• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 24
  • Tagged with
  • 24
  • 24
  • 19
  • 13
  • 9
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Vírus que afetam Apis mellifera Linnaeus 1758 (Hymenoptera:Apidae) em apiários de Minas Gerais / Virus that affecting Apis mellifera Linnaeus 1758 (Hymenoptera:Apidae) in apiaries of Minas Gerais

Souza, Amanda Martins da Cruz 19 February 2018 (has links)
Submitted by Marco Antônio de Ramos Chagas (mchagas@ufv.br) on 2018-08-07T12:47:59Z No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 1005646 bytes, checksum: 4d359018a6d3500032d11c14616f3e03 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-08-07T12:47:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 texto completo.pdf: 1005646 bytes, checksum: 4d359018a6d3500032d11c14616f3e03 (MD5) Previous issue date: 2018-02-19 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Na abelha Apis mellifera são identificados 24 vírus, que persistem de forma natural nas colônias, em baixos títulos e sem sintomas aparentes. Porém, esta infecção silenciosa, associada a outros tipos de perturbações individuais, pode ser prejudicial e levar à morte de toda a colônia, como relatada no CCD. Vários vírus de abelhas foram descritos em A. mellifera, mas somente alguns são considerados como capazes de causar doenças, assim sendo, estes vírus estudados com mais frequência: Vírus da Paralisia Crônica (CBPV), Vírus da Paralisia Aguda (ABPV), Vírus Deformador da Asa (DWV), Vírus da Realeira Negra (BQCV), Vírus da Cria Ensacada (SBV), Vírus Caxemira (KBV), SBPV (Slow Bee Paralysis Virus), VDV1 (Vírus V. destructor -1) e, mais recentemente, o Vírus Israelense da Paralisia Aguda (IAPV). Baseando-se na importância da apicultura no Brasil, além do valor ecológico das abelhas como polinizadoras, o presente trabalho buscou verificar a ocorrência de vírus que afetam A. mellifera no estado de Minas Gerais, em treze cidades de sete Mesorregiões. As amostras foram coletadas em colônias distintas, em apiários cujo número variou entre 1 e 3 por mesorregião. O RNA total presente em seis abdômens (pool) de operárias por apiário foi extraído e feita a síntese de DNA complementar. O cDNA obtido foi utilizado para a amplificação por reação de polimerização em cadeia (PCR) com primers já previamente publicados. Posteriormente, cada fragmento gerado foi purificado e inserido no vetor pGEM-T Easy para sequenciamento. Neste trabalho pode-se detectar a presença de três tipos virais: ABPV, BQCV e CBPV. Dois na cidade de Passa Quatro no Sul (ABPV e BQCV) e um (CBPV) nas cidades de Viçosa, Caratinga, Divinópolis e Diamantina. Para os vírus DWV, IAPV, KBV, SBV, SBPV e VDV1 não foram obtidos amplicons. A presença do CBPV se dá em maior frequência (30,76%), sendo registrada em quatro cidades mineiras; ABPV e BQCV a 7,69% em uma localidade; das cidades analisadas 61,55% não apresentaram amplicons para os vírus analisados. / Honey bee Apis mellifera can be identified by 24 viruses, which persist naturally in the colonies, low titers and no apparent symptoms. However, this infection, associated with other types of individual disorders, can be harmful and lead to the death of the entire colony, as reported in CCD. Several bee viruses have been described in A. mellifera, but only some are considered to be capable of causing diseases, so these, viruses are most frequently studied: Chronic Bee Paralysis Virus (CBPV), Acute Bee Paralysis Virus (ABPV), Deformed Wing Virus (DWV), Black Queen Cell Virus (BQCV), Sacbrood Virus (SBV), Kashmir Virus (KBV), SBPV (Slow Bee Paralysis Virus), VDV1 (Vírus V. destructor -1) and more recently, the Israeli Acute Paralysis Virus (IAPV). Based on the importance of beekeeping in Brazil, in addition to the ecological value of bees as pollinators, the present work sought to verify the occurrence of viruses that affect A. mellifera in the state of Minas Gerais, in thirteen cities of seven Meso-regions. The samples were collected in distinct colonies, in apiaries whose number varied between 1 and 3 per mesoregion. The total RNA present in six abdomens (pool) of workers per apiary was extracted and the synthesis of complementary DNA was made. The obtained cDNA was used for amplification by polymerization chain reaction (PCR) with previously published primers. Subsequently, each generated fragment was purified and inserted into the pGEM-T Easy vector for sequencing. In this work we can detect the presence of three viral types: ABPV, BQCV and CBPV. Two in the city of Passa Quatro in the South (ABPV and BQCV) and one (CBPV) in the cities of Viçosa, Caratinga, Divinópolis and Diamantina. For the viruses DWV, IAPV, KBV, SBV, SBPV and VDV1 no amplicons were obtained. The presence of CBPV occurs more frequently (30.76%), being registered in four cities in Minas Gerais; ABPV and BQCV at 7.69% in one locality; of the analyzed cities 61.55% did not present amplicons for the virus analyzed.
2

Distribuição espacial e temporal de abelhas melíferas africanizadas e vespídeos (Hymenoptera) na cidade de São Paulo / Spatial and temporal distribution of Africanized honey bees and wasps (Hymenoptera) in the city of Sao Paulo

Agda Maria Oliveira 20 September 2007 (has links)
Introdução - Abelhas (Apis) e vespídeos causam problemas tanto ao homem quanto aos animais, podendo ocasionar manifestações de hipersensibilidade e choque anafilático em conseqüência da ferroada. Após o processo de hibridização as abelhas tornaram-se mais produtivas, porém, mais defensivas e devido às alterações antrópicas, encontraram na cidade locais de nidificação. Existe na capital paulista desde 1994 um serviço realizado pelo Centro de Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde, que retira colméias e enxames de abelhas e vespídeos, conforme solicitações dos munícipes. As informações dessas atividades foram disponibilizadas para estudo. Objetivo - Mapear regiões da cidade de São Paulo com registros de maior concentração de colméias e enxames de abelhas e vespídeos, locais de nidificação, além de sugerir medidas para orientação da população. Métodos - Utilizar dados secundários oriundos de solicitações atendidas durante o período de agosto de 2002 a julho de 2005, e por meio de uma planilha compilar as informações e cruzar às variáveis estudadas. Resultados - No período estudado, foram totalizados 9.190 solicitações entre abelhas melíferas africanizadas e vespídeos. Houve maior frequência no atendimento para vespídeos. A distribuição ocorreu por todo o município, tendo a região leste maior frequência de vespídeos e a região sul maior frequência de abelhas melíferas africanizadas. No período em estudo ocorreram 1.944 acidentes com vítimas. Quanto aos locais de nidificação, o forro de residências e edificações foi o mais utilizado tanto para abelhas melíferas africanizadas como vespídeos. Conclusões Meses que correspondem a estações mais quentes, apresentam maior concentração de atendimentos. As solicitações para atendimento a vespídeos foi maior. Verifica-se distribuição por todo o município e grande diversidade nos locais utilizados para nidificação. / Bees (Apis) and wasps cause problems both to man and animals, and they may generate manifestations of hypersensibility and anaphylactic chock due to stings. After the hybridization process bees have become more productive, however, more defensive and due to anthropic alterations, they have found in the city some nesting places. There is in the Capital of the State of Sao Paulo since 1994 a service undertaken by the Zoonosis Control Center from the Municipal Health Secretariat, which collects beehives and bee and wasp swarms, under the request of local inhabitants. Information related to this activity has been made available for study. To map the regions in the city of Sao Paulo with a record of a greater concentration of beehives and bee and wasp swarms, and nesting places, besides suggesting measures to guide the population. To use secondary data derived from requests serviced during the period of August 2002 to July 2005, and through a spreadsheet to compile information and analyze the studied variables. In the studied period, 9.190 requests were counted among Africanized honeybees and wasps. There was some frequency in requests of servicing to deal with wasp problems. The distribution was verified all throughout the municipality, while the Eastern region presented a greater frequency of wasps and the Southern region a greater frequency of Africanized honeybees. In study period there were 1.944 accidents with victims. As regards nesting places, the lining of residences and edifications has been the most used location both to Africanized honeybees and wasps. The months corresponding to the hottest seasons, present a greater concentration of services. Requests of services to deal with wasp related problems were the greatest. It may be verified a distribution in the entire municipality and a great diversity of places used for nesting.
3

Estrutura genética das populações de abelhas africanizadas (Apis mellifera L.) e suas relações com as raças parentais determinadas por meio da análise de microssatélites

Collet, Thaís 04 August 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-02T20:20:29Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2754.pdf: 1596501 bytes, checksum: 942c46cb613e5d89c8ba3fa8cd1a6111 (MD5) Previous issue date: 2009-08-04 / Universidade Federal de Sao Carlos / The Africanization process through the Americas started in 1956 with the introduction in Rio Claro (SP) of Apis mellifera scutellata queens from South Africa. The resultant alterations of this process in the characteristics of the preexisting honeybee populations have been measured through several methods, including morphometry, allozymes, mitochondrial DNA patterns and in a lower degree the microsatellite loci. The aim of this study was to determine the genetic structure of the A. mellifera Africanized populations from seven countries of South and Central Americas, employing 12 microsatellite loci. Parental populations from Europe and Africa were used as control. The results obtained from 2034 colonies analyzed indicated that the American Africanized populations presented a high variability and have essentially an African genetic constitution. The South region of Argentina is an exception since those samples keep the variation patterns of the European populations, with a lower degree of polymorphism. However, the presence of Africanized honeybees in high altitudes and low temperatures observed in Colombia indicate that the restrictions for the colonization of temperate regions by the Africanized swarms are not only due to the temperature. Concerning to the low frequencies of the European patterns in the Africanized populations, the contribution of genes characteristics of subspecies from the M lineage (A. m. iberiensis) is higher, with a very low proportion of C lineage genes (A. m. ligustica). Results of population structure indicate that the Africanized populations are genetically low differentiated. Even though a low fraction of European genes exists in the Africanized populations, we can affirm that the genetic constitution of the honeybees of Americas is a straight result of the introduction of A. m. scutellata in Brazil. / O processo de africanização da abelha melífera pelas Américas teve início em 1956 com a introdução em Rio Claro (SP) de rainhas de Apis mellifera scutellata oriundas da África do Sul. As alterações resultantes deste processo nas características das populações preexistentes têm sido mensuradas por métodos distintos, dentre os quais se destacam a análise morfométrica, alozímica, padrões do DNA mitocondrial e, em menor grau, os locos microssatélites. Este trabalho objetivou determinar a estrutura genética de populações africanizadas de A. mellifera provenientes de sete países das Américas do Sul e Central a partir da análise de 12 locos microssatélites. Populações parentais da Europa e África foram utilizadas como controle. Os resultados obtidos após análise de 2.034 colônias indicam que as populações africanizadas das Américas apresentam elevada variabilidade e uma constituição genética essencialmente africana. Exceção a esta observação ocorre na região sul da Argentina, cujas amostras analisadas mantêm o padrão de variação das populações de origem européia, com menor grau de variação. No entanto, a presença das abelhas africanizadas em elevadas altitudes e baixas temperaturas na Colômbia sugere que as restrições à colonização de regiões temperadas pelos enxames africanizados não se devem somente à temperatura. Em meio à baixa freqüência de padrões europeus nas populações africanizadas analisadas, destaca-se a contribuição de genes característicos de subespécies da linhagem M (A. m. iberiensis) e uma proporção muito baixa de genes da linhagem C (A. m. ligustica). Os resultados de estruturação populacional indicam que as populações africanizadas são pouco diferenciadas geneticamente e, embora a pequena fração de genes europeus, pode-se afirmar que a constituição genética das abelhas melíferas hoje nas Américas é resultado direto da referia introdução de A. m. scutellata no Brasil.
4

Interferência do pólen de milho geneticamente modificado em colônias de Apis mellifera e detecção da ocorrência de proteínas transgênicas em mel

Abreu, Lucilene de January 2015 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais, Florianópolis, 2015. / Made available in DSpace on 2017-05-30T04:03:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 345795.pdf: 2243347 bytes, checksum: 2c97a0d74648175423566a78cecddb09 (MD5) Previous issue date: 2015 / Em ambientes naturais e agrícolas, as plantas geneticamente modificadas e seus transgenes estabelecem contato com espécies não alvo que desempenham importantes funções ecológicas. Os estudos revelam que a eficiência de plantas geneticamente modificadas para controlar pragas é bem conhecida; no entanto, seus efeitos letais e/ou sub-letais sobre insetos não-alvo, permanecem em discussão. O conhecimento sobre o impacto das plantas transgênicas em insetos não alvo, como as abelhas, a campo ainda é escasso. Neste contexto buscou-se avaliar o efeito do pólen de plantas de milho geneticamente modificado sobre o desenvolvimento das áreas de cria, caracteres morfológicos e comportamento higiênico de abelhas africanizadas em condições de campo; e determinar a ocorrência de proteínas transgênicas no mel produzido em Santa Catarina, através do uso de tiras imunocromatográficas de detecção de proteínas transgênicas. Os resultados mostraram que o pólen transgênico dos cultivares de milho que expressam as proteínas Cry1A.105 Cry2Ab2 e Cry1A.105 Cry2Ab2 CP4-EPSPS causaram aumento na área de desenvolvimento de crias aberta e redução na área de desenvolvimento de crias operculada; redução no peso de pupas e diminuição gradativa da taxa de comportamento higiênico. Em relação ao teste de detecção imunocromatográfica através de tiras em mel, este mostrou-se eficiente para detecção da presença das proteínas transgênicas, e do total de amostras de mel analisadas, seis amostras responderam positivamente para todos os transgenes avaliados: Cry 1Ab, Cry 1F e RR; comprovando que as abelhas forrageiam em plantas transgênicas.<br> / Abstract : In natural and agricultural environments, genetically modified plants and their transgenes establish contact with non-target species that perform important ecological functions. Studies show that the efficiency of genetically modified plants to control pests is well known; however, its lethal and / or sub-lethal effects on non-target insects remain under discussion. Knowledge about the impact of transgenic plants on nontarget insects, such as bees, on the field is still scarce. The objective of this study was to evaluate the effect of pollen from genetically modified corn plants on the development of breeding areas, morphological characters and hygienic behavior of africanized bees under field conditions; and to determine the occurrence of transgenic proteins in the honey produced in Santa Catarina, through the use of immunochromatographic strips of detection of transgenic proteins. The results showed that transgenic pollen from maize cultivars expressing the Cry1A.105 Cry2Ab2 and Cry1A.105 Cry2Ab2 CP4-EPSPS proteins caused an increase in the area of open hatchlings development and reduction in the area of hatchlings development; reduction in pupal weight and gradual decrease in the rate of hygienic behavior. In relation to the immunochromatographic detection test by means of honeycomb strips, it was efficient to detect the presence of the transgenic proteins, and of the total honey samples analyzed, six samples responded positively to all the evaluated transgenes: Cry 1Ab, Cry 1F And RR; oroving that bees forage in transgenic plants.
5

Distribuição espacial e temporal de abelhas melíferas africanizadas e vespídeos (Hymenoptera) na cidade de São Paulo / Spatial and temporal distribution of Africanized honey bees and wasps (Hymenoptera) in the city of Sao Paulo

Oliveira, Agda Maria 20 September 2007 (has links)
Introdução - Abelhas (Apis) e vespídeos causam problemas tanto ao homem quanto aos animais, podendo ocasionar manifestações de hipersensibilidade e choque anafilático em conseqüência da ferroada. Após o processo de hibridização as abelhas tornaram-se mais produtivas, porém, mais defensivas e devido às alterações antrópicas, encontraram na cidade locais de nidificação. Existe na capital paulista desde 1994 um serviço realizado pelo Centro de Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde, que retira colméias e enxames de abelhas e vespídeos, conforme solicitações dos munícipes. As informações dessas atividades foram disponibilizadas para estudo. Objetivo - Mapear regiões da cidade de São Paulo com registros de maior concentração de colméias e enxames de abelhas e vespídeos, locais de nidificação, além de sugerir medidas para orientação da população. Métodos - Utilizar dados secundários oriundos de solicitações atendidas durante o período de agosto de 2002 a julho de 2005, e por meio de uma planilha compilar as informações e cruzar às variáveis estudadas. Resultados - No período estudado, foram totalizados 9.190 solicitações entre abelhas melíferas africanizadas e vespídeos. Houve maior frequência no atendimento para vespídeos. A distribuição ocorreu por todo o município, tendo a região leste maior frequência de vespídeos e a região sul maior frequência de abelhas melíferas africanizadas. No período em estudo ocorreram 1.944 acidentes com vítimas. Quanto aos locais de nidificação, o forro de residências e edificações foi o mais utilizado tanto para abelhas melíferas africanizadas como vespídeos. Conclusões Meses que correspondem a estações mais quentes, apresentam maior concentração de atendimentos. As solicitações para atendimento a vespídeos foi maior. Verifica-se distribuição por todo o município e grande diversidade nos locais utilizados para nidificação. / Bees (Apis) and wasps cause problems both to man and animals, and they may generate manifestations of hypersensibility and anaphylactic chock due to stings. After the hybridization process bees have become more productive, however, more defensive and due to anthropic alterations, they have found in the city some nesting places. There is in the Capital of the State of Sao Paulo since 1994 a service undertaken by the Zoonosis Control Center from the Municipal Health Secretariat, which collects beehives and bee and wasp swarms, under the request of local inhabitants. Information related to this activity has been made available for study. To map the regions in the city of Sao Paulo with a record of a greater concentration of beehives and bee and wasp swarms, and nesting places, besides suggesting measures to guide the population. To use secondary data derived from requests serviced during the period of August 2002 to July 2005, and through a spreadsheet to compile information and analyze the studied variables. In the studied period, 9.190 requests were counted among Africanized honeybees and wasps. There was some frequency in requests of servicing to deal with wasp problems. The distribution was verified all throughout the municipality, while the Eastern region presented a greater frequency of wasps and the Southern region a greater frequency of Africanized honeybees. In study period there were 1.944 accidents with victims. As regards nesting places, the lining of residences and edifications has been the most used location both to Africanized honeybees and wasps. The months corresponding to the hottest seasons, present a greater concentration of services. Requests of services to deal with wasp related problems were the greatest. It may be verified a distribution in the entire municipality and a great diversity of places used for nesting.
6

Efeito de entomopatógenos e extratos vegetais sobre Apis mellifera L. (Hymenoptera: Apidae) / Effect of entomopathogens and plant extracts on Apis mellifera L. (Hymenoptera: Apidae)

Silva, Rita Tatiane Leão da 30 May 2014 (has links)
Fundação Araucária / Escassas são as informações sobre os efeitos dos entomopatógenos e extratos vegetais sobre organimos não alvos, como os polinizadores, em especial as abelhas Apis mellifera L. (Hymenoptera: Apidae). Neste sentido, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de micro-organismos entomopatogênicos e extratos vegetais sobre A. mellifera. Para isto, os entomopatógenos Metarhizium anisopliae (Metarril® WP) Beauveria bassiana (Boveril® WP) e Bacillus thuringiensies subespécie Kurstaki (Thuricide® WP) e os extratos vegetais de Romã (Punica granatum L.), Chapéu-de-couro (Echinodorus grandiflorus), Manjerona (Origanum majorana L.), Camomila (Matricaria recutita L.) foram avaliados sobre as operárias de A. mellifera em quatro diferentes formas de aplicação: 1- pulverização direta dos tratamentos sobre as abelhas operárias ; 2- contato em superfície vítrea pulverizada com os tratamentos; 3- contato com as folhas de soja imersas na solução dos tratamentos e 4- misturando-se os tratamentos na pasta Cândi. Para as respectivas testemunhas utilizou-se água destilada esterilizada e pasta Cândi pura. Cada tratamento foi composto por cinco repetições, com 20 abelhas por repetição, estas foram acondicionadas em caixa gerbox e posteriormente em câmara climatizada tipo B.O.D. (27 ± 2 °C, U.R. 60% ± 10%, fotofase de 12 h). A mortalidade/sobrevivência das operárias foi avaliada a partir da uma hora até ás 240 horas, sendo os dados submetidos ao procedimento Bayesiano. As operárias mortas pela ingestão de pasta Cândi contaminada foram separadas e selecionadas aleatoriamente para a retirada do mesêntero (ventrículo) e posterior análise histológica. Os mesmos foram avaliados quanti e qualitativamente.Os produtos Boveril®, Metarril® e Thuricide® e os extratos vegetais de Manjerona, Camomila, Romã e Chapéu-de-couro reduziram a sobrevivência das operárias de A. mellifera. Verificou-se que o produto Boveril® e o extrato vegetal de Manjerona reduziram a sobrevivência das operárias de A. mellifera em todos os bioensaios realizados. Os tratamentos com os produtos biológicos comerciais Boveril® e Thuricide® provocaram alterações morfológicas no mesêntero de A. mellifera, quando alimentadas com pasta Cândi incorporada com esses produtos. Os extratos vegetais Manjerona e Romã causaram modificações morfométricas, reduzindo o comprimento de células do mesêntero de A. mellifera,mas sem causar alterações morfológicas.Estes resultados fornecem informações importantes para o manejo dos insetos-pragas com o intuito de preservar os agentes polinizadores. / Information on the effects of plant extracts and entomopathogens on non-target organisms such as pollinators, especially bees Apis mellifera L. (Hymenoptera: Apidae) are scarce. In this sense, the present work aimed to evaluate the effect of entomopathogenic microorganisms and plant extracts on A. mellifera. For this, the entomopathogenic Metarhizium anisopliae (Metarril® WP), Beauveria bassiana (Boveril® WP) and Bacillus thuringiensies subspecies Kurstaki (Thuricide® WP) and plant extracts of Romã (Punica granatum L.), Chapéu-de-couro (Echinodorus grandiflorus), Manjerona (Origanum majorana L.), Camomila (Matricaria recutita L.) were evaluated on the workers of A. mellifera in four different forms of application: 1 - direct spray of treatments on the worker bees; 2- contact in a glass surface sprayed with the treatments; 3- contact with soybean leaves immersed in the solution treatments and 4- mixing the treatments in a paste Candi pure. For the respective controls it has been used sterile distilled water and paste Candi pure. Each treatment consisted of five replicates, with 20 bees per replication, and these were placed in Gerboxes and later in a climate chamber type B.O.D. (27 ± 2 °C, U.R. 60% ± 10%, photoperiod of 12 h). The mortality / survival of the workers were assessed from one hour to 240 hours, and the data submitted to the Bayesian procedure. The workers bee killed by the ingestion of contaminated Candi paste were separated and randomly selected for the withdrawal of the midgut (ventricle) and subsequent histological analysis. The same quality and quantity have been assessed. The products Boveril®, Metarril® and Thuricide® and the plant extract of Manjerona, Camomila, Romã e Chapéu-de-couro have decreased the survival of A. mellifera workers. It has been found that the product Boveril® and the plant extract of Manjerona have reduced the survival of A. mellifera workers in all bioassays performed. The treatments with the biological commercial products Boveril® and Thuricide® caused morphological changes in the midgut of A. mellifera, when they were fed with Candi paste incorporated to these products.The plant extracts of Manjerona and Romã caused morphological changes, reducing the length of the midgut cells of A. mellifera, but without causing morphological changes. These results provide important information for the management of insect pests in order to conserve pollinator’s agents.
7

Efeito de entomopatógenos e extratos vegetais sobre Apis mellifera L. (Hymenoptera: Apidae) / Effect of entomopathogens and plant extracts on Apis mellifera L. (Hymenoptera: Apidae)

Silva, Rita Tatiane Leão da 30 May 2014 (has links)
Fundação Araucária / Escassas são as informações sobre os efeitos dos entomopatógenos e extratos vegetais sobre organimos não alvos, como os polinizadores, em especial as abelhas Apis mellifera L. (Hymenoptera: Apidae). Neste sentido, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de micro-organismos entomopatogênicos e extratos vegetais sobre A. mellifera. Para isto, os entomopatógenos Metarhizium anisopliae (Metarril® WP) Beauveria bassiana (Boveril® WP) e Bacillus thuringiensies subespécie Kurstaki (Thuricide® WP) e os extratos vegetais de Romã (Punica granatum L.), Chapéu-de-couro (Echinodorus grandiflorus), Manjerona (Origanum majorana L.), Camomila (Matricaria recutita L.) foram avaliados sobre as operárias de A. mellifera em quatro diferentes formas de aplicação: 1- pulverização direta dos tratamentos sobre as abelhas operárias ; 2- contato em superfície vítrea pulverizada com os tratamentos; 3- contato com as folhas de soja imersas na solução dos tratamentos e 4- misturando-se os tratamentos na pasta Cândi. Para as respectivas testemunhas utilizou-se água destilada esterilizada e pasta Cândi pura. Cada tratamento foi composto por cinco repetições, com 20 abelhas por repetição, estas foram acondicionadas em caixa gerbox e posteriormente em câmara climatizada tipo B.O.D. (27 ± 2 °C, U.R. 60% ± 10%, fotofase de 12 h). A mortalidade/sobrevivência das operárias foi avaliada a partir da uma hora até ás 240 horas, sendo os dados submetidos ao procedimento Bayesiano. As operárias mortas pela ingestão de pasta Cândi contaminada foram separadas e selecionadas aleatoriamente para a retirada do mesêntero (ventrículo) e posterior análise histológica. Os mesmos foram avaliados quanti e qualitativamente.Os produtos Boveril®, Metarril® e Thuricide® e os extratos vegetais de Manjerona, Camomila, Romã e Chapéu-de-couro reduziram a sobrevivência das operárias de A. mellifera. Verificou-se que o produto Boveril® e o extrato vegetal de Manjerona reduziram a sobrevivência das operárias de A. mellifera em todos os bioensaios realizados. Os tratamentos com os produtos biológicos comerciais Boveril® e Thuricide® provocaram alterações morfológicas no mesêntero de A. mellifera, quando alimentadas com pasta Cândi incorporada com esses produtos. Os extratos vegetais Manjerona e Romã causaram modificações morfométricas, reduzindo o comprimento de células do mesêntero de A. mellifera,mas sem causar alterações morfológicas.Estes resultados fornecem informações importantes para o manejo dos insetos-pragas com o intuito de preservar os agentes polinizadores. / Information on the effects of plant extracts and entomopathogens on non-target organisms such as pollinators, especially bees Apis mellifera L. (Hymenoptera: Apidae) are scarce. In this sense, the present work aimed to evaluate the effect of entomopathogenic microorganisms and plant extracts on A. mellifera. For this, the entomopathogenic Metarhizium anisopliae (Metarril® WP), Beauveria bassiana (Boveril® WP) and Bacillus thuringiensies subspecies Kurstaki (Thuricide® WP) and plant extracts of Romã (Punica granatum L.), Chapéu-de-couro (Echinodorus grandiflorus), Manjerona (Origanum majorana L.), Camomila (Matricaria recutita L.) were evaluated on the workers of A. mellifera in four different forms of application: 1 - direct spray of treatments on the worker bees; 2- contact in a glass surface sprayed with the treatments; 3- contact with soybean leaves immersed in the solution treatments and 4- mixing the treatments in a paste Candi pure. For the respective controls it has been used sterile distilled water and paste Candi pure. Each treatment consisted of five replicates, with 20 bees per replication, and these were placed in Gerboxes and later in a climate chamber type B.O.D. (27 ± 2 °C, U.R. 60% ± 10%, photoperiod of 12 h). The mortality / survival of the workers were assessed from one hour to 240 hours, and the data submitted to the Bayesian procedure. The workers bee killed by the ingestion of contaminated Candi paste were separated and randomly selected for the withdrawal of the midgut (ventricle) and subsequent histological analysis. The same quality and quantity have been assessed. The products Boveril®, Metarril® and Thuricide® and the plant extract of Manjerona, Camomila, Romã e Chapéu-de-couro have decreased the survival of A. mellifera workers. It has been found that the product Boveril® and the plant extract of Manjerona have reduced the survival of A. mellifera workers in all bioassays performed. The treatments with the biological commercial products Boveril® and Thuricide® caused morphological changes in the midgut of A. mellifera, when they were fed with Candi paste incorporated to these products.The plant extracts of Manjerona and Romã caused morphological changes, reducing the length of the midgut cells of A. mellifera, but without causing morphological changes. These results provide important information for the management of insect pests in order to conserve pollinator’s agents.
8

Temperatura da superfície corpórea e perda de calor por convecção em abelhas (Apis mellifera) em uma região semi-árida / Body surface temperature and heat loss by convection in honeybees (Apis mellifera) in a Semi-Arid Region

Carvalho, Michele Daiana Ferreira de 13 August 2009 (has links)
Submitted by Socorro Pontes (socorrop@ufersa.edu.br) on 2017-05-24T14:43:41Z No. of bitstreams: 1 MicheleDFC_DISSERT.pdf: 920263 bytes, checksum: 53a2a3e4da4623de921e854a9507225d (MD5) / Made available in DSpace on 2017-05-24T14:43:41Z (GMT). No. of bitstreams: 1 MicheleDFC_DISSERT.pdf: 920263 bytes, checksum: 53a2a3e4da4623de921e854a9507225d (MD5) Previous issue date: 2009-08-13 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Honeybees managed in semi-arid region were observed with the objective to determine the individual body surface temperature in different places, as well the heat loss by convection. The body surface temperature was measured with micro thermocouple type T touching in three different body region (the head, thorax and abdomen), its collected from four different places (beehive, hive entrance, foraging and watering place) in which they was arrested by the wings between thumb and forefinger for a few seconds, without causing any injury to the animal. The same time was made measurements of climatic variables. The convective heat transfer was estimated by the theory of convection from a horizontal cylinder. The results showed that had different among temperature surface in parts of the body and in different places. The thorax showed the hottest part of the body, then the head and abdomen was the coldest. In hive entrance the bee had the highest thorax temperature (36.6°C) due the shivering caused for flight muscles. Already, in watering place the surface temperature was the lowest in all parts of the body probably because almost always the body surface had wet by water, if not, at the time of measuring the bee regurgitated the liquid ingest in your body. When the bee was in beehive and in hive entrance (in conditions of low wind) the heat loss by convection increases from 0 to 7.5 W m-2 while increase in the gradient temperature from 0 to 10ºC, but when the wind was 1.0 ms-1 the heat loss by convection increases from 0 to 27.5 W cm-2. In bee hive when the black globe showed a temperature of 43°C, the body surface temperature of bee was 46°C, but when the black globe temperature increased 6°C, the body surface temperature lowered 3°C. These results clearly explain that the bee in a semi-arid region in individual or society has physiological and behavioral mechanisms to regulate their body temperature, but more studies are requires know the most efficient thermoregulatory processes. And climatic variations of the environment are crucially to their thermoregulatory behavior / Abelhas criadas em uma região semi-árida foram observadas com o objetivo de determinar qual a temperatura da superfície corpórea do individuo em diferentes lugares, além da sua perda de calor por convecção. A temperatura da superfície corporal foi medida com micro-termopar tipo T tocando em três diferentes regiões do corpo (cabeça, tórax e abdome) da abelha, sendo estas coletadas em quatro diferentes lugares: dentro da colméia, no alvado, forrageando e no bebedouro. Para a medição da temperatura da superfície corpórea, as abelhas tinham as asas presas pelo dedo polegar e indicador por alguns segundos e logo após eram soltas, sem causar nenhuma injúria ao animal. Ao mesmo tempo era feitas as medições das variáveis climáticas. A transferência de calor por convecção foi estimada aplicando-se a teoria da convecção em cilindros horizontais. Os resultados mostraram que houve diferença de temperatura de superfície entre as partes do corpo e nos diferentes lugares. O tórax apresentou a parte mais quente do corpo, seguido da cabeça e abdômen. A abelha no alvado apresentou a maior temperatura de superfície do tórax (36,6°C). Já, no bebedouro a temperatura de superfície foi a mais baixa em todas as partes do corpo. Provavelmente por apresentarem quase sempre a superfície do corpo molhada, se não, na hora da medição a abelha regurgitava a água ingerida no seu próprio corpo. Quando a abelha se encontrava dentro da colméia e no alvado a perda de calor por convecção aumentou de 0 a 7,5 W m-2 com o aumento no gradiente de temperatura de 0 a 10ºC, mas quando o vento foi de 1,0 m s-1 a perda de calor por convecção aumentou de 0 a 27,5 W m-2. Quando a abelha estava no interior da colméia e o globo negro apresentou uma temperatura de 43°C, a temperatura de superfície corpórea desta foi de 46°C, mas quando a temperatura de globo negro aumentou 6°C, a temperatura de superfície corporal da abelha baixou 3°C. Estes resultados explicam claramente que as abelhas em uma região semi-árida como indivíduo ou em colônia possuem mecanismos fisiológicos e comportamentais para regular sua temperatura corporal. E que as variações climáticas do meio ambiente são determinantes para o seu comportamento termorregulatório / 2017-05-16
9

Influência das precipitações pluviométricas e da atividade forrageira das abelhas africanizadas (Apis mellifera L.) no comportamento higiênico / Influence of rainfall and foraging activity on hygienic behavior of Africanized honey bees (Apis mellifera L.)

Vanessa de Andrade Bugalho 25 March 2009 (has links)
O comportamento higiênico (CH) é uma característica muito utilizada para seleção em programas de melhoramento genético de abelhas Apis mellifera , em especial para o controle de doenças sem a necessidade de tratamentos químicos. Entretanto, o controle de qualquer comportamento é extremamente difícil sem que se conheçam os mecanismos que os determinam e quais os fatores ambientais que os influenciam. Os objetivos deste trabalho se constituíram em verificar se as abelhas forrageiras podem realizar o comportamento higiênico durante a noite, período no qual existe pouca ou nenhuma coleta de recursos e verificar o efeito das variáveis climáticas: temperatura, umidade relativa e em especial das precipitações pluviométricas no comportamento higiênico das abelhas africanizadas. Os experimentos foram realizados no Apiário Experimental do Departamento de Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão PretoUSP. Foram utilizadas seis colônias de abelhas africanizadas escolhidas aleatoriamente, colméias de observação e o sistema de monitoramento de uma Câmara Climática dotada de sensores de temperatura, umidade e registradores automáticos de atividades de vôo dotados de foto-células (Apidômetros) instalados no alvado das colônias. Próximo ao laboratório foi montada uma Estação Climatológica Modelo Vantage Pro-2 acoplada ao computador (com recepção wireless) para registro dos dados climáticos. Para o processamento estatístico dos dados dos experimentos utilizamos os testes One Way Repeated Measures (RM) ANOVA, RM ANOVA on Ranks, Paired t-test e o teste de Correlação de Spearman, levando-se em consideração a normalidade das amostras. Para avaliarmos a possível influência das abelhas forrageiras no CH realizamos três experimentos. No primeiro verificamos que as forrageiras realizam o CH na ausência de abelhas mais jovens. O segundo experimento foi realizado com quadros-testes de CH introduzidos nas colméias em horários distintos, sendo três repetições realizadas das 12h às 22h (6 horas durante o dia e 4 horas durante a noite) e das 24h às 10h (6 horas durante a noite e 4 horas durante o dia). As médias de células vazias foram respectivamente de 10,82% e 14,17%. Estes dados apresentaram diferença estatisticamente significante, sendo que o CH foi mais eficiente quando o quadro-teste permaneceu a maior parte do tempo (6 horas) na colméia durante a noite. As mesmas colônias foram utilizadas em mais três repetições realizadas das 18h às 4h (10 horas durante a noite) e das 6h às 16h (10 horas durante o dia). As médias de células vazias foram de 28,56% durante a noite e 23,90% durante o dia. Neste caso, embora não haja diferença estatística significante foi possível observar uma tendência do CH ser mais eficiente no período noturno. Contudo, como neste experimento não foi possível observar nenhuma abelha forrageira realizando o CH, um novo experimento foi realizado com uma colméia de observação para filmagens de abelhas de idade controlada e marcadas com etiquetas coloridas e numeradas. No entanto, nenhuma abelha observada forrageando anteriormente foi vista realizando o CH durante a noite. Constatamos que colônias constituídas por abelhas jovens apresentam melhor desempenho no CH do que colônias constituídas por abelhas de todas as idades. Quanto a influência das condições climáticas, realizamos testes de CH dois dias antes da chuva, durante a chuva e dois dias depois da chuva. Os testes de CH foram estatisticamente mais eficientes em dias chuvosos do que antes e depois da chuva quando realizados na primavera e no verão. Porém, durante o outono e o inverno os testes de CH não apresentaram nenhuma diferença estatísticamente significante. Mesmo não tendo sido observadas abelhas forrageiras realizando o CH não podemos descartar a possibilidade destas abelhas auxiliarem no CH em dias chuvosos e durante a noite quando a maior parte das campeiras estão no interior da colméia. Também podemos atribuir os resultados obtidos ao possível desvio de função de outras abelhas responsáveis pela recepção, evaporação e armazenamento de néctar e empacotamento de pólen, já que durante a noite e a chuva a coleta de recursos é extremamente reduzida ou não existe. A variável climática umidade relativa do ambiente comportou-se como um fator inversamente proporcional em relação ao CH, enquanto que a temperatura não apresentou nenhuma diferença estatísticamente significante em nenhum dos tratamentos. No entanto, como não foi possível obter dados de temperaturas mais extremas durante o período dos experimentos esta variável deve ser melhor pesquisada para se verificar o efeito dela no CH das abelhas africanizadas. / Hygienic behavior (HB) of honey bees (Apis mellifera ) is a useful and selectable characteristic for resistance to diseases. However, in order to efficiently evaluate and select for this behavior we need to understand the mechanisms involved and how environmental factors influence HB. We examined how time of the day, bee age and behavioral ontogeny, and climatic variables, including temperature, relative humidity and rainfall affect the HB of Africanized bees. We used six colonies of Africanized bees, observation hives and a hive temperature control chamber (colonies had free access to the outside), with temperature and relative humidity sensors and automatic flight activity recorders at the hive entrances. A climatic station placed near the hives was used to record the weather data. The data was analyzed with one way repeated measures ANOVA, ANOVA on ranks, paired t-tests and Spearman\'s correlation tests. We found that foraging bees can perform HB when the younger bees are removed from the colonies. When the HB tests were run from 12h to 22h (six hours during the day and four hours during the night), 10.8% of the brood was removed; when it was run from 24h to 10h (six hours during the night and four hours during the day, 14.2% of the brood was removed. These percentages were significantly different (three repetitions). The same tests were run from 18h to 4h (10 hours during the night; 28.6% removal) and 6h to 16h (10 hours during the day; 23.9% removal). In this case, there was no significant difference, though there appeared to be a tendency towards greater efficiency at night, similar to what was seen in the experiments with six versus four hours of night-time activity. We hypothesized that unoccupied forager bees may contribute at night; however, when we filmed the behavior of marked bees, those that were seen to make foraging trips did not perform HB at night. We also found that colonies formed only by young bees had more efficient HB than colonies formed by bees of all ages. To determine the influence of climatic conditions, we tested HB two days before rainy days, during rainy days and two days after rainy days; HB was significantly more efficient on rainy days than before and after during spring and summer (when most rain falls). However, during autumn and winter (normally dry seasons) there were no significant differences between days with and without rainfall. The variable relative humidity was inversely correlated with HB, while temperature was not significantly correlated with HB, though we did not test extreme temperatures.
10

Aspectos reprodutivos de rainhas africanizadas (Apis mellifera L.): influência do peso ao nascer no desempenho das colônias / Reproductive aspects of Africanized queens (Apis mellifera L.): influence of virgin queen weight at eclosion on colony performance

Daiana Almeida de Souza 30 October 2009 (has links)
A rainha é a progenitora de todos os integrantes da colônia de abelhas (Apis mellifera L.) através da qual são passadas as características hereditárias para seus descendentes, sendo de extrema importância nos programas de melhoramento genético apícola. A qualidade de uma rainha é determinada principalmente por fatores intimamente relacionados à sua estrutura reprodutiva, o que é refletido tanto no peso destas, como na atividade de postura e na sua longevidade. Por esse motivo, o objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do peso ao nascer de rainhas de abelhas africanizadas sobre o os aspectos relacionados ao comportamento reprodutivo em rainhas fecundadas naturalmente e inseminadas instrumentalmente, bem como acompanhar o desenvolvimento e produtividade das colônias descendentes destas rainhas. Os experimentos foram realizados no Apiário Experimental do Departamento de Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto USP, onde foram estabelecidas doze colônias de abelhas africanizadas divididas em quatro grupos: seis colônias com rainhas fecundadas naturalmente e seis inseminadas instrumentalmente, subdivididas em três colônias com rainhas leves (< 180 mg) e três com rainhas pesadas (> 200 mg), onde o peso foi registrado imediatamente após as rainhas emergirem. As rainhas leves e pesadas, fecundadas naturalmente, foram acompanhadas simultaneamente em colméias de observação, visando analisar o comportamento de acasalamento dos dois grupos, enquanto que as rainhas inseminadas instrumentalmente, de ambos os pesos, foram fecundadas com 6 l de sêmen. Após as fecundações, todas as rainhas foram estabelecidas em caixas tipo núcleo, montadas a partir biomassa semelhante. Vinte dias após a introdução das rainhas nos núcleos estas colônias foram avaliadas quinzenalmente, por meio de mapeamento dos quadros a fim de estimar a porcentagem de ovos, cria aberta, cria fechada e pólen estocado, assim como foram realizados teste de viabilidade de cria. O acompanhamento do tempo de expansão populacional foi estimado através do período necessário para transferência das colônias das caixas tipo núcleo (com três quadros e alimentador) para caixas tipo ninho (com nove quadros e alimentador). Na análise dos dados relacionados ao comportamento de acasalamento observouse que as rainhas leves realizaram maior quantidade de vôos nupciais que as rainhas pesadas, sendo que 56% das nove rainhas leves realizaram mais de um vôo nupcial, enquanto que apenas 33% das nove rainhas pesadas realizaram mais de um vôo nupcial, embora esta diferença não tenha sido estatisticamente significante. Constatamos ainda diferença de um dia na idade de realização de vôos de acasalamento, sendo que as rainhas leves saíram um dia antes, com idade média de 6,11 ± 1,53 dias, enquanto que para as rainhas pesadas essa média foi de 7, 09 ± 4,59 dias. Esta diferença também foi observada na idade em que as rainhas iniciaram a ovoposição, que foi de 7,77 ± 1,86 dias para rainhas leves e 9,88 ± 3,02 dias para rainhas pesadas. Com relação à duração dos vôos nupciais e horário em que foram realizados, ambos ii os grupos tiveram resultados muito semelhantes. As comparações das médias dos dados gerados pelos mapeamentos realizados em colônias com rainhas fecundadas naturalmente e inseminada instrumentalmente, mostraram diferenças estatisticamente significantes relacionada área de postura de ovos (P = 0,117) e área de cria fechada (P = 0,003), onde as colônias descendentes de rainhas pesadas apresentaram desempenho superior em relação as colônias com rainhas leves. Este melhor desempenho é representado ainda pela maior taxa de viabilidade de cria das colônias com rainhas pesadas, dado estatisticamente significante. Atrelado a este fato, as colônias com rainhas pesadas mostraram-se ainda mais rápidas na expansão populacional, que colônias com rainhas leves, onde foi verificada uma diferença média de 24 dias a menos, pelas colônias descendentes de rainhas pesadas, para a transferência para caixas maiores tipo ninho. Quando comparamos as rainhas fecundadas naturalmente e inseminadas instrumentalmente, foi observada diferença média de um dia na idade em que iniciaram a ovoposição, sendo que as rainhas fecundadas naturalmente iniciaram com 9,31 ± 2,49 dias e as rainhas inseminadas instrumentalmente com 10,43 ± 0,51 dias. Observou-se também diferença estatisticamente significante apenas para a variável área de postura (P = 0,004), onde as colônias com rainhas fecundadas naturalmente apresentaram médias superiores, muito embora esta diferença não tenha afetado o desenvolvimento geral das colônias com rainhas inseminadas instrumentalmente, o que foi representado pelo tempo de expansão populacional, igual entre as colônias com rainhas de ambos os tipos de fecundação. Conclui-se que a utilização da técnica de inseminação instrumental de abelhas é uma metodologia viável para a aplicação em programas de melhoramento apícola, uma vez que não encontramos diferenças no desenvolvimento entre colônias descendentes de rainhas inseminadas instrumentalmente e descendentes de rainhas fecundadas naturalmente. Tomando-se por base os principais resultados obtidos no presente trabalho concluímos que a utilização da característica fenotípica peso da rainha acima de 200mg como uma característica importante a ser adotada em programas de seleção e melhoramento de abelhas / The queen is the progenitor of all the honey bee colony members. The quality of a queen is determined mainly by factors closely related to her reproductive structure, including weight, egg-laying activity and longevity. We evaluated the influence of adult eclosion weight on the reproductive behavior of naturally mated and instrumentally inseminated Africanized queens, and we monitored the development and productivity of colonies headed by these queens. Twelve colonies of Africanized honey bees were divided into two groups: six colonies with naturally mated queens and six with instrumentally inseminated queens; there were three light queens (<180 mg) and three heavy queens (> 200 mg) in each mating type group; queen weight was recorded immediately after the virgin queens emerged. The virgin queens in the naturally mated queens group were introduced into observation hives, to compare the mating behavior of the light and heavy queens. The other six queens were artificially inseminated with 6 l semen. After the inseminations, all of the artificially inseminated queens were introduced into four standard Langstroth frame nuclei, which were established with similar numbers of bees and brood area. Beginning 20 days after the introduction of these queens, the colonies were evaluated twice per month, by mapping combs to estimate the areas containing eggs, open and closed brood and stored pollen; the viability of the brood was also investigated. We observed the time it took to outgrow the nucleus boxes (three combs plus an internal frame-size feeder); the colonies were then transferred to 10 frame hives (with nine combs and a feeder). We observed that the light queens made more nuptial flights than heavy queens; five of the nine light queens made more than one nuptial flight, whereas only three of the nine heavy queens took more than a nuptial flight, though this difference was not significant. We also observed a one day difference in the age of queen when she made her mating flights; the light queens went on their first mating flights at a mean age of 6.11 ± 1.53 days, while for the heavy queens the mean was 7.09 ± 4.59 days. A similar tendency was observed in the age at which the queens started oviposition, which was 7.77 ± 1.86 days for light queens and 9.88 ± 3.02 days for heavy queens. The two types of queens had similar duration and time of day of nuptial flights. Heavy queens (both artificially and naturally inseminated) produced significantly more eggs (P = 0.117) and more sealed brood (P = 0.003) than did light queens. Brood viability was significantly greater in the colonies headed by heavy queens. Colony expansion was also faster in colonies with heavy queens. It took an average of 24 days less for the heavy-queen colonies to expand to a point that they needed to be transferred from the four-frame nucleus hives to the 10-frame standard hives. Oviposition by the naturally mated queens began earlier (9.31 ± 2.49 days) than by instrumentally inseminated queens (10.43 ± 0.51 days). Naturally mated queens laid significantly more eggs (P = 0.004), although this difference did not affect the rate of colony population expansion. We concluded that the use of instrumental iv insemination of honey bees is a viable methodology for use in bee breeding programs, since we found no differences in development between colonies with artificially versus naturally inseminated queens. We also concluded that queen weight above 200 mg is a useful characteristic to select for in Africanized honey bees.

Page generated in 0.0637 seconds