• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 766
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 771
  • 281
  • 266
  • 197
  • 117
  • 79
  • 75
  • 74
  • 72
  • 65
  • 62
  • 58
  • 57
  • 56
  • 55
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
61

Expressão tecidual e reconhecimento imune da paramiosina do carrapato Rhipicephalus (Boophilus) microplus

Leal, Bruna Ferreira January 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T18:41:25Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000444377-Texto+Completo-0.pdf: 376897 bytes, checksum: 468537059cc3bd01ae14fdd8d9e9222a (MD5) Previous issue date: 2012 / Rhipicephalus microplus is a tick that parasite bovines, damaging the milk and meat production, and constituting a vector for agents of various diseases. R. microplus cause serious losses in countries that depend on cattle production, and the control methods used are based on the use of acaricides, which present high cost and contaminate milk and meat, generating impacts on the environment. Therefore, new methods of control, as vaccines, have been suggested. Anti-parasite protective antigens can be divided into two groups: exposed, which interact with host immune system, and concealed, that do not interact with host immune system. Paramyosin (PRM) is a protein present in invertebrates primarily characterized by muscle function, but in various parasites it has been localized in nonmuscle regions, suggesting that it may also perform functions involved in the evasion of the host immune system. The Taenia solium paramyosin inhibits “in vitro” the classical pathway of complement system by binding to C1, and R. microplus paramyosin (RmPRM) has been shown to bind immunoglobulins. This study aimed to evaluate the recognition of RmPRM by the sera of animals infected with R. microplus and determine the levels of paramyosin gene expression in tissues and different developmental stages of the tick, as well as to analyze the anti-complement activity of the recombinant protein. The results showed that sera from naturally infected Bos indicus and B. taurus were able to recognize the recombinant PRM. Antibodies levels found among the bovines have considerable variation, but with higher titers predominating among B. indicus individuals. The RmPRM gene transcription was detected in most tissues, organs, eggs and larvae tested, with higher levels of expression found in the fat body, an organ without muscle tissue prominence. Furthermore, this study shows that RmPRM is able to inhibit the complement system, indicating that that this protein should be an important component for the parasite survival, possibly involved in modulation of the host immune system. Corroborating other studies in parasites, these results suggest that RmPRM performs other functions than those classically described in the musculature. / Rhipicephalus microplus é um carrapato que parasita bovinos, prejudicando a produção de leite e carne, além de ser um vetor para agentes de diversas doenças. O R. microplus causa sérios prejuízos em países que dependem da pecuária, e os métodos de controle utilizados são baseados no uso de acaricidas, os quais apresentam alto custo e contaminam o leite e a carne, além de causarem impactos ao meio ambiente. Desta forma, novos métodos de controle, como o desenvolvimento de vacinas, têm sido sugeridos. Antígenos protetores ao gado têm sido divididos em dois grupos: expostos, que interagem com o sistema imune do hospedeiro, e ocultos, que não interagem com o sistema imune do hospedeiro. A paramiosina (PRM) é uma proteína presente em invertebrados primariamente caracterizada pela sua função muscular, porém em diversos parasitos tem sido localizada em regiões não musculares, sugerindo que a mesma também possa apresentar funções envolvidas com a evasão do sistema imune do hospedeiro. A PRM de Taenia solium inibe “in vitro” a via clássica do sistema complemento, por meio do bloqueio da função de C1, e a de R. microplus liga a porção Fc de imunoglobulinas. Este estudo teve por objetivo avaliar o reconhecimento da paramiosina de R. microplus (RmPRM) por bovinos infectados com o carrapato e determinar os níveis de expressão do gene da paramiosina em tecidos e diferentes estágios de desenvolvimento do carrapato, tendo sido também avaliada a atividade anti-complemento da proteína recombinante. Os resultados mostraram que o soro de bovinos Bos indicus e B. taurus naturalmente infectados foram capazes de reconhecer paramiosina recombinante. Os níveis de anticorpos encontrados entre os bovinos apresentaram variações consideráveis, porém com os maiores títulos predominando entre indivíduos B. indicus. A transcrição do gene da RmPRM foi constatada na maioria dos tecidos, órgãos, ovos e larvas testados, com maior nível de expressão encontrado no corpo gorduroso, um órgão sem predominância de tecido muscular. Além disso, este trabalho mostra que a RmPRM é capaz de inibir o sistema complemento, indicando que esta proteína deve ser um importante componente para a sobrevivência do parasito, possivelmente envolvida na modulação do sistema imune do hospedeiro. Corroborando com outros trabalhos em parasitos, estes resultados sugerem que a RmPRM desempenha outras funções além das classicamente descritas na musculatura.
62

Expressão diferencial de proteínas durante a maturação sexual de Angiostrongylus cantonensis em infecção experimental de Rattus norvegicus

Oliveira, Camila Krug de January 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T18:41:44Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000444695-Texto+Completo-0.pdf: 624430 bytes, checksum: e4547549fd33f8db2dfcdef98c9ca071 (MD5) Previous issue date: 2012 / The two parasites in the genus Angionstrongylus that cause disease in humans are Angiostrongylus costarisensis and Angiostrongylus cantonensis. They have different target organs: A. costarisensis is located in the mesentery and causes eosinophilic ileocolitis, whereas A. cantonensis is a neurotropic parasite responsible for eosinophilic meningoencephalitis. Based on several indications that the sexual maturation is associated with increased pathogenesis in angiostrongylid worms, proteomic analysis was performed on A. cantonensis protein samples, to describe differential protein expression between 21 and 42 days post infection. Triplicated bidimensional electrophoresis was submitted to analysis and 11 proteins were found to be exclusively expressed after sexual maturation. Acetate kinase was the only protein that could be identified after mass spectrometry (LC-MS/MS). Since acetate is an important end-product of the energy metabolism among many parasites but not among their mammalian hosts, acetate formation is an attractive target for the development of new anti-parasitic drugs. Furthermore, studying the adaptations in parasite metabolisms can result in an increased understanding of the host-parasite interaction. This data open opportunities for control interventions and new strategies for molecular diagnosis. / Os principais parasitos do gênero Angionstrongylus que causam doença nos seres humanos são Angiostrongylus costarisensis e Angiostrongylus cantonensis. Eles têm distintos órgãos alvos: A. costarisensis está localizado no mesentério e causa ileocolite eosinofílica, enquanto que A. cantonensis é um parasita neurotrópico responsável pela meningoencefalite eosinofílica. Com base em várias evidências de que a maturação sexual está associada ao aumento da patogênese em vermes deste gênero, uma análise proteômica foi realizada em vermes de A. cantonensis para descrever a expressão diferencial de proteínas entre 21 e 42 dias após a infecção. Eletroforese bidimensional em triplicata foi submetida à análise e 11 proteínas foram encontradas exclusivamente expressas após a maturação sexual. A acetato quinase foi a única proteína identificada por espectrometria de massa (LC-MS/MS). O acetato é um importante produto final do metabolismo energético de muitos parasitos, mas não de seus hospedeiros mamíferos. Sendo assim, é um alvo atrativo para o desenvolvimento de novas drogas anti-parasitárias. Além do mais, o estudo das adaptações no metabolismo do parasito pode resultar em uma maior compreensão da relação parasito-hospedeiro. Este trabalho abre oportunidades para intervenções de controle e novas estratégias de diagnóstico molecular.
63

Dinâmica populacional de minicírculos de cinetoplastos em Leishmania infantum chagasi /

Gushi, Letícia Tsieme. January 2012 (has links)
Orientador: Paulo Eduardo Martins Ribolla / Banca: Hiro Goto / Banca: Jayme Augusto de Souza Neto / Banca: Cassiano Victória / Banca: Carlos Magno Castelo Branco Fortaleza / Resumo: Leishmaniose Visceral Americana (LVA) é uma doença tropical negligenciada em expansão no Brasil, ocorrendo em áreas onde antes não havia registro. Seu agente etiológico e a Leishmania chagasi um protozoário pertencente à classe Kinetoplastida caracterizada por uma organela denominada cinetoplasto a qual possui um DNA organizado em uma rede contendo maxicírculos, responsáveis pelas funções respiratórias e minicírculos, envolvidos na pordução de RNAs-guia, os quais possuem um papel importante na edição dos RNAs dos maxicírculos. Os minicírculos são divididos em uma região convervada de aproximadamente 120 p.b. e uma região variável de aproximadamente 600 p.b. O foco desse estudo está na análise das seqüências da região variável a fim de entender sua distribuição nos diferentes estágios de vida da L. chagasi. As amostras foram coletadas de cães e pacientes sintomáticos por aspiração dos linfonodos e, em alguns casos, foram obtidas culturas primárias. A extração do DNA foi realizada com o kit comercial Nucleo Spin Blood Kit (Macherey - Nagel) seguindo as instruções do protocolo. O kDNA foi amplificado por PCR, utilizando o par de oligonucleotídeos LIN R4 - forward (5'-GGT TGG TGT AAA ATA GGG-3) e LIN 19 - reverse (5'-GAA CGC CCC TAC CCG-3'), produzindo um fragmento de aproximadamente 720 p.b. Os produtos da PCR foram clonados no vetor pTZ57R/T de acordo com o protocolo do InsTAclone PCR cloning kit. As seqüências (aproximadamente 182) foram individualmente comparadas com as depositadas no GenBank, alinhadas com o software Clustal X2 e tiveram uma árvore filogenética construída utilizando o software MEGA 4.0 adotando o algoritmo UPGMA e escolhendo um bootstrap com 1000 replicatas. A distribuição entre os diferentes hospedeiros foi homogênea. A princípio, um lato polimorfismo é observado, mas... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: American Visceral Leishmaniasis (AVL) is a neglected tropical disease in expansion in Brazil currently occurring in areas where there has never been reports. Its etiologic agent is Leishmania chagasi, a protozoan belonging to the order Kinetoplastida characterized by an organelle named kinetoplast wich has a DNA organized in a network containing maxicircles, responsible for respiratory functions and minicircles, involved in the production of guide RNAs, which play a role in the RNA editing of maxicircles. The minicircles are divided into an approximately 120 b.p. conserved region and an approximately 600 b.p. variable region. The focus of this study is on the sequence analysis of the minicircles variable region in order to understand its distribution on different life stages of L. chagasi. Samples were collected from dogs and symptomatic patients by lymphonod aspiration and, in some cases, primary cultures were obtained. DNA extraction was carried out with the commercial kit Nucleo Spin Blood Kit (Macherey - Nagel) following its protocol. kDNA was amplified by PCR, using a pair of oligonucleotides LIN R4 - forward (5'-GGT TGG TGT AAA ATA GGG-3) and LIN 19 - reverse (5'-GAA CGC CCC TAC CCG-3'), producing a fragment of 720 b.p. PCR products were cloned in pTZ57R/T vector according to the InsTAclone PCR cloning kit protocol. Sequences (182) were individually compared with the ones deposited at the GENBANK, aligned with Clustal X2 software and had a phylogenetic tree constructed utilizing MEGA 4.0 software adopting UPGMA algorithm and choosing bootstrap with 1000 replicates. Sequences distribution among different hosts was homogeneous. At first, high polymorphism is observed but, when analyzed in more detail, i.e. by branch, sequences proved to be conserved and minimal SNP (Single Nucleotide Polymorphism) was found... (Complete abstract click electronic access below) / Doutor
64

Efeito da exposição a extratos parasitários na indução de rinite alérgica em camundongos

Brum, Charles de Ornelas January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T19:07:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000409862-Texto+Completo-0.pdf: 4390417 bytes, checksum: 7a3f167d778635b2b58c5287d14f72df (MD5) Previous issue date: 2008 / Background: There is accumulating evidence that helminth infections may be capable of modulating the expression of allergic diseases. Nasal increased eosinophils are one of the major hallmarks of allergic rhinitis. The objective of this report was to evaluate the effect of extracts of different parasites on the upper airway in a murine model of allergic rhinitis. Methods: BALB/c mice were first sensitized intraperitoneally (i. p) to ovalbumin (OVA, days 0 and 14) and were challenged intranasally (i. n) with OVA on 3 consecutive days (days 25, 26, 27). Extracts of adult Angiostrongylus costaricensis (A. costaricensis), Angiostrongylus cantonesis (A. cantonensis) and Ascaris lumbricoides (A. lumbricoides) worms were given by i. p. injection, in three different groups, respectively, on day -7. A fourth group, without extract administration, was used as the control group. Twenty-four hours after the last i. n OVA challenge, the mice were euthanized. Nasal tissues were removed and histology analysis was performed by light microscopic examination. Results: Mean of eosinophils counted in the control group was 25. 74 ± 3. 06. Eosinophil counts (cells/mm2) in A. costaricensis, A. lumbricoides and A. cantonensis groups were significantly lower than the control group (1. 88 ± 0. 60, 2. 37 ± 0. 66 and 2. 31 ± 0. 56, respectively; p=0. 001). ). The mean eosinophils counted in the treatment groups were not significantly different among the groups (p > 0,05). Conclusions: Our results suggest that systemic exposure to different adult parasite worm extracts suppress the eosinophilic inflammation in a murine model of allergic rhinitis. / Introdução: diversos estudos têm demonstrado que infecções helmínticas são capazes exercer um efeito modulador na expressão de doenças alérgicas. O aumento do número de eosinófilos no epitélio nasal é uma das principais características da rinite alérgica (RA). O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de extratos de diferentes parasitos adultos na resposta alérgica de vias aéreas superiores, utilizando-se um modelo murino. Métodos: camundongos BALB/c foram sensibilizados intraperitonealmente (i. p) com ovalbumina (OVA, nos dias 0 e 14). Após a sensibilização, nos dias 25, 26 e 27 do protocolo, os animais foram submetidos a instilações intranasais (i. n) de OVA. Extratos de vermes adultos de Angiostrongylus costaricensis (A. costaricensis), Angiostrongylus cantonensis (A. cantonensis) e Ascaris lumbricoides (A. lumbricoides) foram administrados através de injeção i. p em três diferentes grupos, respectivamente, no dia – 7. Um quarto grupo, no qual não foi administrado extrato parasitário, foi usado como controle. Vinte quatro horas após o último desafio com OVA i. n, os camundongos foram eutanaziados. O epitélio nasal foi removido e a análise histológica foi realizada em microscopia óptica. Resultados: a média do número de eosinófilos por mm2 (células/ mm2) no grupo controle foi de 25,74 ± 3,06. Enquanto a média de eosinófilos nos grupos A. costaricensis, A. lumbricoide e A. cantonensis foi significativamente menor que no grupo controle (1,88 ± 0,60; 2,37 ± 0,66 e 2,31 ± 0,56, respectivamente, p = 0,001). Não houve diferença estatisticamente significativa entre os grupos de tratamento com extrato parasitário (p > 0,05). Conclusão: os resultados sugerem que a exposição sistêmica a extratos de diferentes vermes adultos pode suprimir a inflamação eosinofílica em um modelo murino de rinite alérgica.
65

Aspectos de susceptibilidade à pediculose

Haidamak, Juciliane January 2017 (has links)
Orientadora : Drª Débora do Rocio Klisiowicz / Coorientador : Drª. Vânia Aparecida Vicente / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciencias Biológicas (Microbiologia, Parasitologia e Patologia Básica). Defesa: Curitiba, 30/11/2017 / Inclui referências / Resumo: A pediculose, doença causada pelo artrópode Pediculus humanus capitis é considerada um problema de saúde pública, pois afeta milhões de pessoas em todo o mundo, no entanto, crianças em idade escolar são as mais acometidas. É de conhecimento popular que alguns indivíduos são mais suscetíveis à parasitose que outros, porém, fatores inerentes ao hospedeiro, que podem influenciar na suscetibilidade à essa doença não estão totalmente esclarecidos. Assim, o objetivo do presente estudo foi isolar e identificar a microbiota do couro cabeludo e analisar se determinadas caracteríscas da morfologia do cabelo (tipo, cor, comprimento, escamas e diâmetro) podem interferir na predisposição à doença. Para a análise da microbiota do couro cabeludo, 10 crianças com pediculose (grupo A) e 10 crianças sem pediculose (grupo B) foram analisadas. As amostras da microbiota do couro cabeludo foram coletadas através de swabs que foram friccionados na cabeça e acondicionados em meios de transporte Stuart. O isolamento da microbiota fúngica foi feito em Ágar Sabouraud (SBA) com tetraciclina e o isolamento bacteriano foi feito em ágar sangue. A identificação molecular foi realizada através de sequenciamento da região 16S e ITS do DNA ribossomal bacteriano e fúngico, respectivamente. Um total de 186 isolados foram obtidos sendo 35 bactérias e 40 fungos (grupo A) e 47 bactérias e 64 fungos (grupo B). Os resultados sugerem que a microbiota isolada pode estar envolvida na suscetibilidade à pediculose. Em relação à microbiota bacteriana, no grupo A, Staphylococcus captis foi significativamente diferente (P<0.01) em relação Sthaphylococcus epidermidis presente no grupo B. Dentre os fungos isolados, foi observado que Debaryomyces sp. foi o fungo mais frequente (15,6%) no grupo B e (2,5%) no grupo A (P<0.01). No grupo B, ocorreu uma maior diversidade em relação ao grupo A. Essa diversidade foi demonstrada pela presença de bactérias como Staphylococcus hominis (2,1%), Klebsiella oxytoca (4,2%), Pseudomonas stutzeri (4,2%), Acinetobacter nosocomialis (2,1%), e Bacillus muralis (4,2%), enquanto que no grupo A, apenas Pseudomonas sp. (5,7%) e Phychrobacter sp. (2,8%) foram encontrados. Desta forma, acredita-se que a diversidade da microbiota do couro cabeludo pode interferir na preferência do piolho. Em relação às análises das características dos fios de cabelo, das 154 crianças analisadas, através da regressão logística multivariada, O cabelo encaracolado é aquele que apresenta o maior risco de pediculose, quando comparado com o gênero, idade e cabelos longos. O cabelo escuro também está associado ao risco de pediculose. Acredita-se que que a cor escura facilitaria a camuflagem de piolhos em cabelos escuros. Assim, meninas de cabelo comprido, escuro, encaracolado, escamas estreitas e diâmetro do fio de cabelo menor apresentaram maior risco para a pediculose. Referente a prevalência de piolhos, das 658 crianças (338 meninas e 320 meninos) analisadas, as meninas estavam mais infestadas (54,1%) que meninos (36,8%) (P> 0,05). No entanto, quando comparado os grupos etários, meninos com idades de 2-3 anos estavam mais infestados que as meninas. Palavras-chave: Piolho; cabelo; bactérias; fungos e prevalência. / Abstract:Pediculosis, a disease caused by the arthropod Pediculus humanus capitis is considered a public health problem as it affects millions of people around the world. However, school children are the most affected. It is popular knowledge that some individuals are more susceptible to parasitosis than others, but factors inherent to the host that may influence the susceptibility to this disease are not well understood. In this context, the objective of the present study was to isolate and identify the scalp microbiota and to analyze if certain characteristics of hair morphology (scales, type, color, length and diameter) may interfere with predisposition to the disease. For analysis of the scalp microbiota, 10 children with pediculosis (group A) with 10 children without pediculosis (group B) were analyzed. Samples of the scalp microbiota were collected through swabs that were rubbed on the children's heads and packed into Stuart transport medium. Isolation of the fungal microbiota was done in Sabouraud Agar (SBA) with tetracycline and bacterial isolation was done on blood agar. Sequencing was done for the 16S and 18S region of the bacterial and fungal ribosomal DNA, respectively. A total of 186 isolates were obtained from group A, from these 35 bacteria and 40 fungi and for group B, 47 bacteria and 64 fungi were isolated. The results suggest that the isolated microbiota may be involved in pediculosis susceptibility. In relation to the bacterial microbiota, in group A, Staphylococcus capitis was significantly different (p <0.01) in relation to Staphylococcus epidermidis present in group B. Among the isolated fungi, it was observed that Debaryomyces sp. was the most frequent fungus (15.6%) in group B and (2.5%) in group A (p <0.01). In group B occurred in a higher diversity in relation to group A, demonstrated by the presence of bacteria such as Staphylococcus hominis (2.1%), Klebsiella oxytoca (4.2%), Pseudomonas stutzeri (4.2%), Acinetobacter nosocomialis (2.1%), and Bacillus muralis (4,2%), while in group A only Pseudomonas sp. (5.7%) and Phychrobacter sp. (2.8%) were found. Thus, it is believed that the diversity of the scalp microbiota may interfere with the preference of the lice. Regarding the analyzes of hair characteristics by multivariate logistic regression, of the 154 children analyzed, the curly hair is the one that presents the highest pediculosis risk, even exceeding the gender and age. In this study, it was observed that dark hair is also associated with the risk of pediculosis. It is believed that a higher percentage of dark-colored lice would facilitate the camouflage of dark-colored lice. So, girls with long, dark, curly hair, narrow scales and smaller hair diameter presented greater risk for pediculosis. Regard to the prevalence of lice, of the 658 children (338 girls and 320 boys) analyzed, the girls were more infested (54.1%) than boys (36.8%) (P> 0.05). However, when compared to age groups, boys aged 2-3 years were more infested than girls. Keywords: Head lice; hair; bacterium; fungi and prevalence
66

Efeito da liraglutida sobre a metilação do DNA e a expressão de marcadores da transição epitélio-mesênquima em linhagens tumorais de mama

Toledo, Mariana Busato January 2017 (has links)
Orientadora : Profª Drª Giseli Klassen / Coorientadora : Profª Drª Edneia A. S. R. Cavalieri / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Microbiologia, Parasitologia e Patologia). Defesa: Curitiba, 22/03/2017 / Inclui referências : f. 65-73 / Resumo: O câncer de mama é o mais diagnosticado e a principal causa de morte por câncer no mundo entre as mulheres. A propagação metastática das células tumorais é responsável por aproximadamente 90% das mortes por este câncer. A progressão dos carcinomas, que culminam nas metástases, está associada com a perda de características epiteliais e a aquisição de fenótipo mesenquimal pelas células tumorais, processo este denominado de transição epitélio-mesênquima (TEM). A identificação de fármacos já aprovados em novas indicações terapêuticas para outras doenças, como o câncer, é conhecida como reposição de fármacos. Isto é possível devido às origens moleculares comuns de diversas doenças. Estudos recentes mostram que agonistas do receptor de GLP-1, como a exenatida, apresentam efeitos pró-apoptóticos e seletivos em células tumorais, especialmente em linhagens tumorais de mama. A liraglutida é um análogo de GLP-1 mais estável que a exenatida, utilizada na terapia da diabetes mellitus do tipo 2. Diante disso, o objetivo do estudo foi avaliar o efeito in vitro da liraglutida em células tumorais de câncer de mama. A viabilidade celular com este fármaco foi testada nas concentrações de 10, 30, 50, 70 e 100 nM tanto nas linhagens tumorais de mama, MCF-7, MDA-MB-231, MDA-MB-436, como na linhagem normal de mama HB4a. A liraglutida não apresentou efeito inibitório de viabilidade nas linhagens. A partir deste teste, foram feitos os ensaios de migração celular, análises de expressão gênica dos marcadores da TEM, como o CDH1, marcador epitelial, e o VIM, marcador mesenquimal, assim como para as análises de metilação do promotor desses genes, com a concentração de 30 nM de liraglutida. Os resultados mostraram que a liraglutida diminuiu em aproximadamente 40% a migração das linhagens mesenquimais MDA-MB- 231 e MDA-MB-436. Em ambas as linhagens houve aumento significativo da expressão de CDH1, associada com a desmetilação do promotor deste gene. Além disso, foi feito a indução da TEM na linhagem epitelial MCF-7, após exposição com o fator de crescimento epidermal (EGF), e este ensaio apresentou aumento da migração celular, juntamente com o aumento da expressão dos genes VIM e SNAIL e diminuição de CDH1, alterações estas características da indução da TEM. O tratamento na linhagem MCF-7 com liraglutida, nas células tratadas com EGF, inibiu a motilidade celular e a expressão de CDH1, revertendo a indução da TEM causada pelo EGF. Como conclusão, os dados obtidos mostram que a liraglutida afeta o potencial migratório das linhagens tumorais de mama, pela redução de migração celular e pelo aumento da expressão de CDH1. Palavras-chave: Câncer de mama; TEM; Liraglutida. / Abstract: Breast cancer is the most commonly diagnosed cancer and the main cause of cancer death in the world among women. The propagation of metastatic tumor cells is responsible for approximately 90% of human breast cancer death. Carcinoma progression, which results in metastasis, is associated with the loss of epithelial features, and the acquisition of a mesenchymal phenotype by tumor cells, and this process is called of epithelial mesenchymal transition (EMT). Drug repurposing is the identification of new therapeutic indications for already approved drugs in others pathologies, like cancer. This is possible because of the common molecular origins of diverse diseases. Recent studies with Glucagon-like-peptide-1 (GLP-1) receptor agonists, as exenatide, has showed pro-apoptotic and selective effects in tumor cells, especially in breast cancer cell lines. Liraglutide is a human GLP-1 analogue more stable than exenatide, used in type 2 diabetes mellitus therapy. Then, the aim of this study was to evaluate the in vitro effects of liraglutide on breast cancer cell lines. The cell viability with liraglutide was tested in the concentrations of the 0, 10, 30, 50, 70 and 100 nM both in breast cancer, MCF-7, MDA-MB-231, MDA-MB-436, and normal breast, HB4a, cell lines. Liraglutide does not affect the cell viability in the cell lines. From this assay, the following assays were done with 30 nM of liraglutide: wound healing, analyses of gene expression of EMT markers, like CDH1 epithelial marker and VIM mesenchymal marker and DNA methylation of promoter from CDH1 and VIM. The results showed that liraglutide decreased nearly 40% the cell migration of the mesenchymal cell lines MDA-MB-231 and MDA-MB-436. These two cell lines had up regulation of CDH1, associated with demethylation of this gene. Furthermore, the epithelial cell line MCF-7 was induced to EMT, after stimulation with epidermal growth factor (EGF), and it resulted in an increased cell motility and up regulation of mesenchymal markers VIM and SNAIL and decreased of CDH1, these alterations are characteristics of EMT. Treatment of MCF-7 cells with a combined stimulation of EGF and liraglutide inhibited the motility and decreased levels of CDH1, reverting EGFinduced EMT. In summary, these data showed that liraglutide affects the migratory behavior of the breast cancer cell lines by the reduction of cell migration and up regulation of CDH1. Key words: Breast cancer; EMT; Liraglutide.
67

Detecção, transmissão e patogenicidade de fungos em sementes de peroba rosa (Aspidosperma polyneuron)

Mazarotto, Edson José January 2016 (has links)
Orientadora : Profª. Drª. Ida Chapaval Pimentel / Coorientador : Prof. Dr. Álvaro Figueredo dos Santos / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciencias Biológicas (Microbiologia, Parasitologia e Patologia Básica). Defesa: Curitiba, 19/02/2016 / Inclui referências : f. 72-82 / Área de concentração / Resumo: A peroba rosa (Aspidosperma polyneuron) é uma espécie florestal nativa da Floresta Estacional Semidecidual, que encontra-se ameaçada de extinção devido à intensa exploração predatória. Com a intensificação da procura por sementes, surge a necessidade de ampliar os conhecimentos sobre a qualidade das sementes de espécies florestais nativas. Frente a isso, o objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade sanitária e fisiológica de dez lotes de sementes de peroba rosa, identificando e avaliando fungos que são transmitidos pelas sementes e que possam causar danos à germinação e desenvolvimento das plantas. Foram utilizadas sementes oriundas de quatro regiões do Paraná (Oeste, Sudoeste, Centro-Sul e Noroeste). Para a germinação e vigor foram realizadas seis repetições de 25 sementes em rolos de papel, mantidas em germinador a 25°C por 26 dias com luz contínua. Os parâmetros de vigor avaliados foram a primeira contagem com 12 dias, índice de velocidade de germinação e comprimento de parte aérea e raiz. As análises sanitárias consistiram na detecção de fungos endofíticos e epifíticos, a qual requer níveis diferentes de desinfestação prévia das sementes. Para a detecção de fungos endofíticos (álcool 70% - 1 minuto; hipoclorito de sódio 1% - 4 minutos; álcool 70% - 30 segundos) e epifíticos (álcool 70% - 30 segundos; hipoclorito de sódio 1% - 1 minuto) foi utilizado meio de batata-dextrose-ágar (BDA) e meio seletivo de Fusarium (MSF). O material foi incubado a 20 °C, fotoperíodo de 12 horas de luz/ 12 horas de escuro, por sete dias. Em seguida, determinou-se a incidência (%) dos fungos. Para a transmissão, as sementes não desinfestadas foram semeadas em vermiculita. Avaliou-se a presença de sintomas nas plântulas. Aos 60 dias após a semeadura, as sementes não germinadas foram removidas e colocadas em câmara úmida para observação. Quanto à patogenicidade o teste foi realizado em mudas de peroba rosa, com ferimentos prévios nas folhas e inoculou-se um disco de meio BDA com micélio em crescimento ativo. As mudas foram colocadas em câmara úmida por 72 horas e mantidas por 30 dias em casa de vegetação. Os isolados de Fusarium spp. e Phomopsis spp. selecionados foram identificados por meio de sequências das regiões ITS1-5,8S e ITS2 do DNA ribossomal e região parcial do fator de elongação 1-alpha. A germinação das sementes de peroba rosa variou de 9,3% a 60%. Fusarium spp. e Phomopsis spp. foram os fungos fitopatogênicos encontrados como epífitos nas sementes de peroba rosa, com incidência entre 52 e 25%, respectivamente. Como endófitos apresentaram valores entre 5 e 65%, respectivamente. Houve transmissão de Fusarium spp. e Phomopsis spp. das sementes para as plântulas causando necrose de raízes e cotilédones. 27 isolados de Fusarium spp. e 26 de um total de 32 isolados de Phomopsis spp. foram patogênicos. Por meio das características morfológicas e moleculares foram identificadas sete espécies de Fusarium - Fusarium solani, Fusarium oxysporum, Fusarium verticillioides, Fusarium equiseti, Fusarium fujikuroi, Fusarium pseudocircinatum e Fusarium subglutinans, associadas às sementes de peroba rosa. Quanto à Phomopsis spp., foram identificadas duas espécies: Diaporthe paranensis e Diaporthe oxe. Palavras-chave: Patologia de sementes, sementes florestais nativas, fungos endofíticos. / Abstract: The peroba rosa (Aspidosperma polyneuron) is a forest specie, native from the semideciduous forest, which is threatened of extinction due the intense predatory exploitation. The increasing on the demand for seeds arises the need to increase knowledge about the quality of seeds of native forest species. Based on that, the aim of this study was to check the sanitary quality and physiological of ten peroba rosa seed lots, identifying and assessing fungi what are transmitted for seeds and that can cause damage to the germination and development of plants. Ten lots of seeds from four regions of Paraná (West, Southwest, South Central and Northwest) were used. For germination and vigor, six repetitions of 25 seeds were performed in rolls of paper, maintained in germinator at 25 °C for 26 days with continuous light. The vigor parameters evaluated were the first count with 12 days, germination speed index and length of shoot and root. The sanitary analysis consisted in detecting endophytic and epiphytic fungi, which requires different levels of prior disinfection of the seeds. For detection of endophytic fungi (70% alcohol - 1 minute; 1% sodium hypochlorite - 4 minutes; 70% alcohol - 30 seconds) and epiphytic (70% alcohol - 30 seconds; 1% sodium hypochlorite - 1 minute) potato-dextrose-agar (PDA) and Fusarium selective medium (MSF) were used. The material was incubated at 20 °C, with photoperiod of 12 hours light / 12 hours dark, for seven days. Then, it was determined the incidence (%) of fungi. For the transmission test, the non-disinfested seeds were sown in vermiculite. The presence of symptoms in seedlings was evaluated. At 60 days after sowing, the non-germinated seeds were removed and placed in a humid chamber for observation. The pathogenicity test was performed in seedlings of peroba rosa, with previous injuries in the leaves where a disk of PDA with mycellium in active growth was inoculated. The seedlings were placed in humid chamber for 72 hours and maintained for 30 days in a greenhouse. The isolates of Fusarium spp. and Phomopsis spp. selected were identified by sequences of rDNA regions ITS1-5,8S and ITS2 and partial region of the elongation factor 1-alpha. The germination of seeds of peroba rosa ranged from 9.3% to 60%. Fusarium spp. and Phomopsis spp. were the phytopathogenic fungi found as epiphytes in peroba rosa, with incidence between 52 and 25%, respectively. As endophytes, they showed values between 5 and 65%, respectively. There was transmission of Fusarium spp. and Phomopsis spp. from the seeds to seedlings causing necrosis in roots and cotyledons. 27 isolates of Fusarium spp. and only 26 out of 32 isolates of Phomopsis spp. were pathogenic. Through morphological and molecular and characteristics, seven Fusarium species were identified - Fusarium solani, Fusarium oxysporum, Fusarium verticillioides, Fusarium equiseti, Fusarium fujikuroi, Fusarium pseudocircinatum and Fusarium subglutinans, all associated with peroba rosa seeds. Regarding the Phomopsis spp., two species were identified: Diaporthe paranensis and Diaporthe oxe. Keywords: Seed pathology, native forest seeds, endophytic fungi.
68

Análise parcial do genoma de Fonsecaea monophora e estabelecimento de protocolo para cariotipagem do gênero

Bombassaro, Amanda January 2016 (has links)
Orientadora : Profª Drª Vânia Aparecida Vicente / Coorientadora : Profª Drª Renata Rodrigues Gomes / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Microbiologia, Parasitologia e Patologia Básica). Defesa: Curitiba, 04/02/2016 / Inclui referências : f. 76-92 / Resumo: As leveduras negras pertencentes à família Herpotrichiellaceae são microrganismos extremamente relevantes do ponto de vista ecológico e clínico. Esses organismos comuns sapróbios apresentam alta capacidade de adaptação e parecem apresentar um ciclo de vida composto e potencial de patogenicidade. No gênero Fonsecaea foram relatadas diferentes espécies associadas a hospedeiros humanos, animais e de fontes ambientais. Fonsecaea monophora é relatada como agente de cromoblastomicose com formação de corpos muriformes e agente de infecção cerebral. Buscando compreender a biologia e potencial de patogenicidade desta espécie, foi realizada sua análise genômica parcial e o desenvolvimento incial de um protocolo para caracterização carotípica do gênero. Para isto, o genoma parcial foi obtido utilizando a combinação de leituras de sequências provenientes das plataformas Illumina e Ion Proton. O draft de maior qualidade obtido apresenta tamanho de 34,21Mb, com 301 supercontigs e N50 de 268.916 pb. A partir do genoma parcial gerado, foi realizada a anotação automática e uma análise genômica preliminar. Para a caracterização cariotípica, podemos determinar o tiabendazol como agente bloqueador do desenvolvimento celular e estabelecer o protocolo para obtenção de protoplastos. Palavras-chave: Leveduras negras. Fonsecaea monophora. Anotação. Análise genômica. Cariótipo. / Abstract: Black yeast belonging to Herpotrichiellaceae family are extremely relevant microorganisms ecological and clinical point of view. These common saprobes organisms have a high capacity to adapt and appear to have a life cycle compound and potential pathogenicity. In the genus Fonsecaea different species were reported related to human, animal and environmental sources hosts whose ecology seems to direct the evolution of clinical conditions. Fonsecaea monophora is reported as chromoblastomycosis agent with training muriformes bodies and brain infection agent. Trying to understand the biology and potential pathogenicity of this species, it was carried out partial genomic analysis and the initial development of a protocol for carotípica characterization of the genre. For this, the partial genome was obtained using the combination of readings from sequences of Proton Ion and Illumina platform. The higher quality obtained draft has size 34,21Mb with 301 supercontigs and N50 of 268,916 bp. From the generated partial genome automatic annotation and preliminary genomic analysis was performed. For karyotype characterization, we can determine thiabendazole as blocking agent of cell growth and establish the protocol for protoplasts. Key words: Black yeasts. Fonsecaea monophora. Annotation. Genomic analysis.Karyotype.
69

Metilação do DNA e marcas de histonas H3k4m3 e H3k27m3 em intron regulam a expressão do gene mmp9 em câncer de mama

Klassen, liliane Maria Bacaro January 2016 (has links)
Orientador : Profª. Drª. Giseli Klassen / Coorientador : Profª. Edneia A. S. R. Cavalieri / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciencias Biológicas (Microbiologia, Parasitologia e Patologia Básica). Defesa: Curitiba, 26/08/2016 / Inclui referências : f. 71-86 / Área de concentração: Patologia / Linha de pesquisa: Epigenética e câncer / Resumo: As metástases são a causa das mortes por câncer em 90% dos casos. No processo de metástases a destruição ou degradação da matriz extracelular é muito importante para o deslocamento das células tumorais malignas. Este processo é mediado por diversas enzimas, destacando-se a gelatinase B ou MMP-9. A epigenética estuda mecanismos de regulação da expressão gênica utilizando a metilação do DNA (em citosinas adjacentes a guaninas) e modificações pós-traducionais de histonas como principais mediadores. As ilhas de CpGs ao longo do promotor podem ser hipermetiladas e assim promover o silenciamento gênico e vice-versa. A partir deste conhecimento vem sendo utilizados diversos análogos de citosina a fim de inibir o processo de metilação de DNA. Nesse sentido esta em avançado estudo clínico o uso do 5-aza-2'- deoxicitosina (5-azadC) ou decitabine em alguns tipos de leucemias e doenças mielodisplásicas e provável inicio de utilização em tumores sólidos. Neste estudo o objetivo foi avaliar a expressão do gene MMP9 em linhagens de câncer de mama e com esses dados estudar o efeito da metilação do DNA e modificações de histonas no promotor e corpo do gene com e sem tratamento com decitabine. Para isso clonamos e sequenciamos uma região contendo CpGs da região promotora do gene MMP9 e também e ilhas de CpG no corpo do gene utilizando linhagens tumorais, PMC42, HeLa, MCF7 e MDA-MB-436. As linhagens MCF7 e MDA-MB-436 expressam baixos níveis de MMP9. Apos o tratamento destas 5- azadC foi observado aumento da expressão do gene e proteína MMP-9. O sequenciamento de CpGs na região promotora revelou que a metilação do DNA regula a expressão deste gene nas linhagens tumorais. Além disso a análise em amostras tumorais de pacientes que expressam MMP-9 também possuem estes CpGs desmetilados. A região intragênica contém 4 ilhas de CpG que foram clonadas em 2 fragmentos e denominadas CGI1 e CGI2. A CGI1 é altamente metiladas com ou sem tratamento com decitabine nas linhagens tumorais. Por outro lado a CGI2 apresentou alguns CpGs nas posições 12 a 30 que estavam metilados nas linhagens tumorais sem tratamento com decitabine, e que são desmetiladas após o tratamento. Novamente os resultados de contrapartida com amostras de tumores primários, estes mesmos CpGs encontraram-se desmetilados nos tumores mais agressivos e com presença de MMP-9 na imunohistoquímica. Afim de se avaliar o provável envolvimento de modificações de histonas foi realizada a imunoprecipitação de cromatina para as marcas de cromatina para abertura H3K4me3 e fechamento H3K27me3. Utilizando a linhagem MCF7 observou-se que após o tratamento com decitabine houve o enriquecimento da marca de abertura na região promotora onde se ligam os fatores de transcrição AP1 e NFkB. Além disso os CpGs 12-30 da CGI2 também apresentaram aumento da marca de abertura. Em conjunto esses resultados mostram um provável novo mecanismo de regulação da expressão gênica através de CpGs localizados em íntron no gene MMP9. Esses resultados são importantes no contexto do entendimento de mecanismos de expressão de MMP-9 em câncer de mama e também para o estudo de possível efeito de ativação de metástases com o uso do medicamento decitabine. / Abstract: Metastases are the cause of cancer deaths in 90% of cases. In the process of metastasis destruction or degradation of extracellular matrix it is important for the displacement of malignant tumor cells. This process is mediated by several enzymes, especially B-gelatinase or MMP-9. Epigenetic studies of regulatory mechanisms of gene expression using DNA methylation (adjacent cytosine to guanine) and post-translational modifications of histones as major mediators. The CpG islands along the promoter may be hypermethylated and thus promote gene silencing and vice versa. From this knowledge different cytosine analogues are used to inhibit the DNA methylation process. Accordingly this in advanced clinical study using 5-aza-2'-deoxicitosine (5-azadC) or decitabine in some types of leukemias and myelodysplastic diseases and probable beginning of use in solid tumors. In this study our goal was to evaluate the expression of MMP9 gene in breast cancer cell lines and study the effect of DNA methylation and histone modifications in the promoter gene and intragenic region with and without treatment with decitabine. To this we have cloned and sequenced a region containing CpGs of the MMP9 promoter region and CpG islands in the gene's body using tumor cell lines, PMC42, HeLa, MCF7 and MDA-MB-436. The lines MCF7 and MDA-MB-436 expressed low levels of MMP9. After treatment with 5-azadC was observed an increase in the gene expression and MMP-9 protein. The sequencing CpGs in the promoter region revealed that the DNA methylation regulates the expression of this gene in tumor cell lines. Further analysis of tumor samples from patients expressing MMP-9 also have these demethylated CpGs. The MMP9 intragenic region contains 4 CpG islands that were cloned in two fragments and called CGI1 and CGI2. The CGI1 was highly methylated with or without treatment with decitabine in tumor cell lines. On the other hand CGI2 have showed some CpGs in positions 12 to 30 that were methylated in tumor cell lines without treatment with decitabine, and are demethylated following treatment. Again counterpart results with primary tumor samples, the same CpG were demethylated in more aggressive tumors of MMP-9 positive in immunohistochemistry. In order to evaluate the probable involvement of histone modifications was performed chromatin immunoprecipitation to chromatin marks for H3K4me3 H3K27me3 opening and closing respectivelly. Using the MCF7 it was observed that after treatment with decitabine was enriching the opening tag in the promoter region which bind transcription factors NFkB and AP1. Additionally the CpG 12-30 of CGI2 also increased too. Together these results showed a possible new mechanism for regulation of gene expression through CpGs located in intron in MMP9 gene. These results are important in the context of understanding of MMP-9 expression mechanisms in breast cancer and also for the study of possible metastases activation with the use of decitabine drug.
70

Análise in vitro do efeito do sevelamer na disfunção endotelial causada por produtos de glicação avançada (AGEs)

Gregório, Paulo Cezar January 2016 (has links)
Orientadora : Profª. Drª. Andréa Emilia Marques Stinghen / Coorientador : Prof. Dr. Fellype de Carvalho Barreto / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciencias Biológicas (Microbiologia, Parasitologia e Patologia Básica). Defesa: Curitiba, 17/02/2016 / Inclui referências : f. 58-70 / Área de concentração / Resumo: Os produtos de glicação avançada (AGEs) são toxinas urêmicas com vários efeitos deletérios no organismo, envolvidos na disfunção endotelial e doença cardiovascular em pacientes com doença renal crônica (DRC). No presente trabalho, investigou-se in vitro em células endoteliais humanas, a capacidade de ligação dos AGEs ao Sevelamer, como possível estratégia terapêutica. Desta forma utilizou-se o receptor para AGEs (RAGE) e a interleucina-8 (IL-8) como biomarcadores de disfunção endotelial. Os AGEs foram preparados por glicação da albumina e caracterizados por absorbância e eletroforese em gel de poliacrilamida. Os níveis de endotoxinas dos AGEs sintetizados, foram mensurados pelo método de Limulus Amebocyte Lysate (LAL). As amostras apresentam-se livres de endotoxinas. Células endoteliais humanas foram incubadas em meio de cultura contendo AGEs (0,2 mg/mL) com ou sem Sevelamer (3%). O efeito dos AGEs sobre a viabilidade celular foi avaliado pelo ensaio de MTT. Realizou-se o ensaio de ressonância magnética nuclear (RMN), em sobrenadante celular contendo fosfato (Pi), a fim de validar o efeito quelante in vitro do Sevelamer sobre o Pi. Da mesma forma, os níveis de IL-8 foram analisados no sobrenadante por meio do ELISA. A expressão de RAGE foi avaliada por imunocitoquímica e Western blot. A propriedade quimiotática do sobrenadante celular após a exposição aos AGEs com ou sem Sevelamer, foi avaliada em monócitos humanos (Células U-937) usando o ensaio de migração com auxílio da câmara de Boyden. A exposição aos AGEs não afetou a viabilidade celular, mas induziu significativamente a expressão de RAGE quando comparados com as células controle (P<0,005); ainda, a expressão de RAGE diminuiu após tratamento com Sevelamer em relação ao tratamento somente com AGEs (P<0,05). O Sevelamer diminuiu significativamente os níveis de Pi, confirmando sua propriedade in vitro. Os níveis de IL-8 aumentaram significativamente após 6h de tratamento com AGEs quando comparado ao controle (17,14 ± 3,1 vs 8,2 ± 1,0 pg/mL; P<0,005); enquanto um aumento significativo foi observado nos níveis de IL-8 quando comparado as células tratadas somente com AGEs em relação com AGEs mais Sevelamer (17,14 ± 3,1 vs 27,6 ± 2,2 pg/mL; P<0,05). Quando os AGEs foram adicionados no meio de cultura, o sobrenadante de células endoteliais induziu a quimiotaxia de monócitos (402,3 ± 163,8%; P<0,05) , que foi reduzido (402,3 ± 163,8 vs 33,3 ± 7,4%; P<0,05) após o tratamento com Sevelamer. O tratamento com Sevelamer reduziu a expressão de RAGE e migração de monócitos e aumentou a expressão de IL-8, uma interleucina descrita como anti-inflamatória, que hipoteticamente pode levar a diminuição de moléculas de adesão. Nossos resultados sugerem que o Sevelamer é capaz de se ligar a outras toxinas urêmicas além do Pi, tais como os AGEs. Esse efeito pleiotrópico pode contribuir para a proteção do endotélio, entretanto experimentos adicionais são necessários para um melhor entendimento dos mecanismos relacionados à disfunção endotelial mediada por AGEs e o potencial papel protetor do Sevelamer. Palavras-chave: Doença renal crônica, disfunção endotelial, AGEs, Sevelamer, IL-8 e RAGE. / Abstract: Advanced glycation end products (AGEs) are uremic toxins with several pro-inflammatory effects, which have been implicated in the development of endothelial dysfunction and cardiovascular diseases in patients with chronic kidney disease (CKD). We sought to investigate the in vitro AGEs-binding capacity of Sevelamer, as a potential anti-inflammatory strategy, using human endothelial cells. For this purpose we chose the receptor for AGE (RAGE) and the interleukin-8 (IL-8) as biomarkers of endothelial dysfunction. The AGEs were prepared through the method of albumin glycation and characterized by absorbance and polyacrylamide gel electrophoresis. The AGEs endotoxin levels were measured through the Limulus Amebocyte Lysate (LAL) method. The samples were free of endotoxins. The human endothelial cells were incubated in a culture media containing AGEs (0.2 mg/mL) with or without Sevelamer (3%). The effect of AGEs on cell viability was assessed by MTT assay. A nuclear magnetic resonance (NMR) to measure the levels of phosphate in samples, was performed in order to verify Sevelamer's phosphate binder function in vitro. In addition, IL-8 levels were analyzed in cell supernatant, through enzyme linked immunosorbent assay. RAGE expression was evaluated through immunocytochemistry and Western blot. The chemotactic property of the endothelial cell supernatant after exposure to AGEs, with or without Sevelamer, was evaluated in human monocytes (U-937 cells) using Boyden chamber migration assay. Although the AGEs exposure did not affect the cell viability, it induced significantly RAGE expression when compared to control cells (P<0.005); moreover RAGE was significantly decreased after the Sevelamer treatment, if compared to the treatment with AGEs (P<0.05). The Sevelamer significantly decreased phosphate levels, therefore confirming its property in vitro. IL-8 levels significantly increased after 6h AGEs treatment when compared to control cells (17.14 ± 3.1 vs 8.2 ± 1.0 pg/mL; P<0.005); while a significant increase was observed in IL-8 levels in cells treated only with AGEs when compared to the treatment of AGEs with Sevelamer (17.14 ± 3.1 vs 27.6 ± 2.2 pg/mL; P<0.05). When AGEs were added to the culture media, the endothelial cell supernatant induced significantly monocytes chemotaxis (402.3 ± 163.8%; P<0.05) which was significantly reduced (402.3 ± 163.8 vs 33.3 ± 7.4%; P<0.05) after the Sevelamer treatment. The Sevelamer reduces RAGE expression and monocytes migration, while increasing IL-8 expression, an interleukin described as anti-inflammatory, which hypothetically could lead to the decrease in adhesion molecules. Our results suggest that the Sevelamer is capable of binding to other uremic toxins besides phosphate, such as the AGEs. This pleiotropic effect may contribute to its role on the endothelium protection. Additional experiments are necessary for a better understanding of the mechanisms related to the AGEs mediated endothelial dysfunction and the Sevelamer potential protective role. Keywords: Chronic kidney disease, endothelial disfuncion, AGEs, Sevelamer, IL-8 e RAGE.

Page generated in 0.1365 seconds