• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 68
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 69
  • 24
  • 24
  • 11
  • 10
  • 9
  • 9
  • 9
  • 8
  • 8
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7
  • 6
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
41

Sobre um tratamento psicanalítico da psicose na clínica institucional / Sur un traitement psychanalytique de la psychose dans la clinique institutionnelle

Fernanda Mara da Silva Lima 27 April 2009 (has links)
Cette dissertation part de la lecture de Sigmund Freud et de lenseignement de Jacques Lacan pour situer la position du sujet psychotique en tant que réponse à son Autre fou. Ensuite, on présentera la thèse selon laquelle le travail avec lalangue peut orienter un traitement psychanalytique avec ces sujets. Enfin, on abordera quelques formulations à propos de la pratique orientée par la psychanalyse dans le cadre institutionnel, développée dans un Centre dAttention Psychosociale pour des Enfants et Adolescents. / Esta dissertação parte da leitura de Sigmund Freud e do ensino de Jacques Lacan para situar a posição do sujeito psicótico enquanto resposta ao seu Outro louco. Em seguida, apresentaremos a tese de que o trabalho com alíngua pode orientar um tratamento psicanalítico com esses sujeitos. Por fim, abordaremos algumas formulações acerca da prática orientada pela psicanálise em âmbito institucional, desenvolvida em um Centro de Atenção Psicossocial Infanto-juvenil.
42

Transitando entre o coletivo e o individual : reflexões sobre o trabalho de referencia junto a pacientes psicoticos / Transiting between the colletive and the individual : reflections on the work of reference carried out together with psychotic patients

Miranda, Lilian 13 August 2018 (has links)
Orientador: Rosana T. Onocko Campos / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-13T19:40:46Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Miranda_Lilian_D.pdf: 2517064 bytes, checksum: 99dc6b8d562306951aca789b7bac4470 (MD5) Previous issue date: 2009 / Resumo: Esta tese se sustenta num método qualitativo e participante, baseado na hermenêutica gadameriana e no paradigma construtivista. Nosso objetivo foi analisar o arranjo denominado "equipes ou profissionais de referência", em relação ao tratamento de pacientes psicóticos, no contexto dos Centros de Atenção Psicossocial, no que diz respeito às suas funções clínicas e organizacionais. A coleta de dados foi feita através de dois ciclos de grupos focais constituídos por profissionais, usuários e familiares de usuários dos 6 CAPS da cidade de Campinas/SP, bem como por entrevistas em profundidade, desenvolvidas com usuários desses serviços. O material construído mostra que todos os CAPS se organizam através de equipes de referência, cujos profissionais se ocupam de um acompanhamento próximo e regular dos pacientes, configurando-se como profissionais de referência e se responsabilizando pelos projetos terapêuticos e a discussão coletiva dos casos. Essa organização é avaliada positivamente por todos os sujeitos da pesquisa. Para os usuários e seus familiares, os profissionais de referência são percebidos como centrais para a viabilização do tratamento. Eles destacam a confiabilidade como um dos eixos centrais da relação terapêutica e consideram que esta se constrói através das conversas, da sensação de serem percebidos em suas necessidades singulares e do suporte que obtém para a resolução de problemas práticos. Os trabalhadores ressaltam a potencialidade das equipes de referência para o compartilhamento e a co-responsabilização dos casos. Reconhecem a singularidade e a intensidade da relação entre profissionais de referência e usuários, mas apontam alguns paradoxos inerentes ao arranjo, tais como as tensões entre cuidado e tutela; atenção constante ao paciente e controle; proximidade afetiva e identificação narcísica. Através do referencial psicanalítico, apresentamos uma discussão acerca de algumas das necessidades emocionais dos pacientes psicóticos e da potencialidade do arranjo para respondê-las. Destacamos que a fertilidade desse trabalho depende de sua sustentação coletiva, a ser construída entre diversos atores que envolvem o usuário e o serviço, mediante permanente esforço de análise crítica. Para tanto, propomos a reflexão acerca de um posicionamento ético baseado na capacidade de o profissional envolver-se genuinamente com seus pacientes, podendo, ao mesmo tempo, abster-se e deixá-los traçar os sentidos do tratamento / Abstract: The present thesis applies a qualitative and participative method based on Gadamer?s hermeneutics and the constructivist paradigm. Our goal was to analyze an arrangement called staffs or professionals of reference for the treatment of psychotic patients at Psychosocial Attention Centers regarding its clinical and organizational functions. Data collection was carried out in two cycles of focus groups consisting of professionals, users and their relatives in the six Psychosocial Attention Centers located in Campinas (SP), as well as through in-depth interviews of the users. The elaborated material shows that all the Psychosocial Attention Centers are organized by staffs of reference. Their professionals monitor patients closely and regularly, configure themselves as professionals of reference and take on the responsibility for therapeutic projects and the collective discussion of the cases. This type of organization was assessed positively by all the subjects of the research. Users and their families consider the professionals of reference as crucial for the development of the treatment. They highlight reliability as one of the main pillars of the therapeutic relationship and further state that this relationship is built up through conversations, the feeling that their specific needs are being perceived, and the support they get to solve practical issues. The workers point out the potential of the staffs of reference for the sharing and co-responsibility of the cases. They recognize the uniqueness and intensity of the relationship between professionals of reference and users, but also draw attention to some paradoxes inherent to the arrangement, such as the tensions between care and tutelage, permanent attention given to the patient and control, as well as emotional closeness and narcissistic identification. Based on the psychoanalytic referential, this thesis presents a discussion about some of the emotional needs of psychotic patients and the potential of the arrangement to meet them. We point out that the success of that work depends on the collective support it gets, which is to be built by the different participants that involve the user and the service in an ongoing effort of critical analysis. We therefore suggest a reflection on an ethical position based on the ability of the professional to get genuinely involved with his/her patients and, at the same time, to step back and let them trace the meanings of the treatment / Doutorado / Saude Coletiva / Doutor em Saude Coletiva
43

A produção cientifica sobre o acompanhamento terapeutico no Brasil de 1960 a 2003 : uma analise critica

Simões, Cristiane Helena Dias 25 February 2005 (has links)
Orientador: Debora Isane Ratner Kirschbaum / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-04T04:29:44Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Simoes_CristianeHelenaDias_M.pdf: 662468 bytes, checksum: e59b77be615cb9ec6a475f0561d86622 (MD5) Previous issue date: 2005 / Resumo: Este é um estudo bibliográfico que analisa as produções científicas referentes ao tema acompanhamento terapêutico, a partir de 1960 até 2003, com o objetivo de identificar os temas emergentes dessa produção e estabelecer o que é o acompanhamento terapêutico para os agentes dessa prática. Conforme os autores analisados, as iniciativas de reformas psiquiátricas ocorridas no país possibilitaram o surgimento do acompanhamento terapêutico. Desta forma, a prática do acompanhamento terapêutico foi introduzida no Brasil a partir de 1960 como atribuição do atendente psiquiátrico, auxiliar psiquiátrico, amigo qualificado, e a partir dos anos 80 esta prática foi designada como acompanhamento terapêutico. Realizou-se uma análise crítica da produção científica sobre o tema acompanhamento terapêutico e com a seleção de cinco temas emergentes. A análise da produção teórica sobre o acompanhamento terapêutico evidencia uma preocupação dos autores em estabelecer as funções e os objetivos que marcaram a especificidade das práticas do atendente psiquiátrico e auxiliar psiquiátrico, cujo trabalho era acompanhar o paciente em seu cotidiano, enquanto os autores que abordam a prática do acompanhamento terapêutico estão implicados em formular definições acerca do que é o este trabalho atrelado a uma abordagem teórica. Referente ao tema a quem se destina o acompanhamento terapêutico, os autores afirmam que a prática do atendente e do auxiliar psiquiátrico eram composta por psicóticos adultos, que estavam em regime de internação. Em relação à prática do acompanhamento terapêutico, os autores analisados afirmam que foi uma prática voltada para os pacientes psicóticos adultos, mas que rapidamente abrangeu crianças, adolescentes e idosos e outros diagnósticos. As características do profissional que assumiu a função do acompanhante terapêutico foram mudando em cada período, já que os autores analisados apontam que para ser atendente psiquiátrico ou auxiliar psiquiátrico não era necessário ter formação na área psicanalítica. Em relação ao perfil do acompanhante terapêutico, os autores apontam que a maioria possui formação em Psicologia e destacam a teoria psicanalítica como embasamento para a compreensão e intervenção no caso. A partir da análise referente às características das práticas do atendente psiquiátrico, do auxiliar psiquiátrico e do amigo qualificado, os autores analisados apontam que a principal característica era de uma intervenção realizada em um ambiente externo à instituição; as características que marcam o acompanhamento terapêutico são: setting ampliado, diálogo com a família do paciente e trabalho em equipe. No acompanhamento terapêutico a clínica pode ser realizada em diferentes concepções teóricas e/ ou clínicas que fundamentam a intervenção do acompanhante terapêutico. Sobre a fundamentação teórica do trabalho de acompanhamento terapêutico encontramos duas visões, uma, que é a maioria, os autores se embasam na teoria psicanalítica, e a outra, os autores consideram que é preciso se fundamentar em diversos campos de saberes para conseguir esta teorização / Abstract: This is a bibliographic research that analyses the scientific writing about the theme therapeutic accompaniment from 1960 until 2003. The objective of this study is to identify the emerging themes in this writing and establish what the therapeutic accompaniment is according to the agents of this practice. According to the authors researched, the changes in psychiatric assistance model in Brazil allowed the emergence of the therapeutic accompaniment approach. Hence, the therapeutic accompaniment approach was brought in Brazil from 1960 named as psychiatric attendant, psychiatric assistant, or qualified friend. In the 80s this practice was finally defined and named as therapeutic accompanist. In this research, it is made a critical analysis of the scientific writing about the theme ¿therapeutic accompaniment¿ and selected five thematic categories. This analysis showed that the authors established objectives and actions that marked the psychiatric attendant and the psychiatric assistant¿s practices, whose work was to accompany the patient in his/her daily life. In contrast, the authors that describe the therapeutic accompaniment are involved in making definitions about this practice connected to a theoretical approach. About the theme ¿to whom the therapeutic accompaniment is meant¿, the authors state that the psychiatric attendant and the psychiatric assistant¿s practice was applied to the in-patient adult psychotic patients. However, the therapeutic accompaniment was applied to the psychotic patients, but was rapidly used also to other patients, such as children, teenagers or elders who could get some benefit from this practice. The characteristics of the professional who took on the function of therapeutic accompanist have been changing. In the beginning, the authors observed that it was not necessary to have a psychoanalytical background to be a therapeutic accompanist. About the therapeutic accompanist profile, authors point that, nowadays, the majority has a Psychology background and the psychoanalytical theory is the base for comprehension and intervention in case studies. The main characteristic of the therapeutic accompaniment practice, as pointed out by the authors, is that it is carried out outdoors. The main characteristics of the therapeutic accompaniment are: a larger setting; the dialogue with the family and teamwork. The therapeutic accompaniment clinic can be undergone according to different backgrounds and theories that give basis to the intervention of the therapeutic accompanist. Authors point that the psychoanalytical theory is the most used theoretical background in this area. Still, there are two points of view about the theoretical background for the therapeutic accompaniment: the first one - which is followed by most of the accompanists ¿ is based on the psychoanalytical theory; and the other approach is used by the authors who consider that it is need to be based on different knowledge fields to deal with this practice / Mestrado / Enfermagem e Trabalho / Mestre em Enfermagem
44

Acompanhamento terapêutico como dispositivo psicanalítico de tratamento das psicoses na saúde mental / Therapeutic acompaniment as a mental health device in the treatment of psychosis

Natasha Frias Nahim Bazhuni 21 June 2010 (has links)
Essa pesquisa interroga a respeito do exercício da prática clínica quando seus fundamentos, conceitos e teorias próprios não estão referidos aos espaços tradicionais de tratamento, como é o caso da prática do Acompanhamento Terapêutico. Trata-se de um levantamento bibliográfico das articulações teórico-práticas realizadas pelos pesquisadores brasileiros que escreveram sobre o tema do AT e posteriormente um recorte específico dos trabalhos que se situam no campo da psicanálise, tendo a finalidade de reunir a produção teórica desta prática e analisá-la. A pesquisa se propõe a oferecer um panorama do campo mostrando como e em que momento histórico o AT surgiu, quais as elaborações teóricas embasaram seu fazer e como a psicanálise contribui para este trabalho. Como conseqüência a disponibilização do conjunto de material produzido neste campo pode contribuir na elaboração de uma posição ou um lugar teórico sobre o AT. O AT surgiu no campo da saúde mental no momento histórico conhecido como Reforma Psiquiátrica, visto que se caracteriza pela aproximação à loucura e por seus novos modos de tratamento. Por ter surgido neste espaço as teorizações no campo se enquadram, em sua maioria, nos enfoques da reabilitação psicossocial e da psicanálise. De acordo com o material bibliográfico pesquisado é possível afirmar que O AT seria definido por uma prática e não por uma abordagem teórica, já que a rigor, não há uma teorização acerca do AT, pois seus autores importaram conceitos de diferentes correntes com bases epistemológicas distintas. O AT pode ser sustentado teoricamente a partir dos preceitos que orientam a clínica psicanalítica com as psicoses, compreendido como uma oferta clínica que sustenta saídas e promove a circulação. É, assim, portanto que o AT propicia em ato uma aproximação e experimentação de laços sociais, ou seja, possibilidades de encontro com efeitos de real. Conclui-se que o AT não é uma prática psicanalítica, no entanto, ao ser desempenhado por um psicanalista, alguns lugares lhe são possíveis, podendo se prestar a ser suporte das identificações imaginárias, ser secretário do alienado até contribuir para a construção do sinthome, que se referem às posições que o AT pode se colocar na transferência / This research delves into the clinical practice when its foundations, concepts and theories do not refer to the traditional spaces of treatment, as is the case with the practice of Therapeutic Acompaniment . It deals with a bibliographical research of the theoreticalpractical articulation by Brazilian researchers who write about Therapeutic Acompaniment and subsequently with a specific section of the psychoanalysis work, with the goal of assembling the theoretical product of this practice and analyzing it. The research intends to offer a view of the field showing how and at what point in history Therapeutic Acompaniment came to be, what theoretical elaborations founded its application and how psychoanalysis contributes to this work. As a consequence, the availability of the set of materials produced in this filed may contribute to the elaboration of a position or a theoretical space regarding Therapeutic Acompaniment. Therapeutic Acompaniment emerged in the mental health field at a historic moment known as the Psychiatric Reform, given that it is characterized by its affinity to insanity and by its new treatment methods. Having arised in this space, most theorizations in the field conform to the focus on psychosocial rehabilitation and psychoanalysis. According to the bibliographical material researched, it is possible to state that Therapeutic Acompaniment would be defined by a practice and not by a theoretical approach, since, strictly, there is no theorization regarding Therapeutic Acompaniment, since its authors imported concepts from different trends, with different epistemological bases. Therapeutic Acompaniment can be theoretically support from the precepts that guide the psychoanalytic clinic of psychosis, understood as a clinical practice that sustains egress and promotes circulation. Therefore Therapeutic Acompaniment provides an approximation and experimentation of social links, that is, possibilities of encounters with effects of the real. In conclusion, although Therapeutic Acompaniment is not a psychoanalytical practice, when it is used by a psychoanalyst it may find its space; it may provide support for imaginary identifications, function as secretary of the insane, and contribute to the construction of the sinthome, spaces which refer to the positions Therapeutic Acompaniment may assume during transference
45

Reflexões sobre a abordagem Open Dialogue e um estudo em Nova Iorque e Vermont /

Florence, Ana Carolina. January 2019 (has links)
Orientador: Silvio Yasui / Banca: Luís Fernando Farah de Tófoli / Banca: Elizabeth Maria Freire de Araujo Lima / Banca: Claudinei Eduardo Biazoli Junior / Banca: Cristina Amélia Luzio / Resumo: Esta pesquisa de Doutorado apresenta a história, as evidências e os princípios da abordagem Open Dialogue (OD) e investiga a recepção norte-americana desta abordagem em dois estados: Nova Iorque e Vermont. Originalmente desenvolvida na Finlândia, a abordagem OD é uma forma de psicoterapia e um modo de organizar sistemas de saúde mental. Nos últimos anos, o interesse nesta abordagem tem crescido em função de seus resultados positivos, especialmente no tratamento do primeiro episódio psicótico, e tem sido adaptada em diversos lugares do mundo. A maneira como esta abordagem foi recebida e adaptada nos Estados Unidos foi por nós estudada em Vermont e Nova Iorque. Para tanto, empregou-se a metodologia qualitativa. Foram conduzidas 6 visitas a campo, 16 entrevistas qualitativas e 2 grupos focais. A população selecionada para este estudo incluiu pacientes, familiares, membros das equipes e membros da comunidade. A análise dos dados empregou a descrição qualitativa informada pela fenomenologia. Os dados mostraram que, em Vermont, uma estratégia de implementação gradual com treinamentos pequenos ao longo de anos tem expandido a oferta de serviços na perspectiva OD. Trabalhadores receberam positivamente a abordagem e pacientes e familiares tiveram experiências positivas de tratamento, sentindo-se mais escutados e menos estigmatizados. Em Nova Iorque, o programa Parachute foi financiado pelo governo federal dos Estados Unidos para a implementação de 4 Centros de Crise e 4 Equipes Móveis trabalhando na perspectiva OD. O Programa foi interrompido depois de 3 anos. Os desafios e o contexto da implementação do Parachute NYC foram discutidos neste trabalho / Abstract: This doctoral research presented the history, evidence and principles of the Open Dialogue (OD) approach and investigated the north american reception of this approach in two states: New York and Vermont. Originally developed in Finland, the OD approach is a form of psychotherapy and a way to organize mental health systems. In the past years there has been a growing interest in the approach due to reported positive outcomes, especially in first episode psychosis. It has been adapted in different places around the world. The way this approach was received and adapted in the United States was studied in New York and Vermont. This study employed qualitative methodology to do so. It comprised 6 field visits, 16 qualitative interviews and 2 focus groups. The study sample included patients, family members, members of the community and staff in two research sites. Data analysis was conducted through qualitative description informed by phenomenology. Data showed that, in Vermont, a bottom-up implementation strategy with small trainings over the years has been expanding services informed by OD. Staff had a positive experience with the approach and patients and family members as well, feeling listened to and less stigmatized. In New York, the Parachute Program was funded by the US Federal Government to implement 4 Respite Center and 4 Mobile Crisis Teams to work with the OD approach. The program was discontinued after 3 years. The challenges and the context of Parachute NYC's implementation were discussed in this thesis / Doutor
46

O psicótico e o seu ninho: um estudo clínico sobre o setting e os seus destinos

Deus, Ricardo Telles de 09 May 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2016-04-28T20:39:26Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Ricardo T Deus.pdf: 379598 bytes, checksum: 752e100653d9dfc30bd353a863fe30e0 (MD5) Previous issue date: 2007-05-09 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / The major goal of this actual study is to distinguish some aspects of the clinical setting that, in the treatment of psychotic patients, would possibly develop an important role. In a first moment, the clinical material collected from the treatment of three psychotic patients attended by the author is built in the form of three narratives. Secondly, many pieces of work that approach the essential subject of this research, in a very meaningful way and under quite singular perspectives, are examined. More specifically, those pieces of work focus on setting in three contexts: in the psychoanalytical clinic, exactly as it would be practiced in the offices; in the institutional sphere; in the Therapeutic Attendance. Lastly, the author of the study got to the conclusion that the clinical setting, adapted to the peculiar needs of the psychotic patient, would present, among many other possibilities, the following characteristics: flexibility or elasticity; consistency; steadiness; materiality; a non-intrusive quality / O presente estudo tem como o seu objetivo maior distinguir alguns aspectos do setting clínico que, no tratamento de pacientes psicóticos, possivelmente desempenhariam um importante papel. Num primeiro momento, o material clínico extraído de três tratamentos de pacientes psicóticos que foram conduzidos pelo autor é elaborado na forma de três narrativas. Em seguida, são examinados vários trabalhos que abordam, de um modo significativo e desde perspectivas bastante singulares, o assunto fundamental desta pesquisa. Mais precisamente, tais escritos versam sobre o setting em três contextos: na clínica psicanalítica, tal como ela seria praticada nos consultórios; no âmbito institucional; no Acompanhamento Terapêutico. Por fim, o autor do estudo chegou à conclusão de que o setting clínico, adaptado às peculiares necessidades do paciente psicótico exibiria, dentre várias outras possíveis, as seguintes características: flexibilidade ou elasticidade; consistência; estabilidade; materialidade; uma qualidade não-intrusiva
47

Psicose, dor e escrita: a produção na melancolia / Psychosis, pain and writing: the productin in the melancholy

José Maurício Bigati 01 July 2009 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Interrogada desde Aristóteles, a melancolia é um diagnóstico que em psicanálise situa-se dentre as psicoses. Diferente do sujeito da neurose que, frente à perda do objeto, passa pelo trabalho de luto para que outro objeto venha a ocupar o investimento da libido; na melancolia a sombra do objeto perdido oculta o brilho de qualquer outro objeto na economia subjetiva do sujeito, uma vez que este introjeta o afeto ligado ao objeto perdido, com fundamentou Freud em Luto e Melancolia. A partir de Lacan, a psicose é especificada pela falta do significante Nome-do-Pai, sem o qual as edificações do sujeito estão sujeitas ao desmoronamento psicótico. Usando como ferramenta o inconsciente estruturado como linguagem, abordaremos a peculiar verdade que aponta o melancólico, examinando suas singularidades clínicas e a função de sua produção escrita. Para tal, nos valeremos de poesias recebidas de um paciente e de belas composições da poeta Florbela Espanca. / Questioned since Aristotle, melancholy is a diagnosis that in psychoanalysis is situated among the psychosis. Different from subject of the neurosis, which, facing the loss of the subject goes into mourning so that another object comes to occupy the investment of the libido; in melancholy, the shadow of the lost object hides the shine of any other object in the subjective economy of the subject, once this introjects the affectiveness linked to the lost object as fundamented by Freud in Mourning and Melancholy. From Lacan psychosis is specified by the lack if the meaningful Name-of-the Father, without which, the edifications of the subject would be subject to a psychotic crack down. Using as a tool the structured unconsciousness as language, we shall focus the peculiar truth that points to the melancholy, examining its clinical singularities and the function of its written production. For such we shall use the poems received from a patient and the nice compositions of the poetess Florbela Espanca.
48

As psicoses ordinárias e suas invenções / The ordinary psychosis and his inventions

Simone Lessa Chaves 06 February 2013 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Esta dissertação tem como proposta investigar as psicoses ordinárias e suas invenções. Partimos dos impasses de nossa prática clínica relativo ao diagnóstico diferencial, buscando identificar quais seriam os principais conceitos utilizados em referência ao mesmo. Sobretudo, apuramos de que maneira estes conceitos se mostram operativos no tratamento possível das psicoses. De forma que o esclarecimento da noção da psicose em psicanálise favorece a compreensão das psicoses ordinárias. Deduzimos que as psicoses, de forma ampla, possuem um aspecto multifacetário e, neste sentido, que as psicoses ordinárias pertencem à diversidade do campo. Estas últimas possuem uma apresentação discreta de fenômenos elementares. Embora a psicose ordinária não seja uma categoria de Jacques Lacan, averiguamos que pode ser depreendida da clínica lacaniana, extraída de uma perspectiva original do autor. Lacan nos faz avançar na ideia de uma direção de tratamento que privilegia a invenção de um significante novo que cumpre a função de sinthoma, exemplificado a partir das elaborações sobre James Joyce e o nó borromeano. O sinthoma é um artifício inventado para dar sustentação ao nó borromeano que é composto pelas instâncias separadas do imaginário, simbólico e real. Supomos que o mais específico das psicoses ordinárias se encontra no modo pelo qual ocorrem suas invenções de amarração do nó borromeano, ou seja, como surgem as compensações da foraclusão do Nome-do-Pai. Nossos dados indicam que a noção de compensação ou suplência que comportam as psicoses ordinárias produz uma forma inédita de apurar suas singularidades, facilitando não apenas o diagnóstico como também a direção do tratamento. / This dissertation is proposed to investigate the common psychoses and their inventions. We left the impasses of our clinical practice for the differential diagnosis in order to identify what are the main concepts used in reference to it. Especially apuramos how these concepts are shown operating in possible treatment of psychosis. In order to clarify the concept of psychosis in psychoanalysis favors the common understanding of psychosis. We deduce that the psychoses, broadly, have a multifaceted aspect and in this sense, that the ordinary psychoses belong to the diversity of the field. The latter have a presentation discrete elementary phenomena. Although psychosis is not an ordinary category of Jacques Lacan, then used to establish what can be deduced from the Lacanian clinic, extracted from a unique perspective of the author. Lacan makes us move towards the idea of a treatment that focuses on a significant new invention that fulfills the function of sinthome exemplified from elaborations on James Joyce and the Borromean knot. The sinthome is a device invented to sustain the Borromean knot which is composed of separate instances of imaginary, symbolic and real. We assume that the more specific psychoses ordinary is occurring in the way of his inventions mooring Borromean knot, or arise as compensation the foreclosure of the Name of the Father. Our data indicate that the notion of compensation or substitutive that involve psychosis ordinary produces a unique way of ascertaining their singularities, facilitating not only the diagnosis but also the direction of treatment.
49

Repercussões do uso de psicofármacos no processo de amadurecimento do psicótico

Raquel Carvalho de Queiroz 30 April 2014 (has links)
No contexto atual do tratamento da psicose, há uma ênfase em prol da utilização, quase exclusiva, de psicofármacos. Desse modo, apontamos para a importância de se considerar as repercussões desse uso de forma abusiva no processo de amadurecimento desse sujeito. Para tanto, a presente pesquisa bibliográfica utilizou as bases de dados do Scielo, NCBI, Fiocruz, Anvisa e OMS; além de bibliotecas online de universidades e de instituições psicanalíticas. Para as buscas, utilizamos descritores como: tratamento da psicose, processo de amadurecimento de Winnicott e uso excessivo de psicofármacos. Partimos da constituição e evolução do saber psiquiátrico e psicanalítico acerca da loucura. Em seguida, baseada na teoria do processo de amadurecimento do sujeito de Winnicott, é apresentado o panorama dessa teoria, de modo a fundamentar de que forma a medicação pode interferir nesse processo. Por fim, são discutidas as propostas de tratamento psicanalítico e psiquiátrico da psicose, dando destaque às consequências do uso abusivo dos medicamentos. Nesse sentido, o presente estudo aponta para a importância para uma prática ética dos profissionais que atuam com essa especificidade clínica. Além disso, ressaltamos o aspecto fundamental do uso comedido do psicofármaco para que ele possa auxiliar o sujeito na retomada desse processo. / In the current context of the treatment of psychosis, there is an emphasis in favor of use, almost exclusively, of psychotropic drugs. In this way, we have pointed out the importance of considering the impact of this abusive use in the ripening process of this subject. For both, the present research used the bibliographic data bases of the Scielo, NCBI, Fiocruz, Anvisa and WHO; in addition to online libraries of universities and psychoanalytics institutions. For the searches, we used descriptors such as: treatment of psychosis, ripening process of Winnicott and excessive use of psychotropic drugs. We depart from the constitution and evolution of psychiatric knowledge and psychoanalytic about insanity. Then, based on the theory of the maturation process of the subject of Winnicott, is presented the panorama of this theory, in order to substantiate that form the medications can interfere in this process. Finally, are discussed the proposals of psychoanalytic and psychiatric treatment of psychosis, highlighting the consequences of improper use of medicines. In this regard, the present study points to the importance for an ethical practice of professionals who works with this clinical specificity. In addition, we emphasize the fundamental aspect of cautious use of psychotropic drugs for which he may assist the subject in the resumption of the process.
50

O ambiente de cuidado no manejo de crises psicóticas : uma leitura winnicottia

Silva, Hayanna Carvalho Santos Ribeiro da 02 August 2017 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2017. / Submitted by Raquel Almeida (raquel.df13@gmail.com) on 2017-10-25T10:55:43Z No. of bitstreams: 1 2017_HayannaCarvalhoSantosRibeirodaSilva.pdf: 1696957 bytes, checksum: 65127f3993542996463b3f413a7620b7 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2017-10-31T11:20:53Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_HayannaCarvalhoSantosRibeirodaSilva.pdf: 1696957 bytes, checksum: 65127f3993542996463b3f413a7620b7 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-10-31T11:20:53Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_HayannaCarvalhoSantosRibeirodaSilva.pdf: 1696957 bytes, checksum: 65127f3993542996463b3f413a7620b7 (MD5) / O presente trabalho é um estudo do pensamento de Winnicott sobre o ambiente na clínica da psicose para contribuir com o cuidado feito pelo Grupo de Intervenção Precoce nas Primeiras Crises do Tipo Psicótico. Nossa tese é que o manejo das crises psicóticas inclui o cuidado ao ambiente do indivíduo em crise, que é sua família, pequena unidade social e o próprio serviço de manejo, com os terapeutas trabalhando no caso. Winnicott sugere que as características do cuidado vivido com o ambiente se transformam em atributos psíquicos do indivíduo, como a capacidade de se preocupar e cuidar de si e dos outros. Para o autor, a psicose é uma defesa reativa a um trauma no estágio de dependência absoluta, a uma intrusão ambiental que interrompe a continuidade do ser do indivíduo e o ameaça de aniquilamento. A falha precoce do cuidado “congela” o amadurecimento do indivíduo ao impedir ou dificultar as vivências que permitem o desenvolvimento de capacidades psíquicas como a integração e a capacidade de se preocupar. O indivíduo reage ao trauma constituindo defesas primitivas e a crise está relacionada à insuficiência dessas defesas, o que faz precipitar um colapso e a necessidade de regressão à dependência máxima. O manejo das psicoses é a organização do ambiente para acolher essa dependência, facilitando, através do cuidado, a continuidade das tendências inatas rumo ao reconhecimento de si e dos outros como pessoas totais. O acolhimento à dependência do paciente em crise defronta o terapeuta com modos primitivos de relação, dominados pela realidade subjetiva do paciente e sua destrutividade não preocupada, nos quais a plena consideração pela pessoa total do outro ainda não é uma característica. Por ser inerentemente exaustivo, o manejo tem por tarefa cuidar do ambiente, responsabilizar-se pelo cuidado, sobreviver à crise e experimentar o que era majoritariamente realidade subjetiva em uma área intermediária, transicional, caminho que possibilita a abertura à realidade compartilhada e ao ser com os outros no cuidado. / The present work is a study of Winnicott’s writings on environment in the clinic of psychosis, as to contribute to the Group of Early Intervention in the First Crises of the Psychotic Type. Our thesis is that management of psychotic crisis includes caring for the environment, which is composed of the patient’s family, small social unit and the management service itself, with the therapists working on the case. Winnicott suggests that characteristics of the care provided by the environment become inner psychic attributes of the individual, such as the capacity to concern and to care for oneself and for others. For the author, psychosis is a defensive organization against trauma in the stage of absolute dependence, that is, an environmental intrusion that interrupts the continuity of the individual’s being and threats him of annihilation. An early failure in care “freezes” the individual’s maturation insofar as it impedes or hinders experiences that would lead to the development of psychical capacities such as integration and the capacity to concern. The individual reacts to trauma constituting primitive defenses, and the crisis is related to the insufficiency of these defenses, which precipitates a collapse and the necessity of regression to the maximum dependency. Management of psychotic crisis is the organization of a holding environment for dependency, facilitating, this time, the continuity of innate tendencies towards the recognition of self and of others as whole, separated though related persons. Holding the dependency of the individual in psychotic crisis confronts the therapist with primitive modes of relation, dominated by the subjective reality of the patient and his unconcerned destructiveness, where full consideration for the total person of the other is not yet a characteristic. Because it is inherently exhaustive, management has the task of caring for the environment, assuming responsibilities, surviving the crisis, and experiencing what was mostly subjective reality in an intermediate, transitional area, through a path that renders possible a shared reality and a being with others in care.

Page generated in 0.0492 seconds