• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 757
  • 40
  • 8
  • 3
  • 2
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 812
  • 364
  • 217
  • 157
  • 149
  • 130
  • 114
  • 101
  • 83
  • 68
  • 60
  • 58
  • 56
  • 55
  • 54
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
51

Relação entre a captação de 201-Tálio em repouso-redistribuição e a resposta contrátil à dobutamina : implicações sobreviabilidade em pacientes com doença coronária crônica e disfunção ventricular

Campos, Marcelo R. January 2001 (has links)
Resumo não disponível
52

Estudo morfológico do músculo sóleo de ratos na isquemia e reperfusão sob oxigenação hiperbárica / Morphologic study of soleus muscles of rats in the ischaemia/reperfusion and hyperbaric oxygen

Vidigal, João [UNIFESP] January 2005 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-12-06T23:44:26Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2005 / Centro de Estudos em Cirurgia Experimental (CEDITEC) / Objetivo: estudar o fenômeno de isquemia e reperfusão(I/R) de fibras musculares de músculo sóleo de ratos submetidos a períodos variáveis de oxigenação hiperbárica (OHB). Métodos: 56 ratos Wistar-EPM1 foram submetidos a isquemia do membro posterior esquerdo pela aplicação de torniquete que interrompeu a circulação sangüínea por seis horas. Após este período os animais foram submetidos à aplicação de OHB (100% de oxigênio sob duas atmosferas de pressão) por sessenta minutos. Os animais do GI(n= 14) não receberam a OHB, os do GII (n=14) receberam durante a última hora da isquemia, os do GIII (n= 14) na primeira hora da reperfusão e os do GIV(n=14) na última hora da isquemia e na primeira da reperfusão. O músculo sóleo foi retirado para processamento histológico (coloração por HE e imunohistoquímica) após quatro(fase precoce) e vinte e quatro horas (fase tardia) de reperfusão. Foram avaliados, sob os critérios de ausente, leve, moderado e acentuado, os parâmetros de edema intersticial, infiltrado de hemácias e neutrófilos entre as fibras musculares e necrose de fibra muscular. O índice de apoptose foi realizado pela expressão da caspase 3. Resultados: Os animais do GI mostraram lesões características da I/R com edema intersticial importante e infiltrado de hemácias na fase precoce. A presença de neutrófilos intersticiais e necrose foram características da fase tardia. A OHB mostrou-se benéfica na redução do edema intersticial na fase precoce e na fase tardia e com melhores resultados quando aplicada no período de I/R. O infiltrado de hemácias também foi menor na fase aguda quando a OHB foi aplicada e foi mais eficaz no período de I/R. O infiltrado leucocitário não respondeu com valores significantes na aplicação da OHB. A necrose de fibras foi beneficiada pela OHB na fase tardia e com resultados mais expressivos quando aplicada no período de I/R. O índice de apoptose não mostrou alterações estatisticamente significantes nas duas fases e em qualquer período de aplicação da OHB. Conclusões: o modelo de isquemia de seis horas provocou lesões de I/R e a aplicação da OHB mostrou-se benéfica em diminuir alguns dos parâmetros estudados, principalmente quando aplicada nos dois períodos (isquemia e reperfusão). A fibra muscular mostrou-se bastante resistente à necrose e o índice de apoptose não mostrou diferença quando da aplicação da OHB em relação aos animais que não a receberam. / Objective: to study the phenomenon of ischemia and reperfusion (I/R) of muscular fibers of soleus skeletal muscle of rats subjected to different periods of hyperbaric oxygenation (HBO). Methods: 56 Wistar-EPM1 rats were subjected to ischemia of the left posterior member by the elastic band application which interrupted the blood circulation per six hour. After this period the animals were submitted to the application of HBO (100% of oxygen under two atmospheres of pressure) per sixty minutes. The animals of the GI (n = 14) had not received the HBO, while the animals of the GII (n=14) had received during the last hour of the ischemia, the animals of GIII (n = 14 in the first hour of the reperfusion and of GIV (n=14 in the last hour of the ischemia and in the first one of the reperfusion. The soleus muscle was removed for histological processing (coloration for HE and immunohistochemical) after six (early phase) and twenty and four hours (delayed phase) of reperfusion. They were evaluated, under the absentee criteria, as light, mild or severe, the parameters of interstitial edema, infiltrated of erythrocytes and neutrophils between muscular fibers and muscular fiber necrosis. The index of apoptosis was carried through by the expression of caspase 3. Results: The animals of the GI showed characteristic injuries of important and infiltrated I/R with interstitial edema of erythrocytes in the early phase. The presence of interstitial neutrophils and necrosis had been characteristic of the delayed phase. The HBO revealed itself to be beneficial in the reduction of interstitial edema in the early phase and the delayed phase and presented better results when applied in the period of I/R. The infiltrated erythrocytes one was also smaller in the acute phase when the HBO was applied and was more efficient in the period of I/R. The infiltrated neutrophils did not answer with significant values in the application of the HBO. The fiber necrosis was benefited by the HBO in the delayed phase and with expressive results when applied in the period of I/R. The index of apoptosis did not show statistically significant alterations in the two phases and any period of application of the OHB. Conclusions: the model of ischemia of six hours led to I/R injuries and the application of the HBO revealed beneficial in diminishing some of the studied parameters, mainly when applied in the two periods (ischemia and reperfusion). The muscular fiber revealed itself to be sufficiently resistant to the necrosis and the index of apoptosis did not show difference when of the application of the HBO in relation to the animals that had not received it. / BV UNIFESP: Teses e dissertações
53

Anestésicos inalatórios e seu efeito sobre o dano de isquemia e reperfusão : comparação entre isoflurano e sevoflurano em modelo experimental em fígado de ratos

Dal Molin, Siluê Zanetti Franzoni January 2005 (has links)
A proteção do tecido hepático pelos anestésicos inalatórios (AI) ainda é motivo de discussão. Muitos estudos sugerem efeito protetor, mas poucos comparam o isoflurano e sevoflurano. Com o objetivo de comparar os efeitos destes anestésicos sobre a lesão de isquemia/reperfusão (I/R) hepática, foi conduzido um estudo experimental em ratos Wistar, adultos, machos. O experimento foi dividido em dois estudos. No Estudo 1 foram avaliados 27 ratos divididos em 3 grupos: grupo 1 (anestesiados por 1 hora com isoflurano), grupo 2 (anestesiados com sevoflurano), grupo 3 (ratos controles, decapitados). No Estudo 2 foram incluídos 20 ratos divididos em 4 grupos: grupo A (doador e anestesiado com isoflurano) e C (doador e anestesiado com sevoflurano) – e grupo B (receptor e anestesiado com isoflurano) e D (receptor e anestesiado com sevoflurano). O fígado retirado dos grupos A e C foi perfundido com solução de preservação e mantido em solução por 6 horas. Foram realizadas dosagens de AST, ALT e LDH no líquido de preservação em 2, 4 e 6 h de isquemia a frio. Após 6 h, o fígado preservado foi perfundido por 15 min através de um modelo experimental de reperfusão hepática. Após este período, foi interrompido o sistema de reperfusão, sendo coletadas amostras de sangue do efluente venoso para determinação de AST, ALT, LDH e TBARS. Foram também seccionados fragmentos do fígado para análise histopatológica, dosagem de TBARS, catalase, derivados do NO. Dessa forma, no Estudo 1 não hove diferença estatisticamente significativa entre os três grupos quando analisadas aminotransferases e LDH. Porém, ao ser avaliado o estresse oxidativo (EO) pelo método de TBARS, foi encontrado uma diminuição do malondialdeído (MDO) sérico com os dois anestésicos. No Estudo 2, o sevoflurano apresentou uma liberação menor de aminotransferases e LDH no líquido de preservação a frio, em 6 horas, e após a reperfusão mostrou um aumento na produção de óxido nítrico no fígado e uma diminuição na lipopperoxidação no soro, quando comparado ao isoflurano.
54

S-nitroso-N-acetilcisteína (SNAC) na preservação de fígados de ratos : análise do seu efeito no dano precoce de isquemia/reperfusão

Fraga, Raquel Scherer de January 2009 (has links)
Introdução e objetivos: O dano de isquemia-reperfusão (I/R) é uma das principais causas de má-função do enxerto precocemente após um transplante hepático e influencia de forma adversa a sobrevida dos pacientes após o transplante. Uma série de mediadores tem sido implicada na sua patogênese, incluindo o óxido nítrico (NO). Devido aos benefícios do NO durante a pré-condição isquêmica e reperfusão, estratégias para prevenir ou melhorar o I/R através do estímulo da produção hepática de NO é uma área de significativo interesse clínico. Neste estudo, foi avaliado o papel da S-nitroso-Nacetilcisteína (SNAC) como uma doadora de NO na prevenção do I/R em um modelo animal. Materiais e métodos: Fígados obtidos de 15 ratos Wistar machos foram divididos em 3 grupos experimentais, conforme a solução de preservação utilizada: solução da Universidade de Wisconsin (UW); solução de SNAC; e solução de UW + SNAC (SNAC+UW). Os níveis de AST, ALT e LDH foram determinados em amostras do líquido de preservação em 2, 4 e 6 horas de isquemia a frio. Após 6 h, os fígados foram submetidos a um modelo de reperfusão hepática ex-situ por 15 minutos. AST, ALT, LDH e substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBARS) foram determinadas no sangue após a reperfusão, e foram seccionados fragmentos hepáticos para histologia, determinação de TBARS, catalase e glutationa, além da análise da expressão imunohistoquímica de ICAM-1 e TNF-R2. Resultados: Durante a preservação a frio, a liberação de AST e LDH no grupo SNAC foi significativamente menor que nos grupos UW e SNAC+UW (p= 0.004 and p=0.03, respectivamente), não tendo havido diferença significativa na dosagem de ALT (p=0.3). Após a reperfusão, os níveis séricos de AST, ALT e LDH, bem como de TBARS e catalase foram semelhantes entre grupos. Comparado ao grupo UW, a concentração hepática de glutationa foi menor nos grupos SNAC e SNAC + UW (p<0.001). Não houve sinais histológicos de dano de preservação em nenhuma amostra, assim como não houve expressão hepática de ICAM-1 e TNF-R2. Conclusão: A solução de SNAC demonstrou um efeito protetor superior na preservação de fígados de ratos durante a isquemia a frio, tendo sido equivalente à UW após a reperfusão. / Background/aims: Ischemia-reperfusion injury (I/R) is one of the major causes of poor graft function early after liver transplantation which adversely influences patients’ survival. A variety of mediators have been implicated in the pathogenesis of ischemiareperfusion vascular injury, including nitric oxide (NO). Due to the beneficial effects of NO during preconditioning and reperfusion, strategies to prevent or ameliorate I/R through the stimulation of hepatic NO production are an area of significant clinical interest. We evaluated the role of S-nitroso-N-acetylcysteine (SNAC) as an NO donor, in the prevention of liver I/R in an animal model. Methods: Adult male Wistar rats were randomly assigned into three experimental groups of 5 animals, accordingly to the preservation solution: 1. University of Wiscosin (UW) solution; 2. SNAC solution; and 3. SNAC-containing UW solution (SNAC+UW). AST, ALT and LDH were determined on samples of the cold storage solution at 2, 4 and 6 h of preservation. After 6 h of cold storage, a 15 min reperfusion model was applied. After this period, the reperfusion system was interrupted and blood samples were taken for measurements of AST, ALT, LDH and thiobarbituric acid reactive substances (TBARS). Hepatic fragments were processed for histological studies, determination of TBARS, catalase and glutathione, and also expression ICAM-1 and TNF-R2. Results: During the cold preservation, AST and LDH in the SNAC group were significantly lower than in UW group and the SNAC+UW group (p= 0.004 and p=0.03, respectively). ALT was comparable among the groups (p=0.3). After reperfusion, serum levels of AST, ALT and LDH, as well as hepatic TBARS and catalase showed no significant differences among the groups. Compared to the UW group glutathione concentration was lower in the SNAC and SNAC+UW (p<0.001). No histological signs of preservation injury were found. In immunohistochemistry, the expression of ICAM-1 and TNF-R2 were not detected in any of the organs. Conclusion: SNAC solution showed a higher protective effect for the preservation of rat livers during cold storage, but was comparable to UW solution post-reperfusion.
55

Efeito protetor da berberina no dano cerebral, deficit de memória, estresse oxidativo e inflamação de camundongos submetidos à isquemia cerebral focal permanente

Neves, Julliana Catharina de Sousa January 2012 (has links)
NEVES, Julliana Catharina de Sousa. Efeito protetor da berberina no dano cerebral, deficit de memória, estresse oxidativo e inflamação de camundongos submetidos à isquemia cerebral focal permanente. 2012. 98 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2012. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2013-03-15T11:41:08Z No. of bitstreams: 1 2012_dis_jcsneves.pdf: 1548781 bytes, checksum: 96ea309aca3044d83f6e31dc7fcd8736 (MD5) / Approved for entry into archive by Erika Fernandes(erikaleitefernandes@gmail.com) on 2013-03-15T12:32:48Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_dis_jcsneves.pdf: 1548781 bytes, checksum: 96ea309aca3044d83f6e31dc7fcd8736 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-03-15T12:32:48Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_dis_jcsneves.pdf: 1548781 bytes, checksum: 96ea309aca3044d83f6e31dc7fcd8736 (MD5) Previous issue date: 2012 / Stroke is the second leading cause death in industrialized countries and can be subdivided into 2 categories, ischemic and hemorrhagic. The mechanisms of ischemic brain damage involve oxidative stress, excitotoxicity, mitochondrial dysfunction, inflammation and apoptosis. Berberine (BE) is an alkaloid derived from Coptidis rhizom which has potent anti-inflammatory and anti-apoptotic effects. In present study, the neuroprotector effect of berberine after permanent middle cerebral artery occlusion (MCAO) was investigated. Male Swiss mice were divided into five groups (n=8): Sham operated (SO), MCAO, BE 50 and 100mg/kg/day plus MCAO. BE or vehicle (distilled water) were administrated intragastrically 30 min before MCAO (induced by electrocoagulation) and daily during 3 days. The parameters studied were sensorimotor function, working, object recognition, spatial and aversive memory, cerebral infarct area, myeloperoxidase (MPO) and reduced glutathione (GSH) levels and neurodegeneration through FluoroJade C staining. After MCAO a significant decrease of motor performance and sensory function was found after a neurological evaluation. However, berberine did not improve this neurological deficit. Ischemia caused a 70% increase of infarct area in MCAO group compared with SO, that was decreased by treatment with BE 50 and 100. We observed an increase of vertical exploratory activity (rearings) in the BE 100 group compared to the MCAO. BE 100 treatment also improved MCAO-induced late memory deficits in passive avoidance test (latency - SO: 235.0 ± 33.3s; MCAO: 84.7 ± 23.3s; MCAO + BE100: 300.0 ± 0.0s, p<0.05) and MCAO-induced spatial memory deficits evaluated by water maze test (latency - SO: 10.8 ± 2.4%; MCAO: 23.4 ± 3.9%; MCAO + BE100: 12.8 ± 2.0; p<0.05). BE 50 and 100 treatment significantly prevented the MCAO-induced working memory deficits in y-maze test (spontaneous alternations - SO: 73.8 ± 1.9%; MCAO: 57.2 ± 2.7%; MCAO + BE50: 69.3 ± 3.5; MCAO + BE100: 71.9 ± 3.97%; p<0.05) and object recognition memory deficits (recognition index - SO: 0.51 ± 0.09%; MCAO: 0.068 ± 0.12%; MCAO + BE50: 0.42 ± 0.09%; MCAO + BE100: 0.58 ± 0.16%; p<0.05, Kruskall-Wallis, Mann-Whitney). Neuronal degeneration on berberine-treated groups was significantly less than those submitted to MCAO. Mice submitted to MCAO showed an increase in GSH and MPO levels. BE 100 treatment prevented the increase in MPO activity on striatum (SO: 1.53 ± 0.48; MCAO: 4.89 ± 0.89; MCAO + BE100: 2.52 ± 0.47; p<0.05, ANOVA, Newman-Keuls). Berberine showed a significant protective effect against cerebral ischemia, at least by an anti-inflammatory effect. / O acidente vascular cerebral é a segunda principal causa de morte nos países industrializados, sendo comumente dividido em duas categorias: isquêmico e hemorrágico. O mecanismo da lesão isquêmica envolve estresse oxidativo, excitotoxicidade, disfunção mitocondrial, inflamação e apoptose. A Berberina (BE) é um alcalóide derivado do Coptidis rhizom que possui um potente efeito anti-inflamatório e anti-apoptótico. No presente estudo, foi investigado o efeito neuroprotetor da berberina sobre a isquemia cerebral focal (ICF) por oclusão permanente da artéria cerebral média (induzida por eletrocoagulação). Foram utilizados camundongos Swiss machos divididos em cinco grupos (n = 8), dentre eles: Falso operado (FO), ICF e ICF tratados com BE 50 ou 100 mg/kg/dia. BE ou veículo (água destilada) foram administrados por via intragástrica 30 min antes da ICF e diariamente durante 3 dias. Os parâmetros estudados foram função sensório-motora, área de infarto isquêmico, memória de trabalho, reconhecimento de objetos, memória espacial e aversiva, mieloperoxidase (MPO) e glutationa reduzida (GSH), assim como neurodegeneração, através da coloração com FluoroJade C. Os animais submetidos à ICF apresentaram uma diminuição significativa do desempenho motor e função sensorial, no entanto, o tratamento com berberina não diminuiu o déficit neurológico induzido pela isquemia. Verificou-se um aumento significativo da área de infarto nos animais isquemiados, com um aumento de cerca de 70% em relação aos animais falso-operados, sendo esse aumento reduzido pelo tratamento com BE (50 e 100 mg/kg/dia). Observou-se uma diminuição da atividade exploratória vertical (rearings) no grupo submetido à ICF em relação ao grupo FO e uma prevenção desta diminuição pelo tratamento com BE100. O tratamento com BE100 melhorou também os déficits na memória tardia causados pela isquemia, avaliados pelo teste da esquiva passiva (latência - FO: 235,0 ± 33.3s; ICF: 84,7 ± 23.3s; ICF + BE100: 300,0 ± 0.0s, p <0,05) e os déficits de memória espacial, avaliados pelo teste labirinto aquático (latência - FO: 10,8 ± 2,4%; ICF: 23,4 ± 3,9%; ICF + BE100: 12,8 ± 2,0, p <0,05). O tratamento com BE 50 e 100 reduziu de forma significativa os déficits na memória de trabalho, avaliados pelo Y-maze (alternações espontâneas - FO: 73,8 ± 1,9%; ICF: 57,2 ± 2,7%; ICF + BE50: 69,3 ± 3,5; ICF + BE100: 71,9 ± 3,97%, p <0,05), assim como os déficits na memória de reconhecimento de objetos (índice de reconhecimento - FO: 0,51 ± 0,09%; ICF: 0,068 ± 0,12%; ICF + BE50: 0,42 ± 0,09%; ICF+ BE100: 0,58 ± 0,16%, p <0,05, Kruskall-Wallis, Mann-Whitney). A degeneração neuronal nos grupos tratados com berberina foi significativamente menor que nos animais submetidos à ICF. Os animais submetidos à ICF mostraram um aumento nos níveis de GSH e MPO, sendo o tratamento com BE100 capaz de impedir o aumento da atividade da MPO no estriado (FO: 1,53 ± 0,48; ICF: 4,89 ± 0,89; ICF + BE100: 2,52 ± 0,47; p <0,05, ANOVA, Newman-Keuls). A Berberina mostrou um significante efeito neuroprotetor, estando esse efeito relacionado, pelo menos em parte, à atividade anti-inflamatória desse composto.
56

Fisetina, um flavonóide que protege camundongos do dano neuronal e déficit de memória induzido por isquemia cerebral focal permanente / Fisetin, a flavonoid protecting mice memory deficit and neuronal damage induced cerebral ischemia permanent focal

Silva, Ana Thais Araújo da 20 July 2016 (has links)
SILVA, A. T. A. Fisetina, um flavonóide que protege camundongos do dano neuronal e déficit de memória induzido por isquemia cerebral focal permanente. 2016. 95 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016. / Submitted by Erika Fernandes (erikaleitefernandes@gmail.com) on 2016-08-12T12:30:31Z No. of bitstreams: 1 2016_dis_atasilva.pdf: 2156983 bytes, checksum: 0dd2da0108658a69d8bd0e8de6bd6229 (MD5) / Approved for entry into archive by Erika Fernandes (erikaleitefernandes@gmail.com) on 2016-08-12T12:30:42Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_dis_atasilva.pdf: 2156983 bytes, checksum: 0dd2da0108658a69d8bd0e8de6bd6229 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-12T12:30:42Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_dis_atasilva.pdf: 2156983 bytes, checksum: 0dd2da0108658a69d8bd0e8de6bd6229 (MD5) Previous issue date: 2016-07-20 / Stroke is a common disease and a major cause of death and disability worldwide. The focal ischemic stroke (ischemic stroke) occurs due to a reduced blood supply to brain region, leading to the decrease of oxygen and glucose in tissues, inducing a cascade of events including oxidative stress and inflammation, culminating with neuronal death and thus a rapid loss of neurological function. Fisetin is a member of subgroup belonging to the flavonol flavonoid found in many fruits and vegetables that have anti-inflammatory and antioxidant properties. The objective of this work was to study the effects of fisetin on neuronal damage and memory, inflammatory response and synaptogenesis in mice undergoing experimental model of permanent focal cerebral ischemia (pMCAO). Were animals divided between the false-operated groups treated with vehicle or fisetin (SIF) at a dose of 50 mg / kg-ischemic treated with vehicle and-ischemic treated with FIS in doses of 10, 30, and 50 mg / kg po 3 hours after the middle cerebral artery electrocautery. The permanent focal cerebral ischemia model was proven by the significant increase in infarct area and sensorimotor deficits in- ischemic animals, observed by staining with TTC and neurological evaluation. Fisetin was able to reverse these effects by decreasing the ischemic area and sensorimotor deficits. The- ischemic animals showed changes in horizontal locomotor activity, only vertically and fisetin was able to reverse this effect. The pMCAO induced deficits in working memory, aversive, episodic and spatial memory in animals. Fisetin reversed the deficits in working memory, episodic and space at a dose of 50 mg / kg, but in the evaluation of aversive memory fisetin failed to reverse these deficits. The pMCAO caused an increase in astrocyte activation and TNF-α levels (in the striatum) and fisetin at a dose of 50 mg / kg was able to decrease the activation of astrocytes and TNF-α but not the levels. We also observed a decrease in synaptophysin expression in the striatum of animals-ischemic and fisetin could raise these levels. The pMCAO decreased BDNF levels in the striatum and increased in the hippocampus of fisetin-ischemic animals and the dose of 50mg / kg was able to reverse these levels in the striatum. The results of this study suggest that fisetin has neuroresgate action, improving neuronal injury, neurological disorders and memory deficits caused by ischemia. These effects are possibly their anti-inflammatory actions. / O acidente vascular cerebral (AVC) é uma doença comum e uma das maiores causas de morte e incapacidade em todo o mundo. O acidente vascular cerebral isquêmico focal (AVCi) ocorre devido a uma redução do aporte sanguíneo para uma região cerebral, levando ao decréscimo de oxigênio e glicose nos tecidos, induzindo a uma cascata de eventos, incluindo o estresse oxidativo e inflamação, que culminam com a morte neuronal e, com isso uma perda rápida da função neurológica. A Fisetina é um membro do subgrupo flavonol pertencente aos flavonoides, encontrado em diversas frutas e vegetais que apresentam propriedades antiinflamatórias e antioxidantes. O objetivo deste trabalho foi estudar os efeitos da Fisetina sobre o dano neuronal e memória, resposta inflamatória e sinaptogênese em camundongos submetidos ao modelo experimental de isquemia cerebral focal permanente (pMCAO). Os foram animais divididos entre os grupos falso-operados, tratados com veículo ou fisetina (FIS) na dose de 50 mg/kg, isquemiados tratados com veículo e isquemiados tratados com FIS nas doses de 10, 30, e 50 mg/kg via oral, 3 horas depois da eletrocauterização da artéria cerebral média. O modelo de isquemia cerebral focal permanente foi comprovado através do aumento significativo da área de infarto e dos déficits sensório-motores nos animais isquemiados, observado através da coloração com TTC e da avaliação neurológica. A Fisetina foi capaz de reverter esses efeitos, diminuindo a área isquêmica e os déficits sensório-motores. Os animais isquemiados não apresentaram alterações na atividade locomotora horizontal, apenas na vertical e a Fisetina foi capaz de reverter esse efeito. A pMCAO induziu déficits na memória de trabalho, memória aversiva, episódica e espacial nos animais. A Fisetina reverteu os déficits na memória de trabalho, episódica e espacial na dose de 50 mg/kg, porém na avaliação da memória aversiva a Fisetina não conseguiu reverter esses déficits. A pMCAO provocou um aumento na ativação dos astrócitos e dos níveis do TNF-α (no corpo estriado) e a fisetina na dose de 50 mg/kg conseguiu diminuir a ativação dos astrócitos e mas não os níveis do TNF-α. Também observamos uma diminuição da expressão de sinaptofisina no corpo estriado dos animais isquemiados e a fisetina conseguiu elevar esses níveis. A pMCAO diminuiu os níveis do BDNF do corpo estriado e aumentou no hipocampo dos animais isquemiados e a fisetina na dose de 50mg/kg conseguiu reverter esses níveis no corpo estriado. Os resultados do presente estudo sugerem que a Fisetina possui ação de neuroresgate, melhorando a lesão neuronal, as alterações neurológicas e os déficits de memória causados pela isquemia. Esses efeitos devem-se, possivelmente, as suas ações anti-inflamatória.
57

Efeitos neuroprotetores da curcumina durante o desenvolvimento de ratos submetidos à isquemia cerebra global / Curcumin neuroprotective effects during the rat development submitted to global cerebral ischemia

Lucetti, Elaine Cristina Pereira 17 July 2015 (has links)
LUCETTI, E. C. P. Efeitos neuroprotetores da curcumina durante o desenvolvimento de ratos submetidos à isquemia cerebra global. 2015. 108 f. Tese (Doutorado em Farmacologia) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015. / Submitted by Erika Fernandes (erikaleitefernandes@gmail.com) on 2016-12-20T12:27:10Z No. of bitstreams: 1 2015_tese_ecplucetti.pdf: 4147142 bytes, checksum: 4f03ef9519daf666db76da448ced9260 (MD5) / Approved for entry into archive by Erika Fernandes (erikaleitefernandes@gmail.com) on 2016-12-20T12:27:47Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_tese_ecplucetti.pdf: 4147142 bytes, checksum: 4f03ef9519daf666db76da448ced9260 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-12-20T12:27:47Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_tese_ecplucetti.pdf: 4147142 bytes, checksum: 4f03ef9519daf666db76da448ced9260 (MD5) Previous issue date: 2015-07-17 / The ischemic stroke precipitates a cascade of events that involve excitotoxicity, inflammation, oxidative stress and cell death. Curcumin has demonstrated neuroprotective effects, with antioxidant and antiinflammatory properties. Therefore, we aimed to study these effects of curcumin on experimental model of global cerebral ischemia in rats under development. Methods: Wistar female rats treatment began 24 hours after the birth of pups, during 21 days, with curcumin (25, 50 or 100 mg/kg/day, p.o.) or water + 1% Cremophor (10 ml/kg). In 21 day old rats were anesthetized with Ketamine (75 mg/kg, i.p.) and xylazine (10 m/kg, i.p.) and subjected to the global cerebral ischemia for 15 min, reperfusion at the same time, followed the left carotid cut. 24 h after surgery, pups started treating for 3 or 7 consecutive days. The animals treated for 7 days underwent behavioral tests, open field and water maze, to assess the locomotor activity and spatial memory, respectively. Groups of animals with 3 or 7 days after ischemia were sacrificed and the striatum, cortex and hippocampus were dissected. The striatum was used in homogenates preparation to monoamine and metabolites (DA, DOPAC, NS) dosing on HPLC. Homogenates from the hippocampus and cortex were prepared to test the antioxidant activity, 3 and 7 days post-ischemia, to nitrite and malondialdehyde (MDA) dosing. Hippocampal slices were separated for staining with Fluoro-Jade B and immunohistochemistry (iNOS, COX-2, TNF-). Results: Cerebral ischemia reduced the locomotor activity in rats and the treatment with curcumin reversed this effect; just like what happened with the special memory that was recovered after curcumin treatment in the three doses used. The striatum lesion reflected in a reduction in the levels of monoamines and these values were increased with the use of curcumin 3 and 7 days after surgery dose-dependent manner on day 3. MDA and nitrite levels were significantly increased in cortex and hippocampus, 3 and 7 days after global cerebral ischemia, when compared to the false-operated groups. The treatment with curcumin significantly protected these areas only at 3 days post-ischemia, in the doses of 50 and 100 mg/kg. On the 7th day, the best results were obtained with the dose of 25 mg/kg. Furthermore, there was a decrease in immunostained cells for iNOS, COX-2 and TNF- in treated groups with curcumin compared with ischemic group. As reduction Fluoro-Jade B positive cells. Conclusion: The previous treatment of the dams during the lactation period and the subchronic treatment of puppies with curcumin exerted neuroprotective properties against damage caused by global cerebral ischemia/reperfusion. These effects reflected improved in locomotor activity and memory. This activity was observed through anti-inflammatory and antioxidant actions of curcumin, especially three days after the ischemic event. These actions were confirmed with inhibition of COX-2, iNOS and TNF-. In addition, neurons were preserved in the hippocampus, which could be seen by staining with Fluoro-Jade B, viewed through green fluorescence. / O acidente vascular cerebral isquêmico precipita uma cascata de eventos que envolvem excitotoxicidade, inflamação, estresse oxidativo e morte celular. A curcumina tem demonstrado efeitos neuroprotetores, com propriedades antioxidantes e antiinflamatórias. Sendo assim, objetivou-se estudar estes efeitos da curcumina em modelo experimental de isquemia cerebral global em ratos em desenvolvimento. Métodos: O tratamento de ratas Wistar foi iniciado 24h após o nascimento dos filhotes, durante 21 dias, com curcumina (25, 50 ou 100 mg/kg/dia, v.o.) ou água+Cremophor 1% (10 ml/kg). No 21º dia de vida os ratos foram anestesiados com Ketamina (75 mg/kg, i.p.) e Xilazina 2% (10 m/kg, i.p.) e submetidos à isquemia cerebral global durante 15 min, reperfusão pelo mesmo tempo, seguida de corte da carótida esquerda. 24 h após iniciou-se o tratamento dos filhotes com curcumina durante 3 ou 7 dias consecutivos. Animais tratados durante 7 dias realizaram os testes comportamentais, campo aberto e labirinto aquático, para avaliar a atividade locomotora e memória espacial, respectivamente. Grupos de animais com 3 ou 7 dias após a isquemia foram eutanasiados e o corpo estriado, córtex e hipocampo foram dissecados. O corpo estriado foi utilizado na preparação de homogenatos para dosagem de monoaminas e metabólitos (DA, DOPAC, NE) em HPLC. Homogenatos de hipocampo e córtex foram preparados para dosar os níveis de nitrito e malondialdeído (MDA). Fatias de hipocampo foram separadas para a coloração com o Fluoro-Jade B e imunohistoquímica (iNOS, COX-2, TNF-). Resultados: A isquemia cerebral reduziu a atividade locomotora em ratos e o tratamento com curcumina reverteu este efeito; assim como o que ocorreu com a memória espacial que foi reduzida pela isquemia. A lesão no corpo estriado refletiu em redução nos níveis de monoaminas e estes valores foram aumentados com uso da curcumina 3 e 7 dias após a cirurgia e de maneira dose-dependente no 3º dia. Os níveis de MDA e nitrito foram significativamente aumentados em córtex e hipocampo, 3 e 7 dias após a isquemia cerebral global, quando comparados aos grupos falso operados. O tratamento com curcumina protegeu estas áreas de maneira significativa somente no 3º dia pós-isquemia, nas doses de 50 e 100 mg/kg. No 7º dia, os melhores resultados foram obtidos com a dose de 25 mg/kg. Além disso, houve uma diminuição nas células imunocoradas para iNOS, COX-2 e TNF- nos grupos tratados com curcumina em comparação com o grupo isquemiado. Assim como redução de células Fluoro-Jade B positivas. Conclusão: O tratamento prévio das mães durante o período de lactação bem como o tratamento subcrônico dos filhotes com a curcumina exerceu propriedades neuroprotetoras contra os danos causados pela isquemia cerebral global mais reperfusão. Estes efeitos refletiram na melhora da atividade locomotora e memória. Esta atividade foi observada através de ações antiinflamatórias e antioxidantes da curcumina, principalmente 3 dias após o evento isquêmico. Estas ações foram confirmadas com a inibição da COX-2, iNOS, redução de citocinas pró-inflamatórias, como TNF-. Além disso, neurônios foram preservados no hipocampo, o que pôde ser visto através da coloração com Fluoro-jade B, visualizada através de fluorescência verde.
58

Análise dos efeitos da hipotermia tópica do rim sobre o tecido pulmonar durante isquemia e reperfusão renal em ratos / Analysis of the effects of topical kidney hypothermia on lung tissue after kidney ischemia and reperfusion in rats

Fiorentini, Marlon Roberto January 2014 (has links)
Introdução: Estudos em animais têm demonstrado que a isquemia e reperfusão (I/R) do rim acarreta danos não apenas ao tecido renal mas também ao parênquima pulmonar. Dados recentes puderam constatar que a hipotermia tópica hepática e também mesentérica atenua danos pulmonares em modelos de I/R destes órgãos. Entretanto, nenhum estudo até o momento avaliou o efeito da hipotermia tópica renal (HTR) na atenuação de danos pulmonares decorrentes do processo de I/R do rim. Objetivo: Avaliar se a HTR em diferentes níveis de temperatura acarreta efeitos protetores sobre o parênquima pulmonar após I/R renal através da análise de marcadores inflamatórios e cortes histológicos do tecido pulmonar. Métodos: Ratos Wistar (n=28) do sexo masculino foram randomizados em 4 grupos definidos de acordo com a temperatura tópica renal durante a isquemia renal: normotermia (sem resfriamento), hipotermia leve (26ºC), moderada (15ºC) e intensa (4ºC). Apenas o rim esquerdo de cada animal foi submetido a clampeamento hilar com duração de 40 minutos seguido de reperfusão durante 240 minutos. Após este período, foi realizado novo procedimento para remoção dos tecidos de interesse. Foi realizada aferição das concentrações de TNF-α, IL-1β e grau de atividade de mieloperoxidase no tecido pulmonar. Avaliação histopatológica foi realizada utilizando cortes de tecido pulmonar submetidos à coloração pela hematoxilina-eosina (H&E). Resultados: A I/R renal sob hipotermia tópica intensa acarretou concentrações de TNF-α no tecido pulmonar significativamente menores comparativamente ao grupo submetido a I/R normotérmica (p<0,05). Uma correlação de significância limítrofe foi observada entre o nível pulmonar de IL-1β e a intensidade da hipotermia tópica (Spearman r=-0,37; p=0,055). Em relação ao grau de atividade de mieloperoxidase e aos danos teciduais à avaliação histológica, não foi observada diferença significativa entre os grupos. Conclusão: os resultados sugerem que a aplicação de HTR durante a I/R do rim reduz a ativação da cascata inflamatória no tecido pulmonar. Entretanto, não foi observada proteção à avaliação histológica. / Background: Animal studies have demonstrated that kidney ischemia and reperfusion (I/R) cause not only renal injury but also determine damage to the lungs. Recent data have shown that topical hepatic and mesenteric hypothermia attenuates lung injury after I/R. However, there is no study to date evaluating if topical kidney hypothermia (TKH) attenuates lung damage after kidney I/R. Purpose: Evaluate whether TKH at different levels of temperature provides protective effects on lung tissue after kidney I/R through the analysis of organ histology and inflammatory markers in lung tissue. Methods: Male Wistar rats (n=28) were randomized into four groups and underwent renal ischemia at different levels of kidney topical temperature: normothermic (without cooling, 37°C), mild hypothermia (26°C), moderate hypothermia (15°C) and deep hypothermia (4°C). Only the left kidney of each animal had his vessels clamped for 40 minutes followed by reperfusion. After 4 hours, new procedure was performed to remove tissues of interest. TNF-α, IL-1β and myeloperoxidase activity were measured in lung tissue. Organ histology was evaluated using hematoxylin and eosin-stained lung specimens. Results: Renal I/R under deep topical hypothermia resulted in a significant decrease of TNF-α lung concentration compared with normothermic I/R (P<0,05). A trend toward significant correlation was found between lung IL-1β concentration and the intensity of hypothermia (Spearman r=-0,37; p=0,055). No difference was found in myeloperoxidase activity or histologic injury between groups. Conclusion: These results suggest that TKH reduces the inflammatory cascade activation in the lung parenchyma. However tissue protection was not observed.
59

Efeitos da Prostaglandina E1 na gênese de capilares sanguíneos em músculo esquelético isquêmico de ratos: estudo histológico e ultra-estrutural / Effects of Prostaglandin E1 in the genesis of blood capillaries in the ischemic skeletal muscle of rats: histological study and ultra-structural analysis

Moreschi Junior, Dorival [UNIFESP] January 2006 (has links) (PDF)
Submitted by Diogo Misoguti (diogo.misoguti@gmail.com) on 2016-06-15T12:13:26Z No. of bitstreams: 1 Publico-capa.pdf: 3484774 bytes, checksum: 0f75179eafb9fea87f004cdc7dc9e301 (MD5) / Approved for entry into archive by Diogo Misoguti (diogo.misoguti@gmail.com) on 2016-06-15T12:14:03Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Publico-capa.pdf: 3484774 bytes, checksum: 0f75179eafb9fea87f004cdc7dc9e301 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-06-15T12:14:03Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Publico-capa.pdf: 3484774 bytes, checksum: 0f75179eafb9fea87f004cdc7dc9e301 (MD5) Previous issue date: 2006 / Objetivo: o objetivo deste trabalho foi estudar os aspectos morfológicos e ultra-estruturais na gênese de capilares sanguíneos em músculo esquelético do membro caudal de ratos submetidos à isquemia sob a ação da Prostaglandina E1 (PGE1), administrada por via intramuscular ou endovenosa. Métodos: foram utilizados 60 ratos (Rattus norvegicus albinus), linhagem Wistar-UEM, distribuídos aleatoriamente em três grupos de 20, redistribuídos igualmente em dois subgrupos, observados no 7o e 14o dias, sendo um grupo controle onde apenas foi provocada a isquemia no membro, outro com a isquemia e a injeção da PGE1 via intramuscular (IM), e outro com a isquemia e a injeção da PGE1 endovenosa (EV). Para análise dos resultados, foram realizadas a coloração com hematoxilina & eosina (HE), a imuno-histoquímica e a microscopia eletrônica de transmissão (MET). Resultados: constatou-se um aumento estatisticamente significante no número de capilares nos subgrupos com o uso da PGE1 IM e EV, através da contagem nos cortes corados com HE. Houve marcação de capilares e vasos de maior calibre nestes mesmos subgrupos, porém, esta reação não foi eficiente para a quantificação dos capilares. Na MET encontraram-se evidências de formação de novos capilares. Conclusões: a PGE1, administrada por via IM ou EV, promoveu, após 14 dias de observação, um aumento no número de capilares no músculo esquelético de ratos submetido à isquemia, identificáveis histologicamente com a coloração em HE. Na análise ultra-estrutural encontraram-se alterações que sugerem, nos animais sob a ação da PGE1, que a neoformação vascular possa ter ocorrido por angiogênese e vasculogênese. A imuno-coloração, apesar da marcação de capilares e vasos maiores, não permitiu estabelecer uma correlação com o aumento de vasos encontrados na coloração com HE. / Objective: The objective of this work was to study the morphologic and ultra-structural aspects in the genesis of blood capillaries in the lower limb skeletal muscle of rats submitted to ischemia under the action of intramuscular or endovenous Prostaglandin E1 (PGE1). Methods: Sixty Wistar-UEM rats (Rattus norvegicus albinus) were used, randomly distributed into three groups of 20, equally redistributed into two subgroups, observed at the 7th and 14th days as follows: group only with ischemia was considered as control (C), group with ischemia and intramuscular injection of PGE1 (IM), and group with ischemia and endovenous injection of the PGE1 (EV). The analysis of results was performed with the HE staining, imuno-histochemistry and transmission electronic microscopy (TEM). Results: an increase statistically significant was verified in the number of capillaries in the subgroups with PGE1 using IM or EV, through the counting in the samples with HE staining. Demarcation of capillaries and larger vases in these subgroups were observed, however, this reaction was not efficient for the quantification of the capillaries. In the electronic microscopy, evidences of new capillary formation were found. Conclusions: intramuscular or endovenous PGE1 promoted an increase on the number of capillaries in the skeletal muscle of rats submitted to ischemia after 14 days of observation histologically identifiable through HE staining. In the ultra-structural analysis, alterations found suggest, for animals under the action of PGE1 that the vascular neoformation might have occurred through angiogenesis and/or vasculogenesis. The imuno-staining, despite the demarcation of capillary and larger vases, did not allow the establishment of a correlation with the increase of vases found in the HE staining.
60

Estudo do efeito comportamental e neuroprotetor da Erythrina velutina na isquemia cerebral aguda em camundongos

Rodrigues, Francisca Taciana Sousa January 2013 (has links)
RODRIGUES, Francisca Taciana Sousa. Estudo do efeito comportamental e neuroprotetor da Erythrina velutina na isquemia cerebral aguda em camundongos. 2013. 105 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2013. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2013-09-02T11:29:32Z No. of bitstreams: 1 2013_dis_ftsrodrigues.pdf: 1808640 bytes, checksum: 092e10394448a60336f7e0b714ab6041 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2013-09-02T12:43:11Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_dis_ftsrodrigues.pdf: 1808640 bytes, checksum: 092e10394448a60336f7e0b714ab6041 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-09-02T12:43:12Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_dis_ftsrodrigues.pdf: 1808640 bytes, checksum: 092e10394448a60336f7e0b714ab6041 (MD5) Previous issue date: 2013 / The study shows the effects of standardized extract of Erythrina velutina (EPEV) in motor activity, in memory and in the determination of amino acids in mice brain undergoing global cerebral ischemia (ISQ). Animals (swiss mice, males, 30-35 g) were subjected to transient cerebral ischemia by occlusion of both carotid arteries during 30 minutes and treated for 5 days with EPEV 200 or 400 mg/kg and Memantine (MEM) 10 mg/kg, 2 or 24 hours after ischemia. The same procedure was done in false-operated group + DMSO (FO) with the exception of clamping the carotid arteries. On day 6 after induction of ischemia, the animals were subjected to tests of locomotor activity, rota rod and memory (step down, Y-maze and object recognition), then were sacrificed and dissected brains on ice the prefrontal cortex (PFC), Hippocampus (HC) and striatum (ST) determination of aspartic acid (ASP), glutamate (GLU), glycine (GLY), taurine (TAU) and gamma-amino-butirico acid (GABA). No change in exploratory activity was detected between the groups vertical FO and ISQ treated with solvents, as well as between the groups treated with EPEV or MEM, however, an increase in exploration activity across (rearing) was observed on EPEV 200 mg 2H group when compared to the ISQ. In rota rod test no substantial modification has been detected between the groups FO and ISQ treated with DMSO and in the groups treated with EPEV and MEM. Memory test step down the ISQ has affected the processes of acquisition and retention of memory both in the immediate phase (recent memory-RM), and the consolidation phase (late memory-LM) when compared with the group FO. Comparing the treatments we observed a significant increase in the length of stay in the non-electrified platform, in the animals treated after ischemia when evaluated in RM, and in LM. Y-maze test the ISQ promoted a retention damage in memory of animals compared to the control group (FO), however the EPEV and MEM managed to revert the damage on the acquisition of memory induced by ISQ at both doses. Animals subjected to ISQ showed deficit in memory also in object recognition test, this deficit was reversed by EPEV 400 mg 2 or 24 H group and by MEM 10 mg. The dosage of amino acids after testing behavior on PFC, HC and ST presented an increase in concentration of excitatory amino acids (ASP, GLU) in animals ISQ + DMSO when compared to FO. In the CPF that increase can be reversed by the animals treated with EPEV 24H at both doses and MEM 10 mg 24H in HC this increase was reversed by all treated groups. In CE there was a reduction in levels of GLU on EPEV 200 mg 2 or 24H and MEM 10 mg 2H. Regarding the levels of GABA, GLY and TAU in the CPF, there was reversal of values in the Group EPEV 200 mg 2H and 400 mg in both treatment schedules as well as group MEM 10 mg 24H when compared to the control that suffered ischemia. In the HC an increase in levels of GLY and TAU can be seen in EPEV 200 mg 24H, EPEV 400 mg 2H and MEM 10 mg 24H groups. GABA levels were already reverted on EPEV 400 mg and MEM 10 mg groups at the time of 24H. The ST presented high levels of TAU and GABA in the ISQ animals when compared with the control. The value of GABA was only reversed by EPEV 200 mg 2H group. With this, we concluded that the EPEV at both doses developed a neuroprotective action, possibly by reducing the levels of excitatory amino acids and inhibitory increase after ischemia. / O estudo mostrou os efeitos do extrato padronizado de Erythrina velutina (EPEV), na atividade motora, na memória e nas concentrações de aminoácidos cerebrais de camundongos submetidos à isquemia cerebral global (ISQ). Os animais (camundongos swiss, machos, 30-35g) foram submetidos à isquemia cerebral transitória pela oclusão de ambas as artérias carótidas durante 30 minutos e tratados durante 5 dias com EPEV 200 ou 400 mg/kg e Memantina (MEM), controle positivo, 10mg/kg, 2 ou 24 h após a isquemia. O mesmo procedimento foi feito no grupo Falso-operado + DMSO (FO) com exceção do clampeamento das artérias carótidas. No 6°dia após a indução da isquemia, os animais foram submetidos aos testes de atividade locomotora, rota rod e memória (step down, Y-maze e reconhecimento de objetos), a seguir foram sacrificados e as áreas cerebrais dissecadas como (córtex pré-frontal –CPF; hipocampo- HC e corpo estriado- CE) para determinação das concentrações de aspartato (ASP), glutamato (GLU), glicina (GLI), taurina (TAU) e ácido gama-amino-butirico (GABA). Nenhuma alteração na atividade exploratória vertical foi detectada entre os grupos FO e ISQ tratados com os diluentes, bem como entre os grupos tratados com EPEV ou MEM. Porém, um aumento na atividade exploratória horizontal (rearing) foi observado no grupo EPEV 200mg 2H quando comparado com o grupo ISQ. No teste de rota rod nenhuma alteração significativa foi detectada entre os grupos. No teste de memória step down a ISQ afetou os processos de aquisição e retenção de memória tanto na fase imediata (memória recente - MR), quanto na fase de consolidação (memória tardia - MT) quando comparado ao grupo FO. Comparando os tratamentos de EPEV 200 ou 400 mg/kg observamos um aumento significativo, no tempo de permanência na plataforma, nos animais tratados após a isquemia quando avaliados na MR e na MT. No teste Y-maze a ISQ promoveu um dano na retenção da memória dos animais em relação ao grupo controle (FO), porém o EPEV e a MEM conseguiram reverter esse dano em ambas as doses. Os animais submetidos a ISQ mostraram déficit na memória também no teste de reconhecimento de objetos. Esse déficit foi revertido pelo grupo EPEV 400mg (2 ou 24H) e por MEM . A dosagem de aminoácidos após o teste de comportamento no CPF, HC e CE apresentou aumento nas concentrações dos aminoácidos excitatórios (ASP, GLU) nos animais ISQ +DMSO quando comparados ao FO. No CPF esse aumento pode ser revertido pelos animais tratados com EPEV 24H em ambas as doses e MEM 24H. Já no HC esse aumento foi revertido por todos os grupos tratados. No CE houve redução das concentrações de GLU nos grupos EPEV 200mg (2 ou 24H) e MEM 2H. A respeito das concentrações de GABA, GLI e TAU, no CPF, houve reversão dos valores nos grupos EPEV 200mg 2H e no grupo 400mg em ambos os horários de tratamento como também no grupo MEM 24H quando comparados ao controle isquemiado. No HC um aumento nas concentrações de GLI e TAU pode ser visto nos grupos EPEV 200mg 24H, EPEV 400mg 2H e MEM 24H. Já as concentrações de GABA foram revertidas nos grupos EPEV 400mg e MEM no tempo de 24H. O CE apresentou concentrações elevadas de TAU e GABA nos animais ISQ quando comparados com o controle. O valor de GABA só foi revertido pelo grupo EPEV 200mg 2H. Diante do exposto, concluímos que o EPEV em ambas as doses desenvolveu uma ação neuroprotetora, possivelmente pela redução das concentrações de aminoácidos excitatórios e aumento dos inibitórios após a isquemia. Possibilitando, assim, a perspectiva de um uso futuro do EPEV em doenças isquêmicas no Sistema Nervoso Central.

Page generated in 0.1052 seconds