• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 26
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 26
  • 26
  • 19
  • 18
  • 6
  • 6
  • 6
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

“Um longo arabesco” : corpo, subjetividade e transnacionalismo a partir da dança do ventre

Salgueiro, Roberta da Rocha 05 1900 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Departamento de Antropologia, Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, 2012. / Submitted by Elna Araújo (elna@bce.unb.br) on 2012-09-18T23:34:57Z No. of bitstreams: 1 2012_RobertadaRochaSalgueiro.pdf: 4393658 bytes, checksum: 73890ab73c5c354dabb2bbce12e31394 (MD5) / Approved for entry into archive by Leandro Silva Borges(leandroborges@bce.unb.br) on 2012-09-20T19:02:34Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_RobertadaRochaSalgueiro.pdf: 4393658 bytes, checksum: 73890ab73c5c354dabb2bbce12e31394 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-09-20T19:02:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_RobertadaRochaSalgueiro.pdf: 4393658 bytes, checksum: 73890ab73c5c354dabb2bbce12e31394 (MD5) / Esta tese consiste em um estudo etnográfico do processo de transnacionalização da dança do ventre. Essa matriz de movimento é considerada nativa de países de maioria muçulmana, sendo compreendida, assim, como uma tradição de origem árabe. A ampla difusão de sua prática, todavia, garantiu transformações profundas e generalizadas em sua estrutura. A dança do ventre é atualmente praticada como um hobby, uma terapia e uma profissão por mulheres em escala global. Para a compreensão deste fenômeno, fazse necessária a análise dos fluxos culturais e políticos globais. No caso desta dança, consideramos a colonização do Egito primeiramente pelos franceses e posteriormente pela Inglaterra como o marco para sua difusão. A relação entre europeus e a dança em solo egípcio é o foco do primeiro capítulo. O impacto dessa troca cultural na estrutura técnica da dança á abordado no segundo capítulo deste estudo. As especificidades dessa matriz de movimento em solo brasileiro, bem como o modo como a dança é fruida pelas praticantes do Brasil refletem seu processo de transnacionalização em solo europeu e norte-americano. Essa dinâmica é analisada no terceiro capítulo, onde também se discutem aspectos inerentes ao fluxo cultural global, como autenticidade e essencialização da cultura. Enfim, o imaginário sobre a dança e o caráter multicultural e revolucionário dessa matriz de movimento a partir de sua apropriação pelas praticantes são analisados na última unidade dessa tese. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT / This thesis consists in the ethnographic study of the process of transnationalization of the so-called belly dance. This matrix of human movement is considered to be native of countries with a Muslim majority. In this sense, it is understood as a tradition of Arab origin. However, the wide distribution of its practice implied deep and extended transformations in its structure. The belly dance is contemporarily practiced by women, in a global scale, as a hobby, a therapy, and a profession. In order to understand this phenomenon, it is necessary to analyze global cultural and political flows. In the specific case of the belly dance, we took into account the colonization of Egypt, first by the French and later by the British as two landmarks of its diffusion. The first chapter focuses on the relationship between the Europeans and the dance in Egyptian soil. The second chapter deals with the impact of this cultural exchange in the technical structure of the dance itself. The specific traits of this matrix of human movement in Brazilian soil, as well as the way in which the belly dance is enjoyed by its practitioners in Brazil, they all reflect its process of transnationalization in European and American soil. The dynamic aspects of this relationship is analysed in the third chapter, together with a discussion of the inherent aspects of the global cultural flow, such as authenticity and essentialization of culture. Finally, in the fourth chapter of the thesis, the imaginary surrounding the belly dance and the multicultural and revolutionary character of the dance as a unique matrix of human movement are both analysed from the way it is appropriated by its female practitioners.
2

A atividade estética da dança do ventre

Reis, Alice Casanova dos January 2007 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Psicologia / Made available in DSpace on 2012-10-23T15:34:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 244475.pdf: 7092932 bytes, checksum: 1cc0f986686d21c9c6a69c1157889f05 (MD5) / A pesquisa tem como foco a dança do ventre, mais especificamente o modo como essa atividade estética se concretiza. Compreende a dança do ventre como histórica e socialmente constituída, discutindo a questão de gênero ali presente. A partir da perspectiva bakhtiniana, propõe a dança do ventre como processo de enformação estética do corpo por meio do qual a bailarina, ao criar uma dança, recria-se como outra, para um outro, explicando as funções de cada partícipe na tríade constitutiva dessa atividade estética: a bailarina desdobrada em autor que cria e personagem criada e o espectador como co-criador da obra. A partir de entrevista realizada com uma bailarina profissional, analisa-se a dança do ventre como amálgama de relações estéticas, entre as quais se destacam: as relações da bailarina com a técnica, com o corpo, com a música, consigo mesma, com um outro, com o sagrado, com a história, com o gênero. Conclui-se que essas relações compõem um jogo de forças em que a dança se concretiza como um ato estético único, constituído como uma forma de encontro dialógico da bailarina com um outro, mediado pelo corpo. The research has belly dance as its focus, more specifically the way as this aesthetical activity becomes concrete. Belly dance is understood as historically and socially constructed, discussing the problem of gender present on it. From the bakhtinian perspective, this research proposes belly dance as a process of an aesthetical modelling of the body. It happens when the belly dancer recreates herself to another one creating a dance, explaining the functions of each participant in the constructing trinity of this aesthetical activity: the belly dancer transformed in the author who creates, and is also the created character, and the spectator as a co-creator of the work. From the interview made with a professional belly dancer, belly dance is analysed as a mix of aesthetical relations which are: the relations of the belly dancer with the technique, with the body, with the music, with herself, with the participant, with the sacred, with history, with gender. The conclusion is that those relations compose a game of forces in which the dance becomes concrete as a unique aesthetical act, constructed as a form of a dilogical meeting of the belly dancer with the other one, mediated by the body.
3

...5, 6,7, [infinito]...Do oito ao infinito : por uma dança do ventre, performática, híbrida, impertinente

Xavier, Cíntia Nepomuceno 07 August 2006 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Artes, 2006. / Submitted by Fernanda Weschenfelder (nandaweschenfelder@gmail.com) on 2009-10-06T18:42:39Z No. of bitstreams: 1 2006_Cinthia Nepomuceno Xavier.pdf: 2313464 bytes, checksum: 66669bc7b51e9abcd002f56ec0cc7818 (MD5) / Approved for entry into archive by Gomes Neide(nagomes2005@gmail.com) on 2010-10-14T14:04:56Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2006_Cinthia Nepomuceno Xavier.pdf: 2313464 bytes, checksum: 66669bc7b51e9abcd002f56ec0cc7818 (MD5) / Made available in DSpace on 2010-10-14T14:04:56Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2006_Cinthia Nepomuceno Xavier.pdf: 2313464 bytes, checksum: 66669bc7b51e9abcd002f56ec0cc7818 (MD5) Previous issue date: 2006-08-07 / O presente trabalho apresenta a dança do ventre como tema válido para uma pesquisa acadêmica, partindo da constatação de que essa manifestação artística foi pouco estudada nos meios universitários brasileiros, já que não constava de monografias, dissertações ou teses existentes nas principais bibliotecas do país quando iniciei minha investigação. Essa invisibilidade e o silêncio sobre o tema, no meu entender, se devem a um preconceito sobre essa dança e aos equívocos relacionados a sua prática. Devido à escassez de referências bibliográficas sobre a dança do ventre, o primeiro passo dessa pesquisa foi o desenvolvimento de uma metodologia para abordar o tema, apoiada em entrevistas e pesquisa de campo, bem como em dados teóricos disponíveis nos poucos livros encontrados e em páginas eletrônicas publicadas na internet. Essa metodologia teve como suporte a leitura de outros textos escritos por autores como Gaston Bachelard, Antonin Artaud, Gilles Deleuze e Felix Guattari, Michel Foucault, Clifford Geertz, Luigi Pareyson, Homi Bhabha, entre outros. E ainda que tenha havido o apoio nos discursos de alguns teóricos de outras disciplinas, o objetivo foi criar uma metodologia própria para abordar a dança (do ventre), construindo um saber artístico sobre ela, buscando romper com uma tendência parasitária e superficial, muito comum entre os estudiosos das artes em geral. Num primeiro momento faço uma contextualização teórica da dança do ventre na atualidade. Em seguida, localizo as tentativas infrutíferas de se traçar uma história linear que remeta às supostas origens dessa dança e percebo que o panorama onde está inserida se assemelha a um rizoma – termo emprestado da botânica pelos filósofos Gilles Deleuze e Félix Guattari, para desenvolver um conceito de rede conectiva de vários sentidos. Assim, concluo que é mais importante validá-la como prática artística do que reescrever uma história que dê conta do trajeto percorrido por essa dança no oriente e no ocidente. Como um dos resultados desse trabalho está em processo de composição a performance “Impressão Corporal”, com base nas impressões recolhidas durante a pesquisa de campo nas cidades do Cairo e Alexandria, no Egito, em novembro de 2005. A proposta consiste em resignificar a dança do ventre como prática performativa. Dentre as descobertas realizadas no percurso dessa pesquisa, destaco a constatação de que a dança do ventre não é uma prática exclusivamente feminina e que apesar da filtragem sexual que criou a idéia de que seus movimentos não eram adequados ao corpo masculino, a resistência cultural faz com que a prática masculina sobreviva até hoje. Também acredito que essa dança pode auxiliar a ruptura da fragmentação no treinamento de artistas, bem como abrir possibilidades de reflexão sobre arte, corporeidade e nossos próprios limites e preconceitos. Por fim, afirmo que dança do ventre é uma arte híbrida, misturada, o que segundo os conceitos de Homi K. Babha faz com que ela não seja oriental nem ocidental, mas um “além”, que não se encaixaria em nenhuma definição essencialista. / This work presents belly dance as a valid subject for academic research, finding out that this artistic manifestation has been barely studied by brazilian schollars, as I could not find this subject in any academic works when I begun my investigation. This sort of invisibility and the silence surrounding this dance, in my opinion, derive from a prejudice about it and all misunderstandings related to it. As the available bibliography about belly dance was insufficient, the first step I took on this research was to develop a methodology to approach the subject, supported by interviews, fiel research and the available information collected on a few books and websites. Indeed, this methodology was based on texts of Gaston Bachelard, Antonin Artaud, Gilles Deleuze, Felix Guattari, Michel Foucault, Clifford Geertz, Luigi Pareyson, Homi Bhabha, and others. This methodology has been created to build an artistic knowledge about dance and belly dance, instead of thinking about it through the vision and meanings of other fields, as it usually happens when we depend on anthropology or sociology to understand dancing issues, for example. In the beginning of this work I present a theoretical context about belly dance today. After that, I point out that it is very difficult to define a linear history of this dance because of the multiplicity of facts and meanings related to this manifestation. Therefore, I conclude that it is better to validate belly dance as an artistic practice instead of trying to define its origins and its Eastern and Western roots/routes. The performance “Impressão Corporal” (Body Prints) is being composed as one of the effects of this investigation, based on the impressions collected during the field research conducted on Cairo and Alexandria – Egypt, on November, 2005. The aim of this performance is to give new meanings for belly dance as a performative practice. During this research I found out that belly dance is not performed exclusively by women. Despite of the sexual restrictions imposed on the male practice, there are belly dancing man performing until today. I also believe that belly dance is an option to break the fragmentation tendency of artistical practices. Indeed, it stimulates reflections about art, corporeality and our own boundaries and prejudices. Finally, I claim that belly dance is a hybrid, mixed art form which, in the concepts of Homi K. Babha, means that belly dance is neither eastern nor western, but is a “beyond”, and does not fit in any restricted definition.
4

Pisa no Dum: os dispositivos na Dança do Ventre

Sousa, Thais January 2017 (has links)
Submitted by Diana Alves (ppgdancaufba.adm@gmail.com) on 2017-08-09T12:31:09Z No. of bitstreams: 1 Dissertação Thais Coelho.pdf: 2255319 bytes, checksum: 8af0635d9168bcd1c062d3002776c9e0 (MD5) / Approved for entry into archive by Patricia Barroso (pbarroso@ufba.br) on 2017-08-10T20:22:13Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação Thais Coelho.pdf: 2255319 bytes, checksum: 8af0635d9168bcd1c062d3002776c9e0 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-08-10T20:22:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação Thais Coelho.pdf: 2255319 bytes, checksum: 8af0635d9168bcd1c062d3002776c9e0 (MD5) / A pesquisa identifica os fatores que modelam a configuração da Dança do Ventre e seu modo de composição, sobretudo na circunstância da improvisação. Para tanto, examina os princípios organizativos da composição da Dança do Ventre e os dispositivos de poder que comandam a sua conformação. O processo de criação e composição da Dança do Ventre é regido por ‘princípios organizativos’ (ROSA, 2010) ditados pela música. Os elementos que compõem a música árabe atuam sobre a Dança do Ventre estabelecendo uma espécie de regramento que acaba por determinar a sua composição à semelhança dos dispositivos de poder observados por Agamben (2009). Neste sentido, e de forma análoga, a composição da Dança do Ventre é, capturada pelo som. A chamada ‘Leitura Musical’ empreendida para improvisação na Dança do Ventre guarda similaridades com método didático elaborado por Rolf Gelewski (1973;1975), chamado Estruturas Sonoras (I e II), em que propõe o estudo da relação entre música e movimento para a dança e aplicação desta relação na improvisação. Outros fatores – o Orientalismo, o fundamentalismo e o capitalismo – agem ainda como dispositivos de poder definindo a configuração da Dança do Ventre.
5

Poéticas de um ventre antropofágico : um olhar simbólico sobre a Dança Tribal Fusion

Piffer, Jamila Gontijo 19 February 2018 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Artes, Programa de Pós-Graduação em Artes, 2018. / Submitted by Raquel Almeida (raquel.df13@gmail.com) on 2018-05-10T20:27:19Z No. of bitstreams: 1 2017_JamilaGontijoPiffer.pdf: 4906365 bytes, checksum: 76bce0a738d2832a97346fadf73795bc (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2018-05-23T10:58:04Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_JamilaGontijoPiffer.pdf: 4906365 bytes, checksum: 76bce0a738d2832a97346fadf73795bc (MD5) / Made available in DSpace on 2018-05-23T10:58:04Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_JamilaGontijoPiffer.pdf: 4906365 bytes, checksum: 76bce0a738d2832a97346fadf73795bc (MD5) Previous issue date: 2018-05-23 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). / Poéticas de um Ventre Antropofágico é uma pesquisa que investigou a corporalidade, o imaginário social e inventividade da Dança Tribal Fusion, que surgiu nos anos de 1990, nos Estados Unidos e cuja principal referência estética é a Dança do Ventre. O Ventre Antropofágico explorou os limites da hibridação do Tribal Fusion nas experimentações com intérpretes-criadoras no Laboratório de Processos Criativos realizado no Núcleo de Dança da Universidade de Brasília. As atividades e montagens em dança realizadas durante o Laboratório forneceram grande parte do corpus desta pesquisa teórico-prática que observou a experiência do sujeito dançante considerando que o imaginário social integra sua corporalidade. A pesquisadora adotou a perspectiva do pensamento simbólico do psiquiatra suíço Carl Gustav Jung, cuja teoria tem no símbolo um de seus conceitos fundamentais, para elaborar um olhar simbólico sobre as práticas do Tribal Fusion. O imaginário social na dança Tribal Fusion foi investigado por meio das declarações, narrativas e imagens compartilhadas por praticantes e estudiosos das danças de matriz pélvica — assim chamadas nesta pesquisa por se constituírem em uma modalidade de dança cujo núcleo de movimentos de quadril e pélvis as distinguem. Nesta modalidade estão incluídas a Dança do Ventre, o Tribal Fusion e suas subcategorias. As reflexões deste estudo se basearam nas pistas metodológicas da Sociologia do Imaginário, em diálogo com a abordagem da teórica Laurence Louppe sobre a dança contemporânea, privilegiando o lugar de fala do sujeito dançante para observar a potência estética do Tribal Fusion. Esta abordagem pretendeu problematizar os estigmas que acompanham historicamente as danças de matriz pélvica, em particular os estereótipos ligados à imagem da mulher e do uso da dança como um instrumento de reificação do corpo de quem dança. / Poetics of an Anthropophagic Womb is a research that investigated the corporality, the social imaginary and the inventiveness of the Tribal Fusion Dance, created in the 1990s in the United States of America, which main reference is the Belly Dance. The Anthropophagic Womb explored the limits of Tribal Fusion’s hybridism in the experiments with creating-interpreters on the Laboratory of Creative Processes that took place at the Universidade de Brasilia’s Dance Center. The Laboratory’s activities provided a big part of this research’s corpus. This is a theoretic-practical study to observe the dance being experience taking in consideration that the social imaginary integrates one’s corporality. The researcher has used the perspective of the symbolic thinking proposed by the Swiss psychiatric Carl Gustav Jung, whose theory has the symbol as one of the fundamental concepts, to elaborate a symbolic view upon Tribal Fusion practices. The social imaginary was investigated by the declarations, narratives and images shared by practitioners and scholars of the pelvic matrix dances — named so in this research due to its nature as a dancing modality that uses a group of pelvic and hips movement core that distinguishes it. This modality includes Belly Dance, Tribal Fusion and other subcategories. The reflections of this study were based on the methodological hints of the Sociology of the Imaginary and dialogued with Laurence Louppe, a contemporary dance theorist. It has highlighted the speaking position of the dance being to observe the aesthetic potency of Tribal Fusion. This approach aimed to discuss the stigmas that are historically related to the pelvic matrix dancing, in particular the stereotypes of women images and the use of dance as an instrument that reificates the body of the ones that dance.
6

A dança e o ventre: aparência corporal na contemporaneidade

Kussunoki, Sandra Aparecida Queiroz [UNESP] 26 April 2010 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:27:59Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2010-04-26Bitstream added on 2014-06-13T20:57:25Z : No. of bitstreams: 1 kussunoki_saq_me_rcla.pdf: 1176303 bytes, checksum: 1d8918447a22a96da58cdb6ad510ad1f (MD5) / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) / A dança do ventre tem sua origem em rituais religiosos pré-suméricos, e foi utilizada pelos povos da Antiguidade em diversos tipos de celebração. Como dança da fertilidade, era praticada pelas mulheres, em rituais, na época do plantio e colheita e na preparação para a gestação e o parto, entre outros. Sofreu diversas transformações pelo tempo, e atualmente é praticada quase no mundo inteiro. Até os tempos atuais, continua sendo utilizada como preparação para o parto em tribos beduínas e recentemente em aulas especiais para gestantes, no Ocidente. No Brasil, e em específico no estado de São Paulo, existe um questionamento entre os praticantes, profissionais e espectadores da dança do ventre sobre uma crença de que esta dança resulte em um abdômen maior para suas praticantes e dançarinas. Esse trabalho discorre sobre esse tema, com o objetivo de verificar a existência desta crença e questionar sua veracidade, expondo e discutindo aspectos da corporeidade na contemporaneidade através da coleta de depoimentos e fotografias de mulheres praticantes e não praticantes de dança do ventre, divididas em 5 grupos: alunas de dança do ventre, sedentárias, praticantes de outras atividades físicas, professoras de outras modalidades de dança e professoras de dança do ventre. Foram encontradas evidências sobre a existência desta crença, e a análise dos resultados indicam ser esta um mito, formado pelo paradigma da aparência corporal perfeita, a moral estética da contemporaneidade. Na discussão final, são apresentadas várias possibilidades sobre a formação dessa crença, e indicativos de sua inverdade, a partir dos resultados apresentados, de elementos específicos desta dança e do ideal corporal contemporâneo, baseado na magreza / Belly Dance has its origin in pre sumerians religious rituals, and the ancient people used it in different kinds of celebrations. As a fertility dance, it used to be practiced by women, in rites, at the time of planting and harvest and for preparing her bodies for pregnancy and childbirth, among others. This dance suffered various modifications through the times, and nowadays it is practiced all over the world. Until now, it continues being practiced as a preparation for childbirth in Bedouins tribes and recently in special classes for pregnant women in Occident. In Brazil, mainly in São Paulo state, there is an issue about people involved with belly dance (learners, professionals and audience) which states that belly dance may cause abdomen enlargement among its dancers. This work has as objective verify the existence of this belief and its truthfulness, exposing and discussing corporeity aspects in contemporaneity over gathering declarations and photographs of women divided in five groups: belly dance learners, sedentary people, other physical activities practitioners, other dance teachers, and belly dance teachers. Evidences were found about the existence of this belief, and the results demonstrated that it is a myth, constructed by the paradigm of perfect corporal appearance, and contemporaneousness esthetic morality. In the final discussion, several possibilities about the construction of this belief are presented, and so, indications of its untruthfulness, according to the results, specific elements of this dance and the contemporaneousness corporal ideal, based on thinness
7

Dança do ventre e feminilidade: análise dos relatos de praticantes

Serretti, Amine Nassif Magalhães [UNESP] 25 August 2015 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2016-03-07T19:20:33Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2015-08-25. Added 1 bitstream(s) on 2016-03-07T19:24:09Z : No. of bitstreams: 1 000858554.pdf: 1068238 bytes, checksum: c401b755262c8aea47658c601ea64d1e (MD5) / A dança do ventre está entre as danças primitivas sagradas do contexto mítico-religioso das antigas civilizações do Oriente Médio. Provinda de rituais voltados às divindades femininas, esta dança simboliza a vida, a fertilidade e o crescimento. Investigou-se de que modo a dança, como produção cultural, atua como elemento de comunicação não verbal em diversas dimensões relativas às praticantes. Este estudo poderá contribuir para ampliar a compreensão sobre a crescente expansão de festivais, procura por aulas e materiais midiáticos da área considerando-se a falta de estudos quantitativos acerca do tema. O objetivo principal deste estudo foi investigar de que modo a dança interfere e transforma quantitativa e qualitativamente a visão que a mulher tem de si mesma e de suas relações. A amostra foi composta por 100 participantes do sexo feminino, praticantes há pelo menos um ano de dança do ventre, de 5 escolas de dança diferentes de duas cidades distintas do interior de São Paulo, cujas idades estavam entre 20 e 65 anos. A coleta de dados realizou-se através de dois instrumentos: a Escala de Autoestima de Rosenberg (EAR) e um questionário contendo perguntas abertase fechadas, com escalas quantitativas. Diante da análsie das questões fechadas de intensidade e frequência, os itens feminilidade e alegria ao dançar foram os que tiveram a maior média e o menor valor de desvio padrão de respostas. Já a menor média obtida foi o sentimento de erotismo ao dançar, contrariando as crenças sociais. Quanto às correlações feitas entre autoestima e as outras variáveis, obtivemos resultados significativos em: frequência com que dança sozinha, melhor postura física e mudanças nos relacionamentos interpessoais. A mulher, quando dança, aprende a lidar com o próprio corpo, o qual muda dia após dia. Com disciplina e auto-observação dos seus erros e dificuldades, a mulher torna-se mais autoconfiante, pois passa... / Belly dancing is among the primitive sacred dances in a mythical-religious context of acient Middle East civilizations. Arising from rituals geared to female divinities, this dance symbolizes life, fertility and growth. We investigated how the dance, as a cultural production, acts as a nonverbal communication element in several dimensions related to the practitioners. This study may contribute to broaden the comprehension of the growing expansion of festivals, demand for lessons and media materials of the area, considering the lack of quantitative studies on the subject. The aim of this study was to investigate how dancing interferes and transforms quantitatively and qualitatively the image that wome have of themselves and of their relationships. The study sample consisted of 100 female participants, practicing belly dance for at least one year, from 5 different dance schools in two distinct cities the countryside of Sâo Paulo State, whose ages varied between 20 and 65 years. Data were collected through two intruments: the Rosenberg Self-Esteem Scale (RSES) and a questionnaire with open and closed questions, with quantitative scales. Analyzing closed questions of intensity and frequency, the items femininity and joy of dancing were the ones with the highest average and the lowest standard deviation among the answers. The lowest average, however, was the feeling of eroticism of dancing, contradicting social beliefs. As for correlations made between self-steem and other variables, we obtained significant results in: how often dance alone, improve physical posture and changes in interpersonal relationships. When a woman dances, she learns how to deal with her body, which changes every day. With discipline and self-observation of her mistakes and difficulties, the woman becomes more confident by getting to know herself more; learns how to deal with her a body and her emotions. From the self-confidence and positive self-concept that...
8

Dança do ventre e feminilidade : análise dos relatos de praticantes /

Serretti, Amine Nassif Magalhães. January 2015 (has links)
Orientador: Sandro Caramaschi / Banca: Regina Célia Faganini Lourenço Furigo / Banca: Kester Carrara / Resumo: A dança do ventre está entre as danças primitivas sagradas do contexto mítico-religioso das antigas civilizações do Oriente Médio. Provinda de rituais voltados às divindades femininas, esta dança simboliza a vida, a fertilidade e o crescimento. Investigou-se de que modo a dança, como produção cultural, atua como elemento de comunicação não verbal em diversas dimensões relativas às praticantes. Este estudo poderá contribuir para ampliar a compreensão sobre a crescente expansão de festivais, procura por aulas e materiais midiáticos da área considerando-se a falta de estudos quantitativos acerca do tema. O objetivo principal deste estudo foi investigar de que modo a dança interfere e transforma quantitativa e qualitativamente a visão que a mulher tem de si mesma e de suas relações. A amostra foi composta por 100 participantes do sexo feminino, praticantes há pelo menos um ano de dança do ventre, de 5 escolas de dança diferentes de duas cidades distintas do interior de São Paulo, cujas idades estavam entre 20 e 65 anos. A coleta de dados realizou-se através de dois instrumentos: a Escala de Autoestima de Rosenberg (EAR) e um questionário contendo perguntas abertase fechadas, com escalas quantitativas. Diante da análsie das questões fechadas de intensidade e frequência, os itens "feminilidade" e "alegria ao dançar" foram os que tiveram a maior média e o menor valor de desvio padrão de respostas. Já a menor média obtida foi o sentimento de "erotismo ao dançar", contrariando as crenças sociais. Quanto às correlações feitas entre autoestima e as outras variáveis, obtivemos resultados significativos em: frequência com que dança sozinha, melhor postura física e mudanças nos relacionamentos interpessoais. A mulher, quando dança, aprende a lidar com o próprio corpo, o qual muda dia após dia. Com disciplina e auto-observação dos seus erros e dificuldades, a mulher torna-se mais autoconfiante, pois passa... / Abstract: Belly dancing is among the primitive sacred dances in a mythical-religious context of acient Middle East civilizations. Arising from rituals geared to female divinities, this dance symbolizes life, fertility and growth. We investigated how the dance, as a cultural production, acts as a nonverbal communication element in several dimensions related to the practitioners. This study may contribute to broaden the comprehension of the growing expansion of festivals, demand for lessons and media materials of the area, considering the lack of quantitative studies on the subject. The aim of this study was to investigate how dancing interferes and transforms quantitatively and qualitatively the image that wome have of themselves and of their relationships. The study sample consisted of 100 female participants, practicing belly dance for at least one year, from 5 different dance schools in two distinct cities the countryside of Sâo Paulo State, whose ages varied between 20 and 65 years. Data were collected through two intruments: the Rosenberg Self-Esteem Scale (RSES) and a questionnaire with open and closed questions, with quantitative scales. Analyzing closed questions of intensity and frequency, the items "femininity" and "joy of dancing" were the ones with the highest average and the lowest standard deviation among the answers. The lowest average, however, was the feeling of "eroticism of dancing", contradicting social beliefs. As for correlations made between self-steem and other variables, we obtained significant results in: how often dance alone, improve physical posture and changes in interpersonal relationships. When a woman dances, she learns how to deal with her body, which changes every day. With discipline and self-observation of her mistakes and difficulties, the woman becomes more confident by getting to know herself more; learns how to deal with her a body and her emotions. From the self-confidence and positive self-concept that... / Mestre
9

A contribuição da dança do ventre na educação corporal, saúde física e mental de mulheres que freqüentam um centro de atenção psicossocial / Contribution of belly dancing to body education physical and mentaL health physical and mental health of women whp attend a psychosocial care center

Ana Carla Peto 15 July 2004 (has links)
Diversas modalidades terapêuticas não tradicionais, como Ginástica, Yoga e Tai Chi Chuan, oferecem contribuições importantes na assistência a portadores de transtornos mentais em Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), e, a Dança do Ventre, com suas características, reúne condições de oferecer a mesma contribuição, particularmente, às mulheres usuárias destes Centros. Assim sendo, o presente estudo teve por objetivo verificar a contribuição desta Dança na educação corporal, saúde física e mental das citadas mulheres. Para isto, planejamos 11 aulas de Dança do Ventre e aplicamos semanalmente a 9 mulheres usuárias de um CAPS, com diferentes diagnósticos, que se constituiram nos sujeitos do estudo, e, através de seus depoimentos, obtidos com questionários que aplicamos antes delas terem contato com as aulas; após vivenciarem toda a experiência, e, também, através de seus depoimentos, registrados ao final de cada aula por dois observadores participantes, treinados para esse fim, pudemos verificar a citada contribuição. Os resultados mostraram que, a Dança do Ventre, contribuiu na melhora da auto-estima e da auto-confiança das mulheres, auxiliou no seu tratamento no CAPS e teve contribuição considerável na educação corporal, na saúde física e mental delas, melhorando assim sua qualidade de vida, e, consequentemente, proporcionando um covívio melhor em seu meio social e familiar. / Various non-traditional therapeutic modalities, such as Gymnastics, Yoga and Tai Chi Chuan, offer important contributions to care for patients with mental disorders at Psychosocial Care Centers (PCC). The characteristics of Belly Dancing possess the necessary conditions to offer the same contribution, particularly to the women who use these Centers. This study aimed to verify the contribution of this dance type to the body education, physical and mental health of the above mentioned women. Hence, we planned 11 Belly Dancing classes, offered on a weekly basis to 9 women who attended a PCC, with different diagnoses, who were the subjects of this study. Their testimonies obtained by means of questionnaires, which were applied before they had any contact with the classes and after the entire experience, as well as their testimonies recorded at the end of each class by two participating observers, who had been trained for this purpose, allowed us to verify the above mentioned contribution. Results showed that Belly Dancing contributed to better self-esteem and self-confidence among these women, it helped in their treatment at the PCC and made a considerable contribution to their body education, physical and mental health, thus improving their quality of life and, consequently, enabling them to live in their social and family environment.
10

A dança e o ventre : aparência corporal na contemporaneidade /

Kussunoki, Sandra Aparecida Queiroz. January 2010 (has links)
Orientador: Carmen Maria Aguiar / Banca: Catia Mary Volp / Banca: Patricia Dias do Prado / Resumo: A dança do ventre tem sua origem em rituais religiosos pré-suméricos, e foi utilizada pelos povos da Antiguidade em diversos tipos de celebração. Como dança da fertilidade, era praticada pelas mulheres, em rituais, na época do plantio e colheita e na preparação para a gestação e o parto, entre outros. Sofreu diversas transformações pelo tempo, e atualmente é praticada quase no mundo inteiro. Até os tempos atuais, continua sendo utilizada como preparação para o parto em tribos beduínas e recentemente em aulas especiais para gestantes, no Ocidente. No Brasil, e em específico no estado de São Paulo, existe um questionamento entre os praticantes, profissionais e espectadores da dança do ventre sobre uma crença de que esta dança resulte em um abdômen maior para suas praticantes e dançarinas. Esse trabalho discorre sobre esse tema, com o objetivo de verificar a existência desta crença e questionar sua veracidade, expondo e discutindo aspectos da corporeidade na contemporaneidade através da coleta de depoimentos e fotografias de mulheres praticantes e não praticantes de dança do ventre, divididas em 5 grupos: alunas de dança do ventre, sedentárias, praticantes de outras atividades físicas, professoras de outras modalidades de dança e professoras de dança do ventre. Foram encontradas evidências sobre a existência desta crença, e a análise dos resultados indicam ser esta um mito, formado pelo paradigma da aparência corporal perfeita, a moral estética da contemporaneidade. Na discussão final, são apresentadas várias possibilidades sobre a formação dessa crença, e indicativos de sua inverdade, a partir dos resultados apresentados, de elementos específicos desta dança e do ideal corporal contemporâneo, baseado na magreza / Abstract: Belly Dance has its origin in pre sumerians religious rituals, and the ancient people used it in different kinds of celebrations. As a fertility dance, it used to be practiced by women, in rites, at the time of planting and harvest and for preparing her bodies for pregnancy and childbirth, among others. This dance suffered various modifications through the times, and nowadays it is practiced all over the world. Until now, it continues being practiced as a preparation for childbirth in Bedouins tribes and recently in special classes for pregnant women in Occident. In Brazil, mainly in São Paulo state, there is an issue about people involved with belly dance (learners, professionals and audience) which states that belly dance may cause abdomen enlargement among its dancers. This work has as objective verify the existence of this belief and its truthfulness, exposing and discussing corporeity aspects in contemporaneity over gathering declarations and photographs of women divided in five groups: belly dance learners, sedentary people, other physical activities practitioners, other dance teachers, and belly dance teachers. Evidences were found about the existence of this belief, and the results demonstrated that it is a myth, constructed by the paradigm of perfect corporal appearance, and contemporaneousness esthetic morality. In the final discussion, several possibilities about the construction of this belief are presented, and so, indications of its untruthfulness, according to the results, specific elements of this dance and the contemporaneousness corporal ideal, based on thinness / Mestre

Page generated in 0.0551 seconds