• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 232
  • 7
  • 2
  • 1
  • Tagged with
  • 245
  • 121
  • 73
  • 56
  • 49
  • 45
  • 34
  • 32
  • 29
  • 28
  • 27
  • 26
  • 26
  • 26
  • 25
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Expressão de fragmentos de anticorpos que reconhecem o antígeno CD20 humano

Lopes, Tarcila Zuleica Zaparolli 25 February 2016 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Patologia Molecular, 2016. / Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2016-03-24T15:13:59Z No. of bitstreams: 1 2016_TarcilaZuleicaZaparolliLopes.pdf: 1936810 bytes, checksum: 868908728b6e0749bcb8cd9988271b4c (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2016-04-02T13:05:45Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_TarcilaZuleicaZaparolliLopes.pdf: 1936810 bytes, checksum: 868908728b6e0749bcb8cd9988271b4c (MD5) / Made available in DSpace on 2016-04-02T13:05:45Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_TarcilaZuleicaZaparolliLopes.pdf: 1936810 bytes, checksum: 868908728b6e0749bcb8cd9988271b4c (MD5) / Em 1997, foi aprovado especificamente para o tratamento de pacientes com LNH de baixo grau (folicular) ou linfomas foliculares agressivos non-Hodgkin, o anticorpo recombinante anti-CD20: Rituximabe (MabThera®, Rituxan). Esse anticorpo, causa uma depleção seletiva e transitória de ambas subpopulações de células B CD20 positivas, normais ou malignas, dentro de etapas chaves da ontogenia das células B. Neste trabalho, objetivou-se a expressão, produção e purificação de fragmentos de anticorpos na forma FvFc específicos para o antígeno humano CD20, por meio de células de ovário de hamster chinês versão K1 (CHO-K1). Foram selecionadas duas versões scFvs humanizadas, contendo as CDRs do anticorpo monoclonal quimérico Rituximabe e uma versão scFv murina similar ao anticorpo original. Posteriormente, essas versões foram transferidas para o vetor de expressão em células de mamíferos pCOMIRES∆600. Esse vetor possui os genes que codificam os domínios CH2 e CH3 do fragmento cristalizável de imunoglobulina humana IgG, de forma que a proteína liberada pela célula de mamífero corresponda ao fragmento FvFc do anticorpo. Após a finalização das etapas de clonagens, as células CHO-K1 foram utilizadas como sistema de expressão e produção de anticorpos. Essas células foram mantidas na presença do antibiótico geneticina para a seleção da população mista de células CHO-K1 produtoras dos FvFcs recombinantes. Os sobrenadantes de cultura foram avaliados quanto á presença de FvFc por meio de imunodetecção ELISA. Posteriormente, foram submetidos a uma cromatografia de afinidade, utilizando a coluna HITRAP protein A HP. Após a purificação as frações coletadas da coluna, foram analisadas quanto ao grau de pureza destes fragmentos por meio do gel SDS-PAGE e Wersten-Blot. Com esses resultados foi possível realizar análises da capacidade de ligação das proteínas recombinantes por meio de citometria de fluxo. Os resultados também sugerem que é possível propor avaliações das proteínas recombinantes quanto à estabilidade conformacional, e em relação as funções efetoras realizadas pelo rituximabe. ______________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / In 1997 was approved specifically for treating patients with low-grade NHL (follicular) or aggressive follicular non-Hodgkin lymphomas, anti-CD20 recombinant antibody: Rituximab (MabThera, Rituxan). This antibody causes a selective and transient depletion of both subpopulations of CD20 positive, normal or malignant, within key steps of B cell ontogeny This study aimed to expression, production and purification of antibody fragments in the form FvFc specific to human CD20 antigen, using Chinese hamster ovary cells version K1 (CHO-K1). Two versions of humanized scFvs were selected, containing the CDRs of the chimeric monoclonal antibody Rituximab and a scFv version similar to the original murine antibody. Subsequently, these versions were transferred to the expression vector into mammalian cells pCOMIRES∆600. This vector has the gene encoding the CH2 and CH3 domains of the crystallizable fragment of human immunoglobulin IgG, so that the protein released from the mammalian cell FvFc corresponds to the fragment of the antibody. After completion of cloning steps, the CHO-K1 cells were used as expression system and production of antibodies. These cells were maintained in the presence of the antibiotic geneticin for selecting the mixed population of CHO-K1 cells producing the recombinant FvFcs. The culture supernatants were evaluated for the presence of FvFc by immunodetection ELISA. Subsequently, they were subjected to affinity chromatography using a HiTrap Protein A HP column. After purification the fractions collected from the column were analyzed for purity of these fragments by means of SDS-PAGE and gel blot Wersten. With these results it was possible to perform analyzes of the binding capacity of the recombinant proteins by flow cytometry. The results also suggest that it is possible to propose reviews of recombinant proteins for the conformational stability, and for the effector functions performed by rituximab.
2

Fatores envolvidos na refratariedade do linfoma de Hodgkin clássico ao tratamento inicial com o esquema ABVD, no Ceará-Brasil / Involved factors in the refractoriness of the classical Hodgkin’s lymphoma to the initial treatment with ABVD, in Ceará – Brazil

Giesta, Rogério Pinto January 2006 (has links)
GIESTA, Rogério Pinto. Fatores envolvidos na refratariedade do linfoma de Hodgkin clássico ao tratamento inicial com o esquema ABVD, no Ceará-Brasil. 2006. 77 f. Dissertação (Mestrado em Patologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2006. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-01-02T12:21:59Z No. of bitstreams: 1 2006_dis_rpgiesta.pdf: 988079 bytes, checksum: 06373daf7aec4bab0e2320bbcce31198 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-02-02T16:22:22Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2006_dis_rpgiesta.pdf: 988079 bytes, checksum: 06373daf7aec4bab0e2320bbcce31198 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-02-02T16:22:22Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2006_dis_rpgiesta.pdf: 988079 bytes, checksum: 06373daf7aec4bab0e2320bbcce31198 (MD5) Previous issue date: 2006 / O linfoma de Hodgkin (LH) é uma doença linfoproliferativa maligna caracterizada morfologicamente pela presença da célula de Reed-Sternberg imersa em um substrato celular inflamatório. A célula RS é essencial para o diagnóstico histopatológico do LH, porém não é patognomônica. A etiologia dessa doença ainda é controversa, sendo provavelmente derivada de linfócitos B. A imunohistoquímica tem valor no diagnóstico do LH e na distinção de outras desordens linfoproliferativas com células RS símile. Neste trabalho, tem-se como objetivo analisar os fatores envolvidos na refratariedade do linfoma de Hodgkin clássico (LHc) ao tratamento poliquimioterápico inicial com o esquema ABVD (Doxrubicina, Bleomicina, Vinblastina e Dacarbazina) em relação aos marcadores imunológicos CD 15 e CD 20, a dados epidemiológicos dos pacientes e a exames complementares. Também se tem como objetivo descrever a distribuição dos casos de acordo com as variáveis de sexo, idade, subtipo histológico, estádio clínico da doença ao diagnóstico e presença de sintomas B; classificar os pacientes quanto à presença dos marcadores imunológicos CD 15, CD 20 e CD 30, além de descrever a porcentagem de pacientes com infiltração da medula óssea pelo linfoma, a porcentagem de pacientes refratários ao tratamento inicial com o esquema ABVD e a porcentagem de recidiva do LHc. Este trabalho consiste em uma análise estatística retrospectiva e prospectiva dos pacientes com LHc com diagnóstico histopatológico firmado entre janeiro de 2000 e dezembro de 2004. A análise foi retrospectiva de janeiro de 2000 a dezembro de 2003, e prospectiva de janeiro de 2004 a dezembro de 2005, quando se parou o acompanhamento. Foram relacionados todos os 143 pacientes com diagnóstico histopatológico de LHc que iniciaram acompanhamento no Hospital Universitário Walter Cantídio ou no Instituto do Câncer do Ceará, entre janeiro de 2000 e dezembro de 2004. Quarenta e seis pacientes foram excluídos da pesquisa. Um total de 97 pacientes permaneceu na pesquisa, sendo que destes 51 (52,6%) eram do sexo feminino e 46 pacientes (47,4%) eram do sexo masculino. A idade dos pacientes, ao diagnóstico, variou de cinco anos a 76 anos, com mediana de 24 anos. Verificou-se apenas um pico de incidência, o qual ocorreu entre 10 e 39 anos, com 78 pacientes (80,4%). Quanto ao subtipo histológico, 65 pacientes (67,0%) eram portadores de LHc subtipo esclerose nodular, 21 pacientes (21,6%) apresentaram o subtipo celularidade mista, cinco pacientes (5,2%) apresentaram o subtipo rico em linfócitos, quatro pacientes (4,1%) apresentaram o subtipo depleção linfocítica e dois pacientes (2,1%) apresentaram o subtipo interfolicular. Sete pacientes (7,2%) apresentavam-se, ao diagnóstico, em estádio clínico I da classificação de Cotswolds, 43 pacientes (44,3%) apresentavam-se em estádio clínico II, 23 pacientes (23,7%) em estádio clínico III e 24 pacientes (24,8%) em estádio clínico IV. Sintomas B estavam presentes em 63 pacientes (64,9%) e ausentes em 34 pacientes (35,1%). Onze pacientes (11,3%) apresentaram infiltração da medula óssea, ao diagnóstico. A prevalência do marcador CD 15 foi de 81,4% (79 pacientes), do CD 20 foi de 38,1% (37 pacientes) e do CD 30 foi de 100,0% (97 pacientes). Vinte e seis pacientes (26,8%) foram refratários ao tratamento inicial com o esquema ABVD. Em seis (8,5%) dos 71 pacientes que atingiram remissão completa, ocorreu recidiva do linfoma. Treze pacientes (13,4%) foram a óbito durante o período de acompanhamento. O tempo de acompanhamento dos pacientes variou de um dia a 68 meses, com tempo médio de acompanhamento igual a 32,5 meses. O tempo livre de doença variou de zero a 60 meses, com mediana de 17,5 meses. A análise do prognóstico do LHc quanto a refratariedade ao tratamento inicial com o esquema poliquimioterápico ABVD foi realizada avaliando o sexo do paciente, a idade do paciente (<50 anos x ≥50 anos), a classificação histológica do linfoma, a positividade do marcador imunológico CD 15 e do CD 20, o estádio clínico da doença (graus I e II x graus III e IV), a presença de sintomas B, o hematócrito (<42% x ≥42% em homens e <37% x ≥37% em mulheres), a hemoglobina (<13 mg/dL x ≥13 mg/dL em homens e <12 mg/dL x ≥12 mg/dL em mulheres), o tempo livre de doença, a leucometria, a linfometria, a plaquetometria, o valor do VHS, o valor da glicemia sérica de jejum, o valor da fosfatase alcalina sérica, o valor do LDH sérico e a presença de biópsia de medula óssea infiltrada pelo linfoma. Na análise bivariada a presença do CD 20 positivo, a presença de sintomas B e a elevação do valor da desidrogenase lática apresentaram relação de pior prognóstico no que se refere a refratariedade, com p<0,05. Em uma análise multivariada tipo regressão logística envolvendo todas as variáveis que apresentaram p<0,2 na análise bivariada, a presença do marcador CD 20 positivo aumentou a chance de refratariedade em 3,60 vezes e a presença de sintomas B aumentou a chance de refratariedade em 5,41 vezes, refletindo um pior prognóstico no que se refere a refratariedade do LHc ao tratamento inicial com o esquema ABVD.
3

Imunoperoxidase nos linfomas não hodgkin diagnosticados na Universidade Estadual de Campinas.

Aranha, Francisco Jose Penteado 19 July 2018 (has links)
Orientador: Jose Vassallo / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-19T18:15:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Aranha_FranciscoJosePenteado_M.pdf: 2465435 bytes, checksum: 817fa99d791a5717b042de699bfe775a (MD5) Previous issue date: 1995 / Resumo: Os linfomas não-Hodgkin englobam um conjunto de entidades nosológicas que apresentam características comuns quanto à clínica e à histologia, sendo genericamente divididos em alto e baixo graus de malignidade. Um grande problema tem sido a sistematização dos vários subtipos histológicos dos linfomas não-Hodgkin, tendo-se chegado a uma classificação mais adequada na década de 70, à luz dos novos conhecimentos da imunologia e melhor compreensão da fisiopatologia dos mesmos. Entre todas, escolhemos neste trabalho a classificação de Kiel, que está de acordo com os novos conceitos imunológicos, relaciona melhor os linfomas não-Hodgkin com a ontogenia dos linfócitos, apresenta uma boa reprodutibilidade entre os hemopatologistas, e apresenta tambémboa correlação clínica. Estudamos 89 casos de linfomas não-Hodgkin diagnosticados no Departamento de Anatomia Patológica da UNICAMP, entre os anos de 1978-1986. Ao todo, diagnosticamos, utilizando a morfologia tradicional adicionada à imuno-histoquímica, 72 casos (80,9%) como linfoma não-Hodgkin de origem B, 12 casos (13,5%) como linfoma não-Hodgkin T. Cinco casos (5,6%) de linfoma linfoblástico não puderam ser classificados como linfoma não-Hodgkin B ou T e foram considerados como indeterminados. Em 63 casos (71%) realizamos o estudo imuno-histoquímico com os anticorpos monoclonais L-26 (CD20) e UCHL-l (CD45RO), respecti~amente pan B e pan T. Com anticorpo monocional pan B, obtivemos 46 caSbs positivos (73%), com anticorpo monoclonal UCHL-lseis casos positivos (9,5%). Em 11 casos (17,5%) não obtivemos nenhuma reação. Com o acréscimo da reação de imunoperoxidase às colorações habituais dos laboratórios de patologia, conseguimos definir a origem celular do linfoma não-Hodgkin em onze casos (12,7%), onde a impressão morfológica não fora suficiente. Os subtipos histológicos e imunofenotípicos de linfomas não-Hodgkin de nossa casuística equivalem, globalmente, aos dados dos países do 10 mundo. Além do mais, mesmo a utilização de um painel imuno-histoquímico reduzido permitiu a fenotipagem de grande parte dos casos / Abstract: The non-Hodgkin lymphomas belong to a group of nosologic entities which present ordinary characteristics in relation to both clinical and histology, being in general divided into high and low levels of malignity. The systematization of the many subtypes of the non-Hodgkin lymphomas has been a great problem. Only in the 70's, in the light of the immunological knowledge and due to a better understanding of their physiopathology, a more adequate classification was reached. Among all, Kiel classification was chosen, since it is in accordance of relationship between the non-Hodgkin lymphomas with the lymphocyte ontogenesis, as it presents a good receptivity among hemopathologists as well as presenting a good clinical correlation. Eighty nine cases ofnon-Hodgkin lymphomas which were diagnosed at the Pathological Anatomy Department at UNICAMP, from 1978 to 1986 were studied. Only through the use oftraditional morphology, 72 cases (80,9%) as non-Hodgkin lymphomas ofB-cell origin and 12 cases (13,5%) as non-Hodgkin T-celllymphomas. Five cases (5,6%) of lymphoblastic lymphoma could not be classified as non-Hodgkin lymphoma neither as B nor as T and were considered indeterminate. In 63 cases (71%) the immuno-histochemical study with monoclonal antibodies L26 (CD 20) and UCHL-i (CD45RO), pan B and pan T, respectively, was carried out: with the monoclonal antibodies pan B 46 positive cases (73%) were Gbtained; with the monoclonal UCHL-l antibodies 6 positives cases were established; 11 cases (17,5%) presented no reaction. With addition of immunoperoxydase reaction to the usual coloration of Pathology laboratory it was possible to define the cellular origin of the non-Hodgkin lymphoma in 11 cases (12,7%), where the morphological impression proved to be insufficient. The histologycal and immunophenotypic subtypes of non-Hodgkin lymphomas in our registered cases are globally equivalent to the first world countries findings. Furthermore, even the utilization of a reduced immuno-histochemical panel allowed the classification of phenotypes in the great majority of the cases / Mestrado / Mestre em Clinica Medica
4

Infiltrações linfocitarias da pele : correlação clinico-patologica com subtipagem imuno-histoquimica de linfocitos T

Cotta, Ana Cristina da Silva 30 January 2002 (has links)
Orientadores : Jose Vassallo, Maria Leticia Cintra / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-01T18:39:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Cotta_AnaCristinadaSilva_M.pdf: 13103741 bytes, checksum: f9c0680872a7d4c1459df620face7d4c (MD5) Previous issue date: 2002 / Resumo: As infiltrações linfocitárias inespecíficas constituem grande desafio na prática diagnóstica diária de patologistas, pois não existem sinais morfológicos patognomônicos para o diagnóstico diferencial entre infiltrações benignas e malignas. Foi realizado estudo retrospectivo em material de arquivo com seleção de 28 casos que se apresentaram como infiltrações linfocitárias. Dezoito variáveis histológicas e o perfil imuno-fenotípico para os marcadores linfóides CD4, CD8, CD3, CD30 e CD20 foram analisados e comparados à evolução clínica observada no seguimento. Os diagnósticos mais comuns entre os casos selecionados foram: micose fungóide (8 casos) e farmacodermia (5 casos). Nenhuma variável morfológica isolada foi capaz de discriminar os grupos benigno e linfoma, exceto pela presença dos microabscessos de Pautrier-Darier, presentes, apenas, em 37,5% dos pacientes portadores de micose fungóide (p=O,O15).O padrão de infiltração superficial e profunda (p=O,O37)bem como a presença de eosinófilos proeminentes no infiltrado (p=O,O21)foram menos freqüentes em pacientes portadores de micose fungóide. A subtipagem imuno-histoquímica de linfócitos T aplicada a material emblocado em parafina também não foi capaz de discriminar os grupos. Informação clínica e seguimento permanecem os parâmetros mais fidedignos para predição do comportamento clínico das infiltrações linfocitárias cutâneas iniciais / Abstract: Non-specific lymphoid infiltrates of the skin pose difticulties on daily practice of general pathologists and dermatopathologists as pathognomonic morphologic signs for the differential diagnosis between benign and malignant infiltrates are still lacking. Methods: A retrospective study was performed on 28 difficult cases selected ITomfiles presenting as lymphoid infiltrates. Eighteen histologic variables and the immunophenotypic profile using CD4, CD8, CD3, CD20, CD30 lymphoid markers were assessed and compared to subsequent follow-up. Results: Most common diagnosis in the selected group were: mycosis fungoides - initial (8 cases) and drug reactions (5 cases). Isolated morphologic variables did not discriminate benign and malignant infiltrates except for the presence ofPautrier's microabscesses, which were found only in mycosis fungoides (p=O.O15).The pattem of superficial and deep infiltration (p=O.O37)as well as the presence of eosinophils (p=O.O21) were more ITequent in benign lymphoid infiltrates. Immunohistochemical profile of T-cell subsets was used on archival tissue, but was not able to discriminate between benign and malignant processes either. Conclusion: Clinical information and follow-up remain the most reliable factors on evaluating outcome of initial dermallymphoid infiltrates / Mestrado / Anatomia Patologica / Mestre em Ciências Médicas
5

Caracteristicas do linfoma nasal de celulas T/NK entre brasileiros

Kulka, Ana Claudia Penteado Barbosa 19 June 2002 (has links)
Orientador : Albina Messias Altemani / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-08-02T04:44:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Kulka_AnaClaudiaPenteadoBarbosa_M.pdf: 7325894 bytes, checksum: a9eb3d975e43a8ba2be504ee55bb51a3 (MD5) Previous issue date: 2002 / Resumo: Os linfomas de células T/NK são altamente associados ao EBV e mais freqüentes na Ásia do que no Ocidente. Na América Central e do Sul há raros estudos sobre o linfoma TINK, os quais mostraram predominância acentuada deste fenótipo nos descendentes dos ameríndios, favorecendo a hipótese da predisposição racial para a doença. O presente trabalho estuda 25 linfomas não Hodgkin, que comprometiam a região medial da face. O linfoma de células T/NK (16/25) foi mais freqüentemente encontrado do que o linfoma de células B (9 casos, todos de grandes células B) e ocorreu predominantemente na cavidade nasal. Na análise imunoistoquímica, os linfomas de células T/NK foram positivos para CD3 e CD56 e apresentavam numerosas células linfóides EBER - 1 positivas. Embora a doença estivesse localizada em 61% dos casos no momento do diagnóstico, não foi observada nenhuma tendência para cura. A distribuição racial dos pacientes com linfoma de células T/NK foi semelhante àquela encontrada no linfoma de células B. Linfócitos EBV positivos foram encontrados mais freqüentemente na adenóide do que na amígdala, enquanto que as lesões inflamatórias do palato e nariz foram negativas. Na nossa amostra a freqüência relativa de linfoma sinonasal de células T/NK versus células B foi alta e semelhante àquela observada em outros países da América Latina. Entretanto, não encontramos qualquer associação racial com o fenótipo T/NK e o tumor apresentou comportamento agressivo semelhante ao que é descrito na Ásia. A alta freqüência de linfócitos EBV positivos no tecido linfóide da nasofaringe (adenóide) sugere que este tecido poderia servir de reservatório para o vírus / Abstract: Nasal TINK.-cell lymphomas are highly associated with Epstein-Barr virus (EBV). They are more frequent in Asia than in Westem countries. In Central and 80uth America there are few studies about nasal TINK.-celllymphoma and they have shown a strong predominance of this phenotype in Native American descents, supporting the hypothesis of a racial predisposition for the disease. We studied the lymphomas involving midline facial region at a brazilian institution. TINK. cell lymphomas (16/25) were more frequently found compared to B lymphomas (9 cases, all B large cell). TINK cell lymphomas involved predominantly the nasal region. Histologically they showed angioinvasion and necrosis. All of them were positive for CD3 and CD56 and showed umerous tumor cells labelled by EBER-l. Although disease was localized in 61% at diagnosis, there was no tendency to c~e. The racial distribution ofpatients with TINK-cell phenotype was similar to that found in B-celllymphomas. EBV was more frequently found in adenoids than in palatine tonsils. In inflammatory lesions ofthe nasal and palatal regions EBV was not found. In the present study the relative frequency of TINK versus B cell sinonasal lymphomas was high and similar to that observed in other Latin American countries. However, there was not any racial association with TINK-cell phenotype and the tumor showed an agressive behavior similar to that reported in Asia. The high frequency of EBV-positive lymphocytes in nasopharyngeal lymphoid tissue (adenoids) suggests that they could serve as a reservoir for the virus / Mestrado / Mestre em Ciências Médicas
6

Evaluation of acetylated histones 3 and 4 and histone deacetylases 1, 2 and 6 in cutaneous T-cell lymphoma in dogs /

Matiz, Oscar Rodrigo Sierra January 2019 (has links)
Orientador: Mirela Tinucci Costa / Resumo: - Cutaneous lymphoma constitutes a form of extranodal lymphoma that affects initially the skin and/or adnexal structures and eventually presents an aggressive clinical behavior, causing internal organ infiltration in late-stage disease. The main immunophenotype is T-cell lymphoma (CTCL) and it represents the most common diagnosed type. It is expected that dogs with CTCL develop resistance to chemotherapy at any point during treatment, resulting in short survival times. A need for new therapeutic targets that improve survival expectation in dogs with CTCL is increasing. In humans, therapies based on epigenetic mechanisms helped to control the disease, since epigenetics became a main objective in the search for longer clinical responses in advance-stages. In the first two reported chapters, CTCL is described with particularities of international literature that contrast with data found in this institution, as well as, the role of epigenetics in the neoplasia carcinogenesis and the mechanism of histone modification as a base for treatment. More specifically, in the second chapter, 21 dogs with CTCL were defined as having high grade CTCL due to their large cell size, absence of epithelial tropism, mean value of Ki67 of 63,9% and estimated survival time of 31 days. Clinicopathological characteristics were analyzed for identifying prognostic markers, being the intrathoracic involvement caused by lymphoma seen on thoracic radiography an independent prognostic factor after multivaria... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Doutor
7

Células T reguladoras em cães com linfoma multicêntrico : quantificação, em sangue periférico, no momento do diagnóstico e após a etapa inicial do tratamento quimioterápico /

Munhoz, Thiago Demarchi. January 2013 (has links)
Orientador: Mirela Tinucci Costa / Banca: Helio José Montassier / Banca: Silvia Regina Ricci Lucas / Banca: Felipe Augusto Ruiz Sueiro / Banca: Sabryna Gouveia Calazans / Resumo: O linfoma é a neoplasia hematopoiética mais comum nos cães e uma das mais frequentes, dentre todas as neoplasias, nesta espécie. Apresenta-se em diversas localizações anatômicas e pode apresentar classificações histológicas e imunofenotipos distintos. Dependendo da resposta imune do paciente frente à instalação de um tumor, algumas informações sobre o prognóstico podem ser obtidas. Atualmente, as células T reguladoras (Tregs) vêm sendo estudadas em algumas neoplasias caninas, por seu comprovado potencial imunossupressor, principalmente por inibir a resposta antitumoral. Neste contexto, o presente trabalho teve como objetivos quantificar, por citometria de fluxo, as células Tregs em sangue periférico de cães com linfoma multicêntrico de imunofenótipos B e T, respectivamente 14 e 8 cães, no momento do diagnóstico e após o primeiro ciclo de quimioterapia antineoplásica com o protocolo Madison-Wisconsin (MW) de 19 semanas adaptado, e comparar com cães saudáveis (n=10), buscando quantificá-las em cães com linfoma de diferentes imunofenótipos antes e após a 5ª semana do protocolo MW. Os resultados mostraram que cães com linfoma apresentaram uma porcentagem significativamente maior de Tregs (18,84±2,56) quando comparada aos cães sem neoplasia (4,70±0,50) (p<0,01). Além disso, após a 5ª semana de tratamento houve uma significante redução da população de Tregs (7,54±1,08), atingindo valores semelhantes a dos cães controle (4,70±0,50) (p>0,05). Não houve diferença nas Tregs em relação aos imunofenotipos B (17,45±2,77) e T (21,27±5,27) (p>0,05). Concluiu-se que o linfoma em cães leva a um aumento de células Tregs e que o tratamento com o protocolo quimioterápico MW reduz significativamente as células Tregs em sangue periférico, atingindo valores próximos aos dos cães saudáveis / Abstract: Lymphoma is the most common hematopoietic malignancy in dogs and one of the most frequent among all neoplastic diseases in this species. It can occur in several anatomical locations with distinct histological and immunophenotypes. Depending on the host immune response towards the tumor, prognosis information could be collected. Because its well established immunosuppressant, antitumor activity, the function of regulatory T cells (Tregs) in canine neoplasias has been investigated. In this study, we sought to quantify, using flow cytometry, the Tregs subpopulation in peripheral blood of healthy dogs (10) and in those diagnosed with type-B (14) and type-T (8) multicentric lymphoma before (at diagnosis) and after the first cycle (5-week) of 19-week Madison- Wisconsin (MW) protocol of chemotherapy. Our results indicated that dogs with lymphoma showed higher percentage of Tregs (18,84±2,56) when compared to healthy dogs (4,70±0,50) (p<0,01). In addition, 5-week chemotherapy treatment reduced the Tregs subpopulation (7,54±1,08) to levels similar to control (4,70±0,50) (p>0,05). There was no difference in Tregs percentage between B-type (17,45±2,77) and T-type (21,27±5,27) lymphoma (p>0,05). With this, we conclude that canine lymphoma increases Tregs in the peripheral blood and the MW protocol of chemotherapy reduces this cell subpopulation to control values / Doutor
8

Perfil dos pacientes com leucemia linfocítica aguda e linfoma não-Hodgkin em um hospital público pediátrico do Ceará / Profile of patients with acute lymphocytic leukemia and non-Hodgkin lymphoma in a public hospital pediatric Ceara

Sousa, Socorro Maria Pedro de January 2007 (has links)
SOUSA, Socorro Maria Pedro de. Perfil dos pacientes com leucemia linfocítica aguda e linfoma não-Hodgkin em um hospital público pediátrico do Ceará. 2007. 125 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2007. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2013-01-07T12:36:10Z No. of bitstreams: 1 2007_dis_smpsousa.pdf: 5640402 bytes, checksum: 7ac2b3d055c9124bf1af38854e41a087 (MD5) / Approved for entry into archive by Erika Fernandes(erikaleitefernandes@gmail.com) on 2013-01-23T11:39:19Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2007_dis_smpsousa.pdf: 5640402 bytes, checksum: 7ac2b3d055c9124bf1af38854e41a087 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-01-23T11:39:19Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2007_dis_smpsousa.pdf: 5640402 bytes, checksum: 7ac2b3d055c9124bf1af38854e41a087 (MD5) Previous issue date: 2007 / The Acute Lymphocytic Leukemia (ALL) and the Non-Hodgkin Lymphoma (NHL) are among the most frequent types of cancer in children. The prevention and control of the cancer must be prioritized, in view of its high prevalence and increasing relevance as cause of death in many countries, beyond the great sum of consumed financial resources. The Brazilian northeast is poor in epidemiological studies about cancer in the children. The objective of this paper was to set the profile of the patients with LLA and LNH admitted in the Hospital Infantil Albert Sabin between 2001 and 2005. Observational descriptive and retrospective study. 325 medical registers (254 cases of LLA and 71 of LNH) of patients among 0 and 18 years and 11 months had been revised. The data had been inserted in data bases of the programs SPSS 14.0, Epi 3.3.2 Info and Microsoft Excel 2007. A Z-score cut-off point of <-2 SD was used to classify the malnutrition. The Fisher’s Exact Test, Qui-square, Student (t), Mann-Whitney, Shapiro-Wilk, Levene, Log-rank, Cox regression and Kaplan Meier Survival Probability Estimates were used in the statistical analyses. The level of significance was p<0,05. The population of this study was predominantly male (63.4%), 02 to 06 years age-group (49.8%), non-white (62.5%), from the capital and metropolitan region (56.9%) and with prognostic of high risk (59.1%). 38.3% died. The main clinical manifestations had been fever, anaemia, loss of weight and fatigue in the LLA cases; and fever, anaemia, palpable tumor mass and abdominal pain in the LNH cases. The mean duration time of the complaints was 3.9 months. Children with 0 to 1 and 13 to 18 years had presented worse prognosis. The color of the skin, the prognosis, the treatment protocol and the initial clinical manifestations (fever, fatigue and vomit) had shown significant association in relation to the deaths. The therapeutical protocols more used were adapted of the LLA 93 and LNH 95. 31% of the patients in use of LLA 93 and 49.2% in use of LNH 95 died. The largest percent of deaths were in the group of high risk (56.94%) and in the induction phase (36.11%) of protocol LLA 93. Between the patients of low risk, 39.28% died during the maintenance phase and 17.85% after the end of the protocol. 48.78% of the patients of high risk died during the induction phase. Among the 25 cases that used protocol LNH 95 and died, 4% corresponded to lymphoma of high risk deriving of the cells T and 96% of the cells B. 53.31% (n=15) of the patients with lymphoma of the cells B and intermediate risk to fallen died during the Cycle A of the treatment. Nine patients presented high risk for fallen and 33.34% died in the cytoreduction phase. The malnutrition indices to the LLA patients were of 8.3%, 6.0% and 5.6% and to LNH were 12.3%, 14.1% and 15.9% in relation the weight/height, weight/age and height/age, respectively. Patients with LLA had presented larger deficit in the index weight/height, indicative of a process of acute malnutrition. Larger deficit in the height/age index between the patients with LNH indicates a process of chronic malnutrition. The results about the frequency of these disease, age-group and gender were equivalents to those encountered in the majority of studies. The initial prognosis and the therapeutical protocol indicate an influence on the outcome of the treatment. Other studies are necessary to evaluate the influence of the chemotherapy, color of the skin, nutritional status and other factors on the survival time of the patient with cancer. The professionals of health and the laypeople need to know better and to be intent to the initial clinical manifestations of the neoplasm disease in order to facilitate the precocious diagnosis. / A Leucemia Linfocítica Aguda (LLA) e o Linfoma não-Hodgkin (LNH) estão entre os mais frequentes tipos de neoplasias em crianças. A prevenção e controle do câncer devem ser priorizados, tendo em vista sua alta prevalência e crescente relevância como causa de morte em muitos países, além do grande volume de recursos financeiros consumidos. O nordeste brasileiro é pobre em estudos epidemiológicos sobre o câncer infantil. O objetivo deste estudo foi traçar o perfil dos pacientes portadores de LLA e LNH admitidos no período de 2001 a 2005 no Hospital Infantil Albert Sabin. Estudo observacional, descritivo e retrospectivo. 325 prontuários (254 casos de LLA e 71 de LNH) de pacientes entre 0 e 18 anos e 11 meses foram revisados. Os dados foram inseridos em bancos de dados dos programas SPSS 14.0, Epi Info 3.3.2 e Microsoft Excel 2007. O ponto de corte para desnutrição foi o escore Z igual a -2 desvios-padrão. Na análise estatística foram utilizados o teste exato de Fisher, Qui-quadrado, Student (t), Mann-Whitney, Shapiro-Wilk, Levene, Log-rank, modelo de regressão de Cox e método de Kaplan Meier para análise de sobrevida. O nível de significância foi p<0,05. A população deste estudo constituiu-se predominantemente por pacientes do sexo masculino (63,4%), faixa etária de 02 a 06 anos (49,8%), cor não-branca (62,5%); provenientes da capital e região metropolitana (56,9%) e com prognóstico de alto risco (59,1%). 38,3% evoluíram a óbito. As principais manifestações clínicas iniciais foram febre, anemia, emagrecimento e cansaço nos casos de LLA; e febre, massa tumoral palpável, anemia e dor abdominal nos casos de LNH. O tempo médio de duração das queixas foi de 3,9 meses. Crianças de 0-1 e de 13-18 anos apresentaram pior prognóstico. A cor da pele, o prognóstico, o protocolo de tratamento e os sintomas/sinais iniciais febre, cansaço e vômito mostraram associação significativa em relação aos óbitos. Os protocolos terapêuticos mais utilizados foram adaptados do LLA 93 e LNH 95. 31% dos pacientes em uso do LLA 93 e 49,2% em uso do LNH 95 evoluíram a óbito. Maior percentual de óbito ocorreu no grupo de alto risco (56,94%) e durante a fase de indução (36,11%) do protocolo LLA 93. Entre os pacientes de baixo risco, 39,28% faleceram durante a fase de manutenção e 17,85% após o fim do protocolo. 48,78% dos pacientes de alto risco faleceram durante a fase de indução. Entre os 25 casos que utilizavam o protocolo LNH 95 e faleceram, 4% correspondiam a Linfoma de alto risco oriundos de células T e 96% de células B. 53,31% (n=15) dos pacientes com Linfoma de células B e risco intermediário para recaída faleceram durante o Ciclo A do tratamento. Nove pacientes apresentavam alto risco para recaída e 33,34% faleceram na fase de Citorredução. O índice de desnutrição para os pacientes com LLA foi de 8,3%, 6,0% e 5,6% e para LNH foi 12,3%, 14,1% e 15,9% em relação a peso/estatura, peso/idade e estatura/idade, respectivamente. Pacientes com LLA apresentaram déficit maior no índice peso/estatura, indicativo de um processo de desnutrição aguda. Maior déficit no índice estatura/idade entre os pacientes com LNH indica um processo de desnutrição crônica. Os resultados acerca da frequência dessas patologias, faixa etária e sexo foram equivalentes aos encontrados na maioria dos estudos. O prognóstico inicial e o protocolo terapêutico indicam uma possível influência sobre o desfecho do tratamento. Estudos adicionais são necessários para avaliar a influência da quimioterapia, cor da pele, estado nutricional e outros fatores sobre o tempo de sobrevida do paciente com câncer. Os profissionais de saúde e a população leiga precisam conhecer melhor e estar atentos às manifestações clínicas iniciais das neoplasias a fim de facilitar o diagnóstico precoce.
9

Prevalência da infecção pelo vírus C em pacientes, com linfoma não-Hodgkin tipo-B, atendidos no serviço de oncologia do Hospital das Clínicas - UFPE, no período de 2003-2004

Iran Costa Júnior, José January 2005 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T18:29:41Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo8032_1.pdf: 3953381 bytes, checksum: 360354bef4388c438bbaf203921213fe (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2005 / A infecção pelo Vírus da hepatite C (HCV) é um grave problema de saúde pública que atinge de 3% a 5% da população mundial, provocando hepatite crônica, cirrose hepática e hepatocarcinoma. Estudos oriundos da Itália, da Espanha e do Japão têm documentado haver associação entre o HCV e o desenvolvimento de doenças linfoproliferativas. Já é aceito pela comunidade científica o fato de haver uma associação entre a infecção pelo HCV e o desenvolvimento da crioglobulinemia mista essencial (que é uma proliferação de linfócitos B). E ainda há certo receio em acreditar que o HCV esteja diretamente envolvido na patogênese de alguns linfomas. Com o objetivo de avaliar a prevalência do HCV em pacientes com linfoma não-Hodgkin tipo-B, atendidos no Hospital das Clínicas UFPE, no período de janeiro de 2003 até dezembro de 2004, foram avaliados 178 pacientes com câncer divididos em dois grupos. O Grupo 1, foi constituído por 59 pacientes novos com linfoma não-Hodgkin tipo-B, e o grupo 2, por 119 pacientes com tumores sólidos (tumores não-hematológicos). Foram excluídos pacientes com sorologia positiva para HIV. A sorologia para HCV foi realizada pela técnica de ELISA de terceira geração. A prevalência do HCV em pacientes com linfoma não-Hodgkin tipo-B foi de 6,7%. Com um risco atribuído ao HCV estimado em 2,52 (CI95%= 1,54 4,11; p= 0,043). A freqüência do HCV em pacientes com tumores sólidos foi de 0,8% (razão de prevalência de 0,29; CI95%= 0,05 -1,70; p= 0,048). A freqüência do HIV em pacientes com LNH e tumores não-hematológico foi, respectivamente, de 1,6% e 2,5%. Este estudo mostrou uma maior freqüência da infecção pelo HCV em pacientes com linfoma não-Hodgkin tipo-B quando comparado com pacientes com tumores sólidos não-hematológico
10

Distribuição do colágeno e dos fibroblastos associados ao câncer nos linfomas caninos

Silva, Maria Claudia Lopes da. January 2018 (has links)
Orientador: Julio Lopes Sequeira / Resumo: A interação entre células neoplásicas e estroma influencia na gênese, amplificação/ inibição tumoral e cinética das drogas antineoplásicas. O fator de crescimento do endotélio vascular (VEGF) é uma citocina envolvida na angiogênese tumoral, relacionada a sobrevida dos pacientes. Dentre os componentes celulares, os fibroblastos associados ao câncer têm papel fundamental na progressão tumoral e secretam diversas citocinas, incluindo o VEGF. Assim, os objetivos deste trabalho foram caracterizar a distribuição, arranjo e quantidade das fibras de colágeno e reticulina no estroma dos linfomas caninos através dos métodos de Picrosirius Red e reticulina, avaliação imuno-histoquímica dos colágenos tipo I e III, do VEGF e α-SMA. Sessenta linfomas foram agrupados de acordo com o imunofenótipo e grau. O colágeno tipo III foi o predominante. As porcentagens e escores de marcação da reticulina, colágeno e VEGF foram diferentes entre os grupos e imunofenótipos, sendo que o linfoma T de alto grau exibiu os maiores níveis tanto de colágeno, reticulina e VEGF. Houve correlação entre expressão de VEGF e índice proliferativo. A expressão de α-SMA foi semelhante entre os grupos, imunofenótipos e graus. Como conclusão, a maior densidade de componentes fibrosos e níveis de expressão de VEGF nos linfomas T poderia, ao menos em parte, contribuir para o pior prognóstico apresentado por pacientes com esse tipo de tumor. Ainda, o VEGF tem potencial como marcador prognóstico no linfoma canino e o uso de ... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Neoplastic cells interaction with stroma influences tumorigenesis, amplification or inhibition of tumor progression and anticancer drugs kinetics. Vascular endothelial growth factor (VEGF) is a crucial cytokine implicated in tumoral angiogenesis and survival and among cellular components cancer associated fibroblasts play a role on tumour progression, secreting various cytokines, including VEGF. Therefore, the aim of this study was to characterize fibres distribution, arrangement and amount on stroma evaluated in Picrosirius Red and reticulin stained slides as well as in type I and III immunolabelled sections of canine lymphoma, in addition to the immunoexpression of VEGF and α-SMA on neoplastic lymphoma cells and stroma, respectively. Sixty lymphomas were divided into four groups according to immunophenotype and grade. Type III was the preponderant collagen. Staining percentage and scores of reticulin and collagen, as well as scores of VEGF immunolabelling, were significantly different between groups and immunophenotypes, with high-grade T-cell lymphomas exhibiting the largest quantities. Additionally, VEGF was positively correlated with proliferation index. There was no difference regarding α-SMA expression within groups, immunophenotypes or grades. In conclusion, the greater density of fibrous components on T-cell lymphomas, combined with bigger VEGF levels, could, at least partially, explain the poorer prognosis for patients presenting those tumours. Furthermore, VEGF has... (Complete abstract click electronic access below) / Doutor

Page generated in 0.0953 seconds