• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1013
  • 43
  • 26
  • 26
  • 26
  • 23
  • 22
  • 10
  • 10
  • 7
  • 7
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • Tagged with
  • 1094
  • 590
  • 258
  • 256
  • 224
  • 207
  • 170
  • 164
  • 122
  • 109
  • 105
  • 103
  • 101
  • 81
  • 78
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
21

O imperialismo, fase contemporanea do capitalismo

Benitez, Jose Leandro Farias January 1990 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciencias Juridicas / Made available in DSpace on 2013-12-05T20:05:47Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 1990Bitstream added on 2016-01-08T16:51:05Z : No. of bitstreams: 1 80688.pdf: 851916 bytes, checksum: dc673e08518db66440e25cd78adfd5aa (MD5) / Esta dissertação analisa o imperialismo segundo a teoria criada por Lênin e tenta mostrar sua validade na interpretação das manifestações contemporâneas do fenômeno. O método utilizado é o indutivo. A obra de Lênin "O Imperialismo, Fase Superior do Capitalismo" deu origem à teoria marxista-leninista do imperialismo, que é caracterizado, como resultante da concentração da produção e do capital que por sua vez, dá origem aos monopólios, agrupamentos que dominam a produção imperialista. O capital industrial e o capital bancário unem-se e formam o capital financeiro, que é utilizado pelos monopólios. O imperialismo é a última fase do capitalismo, antes da revolução. Os fenômenos do imperialismo que surgiram após tal obra são: a) o capitalismo monopolista de estado, no qual os interesses dos monopólios e do estado se fundem; b) a dependência, que é a submissão dos países menos desenvolvidos às potências imperialistas, isto é, o estudado pelas teorias de neo-imperialismo; c) o surgimento de um novo imperialismo, diferente do estudado por Lênin, caracterizado pelos Estados Unidos; d) a crise do sistema imperialista. No século XX iniciou-se a crise geral do capitalismo, que o leva a uma deteriorização progressiva e irreversível. As conclusões obtidas neste trabalho são no sentido da validade da teoria leninista para a análise do imperialismo, a importância das teorias do neo-imperialismo na atualização desta e a vigência das concepções leninistas quanto ao imperialismo contemporâneo.
22

Uruguai

Vidal, Leandro Moraes January 2013 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Florianópolis, 2013. / Made available in DSpace on 2013-12-06T00:22:36Z (GMT). No. of bitstreams: 1 319868.pdf: 494107 bytes, checksum: d8d2f6dc7dc569ca485af37238c16073 (MD5) Previous issue date: 2013 / Constitui esta pesquisa uma contribuição ao estudo da transição ao capitalismo no Uruguai, em sua dimensão territorial. Do ponto de vista metodológico, a categoria marxista de formação social (equivalente à ?formação sócio-espacial? dos geógrafos) constitui o eixo de uma análise deste tipo, ao adotar a própria unidade do movimento histórico como premissa para o estudo da sociedade. No caso da formação social uruguaia, procurou-se realizar uma análise de suas transformações histórico-territoriais a partir da categoria de revolução passiva, consagrada por Antonio Gramsci em seus estudos sobre o processo de unificação nacional italiano, mas pertinente a todos os casos nacionais em que a transição à ordem burguesa não se faz preceder de uma ruptura revolucionária, mas antes implica em lenta evolução, marcada por soluções de pacto e compromisso com o velho regime. Concebido em 1828, como solução diplomática diante dos conflitos que opunham os interesses do Brasil, da Argentina e das grandes potências imperialistas pelo controle estratégico do estuário do rio da Prata, o Estado uruguaio forjou sua existência no decorrer de um lento e contraditório processo de consolidação institucional. Essencialmente este processo consistiu no desenvolvimento de formas capitalistas modernas de produção, que evoluíram fortemente combinadas a formas sociais pré-capitalistas, notadamente o latifúndio pastoril. Relações sociais marcadas pelo autoritarismo, uma profunda desigualdade na produção da renda, a formação de um bloco agrário conservador através da mediação de intelectuais de tipo tradicional, imobilismo econômico e rigidez das formas políticas, são as marcas distintivas do predomínio do latifúndio em uma formação social: tais marcas constituem igualmente os elementos da tese, na dialética da revolução passiva uruguaia. Em nível territorial, estes elementos se traduziam em uma relação cidade-campo desequilibrada, desigualdade que o desenvolvimento da produção capitalista não fará senão aprofundar. À medida, contudo, em que as relações burguesas de produção encontram na sociedade uruguaia o caminho de seu desenvolvimento inexorável (na forma de síntese dialética com as formas pré-capitalistas, acordo e compromisso político com a velha ordem) elas geram os seus próprios elementos de antítese. No Uruguai, este segundo momento encontra sua fase aguda quando, na virada do século XX, uma nova composição demográfica e o esgotamento do modelo exclusivamente agroexportador dão forma a um novo bloco de forças sociais, representado pela pequena produção mercantil de origem europeia, a industrialização, a formação de uma classe média urbana e a emergência da classe operária e do sindicalismo: elementos da antítese ao latifúndio pastoril. Através de uma periodização destas etapas, acredita-se que esta pesquisa tenha contribuído para demonstrar a pertinência e a viabilidade de se compreender a dialética da transição ao capitalismo no Uruguai à luz da reflexão gramsciana. <br>
23

Dinheiro cor-de-rosa

Resende, Mário Ferreira January 2003 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Psicologia. / Made available in DSpace on 2012-10-21T04:17:42Z (GMT). No. of bitstreams: 0 / O presente trabalho desenvolve uma reflexão critica do movimento de inclusão de identidades marginais, no caso homossexuais, a partir de uma forma de movimento identitário que se engendra dentro do próprio capitalismo, no exato momento em que este recorta tal população como um segmento de mercado, investindo-a de interesse e capturando-a para a sua lógica. Traça-se um novo desenho da movimentação política em torno da homossexualidade, aonde a expansão do mercado GLS é observada sob o prisma da retração de possibilidades de singularização, uma vez que o investimento e captura das minorias, de seus miniprocessos de desejo e liberdade de singularização parece se constituir como peça chave para dar sustentação à produção de subjetividades no capitalismo. A perspectiva teórica de Michel Foucault forneceu as ferramentas necessárias para se desenhar o percurso metodológico. Como corpus de análise, foram selecionadas reportagens de revistas de circulação nacional, disponibilizadas na rede mundial de computadores, que identificam o universo GLS como segmento de consumo. A análise do corpus buscou observar os efeitos da consolidação do mercado GLS em termos de continuidades e rupturas, visando explicitar os jogos de força existentes entre as objetivações discursivas produzidas pelas relações estratégicas entre saberes e poderes, assim como a formação de um espaço de subjetivação amparado por esses discursos. Assim como o discurso de valorização dos homossexuais por seu potencial de consumo, aparece de maneira a homogeneizar, padronizar, sinalizando que a aceitação social da homossexualidade se dá apenas de maneira tácita, tolerada sob rigorosas circunstâncias, o recorte da homossexualidade como segmento de mercado também sinaliza a novas possibilidades, na recomposição de relações de força. A expansão do mercado GLS, mais do que representar um campo de restrição às possibilidades de singularização, representa igualmente a possibilidade de uma ameaça efetiva, fatal, e por isso irônica, ao próprio dispositivo que a fomenta.
24

A responsabilidade fiscal, o equilíbrio orçamentário-financeiro do estado e a luta pela hegemonia na economia-mundo capitalista

Martins, Josué January 2003 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico. Programa de Pós-Graduação em Economia / Made available in DSpace on 2012-10-21T07:22:48Z (GMT). No. of bitstreams: 1 200177.pdf: 498059 bytes, checksum: d22c4b6d9d0b7163d6c08557e0a810a5 (MD5) / O objetivo central da presente dissertação é fazer um apanhado da interpretação conhecida como teoria dos sistemas mundiais a respeito de como se conformam as estruturas de poder na economia-mundo capitalista que vão se expressar num determinado sistema de relações interestatais. Isto permitirá indicar, de uma certa forma, quais os elementos de análise a serem considerados na discussão sobre as possibilidades do Brasil se inserir em posição melhor no interior deste sistema e qual o papel do chamado equilíbrio econômico-financeiro do estado neste processo. Neste contexto os estados assumem posições de acordo com as atividades pertencentes às cadeias mercantis que se apresentam em seu interior. Tendo em mente que as atividades econômicas são deslocadas através dos sistemas de estados, este sistema acaba contemplando a ascensão e o descenso de posições na hierarquia. O trabalho foi dividido em quatro capítulos, cujo conteúdo pode ser assim traduzido. O capítulo 2 oferece um panorama histórico da conformação da hegemonia estadunidense, desde a crise da hegemonia britânica até a transição para a norte-americana e sua possível crise, com o possível surgimento de um novo locus de poder e acumulação mundial centrado no Leste Asiático. No contexto desta conformação histórica ressalta-se a importância do papel do estado. O capítulo 3 trata da discussão sobre o papel do estado na economia-mundo capitalista, desta feita lançando elementos que contribuam para as formulações em torno dos estados semiperiféricos e periféricos. O capítulo 4 apresenta algumas considerações a respeito das possibilidades de ascensão do Brasil na hierarquia do sistema interestatal da economia-mundo capitalista indicando então que, diferentemente do que ocorre no centro, o equilíbrio econômico-financeiro do estado na semi e na periferia funcionam como uma forma de manter estes estados nestas posições.
25

A formação sindical-profissional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), desemprego e a configuração atual do mercado capitalista

Moretto, Nivaldo Roberto January 2004 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa catarina, Centro de Ciências da Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. / Made available in DSpace on 2012-10-22T03:35:28Z (GMT). No. of bitstreams: 1 203730.pdf: 571566 bytes, checksum: 52882353b54d668fd877fcfe16ef15d7 (MD5) / Analisa o enfoque dispensado sobre o tema do desemprego, pelo programa de formação sindical-profissional da Central Única dos Trabalhadores (CUT) na última década do século XX. As transformações econômicas, políticas e sociais em ocorrência no Brasil e no mundo, configurando-se como novo padrão produtivo, em alternância ao modelo (fordista/keynesiano) que foi hegemônico até os anos de 1970, trazem como conseqüência direta aos trabalhadores, mudanças nas condições e relações de trabalho, tendo o desemprego crescente como manifestação mais explícita. Frente a isso, a Central Única dos Trabalhadores adota a estratégia política propositiva e reconfigura seu programa educativo, voltando sua prioridade a esse grave problema. Essa mudança se expressa na adoção da formação profissional e na ação sindical nos espaços institucionais que se ocupam do referido tema. Visando analisar criticamente esta problemática, o presente trabalho recorre ao referencial de análise marxista, para oferecer uma abordagem diferenciada da questão e confrontar a explicação que fundamenta aquela estratégia.
26

O comportamento monetário na economia-mundo capitalista entre os séculos XVII-XVIII

Kaminishi, Miriam January 2006 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico. Programa de Pós-Graduação em Economia. / Made available in DSpace on 2012-10-22T06:51:29Z (GMT). No. of bitstreams: 1 230921.pdf: 1392515 bytes, checksum: a93aa1b7669f9abd5bbde5eb621980a7 (MD5) / Este trabalho tem como objetivo investigar a forma pela qual o comportamento das relações comerciais e políticas anglo-portuguesas na economia-mundo capitalista, no período entre os séculos XVII-XVIII, influenciou na formação do sistema monetário internacional. A partir da constatação de que a consolidação do padrão-ouro, como padrão monetário internacional, sob comando hegemônico britânico, celebrado em 1870, é apenas parte da evolução do capitalismo histórico, cada vez mais novas abordagens ganham espaço, tanto em aspectos econômicos e sociológicos, como históricos e políticos, abrindo então uma nova perspectiva de estudo pouco explorada: os pressupostos da consolidação do padrão-ouro internacional sob a ótica do Moderno Sistema Mundial. O resultado desta pesquisa identifica que a consolidação do padrão-ouro internacional, sob a égide da Inglaterra, ocorreu em função da consolidação da economia-mundo capitalista caracterizada por uma divisão axial do trabalho, geograficamente distribuída em regiões centrais, semiperiféricas e periféricas, ligadas a uma lógica mercantilista de acumulação de capital The present work investigates the way the behavior of Anglo Portuguese commercial and political relations in the capitalist world-economy, in the period between the centuries XVII-XVIII, influenced in the international monetary system's development. Since it is understood that the consolidation of the gold-standard, as the international monetary standard, under the British hegemonic command, celebrated in 1870, is only part of the evolution of the historical capitalism, each time new approaches gain space, as much in economic and sociological aspects, as historical and politicians, opening then a new perspective of study few explored: the consolidation's precedents of the international golden-standard under the optics of the Modern World System. The result of this research identifies that the consolidation of the International Gold-Standard, under the British influence, occurred as a result of the consolidation of the capitalist world-economy characterized by an axial division of the work, geographically distributed in central, semi-peripheral and peripheral areas, connected to mercantilist logic of capital accumulation.
27

A indústria de curtimento de couro em Presidente Prudente: a relação sociedade-natureza em questão

Campos, Fábio Henrique de [UNESP] 06 1900 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:26:13Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2003-06Bitstream added on 2014-06-13T19:13:12Z : No. of bitstreams: 1 campos_fh_me_prud.pdf: 1295624 bytes, checksum: 6b56dd416e74358ee5285f7b5348cdc6 (MD5) / A discussão da problemática ambiental, não somente pelo viés ecologista, mas no entrecruzamento com a questão do trabalho, reconhecendo este como o processo metabólico que favorece o intercâmbio entre homem e natureza, é o que nos ocupa nesse texto. O processo de reestruturação produtiva do capital desencadeou uma crescente dilapidação da natureza. Não obstante, a relação homem x natureza é condicionada pelas relações sociais engendradas pelo modo de produção capitalista. Assim, urge estudar a relação sociedade-natureza através da relação capital x trabalho com as atenções centradas na dialética da dinâmica do fenômeno do trabalho com a dinâmica geográfica e vice-versa. / The discussion of environmental, not only at ecologist sloping, but in the crossing with a the question of the work, recognizing this how the metabolism process as collaborate the inter change among man and nature, is this ourselves in that text. The process of the productive re-structure of the nature. No obstructive, the man x nature report is stipulate at social relations engender at mode of the production capitalist. So, is necessary to teach the society-nature report through of the capital x work report with the atentions concentrate of the dialect of the from dynamic of the work with the dynamic geografic and vice-versa.
28

Conexões políticas e desempenho : um estudo da mutualidade entre políticos, governo e bancos em operação no Brasil

Macêdo, João Marcelo Alves 09 October 2017 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Universidade Federal da Paraíba, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Programa Multi-Institucional e Inter-Regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, 2017. / Submitted by Raquel Almeida (raquel.df13@gmail.com) on 2018-01-02T20:13:46Z No. of bitstreams: 1 2017_JoaoMarceloAlvesMacedo.pdf: 2086908 bytes, checksum: cff2bfa85c947a245227870319521969 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2018-03-14T20:25:15Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_JoaoMarceloAlvesMacedo.pdf: 2086908 bytes, checksum: cff2bfa85c947a245227870319521969 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-03-14T20:25:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_JoaoMarceloAlvesMacedo.pdf: 2086908 bytes, checksum: cff2bfa85c947a245227870319521969 (MD5) Previous issue date: 2018-03-14 / Da relação entre políticos, empresas e governo, surgem as conexões políticas, identificadas de diversas formas, dentre as quais, por meio da presença de um político ou ex-político nos sistemas de gestão e governança, pela doação às campanhas políticas e por meio do “acionista governo” presente no quadro acionário das organizações. As conexões políticas emergem do capitalismo de Estado, ou seja, quando o Estado se faz presente na economia de forma marcante, atuando como investidor e regulador. Oscilações frequentes marcam a indústria bancária brasileira, até a década de 1990, quando a redução drástica da inflação e reorganização do sistema financeiro nacional era um mercado incerto. Em 2017, têm-se os bancos cumprindo uma função estabilizadora do mercado, com regulação de perto do Bacen e com mecanismos de proteção e monitoramento ativo. Aos bancos cabe a função de executores de diversas políticas econômicas e, com sua função de alocação de fundos, eles promovem a distribuição e a política macro de dinamização e democratização do acesso ao crédito, por meio da intermediação financeira. Aos políticos atribui-se a busca por poder, influência e recursos. O Estado tem a função de regulador, executada pelo governo “de plantão”, fator propício para a mutualidade entre os atores, políticos, bancos e governo. Nesse sentido, o presente estudo vislumbrou essa influência do governo na indústria, resultando na seguinte questão norteadora: qual o impacto da mutualidade entre bancos e governo, por meio das conexões políticas, no desempenho dos bancos em operação no Brasil? Utilizou-se o método dedutivo, numa perspectiva teórico-empírica, com utilização de modelos econométricos de dados em painel com o software Stata® 12 SE. O período de análise foi bianual para a variável conexão política, envolvendo sete pleitos eleitorais, de 2002 a 2014, e sua influência persistiu em até cinco períodos semestrais após a eleição. Sendo assim, este estudo contribuiu no aspecto teórico/empírico da formulação de períodos de influência, determinando o espaço temporal em que se percebeu o impacto da conexão. Identificou que 71% dos bancos em funcionamento no país mantiveram algum vínculo de conexão política por doação durante o período estudado. Demonstrou a estrutura da mutualidade da relação políticos/bancos/governo e o interesse de cada um. Ao final, concluiu que a conexão política impacta o desempenho, medido pelas proxies retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) e eficiência dos custos, com efeito intertemporal, persistindo nos períodos posteriores à eleição e desmembrado, especialmente, conexão por doação, que também influencia desempenho. / Political connections arise from of the relationship between politicians, companies and government. These are identified in a variety of ways, including through the presence of a politician and/or ex-politician in the management and governance systems, donation to political campaigns and through the "government shareholder" present in the organization's shareholder structure. The Political Connections emerge from State Capitalism, that is, when the State becomes present in the economy in an outstanding way, acting as investor and regulator. The Brazilian banking industry is marked by frequent oscillations, until the decade of 1990 when drastic reduction of inflation, and reorganization of the national financial system, was an uncertain market. In 2017, it has the banks fulfilling a stabilizing function of the market, closely regulated by the Bacen and with mechanisms of protection and active monitoring. Banks are responsible for executing various economic policies and their role of fund allocation, promote the distribution and the macro policy of dynamization and democratization of access to credit through financial intermediation. Politicians are assigned the search for power, influence and resources. The state has the role of regulator, executed by the government "on call", a propitious factor for mutuality among actors, politicians, banks and government. In this sense, the present study envisions this influence of the government in the industry, resulting in the guiding question of this research: what is the impact of the mutuality between banks and government, through the political connections, in the performance of the banks in operation in Brazil? Using the deductive method, in a theoretical-empirical perspective, using econometric models of panel data with Stata® 12 SE software. The period of analysis is biannual for the political connection variable involving seven electoral suits from 2002 to 2014, and its influence persists in up to five semester’s periods after the election. Thus, this study contributes in the theoretical / empirical aspect of the formulation of periods of influence, determining the time space in which the impact of the connection will be perceived. It identifies that 71% of the banks in operation in the country maintained some connection of political connection by donation during the studied period. It shows the structure of the mutuality of the relationship politicians / banks / government and the interest of each one. In the end, it concludes that the political connection impacts performance, measured by the ROE proxy and Cost Efficiency, with the intertemporal effect, persisting in the periods after the election and dismembered, especially, connection by donation that influences also performance.
29

A reestruturação das instituições de controle das empresas estatais chinesas (1978-2003) /

Pedrozo, Gustavo Erler. January 2012 (has links)
Orientador: Marcos Cordeiro Pires / Banca: José Marangoni Camargo / Banca: Luiz Eduardo Simões de Souza / Resumo: A economia chinesa passou por grande transformação ao longo da segunda metade do século XX, desde a fundação da República Popular da China em 1949 até a implantação das reformas a partir de 1978. Durante o período maoísta os chineses foram capazes de estabelecer grande estrutura industrial, sobretudo, no setor da indústria pesada. No entanto, o sistema de planificação centralizado apresentou alguns problemas relativos ao desenvolvimento dos setores leve e de bens de consumo. Representada pela figura de Deng Xiaoping, certa parcela do Partido Comunista optou por empreender um processo gradual de "Reforma e Abertura" da economia, em que o mercado passaria a alocar recursos em detrimento do planejamento, embora o papel do Estado ainda tivesse grande centralidade na condução de políticas específicas aliadas ao mecanismo de mercado. Dada a característica de propriedade pública dos meios de produção do período anterior, as empresas estatais consistiram no maior desafio das reformas pós-1978. Levada adiante em duas etapas, essa reforma transformou significativamente o panorama do setor estatal, reduzindo-o, ao passo que novas formas de propriedade surgiam. Nesta pesquisa buscou-se analisar esse processo de transição por meio de uma revisão histórica das mudanças nas instituições de relação empresa-Estado. Por um lado pode-se dizer que, apesar da relativa diminuição da participação das empresas estatais na economia chinesa e de uma desvinculação da administração cotidiana do Estado nessas empresas, o objetivo foi torná-las importante mecanismo de planejamento dentro do novo paradigma de desenvolvimento chinês, denominado pelos seus líderes: socialismo de mercado com características chinesas. Por outro lado, há a perspectiva de que, embora de maneira gradual, essas empresas caminhem... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: The Chinese economy has undergone major transformation over the second half of the twentieth century, from the founding of the People's Republic of China in 1949 until the implementation of reforms since 1978. During the Maoist period the Chinese were able to establish large industrial structure, especially in the heavy industry sector. However, the central planning system showed some problems concerning the development of light industries and consumer goods. Represented by the figure of Deng Xiaoping, a certain portion of the Communist Party chose to undertake a gradual process of "Reform and Opening up" of the economy, as the market would allocate resources to the detriment of planning, although the role of the state still had greater centrality in conducting specific policies combined with the market mechanism. Given the characteristic of public ownership of means of production in the previous period, SOEs comprised the biggest challenge of the post-1978 reforms. Carried on in two stages, this reform significantly transformed the landscape of the state sector, reducing it, while new forms of ownership arose. In this study we sought to study this process of transition through a historical review of changes in the institutions of the business to the state. On the one hand we can say that, despite the relative decrease in the share of SOEs in the Chinese economy and a detachment of the daily management of the State in these companies, the goal was to make them important planning mechanism within the new paradigm of Chinese development called by their leaders: market socialism with Chinese characteristics. On the other hand, there is the prospect that, although gradually, these companies move towards a... (Complete abstract click electronic access below) / Mestre
30

Google e infoespoliação : internet, informação e acumulação de capital /

Monteiro, Arakin Queiroz. January 2013 (has links)
Orientador: Giovanni Antonio Pinto Alves / Coorientador: César Bolaño / Banca: Agnaldo dos Santos / Banca: Ariovaldo Santos / Banca: Francisco Luiz Corsi / Banca: Roberto Leme Batista / Resumo: Paralelo ao surgimento, desenvolvimento e popularização da Internet foi o advento de empresas, serviços e produtos, especificamente voltados aos segmentos ligados às tecnologias da informação que resultou no desenvolvimento de novos processos de trabalho, novos mercados consumidores de bens materiais e simbólicos, além de novas modalidades de acumulação de capital. Diferentemente do rádio ou da televisão, cujo funcionamento (do ponto de vista técnico) abrange um único emissor ativo para diversos receptores passivos, a internet exige que o usuário final interaja ativamente com os mecanismos de comunicação. Logo, comercializar mercadorias por meio da rede (sejam elas tangíveis ou intangíveis) exige desses usuários-consumidores-comunicadores que objetivem suas intenções. Essa particularidade, por sua vez, proporciona às empresas de internet a capacidade de conhecer os passos dados pelos usuários enquanto navegam, extraindo do próprio ato de navegar um insumo indispensável aos seus processos de acumulação, o metadado (ou a "informação sobre a informação"), o qual tem sido amplamente utilizado como um meio de produção monopolista a serviço da reprodução capitalista, aspecto aqui chamado infoespoliação. Essa tese busca demonstrar a existência e o lugar que a infoespoliação ocupa nessas dinâmicas de acumulação, tendo como plano empírico-analítico a empresa de internet Google Inc / Abstract: Parallel to the emergence, development and popularization of the internet was the advent of companies, products and services specifically geared to sectors involving information technology. This resulted in the development of new work processes, new consumer markets for material and symbolic goods as well as new forms of capital accumulation. Unlike radio or television, whose operation (from a technical standpoint) involves a single active sender and many passive receivers, the internet demands that the end user actively interact with the mechanisms of communication. Therefore, marketing goods online (whether tangible or intangible) requires these users-consumers-communicators to objectify their intents. This peculiarity, in turn, has given internet companies the ability to know the steps taken by users as they navigate online, extracting from the very act of navigating the internet critical input for capital accumulation: metadata (or "information about information"). Metadata has been widely used as a monopolistic means of production to serve capital reproduction, an aspect referred to here as info-spoliation. This thesis seeks to demonstrate the existence of infospoliation and the place that info-spoliation occupies in these dynamics of accumulation using the internet company Google Inc. as an empirical-analytical basis / Doutor

Page generated in 0.0709 seconds