• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 214
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 226
  • 114
  • 62
  • 56
  • 54
  • 48
  • 40
  • 38
  • 30
  • 27
  • 26
  • 24
  • 23
  • 22
  • 21
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Psicologia da Moralidade e Psicanálise: Um Estudo sobre o Sentimento de Vergonha

SCHIMITH, P. B. 28 March 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T14:10:23Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_5411_Psicologia da Moralidade e Psicanálise _Um estudo sobre a vergonha.pdf: 1236724 bytes, checksum: 8beaf9de7f561eddffb51aab6a3b3720 (MD5) Previous issue date: 2013-03-28 / Esta dissertação teve por objetivo investigar o sentimento de vergonha e a sua relação com a moralidade, proposta por Yves de La Taille (2002a), bem como a proposição de Jacques Lacan (1969-1970/1992), segundo a qual esse sentimento está ausente na contemporaneidade. A pesquisa, de natureza qualitativa e exploratória, constituiu um estudo empírico envolvendo 15 participantes do sexo masculino, com idade entre 25 e 30 anos e com escolaridade de nível superior completo. Procedeu-se à coleta e à análise dos dados de acordo com o método clínico de Piaget (1932/1994, 1926/2005b). Foram realizadas entrevistas semiestruturadas individuais, baseadas em duas histórias fictícias. A entrevista abrangia, ainda, uma investigação sobre a concepção do sentimento de vergonha. A primeira história traz uma situação de transgressão moral e a segunda, uma situação de exposição. Os dados foram categorizados e, em seguida, analisados à luz das teorias de La Taille (2002a) e Lacan (1969-1970/1992). Os resultados alcançados revelam que os participantes apresentam o sentimento de vergonha não ante a situação imoral, mas ante a situação de exposição. A concepção desse sentimento está ligada, principalmente, à exposição e ao juízo do próprio sujeito e/ou de outrem. O estudo se propôs contribuir para uma maior compreensão da participação do sentimento de vergonha nas questões morais, no contexto da sociedade atual, além de indicar novas direções para as pesquisas sobre o tema. As reflexões teóricas sobre a literatura existente, bem como sobre os dados obtidos durante coleta, levaram a proposições teóricas atualizadas da Psicanálise para o âmbito da Psicologia da Moralidade. Estas reivindicam atualização inevitável do pensamento acerca dos fatores intrapsíquicos inerentes à gênese ou ao desenvolvimento da moralidade.
2

Psicologia da moralidade e psicanálise : um estudo sobre o sentimento de vergonha

Schimith, Polyana Barbosa 28 March 2013 (has links)
Submitted by Elizabete Silva (elizabete.silva@ufes.br) on 2015-10-09T19:29:09Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Psicologia da Moralidade e Psicanálise _Um estudo sobre a vergonha.pdf: 1242420 bytes, checksum: 56ce696a47dae3026125a719f7f45787 (MD5) / Approved for entry into archive by Morgana Andrade (morgana.andrade@ufes.br) on 2015-11-13T20:26:16Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Psicologia da Moralidade e Psicanálise _Um estudo sobre a vergonha.pdf: 1242420 bytes, checksum: 56ce696a47dae3026125a719f7f45787 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-11-13T20:26:16Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Psicologia da Moralidade e Psicanálise _Um estudo sobre a vergonha.pdf: 1242420 bytes, checksum: 56ce696a47dae3026125a719f7f45787 (MD5) Previous issue date: 2013 / CAPES / Esta dissertação teve por objetivo investigar o sentimento de vergonha e a sua relação com a moralidade, proposta por Yves de La Taille (2002a), bem como a proposição de Jacques Lacan (1969-1970/1992), segundo a qual esse sentimento está ausente na contemporaneidade. A pesquisa, de natureza qualitativa e exploratória, constituiu um estudo empírico envolvendo 15 participantes do sexo masculino, com idade entre 25 e 30 anos e com escolaridade de nível superior completo. Procedeu-se à coleta e à análise dos dados de acordo com o método clínico de Piaget (1932/1994, 1926/2005b). Foram realizadas entrevistas semiestruturadas individuais, baseadas em duas histórias fictícias. A entrevista abrangia, ainda, uma investigação sobre a concepção do sentimento de vergonha. A primeira história traz uma situação de transgressão moral e a segunda, uma situação de exposição. Os dados foram categorizados e, em seguida, analisados à luz das teorias de La Taille (2002a) e Lacan (1969-1970/1992). Os resultados alcançados revelam que os participantes apresentam o sentimento de vergonha não ante a situação imoral, mas ante a situação de exposição. A concepção desse sentimento está ligada, principalmente, à exposição e ao juízo do próprio sujeito e/ou de outrem. O estudo se propôs contribuir para uma maior compreensão da participação do sentimento de vergonha nas questões morais, no contexto da sociedade atual, além de indicar novas direções para as pesquisas sobre o tema. As reflexões teóricas sobre a literatura existente, bem como sobre os dados obtidos durante coleta, levaram a proposições teóricas atualizadas da Psicanálise para o âmbito da Psicologia da Moralidade. Estas reivindicam atualização inevitável do pensamento acerca dos fatores intrapsíquicos inerentes à gênese ou ao desenvolvimento da moralidade. / This thesis was aimed at investigating the feeling of shame and its relation to morality, proposed by Yves de La Taille (2002a), as well as the proposition of Jacques Lacan (1969-1970/1992), according to which this feeling is absent on contemporaneity. The research, of qualitative and exploratory nature, was an empirical study involving 15 male participants, aged between 25 and 30 years old and college graduates. We proceeded to collect and analyze the data according to the clinical method of Piaget (1932/1994, 1926/2005b). Individual semi-structured interviews were conducted, based on two fictional stories, as well as an interview on the concept of the feeling of shame. The first story features a situation of moral transgression and the second, an exposure situation. Data were categorized and then analyzed in the light of the theories of La Taille (2002a) and Lacan (1969-1970/1992). The results reveal that participants show the feeling of shame not at the immoral situation, but at the exposure situation. The notion of this feeling is linked primarily to exposure and judgment of the subject himself/herself and /or of others. The study aims to contribute to a greater understanding of the contribution of the feeling of shame in moral issues in the context of contemporary society, and indicate new directions for research on the topic. The theoretical reflections on the existing literature and on data obtained during collecting, led to updated theoretical propositions of Psychoanalysis to the scope of the Psychology of Morality. Those demand inevitable update on the thought about inherent intrapsychic factors in the genesis or development of morality.
3

Formação moral e educação : um estudo a partir da filosofia prática de Kant /

Andrade, Renata Cristina Lopes. January 2013 (has links)
Orientador: Alonso Bezerra de Carvalho / Banca: Sinésio Ferraz Bueno / Banca: Raul Aragão Martins / Banca: Divino José da Silva / Banca: Genivaldo de Souza Santos / Resumo: O presente estudo se propõe a explorar e expor a Filosofia Prática de Kant e a sua Doutrina da Educação. Abordaremos o pensamento prático kantiano examinando: i) a sua concepção de moralidade e de educação; ii) a possibilidade, de acordo com o filósofo, da formação moral do educando e do alcance da ética mediante a educação; iii) o exame do ser humano enquanto o ser da liberdade - moral e livre - na filosofia de Kant, ou seja, da educação para o fim ou a destinação da natureza humana. O alcance da ética, isto é, a ação em geral com valor moral, via educação, parece ser possível, segundo Kant, mediante a formação moral do educando, o que envolve a formação do caráter, da pessoa, para a virtude, em valores; o desenvolvimento de um ser humano moral e ético, capaz de mover-se, agir e viver segundo valores e princípios. Desse modo, pretendemos investigar se e compreender como tal concepção de ser humano, de acordo com o pensamento prático kantiano, é possível. Realizaremos uma análise conceitual da filosofia prática kantiana examinando os conceitos e o relacionamento entre eles, fundamentalmente, de moralidade, educação e ética. / Abstract: This study aims to explore and expose the Practical Philosophy of Kant and his Doctrine of Education. Discuss the practical thinking Kantian, examining: i ) their conception of morality and education , ii) the possibility, according to the philosopher, of the moral education of the student and scope of ethics through education , iii ) the examination of human while the being of the freedom - moral and free - in Kant's philosophy , i.e. , of the education for the purpose or the allocation of human nature . The scope of ethics, that is, the action generally with moral value, through education, seems to be possible, according to Kant, through the moral education of the student, which involves the formation of character, of person, to virtue, in values, the development of a moral and ethical human, able to move, act and live according to values and principles. We intend to investigate whether and to understand how such a conception of human, according to the Kantian practical thinking, it is possible. We will conduct a conceptual analysis of Kantian practical philosophy, examining the concepts and the relationships between them, essentially of: morality, education and ethics. / Doutor
4

Os sentidos da indisciplina na escola: concepções de professores, equipe técnica e alunos das séries finais do ensino fundamental

Longarezi, Andrea Maturano [UNESP] January 2001 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2017-03-14T14:10:11Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2001. Added 1 bitstream(s) on 2017-03-14T14:42:44Z : No. of bitstreams: 1 000191903.pdf: 7391224 bytes, checksum: a0361aa0d3cbfb6b96190b031b2d3c95 (MD5)
5

O princípio da moralidade administrativa sob o enfoque garantista

Quadros, Nilton Martins de January 2001 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Jurídicas / Made available in DSpace on 2012-10-19T08:53:59Z (GMT). No. of bitstreams: 0Bitstream added on 2014-09-25T20:11:59Z : No. of bitstreams: 1 178386.pdf: 3540138 bytes, checksum: 1e18b5baa4300d03aa00dd0ff013f754 (MD5) / A moralidade administrativa enquanto construção da sociedade é abordada sob vários aspectos, desde o seu surgimento enquanto valor externo ao direito até a positivação desta enquanto princípio constitucional. Frente à contemporânea teoria da operatividade dos princípios enquanto norma, somando-se à supremacia constitucional, a moralidade administrativa é abordada à luz da teoria geral do Garantismo jurídico. Enquanto técnica de controle da moralidade, este Trabalho propõe a ampliação da participação social nos espaços de decisão e poderes, sem deixar de abordar sobre o controle, inclusive de mérito, dos atos administrativos pelo Poder Judiciário como forma de assegurar o direito fundamental do cidadão em ter governos honestos e eficazes
6

Enfermagem, mídia e bioética

Sampaio, Mauren Alexandra January 2002 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2002. / Submitted by Marília Freitas (marilia@bce.unb.br) on 2015-05-13T11:28:40Z No. of bitstreams: 1 2002_MaurenAlexandraSampaio.pdf: 9298303 bytes, checksum: 60842e156d1852dd4f0e942160bb2803 (MD5) / Approved for entry into archive by Marília Freitas(marilia@bce.unb.br) on 2015-05-13T11:28:53Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2002_MaurenAlexandraSampaio.pdf: 9298303 bytes, checksum: 60842e156d1852dd4f0e942160bb2803 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-05-13T11:28:53Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2002_MaurenAlexandraSampaio.pdf: 9298303 bytes, checksum: 60842e156d1852dd4f0e942160bb2803 (MD5) / A história moral das enfermeiras tem sido um fator impeditivo para o seu avanço profissional. Os construtos sociais atribuídos a essas profissionais permanecem como marcas cegas frente aos avanços técnicos e científicos incorporados à sua prática cotidiana, não tendo conseguido modificar as crenças vinculadas às enfermeiras e que se tornaram imunes ao próprio processo histórico. A socialização das enfermeiras, em sua maioria mulheres, incorpora as assimetrias de gênero, tipicamente marcadas pelas relações sociais de dominação-subordinação, opressão e subserviência. Essas prerrogativas constituem-se em elementos fündantes da sua condição de vulnerabilidade e contribuem para uma constante desvalorização profissional. Considerando essas questões, realizamos uma análise do conteúdo de matérias veiculadas pela mídia impressa e televisiva relacionadas diretamente ao fazer das enfermeiras, considerando ser essa uma entidade que sintetiza o poder simbólico de produzir e reproduzir o pensamento social. Essa análise aponta para a identificação das enfermeiras com papéis sociais tradicionalmente associados aos personagens a mãe, a santa, o anjo, a sombra do médico, a mulher-objeto e a doutora-enfermeira, cujos mecanismos de atribuição de valor simbólico se baseiam em sua posição de subserviência a qual contribui para reproduzir e propagar o status de vulnerabilidade profissional. Esse processo é reforçado pela aquisição e incorporação, ainda que não intencional, dessas identidades ilusórias por parte das enfermeiras, transformando-as em espelhos da ilusão. A redefinição dessa realidade pode e deve ser realizada através de um movimento político de valorização profissional centrado na figura moral das enfermeiras e conduzido por elas próprias de modo a subverter a lógica estabelecida, transformando o seu silêncio em palavras audíveis e que possam ser entendidas pela sociedade. ______________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / The moral history of nurses has been an impeding factor of their professional progress. The social concepts attributed to these professionals remain as blind marks as opposed to the technical and scientific progress that has been incorporated to their everyday practice, and it has been thus impossible to change the beliefs related to nurses, which beliefs became immune to the very historical process. The socialization of nurses, most of them women, incorporates the gender-related asymmetries typically marked by social relationships of domination-subordination, oppression and subservience. These prerogatives are basic elements of their condition of vulnerability and do contribute to their constant professional demeaning. Taking these issues into account, we have carried out an analysis of the content of copy transmitted by the printed media and by television directly related to nurses activities, since the media is a body that sums up the symbolic power of producing and reproducing social thinking. This analysis indicates a trend towards identifying nurses with social roles traditionally associated to characters such as the mother, the saint, the ministering angel, the physician’s shadow, the object woman and the nurse doctor, whose mechanisms for the attribution of symbolic value are based upon their position of subservience which, in turn, contributes for the reproduction and the dissemination of the status of professional vulnerability. This process is reinforced by the acquisition and incorporation, although unintended, of these deceptive identities by nurses themselves, which renders them sort of mirrors of illusion. The redefinition of this reality can and should be carried out, through a political movement aimed at attributing due value to the nursing profession, a movement focused in the moral image of nurses and led by nurses, in order to subvert the time-honoured logic, turning their silence into audible words apt to be understood by society.
7

Análise dos argumentos morais e uma abordagem kantiana para o problema moral do aborto

FRANÇA, Jefferson Luiz de 10 July 2017 (has links)
Submitted by Pedro Barros (pedro.silvabarros@ufpe.br) on 2018-08-14T21:05:33Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Jefferson Luiz de França.pdf: 863428 bytes, checksum: 4c0acf795e36dbeba3ac8e2988765cae (MD5) / Approved for entry into archive by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2018-08-16T18:40:36Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Jefferson Luiz de França.pdf: 863428 bytes, checksum: 4c0acf795e36dbeba3ac8e2988765cae (MD5) / Made available in DSpace on 2018-08-16T18:40:36Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Jefferson Luiz de França.pdf: 863428 bytes, checksum: 4c0acf795e36dbeba3ac8e2988765cae (MD5) Previous issue date: 2017-07-10 / Esta dissertação analisa o aborto a partir da teoria moral kantiana e dos deveres que temos para consigo mesmo e para com os outros, avaliando ainda a consistência de nossas convicções morais. A primeira parte da discussão se dá a partir da apresentação do cenário em que os discursos acerca da moralidade do aborto se constituem, considerando justificativas e categorias pelas quais o ato de matar pode ser moralmente justificável. Em seguida, revisamos alguns dos principais argumentos desenvolvidos na literatura, tanto contrários quanto favoráveis ao aborto, analisando-os criticamente. A segunda parte consiste em identificar como a filosofia moral kantiana pode contribuir no debate acerca da moralidade do aborto, expondo os argumentos desenvolvidos por Lara Denis e Harry Gensler e estabelecendo um acordo entre eles de modo a harmonizá-los no conjunto da teoria moral kantiana. / This dissertation analyzes the abortion from the Kantian moral theory and the duties we have to himself and to others, and to evaluate the consistency of our moral convictions. The first part of the discussion comes from the presentation of the scenario in which the discourse about the morality of abortion constitute, considering justifications and categories for which the act of killing can be morally justified. Then we reviewed some of the main arguments developed in the literature, both opposed as favourable to abortion, analyzing them critically. The second part is to identify how the Kantian moral philosophy may contribute to the debate about the morality of abortion, exposing the arguments developed by Lara Denis and Harry Gensler and establishing an agreement between them in order to harmonise them in the set of Kantian moral theory.
8

Dialética, religião e a construção do conceito de liberdade nos Theologische Jugendschriften de G. W. F. Hegel.--1770-1831)

Vaz Ribeiro de Menezes Costa, Danilo January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T18:02:52Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo6747_1.pdf: 661005 bytes, checksum: a407e2a3a403542709254d69b1d32cea (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2007 / A tarefa da filosofia, enquanto pensamento pensante, é o desvelar do real, o qual tem por igual tarefa a religião. Filosofia e religião, enquanto saberes da totalidade são momentos indissociáveis, Hegel expõe como poucos como o conhecimento das figuras religiosas é importante à tarefa do filosofo. Nosso trabalho se constitui desde esta tarefa de reconstruir com Hegel, no caminho por ele percorrido nos anos de 1795 a 1800, a tensa relação de desvelamento do real desde a análise de sua gênese formativa, a qual se estende do nascedouro do Judaísmo e consuma-se com o Cristianismo. Refazendo o percurso de constituição das formas simbólicas ou figuras religiosas que constituem o ser do pensamento de seu tempo e do nosso, perguntamo-nos com Hegel as respostas às crises da liberdade a que como ele, também vivemos. Pensar a vida do todo afirmando a subjetividade que é um mundo é a tarefa que Hegel nos lega e nos comprometemos a enfrentar com nosso trabalho. Cuidamos de nosso intente em três textos [Das Leben Jesu, Die Positivität der christlichen Religion, e Der Geist des Christentums und sein schicksal] que trabalham a mesma temática desde perspectivas integrativas, dialéticas, onde religião, liberdade e moralidade se desdobram sobre si, confirmando a necessidade do saber que se sabe como sendo toda a realidade, do infinito que se sabe no saber do finito, da identidade da identidade da não-identidade. Se no nosso texto à luz de Hegel a filosofia não tem ainda a prioridade sobre a religião, é porque não foi chegada a hora quando da escritura destes textos de formação de Hegel de a coruja de Minerva lançar seu vôo, todavia o nosso já chegou e estejamos todos convidados a esta tarefa
9

Crítica à teoria da moralidade comum como fundamentação do principialismo

Paranhos, Flávio Rocha Lima 11 December 2015 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Bioética, 2015. / Submitted by Albânia Cézar de Melo (albania@bce.unb.br) on 2016-03-02T16:46:58Z No. of bitstreams: 1 2015_FlavioRochaLimaParanhos.pdf: 945063 bytes, checksum: 691b2716a56cd99253b30c369d1f45ea (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2016-04-11T21:30:53Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_FlavioRochaLimaParanhos.pdf: 945063 bytes, checksum: 691b2716a56cd99253b30c369d1f45ea (MD5) / Made available in DSpace on 2016-04-11T21:30:53Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_FlavioRochaLimaParanhos.pdf: 945063 bytes, checksum: 691b2716a56cd99253b30c369d1f45ea (MD5) / A proposta epistemológica para uma ética biomédica de Tom L. Beauchamp e James F. Childress está contida em sua principal obra, Principles of Biomedical Ethics, atualmente em sua sétima edição (2013). Em resposta a críticas surgidas na década de 1990, os autores introduziram, a partir da quarta edição (1994), sua teoria da moralidade comum como fundamentação de seus princípios. Também esta teoria passou a ser alvo de muitas críticas, questionando até mesmo a possibilidade de existência de uma moralidade comum. A proposta do presente trabalho é, num primeiro momento, discutir a teoria destes autores, assim como de outros que exerceram influência mais direta sobre eles, tais como Bernard Gert, Alan Donagan e W.D. Ross. A seguir são apresentadas algumas abordagens críticas ao principialismo e/ou à teoria da moralidade comum. Então, são discutidas também outras propostas de moralidade comum, incluindo algumas que não se valeram deste termo, mas de outros, tais como “ética verdadeira”, “ética natural”, ou, ainda, simplesmente “ética”. A constatação que se segue a partir da análise tanto das propostas de moralidade comum, como de suas abordagens críticas é a de que não existe uma moralidade comum. O que determinará o comportamento moral será a adesão voluntária a um sistema específico de normas que cada um desejar para si. Vários autores se deram conta dessa dificuldade, e contentam-se com um mínimo, um item básico que pode ser o “respeito mútuo”, ou “não causar dor/sofrimento” ou, simplesmente, “diálogo”. Mas fica logo evidente que este mínimo é pouco demais, insatisfatório para, efetivamente, solucionar os problemas reais que se apresentam, tanto no terreno mais restrito da ética biomédica, quanto no mais amplo, da bioética. A busca por uma moralidade comum, mesmo com outros nomes, mostrar-se-á sempre infrutífera. Ou não será “comum”, ou não será “moralidade”. Diante disso, conclui-se pela adequação de uma proposta que, sem desconsiderar a natureza humana, não terá esta como ponto de partida para o estabelecimento de normas, que serão sempre circunstanciais em relação a um objetivo específico. Uma ética de imperativos hipotéticos, bem distantes da moralidade comum principialista. A decisão final deve sempre levar em consideração o maior bem para o maior número de pessoas, exceto quando isso acarretar prejuízo significativo para uma determinada minoria particularmente vulnerável, que, neste caso, deverá receber a intervenção afirmativa do Estado. Tal conclusão leva à opção pela proposta de Garrafa e Porto, da “Bioética Dura”, cujo papel seria o de arbitrar e intervir, sempre que necessário. / The epistemological proposal for a biomedical ethics of Tom L. Beauchamp and James F. Childress is presented in their main work, Principles of Biomedical Ethics, currently in its seventh edition (2013). In response to criticisms that have emerged in the years 1990, the authors introduced in the fourth edition (1994), their theory of common morality as justification of their principles. This theory also became the target of much criticism, questioning even the possibility of the existence of a common morality. The proposal of this work is, at first, to discuss the theory of these authors, as well as others who exercised most direct influence on them, such as Bernard Gert, Alan Donagan and W.D. Ross. Subsequently, some critical approaches to principlism and/or the theory of common morality presented and discussed. Then we analyze other proposals of theories of common morality, including some that do not make use of this term, but others, such as "true" ethics, "natural ethics", or simply "ethics". The conclusion that follows from the analysis of both the proposals of common morality, as well as their critical approaches is that there is no such thing as a common morality. What determines the moral behavior is the voluntary adhesion to a specific system of standards that each one chooses to follow. Many authors became aware of this difficulty, and settled for a minimum, a basic item that can either be "mutual respect", or "don't cause pain/suffering" or simply "dialogue". However, it soon becomes evident that this minimum is unsatisfactory to effectively solve the real problems that present themselves, both in the narrower field of biomedical ethics, or of bioethics in general. The search for a common morality, even with other names, will always prove itself fruitless. Either it will not be "common", or it will not be a "morality". Given this, we conclude for the appropriateness of a proposal that, without disregard to human nature, will not have this as a starting point for the establishment of norms, which will always be circumstantial in relation to a specific goal. It will be an ethics of hypothetical imperatives, significantly different from the principlist common morality. The final decision should always take into consideration the greatest good for the greatest number of people, except when that may cause significant injury to a certain particularly vulnerable minority, which, in this case, must receive the affirmative intervention by the state. This conclusion leads to the option by the proposal of Garrafa and Porto, "Hard Bioethics", whose role would be to mediate and intervene whenever necessary.
10

O percurso da Educação em Emmanuel Lévinas: a moralidade em movimento e vida.

Bonamigo, Gilmar Francisco 20 June 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T11:03:47Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_6564_GILMAR FRANCISCO BONAMIGO.pdf: 3315243 bytes, checksum: 303b21a6230341d9156c6dd9a020d70c (MD5) Previous issue date: 2013-06-20 / Uma tese que tem como objeto a moralidade enquanto a educação humana mesma. Esta escritura é ela mesma um percurso que acompanha e anota o percurso do Eu moral no humano como a sua educação. O objetivo fundamental desta escritura é revelar um percurso educativo como um caminho em movimento e vida pelo qual qualquer Eu pode vir a ser moral. O que é a violência? O que é o humano? O que é moral? Esta escritura responde longamente. O que é educação como moralidade? Esta escritura responde concretamente. É possível uma educação como moralidade de um Eu e de qualquer Eu que afronte a violência e a coloque em fracasso, dentro de um mundo de revanche, de guerra, da afirmação prioritária do Eu? Esta escritura responde encarnadamente. Como a moralidade foi ou pôde ir parar lá na alma inteira de um Eu moral ou em percurso como a sua educação mesma? Há um jeito? Há um caminho para a educação humana? Há mediações apropriadas? Ali vai uma das últimas grandes respostas desta tese. A escritura da educação como moralidade em movimento e vida traz em seu percurso uma hermenêutica da violência numa arqueologia de suas raízes, de seus movimentos e do como ela acontece. A escritura da educação como moralidade em movimento e vida traz em seu percurso uma hermenêutica do humano segundo Emmanuel Lévinas: o humano em seus níveis de elevação é o Um-para-o-Outro e se revela como transcendência. Esta escritura da educação como moralidade em movimento e vida traz em seu percurso uma hermenêutica da educação como moralidade desde de dentro do humano. O humano traduzido com Lévinas é revelado no movimento e vida de Janusz Korczak, de Mohandas K. Gandhi e do próprio Emmanuel Lévinas como a teleologia realizada do dom de Si: educação feita de moralidade como a própria vida. Esta escritura revela que a vida e a obra pedagógica de Janusz Korczak, a vida e a obra ética de Emmanuel Lévinas, a vida e a obra emancipatória de Mohandas K. Gandhi têm as suas condições de possibilidade humanas. A pesquisa aqui desenvolvida é eminentemente bibliográfica e o método que põe a pesquisa e a escritura em exercício, do começo ao fim, é a Hermenêutica Crítica de Paul Ricoeur feita um arco aberto e infindo de interpretação em espirais de pertença e distanciamento. Ao termo deste percurso hermenêutico, esta escritura conclui positivamente que aquele que movimenta moralmente a sua vida como a sua educação seguiu um certo caminho que, em sendo vivido nas mediações, torna possível uma educação humana e que, quando o Um-para-o-Outro vai virando diacronicamente o movimento e vida da alma inteira, é também quando a violência vai sendo posta em fracasso: a transcendência do Bem ao Outro atravessa arqueologicamente o Eu e a teleologia como chamamento ao dom de Si se realiza no mundo.

Page generated in 0.0607 seconds