• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 460
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 1
  • Tagged with
  • 467
  • 467
  • 253
  • 114
  • 100
  • 71
  • 67
  • 64
  • 63
  • 63
  • 59
  • 59
  • 58
  • 54
  • 54
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
21

Infecções hospitalares em pediatria : a importância dos vírus respiratórios como agentes destas enfermidades / Nosocomial infection childhood :the importance of respiratory viruses as agents of these diseases

Florêncio, Caroline Mary Gurgel Dias January 2014 (has links)
FLORÊNCIO, Caroline Mary Gurgel Dias. Infecções hospitalares em pediatria : a importância dos vírus respiratórios como agentes destas enfermidades. 2014. 120 f. Dissertação (Mestrado em Microbiologia Médica) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2014. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-10-30T13:08:45Z No. of bitstreams: 1 2014_dis_cmgdflorêncio.pdf: 1430616 bytes, checksum: cf52f30e3fb287570c959f05b1ad89ea (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-10-30T13:09:15Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_dis_cmgdflorêncio.pdf: 1430616 bytes, checksum: cf52f30e3fb287570c959f05b1ad89ea (MD5) / Made available in DSpace on 2014-10-30T13:09:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_dis_cmgdflorêncio.pdf: 1430616 bytes, checksum: cf52f30e3fb287570c959f05b1ad89ea (MD5) Previous issue date: 2014 / Nosocomial infections (NI) are a serious public health problem. Knowledge about the etiology of NI is important for the development of control measures, prevention and treatment. Viruses are important etiologic agent of NI has been studied in populations considered at risk as premature, heart disease, lung disease, and immunosuppressed. Respiratory hospital infection (RHI) generate discomfort to patients, postponing medical interventions, postoperative complications, use more drugs and, in some cases, intensive care, may progress to cure or to death. Viruses are responsible for outbreaks of RHI in wards and intensive care units, with the virus as detected respiratory syncytial virus. In our country there are few data on the impact of RHI caused by respiratory viruses in children. Aims of the study were: identify and describe RHI cases in children and submit nasopharyngeal aspirates collected from January to December 2013 to search for molecular diagnosis 13 respiratory viruses [respiratory syncytial virus (RSV), adenovirus, influenza A and B, parainfluenza virus -1 ,-2 , -3 and -4 , metapneumovirus and human coronavirus OC43 , NL63 , 229E and HKU - 1]. During the study period, 120 samples were included in the study and 65 % were positive for at least one virus. A total of 114 viruses were detected (33 RSV, 32 adenovirus, 14 Parainfluenza -3, 14 influenza A , 12 Parainfluenza -4 , 5 parainfluenza -1 , 3 metapneumovirus and 1 coronavirus OC43). Co-detections occurred in 26 cases: 16 with two viruses and 10 with three viruses. No clinical differences between positive and negative RHI for viruses investigated were observed. Respiratory virus were detected in four of five deaths (5/120 4.16%) associated RHI. The knowledge about the occurrence of viral RHI in association with the period of viruses circulation in the community, as described in the study, allows to develop specific actions steps to prevent and control hospital outbreaks caused by viruses. / As infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) são um sério problema de saúde pública. O conhecimento sobre a etiologia das IRAS é importante para o desenvolvimento de medidas de controle, prevenção e tratamento. A importância dos vírus na etiologia das IRAS tem sido estudada em populações consideradas de risco, como prematuros, cardiopatas, pneumopatas e imunodeprimidos. As infecções respiratórias hospitalares (IRH) geram aos pacientes desconforto, adiamento de intervenções médicas, complicações pós-cirúrgicas, uso adicional de medicamentos e, em alguns casos, cuidados intensivos, podendo cursar para a cura ou para o óbito. Os vírus são responsáveis por surtos de IRH em enfermarias e unidades de terapia intensiva, sendo o vírus sincicial respiratório o mais detectado. Em nosso país são escassos os dados sobre o impacto das IRH causadas por vírus respiratórios em pediatria. Os objetivos deste estudo foram: identificar e descrever os casos de IRH em crianças e submeter aspirados de nasofaringe coletados no período de janeiro a dezembro de 2013 ao diagnóstico molecular para pesquisa de 13 vírus respiratórios [vírus sincicial respiratório (VSR), adenovírus, influenza A e B, parainfluenza 1, 2, 3 e 4, metapneumovírus e coronavírus humanos OC43, NL63, 229E e HKU-1]. Para tanto, as amostras foram extraídas para obtenção do material genético viral e, posteriormente, para os vírus de RNA, parte deste produto foi transformada em DNA complementar e depois a amplificado. Para detecção do adenovírus, foram realizados PCR e Nested PCR. No período de estudo, 120 amostras foram incluídas e 65% delas foram positivas para pelo menos um vírus. Um total de 114 vírus foram detectados (33 VSR; 32 adenovírus; 14 parainfluenza-3; 14 influenza A; 12 parainfluenza-4; 5 parainfluenza-1; 3 metapneumovírus e 1 coronavírus OC43). Co-detecções ocorreram em 26 casos: 16 com dois vírus e 10 com três vírus. Não foram observadas diferenças clínicas entre as IRH positivas e negativas para os vírus pesquisados. Vírus respiratórios foram identificados em quatro dos cinco casos de óbito (4,16%; 5/120) associados à IRH. O conhecimento sobre a ocorrência da IRH virais em associação com o período de circulação dos vírus na comunidade, como descrito no estudo, permite desenvolver ações específicas de medidas para prevenir e controlar surtos hospitalares causados pelos vírus.
22

Incidência de infecção nosocomial causada por vírus respiratórios em uma unidade de cuidados intensivos e semi-intensivos neonatal.

GADELHA, C. S. E. 30 August 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T15:34:51Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_5886_.pdf: 1227481 bytes, checksum: 00a7fd1f913d658a778d00619c74b93a (MD5) Previous issue date: 2012-08-30 / O neonato, especialmente aquele nascido antes do termo, é mais suscetível às infecções. Existem poucos dados publicados sobre as infecções virais nosocomiais. no período neonatal e estes apresentam resultados discordantes. Objetivos: Determinar a incidência de infecção viral nosocomial em neonatos internados em uma unidade de terapia intensiva (UTI) e semi-intensiva, em Vitória, ES e realizar vigilância clínica quanto ao aparecimento de sintomas sugestivos desta infecção viral. Métodos: Trata-se de um estudo de coorte, prospectivo, com duração de 13 meses, realizado de novembro de 2010 a dezembro de 2011. Todos os neonatos internados na UTI neonatal do Hospital Universitário Cassiano Antônio Morais (HUCAM) no período do estudo foram submetidos a acompanhamento clínico e coleta semanal de secreção de nasofaringe (SNF), até a alta da unidade. Foram pesquisados 15 diferente vírus através de Imunofluorescência indireta (RIFI) e Reaçao em cadeia de polimerase (PCR) no formato multiplex. Resultados: 114 neonatos foram incluídos, sendo deles obtidas 424 amostras de SNF. Todas as amostras foram testadas por RIFI e 51 por PCR. Vinte e seis neonatos (22,8%) apresentaram suspeita clínica de infecção viral nosocomial. Em nove pacientes foi detectado algum vírus respiratório, sendo em quatro (3,5%) Vírus sincicial respiratório (VSR), em três ( 2,6%) Rinovírus (HRV) e em dois (1,7%), Influenza A (FLU A). Dois pacientes estavam assintomáticos. A incidência de infecção viral nosocomial foi de 7,8%. Encontramos uma baixa correlação entre a suspeita clínica de infecção viral e a detecçao do vírus laboratorilamente. Conclusões: A incidência encontrada foi compatível com as características da unidade estudada e resultado de um esforço permantente para profilaxia e educação continuada. Considerando a dificuldade de diagnóstico clínico preciso no período neonatal, ressaltamos a importância do diagnóstico laboratorial dessas viroses nesse período. PALAVRAS CHAVES: Infecção Hospitalar; Vírus, Recém-nascidos
23

Métodos de vigilância epidemiológica de infecções hospitalares utilizados pelos hospitais de Porto Alegre

Daltoé, Tiago January 2008 (has links)
Introdução As infecções associadas a serviços de saúde (IASS) representam maior morbi-mortalidade, custo e contribuem em até 50% dos óbitos hospitalares. Serviços de Controle de Infecções Hospitalares (SCIH) possuem papel-chave na promoção da segurança dos usuários dos serviços de saúde visto que a realização de ações de vigilância de IASS é de extrema importância no auxílio do processo de tomada de decisão no cuidado dos pacientes Objetivo O presente estudo objetiva caracterizar o dimensionamento e atividades realizadas pelos SCIH dos hospitais de Porto Alegre além de identificar as metodologias utilizadas por esses serviços. Métodos Os dados foram obtidos através da aplicação de um questionário semi-estruturado, pré-codificado aos responsáveis pelos Serviços de Controle de Infecção durante um estudo transversal no qual foram visitados os 25 hospitais de Porto Alegre entre os meses de Março e Junho de 2008. Resultados Foram identificados 3 hospitais que realizavam vigilância de IASS pelo método global, 19 que realizavam o método de vigilância por componentes e 3 que não realizavam qualquer método de vigilância de maneira sistemática. Nenhum dos 19 hospitais que utilizavam a metodologia por componentes realizava estudos de prevalência periódicos fato que impossibilita que estes hospitais conheçam a própria realidade em relação à ocorrência de IASS. Da mesma forma, foram identificados hospitais com dificuldade de adequar suas atividades de vigilância às suas características assistenciais, o que fica evidente pelo fato de que apenas 30% dos hospitais cirúrgicos realizavam vigilância de infecções de sítio cirúrgico e 20% desses realizavam vigilância de infecções relacionadas a cateteres venosos centrais. Os hospitais apresentavam características de alto grau de especialização, entretanto mais da metade dos SCIH (52%) encontravam-se subdimensionados em relação à legislação vigente, muitas vezes não realizando processos de vigilância consagrados na literatura e tendo profissionais que dedicavam parcela substancial de seu tempo a atividades não diretamente relacionadas aos objetivos dos serviços. Conclusões Considerando a vigilância epidemiológica das IASS como o componente central de serviços de controle de infecção, os achados do presente estudo evidenciam a necessidade de adoção de estratégias de fortalecimento das metodologias utilizadas e da capacitação dos profissionais de saúde dos SCIH. Assim, além de levantar um cenário de inadequação à legislação vigente, os resultados do presente estudo sugerem necessidade de revisão dos requisitos legais que regem a formação dos SCIH no Brasil. / Background The health services associated infections represents higher morbi-mortality and can be related to 50% of hospital deaths. Infection control services (ICS) have a central role in the patient’s security because the surveillance actions are very important to support the decision process during the care of patients. Objective The present study aims to characterize the dimension and activities done by the Infection control services (ICS) in Porto Alegre, and moreover, identify the methodologies used by these services. Methods Data were collected by a semi-structured, pre-coded questionnaire that was applied to the ICS coordinators during a cross-sectional study in which were visited all the 25 hospitals in Porto Alegre. The study took place between March and June in 2008. Results There were 3 hospitals that realized health care associated infection surveillance in a hospital wide basis, 19 hospitals realized surveillance by components and 3 hospitals did not realized any method of surveillance in a systematic way. Of the 19 hospitals that realized surveillance by components none of them used to make periodic prevalence studies fact that prevents hospitals to know their own reality on healthcare-associated infections. In the same way there was hospitals that did not realized surveillance activities related to its population characteristics, for example, only 30% of de surgical hospitals realized surgical site infections surveillance and 20% of them realized central venous catheter infection surveillance. The hospitals showed high degree of specialization however a great number of ICS were under-dimensioned in order to comply with the actual legislation, not performing some process supported by the literature and with professionals that employed a significant amount of their time with activities not related to service's objectives. Conclusions Considering the health care associated infections surveillance as a central issue in ICS, the study shows that the ICS should adopt strategies to reinforce its methodologies as well as should provide professionals training. Therefore besides of disclose a picture of inadequacy to legislation, the data showed suggests the need of review legal requirement that regulate the ICS in Brazil.
24

Epidemiologia e fatores de riscos para acidentes ocupacionais com perfurocortante: estudo tipo caso-controle

Santos, Joana Darc dos 16 December 2005 (has links)
Background The prevention of needlestick injury in health-care personnel (HCP) have been considered as a public health issue. Objective To know the risk factors for needlestick injury with HCP in a Brazilian hospital. Methods This study was conducted in a tertiary care public university hospital in Uberlândia, southeast of Brazil. The data was collected by anamnesis, State-Trait Anxiety Inventory (STAI) and the Beck Depression Inventory (BDI). Results Seventy cases of needlestick injury with 69 HCPs were registered. The mean age was 38.5 years-old. For the control-case study, 13 were excluded. There was difference between anxiety in the cases and in the control-case (p=0.00011), with moderate anxiety more prevalent in the cases (p = 0.000061; odds ratio = 6.25). There were more HPCs with normal depression among the control group (79.6%) than in the cases group (46.3%) (p = 0.00083; odds ratio = 4.53) Conclusions These accidents occur mainly with female and with assistant nurse; the hands, mainly the fingers, are more affected; most occur with needles; in the departments that attend patients; the risk factors are: pain related to the job and, mainly, anxiety and depression. / Introdução A prevenção da exposição acidental por meio do sangue entre profissionais da saúde é considerada uma questão de saúde pública. Objetivo Conhecer fatores de risco para acidentes ocupacionais com material perfurocortante com profissionais da saúde. Métodos Este estudo foi conduzido no Hospital de Clínicas de Uberlândia (HCU), um hospital universitário público com cuidados a nível terciário localizado na cidade de Uberlândia, sudeste do Brasil. Os dados foram coletados por meio de três instrumentos: um questionário, o inventário de ansiedade (IDATE), e o inventário de depressão (BECK). Resultados Foram registrados 70 casos de ferimentos com perfurocortantes com 69 profissionais de saúde. A média de idade foi de 38,5 anos. No estudo de caso-controle, 13 casos foram excluídos. Houve diferença quanto ao grau de ansiedade entre os casos e controle (p=0.00011), com ansiedade moderada mais prevalente nos casos (p = 0.000061; odds ratio = 6.25). Houve mais profissionais da saúde com depressão normal entre os controles (79.6%) do que entre os casos (46.3%) (p = 0.00083; odds ratio = 4.53). Conclusão Os acidentes: ocorrem principalmente, com pessoas do sexo feminino e com auxiliares/técnicos de enfermagem; acometem principalmente as mãos, sobretudo os dedos; ocorrem mais frequentemente com agulhas, em locais que atendem pacientes. São fatores de risco: sentir dor física durante o trabalho e, principalmente, ser ansioso e/ou deprimido. / Mestre em Ciências da Saúde
25

Síntese, caracterização e o estudo do efeito de nanopartículas de CoFe2O4@Ƴ-Fe2O3 em bactérias patogênicas

Costa, Fábio Teles January 2013 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade UnB de Planaltina, Programa de Pós-Graduação em Ciência de Materiais, 2013. / Submitted by Alaíde Gonçalves dos Santos (alaide@unb.br) on 2013-10-22T12:21:25Z No. of bitstreams: 1 2013_FabioTelesCosta.pdf: 4021538 bytes, checksum: b17e9acb686629896ff7252170be0a3a (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2013-10-22T12:40:20Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_FabioTelesCosta.pdf: 4021538 bytes, checksum: b17e9acb686629896ff7252170be0a3a (MD5) / Made available in DSpace on 2013-10-22T12:40:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_FabioTelesCosta.pdf: 4021538 bytes, checksum: b17e9acb686629896ff7252170be0a3a (MD5) / A escassez de novas ferramentas para o controle dos agentes microbianos responsáveis por infecções humanas consiste em um grande desafio. Muitas pesquisas têm sido realizadas na busca e caracterização de novas tecnologias que possuam ações antimicrobianas para a criação de modelos promissores de novos fármacos. As Infecções relacionadas à Assistência à Saúde (IrAS), são causadas por uma grande variedade de microrganismos, principalmente, bactérias e em ambientes hospitalares. Entretanto, estas bactérias podem ser encontradas em todos os locais onde há assistência ao paciente, envolvendo sistemas de não internação, como enfermarias, ambulatórios e consultórios, manifestando-se durante a internação ou até mesmo após a alta e podendo se relacionar com a internação ou com procedimentos hospitalares. Neste sentido os nanomateriais constituem um amplo campo de descobertas para novas tecnologias, que possam ser utilizadas como ferramentas para a produção de novos compostos, que possam atuar no controle de infecções hospitalares. Dessa forma, esse trabalho apresenta a síntese de um colóide magnético aquoso ácido (pH=3) à base de nanopartículas de CoFe2O4@?-Fe2O3, com diâmetro médio de 9,5 nm, analisado por difração de raios-x e por micorscopia eletrônica de transmissão. Esse coloide, também foi utilizado em bioensaios contra bactérias patogênicas e sua atividade antimicrobiana foi avaliada. O colóide, na forma aquosa, não apresentou atividade contra os patógenos Escherichia coli e a Staphylococcus aureus. Diferentemente, o pó de partículas, adquirido ápos a secagem do colóide, apresentou-se efetivo contra a bactéria patogênica humana E. coli e a S. aureus. Contudo, os resultados apresentados nesse trabalho mostram o potencial desse material nanoestruturado na produção de uma ferramenta que possa gerar a redução dos danos causados por infecções hospitalares. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT / The shortage of new tools for the control of microbial agents responsible for human infections consists of a great challenge. Many researches have been conducted in the search and characterization of new technologies that have antimicrobial actions for creating models of promising new drugs. Infections related to Health Assistance (IrHA) are caused by a variety of microorganisms, mainly bacteria in hospital settings. However, these bacteria can be found in all places where there are patient care, involving systems of no hospitalization, as wards, outpatient clinics, manifesting during hospitalization or even after discharge, and may relate to the hospitalization or with hospital procedures. In this sense nanomaterials constitute a wide field for discoveries of new technologies that can be used as tools for the production of new compounds that may act to control nosocomial infections. Thus, this work presents the synthesis of a magnetic colloid aqueous acid (pH = 3) based on nanoparticles CoFe2O4@?- Fe2O3, with an average diameter of 9.5 nm analyzed by x-ray diffraction and microscopic electron transmission. This colloid was also used in bioassays against pathogenic bacteria and antimicrobial activity was evaluated. The colloid, in liquid form, didn't present activity against the pathogens Escherichia coli and Staphylococcus aureus. Differently, the powder particles, obtained after drying the colloid, was presented as effective against human pathogenic bacteria E. coli and S. aureus. However, the results presented in this study show the potential of this nanostructured material can generate the possibility of reducing the damage caused by hospital infections.
26

Análise bioética das ações de prevenção e controle das infecções hospitalares

Oliveira, Solange de Lima Torres 03 August 2010 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, 2010. / Submitted by Allan Wanick Motta (allan_wanick@hotmail.com) on 2011-05-11T19:25:29Z No. of bitstreams: 1 2010_SolangeDeLimaTorresOliveira.pdf: 541097 bytes, checksum: 627dd81627eac8a1cea72074338233bd (MD5) / Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2011-05-13T13:02:09Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_SolangeDeLimaTorresOliveira.pdf: 541097 bytes, checksum: 627dd81627eac8a1cea72074338233bd (MD5) / Made available in DSpace on 2011-05-13T13:02:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_SolangeDeLimaTorresOliveira.pdf: 541097 bytes, checksum: 627dd81627eac8a1cea72074338233bd (MD5) / Esse estudo analisa, sob o ponto de vista da bioética, as ações para a prevenção e controle das infecções hospitalares. Discute que as abordagens bioéticas que se referem às práticas dos profissionais de saúde ou da gerência institucional identificam apenas parcialmente o conflito bioético existente e promovem somente a capacitação técnica do profissional ou soluções de caráter gerencial como a forma de encaminhamento de tais conflitos. Analisa também que as aproximações que consideram o papel do Estado frente aos problemas éticos apresentados o fazem com um viés institucionalista. Enfatizando que essas abordagens não conformam uma visão completa da realidade, por negligenciarem a atuação do Estado em seu papel ativo na definição das políticas sociais e de saúde; utiliza a fundamentação teórica da Bioética de Intervenção para ressaltar ser o Estado uma estrutura de poder que deve intervir na esfera socioeconômica para garantir os direitos de cidadania. Concluindo, o estudo considera que essa abordagem pela Bioética de Intervenção, que discute a realidade das políticas públicas onde as práticas individuais e o gerenciamento do sistema assistencial estão inscritos, deve ser o ponto de partida onde devem se situar as análises bioéticas sobre as relações gerenciais institucionais e as ações individuais para a prevenção e controle das infecções hospitalares. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT / This study analyzes the actions of hospital infection control and prevention from the point of view of bioethics. It argues that bioethical approaches that refer to the practice of health care professionals or institutional management alone identify the bioethical conflict at hand only partially, merely promoting technical training of the professionals or solutions of a managerial character. It also analyzes the approaches that consider the role of the State regarding these ethical problems with an institutionalist bias. It concludes that these approaches do not make up a complete view of reality because they neglect the action of the State in its active role in the definition of social and health care policies. It does so utilizing Bioethics of Intervention to highlight the fact that the State is a structure of power that ought to intervene in the socioeconomic sphere to guarantee citizenship rights. Hence, this study argues that the Bioethics of Intervention approach, which discusses the reality of public policies in which individual and management practices are embedded, ought to be the starting point for bioethical analyses about institutional management relations as well as individuals' actions towards the control and prevention of hospital infections.
27

Estudo de pacientes com paracoccidioidomicose e a co-infecção paracoccidioidomicose HIV / aids, assistidos no Hospital Universitário de Brasília entre 1984 e 2005

Campos, Maria Vitoria Silva 05 April 2006 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2006. / Submitted by Jaqueline Ferreira de Souza (jaquefs.braz@gmail.com) on 2011-05-24T14:12:46Z No. of bitstreams: 1 2006_MariaVitoriaSilvaCampos.pdf: 12681874 bytes, checksum: 98c4647a99eb0f2f236684b926c404ea (MD5) / Approved for entry into archive by Jaqueline Ferreira de Souza(jaquefs.braz@gmail.com) on 2011-05-24T14:13:01Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2006_MariaVitoriaSilvaCampos.pdf: 12681874 bytes, checksum: 98c4647a99eb0f2f236684b926c404ea (MD5) / Made available in DSpace on 2011-05-24T14:13:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2006_MariaVitoriaSilvaCampos.pdf: 12681874 bytes, checksum: 98c4647a99eb0f2f236684b926c404ea (MD5) / A paracoccidioidomicose é a micose sistêmica mais importante no Brasil, apresentando morbidade relacionada à atividade da doença e às possíveis seqüelas. É a oitava causa de óbito por doenças infecto-parasitárias crônicas no país. A pandemia da infecção pelo HIV / aids tem modificado o perfil de várias doenças infecciosas, entre as quais possivelmente a paracoccidioidomicose. Essa série de casos avaliou as características clínico-epidemiológicas dos pacientes com paracoccidioidomicose e a co-infecção paracoccidioidomicose HIV / aids, assistidos no Hospital Universitário de Brasília, no período entre 1984 e 2005. Foram estudados 76 pacientes com paracoccidioidomicose, dos quais cinco apresentavam a co-infecção pelo HIV / aids. O gênero masculino representou 82,89% dos pacientes (p<0,0001). A média de idade foi 42 anos e a mediana foi 43,5 anos (DP: 15,25). O sistema pulmonar e a mucosa orofaríngea foram comprometidos na mesma freqüência, 55,26%, predominando nas formas crônicas (p=0,0005 e p<0,0001, respectivamente). O comprometimento linfonodal ocorreu em 42,11% dos pacientes, predominando nas formas agudas ou subagudas (p=0,0002). A frequência de lesões laríngeas foi 19,74% e de lesões cutâneas 21,05%. O comprometimento intra-abdominal ocorreu em 57,9% e 7,02% das formas agudas ou subagudas e crônicas, respectivamente. A adenomegalia mediastinal com aspecto tumoral foi observada em 4 pacientes. A forma aguda ou subaguda representou 22,54% dos 71 pacientes sem co-infecção pelo HIV / aids. As formas graves, moderadas e leves da paracoccidioidomicose representaram, respectivamente, 68,42%, 26,32% e 5,26% dos pacientes com a forma aguda ou subaguda. Considerando-se a forma crônica, as formas graves, moderadas e leves corresponderam a 7,08%, 52,63% e 40,35% dos pacientes, respectivamente. Os pacientes não procedentes do Distrito Federal corresponderam a 57,33% da população estudada. Houve casos de paracoccidioidomicose provavelmente autóctones do Distrito Federal, a julgar pelos dados epidemiológicos. Atividade agrária atual ou pregressa foi relatada por 54,93% de 71 pacientes. O tabagismo (87,04%) e etilismo (55,32%) foram freqüentes entre os pacientes com a forma crônica para os quais dispúnhamos dessas informações. 27,63% dos pacientes apresentaram paracoccidioidomicose recidivante. O exame sorológico para o HIV foi realizado em 34,21% dos pacientes. Dos cinco pacientes com a co-infecção pelo HIV / aids quatro eram do gênero masculino. Os três pacientes com a forma aguda ou subaguda da paracoccidioidomicose (dois homens e uma mulher) apresentaram a forma disseminada da doença, imunodepressão acentuada e outras co-morbidades relacionadas à aids, tendo evoluído para o óbito. Os dois pacientes com a forma crônica da paracoccidioidomicose evoluíram com aumento da contagem de linfócitos CD4 e apresentaram boa resposta ao tratamento da paracoccidioidomicose e das infecções oportunistas associadas. É necessário manter a atenção para a possibilidade do diagnóstico da paracoccidioidomicose, entre pacientes imunocompetentes e deprimidos. Os casos de co-infecção paracoccidioidomicose HIV / aids devem ser relatados, a fim de se avaliar a real magnitude e as características dessa condição. ________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Paracoccidioidomycosis is the most important deep mycosis in Brazil. It's morbidity is related to the disease´s activity and to possible sequelae. It's the eighth most common cause of death through chronic infectious and parasitic diseases. Human immunodeficiency virus infection and aids have modified the behavior of other infectious diseases – maybe this is true for paracoccidioidomycosis. This study analyzed clinical and epidemiologic characteristics of paracoccidioidomycosis and paracoccidioidomycosis associated to HIV / aids patients, admitted to the University Hospital of Brasília, from 1984 to 2005. 76 patients with paracoccidioidomycosis were studied, of whom five presented the co-infection by HIV / aids. Male gender represented 82,89% of patients (p<0,0001). The average age was 42 years and median was 43,5 years (SD = 15,25). Lung and oral mucous membrane involvement were found in similar frequency (55,26%), and were more common in chronic forms (p=0,0005 and p<0,0001, respectively). Lymph node involvement was verified in 42,11% of patients, being more prevalent in acute or subacute forms (p=0,0002). Laryngeal lesions were observed in 19,74% and cutaneous lesions in 21,05%. Intraabdominal lesions were observed in 57,9% and 7,02% of patients of acute or subacute and chronic forms, respectively. Tumoral form of hilar adenopathy was seen in four patients. 22,53% of 71 patients (without co-infection with HIV / aids) belonged to acute or subacute form of paracoccidioidomycosis. Severe, moderate and mild forms of paracoccidioidomycosis accounted for 68,42%, 26,32% and 5,26% of acute or subacute form patients. In respect to chronic form, severe, moderate and mild forms represented 7,08%, 52,63% and 40,35% of patients. Patients that do not proceed from Distrito Federal accounted for 57,33% of studied population. Some cases of paracoccidioidomycosis were probably autochthonous from Distrito Federal, according to epidemiologic data. Engagement in rural activities (54,93%), tobacco (87,04%) and alcohol (55,32%) consumption were frequent in those patients whose data were available. Paracoccidioidomycosis was recurrent in 27,63% of patients. Sorologic testing for HIV was performed in 34,21% of patients. Paracoccidioidomycosis was associated with HIV infection / aids in five patients, and four of them were men. The three patients with acute or subacute form (two men and one woman) had the disseminated disease and pronounced immunosuppression, besides other morbidities commonly related to aids, and evolved to death. The two patients with chronic 112 form of paracoccidioidomycosis improved after paracoccidioidomycosis and opportunistc infections treatment, and accomplished higher CD4 values. It is necessary to be aware of diagnosis of paracoccidioidomycosis, when considering immunocompetent and immunocompromised patients. Paracoccidioidomycosis HIV / aids association must be reported, in order to better understand it's magnitude and features.
28

Métodos de vigilância epidemiológica de infecções hospitalares utilizados pelos hospitais de Porto Alegre

Daltoé, Tiago January 2008 (has links)
Introdução As infecções associadas a serviços de saúde (IASS) representam maior morbi-mortalidade, custo e contribuem em até 50% dos óbitos hospitalares. Serviços de Controle de Infecções Hospitalares (SCIH) possuem papel-chave na promoção da segurança dos usuários dos serviços de saúde visto que a realização de ações de vigilância de IASS é de extrema importância no auxílio do processo de tomada de decisão no cuidado dos pacientes Objetivo O presente estudo objetiva caracterizar o dimensionamento e atividades realizadas pelos SCIH dos hospitais de Porto Alegre além de identificar as metodologias utilizadas por esses serviços. Métodos Os dados foram obtidos através da aplicação de um questionário semi-estruturado, pré-codificado aos responsáveis pelos Serviços de Controle de Infecção durante um estudo transversal no qual foram visitados os 25 hospitais de Porto Alegre entre os meses de Março e Junho de 2008. Resultados Foram identificados 3 hospitais que realizavam vigilância de IASS pelo método global, 19 que realizavam o método de vigilância por componentes e 3 que não realizavam qualquer método de vigilância de maneira sistemática. Nenhum dos 19 hospitais que utilizavam a metodologia por componentes realizava estudos de prevalência periódicos fato que impossibilita que estes hospitais conheçam a própria realidade em relação à ocorrência de IASS. Da mesma forma, foram identificados hospitais com dificuldade de adequar suas atividades de vigilância às suas características assistenciais, o que fica evidente pelo fato de que apenas 30% dos hospitais cirúrgicos realizavam vigilância de infecções de sítio cirúrgico e 20% desses realizavam vigilância de infecções relacionadas a cateteres venosos centrais. Os hospitais apresentavam características de alto grau de especialização, entretanto mais da metade dos SCIH (52%) encontravam-se subdimensionados em relação à legislação vigente, muitas vezes não realizando processos de vigilância consagrados na literatura e tendo profissionais que dedicavam parcela substancial de seu tempo a atividades não diretamente relacionadas aos objetivos dos serviços. Conclusões Considerando a vigilância epidemiológica das IASS como o componente central de serviços de controle de infecção, os achados do presente estudo evidenciam a necessidade de adoção de estratégias de fortalecimento das metodologias utilizadas e da capacitação dos profissionais de saúde dos SCIH. Assim, além de levantar um cenário de inadequação à legislação vigente, os resultados do presente estudo sugerem necessidade de revisão dos requisitos legais que regem a formação dos SCIH no Brasil. / Background The health services associated infections represents higher morbi-mortality and can be related to 50% of hospital deaths. Infection control services (ICS) have a central role in the patient’s security because the surveillance actions are very important to support the decision process during the care of patients. Objective The present study aims to characterize the dimension and activities done by the Infection control services (ICS) in Porto Alegre, and moreover, identify the methodologies used by these services. Methods Data were collected by a semi-structured, pre-coded questionnaire that was applied to the ICS coordinators during a cross-sectional study in which were visited all the 25 hospitals in Porto Alegre. The study took place between March and June in 2008. Results There were 3 hospitals that realized health care associated infection surveillance in a hospital wide basis, 19 hospitals realized surveillance by components and 3 hospitals did not realized any method of surveillance in a systematic way. Of the 19 hospitals that realized surveillance by components none of them used to make periodic prevalence studies fact that prevents hospitals to know their own reality on healthcare-associated infections. In the same way there was hospitals that did not realized surveillance activities related to its population characteristics, for example, only 30% of de surgical hospitals realized surgical site infections surveillance and 20% of them realized central venous catheter infection surveillance. The hospitals showed high degree of specialization however a great number of ICS were under-dimensioned in order to comply with the actual legislation, not performing some process supported by the literature and with professionals that employed a significant amount of their time with activities not related to service's objectives. Conclusions Considering the health care associated infections surveillance as a central issue in ICS, the study shows that the ICS should adopt strategies to reinforce its methodologies as well as should provide professionals training. Therefore besides of disclose a picture of inadequacy to legislation, the data showed suggests the need of review legal requirement that regulate the ICS in Brazil.
29

Uso da chupeta por lactentes hospitalizados e fatores de risco para diarréia nosocomial

Cunha Schechtman Sette, Gabriela 31 January 2010 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:13:28Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1485_1.pdf: 761439 bytes, checksum: 301b8609fad3e091063e47e0341c1a9d (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2010 / INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROF FERNANDO FIGUEIRA / Introdução - A maioria dos patógenos que causam diarréia é transmitida pela via fecal-oral e o risco pode ser mais elevado nos lactentes hospitalizados devido à facilidade de contato entre os pacientes, através das mãos contaminadas dos familiares e dos profissionais de saúde. A chupeta semelhante aos bicos de mamadeira parece constituir uma fonte potencial de contaminação para a criança adquirir diarréia infecciosa nosocomial. Objetivos - Determinar a incidência de diarréia nosocomial (DN) em lactentes que fazem uso ou não de chupeta, identificar os fatores de risco associados à doença e verificar a existência de contaminação fecal na chupeta dos lactentes hospitalizados. Método Estudo tipo coorte prospectiva de 378 lactentes hospitalizados nas enfermarias de pediatria clínica do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira, Recife-PE, no período de abril a outubro de 2009. Pacientes expostos ou não ao uso da chupeta com possíveis fatores de risco descritos na literatura foram acompanhados ao longo do internamento quanto à ocorrência de diarréia nosocomial diagnosticada segundo critérios do National Nosocomial Infection Surveillance System/Centers for Disease Control and Prevention (NISS/CDC) ou até saída. Resultados Durante os 7 meses do estudo foram diagnosticados 33 episódios de DN com incidência cumulativa e densidade de incidência de 8,7% e 11,25/1000 pacientes-dia, respectivamente. As crianças que usaram chupeta apresentaram incidência de DN de 8,2%, quando comparadas com as que não usaram (9,2%), não apresentando risco estatisticamente significante (OR = 0,88; IC95% 0,43-1,80) na análise bivariada controlada pelo tempo de permanência. Na análise multivariada onde foram incluídas as variáveis que na bivariada apresentaram associação p&#8804; 0,20 além do uso da chupeta e da vacina contra rotavírus pela plausibilidade biológica foi obtido o seguinte resultado: ser amamentado durante a hospitalização (OR = 0,40; IC95% 0,17-0,93) e cada dia de permanência na enfermaria (OR = 0,65; IC95% 0,53-0,80) foram fatores de proteção, enquanto os fatores de risco estiveram associados ao maior número de dias de uso de oxigênio por cateter nasal (OR = 1,61; IC95% 1,18-2,20) e de antimicrobianos (OR = 1,62; IC 95% 1,34-1,94). Foram isolados coliformes fecais em 16% (27/169) das amostras colocadas em cultivo e cerca de ¾ das positivas (77,8%) apresentou mais de 100.000 UFC/ml por chupeta. Conclusões O uso de chupeta por lactentes não esteve associado à diarréia nosocomial, embora tenha sido observada contaminação fecal nas amostras colocadas em cultivo. O maior número de dias de uso de antimicrobianos foi fator de risco para a ocorrência da doença, havendo necessidade de avaliação rigorosa quanto à indicação e à duração do uso de antimicrobianos. O maior número de dias de utilização de oxigenoterapia por cateter nasal foi considerado fator de risco para o desfecho, estando provavelmente associado à manipulação do cateter pela mãe e/ ou profissional de saúde, durante a instalação e manutenção do mesmo em crianças clinicamente graves com instabilidade hemodinâmica
30

Análise proteômica de plasma de pacientes com infecção pulmonar associada à ventilação mecânica

Costa, Lucianna Auxi Teixeira Josino da 28 October 2016 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-30T00:12:07Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2016-10-28 / Although Ventilator-Associated Pneumonia (VAP) is associated with high prevalence and mortality. Risk factors added to the clinical situation help to suggest it, but not confirmed. The microbiological study improves the diagnostic accuracy and helps in the treatment, but there is not always bacterial or fungal growth. A plasm protein profile would help the diagnosis of patients with ventilator-associated pneumonia (VAP). Fifty patients were enrolled resulting in 14 with the diagnosis of VAP and 36 with Complication Ventilator-Associated Complication, VAC. Three risk factors were associated with VAP, length permanence in ICU, Parenteral Nutrition Total (PNT) and the presence of multidrug-resistant bacteria to carbapenens. Totality, eleven proteins were identified by Mass Espectrometry,ESI-TOF, five only in patients and six expressed in different ways in both groups, patients and controls. Immunoglobulin free light chain Kappa, Serum Amyloid A1 / A2, C-Reactive Protein (CRP) and Cofactor heparin II were expressed in plasms of hospitalized patients with lung infection. The six others proteins, two were down-regulated in patients compared to controls: Apolipoprotein AII and Alpha 2 HS Glycoprotein. Four proteins were up-regulated in patients: Complement C9, Alpha 1 Acid Glycoprotein, Alpha 1 Antichymotrypsin and Leucine Rich in Alpha 2 Glycoprotein. The group where the tracheal aspirate showed fungal growth did not express the protein Alpha 2 HS Glycoprotein and Cofactor heparin 2. Furthermore, Leucine Rich in Alpha 2 Glycoprotein was higher in the group of fungi than the others, with ratio of 5.75. This is the first Brazilian research, as our knowledge, by analyzing proteomic techniques plasm of patients with ventilator-associated infection. Keywords: Proteomics analysis, VAP, ESI-TOF, Leucin Rich Alpha 2 Glycoprotein, Fungal disease. / Pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV) tem altas prevalência e mortalidade. Fatores de risco somados aos os dados clínicos ajudam a sugeri-la, porém não a confirmam. O estudo microbiológico aumenta a acurácia diagnóstica e contribui no tratamento, porém nem sempre há crescimento bacteriano ou fúngico. Um perfil proteico plasmático auxiliaria no diagnóstico dos pacientes com infecção associada à ventilação mecânica. Cinquenta pacientes foram seguidos resultando em 14 com o diagnóstico de PAV e 36 com Complicação Associada à Ventilação Mecânica, CAV. Três fatores de risco estavam associados com PAV, tempo de permanência aumentada em UTI, uso de Nutrição Parenteral Total (NPT) e presença de bactéria multirresistente aos Carbapenêmicos. Onze proteínas foram diferencialmente expressas por ESI-TOF, sendo cinco unicamente nos doentes e seis sendo expressas de maneiras diferentes nos dois grupos, doentes e sadios. Imunoglobulina de cadeia leve Kappa, Amiloide sérica A1/A2, Proteína C Reativa (PCR) e Cofator de Heparina 2 estavam expressas nos plasmas dos pacientes internados com infecção pulmonar. Das seis proteínas restantes, duas estavam down-regulated nos pacientes em relação aos controles: Apolipoproteína AII e Alfa 2 HS Glicoprotéina.Quatro proteínas estavam up-regulated nos doentes: Complemento C9,Alfa 1 Glicoproteína Ácida, Alfa 1 Antiquimiotripsina e Leucina Rica em Alfa 2 Glicoproteína. O grupo onde o aspirado traqueal mostrou crescimento fúngico não expressou as proteínas Alfa 2HS Glicoproteína e Cofator de Heparina 2. Glicoproteína alfa 2 rica em Leucina foi superior no grupo com fungos em relação aos demais, com razão de 5,75. Este é o primeiro trabalho brasileiro, até onde se tem conhecimento, que analisa por técnicas de proteômica (ESI-TOF), o plasma de pacientes com infecção pulmonar associada à ventilação mecânica. Palavras-chave: Análise proteômica, PAV, ESI-TOF, Glicoproteína Alfa 2 rica em Leucina, doença fúngica.

Page generated in 0.0502 seconds