• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 89
  • Tagged with
  • 95
  • 95
  • 38
  • 37
  • 22
  • 12
  • 12
  • 11
  • 11
  • 11
  • 10
  • 10
  • 8
  • 8
  • 8
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
21

Caracterização geográfica, epidemiológica e da organização dos serviços de saúde na tríplice fronteira Brasil-Colômbia-Peru / Geographic characterization, epidemiology and of organization of health services in the triple border between Brazil and Colombia-Peru

Silva Neto, Antonio Levino da January 2010 (has links)
Made available in DSpace on 2015-05-27T13:34:55Z (GMT). No. of bitstreams: 2 590.pdf: 3264264 bytes, checksum: 0dfe045dc051ad7e66f13ff09275cd41 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2010 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães. Recife, PE, Brasil / Esta tese trata da análise do sistema de saúde e da organização da assistência no contexto da fronteira entre o Brasil, a Colômbia e o Peru. Partindo da delimitação geográfica e da caracterização sócio-demográfica e epidemiológica da região, procedeu-se a uma análise dos sistemas locais de saúde e da oferta de serviços à população que habita ou circula pela área de fronteira. Bases de dados oficiais foram utilizadas na coleta de dados secundários e questionários aplicados junto a gestores de unidades de saúde de dezesseis localidades fronteiriças serviram para avaliar os fatores limitantes da oferta e as estratégias de superação adotadas. Constatou-se que as reformas sanitárias implementadas nos três países, com propósito de reduzir iniqüidades, melhorar o uso eficiente dos recursos e aumentar a qualidade dos serviços, provocaram impactos de tal ordem na configuração dos sistemas locais de saúde que atualmente dificultam a integração da rede de serviços fronteiriços. Apesar das intensas relações trans-fronteiriças e do contexto internacional que demarca a formação de novos blocos econômicos e a cooperação entre nações soberanas, as diferenças dos modelos de gestão e as desigualdades regionais no interior de cada espaço nacional representam obstáculos à implementação de uma assistência integrada à saúde, estruturada a partir das necessidades regionais. Foi observado uma insuficiência e inadequação da infraestrutura de assistência, combinando um quadro de escassez e concentração de diversos serviços, notadamente os de maior complexidade. As características da oferta são analisadas considerando a perspectiva de articulação das autoridades sanitárias e a promoção de ações conjuntas visando a descentralização da rede e a criação de um sistema único de saúde da fronteira. Conclui-se que, para esta finalidade, um ponto de partida seria a unificação das ações de primeiro e segundo níveis de atenção, que nos três países já são de responsabilidade do setor público. Quanto à cobertura da assistência individual, sugere-se a criação de um fundo único de saúde com gestão tri-nacional para remunerar os serviços prestados dos três lados da fronteira. Desta forma o usuário teria assegurado o acesso universal com integralidade na assistência e equidade no atendimento
22

Perfil clínico-epidemiológico da Leishmaniose visceral em Teresina-PI

Correia, Ângela Valéria Guimarães de Miranda January 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2016-04-20T12:52:33Z (GMT). No. of bitstreams: 2 angela_correia_ioc_mest_2015.pdf: 4981968 bytes, checksum: 4be10bc3b3000dfdcbd4997c611f2441 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2015 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / INTRODUÇÃO: A leishmaniose visceral é um importante problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Tal fato se deve ao processo de desenvolvimento e urbanização descontrolada, além da reemergência de focos antigos, e ainda, pelo número crescente de casos de LV associados a infecção pelo HIV. OBJETIVOS: O objetivo deste trabalho foi descrever os aspectos clínicos e epidemiológicos da Leishmaniose Visceral no município de Teresina, no estado do Piauí, no período de Janeiro de 2007 a Agosto 2015. METODOS: Foi realizado um escudo do tipo série de casos, sendo os dados obtidos através de formulário do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN). RESULTADOS: No município de Teresina, foram identificados 668 notificações no período do estudo. Destes, 605 (90,5%) foram classificados como casos novos de LV; 39 (5,8%) como recidiva. Pode-se constatar uma certa regularidade nos casos de leishmaniose ao longo dos anos. Destaca \2013 se apenas o ano de 2008, quando ocorreram 98 casos de LV. Observou-se maior frequência de casos de leishmaniose visceral, nos meses de Junho e Julho, bem como predominância do sexo masculino (67%) e da raça parda (94,6%) Foi evidenciado que a maioria dos casos apresentaram baixa escolaridade e a faixa etária mais acometida é aquela entre um ano e nove anos , além de frequência aumentada de casos de leishmaniose em adultos com idade entre 35 a 49 anos. O tempo entre o início dos sintomas ao diagnóstico variou de menos de dez a 365 dias, com uma média de 38,6 dias. Dos casos notificados, 22,5% eram de coinfecção com HIV. Os sintomas mais frequentes foram febre (93,3%), fraqueza (84,4%), palidez (79,3%), hepatomegalia (60,7%) e esplenomegalia (84,2%). O método diagnóstico mais utilizado foi parasitológico, com 56,7% de positividade. Já a imunofluorescência (RIFI) teve 48,6% de positividade. Em 50,8%, a droga de escolha para o tratamento inicial da LV foi o antimônio pentavalente. Nos pacientes portadores de HIV/Aids, a faixa etária mais comprometida é entre 31 e 40anos. A taxa de letalidade na população geral foi de 6,28%; em indivíduos coinfectados foi 11,45%, e nos pacientes sem qualquer imunodeficiência, 5,9%. CONCLUSÃO: Observou-se predominância do sexo masculino, residentes em zona urbana com elevada frequência de casos de coinfecção com HIV/Aids / INTRODUCTION: Visceral Leishmaniasis is a major public health problem in Brazil and worldwide. This is due to the development and uncontrolled urbanization process, and the re-emergence of old foci and also the growing number of VL cases associated with HIV infection. OBJECTIVES: The aim of this study was to describe the clinical and epidemiological aspects of Visceral Leishmaniasis in the city of Teresina, state of Piaui, from January 2007 to August 2015. METHODS: A shell case series was conducted with the data obtained form the National Notifiable Diseases System (SINAN). RESULTS: In the city of Teresina, 668 notifications were identified during the study period. From these data, 605 (90.5%) were classified as new cases of VL and 39 (5.8%) as a relapse. It was observed certain regularity in cases of leishmaniasis over the years. Highlights only the year 2008, when there were 98 cases of VL. A higher frequency of cases of visceral leishmaniasis was observed in the months of June and July, and predominantly male (67%) and mulattos (94.6%) It was shown that most cases had low education and the most affected age group is between one and nine years, and increased frequency of cases of leishmaniasis in adults aged 35-49 years. The time between the onset of symptoms to diagnosis ranged from zero to 365 days, with an average of 38.6 days. Of the reported cases, 22.5% were co-infected with HIV. The most frequent symptoms were fever (93.3%), weakness (84.4%), pale (79.3%), hepatomegaly (60.7%) and splenomegaly (84.2%). The most commonly used diagnostic method was parasitological, with 56.7% positivity. Already immunofluorescence (IFA) had 48.6% positivity. At 50.8%, the drug of choice for initial treatment of VL was the pentavalent antimony. In patients with HIV / AIDS, the most affected age group is between 31 and 40 years. The case fatality rate in general population was 6.28%; in coinfected individuals was 11.45%, and in patients without immunodeficiency, 5.9%. CONCLUSION: There was a predominance of males residing in urban areas with high frenquência cases of coinfection with HIV / AIDS
23

Centro de atenção psicossocial : perfil epidemiológico dos usuários / Center of psychological and social attention : epidemiologic profile of the users

Souza, Adriano Rodrigues de January 2007 (has links)
SOUZA, Adriano Rodrigues de. Centro de Atenção Psicossocial : perfil epidemiológico dos usuários. 2007. 97 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2007. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-01-06T16:05:53Z No. of bitstreams: 1 2007_dis_arsouza.pdf: 455374 bytes, checksum: 3ddca1a75d8dbd7c8164d8cd7f27e4ed (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-02-02T14:28:55Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2007_dis_arsouza.pdf: 455374 bytes, checksum: 3ddca1a75d8dbd7c8164d8cd7f27e4ed (MD5) / Made available in DSpace on 2012-02-02T14:28:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2007_dis_arsouza.pdf: 455374 bytes, checksum: 3ddca1a75d8dbd7c8164d8cd7f27e4ed (MD5) Previous issue date: 2007 / This research objectified to outline the epidemiological and socio-economical profile of the Centre of Psychosocial Attention (CAPS)’s users in the municipality of Fortaleza, Ceará, based on their handbooks. It was an epidemiological study which was carried out in three CAPS located in Regional Executive Secretariats (SER III, IV and VI). The data was produced through the elaboration of a questionnaire which included the following aspects: identification and socio-demographical data, personal previous history, family previous history, pathological previous history, symptomatology, types of therapeutic activities and evolution. Based on 385 handbooks, the users’ profile was built up. Socio-demographical profile: 60,1% were female; 63,4% of the patients were between 20 and 49 years old; 43,9% of the patients finished Junior high school; 69,5% have an income between 1 and 4 minimal wages; 15,4% have the pension from the retirement as the main income; 71,9% are Catholics; 92,6% live in houses. Personal, familiar and pathological record: 40,5% presented psychical alterations in their childhood; 45,4% of the studied patients’ parents presented a psychical alteration during the life; 60% of the studied patients presented conflicts in familiar relationship; 53,9% have been interned in clinical hospitals; 15,9% had the insomnia as the main symptomatologic complaint; 18,5% of the patients had as the main factor of the crises, a beloved’s death; 39,4% had Neurotic Disturbances as the main diagnosis; 91% of the cases had the psychopharmacos as the main chosen treatment; 30,5% used the ansiolitics as the first chosen drug; 56% of the patients had other forms of approach such as individual attendance; in 9% of the cases, this attendance was carried out by a psychologist. From the obtained data we can conclude that: most users are female; the age group considered productive was present with more than 60% in both genders; most part of the patients who frequent the CAPS have low income, primary education, live with pension from retirement and more than 90% live in houses; more than 40% had disturbances in other phases of life; more than 50% have been interned in clinical hospitals; most of them has insomnia as the main symptomatologic complaint and 91% had the psychopharmacology as the only form of treatment. Considering the data, we can infer that CAPS takes shape of the structure of attention to people that present any kind of mental suffering, what is recognized by the health team itself. But we can also infer that the principles of the Psychiatric Reform were not always attended, considering this service as one of the provisions of the net of mental health attention. This type of service objectifies to actuate as a strategic provision in the building of the community net of care, developing community therapeutic projects turned to the integral attention to the users and their families, propitiating integration between health services, users, community and social net of support (BRASIL 2004). Through the results of this study, it is considered that a lot must be reviewed by managers and workers of the net of mental health attention, trying to advance in the achievements which were achieved up to now and guaranteed by Law. The building of a new net of mental health attention is more than the mere amplification in the number of services. It requires the building of new knowledge and practices based on the paradigm proposed by the Psychiatric Reform, changing the focus of attention from the disease to the person in mental suffering, in all the complexity resulting from this condition. Although this study contemplates only three services, the reality showed here provides subsidy to rethink the CAPS as an important provision in the implementation of the net of mental health attention in Ceará. / Esta pesquisa teve por objetivo traçar o perfil epidemiológico e socioeconômico dos usuários do Centro de Atenção Psicossocial – CAPS do Município de Fortaleza, Ceará, com base em seus prontuários. Estudo epidemiológico, realizado em três CAPS, localizados nas Secretárias Executivas Regionais SER III, IV e VI. Os dados foram produzidos com o auxilio de um questionário que contemplou os seguintes aspectos: dados de identificação e socio-demográficos; antecedentes pessoais, familiares e patológicos, sintomatologia, tipos de atividades terapêuticas e evolução. Com base nos 385 prontuários traçou-se o perfil dos usuários descritos a seguir. Perfil sócio-demográfico: 60,1% eram do gênero feminino; 63,4% estavam na faixa etária entre 20 e 49 anos; 43,9% deles possuem o 1º grau completo; 69,5% tinham renda mensal entre um a quatro salários mínimos; 15,4% contam com aposentadoria como a principal fonte de renda; 71,9% são católicos; 92,6% residem em casa. Antecedentes pessoais, familiares e patológicos: 40,5% apresentaram alterações psíquicas na infância; em 45,4% dos pacientes estudados, os pais apresentaram alguma alteração psíquica durante a vida; 60% dos pacientes estudados revelaram conflitos no relacionamento familiar; 53,9% estiveram internados em hospitais clínicos; 15,9% tiveram a insônia como principal queixa sintomatológica; 18,5% dos pacientes apresentaram como principal fator desencadeador das crises a morte de ente querido; 39,4% apresentaram os transtornos neuróticos como diagnostico principal; 91% dos casos apresentaram os psicofármacos como o principal tratamento de escolha; 30,5% utilizaram os ansiolíticos como droga de primeira escolha; 56% dos pacientes tiveram como outras formas de abordagem o atendimento individual; em 9% dos casos este atendimento foi realizado por psicólogo. A partir dos dados pôde-se concluir que: gênero feminino constitui a maioria dos usuários; a faixa etária considerada produtiva apresentou-se com 60% e mais de ocorrência em ambos os gêneros; a maioria dos pacientes que freqüentam os CAPS é de baixa renda, educação primária, vive de aposentadoria e mais de 90% residem em casa; mais de 40% registraram transtornos em outras fases da vida; mais de 50% já tiveram internações em hospitais clínicos; a maioria tem a insônia como principal queixa sintomatológica e 91% deles tiveram a psicofarmacologia como a única forma de tratamento. Com base nos dados, pode-se inferir que os CAPS configuram-se como estrutura de atenção a pessoas que apresentam algum tipo de sofrimento mental, o que é reconhecido pela própria equipe de saúde, mas, que, nem sempre, os princípios da reforma psiquiátrica foram atendidos, considerando-se este serviço como um dos dispositivos da rede de atenção em saúde mental. Este tipo de serviço objetiva atuar como dispositivo estratégico no estabelecimento da rede comunitária de cuidados, desenvolvendo projetos terapêuticos e comunitários voltados para a atenção integral aos usuários e suas famílias, propiciando uma integração entre serviços de saúde, usuários, comunidade e rede social de apoio. Pelos resultados deste estudo, considera-se que muito precisa ser revisto pelos gestores e trabalhadores da rede de atenção em saúde mental, na busca de se avançar nas conquistas até aqui alcançadas e garantidas por lei. O estabelecimento de uma nova rede de atenção em saúde mental vai além da mera ampliação no número de serviços, exigindo novos saberes e práticas baseadas no paradigma proposto pela reforma psiquiátrica, mudando-se o foco de atenção da doença para a pessoa em sofrimento mental, em toda complexidade decorrente desta condição. Mesmo contemplando apenas três serviços, a realidade aqui mostrada fornece subsídios para se repensar o CAPS como dispositivo importante na implementação da rede de atenção em saúde mental no Ceará.
24

Associação entre o consumo usual de produtos ultraprocessados, o perfil nutricional da dieta e indicadores de obesidade geral e central em adultos

Ozcariz, Silvia Giselle Ibarra January 2016 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Florianópolis, 2016. / Made available in DSpace on 2017-05-31T14:11:58Z (GMT). No. of bitstreams: 1 345985.pdf: 2709574 bytes, checksum: fa4b93d052c4258e35b37028b3129fa7 (MD5) Previous issue date: 2016 / Introdução: As mudanças ocorridas nos padrões alimentares nas últimas décadas levaram a um aumento no consumo de produtos alimentícios altamente processados, principalmente em países de renda média e alta. Estes produtos têm substituído alimentos regionais, considerados mais saudáveis e ambientalmente sustentáveis na dieta dos indivíduos apresentando forte influência no aumento simultâneo das prevalências de excesso de peso e obesidade. Objetivos: (1) Descrever a distribuição do consumo de PUP segundo características sociodemográficas de uma amostra de base populacional de adultos de 22 a 63 anos no sul do Brasil, e investigar os subgrupos de PUP mais consumidos nos diversos estratos sociodemográficos; (2) avaliar a associação entre o consumo usual de PUP, assim como do perfil nutricional da dieta usual, com os indicadores de obesidade geral e central na mesma amostra de base populacional, mediante o uso de dois R24h. Metodologia: Análise transversal da segunda onda de uma coorte de 1720 adultos residentes em uma capital do sul do Brasil. A distribuição da circunferência da cintura (CC) e do índice de massa corporal (IMC), assim como das variáveis nutricionais, foi avaliada de forma contínua, utilizando médias e respectivos intervalos de confiança de 95%. As análises de regressão linear bruta e ajustada foram realizadas para avaliar a associação entre o percentual de participação calórica na dieta (%PC) de PUP com as variáveis sociodemográficas, e entre as variáveis nutricionais com os indicadores de obesidade geral e central. Nas análises multivariáveis, utilizou-se como ajuste as variáveis sociodemográficas. Para o modelo de regressão final incluíram-se as variáveis nutricionais com valor-p<0,20 e VIF<6. Realizaram-se testes de fuga de linearidade nas associações. Resultados: Dados sobre consumo alimentar foram obtidos de 1206 adultos; O %PC de PUP representou mais de 1/3 das calorias consumidas pela amostra. Após ajuste completo pelas variáveis sociodemográficas, o %PC foi maior nas mulheres (34,7% e 39,3%; P<0,001), esteve inversamente associado com a idade (diferença entre categorias extremas -7,1 pp; IC95% -7,7;-6,5) e diretamente associado com a escolaridade (diferença entre categorias extremas 6,3pp; IC95% 5,5;7,1). No conjunto, as três variáveis explicaram 48% da variabilidade do desfecho. Os subgrupos de PUP mais importantes nas diferenças observadas foram: pães ultraprocessados, fast-foods, e tortas e doces industrializados. Ao avaliar a associação entre o consumo de PUP, o perfil nutricional da dieta e os indicadores de obesidade, verificou-se uma relação inversamente proporcional entre a fibra e o IMC, assim como com a CC, apenas entre aqueles participantes com excesso de peso na linha de base. O consumo açúcar de adição de PUP, carboidratos provenientes de outras fontes, gorduras trans e proteínas animais associou-se diretamente com os aumentos de IMC e da CC apenas em indivíduos com IMC=25 kg/m2 na linha de base. O %PC de PUP não teve relação significativa com os desfechos. Conclusão: Estas informações podem ser úteis no planejamento de políticas públicas que procurem a redução do consumo de PUP, assim como na prevenção da obesidade e outras doenças crônicas não transmissíveis associadas com o consumo alimentar.<br> / Abstract : Introduction: Changes in dietary patterns occurred during the last decades led to rises in consumption of highly processed food products, mainly in medium and high income countries. Highly processed products are replacing regional and healthier foods, which are environmentally sustainable. These changes in the global food system have strong influence on the simultaneous elevation of overweight and obesity prevalence all over the world. 24 hours food recalls, are important tools to evaluate food consumption. They give important and accurate information related to individual?s food and nutrient diversity intake, however because of it high cost, population-based studies using 24h recalls to evaluate food consumption are not usually seen in Latin-American countries, which may difficult the evaluation of the role of nutrient profile of diet and the new classification of ultra-processed products on the obesity development. Objectives: (1) To describe the ultra-processed food products consumption distribution based on the socio-demographic characteristics in a population-based sample of Brazilian adults; (2) to evaluate the relationship between ultra-processed products consumption, the nutritional profile of usual diet and central and general obesity indicators using two 24h recall. Methods: Transversal analysis of the second wave (2012) of EpiFloripa cohort, with 1720 adults living in southern Brazil. The waist circumference (WC) and body mass index (BMI) distribution, and the nutritional data were evaluated as continuous variables, using means and 95% confidence intervals (t-test or anova test). Crude and multiple linear regression analyses were done to evaluate the association between the ultra-processed products consumption and socio-demographic variables (paper 1), and to verify the association between nutritional variables and obesity indicators (paper 2). Multivariate analyses were adjusted for sex, age, marital status, income and education level. Finally, all the nutritional variables with p-value <0.20 and VIF<6 were included to the final regression model. Results: We obtained dietary information from 1206 adults (70,1% of the original cohort). The %CP of UPP represented more than 1/3 of the calories consumed by participants of the study. After complete adjustments for socio-demographic variables the %PC was higher in females (34.7% e 39.3%; P<0.001), and was inversely associated with age (difference between extreme categories -7.1 pp; IC95% -7.7;-6.5) and directly associated with education level (difference between extreme categories 6.3 pp; IC95% 5.5;7.1). Together, the three variables explained 48% of the outcome variability. Marital status and income lose the association after adjustments. The UPP subgroups with most important differences in consumption were: ultra-processed breads, fast foods, and industrialized cakes and sweets. There was an inverse relationship between fiber and BMI as well as with WC only among those participants with overweight at baseline. The consumption of UPP added sugars, carbohydrates from other sources, trans fat and animal protein was directly associated with BMI and WC increases only in individuals with IMC=25 kg/m2 at baseline. The consumption of ultra-processed products was not associated with the outcomes. Conclusion: This information can be useful in the planning of public policies seeking to reduce the consumption of UPP, as well as for preventing obesity and various NCDs associated with food consumption.
25

Niveis de pobreza e sua repercussao no estado de saude de populacoes urbanas de baixa renda : um estudo em Porto Alegre, RS

Issler, Roberto Mario Silveira January 1993 (has links)
O presente estudo buscou identificar, numa população urbana pobre - aparentemente homogênena sob o ponto de vista sõcio-econômico - a existência de subgrupos sujeitos a diferentes riscos de adoecer e de morrer. O local escolhido foi a "Grande Cruzeiro", a maior área de subabitações do município de Porto Alegre. Trata-se de um estudo tranversal, contemporâneo, com unidade de estudo individual. A partir dos setores censitários, foram selecionadas ao acaso 477 crianças com idade entre 12,00 e 59,99 meses residentes naquela área. A coleta de dados foi feita através de um inquérito domiciliar, constando de variáveis maternoinfantis e avaliação do estado nutricional. Para classificar os niveis de pobreza, utilizamos uma pontuação chilena, específica para populações urbanas pobres, e adaptada às características locais, sem alteração de sua estrutura original. Essa classificação atribui pontos para treze itens relacionados ao estado social, econômico, habitacional e peridomiciliar dessas famílias. Mesmo obtendo uma distribuição da pontuação diferente daquela relatada na população chilena, foi possível identificar diferentes subgrupos na população que estudamos. As seguintes variáveis mostraram associação estatisticamente significativa com os niveis de pobreza identificados: peso de nascimento, imunização antipólio, hospitalização, número de nascimentos por família, mortes em menores de um ano e estado nutricional (peso para idade, altura para idade e peso para altura). Conclui-se que a população urbana pobre de Porto Alegre não é homogênea, apresentando diferentes níveis de pobreza que se refletem em seu estado de saúde. / This study aimed at identifying subgroups among a poor urban population apparently homogeneous - in a socio-economic point of view - subjected to different risks of illness or death. The place chceen for the study was the "Grande Cruzeiro", the biggest squatter settlement in Porto Alegre, Brazil. The study design was transversal and contemporary, and the study unit was the individual. Based on the census sectors from census files, we randomly selected 477 children aged 12,00 to 59,99 months. The data sampling was carried out through a domiciliary inquiry, consisting of mother and child variables and evaluation of the nutritional status. In order to classify different leveis of poverty, we used a Chilean classification, specifically developed for poor urban communities, whith some minor changes. The Chilean classification grades thirteen selected items regarding the socioeconomic status of the famiJ.ies and their living and surrounding conditions. In spite of obtaining a different grading distribuition for the population of the "Grande Cruzeiro", compared to that of the original Chilean ax-^ticle, it was possible to identify different subgroups in the population etudied. The following variables showed statistically significant association víith the poverty leveis identified: birth weight, imunization against polio, hospitalization, number of births in the family, number of deaths in children under 1 year and nutritional status (weight per age, height per age and weight per height). We conclude that the poor urban population of Porto Alegre is not homogeneoua, revealing different poverty leveis which are expressed in their health status.
26

Trabalho do policial civil e afastamento por transtorno mentais

Castro, Maria Cristina D' Avila de January 2016 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, 2016. / Made available in DSpace on 2016-10-11T04:02:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 342015.pdf: 1304281 bytes, checksum: 7547f8a0271a54a99130b86f3ed88413 (MD5) Previous issue date: 2016 / Os transtornos mentais e comportamentais (TMC) são definidos como síndromes individuais identificadas por distúrbios significativos na cognição, regulação emocional ou no comportamento. Agravos à saúde mental têm sido caracterizados como determinantes de Licenças para Tratamento de Saúde (LTS) e de benefícios de saúde e previdenciários, marcando a necessidade de maior atenção às condições laborais. O objetivo deste estudo foi correlacionar características do trabalho policial e o afastamento do trabalho por diagnóstico de transtorno mental, no período de 2010 a 2013. A hipótese é que o trabalho gera impactos na saúde mental do policial. Trata-se de um estudo epidemiológico, descritivo, quantitativo e transversal, cuja variável dependente foi a ocorrência de LTS por diagnóstico de transtorno mental e as variáveis independentes foram; características sociodemográficas, ocupacionais e clínicas. Análise descritiva e inferencial foi realizada utilizando o teste estatístico Qui-quadrado de Pearson (?2), com significância estatística de 5% (p<0.05). A magnitude das associações foi estimada pela odds ratio (OR) com intervalos de confiança acima de 95% (IC 95%). A prevalência de TMC em policiais afastados foi 6,4% e os homens com maior tempo de serviço apresentaram 80% a mais, a chance de se afastarem por TMC [OR=1.80 (1.22-2.62)] quando comparados com os não afastados. Após ajuste do modelo, a chance passou a ser de 2.44[OR=3.44(2.25-6.80)]. As mulheres tiveram 1.50[OR=2.50(1.61-3.90)] a mais, a chance de se afastar por transtorno mental após 15 anos de serviço quando comparadas às não afastadas. Após ajuste, a chance passou a ser de 3.95[OR=4.95(2.12-11.54)]. O transtorno de humor foi prevalente (16%), seguido do transtorno de ansiedade e estresse (12,6%). As mulheres se afastaram mais por transtorno de humor (58%) e os homens por transtorno de ansiedade e estresse (47,6%). Os transtornos de humor foram prevalentes em policiais com idade acima de 60 anos (75%) que não trabalhavam na Grande Florianópolis (62,2%). Os de ansiedade e estresse ocorreram mais frequentemente entre aqueles com 25 e 36 anos de idade (65,8%), que trabalhavam na Grande Florianópolis (57,7%). Homens e mulheres com transtorno de humor tiveram 1.25[OR=2.25(1.24-4.06)] a mais a chance de se afastar quando trabalhavam fora da região da Grande Florianópolis, comparados aos que se afastaram por transtorno de ansiedade e estresse. Os com tempo de serviço entre 20 a 29 anos tiveram 1,06[OR=2.06(1.04-4.10)] a mais, a chance de afastamentos por transtornos de humor quando comparadosàqueles com transtornos de ansiedade e estresse. O ajuste do modelo manteve a região de trabalho associada positivamente aos afastamentos por transtornos de humor, com chance de 1.56[OR=2.56(1.33-4.95)] a mais para aqueles cuja região de trabalho estava fora da Grande Florianópolis. Os resultados permitem identificar perfis de grupos alvos para prevenção e promoção da saúde e evidenciam a relevância da continuidade de pesquisas, especialmente as longitudinais para compreensão do nexo entre o trabalho e o adoecimento mental em policiais.<br> / Abstract : Mental and behavioral disorders are defined as individual syndromes identified by cognition significant disturbances, and emotional or behavioral regulation. The worsening of mental health has been characterized as a factor of sickness leave and for Health insurance benefits. They therefore imply a need for special attention to working conditions. The aim of this study was to correlate characteristics of police work and their work leave due to diagnosis of mental disorder, in the period of 2010 to 2013. Our hypothesis is that the work impacts the mental health of police officer. This is an epidemiological, descriptive, quantitative and cross-section study. The dependent variable was the presence of sickness absence (SA) due to mental disorders. The independent variables were sociodemographic, occupational and clinical characteristics. Descriptive and inferential analyses have been conducted using the statistical Pearson's chi-square test (?2), with statistical significance of 5% (p <0.05). The magnitude of the associations was estimated using odds ratio (OR) and its respective 95% confidence interval (CI 95%). The prevalence of police officers on sick leave due to mental disorder was 6,4% and male police officers who had seniority presented 80% higher chance of leaving due to mental disorders [OR=1.80 (1.22-2.62)] when compared to police officers who were not on sick leave. After adjusting the model, this chance increased to 2.44[OR=3.44(2.25-6.80)]. Women had 1.5[OR=2.5(1.61-3.90)] higher chances to leave due to mental disorder after 15 years of service when compared to women not on sick leave. After adjusting, women increased to 3.95 [OR=4.95(2.12-11.54)] their chance to leave work due to mental disorders compared to those who were not on sickness absence. Most prevalent mental disorders were mood disorders (16%) and anxiety and stress disorders (12,6%). Women were more prone to leave due to mood disorders (58%) and men for anxiety and stress disorders (47,6%). Mood disorders were more prevalent in police officers whose age were above 60 (75%) and that did not work in the main island of Florianopolis (62,2%). Stress and anxiety disorders occurred more frequently in police officers ages between 25 and 36 (65,8%), who worked at the main island of Florianopolis (57,7%). Police officers (men and women) with mood disorders had 1.25 [OR=2.25(1.24-4.06)] higher chance to leave when working away from the main island of Florianopolis, compared to those who left due to anxiety and stress disorders. Police officers with seniority between 20 and 29 years had 1,06 [OR=2.06(1.04-4.10)] higher chance of sick leavedue to mood disorders when compared to those with anxiety and stress disorders. After adjusting the model, only work place remained positively associated with mood disorder sick leaves, with a chance of 1.56 [OR=2.56(1.33-4.95)] higher compared to the ones whose work area were out of the main island of Florianopolis. The results allow us to identify profiles of target groups for prevention and health promotion, and highlight the importance of further research, especially longitudinal ones for understanding the link between work and mental illness in police officers.
27

Niveis de pobreza e sua repercussao no estado de saude de populacoes urbanas de baixa renda : um estudo em Porto Alegre, RS

Issler, Roberto Mario Silveira January 1993 (has links)
O presente estudo buscou identificar, numa população urbana pobre - aparentemente homogênena sob o ponto de vista sõcio-econômico - a existência de subgrupos sujeitos a diferentes riscos de adoecer e de morrer. O local escolhido foi a "Grande Cruzeiro", a maior área de subabitações do município de Porto Alegre. Trata-se de um estudo tranversal, contemporâneo, com unidade de estudo individual. A partir dos setores censitários, foram selecionadas ao acaso 477 crianças com idade entre 12,00 e 59,99 meses residentes naquela área. A coleta de dados foi feita através de um inquérito domiciliar, constando de variáveis maternoinfantis e avaliação do estado nutricional. Para classificar os niveis de pobreza, utilizamos uma pontuação chilena, específica para populações urbanas pobres, e adaptada às características locais, sem alteração de sua estrutura original. Essa classificação atribui pontos para treze itens relacionados ao estado social, econômico, habitacional e peridomiciliar dessas famílias. Mesmo obtendo uma distribuição da pontuação diferente daquela relatada na população chilena, foi possível identificar diferentes subgrupos na população que estudamos. As seguintes variáveis mostraram associação estatisticamente significativa com os niveis de pobreza identificados: peso de nascimento, imunização antipólio, hospitalização, número de nascimentos por família, mortes em menores de um ano e estado nutricional (peso para idade, altura para idade e peso para altura). Conclui-se que a população urbana pobre de Porto Alegre não é homogênea, apresentando diferentes níveis de pobreza que se refletem em seu estado de saúde. / This study aimed at identifying subgroups among a poor urban population apparently homogeneous - in a socio-economic point of view - subjected to different risks of illness or death. The place chceen for the study was the "Grande Cruzeiro", the biggest squatter settlement in Porto Alegre, Brazil. The study design was transversal and contemporary, and the study unit was the individual. Based on the census sectors from census files, we randomly selected 477 children aged 12,00 to 59,99 months. The data sampling was carried out through a domiciliary inquiry, consisting of mother and child variables and evaluation of the nutritional status. In order to classify different leveis of poverty, we used a Chilean classification, specifically developed for poor urban communities, whith some minor changes. The Chilean classification grades thirteen selected items regarding the socioeconomic status of the famiJ.ies and their living and surrounding conditions. In spite of obtaining a different grading distribuition for the population of the "Grande Cruzeiro", compared to that of the original Chilean ax-^ticle, it was possible to identify different subgroups in the population etudied. The following variables showed statistically significant association víith the poverty leveis identified: birth weight, imunization against polio, hospitalization, number of births in the family, number of deaths in children under 1 year and nutritional status (weight per age, height per age and weight per height). We conclude that the poor urban population of Porto Alegre is not homogeneoua, revealing different poverty leveis which are expressed in their health status.
28

Niveis de pobreza e sua repercussao no estado de saude de populacoes urbanas de baixa renda : um estudo em Porto Alegre, RS

Issler, Roberto Mario Silveira January 1993 (has links)
O presente estudo buscou identificar, numa população urbana pobre - aparentemente homogênena sob o ponto de vista sõcio-econômico - a existência de subgrupos sujeitos a diferentes riscos de adoecer e de morrer. O local escolhido foi a "Grande Cruzeiro", a maior área de subabitações do município de Porto Alegre. Trata-se de um estudo tranversal, contemporâneo, com unidade de estudo individual. A partir dos setores censitários, foram selecionadas ao acaso 477 crianças com idade entre 12,00 e 59,99 meses residentes naquela área. A coleta de dados foi feita através de um inquérito domiciliar, constando de variáveis maternoinfantis e avaliação do estado nutricional. Para classificar os niveis de pobreza, utilizamos uma pontuação chilena, específica para populações urbanas pobres, e adaptada às características locais, sem alteração de sua estrutura original. Essa classificação atribui pontos para treze itens relacionados ao estado social, econômico, habitacional e peridomiciliar dessas famílias. Mesmo obtendo uma distribuição da pontuação diferente daquela relatada na população chilena, foi possível identificar diferentes subgrupos na população que estudamos. As seguintes variáveis mostraram associação estatisticamente significativa com os niveis de pobreza identificados: peso de nascimento, imunização antipólio, hospitalização, número de nascimentos por família, mortes em menores de um ano e estado nutricional (peso para idade, altura para idade e peso para altura). Conclui-se que a população urbana pobre de Porto Alegre não é homogênea, apresentando diferentes níveis de pobreza que se refletem em seu estado de saúde. / This study aimed at identifying subgroups among a poor urban population apparently homogeneous - in a socio-economic point of view - subjected to different risks of illness or death. The place chceen for the study was the "Grande Cruzeiro", the biggest squatter settlement in Porto Alegre, Brazil. The study design was transversal and contemporary, and the study unit was the individual. Based on the census sectors from census files, we randomly selected 477 children aged 12,00 to 59,99 months. The data sampling was carried out through a domiciliary inquiry, consisting of mother and child variables and evaluation of the nutritional status. In order to classify different leveis of poverty, we used a Chilean classification, specifically developed for poor urban communities, whith some minor changes. The Chilean classification grades thirteen selected items regarding the socioeconomic status of the famiJ.ies and their living and surrounding conditions. In spite of obtaining a different grading distribuition for the population of the "Grande Cruzeiro", compared to that of the original Chilean ax-^ticle, it was possible to identify different subgroups in the population etudied. The following variables showed statistically significant association víith the poverty leveis identified: birth weight, imunization against polio, hospitalization, number of births in the family, number of deaths in children under 1 year and nutritional status (weight per age, height per age and weight per height). We conclude that the poor urban population of Porto Alegre is not homogeneoua, revealing different poverty leveis which are expressed in their health status.
29

Perfil clínico e epidemiológico de indivíduos com 50 anos ou mais com HIV/AIDS acompanhados no ambulatório de doenças infecciosas e parasitárias de um hospital universitário em Niterói, RJ

Santana, Pedro Paulo Corrêa January 2016 (has links)
Submitted by Fabiana Gonçalves Pinto (benf@ndc.uff.br) on 2017-02-23T15:31:32Z No. of bitstreams: 1 Pedro Paulo Correa Santana.pdf: 1251291 bytes, checksum: 1e957bf2ee730dec0a0797051f4aea9f (MD5) / Made available in DSpace on 2017-02-23T15:31:32Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Pedro Paulo Correa Santana.pdf: 1251291 bytes, checksum: 1e957bf2ee730dec0a0797051f4aea9f (MD5) Previous issue date: 2016 / Mestrado Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde / A AIDS é um problema de saúde pública mundial. A partir do século XXI, a pandemia da AIDS ganhou visibilidade com novos sujeitos de estudo-os indivíduos com 50 anos ou mais. A necessidade de estudos com esses sujeitos envolve a melhoria da qualidade de vida, aumento da sobrevida pelo sucesso com os antirretrovirais e eficácia de estratégias para enfrentamento de impotência sexual. A partir disso, têm-se como objetivos deste estudo caracterizar o perfil clínico e epidemiológico dos indivíduos com 50 anos ou mais com HIV/AIDS que fizeram acompanhamento no ambulatório do serviço de Doenças Infecciosas e Parasitárias do HU no recorte temporal de 2009 a 2014; verificar a ocorrência de episódios de internação desses indivíduos com 50 anos ou mais; avaliar o perfil de internação dos indivíduos com 50 anos ou mais que internaram no transcurso da doença; comparar as variáveis do estudo entre os sexos. Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo, inferencial e seccional a partir dos registros de indivíduos com 50 anos ou mais com HIV/AIDS acompanhados no ambulatório de doenças infecciosas e parasitárias de um hospital universitário no município de Niterói. Os resultados do estudo apontaram uma expressa proximidade entre o número de homens (53%) e mulheres (47%) infectados pelo vírus HIV, acompanhados no ambulatório, o que corrobora com o processo de feminização da epidemia. Houve uma predominância de homens solteiros/separados 40 (74%) e mulheres viúvas 16 (33%) em que observamos diferença estatística significativa (Chi-Quadrado; p =< 0.0001) onde muitas dessas mulheres foram contaminadas por relação heterossexual. Na opção sexual dos indivíduos com 50 anos ou mais, foi observada a prevalência de heterossexuais e homossexuais masculinos e nas mulheres a heterossexualidade, confirmando a transmissão por relação sexual heterossexual (Chi-Quadrado; p =< 0.0001). Em referência aos casos de HIV na família, houve diferença significativa entre os sexos (Chi-Quadrado; p = 0.0184), pois as mulheres apresentaram um número expressivo de maridos/companheiros 17 (35%) infectados. As coinfecções/doenças oportunistas têm sido a causa de internação desses indivíduos com 50 anos ou mais, visto que, muitas vezes, descobrem a soropositividade para o HIV, já manifestando a AIDS. As causas mais prevalentes de internação, no sexo masculino e feminino, foram por pneumocistose, tuberculose pulmonar, neurotoxoplasmose e pneumonia bacteriana. Muitos desses indivíduos descobriram estar com HIV ainda antes dos 60 anos de idade, o que nos leva a uma reflexão de como as pessoas vêm envelhecendo. O envelhecimento populacional é um fato, somado a vulnerabilidade dos indivíduos com 50 anos ou mais a infecções sexualmente transmissíveis, leva ao profissional de saúde a responsabilidade de planejamento de ações que visam à disseminação de informação voltada à educação sexual deste público, pois estão sexualmente ativos e necessitam postularem-se preventivamente para redução de infecções e transmissibilidade. A terapia antirretroviral para manutenção da saúde desses indivíduos e redução dos episódios de internação é de suma importância, porque a mudança de esquema e a não adesão podem levar ao acometimento por doenças oportunistas e consequentes internações, quando não, a um prognóstico ruim. / AIDS is a worldwide public health issue. As of the 21st century, AIDS pandemic gained visibility with new study subjects – individuals of ages 50 years or over. The need for studies with these subjects involves a better quality of life, increase in the survival rate due to the success of the antiretroviral treatment and efficiency in strategies for facing sexual impotence. Based on this, the objective of this study was to characterize the clinical and epidemiological profile of individuals in their fifties or over with HIV/AIDS being accompanied at an outpatient clinic for Infectious and Parasitic Diseases of a UH, during the time period of 2009 to 2014; verify the occurrence of episodes of hospitalization of these individuals with ages of 50 years or over; evaluate the hospitalization profile of individuals with ages 50 years or over, hospitalized in the course of the illness; compare the gender variables of the study. A descriptive, inferential and sectional study from registers of individuals with ages of 50 or over, with HIV/AIDS, accompanied in an outpatient clinic for infectious and parasitic diseases at a university hospital in the municipality of Niterói. The results of the study indicate an expressive proximity between the number of men (53%) and women (47%) infected with the HIV virus, accompanied at an outpatient clinic, which corroborates with the feminization process of the epidemic. There was a predominance of single/separated men 40 (74%) and widows 16 (33%), in which a significant statistical difference was observed (Chi-Squared; p =< 0.0001) where many of these women were contaminated through heterosexual relations. In the sexual option of individuals aged 50 or over, a prevalence of heterosexual and homosexual males and heterosexual females was observed, confirming transmission through heterosexual relations (Chi-Squared; p =< 0.0001). With reference to HIV cases in the family there was a significant difference between the genders (Chi-Squared; p = 0.0184), once women presented a significant number of infected husbands/partners 17 (35%). Co-infections/opportunistic infections have been the cause for hospitalization of these individuals with ages of 50 years or over, once they often discover that they are HIV positive, when already manifesting AIDS. The most prevalent causes for hospitalization, in the male and female genders, were pneumocystis, pulmonary tuberculosis, neurotoxoplasmosis and bacterial pneumonia. Many of these individuals discovered that they had HIV before the age of 60, which leads us to think about how people are aging. Ageing population is a fact, summed to the vulnerability of individuals of ages 50 or over to sexually transmitted infections, conveying to the health professionals the responsibility of planning actions aiming to disseminate information guided towards sexual education of this public, once they are sexually active and need to advance in preventive actions in order to reduce infections and transmissibility. Antiretroviral therapy for maintaining the health of these individuals and reducing episodes of hospitalization is of utmost importance, once a change in treatment and non-adhesion could lead these individual to be affected by opportunistic diseases and consequent hospitalization, or even to a poor prognosis.
30

Perfil clínico e epidemiológico dos pacientes portadores de carcinoma hepatocelular atendidos em um hospital federal no município do Rio de Janeiro

Magalhães, Cristiane Rocha January 2016 (has links)
Submitted by Ana Lúcia Torres (bfmhuap@gmail.com) on 2017-09-20T15:37:37Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) PERFIL CLÍNICO E EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES PORTADORES DE CARCINOMA HEPATOCELULAR ATENDIDOS EM UM HOSPITAL FEDERAL NO M-1.pdf: 1579277 bytes, checksum: 961daf0e2b566d24ce96c3664d1f90b5 (MD5) / Approved for entry into archive by Ana Lúcia Torres (bfmhuap@gmail.com) on 2017-09-20T15:38:06Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) PERFIL CLÍNICO E EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES PORTADORES DE CARCINOMA HEPATOCELULAR ATENDIDOS EM UM HOSPITAL FEDERAL NO M-1.pdf: 1579277 bytes, checksum: 961daf0e2b566d24ce96c3664d1f90b5 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-09-20T15:38:06Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) PERFIL CLÍNICO E EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES PORTADORES DE CARCINOMA HEPATOCELULAR ATENDIDOS EM UM HOSPITAL FEDERAL NO M-1.pdf: 1579277 bytes, checksum: 961daf0e2b566d24ce96c3664d1f90b5 (MD5) Previous issue date: 2016 / Instituto Nacional de Câncer, Coordenação de Assistência Técnica, Centro de Transplante de Medúla Óssea / O câncer é responsável por mais de 12% de todas as mortes no mundo: mais de sete milhões de pessoas morrem anualmente dessa doença. Dentre as neoplasias primárias do fígado, o carcinoma hepatocelular (CHC) ou hepatocarcinoma é a mais frequente. No Brasil, este tipo de câncer foi a sexta causa de morte por neoplasia nos últimos 10 anos. Este estudo teve como objetivo determinar as características clínicas e epidemiológicas dos pacientes portadores de CHC atendidos de janeiro de 2011 a dezembro de 2015 no ambulatório de Hepatologia de um Hospital Federal na Cidade do Rio de Janeiro. Foram coletados os dados referentes ao perfil clínico e epidemiológico, ao tratamento e à evolução clínica da doença. O processamento e a análise dos dados foram feitos através dos programas Excel e SPSS 20.0. Dos 326 pacientes, 231 eram homens (70,9%) e 212 de cor branca (65%). O Índice de Massa Corporal (IMC) médio foi de 25,96 (± 4,37). A média de idade ao diagnóstico foi de 62,8 anos. A causa mais frequente de CHC foi a infecção pelo Vírus da Hepatite C (65,6%) seguida por alcoolismo (9,2%), por doença hepática não alcoólica (DHGNA) (9,2%) e pela infecção pelo Vírus da Hepatite B (8,9%). A cirrose já estava presente em 94,5% dos pacientes. De acordo com a função hepática, a maior parte dos pacientes foi classificada como Child A (62,6%) ou B (33,4%). Em relação à classificação pelo Barcelona-Clinic Liver Cancer (BCLC), 135 tiveram seu diagnóstico de CHC ainda na fase inicial da doença: 21 pacientes foram classificados como BCLC 0 e 114 como BCLC A. Cento e quatro pacientes foram classificados como BCLC B e 73 como BCLC C. Quatorze pacientes estavam em estágio terminal (BCLC D) quando o CHC foi diagnosticado. Oitenta pacientes (24,5%) apresentavam cinco ou mais lesões tumorais e em 109 pacientes a lesão de maior tamanho tinha mais que 5 cm de diâmetro. A maior parte dos pacientes foi submetida a pelo menos um tipo de intervenção terapêutica, sendo a TACE (53%) e o sorafenibe (40,2%) as mais frequentes. De 114 pacientes com indicação de transplante hepático (35%), dentro do Critério de Milão, 44 já tinham sido transplantados ao final do estudo. Das 180 mortes registradas, 154 foram por progressão da doença, 12 ocorreram por intercorrências causadas por algum dos tratamentos para o CHC, e 14 não tiveram qualquer relação com o CHC. Concluímos que os pacientes com CHC atendidos no hospital estudado são, em sua maioria, homens, brancos, com sobrepeso, maiores de 60 anos e cirróticos por infecção pelo VHC. A maior parte dos pacientes chegou ao centro de referência em estágio inicial (BCLC A), com uma função hepática ainda preservada (Child A) no momento do diagnóstico, possibilitando a escolha do tratamento mais adequado. Apesar de a maior parte dos pacientes ter sido submetida a TACE e/ou tratamento com sorafenibe, aproximadamente 1/3 dos pacientes puderam ter opções curativas como tratamento inicial / Over 12% of all deaths in the world are due to cancer: more than seven million people die of this disease each year. Among primary liver cancers, hepatocellular carcinoma (HCC) is the most common. In Brazil, this type of cancer was the sixth leading cause of cancer death in the last 10 years. This study aimed to describe the clinical and epidemiological characteristics of HCC patients treated from January 2011 to December 2015 at the hepatology outpatient clinic of a federal hospital in the city of Rio de Janeiro. Data concerning the epidemiological and clinic profile, treatment, and clinical course were gathered. Data processing and analysis of variables were performed using the Excel and SPSS 20.0 software. Among the 326 patients, 231 were men (70.9%) and 212 were white (65%). The average BMI was 25.96 (± 4.37). The median age at diagnosis was 62.8 years, ranging from 18.0 to 92 years. The most frequent cause of HCC was Hepatitis C Virus infection (65.6%), followed by alcohol abuse (9.2%), non-alcoholic steatohepatitis (NASH) (9.2 %) and Hepatitis B Virus infection (8.9%). Cirrhosis was already present in 94.5% of patients. According to liver function, most patients were classified as Child A (62.6%) or B (33.4%). Regarding to the Barcelona-Clinic Liver Cancer (BCLC) classification, 135 patients had their HCC diagnosed in an early phase: 21 patients were classified as BCLC 0 and 114 as BCLC A. One hundred four patients were classified as BCLC B, and 73 as BCLC C. Fourteen patients had end-stage disease (BCLC D) when their HCC was diagnosed. Eighty patients (24.5%) had five or more tumor lesions and in 109 patients the largest lesion had a diameter of more than 5 cm. Most patients underwent at least one kind of therapeutic intervention, being transarterial chemoembolization (TACE) (52.1%) and sorafenib (40.2%) the most frequent. We had 114 (35%) of patients diagnosed within the Milan criteria and thus eligible to liver transplantation, of whom 44 had already been transplanted by the end of the study. Of the 180 deaths recorded, 154 were due to disease progression, 12 were due to complications caused by the treatment employed, and 14 had no relationship with the HCC. We conclude that patients with HCC treated at the hospital studied are mostly men, white, overweight, over 60 and cirrhotic HCV infection. Most patients reached the reference center at an initial stage of disease (BCLC A), with a liver function still preserved (Child-Pugh A) at diagnosis, enabling the choice of the most appropriate treatment. Although most patients having undergone TACE and/or treatment with sorafenib, approximately 1/3 of the patients could be curative options as an initial treatment.

Page generated in 0.2671 seconds