o comportamento, ecologia e adaptação dos vetores. Dentre as técnicas já descritas, as mais utilizadas ainda são as técnicas imunológicas, embora as técnicas moleculares vem sendo empregadas com maior frequência, pois permitem de forma mais sensível a identificação da fonte alimentar e da infecção natural. Tais informações são importantes, não apenas para um melhor conhecimento acerca dos vetores, mas também sobre potenciais reservatórios de Leishmania. Em relação à preferência alimentar, L. (L.) longipalpis apresentou índice de positividade de 29,3% relacionado com fonte alimentar humana, seguido de cão e ave, não sendo encontradas fêmeas alimentadas em gambá. O índice geral de infecção natural por L. (L.) infantum chagasi foi de 4,51%, sendo 4,9% em Araguaína e 9,75% em Sobral. Das fêmeas infectadas de Araguaína, uma estava alimentada com sangue de cão e outra em sangue humano. Em Sobral, das quatro fêmeas infectadas, três estavam alimentadas em sangue humano.
16

Efeitos da associação de aminoglicosídeo ao tratamento antimonial na translocação microbiana decorrente do envolvimento da mucosa intestinal na leishmaniose visceral experimental

Paulo, Elaine Marques January 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2014-07-22T17:02:52Z (GMT). No. of bitstreams: 4 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 68700.pdf: 2578722 bytes, checksum: 8c5310d6fb306ce43d34892517750ffc (MD5) 68700.pdf.txt: 211841 bytes, checksum: cb3a25da2d45d4cf6b421b83c876f820 (MD5) 68700.pdf.jpg: 1263 bytes, checksum: 09883dde54f8c4065ee9c8c3e8f0cb35 (MD5) Previous issue date: 2013-11-21 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, Brasil / A leishmaniose visceral (LV) é causada no Brasil pela Leishmania (Leishmania) infantum. A fase ativa da LV é caracterizada por uma imunossupressão parasito-específica acompanhada de baixos níveis de células T CD4+. Apesar disso, uma intensa ativação celular e resposta pró-inflamatória são observadas. Em outras doenças deficientes de célula T, tais como o HIV-1/AIDS, o lipopolissacarídeo (LPS), provavelmente oriundos da translocação microbiana são um componente crucial na ativação imune. Resultados recentes do nosso grupo mostraram que o LPS, juntamente com os antígenos parasitários, estão envolvidos na ativação das células T e na produção de citocinas pró-inflamatórias nos pacientes com LV. Nesse contexto, o objetivo do trabalho foi avaliar os níveis plasmáticos de LPS na LV experimental, assim como a influência do tratamento específico anti-Leishmania e/ou o tratamento com antibiótico para bactérias Gram-negativas na evolução clínica desses animais e nos níveis do LPS plasmático. Além disso, avaliou-se a ocorrência da ativação celular e o desenvolvimento da resposta humoral ao longo do acompanhamento e dos diferentes tratamentos. Para isso, foram utilizados 117 golden hamsters (Mesocricetus auratus), que foram divididos em oito grupos: sem infecção (G1), infectado com L. infantum (G2), infectado e tratado com o antimonial pentavalente e/ou com o antibiótico amicacina (G3, G4 e G5, respectivamente). Três grupos sem infecção tratados com os fármacos propostos também foram incluídos (G6, G7 e G8) Na avaliação clínica realizou-se a pesagem dos animais, bem como do fígado e do baço. Os aspectos físicos dos animais infectados e as alterações macroscópicas do intestino delgado também foram avaliados. A carga parasitária esplênica também foi quantificada pelo imprint. Os níveis plasmáticos do LPS foram avaliados através de um kit comercial. As dosagens do anticorpo IgG total anti- Leishmania foram realizada no soro dos animais pela técnica de ELISA. A avaliação do grau de comprometimento do sistema imune dos hamsters foi feita através da quantificação do percentual de células T CD4+ e o grau de ativação celular pela molécula CD25, através da citometria de fluxo. Os hamsters com LV apresentaram parâmetros laboratoriais e imunológicos similares aos da LV humana, exceto pela ausência de sinais clínicos visíveis característicos dessa infecção. Os animais apresentaram um aumento de peso progressivo ao longo dos 101 dias pós-infecção (dpi), mas este foi condizente com seu crescimento e idade. Os tratamentos propostos não influenciaram no peso dos animais avaliados. O fígado e o baço dos hamsters apresentaram também um aumento de peso condizente com seu crescimento, entretanto foram observadas alterações macroscópicas em momentos tardios da infecção pelo parasito, que coincidiram com o aumento da carga parasitária esplênica desses animais. O intestino delgado dos animais infectados mostraram-se mais friáveis à manipulação e observou-se uma diminuição significativa do número de placas de Peyer em toda sua superfície quando comparados ao grupo não-infectado Elevados níveis de LPS plasmático foram observados nos animais infectados a partir de 15 dpi, como já foi descrito na LV humana. Uma intensa ativação celular foi observada nos animais infectados, tanto através da molécula CD25 nos linfócitos T CD4+ quanto pelos níveis de anticorpos IgG total anti-Leishmania, ambos aumentaram com o tempo de infecção. Os níveis de LPS se correlacionaram positivamente com a ativação das células T quando todos os animais infectados tratados ou não foram avaliados, sugerindo que o LPS pode contribuir para a ativação já descrita na LV humana. De modo geral, verificou-se nesse trabalho que o tratamento concomitante com o antimonial pentavalente e o antibiótico amicacina foram benéficos em diversos aspectos, como na recuperação do aspecto acroscópico dos órgãos, na diminuição da carga parasitária esplênica e imunológica (redução dos níveis de ativação) nos hamsters com LV, inferindo um possível sinergismo terapêutico entre esses fármacos. Esses resultados permitem sugerir a elegibilidade dessa estratégia terapêutica para o tratamento da LV humana / Visceral leishmaniasis (VL) is caused in Brazil by Leishmania (Leishmania) infantum. The active phase of VL is characterized by parasite-specific immunosuppression along with low levels of CD4+T cells. Despite this, an intense cellular activation and pro-inflammatory cytokine response is observed. In other T-cell deficient diseases such as HIV-1/AIDS, the lipopolisaccharide (LPS) probably from gut microbial translocation has a crucial role on immune activation. Our recent results showed that LPS along with parasite antigens are implicated in T-cell activation and pro-inflammatory cytokines in VL patients. In this context, our aim was to evaluate whether plasma LPS levels were increased in experimental VL and the influence of the specific treatment anti-Leishmania and/or the treatment with gram-negative antimicrobial in the clinical evolution of this animals and in the LPS levels. Also, we investigated the occurrence of the cellular activation and the development the humoral response during the follow up and under the different treatments. For this, 117 golden hamsters (Mesocricetus auratus) were divided into eight groups: without infection (G1), infected with L. infantum (G2), infected and treated with anti-leishmanial therapy (antimonial) and/or with antibiotic amikacin (G3, G4 and G5, respectively). Three groups without infection treated with the different drugs were also included (G6, G7 and G8). The clinical evaluation included animal weighting as well as spleen and the liver weight. The physical aspects of infected animals and the macroscopic alterations of the small intestine were also evaluated. Parasite load was quantified by the number of stained amastigotes in the spleen imprint. Plasma LPS levels were measured using a commercial kit. The quantification of serum anti-Leishmania IgG levels was performed by ELISA. The assessment of immune system impairment was done by quantifying the percentage of CD4 + T cells and the degree of cell activation by the CD25 molecule by flow cytometry. The infected hamsters presented laboratory and immunological parameters similar to those of a human VL, except for the absence of visible clinical signs characteristic of this infection. The animals also showed a progressive weight gain over the 101 days post-infection (dpi), but this was consistent with their growth and age. The proposed treatments did not affect the weight of the animals evaluated. The liver and spleen of hamsters also showed an increase in weight consistent with its growth, however anatomical changes were observed at late times of parasite infection, which coincided with the increased splenic parasite load in these animals. In addition, the small intestine of infected animals was more friable to handle and showed a significant decrease in the number of Peyer's patches across its surface compared to uninfected group. Elevated plasma levels of LPS were observed in infected animals from 15 dpi, as previously described in human VL. An intense cellular activation was observed in the infected hamsters using the CD25 molecule on CD4+ T lymphocytes and the total IgG anti-Leishmania levels, both of which increased with time of infection. LPS levels were positively correlated with the activation of T cells when all infected animals treated or not were evaluated, suggesting that LPS may contribute to the activation already described in VL patients. In general, this study showed that concomitant treatment with pentavalent antimony and the antibiotic amikacin were beneficial in many aspects, such as the recovery of macroscopic aspects of the organs, the decrease of splenic parasite load and reduced levels of immune activation in hamsters with VL, suggesting a possible therapeutic synergism between these drugs. These results suggest the eligibility of this therapeutic strategy for the treatment of human VL.
17

Papel do fator de ativação de plaquetas na infecção de macrófagos por Leishmania infantum e identificação de uma Paf-acetilhidrolase no parasita.

Ferreira, Vinicius Costa Souza January 2014 (has links)
Submitted by Ana Maria Fiscina Sampaio (fiscina@bahia.fiocruz.br) on 2015-02-10T16:31:37Z No. of bitstreams: 1 Vinicius Costa Souza Ferreira, Papel do fator... 2014.pdf: 10087481 bytes, checksum: 8c34a10bbc4c46304eaf9166412e6f0f (MD5) / Approved for entry into archive by Ana Maria Fiscina Sampaio (fiscina@bahia.fiocruz.br) on 2015-02-10T16:31:51Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Vinicius Costa Souza Ferreira, Papel do fator... 2014.pdf: 10087481 bytes, checksum: 8c34a10bbc4c46304eaf9166412e6f0f (MD5) / Approved for entry into archive by Ana Maria Fiscina Sampaio (fiscina@bahia.fiocruz.br) on 2015-02-10T16:32:18Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Vinicius Costa Souza Ferreira, Papel do fator... 2014.pdf: 10087481 bytes, checksum: 8c34a10bbc4c46304eaf9166412e6f0f (MD5) / Made available in DSpace on 2015-02-10T16:32:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Vinicius Costa Souza Ferreira, Papel do fator... 2014.pdf: 10087481 bytes, checksum: 8c34a10bbc4c46304eaf9166412e6f0f (MD5) Previous issue date: 2014 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz. Salvador, BA, Brasil / A leishmaniose visceral é causada pelo parasita Leishmania infantum. A infecção ocorre quando flebótomos infectados se alimentam na derme do hospedeiro vertebrado, inoculando o parasita. A infecção produz uma resposta com diversas moléculas inflamatórias, como os mediadores lipídicos. O fator de ativação de plaquetas (PAF) é um potente mediador lipídico derivado de um lisofosfolipídio. PAF participa da fisiologia normal da célula e possui um perfil pró-inflamatório. A participação de mediadores lipídicos, como eicosanóides e PAF, já foi identificada na imunopatogênese das leishmanioses. PAF gerado pelo hospedeiro tem efeito leishmanicida e de controle da infecção por L. amazonensis. PAF-acetilhidrolases (PAF-AH) são fosfolipases A2 que hidrolisam PAF e foi demonstrado que PAF-AH podem ser um fator de virulência devido a essa habilidade. O objetivo desse estudo foi avaliar o papel do PAF e de uma PAF-AH na infecção de macrófagos por L. infantum. Foi observado que PAF 1μM, quando adicionado durante e após a infecção, foi capaz de diminuir 50% da infecção após 72 horas, bem como a viabilidade dos parasitas dentro dos macrófagos num mecanismos independente do seu receptor PAFR e da produção de óxido nítrico. PAF 10μM interrompeu o crescimento de promastigotas de L. infantum em cultura axênica. Uma PAFAH, com elevada identidade e semelhança com PLA2/PAF-AH de outros tripanossomatídeos, foi identificada no genoma de L. infantum. A clonagem e expressão recombinante produziu uma proteína de cerca de 69kDa, com atividade PAF-AH. Frações celulares do parasita, enriquecidas com estruturas de membrana também apresentaram atividade PAF-AH. Os resultados indicam que PAF é capaz de diminuir a infecção de macrófagos por L. infantum e que o parasita possui uma PAF-AH funcional possivelmente envolvida com sua virulência. / Visceral leishmaniasis is caused by Leishmania infantum parasites. Infection occurs when infected sandflies feed on vertebrate host skin delivering the parasite which survive, multiply and spread on the parasitophorous vacuoles of macrophages. The inflammatory response during the infection leads to the production of diverse bioactive molecules, as lipid mediators. The platelet activating factor (PAF) is a lipid mediator derived from a lysophospholipid. PAF has a role in normal cellular physiology, acting as proinflamatory molecule. The participation of some lipid mediators, as eicosanoids and PAF has been identified in leishmaniasis. PAF produced by the host is able to kill the parasite and control the infection by L. amazonensis. PAF-acetylhydrolases (PAF-AH) are phospholipases A2 (PLA2) that hydrolyse PAF, and possibly involved in pathogen virulence. The aim of this study was to evaluate the role of PAF on macrophages infection by L. infantum and identify a PAF-AH expressed by the parasite. PAF 1μM, added during and after the infection, was able to reduce approximately 50% of infection, as well as, the viability of parasites inside macrophages. Apparently this reduction occurs by an classical PAF receptor and nitric oxide production independent mechanism. PAF 10μM inhibited L. infantum promastigotes growing in axenic culture. A PAF-AH with high identity to PLA2/PAF-AH of others trypanosomatids was identified in L. infantum genome. The cloning and recombinant expression produced a 69kDa protein with PAF-AH activity. Cellular fractions from parasites, with membrane structures also presented PAF-AH activity. The results suggest that PAF is able to decrease machophage infection by L. infantum witch has a functional PAFAH possibly related to its virulence
18

Isotipos de anticorpos anti-Leishmania no soro e expressão de citocinas no baço de cães naturalmente infectados com Leishmania infantum

Santos, Juliana Coelho January 2014 (has links)
Submitted by Ana Maria Fiscina Sampaio (fiscina@bahia.fiocruz.br) on 2015-05-12T13:35:17Z No. of bitstreams: 1 Juliana Coelho Santos Isotipo...2014.pdf: 500362 bytes, checksum: 4c5dbf54877a6ef41cbbca30b73e6cde (MD5) / Approved for entry into archive by Ana Maria Fiscina Sampaio (fiscina@bahia.fiocruz.br) on 2015-05-12T13:35:26Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Juliana Coelho Santos Isotipo...2014.pdf: 500362 bytes, checksum: 4c5dbf54877a6ef41cbbca30b73e6cde (MD5) / Made available in DSpace on 2015-05-12T13:35:26Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Juliana Coelho Santos Isotipo...2014.pdf: 500362 bytes, checksum: 4c5dbf54877a6ef41cbbca30b73e6cde (MD5) Previous issue date: 2014 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz. Salvador, BA, Brasil. / Neste estudo foi analisada a distribuição de isotipos de imunoglobulinas IgG1, IgG2 e IgE envolvidas na resposta a Leishmania no soro e a expressão de mRNA para IFN-g e IL-4 in situ no baço de cães naturalmente infectados com L.infantum com diferentes perfis de susceptibilidade ou resistência à doença. A atividade sérica de anticorpos do isotipo IgG1 contra Leishmania tendeu a ser maior nos animais com teste cutêneo da Leishmanina negativo e com parasitismo esplênico (grupo infectado potencialmente susceptível, 0,424±0,401) que nos outros grupos: com teste cutêneo da Leishmanina positivo e ausência de parasitismo esplênico (grupo infectado potencialmente resistente, 0,226±0,114), ou com ambos teste cutêneo da Leishmanina e cultura esplênica positivos (grupo em fase indeterminada da doença, 0,234±0,125) ou com ambos os parâmetros negativos (grupo potencialmente não infectado, 0,159±0,044). Essa diferença não foi, contudo estatisticamente significante (ANOVA, P=0,1450). IgG2 específica anti-Leishmania foi maior (ANOVA P=0,0001) no grupo infectado potencialmente susceptível (1,324±0,322) que nos demais grupos: em fase indeterminada da doença (0,930±0,383, P=0,05), infectado potencialmente resistente (0,916±0,401, P=0,05) e potencialmente não infectado (média 0,299±0,151, P=0,001). Foi também maior nos grupos infectado potencialmente resistente e com infecção em fase indeterminada que no grupo de animais potencialmente não infectado. Não houve diferenças entre os grupos (ANOVA p=0,4) nos resultados séricos de IgE anti-Leishmania; o grupo potencialmente susceptível (0,749±0,485) tendeu a apresentar valores médios mais elevados que os grupos potencialmente resistente (0,518±0,161), ou com doença em fase indeterminada (média 0,591±0,331) ou potencialmente não infectados (0,530±0,121), essas diferenças foram intensificadas pela alta atividade de anticorpos do isotipo IgE anti-Leishmania em um dentre os 11 animais examinados, não sendo estatisticamente significante (ANOVA, P=0,4668). Não foram observadas diferenças na expressão de mRNA para IFN-g e IL-4 no baço de animais não infectados ou naturalmente infectados com L. nfantumi com (a) teste cutêneo da Leishmanina positivo e cultura esplênica negativa ou com (b) teste cutêneo da Leishmanina negativo e parasitismo esplênico. Observou-se uma preponderância de anticorpos da subclasse IgG2 em animais com parasitismo esplênico independente da resposta ao teste cutêneo da Leishmanina. Tais resultados sugerem que a polarização da resposta imune a Leishmania pode variar em diferentes compartimentos como sangue e baço. / We analyzed the distribution immunoglobulin isotypes IgG1, IgG2 and IgE involved in the response to Leishmania and the mRNA expression for IFN-g and IL-4 in situ in the spleen of dogs naturally infected with IgG1 antibody anti-Leishmania serum activity was higher in animals with negative Leishmanin skin test and splenic parasitism (infected and potencially susceptible to VL group, 0,424±0,401) than in other groups: positive Leishmanin skin test and negative splenic parasitism (infected and potentially resistant to VL group, 0,226±0,114), or both positive Leishmanin skin test and slpenic parasitism (infected with undefined susceptibility status group, 0234±0,125) or both negative parameters (non-infected group, 0159±0,044). This difference however was not statistically significant (ANOVA, P=0145). Specific IgG2 anti-Leishmania was higer (ANOVA P=0,0001) in infected and potencially susceptible to VL group (1,324±0,322) than in the other groups: infected with undefined susceptibility status (0,930±0,383, P=0,05), infected and potencially resistant to VL (0,916±0,401, P=0,05) and non infected group (0,299±0,151, P=0,001). Was also higher in infected and potencially resistant to VL and infected with undefined susceptibility status groups than in group of non-infected animals. There was no significant differences (ANOVA p=0,4) between different groups in seric IgE anti-Leishmania, infected and potencially susceptible to VL group (0,749±0,485) showed media higher than in infected and potencially resistant to VL group (0,518±0,161), or in infected with undefined susceptibility status group (0,591±0,331) or non-infected group (0,530±0,121), these differences were intensified for the higher IgE antibody activity in one between 11 examined animals, although this was not statistically significant (ANOVA, P=0,4668). There was no difference in IL-4 or IFN-g mRNA expression in the spleen among groups of animals non-infected or naturally infected with L. infantum, with (a) strong LST and negative spleen culture for the parasite or with (b) negative LST and parasite in the spleen We could observe an interesting preponderance of antibodies from the IgG2 class in animals with splenic parasitism independently of the LST response. Our results suggest that the polarity of immune response to Leishmania may vary in different compartments such as blood and spleen.
19

Atividade biológico de compostos ftalimido-Tiazóis sobre Leishmania infantum (Nicolle, 1908)

ALIANÇA, Amanda Silva dos Santos 25 February 2016 (has links)
Submitted by Fabio Sobreira Campos da Costa (fabio.sobreira@ufpe.br) on 2016-07-28T13:21:21Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) TESE_Amanda Aliança_digital.pdf: 2689265 bytes, checksum: 0b25cf703fd666da539c3034a8c40823 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-07-28T13:21:21Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) TESE_Amanda Aliança_digital.pdf: 2689265 bytes, checksum: 0b25cf703fd666da539c3034a8c40823 (MD5) Previous issue date: 2016-02-25 / CAPEs / A leishmaniose é uma doença infecciosa, não contagiosa de caráter zoonótico, causada por vários tipos de protozoários do gênero Leishmania. Em humanos, a doença apresenta três principais formas clínicas, dependendo das espécies envolvidas de Leishmania: a cutânea, mucocutânea e visceral (LV), sendo esta última a forma mais grave que quando não tratada pode evoluir para óbito em mais de 90% dos casos. O agente etiológico da LV compreende Leishmania donovani na Índia e leste da África; Leishmania infantum na China, Ásia central, Europa, África, América do Sul e Central. Calcula-se que a prevalência mundial de leishmaniose esteja em torno de 12 milhões de pessoas, acometendo 80 países e com uma estimativa de 400.000 novos casos da doença por ano. O tratamento atual para a leishmaniose é baseado na utilização de antimoniais pentavalentes como o estibogluconato de sódio (Pentostan®) e o antimoniato de meglumina (Glucantime®), este apresenta várias dificuldades como toxicidade, via de administração intravenosa e tempo prolongado de tratamento, que levam a sua descontinuação. Diante deste cenário, os compostos sintéticos são de grande importância na terapêutica por representarem 85% dos fármacos disponíveis. As ftalimidas e os tiazóis são importantes classes de compostos sintéticos e apresentam amplo espectro de atividades biológicas, como ansiolítica, anti-Parkinson, anti-Alzheimer, analgésica, anti-inflamatória, imunomoduladora e antibacteriana. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a atividade in vitro frente a L. infantum e a células de mamíferos de uma série de 15 derivados ftalimido-tiazóis. Os compostos foram avaliados frente a formas promastigotas e amastigotas de L. infantum, quanto à citotoxicidade frente a células vero, macrófagos J774 e macrófagos peritoneais, a produção de óxido nítrico e alterações sobre alvos intracelulares do parasito. Os resultados mostram que os compostos oriundos da hibridação da ftalimida com 1,3 tiazol apresentaram atividade leishmanicida contra formas promastigota de L. infantum, baixa citotoxicidade às células de mamíferos testadas e aumentaram a produção de ON em relação às células controles nos macrófagos não infectados. Os compostos 2j e 2m se mostraram como os mais potentes contra as formas promastigotas da série testada, estes foram testados frente as formas amastigotas, os compostos reduziram a sobrevivência de amastigotas intracelulares e apresentaram baixa citotoxicidade para os macrófagos peritoneais. Formas promastigotas tratadas com esses compostos apresentaram alterações ultraestruturais como: encolhimento do corpo celular, perda da integridade da membrana celular, vacuolização do citoplasma, perfis de membranas circundando organelas e inchaço da mitocôndria. Quando avaliada a marcação pelo iodeto de propídio e pela rodamina 123, formas promastigotas tratadas com os compostos 2j e 2m apresentaram aumento no número de células marcadas com o iodeto de propídio e induziram alterações significativas no potencial de membrana mitocondrial. Dessa maneira, os compostos ftalimido-tiazóis apresentam atividades leishmanicida e devem formar a base para futuros estudos experimentais. / Leishmaniasis is an infectious disease, non-contagious with zoonotic characteristic, caused by several types of protozoa of the genus Leishmania. In humans, the disease has three main clinical forms, depending on the species of Leishmania involved: cutaneous, mucocutaneous and visceral, the latter being the more severe if left untreated can lead to death in more than 90% of cases. The etiologic agent of LV comprises Leishmania donovani in India and East Africa; Leishmania infantum in China, Central Asia, Europe, Africa, South and Central America. It is estimated that the worldwide prevalence of leishmaniasis is around 12 million people in 80 countries and 400,000 new cases per year. The current treatment for leishmaniasis is based on the use of pentavalent antimonials such as stibogluconate sodium (Pentostan®) and meglumine antimonate (Glucantime®), this presents several problems such as difficulties such as toxicity, intravenous route of administration and prolonged treatment, which leads to its discontinuation of the treatment. The phthalimides and thiazoles are important classes of synthetic compounds and have a broad spectrum of biological activities such as anxiolytic, anti-Parkinsons, anti-Alzheimer, analgesic, antiinflammatory, immunomodulating and antibacterial. This study aimed to evaluate the in vitro activity against L. infantum and mammalian cells in a series of 15-phthalimido thiazoles derivatives. The present work report the in vitro activity of a phthalimido-thiazoles derivatives series. The activities were evaluated against promastigotes and amastigotes of Leishmania infantum, front of cytotoxicity to vero cells, J774 macrophages and peritoneal macrophages, the effect on production of nitric oxide (NO) and changes of intracellular targets on the parasite. The results show that the compounds arising from the hybridization of phthalimido 1, 3 thiazole showed leishmanicidal activity against promastigotes forms of L. infantum, low cytotoxicity to mammalian cells and increased the NO production compared to control cells in uninfected macrophages. The compounds 2j and 2m are shown as the most potent against promastigotes of the test series, these were tested against amastigote forms, the compounds reduced the survival of intracellular amastigotes and showed low cytotoxicity peritoneal macrophages. The promastigotes treated with these compounds exhibited ultrastructural changes such as cell body shrinkage, loss of cell membrane integrity, vacuolization of the cytoplasm membranes surrounding organelles profiles and swelling of mitochondria. The compounds 2j and 2m were the most potent of the series tested and the parasites treated with these compounds showed ultrastructural changes such as cell body shrinkage, loss of cellular membrane integrity, vacuolization of cytoplasm, membrane profiles surrounding organelles and swelling of mitochondria. When assessed by propidium iodide tag and the rhodamine 123 promastigotes treated with the compounds 2j and 2m showed an increase in the number of cells stained with propidium iodide and induced significant changes in mitochondrial membrane potential. Thus, the phthalimido-thiazoles compounds have leishmanicide activities and should form the basis for future experimental studies.
20

Variação intraespecífica e biogeografia de isolados brasileiros de Leishmania infantum chagasi baseado em genes nucleares e mitocondriais / Intraspecific variation and biogeography of Brazilian isolates of Leishmania infantum chagasi based on nuclear and mitochondrial genes

Bruna Matarucco Sampaio 02 June 2016 (has links)
As espécies do gênero Leishmania parasitam mamíferos do Novo e Velho Mundo e possuem ciclos de vida com alternância entre vertebrados e invertebrados. A maioria das espécies se desenvolve em artrópodes hematófagos, que podem pertencer a diversas ordens e famílias. A Leishmaniose visceral é uma importante zoonose e possui canídeos silvestres e domésticos como importantes reservatórios conhecidos na diversidade genética de Leishmania infantum chagasi no Brasil ainda não é conhecida. Leishmaniose é uma doença severa com ampla distribuição geográfica com uma incidência de dois milhões de casos por ano e 350 milhões de pessoas em áreas de risco de infecção. O objetivo deste projeto foi avaliar a variação intraespecífica e biogeografia de isolados brasileiros de Leishmania infatum chagasi baseados em genes nucleares e mitocondriais. Os marcadores SSUrDNA, gGAPDH, Citocromo b, Hsp 70, Quitinase e ITS1rDNA foram amplificados, sequenciados e comparados filogeneticamente pelos métodos de parcimônia e bayesiana através de análises concatenadas. As sequencias obtidas apresentaram variabilidade entre 0 e 1% e a topologia gerada não evidenciou diferenças intraespecíficas entre os isolados brasileiros de Leishmania infantum chagasi e consequentemente padrões biogeográficos. Apesar dos resultados obtidos não refletirem a variabilidade esperada, as diversas sequencias obtidas darão subsídios para a determinação e padronização de novos testes diagnósticos da Leishmaniose visceral canina. / The Leishmania species parasite mammals in the New World and have life cycles with alternating between vertebrates and invertebrates. Most species develops in blood-sucking arthropods, which may belong to different orders and families. Visceral leishmaniasis is an important zoonosis and has wild and domestic canids as important known reservoirs and genetic diversity of Leishmania infantum chagasi in Brazil is not yet known. Leishmaniasis is a severe disease with wide geographical distribution with an incidence of two million cases per year and 350 million people at risk in endemic areas. The aim of this study was to evaluate the intraspecific variation and biogeography based on nuclear and mitochondrial genes. The SSUrDNA markers, gGAPDH, cytochrome b, hsp 70, chitinase and ITS1rDNA were amplified, sequenced and compared phylogenetically by maximum parsimony and Bayesian methods in concatenated analysis. The variability of sequences was 0 to 1%, and the topology generated showed no intraspecific differences between Brazilian strains of Leishmania infantum chagasi and consequently biogeographic patterns. Although the results do not reflect the expected variability, the various sequences obtained will provide subsidies for the establishment and standardization of new diagnostic tests of canine visceral leishmaniasis.

Page generated in 0.0466 seconds