• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 29
  • 1
  • Tagged with
  • 31
  • 31
  • 16
  • 13
  • 9
  • 9
  • 9
  • 7
  • 7
  • 7
  • 6
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Representações sociais sobre a maternidade no contexto social heteronormativo construídas por mães lésbicas

LÚCIO, Firley Poliana da Silva 24 November 2016 (has links)
Submitted by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2018-06-08T18:53:43Z No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO Firley poliana da Silva Lúcio.pdf: 2879613 bytes, checksum: d12d736f06c653248df8e5206634e029 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-06-08T18:53:43Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO Firley poliana da Silva Lúcio.pdf: 2879613 bytes, checksum: d12d736f06c653248df8e5206634e029 (MD5) Previous issue date: 2016-11-24 / A maternidade lésbica encontra-se dentre os processos revolucionários que estão sendo construídos e inseridos na infraestrutura da vida cotidiana, provocando novas demandas e anseios. Diante disso, a Teoria das Representações Sociais se apresenta como possibilidade para compreensão do senso comum acerca da maternidade lésbica, assim, este estudo buscou resposta à seguinte questão norteadora: Quais as representações sociais sobre a maternidade no contexto social heteronormativo construídas por lésbicas? Para tanto, esta dissertação objetivou conhecer as representações sociais sobre a maternidade construídas por lésbicas no contexto social heteronormativo. Para subsidiar a pesquisa foi realizado um estudo bibliográfico, tipo revisão integrativa, nas bases de dados SCOPUS, CINAHL, LILACS e BDENF que objetivou analisar a produção científica nacional e internacional da enfermagem sobre a maternidade de mães lésbicas. Os resultados foram submetidos à avaliação metodológica pelo instrumento adaptado do Critical Appraisal Skills Programme, e os artigos que compuseram a amostra descreveram as experiências de três países acerca da maternidade lésbica. A amostra foi composta por cinco artigos, todos na língua inglesa. A revisão evidenciou a precariedade na qualidade da assistência, profissionais da saúde preconceituosos e com questionamentos inadequados acerca da orientação sexual. O artigo original objetivou conhecer as representações sociais sobre a maternidade construídas por lésbicas no contexto social heteronormativo. Trata-se de um estudo descritivo exploratório com abordagem qualitativa, ancorado pela Teoria das Representações Sociais. As participantes do estudo foram mães que se assumem lésbicas. Os dados foram produzidos por meio de entrevistas gravadas a partir de um roteiro semiestruturado. A análise dos dados foi concretizada por meio do software IRAMUTEQ. O mesmo evidenciou os conteúdos representacionais sobre maternidade lésbica e em que se encontram ancorados. A representação social ficou ancorada nas experiências acerca da maternidade estabelecidas a partir da forma como as mães lésbicas integraram-se no contexto social. A amostra foi totalizada por oito mães lésbicas na faixa etária dos 28 aos 46 anos, selecionadas pela técnica em cadeia (Snowball). Os conteúdos representacionais das participantes sobre a maternidade voltaram-se às questões de discriminação, preconceito, invisibilidade e exclusão social. Faz-se necessário que o conhecimento sobre a temática abordada ganhe novos conceitos e os mesmos sejam disseminados no meio social e acadêmico; considerando as demandas, as especificidades e as representações sociais destas mulheres que vivem à margem da dinâmica social. / Lesbian motherhood is among the revolutionary processes that are being constructed and inserted into the daily life infrastructure, provoking new demands and desires. Therefore, the Theory of Social Representations appears as a possibility to understand the common sense about lesbian motherhood, so this study sought to answer the following guiding question: What social representations of motherhood in the heteronormative social context constructed by lesbians? For this, this work dissertation aimed to identify the social representations of motherhood constructed by lesbians in the heteronormative social context. To support the research was conducted a bibliographical study, type integrative review, in SCOPUS, CINAHL, LILACS and BDENF databases. This review aimed to analyze the national and international scientific production of nursing on motherhood lesbian mothers. The results were submitted to a methodological assessment by adapted instrument Critical Appraisal Skills Programme and the articles in the sample described the experiences of three countries about lesbian motherhood. The sample was composed of five articles, all in English. The review highlighted the precariousness in the quality of care, health prejudices professionals and inappropriate questions about sexual orientation. The original article aimed to identify the social representations of motherhood constructed by lesbians in the heteronormative social context. It is an exploratory descriptive study with qualitative approach, conducted by the Theory of Social Representation. Study participants were mothers who assume lesbians. The data were produced through interviews recorded with the aid of semi-structured script. Data analysis was concretized using the software IRAMUTEQ. The same showed the representational contents of lesbian motherhood and in which they are anchored. The social representation was anchored in the experiences of motherhood established from the way lesbian mothers were integrated into the social context. The sample totalized eight lesbian mothers in the age group 28 to 46, selected by the chain technique (snowball). The representational contents of the participants about motherhood turned to discrimination issues, prejudice, invisibility and social exclusion. It is necessary that knowledge about the theme approached get new concepts and these are disseminated in the social and academic environment, considering the demands, the specificities and the social representations of these women living on the margins of social dynamics.
2

A vivência do projeto parental das famílias homeoeróticas femininas : uma investigação fenomenológica sartreana / The Parental Experience of Project Families homoerotic Women: A Phenomenological Investigation Sartrean (Inglês)

Lira, Aline Nogueira de 14 December 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-29T23:40:21Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2012-12-14 / The aim of this study was investigating the parenthood experience in homoerotic families constituted by women. Despite increasing visibility and constant change in the homoparental familiar context, this phenomenon brings out complex discussions and renders necessary fresh revisions and new considerations over families composed by same-sex partners. This research s theoretical-methodological input is based on Jean-Paul Sartre s phenomenology and his advances into the psychology field. I have chosen to employ Sartre s regressive-progressive method and, in order to gather information, I have conducted individual phenomenological interviews with four gay women raising children in same-sex relationships. Synthetically, some results were reached: social, cultural, legal, religious and psychological aspects lead us to consider the multiple elements which affect homoparental families. The collaborators concepts of the family and parental experience are diverse. These concepts get new meaning according to their own individual and historically situated experiences. Besides that, the lives of these gay women are plagued by prejudice and discrimination. Such fact has implications in the way they lead their parental and family relationships. There is no doubt whatsoever that homoerotic parenthood is a socio-historical reality which is about to be dialectically aggregated in women s relationships with their offspring and the world. It is a project under construction and based on emotional availability to nurture and love. Sexual orientation is merely one more female means of expression all over the world. Key-world: Homoparental Family. Lesbian Parenthood. Female Homoeroticism. Sartrean Phenomenology. Being Project. / O objetivo deste estudo foi investigar a vivência da parentalidade em famílias homoeróticas constituídas por mulheres. Apesar da crescente visibilidade e das transformações no contexto familiar homoparental, este fenômeno traz à tona discussões complexas e requer necessárias revisões e novas considerações acerca das famílias compostas por pessoas do mesmo sexo. O aporte teórico-metodológico desta pesquisa se constituiu a partir da fenomenologia de Jean-Paul Sartre e de suas aproximações com o campo da psicologia. Optei por utilizar o método progressivo-regressivo de Sartre e, para coletar as informações, foram realizadas entrevistas fenomenológicas individuais com quatro mulheres lésbicas e que têm filhos. Chegou-se, sinteticamente, a alguns resultados mais significativos: aspectos sociais, culturais, jurídicos, religiosos e psicológicos intercedem e nos obrigam a considerar os múltiplos elementos que perpassam as famílias homoparentais; as concepções que as colaboradoras têm acerca das suas vivências familiares e parentais são plurais, assumem novos significados de acordo com as suas experiências singulares e historicamente situadas; além disso, a vida dessas mulheres lésbicas é marcada pelo preconceito, o que tem implicações no modo como subjetivam as suas relações familiares e parentais. Conclui-se que a parentalidade homoerótica é uma realidade sócio-histórica que está por se fazer, dialeticamente, na relação das mulheres com os seus filhos e com o mundo. É um projeto em construção, alicerçado pela disponibilidade afetiva de cuidar e amar. A orientação sexual é apenas mais um, dentre tantos modos de expressão das mulheres no mundo. Palavras-chave: Família homoparental. Parentalidade lésbica. Homoerotismo feminino. Fenomenologia sartreana. Projeto de ser.
3

Vulnerabilidade de mulheres que fazem sexo com mulheres às infecções sexualmente transmissíveis

Andrade, Juliane. January 2017 (has links)
Orientador: Marli Teresinha Cassamassimo Duarte / Resumo: Introdução: Vulnerabilidade é a possibilidade de a pessoa se expor ao adoecimento, considerando-se fatores individuais e coletivos, dividindo-se em três dimensões analíticas articuladas: a individual, a social e a programática. Em mulheres que fazem sexo com mulheres (MSM) a vulnerabilidade às infecções sexualmente transmissíveis (IST) perpassa por questões de luta por visibilidade social e política, diferença de gênero, padrão heteronormativo, despreparo profissional e o próprio desconhecimento sobre questões relativas à prevenção das IST/aids, ainda pouco estudadas no cenário nacional. Objetivo: Analisar a vulnerabilidade de mulheres que fazem sexo com mulheres às IST/aids. Método: Estudo transversal que integra estudo mais amplo sobre acesso a serviços de saúde e saúde sexual e reprodutiva de MSM. A amostra de 150 MSM residentes no interior Paulista foi constituída por meio da técnica de amostragem Bola de Neve, indicação de profissionais de saúde e liderança LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) e por procura espontânea, a partir da divulgação do projeto nas redes de sociabilidade, comunicação de massa, serviços de saúde e grupos de ativismo. As variáveis estudadas foram classificadas mediante o referencial teórico da vulnerabilidade. Os dados foram obtidos de janeiro de 2015 a março de 2017, por meio da aplicação de questionário, exame ginecológico e coleta de sangue periférico. Para o diagnóstico das infecções pelo papiloma vírus humano, Chlamydia t... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Doutor
4

Entre elas : cartografias dos devires amorosos /

Lima, Marli Machado. January 2009 (has links)
Orientador: Wiliam Siqueira Peres / Banca: Anna Paula Uziel / Banca: Fernando Silva Teixeira Filho / Resumo: A partir do método cartográfico, esta pesquisa apresenta os relacionamentos amorosos de mulheres lésbicas, em uma cidade de médio porte, no interior paulista. A proposta metodológica foi de fundamental importância, na medida em que permitiu o desenvolvimento de uma investigação participativa na qual o pesquisador se implica. A partir de Michel Foucault, focamonos no processo de resistência como forma dessas mulheres afirmarem suas escolhas amorosas e resistirem ao poder heteronormativo. Como foco de interesse, também privilegiamos a produção de subjetividades, os processos de singularização e "revolução molecular"- propostas desenvolvidas por Gilles Deleuze e Feliz Guattari -, que se centram nos processos de criação de novas formas de existir, ao invés das idéias de classe, submissão e opressão. Algumas questões norteiam este trabalho: O que é ser lésbica? É desejar uma mulher? É manter relações com ela? É ser amiga delas e se solidarizar com elas? Pode ser tudo isso. Elas são várias, estão em todos os lugares e se manifestam de múltiplas formas. Também amam, se relacionam e fazem sexo de infinitas maneiras diferentes. / Abstract: From the cartographic method, this research presents the love relationships of lesbian women, in a city of a medium size, the São Paulo state interior. The methodological proposal was of fundamental importance, as it allowed the development of a participative inquiry in which the researcher envolves herself. From Michel Foucault, we focuse ourself in the resistance process as a form of these women to affirm ther love choices and to resist the heteronormative power. As a focus of interest, we also privilege the production of subjectivities, the processes of singularization and "molecular revolution" - proposals developed by Gilles Deleuze and Felix Guattari -, that they are centered in the processes of creation of new forms to existing, instead of the ideas of classes, submission and oppression. Some questions guide this work: What is to be a lesbian? Is it to desire a woman? Is it to have sex with her? Is it to be friendly with them and to be solidary with them? This can be everything. They are several kind of womem, are everywhere and they reveal themselves in multiple forms. They also love, they get along and they make sex in infinite different ways. / Mestre
5

Vulnerabilidade de mulheres que fazem sexo com mulheres às infecções sexualmente transmissíveis / Vulnerability of women who have sex with women to sexually transmitted infections

Andrade, Juliane [UNESP] 06 September 2017 (has links)
Submitted by Juliane Andrade null (juenf_andrade@yahoo.com.br) on 2017-10-03T16:36:04Z No. of bitstreams: 1 julianeandrade.tese.pdf: 1611303 bytes, checksum: 04c4ad64a2c810065ae1a4358aa0ea67 (MD5) / Approved for entry into archive by Monique Sasaki (sayumi_sasaki@hotmail.com) on 2017-10-03T17:00:21Z (GMT) No. of bitstreams: 1 andrade_j_dr_bot.pdf: 1611303 bytes, checksum: 04c4ad64a2c810065ae1a4358aa0ea67 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-10-03T17:00:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 andrade_j_dr_bot.pdf: 1611303 bytes, checksum: 04c4ad64a2c810065ae1a4358aa0ea67 (MD5) Previous issue date: 2017-09-06 / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / Introdução: Vulnerabilidade é a possibilidade de a pessoa se expor ao adoecimento, considerando-se fatores individuais e coletivos, dividindo-se em três dimensões analíticas articuladas: a individual, a social e a programática. Em mulheres que fazem sexo com mulheres (MSM) a vulnerabilidade às infecções sexualmente transmissíveis (IST) perpassa por questões de luta por visibilidade social e política, diferença de gênero, padrão heteronormativo, despreparo profissional e o próprio desconhecimento sobre questões relativas à prevenção das IST/aids, ainda pouco estudadas no cenário nacional. Objetivo: Analisar a vulnerabilidade de mulheres que fazem sexo com mulheres às IST/aids. Método: Estudo transversal que integra estudo mais amplo sobre acesso a serviços de saúde e saúde sexual e reprodutiva de MSM. A amostra de 150 MSM residentes no interior Paulista foi constituída por meio da técnica de amostragem Bola de Neve, indicação de profissionais de saúde e liderança LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) e por procura espontânea, a partir da divulgação do projeto nas redes de sociabilidade, comunicação de massa, serviços de saúde e grupos de ativismo. As variáveis estudadas foram classificadas mediante o referencial teórico da vulnerabilidade. Os dados foram obtidos de janeiro de 2015 a março de 2017, por meio da aplicação de questionário, exame ginecológico e coleta de sangue periférico. Para o diagnóstico das infecções pelo papiloma vírus humano, Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae empregou-se a reação em cadeia da polimerase, para confirmação do HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana), os testes ELISA e Western Blot, para Hepatite B o ensaio ARCHITECT HBsAg. Para sífilis foi considerado resultado reagente a mulher que teve teste treponêmico e VDRL reagente ou os dois treponêmicos positivos, sem história de tratamento prévio adequado. A identificação do Trichomonas vaginalis se deu a partir da coloração de Papanicolaou. Para análise dos dados foi empregada a estatística descritiva e as associações foram verificadas por regressão logística múltipla e as comparações do escore de vulnerabilidade entre mulheres com e sem histórico de relação sexual com homens foram feitas por meio do teste de Mann-Whitney. Resultados: A mediana de idade das MSM investigadas foi de 26 anos (18-62), 74,7% eram brancas, 73,3% não unidas, 51,3% tinham 12 ou mais anos de estudo concluídos, 74% estavam inseridas no mercado de trabalho e 50,7% tinham renda per capta familiar maior que R$ 1.019,00. A maioria tinha história de relacionamento sexual com homens durante a vida (74,7%), entretanto, nos últimos doze meses, apenas 21,3% se relacionaram com homens. O diagnóstico de alguma IST foi constatado em 47,3% das mulheres. A análise de regressão logística multivariada apontou apenas variáveis da dimensão individual independentemente associadas às IST/aids: não ter realizado sorologia para IST/aids [OR=2,80 (1,13 – 6,94); p=0,027], ter histórico de IST [OR=4,00 (1,03–15,50); p=0,045] e ter tido relação sexual com homem nos últimos 12 meses [OR=8,65 (2,39–31,38); p=0,001]. Segundo a estratégia de análise do grau de vulnerabilidade adotada, nenhuma mulher investigada estava isenta, sendo que a vulnerabilidade programática foi a que apresentou maior mediana do escore de vulnerabilidade, 9,6 pontos (0-24) e a social, a menor, 7,5 pontos (0-19). As mulheres com ou sem histórico de relação sexual com homens na vida não diferiram quanto ao escore de vulnerabilidade na dimensão social e programática e aquelas que se relacionaram com homens na vida apresentaram maior escore na dimensão individual [10,0 (4,0–17,0 vs. 8,0 (4,0–13,0); p= 0,001]. As MSM que tiveram relação com homem nos últimos 12 meses tiveram maior escore de vulnerabilidade individual e social em comparação com aquelas sem este histórico [12,0 (6,0–17,0) vs. 9,0 (4,0–15,0); p=0,000 e 10,0 (0,0–19,0) vs. 5,0 (0,0–14,0); p=0,042, respectivamente] e não apresentaram diferença quanto ao escore de vulnerabilidade programática. Conclusão: As MSM investigadas apresentavam elevada vulnerabilidade às IST/aids nas três dimensões, confirmada pela alta prevalência dessas infecções, sugerindo necessidade de atenção individualizada e qualificada, com vistas à sua redução. Assim, os dados da presente investigação podem proporcionar à Enfermagem e a outros profissionais de saúde elementos que facilitem a sistematização do cuidado a esse grupo populacional, permitindo intervenções que considerem as três dimensões da vulnerabilidade, implicando maior potencial de transformação do processo-saúde-doença. / Vulnerability is the possibility of exposing oneself to illness, considering individual and collective factors, divided into three articulated analytical dimensions: individual, social and programmatic. In women who have sex with women (MSM), vulnerability to sexually transmitted infections (STI) is based on issues of struggle for social and political visibility, gender difference, heteronormative pattern, health care unpreparedness and lack of knowledge about STI /aids prevention, which has been little explored in the national scenario. Objective: To analyze the vulnerability of women who have sex with women to STI /aids. Method: A cross-sectional (transversal) study integrating a broader research project related to MSM access to health services and sexual and reproductive health. The sample of 150 MSM residents in countryside of Sao Paulo province was constituted by means of the snowball sampling technique, in a referral chain among healthcare professionals and LGBT leadership (Lesbian, Gay, Bisexual, Transvestite and Transsexual) and by spontaneous demand, from the disclosure of the Project in social networks, media, health services and activism groups. The variables studied in the present research were classified according to the theoretical reference of vulnerability. The data were obtained from January 2015 to March 2017 through the application of questionnaires, gynecological examinations and peripheral blood collections. For the diagnosis of human papillomavirus infections, Chlamydia trachomatis and Neisseria gonorrhoeae, the polymerase chain reaction was used to confirm HIV (Human Immunodeficiency Virus), ELISA and Western blot tests, for Hepatitis B the ARCHITECT HBsAg assay. For syphilis diagnosis, women whose treponemal and VDRL reagent test or the two treponemics positive, without a history of adequate pretreatment, was considered a reagent result. The identification of Trichomonas vaginalis occurred from the staining of cervical smear. Descriptive statistics were used for analysis of the data and associations were verified by multiple logistic regression and comparisons, using Mann-Whitney test, of the vulnerability score between women with and without a history of sexual intercourse with men. Results: The median age of the MSM investigated was 26 years (18-62), 74.7% were white, 73.3% single, 51.3% were school educated for 12 or more years, 74% were employed or self-employed and 50.7% had per capita family monthly income greater than R $ 1,019.00. The majority had a history of sexual intercourse with men during their lifetime (74.7%), however, in the last twelve months, only 21.3% had sexual intercourse with men. The diagnosis of some STI was found in 47.3% of the women. Multivariable logistic regression analysis showed only variables of individual dimension independently associated with STI /aids: no serology for STI /aids [OR = 2.80 (1.13 - 6.94); P = 0.027], have a history of STI [OR = 4.00 (1.03-15.50); P = 0.045] and had had sexual intercourse with men in the last 12 months [OR = 8.65 (2.39-31.38); P = 0.001]. According to the vulnerability analysis strategy adopted, all women investigated were vulnerable, and the programmatic vulnerability was the one with the highest median vulnerability score of 9.6 (0-24) and the social, the lowest, 7.5 points (0-19). Women with or without a history of sexual intercourse with men in their life did not differ on the vulnerability score in social and programmatic dimensions; and those who have sexual intercourse with men in their life had a higher score in the individual dimension [10,0 (4,0-17 , 0 vs. 8.0 (4.0-13.0), and p = 0.001. Moreover, MSM that had a relationship with men in the last 12 months had a higher individual and social vulnerability score than those without this history [12.0 (6.0-17.0) vs. 9.0 (4.0-15.0), p = 0.000 and 10.0 (0.0-19.0) vs. 5.0 (0.0 - 14.0); p=0.042, respectively] without programmatic vulnerability score differences. Conclusion: The MSM investigated presented high vulnerability to STI /aids in all three dimensions, confirmed by the high prevalence of these infections. This outcome suggests the need for individualised and qualified healthcare programme aiming the reduction of MSM vulnerability. Therefore, the results of the present investigation can provide nurse-led care and other healthcare professionals criteria to facilitate the systematization of care to this group, allowing interventions that consider the three dimensions of vulnerability, contributing in great potential, for transformation of the health-disease process. / FAPESP: 2015/14769-0
6

Prevalência de infecções sexualmente transmissíveis e de alterações da microbiota vaginal e fatores associados em mulheres que fazem sexo com mulheres / Prevalence of sexually transmitted infections and changes of vaginal microbiota and associated factors in women who have sex with women

Ignacio, Mariana Alice de Oliveira [UNESP] 25 February 2016 (has links)
Submitted by MARIANA ALICE DE OLIVEIRA IGNÁCIO null (mariana_spock@hotmail.com) on 2016-04-22T17:06:55Z No. of bitstreams: 1 Dissertação versão FINAL.pdf: 2436988 bytes, checksum: 95c6027b367778ba65a0ef6391f081ed (MD5) / Approved for entry into archive by Juliano Benedito Ferreira (julianoferreira@reitoria.unesp.br) on 2016-04-26T18:12:07Z (GMT) No. of bitstreams: 1 ignacio_mao_me_bot.pdf: 2436988 bytes, checksum: 95c6027b367778ba65a0ef6391f081ed (MD5) / Made available in DSpace on 2016-04-26T18:12:07Z (GMT). No. of bitstreams: 1 ignacio_mao_me_bot.pdf: 2436988 bytes, checksum: 95c6027b367778ba65a0ef6391f081ed (MD5) Previous issue date: 2016-02-25 / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / Apenas em 2011 com a Política Nacional de Saúde Integral de LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) foram propostos mecanismos de gestão para atingir maior equidade no Sistema Único de Saúde (SUS), com especial atenção às demandas e necessidades em saúde da população LGBT e, assim, das mulheres que fazem sexo com mulheres (MSM) brasileiras. A literatura nacional e internacional é escassa no que se refere às prevalências e fatores associados às infecções sexualmente transmissíveis (IST) e aids entre estas, o que justifica a presente investigação. Esta tem por objetivos traçar o perfil sociodemográfico, comportamental e clínico de MSM, estimar a prevalência de IST, de alterações da microbiota vaginal, de lesões precursoras do câncer de colo do útero e identificar fatores associados à vaginose bacteriana (VB), IST e papiloma vírus humanos (HPV). Trata-se de estudo transversal e analítico, que integra estudo mais amplo sobre acesso a serviços de saúde e saúde sexual e reprodutiva de MSM. Foi desenvolvido com amostra intencional de 100 MSM, provenientes do município de Botucatu/SP e microrregião que atenderam ao chamado para participação da pesquisa por meio de redes de sociabilidade, meios de comunicação de massa, serviços de saúde e convite de participantes às pessoas de seu convívio, no período de janeiro a novembro de 2015. As variáveis independentes estudadas foram sociodemográficas, consumo de substâncias, comportamento e práticas sexuais, antecedentes clínico-ginecológicos, queixas e exame ginecológico e as variáveis de desfecho foram ter IST, HPV e VB. Os dados foram obtidos pelas pesquisadoras envolvidas no estudo mãe, por meio de entrevista, exame ginecológico e coleta de sangue periférico para diagnósticos da Infecção pelo HIV, sífilis e hepatite B. Realizou-se coleta de amostras do conteúdo vaginal para realização do exame microscópico direto corado pelo método de Gram, que permitiu o diagnóstico de alterações da microbiota vaginal e candidose vaginal; coleta de secreção cervical para pesquisa de Chlamydia trachomatis, Neisseria gonorrhoeae e de papiloma vírus humano (HPV) por reação em cadeia da polimerase e citologia cérvicovaginal convencional, que diagnosticou lesões pré-neoplásicas e Trichomonas vaginalis. Para análise dos dados empregou-se estatística descritiva e as associações foram verificadas por regressão logística múltipla. Foram ajustados modelos de regressão logística para conhecer as variáveis que mais influenciaram no aparecimento das afecções do trato genital inferior. Predominaram as MSM que se encontravam na faixa etária de 20 a 49 anos (79,0%), brancas (74,0%), não casadas ou sem união estável (60,0%), com mais de 8 anos de estudo (93,0%), inseridas no mercado de trabalho (75,0%), que tinham histórico de relação sexual com homens na vida (66,6%), que não utilizavam regularmente proteção nas relações sexuais (85,8) e praticavam sexo após consumo de álcool(63,0%). A prevalência total de IST foi de 35,0%, sendo a infecção pelo HPV a mais prevalente (32,6%), com genótipos mais frequentes 56 e 84, seguida pela cervicite clamidiana (3,3%), infecção pelo HIV (2,0%), T. vaginalis(1,1%) e Sífilis (1,0%). Não foram encontrados casos de N. gonorrhoeae e Hepatite B. Quase a metade das mulheres incluídas no estudo (47,5%) apresentou alterações na microbiota vaginal, sendo mais prevalente a VB (36,2%), seguida da flora II (8,5%) e candidose vaginal (4,2%). A prevalência encontrada de lesão intra-epitelial escamosa de baixo grau (LSIL) foi de 2,3%. Os fatores associados às IST foram: não ser casada ou sem união estável [OR=3,76(IC:95%: 1,14–12,43); p=0,030], uso de acessórios [OR=3,87(IC:95%: 1,14–13,16); p=0,030] e número de homens com quem se relacionou sexualmente no último ano [OR=7,99 (IC:95%: 1,51–42,44); p=0,015]. Para infecção pelo HPV a única variável independentemente associada foi não ser casada ou não ter união estável [OR=4,84 (IC 95%: 1,49–15,71), p=0,009]. As associações encontradas para o desfecho VB foram whiff test positivo [OR=14,00 (IC 95%: 2,76-71,14), p=0,001] e pH vaginal > 4,5 [OR=9,90(IC 95%:1,57-62,33), p=0,015]. Tomados em conjunto, os dados deste estudo permitem concluir que as MSM participantes tinham elevada vulnerabilidade às IST/aids, confirmada pelas elevadas prevalências de algumas infecções e alterações da microbiota vaginal. Sugere a necessidade de assistência à saúde dessas mulheres de maneira individualizada, voltada para saúde sexual e reprodutiva, pautada em ações preventivas e educativas, com vistas ao seu cuidado integral. Neste sentido, com base nos resultados obtidos foi elaborado E-book educativo, em forma de história em quadrinhos, contendo informações sobre IST, formas de prevenção específicas para MSM, cuidados com a higiene íntima, importância de realizarem exames ginecológicos de rotina, que permitem diagnóstico e tratamento precoce de IST e direitos sexuais e reprodutivos. Este pode ser acessado no link: http://www.hcfmb.unesp.br/pesquisas/informacoespaciente/. / Only in 2011 through the National Policy for Comprehensive Health of LGBT, management mechanisms to reach more equity in unifed health system were proposed focusing mainly the demands and necessities of such population, i.e., women who make sex with women. The present paper aims to fill a gap in the national and international literature concerning prevalences and factors related to STI. The aim of this research is to design the sociodemographic, behavioral and clinical profile of WSW, the changes in vaginal microbiota and of precursor factors associated to bacterial vaginosis, STI and HPV. It is a cross sectional and analytical study covering, in a comprehensive way ,the access to health services and sexual and reproductive health of WSW. It was a non-radomized study with 100 WSW from Botucatu - SP and surrounding regions who answered the call from social media, mass communication means, health services and friends or acquaintances from January to November,2015. The independent variables studied were sociodemographic, substance consumption, behavior and sexual practices, clinical-gynecological examination and complaints and the outcome variables were STI, HPV, BV. Data was obtained by the researchers involved in the main study, through interviews, gynecological exams and blood tests to diagnose HIV, syphilis and hepatitis B. Vaginal samples were collected for gram staining to diagnose changes in vagibal microbiota; cervical sample collection to investigate Chlamydia Trachomatis and HPV through PCR and oncotic cytology to screen pre-neoplasic lesions Trichomonas. Descripitive statistics was used for data analysis and associations were estimated by multiple regression. In order to know the variable which influenced the occurrence of genital infections, adjustments were made in multiple regression models. The most frequent findings were among WSW within the age range 20 to 49 years-old (79.0%), white (74.0%), single (60.0%); with more than 8 years of conventional education (93.0%) , in the job market (75.0%), who had unprotected sex (85.5%) and those who had sex after alcohol consumption (63.0%). Total prevalence of STI was 35%, being HPV the most prevalent (32.6%), with the most frequent genotype being 56 and 84, followed by chlamidia infection (3.3%), HIV infection (2.0%), T. V. (1.1%) and syphilis (1.0%). Neisseria Gonorrhoeae and Hepatites B were not found. Almost half of the women (47.5%) presented changes in the vaginal microbiota, more frequently VB (36.2%) followed by flora II (8.5%) and candidiasis (4.2%). The prevalence of low grade squamous intraepithelial lesion (LSIL) was 2.3%. The factors associated to STI were: to be single, [OR=3.76 (CI:95%: 1.14–12.43); p=0.030], use of sex toys [OR=3.87(CI:95%: 1.14–13.16); p=0.030], and number of male partners in the previous year [OR=7.99 (CI:95%: 1.51–42.44); p=0.015]. As to HPV infection the only variable independently associated was to be single [OR=4.84 (CI: 95%: 1.49–15.71), p=0.009]. The associations found for VB outcome were positive whiff test [OR=14.00 (CI: 95%: 2.76-71.14), p=0.001] and vaginal pH > 4.5 [OR=9.90(CI: 95%:1.57-62.33), p=0.015]. Considered as whole, these data lead to conclusion that the individuals of this study presented high vulnerability to STI/AIDS, as shown by the high prevalence of some infections and changes in the vaginal microbiota. This study clearly shows the need for a specific health assistance to these women, focusing their sexual and reproductive life, thus promoting prevention and education in a holistic approach. Based on these findings, an educational Ebook was written bringing information on STI, prevention specific for WSW, hygiene care, sexual and reproductive rights and the importance of periodical gynecological examinations, which will allow for early diagnosis and treatment of STI. It can be accessed at the link: http://www.hcfmb.unesp.br/pesquisas/informacoespaciente/. / FAPESP: 2015/04224-6
7

As representações da homossexualidade feminina na esfera pública virtual

Costa, Vera Teresa Spcht da January 2008 (has links)
A homossexualidade feminina tem, na atualidade, maior visibilidade nos espaços midiáticos num processo indicativo de mudanças acerca do tema que emerge da intimidade para o debate na esfera pública. Esse processo mobiliza questionamentos na sociedade sobre normalidade e anormalidade das orientações sexuais bem como de suas representações sociais. Verificar, compreender e examinar como as lésbicas utilizam a comunicação mediada por computador é o objetivo deste trabalho que se detém na análise das narrativas para avaliar a interação comunicacional, as redes de socialidade e solidariedade e a afirmação identitária. Neste percurso são vistos a atuação individual e do movimento lésbico por mudanças nos direitos de cidadania dentro da esfera pública virtual: o ciberespaço. / The visibility of woman homossexuality on media space indicates a changing process about this theme on public shpere. This fact sets questions about normality and abnormality of sexual orientations and also about the lesbians' social representations. Verifying ,understanding and examine how those women use the computer-mediated communication is the purpose of this study. Narrative analyses are the method used to evaluate the communicational interaction, the lesbian identity and the lesbian movement actions in the changing process citizenship in the virtual public shpere: the cyberspace.
8

Rompendo o silêncio : homofobia e heterossexismo nas trajetórias de vida de mulheres

Monteiro, Luciana Fogaça January 2009 (has links)
Esta pesquisa busca compreender os modos de subjetivação de mulheres com práticas homoeróticas que apresentaram denúncias relacionadas à homofobia. Ela parte de uma intervenção realizada pela ONG Nuances - grupo pela livre expressão sexual conveniada ao Programa Brasil Sem Homofobia. Através de entrevistas baseadas na abordagem biográfica, busquei verificar a forma como elas constroem uma experiência de si, no cruzamento entre a sustentação da matriz heterossexista e a emergência de políticas governamentais de combate a discriminação. O material permitiu compreender que elas percebem a discriminação e o preconceito como resultado de uma extrapolação dos limites das convenções de gênero. Desta forma, elas acreditam que a homossexualidade masculina e mulheres que possuem estilos "mais masculinos" estão mais propensos/as a sofrer discriminações, por acreditarem que são mais visíveis. Assim, a perspectiva de uma maior "aceitação" das relações homoeróticas entre mulheres é percebida na articulação entre estilos mais próximos dos padrões de femininos, bem como por uma apropriação do homoerotismo feminino por parte do fetiche masculino. Outro achado foi à evocação de saberes psi nos conflitos familiares. Quanto às estratégias de enfrentamento, foram encontradas tanto formas de manter identidades discretas quanto modos mais combativos, baseados no que chamo de subjetivação militante. De modo geral, estas mulheres consideram os tempos atuais melhores, relacionando-os mais a atuação do movimento social do que aos aparelhos de proteção e políticas públicas estatais. Este fato pode ter algumas razões: a própria estratégia de enfrentamento formulada pelo Brasil Sem Homofobia (fomento a atores do movimento) e a timidez governamental em adotar estratégias de visibilidade de massa, provavelmente provocada pela oposição que o tema da diversidade sexual enfrenta frente a bancadas religiosas. / This research seeks to understand the modes of subjectivation of women with homoerotic practices that have filed complaints related to homophobia. This research had its starting point in an intervention conducted by the NGO Nuances - group for free sexual expression, convening the BRAZIL WITHOUT HOMOPHOBIA Program. Through interviews based on the biographical approach, I tried to see how these women construct a self-experience, at the junction between the prevailing heterosexist matrix and the emergence of government policies to combat discrimination. The material allowed to find that they understand discrimination and prejudice as a result of an extrapolation of the limits of gender conventions. Following this logic, they believe that male homosexuality and women who have more "masculine" styles are more likely to be discriminated against, on the basis that they are "more visible". The prospect of greater "acceptance" of homoerotic relationships between women is perceived by these women, and it is related to standard female performances, as well as an appropriation of female homoeroticism by the male fetish. Another finding was the evocation of psychological knowledge in family disputes. The coping strategies were found both in ways that maintain discrete identities as in more openly-combative styles, based on what I call "militant subjectivity". In general, these women consider the actual times better to homosexuals, relating this fact more to the work of social movement than to the apparatus of protection and state public policies. This fact may have some reasons: the coping strategy formulated by Brasil Sem Homofobia (encouraging the movement actors) and government timidity in adopting strategies of mass visibility, probably caused by the opposition that sexual diversity is facing by religious political parties.
9

Amores exilados: revelações sobre a sexualidade enclausurada / Amores exiles: revelations about sexuality cloistered

ZARANZA, Janaina Sampaio January 2004 (has links)
ZARANZA, Janaina Sampaio. Amores exilados: revelações sobre a sexualidade enclausurada. 2004. 181f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Sociologia, Fortaleza (CE), 2004. / Submitted by Márcia Araújo (marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2014-01-21T15:43:06Z No. of bitstreams: 1 2004-DIS-JSZARANZA.pdf: 946008 bytes, checksum: 9fe4a9453bba8061465143e70948d9db (MD5) / Approved for entry into archive by Márcia Araújo(marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2014-01-21T16:12:39Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2004-DIS-JSZARANZA.pdf: 946008 bytes, checksum: 9fe4a9453bba8061465143e70948d9db (MD5) / Made available in DSpace on 2014-01-21T16:12:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2004-DIS-JSZARANZA.pdf: 946008 bytes, checksum: 9fe4a9453bba8061465143e70948d9db (MD5) Previous issue date: 2004 / This dissertation aims at understanding affective relations that women develop within a space in which they are denied liberty; having as its dominant theme the intimate visit (a benefit conferred the inmate to receive someone on an affective or sexual visit). It is explained how the game of sexual interests is developed within prison’s daily activities involving women with their male and female partners (dealing as well with homoaffective and bisexual relations), people which live not only within but outside the jail, compounding in this way the concept of “Intimate Visit” and demonstrating how this practice is constructed in order to help female inmates lead a sexual life, relating with a male or female partner and maintaining bonds with their families. Besides affective and familiar relations, other types of relations are considered in this work in respect to the complexity of life within prison walls including relations with social agents and policemen. Therefore, it is also considered the role of those social agents as characters who populated as a whole the prison’s universe and whose postures, decisions and actions investigated during the field research are important to the analysis. / Esta dissertação tem o intuito de compreender as relações afetivas que as mulheres constroem em um espaço de privação de liberdade, tendo como fio condutor o benefício da Visita Íntima (Benefício que garante direito de encontro tanto afetivo como sexual para mulheres encarceradas). Elucido como se dá o jogo de interesses sexuais dentro do cotidiano do cárcere, o envolvimento das mulheres com seus companheiros e companheiras (investigando também relações homoafetivas e bissexuais), que estão no mundo externo e interno do cárcere, percebendo assim a “Visita Íntima”, demonstrando como se dá a construção deste percurso, o qual as mulheres detentas perpassam para vivenciarem sua sexualidade e se relacionarem com o companheiro, a companheira, filhos e a família. Além das relações afetivas e familiares, considero outros tipos de relações que as mulheres constroem dentro da complexidade do cotidiano do presídio, como a relação social com outros agentes prisionais e policiais. Portanto, também levo em consideração a participação dos agentes sociais citados acima, como figuras que percorrem todo universo prisional, através de posturas, decisões, ações e reações no interior do espaço do cárcere que através da pesquisa de campo, mostraram-se significativos para a análise.
10

As representações da homossexualidade feminina na esfera pública virtual

Costa, Vera Teresa Spcht da January 2008 (has links)
A homossexualidade feminina tem, na atualidade, maior visibilidade nos espaços midiáticos num processo indicativo de mudanças acerca do tema que emerge da intimidade para o debate na esfera pública. Esse processo mobiliza questionamentos na sociedade sobre normalidade e anormalidade das orientações sexuais bem como de suas representações sociais. Verificar, compreender e examinar como as lésbicas utilizam a comunicação mediada por computador é o objetivo deste trabalho que se detém na análise das narrativas para avaliar a interação comunicacional, as redes de socialidade e solidariedade e a afirmação identitária. Neste percurso são vistos a atuação individual e do movimento lésbico por mudanças nos direitos de cidadania dentro da esfera pública virtual: o ciberespaço. / The visibility of woman homossexuality on media space indicates a changing process about this theme on public shpere. This fact sets questions about normality and abnormality of sexual orientations and also about the lesbians' social representations. Verifying ,understanding and examine how those women use the computer-mediated communication is the purpose of this study. Narrative analyses are the method used to evaluate the communicational interaction, the lesbian identity and the lesbian movement actions in the changing process citizenship in the virtual public shpere: the cyberspace.

Page generated in 0.1262 seconds