• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 888
  • 16
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 921
  • 921
  • 611
  • 175
  • 157
  • 150
  • 145
  • 134
  • 128
  • 121
  • 115
  • 115
  • 112
  • 110
  • 105
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

O percurso de resiliência da mulher vítima de violência conjugal

Vargas, Gabriele de 13 December 2012 (has links)
Resumo: Trata-se de pesquisa descritiva com abordagem qualitativa a luz do conceito de resiliência, realizada em uma Delegacia da Mulher localizada no município de Guarapuava, Paraná, de dezembro de 2011 a fevereiro de 2012, com 10 mulheres vítimas de violência conjugal, que procuraram o serviço policial para representar judicialmente contra o seu agressor. Teve como objetivo identificar o percurso de resiliência da mulher vítima de violência conjugal. A coleta dos discursos ocorreu mediante entrevista aberta, gravada, e da análise de conteúdo temática, emergiram os seguintes temas: Ameaça à vida e a integridade da família: o início do percurso da resiliência, e Superação da experiência vivida: a adaptação à nova realidade. O perfil das participantes evidenciou que sua idade variou entre 19 e 47 anos, todas eram separadas e tinham filhos, e o ensino fundamental incompleto foi a escolaridade mais predominante entre elas. Em relação à profissão ou ocupação, foi mencionada a de doméstica, comerciante, cabeleireira, cozinheira e do lar. O tipo de violência que sofreram foi a física, psicológica, patrimonial e ameaça contra a vida. A análise dos depoimentos revelou que as participantes da pesquisa decidiram enfrentar a situação e representar contra seu companheiro-agressor quando perceberam que a sua vida, bem como a integridade física de seus filhos e familiares estavam ameaçadas. Os fatores como o apoio encontrado na família e na Delegacia da Mulher tiveram um papel essencial para que as mulheres se sentissem fortalecidas, recuperassem a auto estima e buscassem um novo sentido para sua vida. Este se deu por meio do retorno ao estudo, ou o desejo da retornar à escola, pela busca por um emprego formal, e pela capacidade de projetar o futuro. O processo de enfrentamento da violência fez com que as mulheres avaliassem os danos que a violência acarreta para todos que nela estão envolvidos, se afastassem do convívio com o agressor e procurassem um novo cenário para a sua existência, e, dessa forma, continuaram o percurso de resiliência, mediante a superação do trauma vivido e adaptação a uma nova realidade. Ao finalizar esta pesquisa, foi possível vislumbrar que o conceito de resiliência pode ser explorado na prática cotidiana das enfermeiras, no sentido de transformá-las em tutoras de resiliência.
2

Micropolítica e processos de trabalho de um centro de atenção psicossocial : experiências intersubjetivas dos trabalhadores Micropolitics and work processes of a psychosocial care center : intersubjective experiences of workers

Godoy, Maria Gabriela Curubeto 2009 (has links)
GODOY, Maria Gabriela Curubeto. Micropolítica e processos de trabalho de um centro de atenção psicossocial : experiências intersubjetivas dos trabalhadores. 2009. 252 f. Tese (Doutorado em Saúde Pública) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2009. Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-01-09T16:14:49Z No. of bitstreams: 1 2009_tese_mgcgodoy.pdf: 1226461 bytes, checksum: a02dc7004ca6c2ad817f69568c659722 (MD5) Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-01-09T16:15:03Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_tese_mgcgodoy.pdf: 1226461 bytes, checksum: a02dc7004ca6c2ad817f69568c659722 (MD5) Made available in DSpace on 2014-01-09T16:15:03Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_tese_mgcgodoy.pdf: 1226461 bytes, checksum: a02dc7004ca6c2ad817f69568c659722 (MD5) Previous issue date: 2009 This reasearch investigates the intersubjective experiences of work in the cotidiane micropolitical processes of a community mental health service. We tried to understand the experiences in articulation to the dispositions and positions of the workers. This process conducted us to the identification of some relevant relational configurations considering the perspective of the workers. We established a dialogue with several authors that investigate the health work in Brazil and the mental health community work in other countries. The national literature presents a propositive tendency that contributes to the elaboration of some principles for the health work. However, new empirical studies are necessary to understand the ambivalences and contraditions that appear in the cotidiane between the health workers. Thus, we decided to study this subject considering the historic process of health work and profissionalization, in order to understand interprofessional interactions and conflicts that affect conceptions and establishe possibilities and restrictionas for the constitution of a collective multiprofessional work in mental health. We used a critical hermeneutic approach presenting the multiple versions of the workers experiences relating them to different contexts. Ambivalences and contradictions are relevant in the intersubjective experiences of work and they represent restrictions and possibilities for the constitution of a new praxis among the workers. Ethical and political dimensions of the health work may be associated to affective dimensions, understanding the affect as a potent agent in the mobilization of positions and dispositions that may conduct to reconfigurations of established relations. Esta investigação discorre sobre as experiências intersubjetivas de trabalho situando-as na micropolítica cotidiana de um CAPS que vem reorganizando algumas de suas ações. Buscamos compreender tais experiências articulando-as às posições e disposições dos agentes que as vivenciam, o que nos levou a identificar algumas configurações relacionais relevantes entre os trabalhadores. Dialogamos com diversos autores que vem abordando a temática do trabalho em saúde no Brasil e em equipes comunitárias de saúde mental na literatura estrangeira. A literatura nacional neste campo, caracterizada por uma propositividade importante para a constituição de um ideário sobre o trabalho em saúde, apresenta, no entanto, lacunas em relação a estudos empíricos que enfoquem ambivalências e contradições emergentes nos microprocessos cotidianos. Isto nos levou a trilhar uma trajetória alternativa, referenciada no percurso histórico da constituição do trabalho em saúde e dos processos de profissionalização, de maneira a enfocar as interações estabelecidas entre os trabalhadores considerando as relações e conflitos interprofissionais, bem como as concepções, dificuldades e limites do trabalho coletivo e multiprofissional em saúde mental. Utilizamos um referencial metodológico fundamentado na hermenêutica crítica, de maneira a compreender as experiências intersubjetivas de trabalho nas suas diferentes versões emergentes entre os trabalhadores. Apresentamos uma contextualização de âmbitos sócio-históricos, locais e singulares de maneira a inscrever processual e dialeticamente tais experiências, dotando-as de múltiplos sentidos. As experiências intersubjetivas de trabalho são permeadas por ambivalências e contradições emergentes no cotidiano que representam limites e possibilidades para a constituição de uma nova práxis coletiva entre os trabalhadores. Às dimensões éticas e políticas que referenciam o trabalho em saúde, devem associar-se dimensões afetivas, por compreender o afeto como uma potência mobilizadora de disposições e de posições que permitem reconfigurações em relações de saber/fazer/poder estabelecidas.
3

Mapeamento da rede de atenção à saúde mental do litoral do Paraná

Mäder, Bruno Jardini 2015 (has links)
Orientador: Prof. Dr. Adriano Furtado Holanda Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Defesa: Curitiba, 20/11/2015 Inclui referências : f. 39-45;59-61;95-96 Resumo: A política de Saúde Mental brasileira vem sendo discutida e construída nas últimas quatro décadas. Neste processo, o modelo de atenção centralizado em hospitais psiquiátricos vem sendo substituído por uma proposta territorial, descentralizada em uma Rede de Atenção Psicossocial (RAPS). Esta pesquisa tem o objetivo de descrever a atenção à Saúde Mental desempenhada pelos profissionais dos serviços no litoral do estado do Paraná, nos municípios que compõem a 1a Regional de Saúde. O trabalho se divide em quatro partes. Na primeira propomos uma distinção conceitual entre Atenção à Saúde Mental e Atenção Psicossocial, na qual a primeira é um campo amplo de conhecimentos e práticas enquanto que a segunda é um núcleo de práticas mais bem delimitado. Na segunda parte, discutimos o objeto de pesquisa da Saúde e apresentamos o Mapeamento como método qualitativo e fenomenológico de pesquisa em Saúde. A terceira é composta pela descrição do mapeamento na qual identificamos a composição da rede e os obstáculos para uma atenção integral em Saúde Mental. A quarta e última parte descreve os arranjos assistenciais dispostos pelos serviços de Saúde Mental, e a contribuição técnica e pessoal dos profissionais que atuam nos serviços. Observamos que, nesta região, os serviços efetivam o acolhimento e têm resultados positivos, porém, encontram dificuldades na atuação em rede. Nesta localidade, os dois modelos de atenção (hospitalar e psicossocial) convivem lado a lado sem que se comuniquem de forma efetiva, interrompendo a integralidade da atenção. Palavras-Chave: Atenção à Saúde Mental; Atenção Psicossocial; Mapeamento; Fenomenologia; Rede. Abstract: The policies for Brazilian Mental Health has been debated and constructed in the last four decades. In this process, the model for centralized care in psychiatric hospitals has been replaced for a territorial proposal, in a decentralized NetWork for Psychosocial Attention (RAPS). This research aims to describe the attention to Mental Health performed by professional from health services in the coast of the State of Paraná, in the municipalities that combine the 1st. Regional Health. The paper is divided in four parts. For the first part, we propose a conceptual distinction between Mental Health Attention and Psychosocial Attention, in which the first one is a broad field of knowledge and practices while the second one is a nucleus of well-defined practices. In the second part, we discuss the health research subject and present the mapping, qualitative and phenomenological method of research in Health. For the third part consists of the mapping description in which we identify the composition of the network and the obstacles for a comprehensive care in Mental Health. The fourth and final part describes the assistance arrays prepared by the Services for Mental Health and the technical and personal contribution of professionals who work in such services. We observe that in this location, the services carry out the reception and have positive results from it, however, for they find difficulties when it comes for the network and its performance. In this locality, the two models of mental health care (hospital and psychosocial) live side by side without really communicating to each other effectively, disrupting the potential of a comprehensive attention. Key-Words: Mental Health Attention; Psychosocial Attention; Mapping; Phenomenology; Network.
4

Utilização dos psicofármacos em crianças nos centros de apoio psicossocial infanto juvenil de Fortaleza Psycopharms use in children in centers for psychosocial support in infantojuvenil Fortaleza

Maciel, Ana Paula Pessoa 2013 (has links)
MACIEL, Ana Paula Pessoa. Utilização dos psicofármacos em crianças nos centros de apoio psicossocial infanto juvenil de Fortaleza. 2013. 101 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2013. Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-06-03T13:28:32Z No. of bitstreams: 1 2013_dis_appmaciel.pdf: 880197 bytes, checksum: c53cd47890ff1ee724b1feee754cea53 (MD5) Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-06-03T13:29:37Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_dis_appmaciel.pdf: 880197 bytes, checksum: c53cd47890ff1ee724b1feee754cea53 (MD5) Made available in DSpace on 2014-06-03T13:29:38Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_dis_appmaciel.pdf: 880197 bytes, checksum: c53cd47890ff1ee724b1feee754cea53 (MD5) Previous issue date: 2013 This thesis aims to evaluate the use of psychotropic drugs in children followed in Psychosocial Support Center infantojuvenil - CAPSi of Fortaleza. And a cross-sectional study, from February to December 2012. Data were collected by students of health, where the respondents were responsible for the children. Participants were 292 children. Most of the children were male (74.3%), mean age 8.1 years and receive social benefits. The families belong to socioeconomic class D and E (89.3%), the head of the families are the parents of the children (78.6%), with only the basic level (62.9%), renumbered develops activity (77, 6%), a family income (95.5%), less than or equal to 622.00 (58.5%) living at home (94.1%), very (61.1%) and the number of residents between 1 to 4 (88.3%). Most of the infants (81.5%) have some type of health problem, where (46.6%) reported mental health. Among the hypotheses is the most common behavior disorder (44.9%). Most children are referred from primary care (33.2%), attending once or more per month (69.1%) performed more individual treatments (83.3%), doctors (92.9%) , performing more medication approach (44.5%) and were not followed in other locations (65.4%). Regarding medication approach, improve with treatment (83.1%) report no problems (70%). The non-drug approach reveals improvement (58.8%), feels no problem (97.1%). The proportion of use of medicines in children was 88.4%. The average use of medications was 1.2 drugs by children, the most frequently prescribed were: risperidone (20.5%), carbamazepine (17.1%), amitriptyline (4.8%), chlorpromazine (3.9% ), fluoxetine (8.4%), haloperidol (8.7%), imipramine (7.2%), methylphenidate (6.6%), periciazina (7.5%) and sodium valproate (5.1% ). Most responsible (72.7%) say they know the drugs, the therapeutic use (60.7), are guided by the physician (96.3%) reported liking (60.7%) receive free (54, 7%) and lack when they buy (56.7%). Factors related to the use of psychotropics were the male children, younger beneficiaries, accompanied by their mothers, the married state, schooling and school activities renumbered, children from poor families, live in houses, own with one to four household members. In relation to health services, greater use was associated with children who had health problems, unaccompanied elsewhere, referred by other services, children who attend once a month or more the CAPSi, children accompanied by doctors , not participating groups, the activities of the occupational therapist and psychologist monitoring. The study reveals a high use of psychotropic drugs in children followed us CAPSi Fortaleza, suggesting an urgency in famacoterapêuticas interventions in promoting rational use of medicine Crianças acompanhadas nos Centro de Apoio Psicossocial Infantojuvenil - CAPSi de Fortaleza. E um estudo transversal, de fevereiro à dezembro de 2012. Os dados foram coletados por estudantes da saúde, onde os entrevistados foram os responsáveis pelas crianças. Participaram da pesquisa 292 crianças. A maioria das criança são do sexo masculino (74,3%), a média de idade 8,1 anos e recebem benefícios social. As famílias pertencem a classe socioeconômica D e E (89,3%), o chefe das famílias são os pais das crianças (78,6%), com apenas o nível fundamental (62,9%), desenvolve atividade renumerada (77,6%), possui renda familiar (95,5%), menor ou igual a 622,00 (58,5%), moram em casa (94,1%), própria (61,1%) e o número de moradores entre 1 a 4 (88,3%). A maior parte das crianças acompanhadas (81,5%) apresenta algum tipo de problema de saúde, onde (46,6%) referia ser saúde mental. Entre as hipóteses a mais frequente é o transtorno de comportamento (44,9%). A maioria das crianças é encaminhada da atenção primária (33,2%), frequentam uma vez ou mais por mês (69,1%), realizam mais tratamentos individuais (83,3%), com os médicos (92,9%), realizando mais abordagem medicamentosa (44,5%) e não são acompanhadas em outros locais (65,4%). Em relação a abordagem medicamentosa, melhoram com o tratamento (83,1%), não relatam problema (70,%). A abordagem não medicamentosa revela melhora (58,8%), não sente problema (97,1%). A proporção de utilização dos medicamentos nas crianças foi de 88,4%. A média de utilização de medicamentos foi de 1,2 fármacos por crianças, os mais prescritos foram: risperidona (20,5%), carbamazepina (17,1%), amitriptilina (4,8%), clorpromazina (3,9%), fluoxetina (8,4%), haloperidol (8,7%), imipramina (7,2%), metilfenidato (6,6%), periciazina (7,5%) e valproato de sódio (5,1%). A maior parte dos responsáveis (72,7%) afirma conhecer os medicamentos, o uso terapêutico (60,7), são orientados pelo médico (96,3%), relatam gostar (60,7%), recebem gratuitamente (54,7%) e quando falta, compram (56,7%). Os fatores que relacionou-se ao uso dos psicofármacos foram: as crianças do sexo masculino, mais jovens, beneficiadas, acompanhadas pelas mães, de estado civil casado, escolaridade ensino fundamental e com atividades renumeradas, crianças de famílias pobres, moram em casas, próprias, com um a quatro moradores no domicílio. Em relação aos serviços de saúde, a maior utilização associou-se as crianças que possuíam problema de saúde, não acompanhadas em outros locais, encaminhadas por outros serviços, as crianças que frequentam uma vez ou mais por mês o CAPSi, as crianças acompanhadas pelos médicos, não participam dos grupos, das atividades do terapeuta ocupacional e do acompanhamento do psicólogo. O estudo revelou um elevado uso de psicofármacos em crianças acompanhadas nos CAPSi de Fortaleza, sugerindo uma urgência em intervenções famacoterapêuticas na promoção de uso racional dos medicamentos.
5

Internamento por crack : perfil dos usuários e padrão de assistência em hospital geral

Ponte, Michelle Alves Vasconcelos 2012 (has links)
PONTE, Michelle Alves Vasconcelos. Internamento por crack : perfil dos usuários e padrão de assistência em hospital geral. 2012. 115 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2012. Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-10-31T15:47:52Z No. of bitstreams: 1 2012_dis_mavponte.pdf: 1289131 bytes, checksum: bdde88916d5b506060f7d67a99aa85c6 (MD5) Approved for entry into archive by Erika Fernandes(erikaleitefernandes@gmail.com) on 2012-11-01T13:28:54Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_dis_mavponte.pdf: 1289131 bytes, checksum: bdde88916d5b506060f7d67a99aa85c6 (MD5) Made available in DSpace on 2012-11-01T13:28:54Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_dis_mavponte.pdf: 1289131 bytes, checksum: bdde88916d5b506060f7d67a99aa85c6 (MD5) Previous issue date: 2012 The purpose of changing the conception of hospitalization for psychoactive substance use has a new direction for assistance, working in a logic antimanicomial and interdisciplinary. The study objectives were: To analyze the epidemiological profile of crack users hospitalized patients in beds of a general hospital in Sobral-CE, regulated by the UHS, in 2010; characterize the sociodemographic and clinical profile of crack users, estimate the frequency, type of psychiatric hospitalization due to crack use and describe characteristics of services such as: costs, professional envolvidosm, assistance. A quantitative study, a cross-sectional data collection was performed from November/2011 to February 2012, using as a base, data from medical records of patients admitted to the psychiatric ward at the General Hospital, Dr. Estevam Ponte in the city of Sobral-CE. Crack users hospitalized in the year 2010 were selected, representing 31.5% of admissions for psychoactive substance use this year, a total of 97 admissions. To collect data relevant variables were extracted for the study related to hospitalization and the patient. The analysis was performed using the SPSS and R 2.10. To identify differences between the types of outcome and the sociodemographic and clinical variables of crack users, Pearson’s chi-square and Fisher’s were conducted, and used p value less than 0.05 and rough estimate of odds ratios and prevalence. It was used the Mann-Whitney and based on the outcome variables were selected for multivariate analysis according to the criteria of Hosmer-Lemeshow test for logistic regression and Cox regression. For analysis of length of hospital stay it was adapted to the techniques of survival analysis and Kaplan-Meier method. The study was approved by the research ethics committee and funded by CNPq. As the profile of crack users, mostly were male, aged 25-34 years with low education, no occupation at the time of admission, with marital bond, with fixed residence. On the type of admissions, the number of professionals involved was statistically significant (p <0.05), as the value of hospitalization and use of other drugs associated with the crack. By applying logistic regression it was concluded that the risk factors for involuntary hospitalization were substance abuse and the age group 25-34 years. Related to length of stay it was observed that the age of users, the fact that it is developing some occupation and the number of professionals who assist them have significant difference (p <0.05) in their length of hospital stay, important aspects were described of the users previously treated.The importance of understanding the profile of these patients and characteristics of these hospitalizations allows a reflection on the models of care and direction of policies for this scenario. O propósito de mudança na concepção de internação hospitalar por uso de substâncias psicoativas tem um novo direcionamento de assistência, atuando numa lógica antimanicomial e interdisciplinar. Os objetivos do estudo foram: Analisar o perfil epidemiológico dos pacientes usuários de crack internados em leitos de um hospital geral de Sobral-CE, regulado pelo SUS, no ano de 2010; caracterizar o perfil sociodemográfico e clínico de usuários de crack, estimar a frequência, por tipo de internação psiquiátrica, devido ao uso de crack e descrever características desse atendimento tais como: custos, profissionais envolvidos e assistência. Estudo quantitativo, transversal, cuja coleta de dados foi realizada de novembro/2011 a fevereiro de 2012, tomando-se por base, dados de prontuários de pacientes internados na enfermaria psiquiátrica no Hospital Geral, Dr. Estevam Ponte, na cidade de Sobral-CE. Selecionou-se usuários de crack, internados no hospital, no ano de 2010, representando 31,5% das internações por uso de substâncias psicoativas neste ano, no total de 97 internamentos. Para coleta de dados foram extraídas variáveis relevantes para o estudo relacionadas à internação e ao paciente. A análise foi realizada por meio dos software SPSS e R 2.10. Para identificar diferença entre os tipos de desfecho e variáveis sociodemográficas e clínicas dos usuários de crack, realizou-se testes de qui-quadrado de Pearson e Fisher, sendo utilizado valor de p menor que 0,05 e cálculo bruto das razões de chance e de prevalência. Utilizou-se o teste de Mann- Whitney e com base nos resultados foram selecionadas variáveis para análise multivariadas segundo critério de Hosmer-Lemeshow para regressão logística e regressão de Cox. Para análise da permanência hospitalar adaptou-se as técnicas de análise de sobrevida e as curvas de Kaplan-Meier. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa e financiado pelo CNPq. Quanto ao perfil dos usuários de crack, eram em sua maioria do sexo masculino, na faixa etária de 25 a 34 anos, com baixa escolaridade, sem ocupação no momento da admissã, com vínculo conjugal, com residência fixa.Relativo a tipologia das internações, mostrou-se estatisticamente significante ((p<0,05) o número de profissionais envolvidos, o valor da internação e o uso de outras drogas associadas ao crack. Ao aplicarmos a regressão logística concluímos que os fatores de risco para internação involuntária foram o uso abusivo de substâncias e a faixa etária de 25 a 34 anos. Relacionado ao tempo de internação foi observado que a idade dos usuários, o fato de estar desenvolvendo alguma ocupação e o número de profissionais que o assistem tem diferença significante (p < 0,05) na permanência hospitalar dos mesmos, foram descritos aspectos importantes dos usuários com tratamento anterior. A importância do conhecimento do perfil destes pacientes e características de internações nos permite uma reflexão sobre os modelos de atenção e direcionamento de políticas voltadas para este cenário.
6

Organização policial militar, produção de subjetividade e saúde mental: uma revisão de literatura Military police organization, production of subjectivity and mental health: a literature review

Silva, Natália Nogueira da 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2016-03-04T13:39:46Z (GMT). No. of bitstreams: 2 118.pdf: 970580 bytes, checksum: 8bca25649b965fdc982dfc468386b3ed (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2015 Este estudo teve como objetivo analisar a bibliografia produzida na área de Saúde Pública sobre a relação entre os aspectos institucionais da organização policial militar, a produção de subjetividade e a saúde mental, buscando identificar se os autores relacionam as características da organização militar ao adoecimento psíquico. Através da metodologia de revisão de literatura foram analisados 15 trabalhos científicos. Constatou-se que a produção sobre este tema torna-se mais evidente a partir dos anos 2000 e que o estudo sobre a produção de subjetividade policial militar ainda é um tema pouco explorado. Verificou-se que elementos da organização policial militar podem impactar negativamente a saúde mental dos policiais como: a elevada carga de trabalho, baixos salários, a rígida disciplina e a hierarquia militar. Destaca-se a centralidade que o tema estresse possui nos estudos sobre a saúde mental dos profissionais. Reconhecendo a relevância do papel que os policiais militares ocupam na sociedade é fundamental a realização de trabalhos científicos que objetivem identificar e analisar o estado de saúde mental desses profissionais. The objective of this study is to analyze the literature produced in the field of public health with specific reference to the relationship between the institutional aspects of military police organization. It looks at the production of subjectivity and mental health in order to identify whether the authors relate characteristics of military organization to mental illness. Employing review of literature methodology, 15 scientific papers have been analyzed. The research finds that production on this topic has become more evident since the 2000s but study of military police subjectivity production remains a relatively unexplored subject. The study notes that elements of military police organization that can have negative impacts on the mental health of police are those such as high workload, low wages, rigid discipline and military hierarchy. We emphasize the centrality of the aspect of stress in our studies of mental health professionals. Recognizing the important role that the military police occupies in society, it is essential that scientific work aims to address and analyze the status of the mental health of personnel within its ranks. (AU)^ien
7

Formação do enfermeiro em uma universidade pública no estado do Ceará : competências e habilidades de saúde mental Nurse formation in a public university in Ceará state : skills and abilities of mental health

Lemos, Aline Mesquita 2014 (has links)
LEMOS, Aline Mesquita. Formação do enfermeiro em uma universidade pública no estado do Ceará : competências e habilidades de saúde mental. 2014. 116 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014. Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2015-10-23T16:41:48Z No. of bitstreams: 1 2014_dis_amlemos.pdf: 4095165 bytes, checksum: 046842f53436b235df612aabea6ed521 (MD5) Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2015-10-26T10:50:58Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_dis_amlemos.pdf: 4095165 bytes, checksum: 046842f53436b235df612aabea6ed521 (MD5) Made available in DSpace on 2015-10-26T10:50:58Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_dis_amlemos.pdf: 4095165 bytes, checksum: 046842f53436b235df612aabea6ed521 (MD5) Previous issue date: 2014 The current dissertation aims to analyze the competences and skills of Mental Health Nursing identified by scholars and based on the National Nursing Curriculum Guidelines (DCN/ENF) as well as on the Psychiatr ic Reform. This is a descriptive, exploratory and documental study with qualitative/quantitative approach. It was performed with college students attending the sixth , seventh and eighth semesters in the Nursing Federal University of Ceará (UFC) in December 2013. A semi - structured questionnaire and an interview listing socio - demographic and competence data were used. The quantitative data were organized in tables and the interviews in charts. The associations between competences and the group were analyzed b y X 2 test as well as by likelihood ratio. The p<0.05 value was considered statistically significant for all the analyses. Eight students who attended the eighth semester in the course were interviewed and the ir answers were analyzed according to Spink’s se nse production and substantiated by the literature. The results are in line with other realities from other studies on Mental Health and Psychiatric Nursing teaching. Fear and stigma are often present in this practice and they influence students’ learning process. As for Mental Health competences, many students feel unprepared, mainly in regards to the basic competences for the nurse’s formation such as the understanding of the Mental Health Policy guidelines; the use of Mental Health Nursing within the fam ily and community context; featuring mental disorders; taking actions in different levels of mental healthcare and handling patients in mental disorder crises. These students also consider the teaching practices, didactics, working hours and Mental Health internship opportunities insufficient. Thus, it is demanding to analyze these flaw competences, as well as other aspects that deconstruct this practice’s negative sides and the necessary changes in the students’ learning process in all the school disciplin es, thus perpetuating the idea that Mental Health is peculiar to all the cycles of life and transversal to such disciplines . Formação do enfermeiro em uma universidade pública do estado do Ceará: competências e habilidades de saúde mental. 2014. Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Departamento de Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, 2014. Objetivou-se analisar as competências e habilidades de Enfermagem em Saúde Mental identificadas pelos acadêmicos, com base nas Diretrizes Curriculares Nacionais em Enfermagem (DCN/ENF) e na Reforma Psiquiátrica. Estudo de caráter descritivo, exploratório e documental, com abordagem quali-quantitativa, realizado com graduandos do sexto, sétimo e oitavo semestres do curso de Enfermagem da Universidade Federal do Ceará (UFC) em Dez/ 2013, em que foi utilizado um questionário semiestruturado e entrevista, com dados sociodemográficos e de competências.Os dados quantitativos foram organizados em tabelas as entrevistas em quadros. As associações entre as competências e o grupo foram analisadas por meio dos testes de X2 e de razão de verossimilhança. Para todas as análises, o valor de p<0,05 foi considerado estatisticamente significante. A entrevista foi realizada com oito alunas do oitavo semestre e analisada de acordo com a produção de sentidos de Spink, fundamentada com a literatura pertinente. Os resultados coadunam com outras realidades encontradas em outros estudos sobre o ensino de Enfermagem em Saúde Mental e Psiquiatria, em que medo e estigma estão presentes, influenciando no processo aprendizagem dos alunos. Em relação às competências de Saúde Mental, muitos se sentem deficientes, principalmente naquelas que são básicas para a formação do Enfermeiro, como o reconhecimento das diretrizes da política de Saúde Mental; aplicar assistência de Enfermagem em Saúde Mental no contexto familiar e comunitário; caracterizar transtornos mentais; atuar nos diversos níveis de atenção à saúde mental; e lidar com o paciente em crise de transtorno mental. Consideraram também o ensino, a didática, a carga horária e os campos de estágios em Saúde Mental muitas vezes insuficiente. Nesta perspectiva, faz-se necessário avaliar estas competências que estão falhas, assim como outros aspectos para desconstrução do que é negativo e construção daquilo que é necessário para o processo de ensino dos docentes que permeiam nas disciplinas, perpetuando a ideia que a Saúde Mental é peculiar a todos os ciclos de vida e transversal às disciplinas. Palavras-chave: Enfermagem. Ensino. Saúde Mental. Enfermagem Psiquiátrica.
8

Avaliação da implementação de programa preventivo em saúde mental através da aceitabilidade de crianças participantes

Strelow, Milene 2016 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, 2016. Made available in DSpace on 2017-02-07T03:12:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 343705.pdf: 9519287 bytes, checksum: c5d8348fa72fbca1e6216538d8332b33 (MD5) Previous issue date: 2016 Esta dissertação teve como objetivo avaliar a aceitabilidade de um grupo de crianças participantes da implementação da intervenção preventiva chamada Programa Elos no ano de 2015, dando voz aos atores envolvidos no processo. Trata-se de um programa de prevenção primária voltado para educandos do 1o ao 5o ano do Ensino Fundamental, resultante da adaptação transcultural do programa norte-americano Good Behavior Game (GBG), indicado ao governo brasileiro pelo Escritório para Drogas e Crimes da Organização das Nações Unidas (UNODC) como um dos programas preventivos baseados em evidências para atuar no fenômeno do abuso de substâncias psicoativas. O processo de implementação no contexto brasileiro teve início em 2013, quando foi realizado um estudo pré-piloto e no ano de 2014 ocorreu um estudo piloto. O presente estudo caracterizou-se como uma pesquisa avaliativa, através da metodologia qualitativa de estudo de caso, com uma turma do 5o Ano, com 27 alunos de uma das escolas públicas que receberam o programa. Os instrumentos e técnicas utilizados foram a observação participante, entrevistas semiestruturadas com a professora e a multiplicadora do programa e diálogo destes dados com os grupos focais realizados com as crianças. A avaliação de processo de implementação de programas preventivos e, dentro deste horizonte, a aceitabilidade dos participantes, é um importante indicador para verificar se a intervenção é percebida como relevante e se viabiliza o engajamento do público envolvido. Os resultados apontam uma alta aceitabilidade das crianças em relação ao jogo, o que corroborou com a opinião da professora e da multiplicadora. Os benefícios comportamentais decorrentes da participação no programa indicaram estarem centrados ainda aos momentos em que acontece o Elos, tendendo a turma a voltar as suas características comportamentais originais em outros momentos pedagógicos. Entretanto, destacam-se resultados nos alunos com comportamentos pouco adaptativos, como os disruptivos e os tímidos, que relataram benefícios nos momentos do jogo, mas apontaram generalizações para outras situações. O desenvolvimento do autocontrole e da empatia através do trabalho em equipe preconizado pelo programa também foram citados como desdobramentos importantes. As limitações dos resultados sugerem que a fidelidade da implementação pode ter interferido na qualidade dos resultados obtidos, conforme também foi encontrado na pesquisa mais ampla realizada junto aos professores, gestores e multiplicadoras em 2014. As observações em campo confrontadas com o relato das crianças em relação a terem participado pouco na construção das regras e combinados para tornarem-se corresponsáveis pelo bom andamentos dos trabalhos em sala de aula ? algo sugerido pela metodologia do programa ? bem como os poucos momentos em que o jogo foi realizado durante a semana (em média uma vez por semana), entre os meses de agosto a novembro de 2015, indicam que os efeitos positivos poderiam ter tido mais impacto.
Abstract : This dissertation aims to evaluate the acceptability of a group of children who participated in the implementation of a preventive intervention called Elos Program in 2015, giving voice to the actors involved in the process. It is a primary prevention program aimed at students from first to fifth grade of elementary school, resulting from the transcultural adaptation of the US program Good Behavior Game (GBG), indicated to the Brazilian government by the United Nations Office on Drugs and Crime (UNODC) as a preventive program based on evidence to work in the substance abuse phenomenon. The implementation process in the Brazilian context began in 2013, when a pre-pilot study was conducted and in 2014 there was a pilot study. This study was characterized as an evaluation research through qualitative methodology of case study, with a group of 5th year composed of 27 students from a public school that received the program. The tools and techniques used were participant observation, semi-structured interviews with the teacher and the multiplier of the program, and the dialogue of these data with the focus groups conducted with children. The implementation process of evaluation of prevention programs and within this horizon, the acceptability of the participants is an important indicator to see if the intervention is perceived as relevant and enables the engagement of the public involved. The results show a high acceptability of children in relation to the game, which corroborated the view of the teacher and the multiplier. The behavioral benefits of participation in the program seem associated with moments where the game takes place, which suggests that the class tends to return to their original behavioral characteristics in other teaching moments. However, we highlight results in students with little adaptive behaviors, such as disruptive and shy, who reported benefits in moments of the game, but pointed generalizations to other situations. The development of self-control and empathy through teamwork recommended by the program were also cited as important developments. The limitations of the results suggest that the fidelity of implementation may have affected the quality of the results obtained, as was also found in the broader survey among teachers, managers and multipliers in 2014. Observations in the field faced with the speech of children about taking part in the construction of rules and combined to become co-responsible for the work in the classroom ? something suggested by the program methodology ? and the few moments when the game was held during the week (on average one once a week), between the months of August to November 2015 indicate that the positive effects could have had more impact.
9

Familiares de Pessoas Com Sofrimento Psíquico e Profissionais de Saúde Mental: Encontros e Desencontros

CONSTANTINIDIS, T. C. 12 August 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T14:10:37Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_2835_.pdf: 640196 bytes, checksum: 855e82f55c88e1c81d87736bf78352d8 (MD5) Previous issue date: 2011-08-12 As diretrizes assistenciais em saúde mental, no Brasil, prevêem o apoio à família da pessoa com sofrimento psíquico. No entanto, esses familiares referem despreparo em lidar com os encargos cotidianos da convivência com seus entes e desamparo em relação à assistência que recebem dos serviços de saúde mental. Os profissionais de saúde mental, por sua vez, enfrentam dificuldades na inclusão da família nos projetos terapêuticos e na assistência da pessoa com transtorno mental. Diante de tais fragilidades nessa relação, a proposta deste estudo foi conhecer a relação que se estabelece entre esses atores e buscar reflexão sobre fatores que interferem na possibilidade de um bom encontro entre eles. Nesse sentido, foram percorridos temas que se configuram como centrais para o conhecimento das dimensões dessa relação, como o modo de subjetivação desses sujeitos e a ética na filosofia de Espinosa. A perspectiva qualitativa de investigação configurou-se como método para alcançar os objetivos propostos. Foram realizadas entrevistas com profissionais de saúde mental de dois centros de atenção psicossocial do município de Vitória ES e com familiares de usuários destas instituições. Após análise temática do conteúdo dessas entrevistas, foram indicados e discutidos fatores de impasses a serem enfrentados nessa relação, tais como: lógica manicomial presente na relação que cada um desses sujeitos estabelecem com a loucura; dificuldade do profissional na relação com a alteridade do familiar, com prática pautada na polarização do saber, na sua moral e na retificação da dinâmica familiar; disparidade entre oferta e demanda, sem conhecimento das necessidades desses sujeitos. Familiares e profissionais não acreditam em possibilidades desse encontro e distanciam-se com suas potências de ação diminuídas. Apoiando-se na filosofia espinosana,é discutida as causas das inconveniências dessa relação e proposta a ética como possibilidade de aproximação de paixões alegres e potencia de agir dessas pessoas. Palavras-chave: ... Encargos Familiares; Práticas em Saúde; CAPS.
10

A Violência na Escola e os Transtornos Mentais Comuns (tmc) em Professores de Escolas Municipais de Jaboatão dos Guararapes – Pernambuco.

Lima, Alyne Fernanda Tôrres de 17 March 2014 (has links)
Submitted by Etelvina Domingos (etelvina.domingos@ufpe.br) on 2015-04-10T17:13:59Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO Alyne Fernanda Tôrres de Lima.pdf: 1472269 bytes, checksum: 52a34cbc523b074f72476404736061f8 (MD5) Made available in DSpace on 2015-04-10T17:13:59Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO Alyne Fernanda Tôrres de Lima.pdf: 1472269 bytes, checksum: 52a34cbc523b074f72476404736061f8 (MD5) Previous issue date: 2014-03-17 Reuni CAPES INTRODUÇÃO: A violência é um fenômeno multifatorial que atinge diversos setores da sociedade. Nas escolas a violência, além de outros problemas, tem repercutido de maneira negativa atingindo os professores e muitas vezes causando problemas a sua saúde física e emocional. OBJETIVO: conhecer a associação entre a violência na escola e Transtornos Mentais Comuns (TMC) em professores da rede municipal de ensino de Jaboatão do Guararapes – Pernambuco. METODOLOGIA: Um estudo do tipo transversal exploratório, foi realizando com 525 professores da rede pública municipal de ensino. Os professores responderam a um questionário que tratava sobre a violência nas escolas e sobre a sua saúde. Para conhecer a prevalência dos Transtornos Mentais Comuns foi utilizado o Self Reporting Questionnaire (SRQ-20) um instrumento indicado pela Organização Mundial de Saúde para pesquisa de Transtornos Mentais Comuns. RESULTADOS: Os resultados mostraram que a agressão física e a agressão verbal contra o professor, a agressão ou ameaça com arma de fogo ou arma branca, o tráfico e o consumo de drogas na estão associados aos TMC. CONCLUSÃO: A violência afeta a saúde emocional do professor aumentando a chance de transtornos mentais comuns entre os pesquisados e que se faz necessário investir na capacitação do professor para o enfrentamento desse problema e em ações de prevenção da violência.

Page generated in 0.0818 seconds