• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 36
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 1
  • Tagged with
  • 37
  • 37
  • 30
  • 28
  • 20
  • 19
  • 13
  • 12
  • 12
  • 10
  • 7
  • 7
  • 6
  • 6
  • 5
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Itinerários universitários: a permanência de mães trabalhadoras nos Bacharelados Interdisciplinares da Universidade Federal da Bahia

Santos, Marianna Luiza Alves Soares 03 February 2014 (has links)
Submitted by MARIANNA LUIZA ALVES SOARES SANTOS (mariannasoares@gmail.com) on 2014-07-14T20:25:25Z No. of bitstreams: 1 DissertaçãoMariannaSoares.pdf: 1100874 bytes, checksum: 996a8396b3a891e11684b00c66a4c17c (MD5) / Approved for entry into archive by Alda Lima da Silva (sivalda@ufba.br) on 2014-09-08T20:35:59Z (GMT) No. of bitstreams: 1 DissertaçãoMariannaSoares.pdf: 1100874 bytes, checksum: 996a8396b3a891e11684b00c66a4c17c (MD5) / Made available in DSpace on 2014-09-08T20:35:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DissertaçãoMariannaSoares.pdf: 1100874 bytes, checksum: 996a8396b3a891e11684b00c66a4c17c (MD5) / CAPES / Este trabalho explora dois fenômenos que sofreram importantes mudanças neste início de século: o ensino superior e a presença feminina no espaço público. Desde o ano 2000, o Brasil expande, inova e busca a democratização deste nível de ensino, o que permitiu que perfis estudantis antes excluídos tivessem acesso à educação superior tornando mais heterogênea a sua população. Esse contexto amplia as possibilidades não só para todas as mulheres, que já eram maioria em todos os níveis no ensino desde o século XX, mas estimula o acesso daquelas que, longe de se dedicarem exclusivamente à vida estudantil, conciliam este papel com maternidade e trabalho. Contudo, a entrada no ensino superior não é garantia de permanência e finalização dos estudos. A teoria da afiliação ensina que o primeiro desafio do ingressante é deslocar-se da posição de estrangeiro para aquela de membro que aprendeu o ofício de estudante, em um processo contínuo de estranhamento, aprendizagem e afiliação. É preciso ainda ocupar-se de outras demandas que surgem pelo caminho e que, para mulheres que além de estudantes, têm filhos e trabalham, são altamente exigentes requerendo a criação de estratégias para a finalização da formação escolhida. Verificar como aconteceram esses percursos e as metodologias que esse perfil de mulheres emprega durante sua permanência nos Bacharelados Interdisciplinares (BI), foi o objetivo desta pesquisa. O referencial teórico utilizado foi a etnometodologia, abordagem do social que vê na interação e na vida cotidiana as chaves para entender o mundo das pessoas. A pesquisa foi construída à luz da pesquisa-ação e da etnografia, de forma implicada e, como métodos de produção de dados, foram utilizadas a observação participante e entrevistas. As interlocutoras da pesquisa foram quatro estudantes que eram mães e trabalhavam, todas cursando os bacharelados, sediados no Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Profº. Milton Santos (IHAC) da Universidade Federal da Bahia (UFBA). A análise dos relatos demonstrou que os percursos estudantis não são vividos como trajetórias lineares, eles acontecem mais como itinerários, caminhos repletos de bifurcações, avanços, paradas e recomeços. Com vistas a conciliar estudo, família e trabalho, as estudantes precisaram manejar constantemente aspectos subjetivos, familiares e sociais. Nesse caminho, elas criam etnométodos para dar conta de todas as exigências e sua urgência em finalizar a graduação. O fato da UFBA ser uma universidade pública e, portanto, gratuita, foi fundamental para as estudantes, que, entretanto acessaram muito pouco as políticas de permanência disponíveis. Foram necessárias interrupções ao longo do percurso, ficando evidente o desgaste físico dessas mulheres em função do seu triplo envolvimento: filhos, estudo e trabalho. Suas narrativas evidenciaram a incapacidade das políticas de permanência de atender a diferentes perfis de estudantes e a falta de suporte em políticas públicas para cuidar dos filhos pequenos. A inovação trazida pelos BI, ao inaugurar o regime de ciclos na UFBA, também influenciou esses itinerários, sendo alvo de constantes dúvidas e indagações. / This work explores two issues which have suffered huge changes in this beginning of century: higher education and the increase of women in public spaces. Since the year 2000, Brazil expands, innovates and searches to democratize this level of education, what has permitted students who were excluded to access higher education, making its population more heterogeneous. This context enlarges possibilities not only for all types of women, who were already the majority of students in all levels of education since the twentieth century, but stimulates the access of whose that conciliate this role with maternity and work. Nevertheless, to access higher education isn´t a guarantee to finish studying, the affiliation theory teaches that the first challenge of an entrant is to shift from the foreign position to the member one that has already learned the student job, in a continuous process of estrangement, learning and affiliation. It´s also necessary to deal with other demands that arise through the path and that, for female students who are also mothers and workers, are extremely exigent, what requires the invention of strategies to finish the chosen graduation. To verify how these courses happen and the methodologies that these kinds of student employ during their staying at the Bacharelado Interdisciplinar (BI) was the aim of this research. The theoretical framework used was ethnometodology, a social approach that sees interaction and everyday life as keys to understand the word of people. The research was carried out by action- research and ethnography contributions, in an implicated way and as methods to produce the data were used participant observation and interviews. Four women students, who have children and work, at Bacharelado Interdisciplinar courses of UFBA were interviewed. The analyze of the stories demonstrated that students courses aren´t lived as linear trajectories, they happen as itineraries, paths full of bifurcations, advancements, pauses and resumptions. To conciliate study, family and work, the students needed to constantly handle subjective, familiar and social aspects. Therefore, they created ethnomethods to deal with all exigencies and their urgency to finish graduation. The fact of UFBA being a public and unpaid university was fundamental for them, even though they accessed very little its permanence policies available. It was necessary to do some stops along the way, an evidence of their physical exhaustion due to their triple involvement. Their narratives evidence incapacity of the public policies to respond necessities brought by a different profile of students and the lack of institutional support to take care of their young children. The innovation introduced by the BI has also influenced these itineraries, being an object of frequently doubts and insecurity.
2

A construção da agenda de gênero no sistema educacional brasileiro (1996-2007)

Madsen, Nina 08 1900 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Departamento de Sociologia, 2008. / Submitted by wesley oliveira leite (leite.wesley@yahoo.com.br) on 2009-09-18T17:13:28Z No. of bitstreams: 1 2008_NinaMadsen.pdf: 2480762 bytes, checksum: c6ebaae84a7c305d98f03a4cb4ca05b0 (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2010-06-29T20:32:58Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_NinaMadsen.pdf: 2480762 bytes, checksum: c6ebaae84a7c305d98f03a4cb4ca05b0 (MD5) / Made available in DSpace on 2010-06-29T20:32:58Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_NinaMadsen.pdf: 2480762 bytes, checksum: c6ebaae84a7c305d98f03a4cb4ca05b0 (MD5) Previous issue date: 2008-08 / O trabalho apresenta uma pesquisa exploratória que mapeia o processo de construção da agenda de gênero dentro do sistema educacional brasileiro, no período entre 1996 e 2007. Ao mesmo tempo, propõe um marco teórico desenvolvido a partir das três dimensões da teoria de justiça de Fraser (1997, 2005): redistribuição, reconhecimento e representação, e a partir da adaptação dessas dimensões ao campo da educação primeiro sugerida por Caviedes, Fernández & Barrientos (2006). A proposta é compor um modelo tri-dimensional que, ao analisar ou formular a educação como política pública do Estado, abarque as dimensões econômica, cultural-simbólica e política de maneira integrada (entendendo que cada dimensão dialoga e interfere nas demais) e transversal (entendendo que essa leitura deve perpassar todo o sistema, em todas as suas instâncias e formulações). A pesquisa exploratória foi feita em três níveis: internacional, nacional e local. No plano internacional, foram examinados alguns documentos balizadores da agenda internacional de educação e da agenda internacional de gênero. No plano nacional (Estado Nacional Brasileiro, no nível da União), a pesquisa foi direcionada às instituições (através das entrevistas com técnicas e coordenadoras identificadas e com a Ministra Nilcéa Freire), aos documentos que conformam as bases legais da educação, às políticas nacionais de educação e às políticas de gênero na educação. Finalmente, no plano local (escolas), realizaram-se entrevistas com diretores, professora e alunas, de forma a identificar por que caminhos a agenda de gênero formulada pelo Estado alcança este espaço. Como resultado, identificou-se a co-existência de duas agendas de gênero e educação paralelas: uma primeira inaugurada em 1996, com a nova LDB e com a série de reformas educativas realizadas pelo Estado Brasileiro ao longo dos anos 1990, que responde aos compromissos internacionais assumidos pelo país; e uma segunda, inaugurada em 2004, com a formulação do I PNPM e com a criação da SECAD no Ministério da Educação. O percurso dessas agendas, sua posição no interior do Estado, bem como seu grau de complexidade e seu entendimento do que são e de onde se localizam as desigualdades de gênero, não são os mesmos. Enquanto a primeira, que começa a se desenhar em 1996, parte do centro para as extremidades, ou seja, das bases legais que definem a educação como política pública, para a formulação de políticas nacionais de educação; a segunda circula pelas extremidades, pelas políticas de gênero em educação e pela incidência pontual em algumas políticas nacionais de educação, sem haver conseguido, até agora, chegar ao centro. _________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / The present work presents an exploratory research that maps the formulating process of a gender agenda for the Brazilian educational system, covering the period from 1996 to 2007. It also proposes a theoretical frame based on Fraser’s (1997, 2005) dimensions of justice – redistribution, recognition and representation – and on the adaptation of this theory to the field of education first suggested by Caviedes, Fernández & Barrientos (2006). The aim is to compose a tri-dimensional model that analyses and/or formulates education as a public policy in view of a perspective that embraces economic, cultural-symbolic and political dimensions in an integrated and crosscutting way. The exploratory research was conducted in three different levels: international, national and local. In the international level, some selected key documents for education and for the promotion of women’s rights were examined. In the national level (National State level), the research addressed both institutions and documents that compose the legal ground of education, the national policies for education, and gender policies in education. Finally, in the local level (schools), interviews were conducted with school staff in order to identify the entry paths of State educational policy in the local space. As a result, the research identified the co-existence of two parallel gender agendas in education: a first one that starts in 1996 with the new LDB e with the series of educational reforms carried out by the Brazilian State throughout the 1990s; and a second one, which starts in 2004 with the formulation of the I PNPM and the creation of SECAD in the Ministry of Education. The course of these two agendas, their position inside the structure of the National State, as well as their complexity levels, and their understanding of the gender inequalities encountered in the educational system are not the same. While the first one goes from the centre to the margins of the system, starting at the legal ground to the national policies on education; the second one circulates in the margins, in the formulation of gender policies for education, and in the eventual incidence in national policies for education, without having managed, so far, to achieve the centre.
3

Questões de gênero e sexualidade na escola: discutindo políticas públicas e formação pedagógica / Issues of gender and sexuality in school: discussing public policy and pedagogical training

Rocha, Natalia Hosana Nunes 30 April 2015 (has links)
Submitted by Marco Antônio de Ramos Chagas (mchagas@ufv.br) on 2018-05-25T18:36:57Z No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 546748 bytes, checksum: 4d220d3e42e899b6bc611e3da0fbef8a (MD5) / Made available in DSpace on 2018-05-25T18:36:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 546748 bytes, checksum: 4d220d3e42e899b6bc611e3da0fbef8a (MD5) Previous issue date: 2015-04-30 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / A presente dissertação consiste em uma pesquisa que tem como tema as políticas públicas de gênero na educação e como objetivo principal analisar como as práticas pedagógicas que se propõem a discutir gênero em espaços escolarizados são influenciadas por diferentes diretrizes de políticas públicas de gênero e educação. Assim, tivemos como objeto de pesquisa os determinantes pedagógicos e políticos de processos formativos em educação e gênero das bolsistas estudantes de cursos de licenciaturas envolvidas no projeto. Os sujeitos da pesquisa foram as estudantes de graduação bolsistas, além das professoras e estudantes das escolas públicas envolvidos no projeto “Superando e transformando o cotidiano escolar enquanto espaço produtor e reprodutor de desigualdades sociais e violência de gênero”, que foi o recorte empírico desta dissertação de mestrado. Tal projeto foi desenvolvido em duas escolas públicas – uma municipal e outra estadual -, localizadas no município de Viçosa/MG, com estudantes do ensino Fundamental, consistindo basicamente na elaboração e realização de oficinas sobre desigualdades e violência de gênero. O foco privilegiado para análise foram os processos formativos das estudantes de graduação. As discussões sobre a perspectiva política do movimento feminista, bem como as políticas de gênero na educação feitas por revisão bibliográfica possibilitaram-nos refletir sobre aspectos que consideramos importantes na pesquisa. Entendemos que essas vêm sendo gestadas tanto pelo Ministério da Educação quanto pela Secretaria de Políticas para Mulheres, as quais se configuram como dois campos diferentes. Como referencial teórico-metodológico utilizamos o estudo de caso múltiplo, pois a análise incluiu as duas escolas em que o projeto aconteceu. A partir deste, elegemos a técnica do grupo focal, sendo essa realizada com três grupos: um com as bolsistas integrantes do projeto, um com os/as estudantes da escola A (estadual) e outro com os/as estudantes da escola B (municipal), sendo que, para cada um foi adotada uma organização específica, de acordo com os objetivos. A partir da análise dos grupos focais, percebemos como o projeto realizado nas duas diferentes escolas influenciou a formação das bolsistas no que diz respeito às questões de gênero. Observou-se as dificuldades em realizar a discussão de gênero e sexualidade para além do discurso hegemônico que normatiza e disciplina sujeitos pelos marcadores de gênero, fortemente constituídos na identidade da professora e reproduzido pelas várias instituições sociais. Consideramos que as bolsistas passam a compreender e a ressignificar sua prática quando começam as oficinas com o grupo de estudantes assumidamente gays, lésbicas, interessados/as em discutir as suas identidades sexuais. Percebemos que as questões de gênero e sexualidade têm sido abordadas nos cursos de formação inicial das licenciaturas ou na formação continuada – quando há essa abordagem –, de forma simplista e essencialista que pouco tem contribuído para uma formação para os/as professores/as que têm que discutir gênero na sala de aula. Compreendemos que políticas educacionais com perspectiva de gênero somente serão eficazes quando fizerem parte do contexto e da realidade concreta dos sujeitos que atuam no espaço escolar e que as efetivem na prática cotidiana das escolas. Percebemos, a partir dessa pesquisa, que o grande desafio para as políticas públicas educacionais é encontrar estratégias para incluir, no currículo escolar e não menos importante, na formação docente, gênero e sexualidade para além de um discurso biológico. / This dissertation consists of research which theme is the public policy of gender in education, and the main objective to analyze the pedagogical practices that purport to discuss gender- educated spaces are influenced by different public policy guidelines for gender and education. So we had as object of research pedagogical and political determinants of formative processes in education and gender of the scholarship students of undergraduate courses involved in the project. The subjects were the scholarship undergraduate students, in addition to teachers and students in public schools involved in the project "Overcoming and transforming the everyday school life as a producer and reproducer space of social inequalities and gender-based violence", which was the empirical focus of this master dissertation. This project was developed in two public schools - a municipal and other state - located in Viçosa / MG, with students from elementary school, consisting basically to formulate and conduct workshops on gender inequalities and violence. The prime focus for analysis were the formative processes of undergraduate students. Discussions on the political perspective of the feminist movement and gender policies in education made by literature review allowed us to reflect on aspects that we consider important in the research. We understand that these are been operated both by the Ministry of Education and by the Secretariat of Policies for Women, which consists as two different points. As theoretical and methodological framework used the multiple case study, because the analysis included the two schools where the project took place. From this, we chose the technique of focus group, and this held with three groups: one with the members of the project, one with the students of the school A (state) and another with the students from school B (municipal ), and, for each of a specific organization was adopted, according to the objectives. A from the analysis of focus groups, we see how the project performed at two different schools influenced the formation of the scholarship students with respect to gender issues. It was noted the difficulties in conducting the discussion of gender and sexuality beyond the hegemonic discourse that regulates and subjects discipline by gender markers, heavily made up the identity of the teacher and played by the various social institutions. We believe that the scholarship students begin to understand and to reassess their practice when they start the workshops with the group of openly gay students, lesbians, interested as in discussing their sexual identities. We realize that gender and sexuality issues have been addressed in the initial training of graduation courses or continuing education - when there is this approach - simplistic and essentialist way that little has contributed to training for the teachers who have to discuss gender in the classroom. We understand that educational policies with a gender perspective will only be effective when they are part of the context and reality of the individuals who work at school and that put them in everyday school practice. We realized from this research that the major challenge for public educational policies is to find strategies to include in the school curriculum and not least on the teacher education, gender and sexuality beyond a biological discourse.
4

Identidade e gênero no cotidiano de uma escola do interior paulista : reflexões sobre o processo de formação dos sujeitos /

Chotolli, Wesley Piante January 2019 (has links)
Orientador: Ana Paula Leivar Brancaleoni / Banca: Humberto Perinelli Neto / Banca: Rodrigo Ribeiro Paziani / Resumo: Considerando a identidade conforme um processo construído socialmente, que pode ser alterado e modificado de acordo com o contexto e as experiências vivenciadas durante a vida social dos sujeitos, buscou-se apontamentos sobre como as questões de gênero são percebidas, discutidas e constituem às ações e os comportamentos dentro do espaço escolar, tal qual o processo de construção das identidades. Percebendo a sociedade moderna um tanto quanto fragilizadora dos laços sociais, a escola se apresenta conforme um ambiente de socialização e de convívio com o diverso, mesmo que se configure de maneira desigual para os sujeitos frequentadores do lugar. Esta pesquisa objetiva analisar as compreensões de um grupo de adolescentes sobre identidade e seus processos de constituição, tanto quanto a possível participação das vivências escolares nos entendimentos trazidos acerca da mesma, enfatizando a questão do gênero. Para isso, procede-se à abordagem qualitativa, dispondo dos instrumentos de coleta de dados as observações participantes e entrevistas com alunas e alunos de uma instituição escolar de uma cidade do interior paulista, realizadas ao longo de um ano. Como aporte teórico, utilizou-se os estudos culturais e a teoria queer, visando compreender os processos de construção e desconstrução dos aspectos significantes da formação das identidades, de modo que se entendam os movimentos dos grupos no interior da unidade escolar e suas características. Em vista disso, observou-se que os... / Abstract: Considering identity as a socially built process that can be modified by the context and by one's social life experiences, this research saught indication about how gender issues are perceived and treated and how they constitute people's actions and behaviors inside the school, as well as the process of building identities. As the school realizes that modern society loosen social ties, it presents itself as an environment capable of promoting social interaction, even though it is not even to those who attend it. This research aims at analysing a group of adolescents' comprehension of identity, its constitutional process of their school social interaction on their definition of identity, emphasizing the gender issue. For that, a qualitative approach was used. Data were collected through the participants' observation and interviews made with students from an educational institution located in a city in the countryside of Sao Paulo, Brazil, throughout one year. As a theoretical support, cultural studies and the queer theory were consulted aiming for the comprehension of both constructional and deconstructional processes of significant aspects of identities formation, so that the movement of the groups of students in the school as well as their own characteristics are also understood. Taking all of this into consideration, it is noticed that the relevant aspects to understand the significant elements of this identity formation and the comprehension of how these social ... / Mestre
5

Educação e gênero no sistema penitenciário paulista /

Batista, Wilson Roberto. January 2019 (has links)
Orientadora: Tânia Suely Antonelli Marcelino Brabo / Banca: Henrique Tahan Novaes / Banca: Júlio César Torres / Banca: João Clemente de Souza Neto / Banca: Rodolfo Arruda Leite de Barros / Resumo: O presente trabalho analisa a educação dirigida às mulheres em situação de privação de liberdade, elegendo como problema a educação e gênero no sistema penitenciário. Neste sentido, iniciando pela trajetória histórica dos direitos humanos e das mulheres, qualificando a categoria gênero no campo da produção do conhecimento das Ciências Humanas com relação ao direito humano à educação. Em seguida, ao refletir sobre o processo de encarceramento feminino, aproveito para discutir fundamentos do punitivismo na conjuntura atual numa perspectiva crítica e feminista, contando com pressupostos críticos ao Direito Penal. Quanto à linha metodológica, adotando uma abordagem qualitativa, a pesquisa empreendeu estudo de campo junto a uma unidade penitenciária feminina do interior paulista, tendo produzido dados por meio de registros de entrevistas com dez mulheres em situação de privação de liberdade, cujas contribuições por sua vez foram examinadas utilizando-se da análise de conteúdo que resultaram em indicadores e categorias que foram reunidas num campo de quatro núcleos de sentido, sendo estes, direito, educação, gênero e punição, cuja interpretação considerou contradições face ao direito humano à educação no sistema penitenciário. / Abstract: The present study analyzes the education directed to women in situations of deprivation of liberty, choosing education and gender in the penitentiary system as a problem. In this sense, starting with the historical trajectory of human and women's rights, qualifying the category of gender in the field of knowledge production of the Human Sciences with respect to the human right to education. Then, in reflecting on the process of female imprisonment, I would like to discuss the foundations of punitivism in the current conjuncture in a critical and feminist perspective, relying on critical assumptions to the Criminal Law. As for the methodological line, adopting a qualitative approach, the study undertook a field study with a female prison unit in the interior of São Paulo, producing data through interviews with ten women in situations of deprivation of liberty, whose contributions in turn were examined using content analysis that resulted in indicators and categories that were gathered in a field of four sense nuclei, these being, right, education, gender and punishment, whose interpretation considered contradictions with the human right to education in the penitentiary system . / Doutor
6

A prática pedagógica do futebol nas aulas de educação física sob uma perspectiva de gênero

Somariva, João Fabrício Guimara January 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2016-11-30T14:54:53Z (GMT). No. of bitstreams: 2 110035_Joao.pdf: 1372305 bytes, checksum: 8baee1442b1657c54a6c2e621d960432 (MD5) license.txt: 214 bytes, checksum: a5b8d016460874115603ed481bad9c47 (MD5) Previous issue date: 2015 / A pesquisa aqui apresentada, em nível de mestrado, analisa metodologicamente aulas coeducativas a partir de um conteúdo de domínio hegemônico masculino presente na prática esportiva. Essa pesquisa foi motivada pelas desigualdades nas relações de gênero que se manifestam no esporte e evidenciadas no exercício da função docente ao longo dos anos. Como concepção teórico-metodológica o materialismo histórico-dialético trouxe as condições para compreender criticamente as contradições que permeiam o processo ensino-aprendizagem dos esportes vistas sob a perspectiva de gênero. Caracterizada como uma pesquisa de intervenção teve por objetivo desenvolver um caminho didático/pedagógico articulado às questões de gênero no trato do conteúdo futebol a partir de uma postura coeducativa aliada à metodologia crítico-superadora, tendo como autores de referência Saviani (1991, 2005, 2011), Gasparin (1998, 2003) e Castellani Filho et. al (2009). Para essa análise, foi realizado um programa de nove aulas de futebol em um sexto ano do ensino fundamental de uma escola pública municipal de Cocal do Sul ¿ SC. Foi utilizada como técnica e instrumento de registro do programa de aulas a gravação em vídeo e em áudio, da qual se originou um diário de campo que contém minhas impressões, falas da turma e ação docente. Os resultados demonstraram que a metodologia coeducativa escolhida não promoveu a plena igualdade entre seus participantes, pois parece ser necessária uma continuidade deste trabalho utilizando-se outros elementos da cultura corporal com diferentes olhares de gênero, mas permitiu transformações significativas. Foi observado ainda que o ato de ensinar futebol às meninas funcionou para os meninos como elemento de aproximação e os tornaram responsáveis por proporcionar à elas aquilo que lhes foi negado por gerações. Já as meninas compreenderam que suas inabilidades não são fruto de uma herança biológica e que o espaço inicialmente considerado masculino invadido por elas, na verdade também as pertence. Enfim, a intervenção realizada foi uma tentativa de abertura para novas possibilidades metodológicas, pautada sobre um enfoque crítico-superador na busca pelo entendimento da Educação Física sob a perspectiva de gênero, na busca por uma práxis coeducativa. / The work presented here addresses how methodologically proceed in coeducativelessons from a male hegemonic domain content present in sports. This research wasmotivated by a set of reflections originated in my teaching practice to stumbling uponinequalities in gender perceived in the sports education in schools. As theoretical andmethodological design, found in the historical and dialectical materialism theconditions necessary to critically understand the contradictions which permeate theteaching-learning process of sports views from the gender perspective.Characterized as an intervention research aimed to develop a didactic way / teachingarticulated gender issues in football tract content from a coeducative posture coupledwith the critical-surpassing methodology, with the reference of authors Saviani (1991,2005 , 2011), Gasparin (1998, 2003) and Castellani Filho et. al. (2009). For thisanalysis, we performed nine classes of football program to a sixth year of elementaryschool to a public school of Cocal do Sul - SC, whose classes were conducted by theresearcher. It was used as a technique and recording the lessons program recordinginstrument on video and audio, which originated a diary that contains myimpressions, class of speeches and teaching activities. Were then selected for dataanalysis the greater significance of gender events along with the pedagogicalinterventions used in the practices of these moments. The results showed that thechosen methodology coeducative did not promote equality amongst the participants,as seems necessary continuity of this work using other elements of body culture withdifferent looks genre but allowed significant transformations. The dialecticalcategories such as the historicity and the contradiction stood out as coeducativepractice: the historicity provided an opportunity to understand the historical structureof gender relations in the soccer world as the contradiction was crucial fordetermining the practical actions to resolve conflicts triggering changes in the levelclass awareness, promoting the unveiling of movement of reality to the students andpupils, creating reflections and revealing the contradictory elements present in theirways of interpreting the masculinity and femininity in soccer. I could still see that theact of teaching football to girls worked for the boys as a proxy element and becomeresponsible for transmitting to them what they were denied for generations. Have thegirls realized that their disabilities are not the result of a biological heritage and thespace initially considered masculine invaded by them actually also belongs. Finally,the intervention performed was an attempt to openness to new methodologicalpossibilities, based on a critical-design overcomes the search for understanding of
7

Ser professora: entre os ranços da maternagem e a profissão

Neder, Rosa Maria January 2005 (has links)
219 f. / Submitted by Suelen Reis (suziy.ellen@gmail.com) on 2013-05-06T17:39:44Z No. of bitstreams: 1 Dissertacao_ Rosa Maria Neder.pdf: 1864965 bytes, checksum: b56cf49b4b7b9ada1db34502c2907537 (MD5) / Approved for entry into archive by Maria Auxiliadora Lopes(silopes@ufba.br) on 2013-06-14T13:45:38Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertacao_ Rosa Maria Neder.pdf: 1864965 bytes, checksum: b56cf49b4b7b9ada1db34502c2907537 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-06-14T13:45:38Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertacao_ Rosa Maria Neder.pdf: 1864965 bytes, checksum: b56cf49b4b7b9ada1db34502c2907537 (MD5) Previous issue date: 2005 / Este estudo, cujos dados foram obtidos através do depoimento de vinte e duas mulheres professoras primárias, hoje do Ensino Fundamental, séries iniciais, que estão no exercício docente em escolas das redes pública e privada do Salvador ? Bahia, teve como objetivo primordial, analisar, à luz das relações de gênero, como vem sendo construída a identidade da mulher professora, entrelaçada pelo mito do amor materno que vem marcando, historicamente, a imagem da docência primária como trabalho apropriado à mulher pela sua suposta qualidade inata de lidar com crianças. O estudo, de natureza qualitativa, utilizou para coleta de depoimentos a entrevista oral semi-estruturada. Posteriormente as entrevistas foram transcritas, lidas, analisadas e interpretadas sob a perspectiva feminista histórico-cultural. Como o gênero atravessa todas as relações sociais, as vozes das professoras possibilitaram a discussão de questões relacionadas à prática educativa no contexto do sistema de ensino brasileiro. Até o presente momento, o empreendimento dessa pesquisa permite reconhecer que as docentes vêm construindo suas identidades de mulher professora em meio às concepções essencialistas, refletidas nas suas práticas educativas, entrecruzadas da maternagem. Entretanto, seus discursos demonstram as tensões e as contradições, reforçando a crença de que é mais conflituoso assumir-se mulher do que tornar-se professora uma vez que os primeiros ensinamentos sobre o que é ser menina ou menino acontecem desde a mais tenra idade, e uma vez consolidados, tornam-se mais resistentes e difíceis de ser superados. Sob essa perspectiva, a pesquisa destaca que no espaço escolar as professoras primárias tanto podem reproduzir os estereótipos femininos e masculinos quanto podem produzir, através das suas interações, outras orientações que permitam construir relações sociais de gênero para além dos significados de feminilidade e masculinidade que ainda estão presentes na sociedade alicerçando a prática educativa docente. / Salvador
8

Agora é a minha vez de ir pra escola!: os desafios na educação para mulheres velhas em um Programa de EJA, em Fortaleza – Ce

Menezes, Kelly Maria Gomes January 2017 (has links)
MENEZES, Kelly Maria Gomes. Agora é a minha vez de ir pra escola!: os desafios na educação para mulheres velhas em um Programa de EJA, em Fortaleza – Ce. 2017. 232f. – Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2017. / Submitted by Gustavo Daher (gdaherufc@hotmail.com) on 2017-09-08T15:53:45Z No. of bitstreams: 1 2017_tese_kmgmenezes.pdf: 1596753 bytes, checksum: f6465594eb6e6e31137119a50455af5c (MD5) / Approved for entry into archive by Márcia Araújo (marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2017-09-08T17:36:01Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_tese_kmgmenezes.pdf: 1596753 bytes, checksum: f6465594eb6e6e31137119a50455af5c (MD5) / Made available in DSpace on 2017-09-08T17:36:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_tese_kmgmenezes.pdf: 1596753 bytes, checksum: f6465594eb6e6e31137119a50455af5c (MD5) Previous issue date: 2017 / The aging process of the population is a world and Brazilian reality, and has a strong gender component, given the phenomenon of feminization of old age. Although the older population, especially women, are living longer, their growth is not accompanied by public policies that guarantee their rights. Among these, education emerges as a challenge regarding its targeting of women in the old age. Thus, the general and specific objectives of the study were: to analyze the meanings that the old women - participants of an EJA Program in Fortaleza - CE - attribute to education, to understand if this experience influences in their lives, from a gender perspective; Raise the motivations that drive the search for education during old age; To study the challenges that older women face in accessing formal education in relation to the gender issue; Unveiling the memories women have about their previous educational experiences; To see how women understand the EJA Program in which they participate. For this purpose, qualitative research was used, with the aid of bibliographic, documentary and field research, as well as the following techniques for obtaining information: direct observation and unstructured interview based on the Oral History Thematic method. As a field of research, an EJA Program was selected at a Municipal School in Fortaleza, with the participation of 5 (five) old female students from the school and the EJA, whose narratives were interpreted in the light of Hermeneutic-Dialectic. The perceptions, about the return or first access to the studies, were gathered in three (3) empirical categories: leisure / sociability, citizenship / belonging, freedom / autonomy. In this way, the meanings were as varied as possible, but all contributed to the need to expand educational spaces for women, where they can recognize their unique demands throughout all phases of their lives. From this change of thought and, consequently, of paradigm, it is that the school can embrace, democratically, men and women, of different ages, of class belongings the most diverse, of multiple beliefs and nationalities. This deconstruction requires the engagement of groups historically placed outside the right to education, which, recognizing themselves as protagonists, can contribute to the creation of a new societal order and a sociability based on gender equality without any kind of prejudice and / or discrimination. / O processo de envelhecimento da população é uma realidade mundial e brasileira, e que possui um contundente componente de gênero, haja vista o fenômeno de feminização da velhice. Embora a população velha, especialmente as mulheres, esteja vivendo mais, seu crescimento não é acompanhado de políticas públicas que garantam os seus direitos. Dentre esses, a educação emerge como um desafio no que tange ao seu direcionamento a mulheres na fase da velhice. Assim, os objetivos geral e específicos do estudo foram: analisar os significados que as mulheres velhas – participantes de um Programa de EJA em Fortaleza-CE – atribuem à educação, para compreender se essa experiência influencia em suas vidas, na perspectiva de gênero; levantar as motivações que impulsionam a busca pela educação durante a velhice; estudar os desafios que a mulher velha encontra ao ter acesso à educação formal, em relação à questão de gênero; desvelar as memórias que as mulheres possuem sobre suas experiências educacionais anteriores; verificar como as mulheres compreendem a Escola e o Programa de EJA do qual participam. Para tanto, lançou-se mão da pesquisa qualitativa, com auxílio das pesquisas de tipo bibliográfica, documental e de campo, além das seguintes técnicas para obtenção das informações: observação direta e entrevista não-estruturada baseada no método História Oral Temática. Como campo da pesquisa, selecionou-se um Programa de EJA em uma Escola Municipal de Fortaleza, com a participação de 5 (cinco) mulheres velhas alunas da EJA, cujas narrativas foram interpretadas à luz da Hermenêutica-Dialética. As percepções, sobre o retorno ou acesso pela primeira vez aos estudos, foram reunidas em 3 (três) categorias empíricas: lazer/ sociabilidade, cidadania/ pertença, liberdade/ autonomia. Dessa forma, os significados foram os mais variados possíveis, mas todos concorreram para a necessidade de ampliação de espaços educacionais para as mulheres, onde possam reconhecer suas demandas singulares no decorrer de todas as fases de suas vidas. A partir dessa mudança de pensamento e, consequentemente, de paradigma, é que a escola pode abraçar, democraticamente, homens e mulheres, de diferentes idades, de pertencimentos de classe os mais diversos, de múltiplas crenças e nacionalidades. Essa desconstrução requer o engajamento de grupos historicamente colocados à margem do direito à educação que, reconhecendo-se como protagonistas, podem contribuir com a criação de uma nova ordem societária e de uma sociabilidade pautada na igualdade de gênero sem nenhum tipo de preconceito e/ ou discriminação.
9

As armas de Marte no espelho de Vênus: a marca de gênero em ciências biológicas

Souza, Ângela Maria Freire de Lima e January 2003 (has links)
216 f. / Submitted by Suelen Reis (suziy.ellen@gmail.com) on 2013-04-30T12:59:07Z No. of bitstreams: 1 Tese Angela Souza.pdf: 950843 bytes, checksum: 65e896ec475ad0c9bfa2145b3306a3fa (MD5) / Approved for entry into archive by Maria Auxiliadora Lopes(silopes@ufba.br) on 2013-06-11T15:14:17Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Tese Angela Souza.pdf: 950843 bytes, checksum: 65e896ec475ad0c9bfa2145b3306a3fa (MD5) / Made available in DSpace on 2013-06-11T15:14:17Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Tese Angela Souza.pdf: 950843 bytes, checksum: 65e896ec475ad0c9bfa2145b3306a3fa (MD5) Previous issue date: 2003 / Este estudo teve como objetivo analisar implicações de gênero na formação e no exercício profissional de mulheres biólogas que atuam como pesquisadoras. A abordagem teórica do tema proposto envolveu a análise histórico-filosófica da Ciência Moderna à luz da teoria feminista sobre o modelo dominante da construção do conhecimento, segundo a qual as escolas filosóficas que norteiam o pensamento científico não são neutras do ponto de vista de gênero, uma vez que teorias essencialistas sobre ser homem e ser mulher, apontam para uma pretensa dificuldade das mulheres frente aos desafios da produção de conhecimento, em função de sua suposta menoridade intelectual, sua subjetividade, a prevalência da emoção sobre a razão e a ausência da agressividade inerente à idéia de dominação exigida de um cientista diante de seu objeto de estudo. Neste sentido, a construção da identidade feminina e sua articulação como o mundo da ciência também foram objeto de análise. Considerando a importância do curso de graduação para a formação da cientista, no caso específico a bióloga pesquisadora, analisou-se também o curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal da Bahia quanto à opção epistemológica e modelo de currículo. O relato das cientistas sobre sua experiência no campo profissional e de suas impressões sobre o curso que realizaram constitui a principal fonte de informação deste estudo, de caráter qualitativo, em consonância com a inspiração feminista que o caracteriza. Foram realizadas entrevistas com pesquisadoras biólogas formadas pelo Instituto de Biologia no período de 1973 a 2000, das quais emergiram as categorias de análise que nortearam a pesquisa: identidade feminina, identidade de cientista, concepção de Ciência, opção epistemológica e modelo de currículo do Curso de Ciências Biológicas e relações de poder no ambiente de trabalho associadas a estereótipos de gênero. Os resultados da pesquisa de campo confrontados com o referencial teórico permitem afirma que é substancial a marca do gênero na academia, particularmente no universo onde se inserem as biólogas formadas pelo Curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal da Bahia. A análise dos dados permite a afirmação de que é de inspiração positivista a concepção do curso de Ciências Biológicas, assim como se caracteriza como tecnicista e conteudista o modelo de currículo adotado no curso desde sua criação e também por ocasião de suas reformas curriculares. As normas, os códigos, os valores e as condutas esperadas e estimuladas nos estudantes que se direcionam para a pesquisa científica são aqueles preconizados pelo pensamento hegemônico no mundo científico, embasados no racionalismo de Descartes e no positivismo de Comte, em que a Razão se afirma como faculdade primordial e suficiente para a apreensão dos fenômenos, como também na única possibilidade de elaboração de um método universalmente válido para desvendar a Natureza. As cientistas, em sua maioria, percebem a sua identidade feminina como uma possível ameaça à consecução de seus objetivos, uma vez que esta identidade se associa a aspectos da experiência humana que são precisamente aqueles considerados indesejáveis à prática de construção do conhecimento, como a emoção, a subjetividade, a ausência de agressividade ou competitividade e, sobretudo, a maternidade. As entrevistadas em sua maioria associam a identidade feminina à maternidade e ao cuidado, exatamente como vêm fazendo as mulheres de outras gerações. Os depoimentos refletem o conflito entre as exigências do trabalho científico e os encargos domésticos, configurando-se nas mentes dessas mulheres duas identidades separadas, antagônicas: a mulher e a cientista, sob a mesma ótica cartesiana impregnada em seu modo de ver o mundo. Quanto às relações de poder no mundo do trabalho, a pesquisa revelou que, embora sejam mais numerosas que os homens no campo das ciências biológicas, poucas são as mulheres que ocupam ou ocuparam posição de destaque enquanto cientistas nas suas respectivas instituições. As entrevistadas, em sua maioria, afirmaram não terem sido afetadas por preconceito ou discriminação explícita, atribuindo tal fato à adoção de uma postura desafiadora e confiante diante de seus pares. Esta “adequação” ao modelo masculino envolve atitudes mentais, aprendizados de técnicas e procedimentos, incremento da competitividade e principalmente, a negação daqueles elementos associados à identidade feminina que poderiam se constituir objeto de crítica ou censura de seus pares. Afirma-se, portanto, que no contexto onde estão inseridas, as cientistas, sujeitos dessa pesquisa, refletem ou assimilam certas características associadas ao masculino para se estabelecerem no ambiente científico marcado pelo viés androcêntrico já denunciado muitas vezes ao longo deste estudo. O estudo indica que o grande desafio para as cientistas é a própria estrutura do campo da pesquisa científica, concebido e construído para os homens, dentro do modelo da sociedade patriarcal, que preconiza a liberdade irrestrita dos homens no mundo do trabalho, enquanto todos os encargos da vida familiar são de responsabilidade da mulher. Conclui-se, portanto, que a superação das dificuldades das mulheres no mundo da ciência e a correção das assimetrias históricas de gênero no seu campo de trabalho estão na dependência de uma mudança estrutural profunda na sociedade que altere a divisão de responsabilidades no exercício dos papéis de gênero. / Salvador
10

Travestis na escola: assujeitamento ou resistência à ordem normativa / Travestis en la escuela: asujetamientos y resistencias la orden normativo

ANDRADE, Luma Nogueira de January 2012 (has links)
ANDRADE, Luma Nogueira de. Travestis na escola: assujeitamento ou resistência à ordem normativa. 2012. 279f. – Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2012. / Submitted by Márcia Araújo (marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2014-03-10T13:30:37Z No. of bitstreams: 1 2012-TESE-LNANDRADE.pdf: 3388033 bytes, checksum: e056db8bae1ca9886f64ef5622fb1f49 (MD5) / Approved for entry into archive by Márcia Araújo(marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2014-03-10T16:43:27Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012-TESE-LNANDRADE.pdf: 3388033 bytes, checksum: e056db8bae1ca9886f64ef5622fb1f49 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-03-10T16:43:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012-TESE-LNANDRADE.pdf: 3388033 bytes, checksum: e056db8bae1ca9886f64ef5622fb1f49 (MD5) Previous issue date: 2012 / Esta pesquisa tem por objetivo desvendar as resistências e assujeitamentosdas jovens travestis na escola. Evidencia-se o uso de táticas que as jovens/estudantes/travestis fazem para burlar a disciplina e o controle eproduzir linhas de fuga para o acesso e a permanênciano espaço escolar. Como as estudantes travestis se movem na ordem normativa da escola? Como constroem sua experiência de ser jovem travesti na escola? Quais as possibilidades de resistência diante desse ciclo de interdição e práticas reguladoras do sexo existentes na instituição escolar? Para realizara investigação, fez-se um levantamento do número de travestis matriculadas em escolas de Ensino Médio da rede estadual de ensino do Ceará, que orientou a escolha de três escolas para aplicação de questionários com alunos(as), professores(as) e gestores(as). Estabeleço um diálogo com autores como Vale (2005), Benedett (2005), Silva (2007), Kulick (2008), Pelúcio (2009), Certeau (1994) e Foucault (1987).Para o aprofundamento dos dados, desenvolvemos uma pesquisa de caráter etnográfico com as travestis. O resultado da pesquisa apontou que dos 184 municípios do estado do Ceará apenas 25 possuem jovens transgêneros matriculados em escolas estaduais.A negação das travestis no espaço da sala de aula resulta no confinamento e na exclusão, que as transformam em desviantes e indesejadas. Quando isso ocorre no ambiente escolar, a pressão normalmente é tão intensa que impele as travestis a abandonar os estudos, sendo disseminada a ideia de que foi sua própria escolha. Esta justificativa tenta mascarar o fracasso da escola em lidar com as diferenças, camuflando o processo de evasão involuntária induzido pela escola. As travestis pesquisadas se assujeitam e resistem para poder sobreviver; em alguns momentos, elas sucumbiram “ao peso de forças adversas”, mas também conseguiram gozar “as alegrias da solidariedade”. / El objetivo de esta investigación fue desvelar las resistencias y asujetamientos de las jóvenes travestis en la escuela. En este trabajo, están evidenciados el uso de tácticas usadas por dichas jóvenes/estudiantes/travestis para escaparse del control y de la disciplina del ambiente escolar y también la producción de líneas de fuga para su acceso y permanencia en el mismo. Como las Estudiantes travestis se manejan con el orden normativo de la escuela? Cuáles son las posibilidades de resistencia frente a este ciclo de prohibición y a prácticas reguladoras del sexo presentes en la institución escolar? Para la producción de este trabajo, ha sido hecho un levantamiento del número de travestis anotadas en el bachillerato de la cadena de escuelas pertenecientes al Gobierno Estadual de Ceará, el que nos sugirió la elección de tres escuelas determinadas para la realización de encuestas con alumnos(as), profesores(as) y directores(as). Para el aprofundamiento de los datos, hemos realizado con las travestis una investigación de carácter etnográfico. El resultado de la etnografía apunta que, de todos los184 municipios del estado de Ceará, nomás que 25 tienen jóvenes transgénero anotadas en escuelas estaduales. La negación a las travestis en el ambiente del aula les resulta el confinamiento y la exclusión, haciéndolas desviantes e indeseadas. Al ocurrir tal hecho, la presión es, en general, tan intensa que impele a las mismas a abandonar sus estudios, diseminándose la idea de que esta renuncia es su propia elección. Tal justificativa enmascara el fracaso de la escuela de administrar las diferencias de sus alumnos, escondiendo el proceso de evasión involuntaria de las travestis, inducido por la propia institución. Las travestis encuestadas se asujetan y resisten para sobrevivir en el ambiente escolar; hubo veces en las que tuvieron que ceder ante el "peso de fuerzas adversas", pero también han conseguido gozar "las alegrías de la solidaridad".

Page generated in 0.074 seconds