• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 6
  • Tagged with
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 3
  • 3
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

[en] MAKING YOUR OWN WAY: PATHWAYS AND LEADING ROLES OF INTELLECTUALS/BLACK THE EXPERIENCE OF ORGANIZATIONS, GELEDÉS/SP AND CRIOLA/RJ / [pt] TRILHANDO SEU PRÓPRIO CAMINHO: TRAJETÓRIAS E PROTAGONISMO DE INTELECTUAIS/ATIVISTAS NEGRAS A EXPERIÊNCIA DAS ORGANIZAÇÕES GELEDÉS/SP E CRIOLA/RJ

LADY CHRISTINA DE ALMEIDA 20 April 2011 (has links)
[pt] A presente dissertação tem como objetivo realizar um estudo sobre trajetórias e narrativas de algumas intelectuais/ativistas negras brasileiras, tendo como fio condutor duas organizações de mulheres negras no Brasil, Geledés, localizada em São Paulo e Criola, localizada no Rio de Janeiro. A pesquisa busca compreender os trajetos que essas mulheres trilharam, levando em consideração sua atuação política e sua produção de conhecimento; atentando para o processo de constituição das organizações de mulheres negras pesquisadas. / [en] This dissertation aims to conduct a study on trajectories and narratives of some intellectual / black Brazilian activists, with the thread two black women s organizations in Brazil, Geledés, located in São Paulo and Criola, located in Rio de Janeiro. The research seeks to understand the paths they trod these women, taking into account its political and its production of knowledge, paying attention to the constitution of black women s organizations researched.
2

[pt] VENCEDORAS, ESTRATEGISTAS E/OU INVISIBILIZADAS? UM ESTUDO DAS POSSIBILIDADES E DOS LIMITES DO PROGRAMA PRÓ-EQUIDADE DE GÊNERO PARA AS MULHERES NEGRAS NAS EMPRESAS / [en] WINNERS, STRATEGISTS AND/OR KEPT INVISIBLE? A STUDY OF THE POSSIBILITIES AND THE LIMITS OF THE GENDER PRO-EQUITY PROGRAM FOR THE BLACK WOMEN IN THE COMPANIES

22 November 2010 (has links)
[pt] O presente trabalho teve como objetivo principal estudar o Programa Pró- Equidade de Gênero - PPEG com a pretensão de conhecer em que medida tal programa vem possibilitando a melhoria das condições de trabalho para as mulheres negras que fazem parte do quadro efetivo de três grandes empresas brasileiras da área de energia situadas na região sudeste do Brasil. A partir deste estudo, procuramos contribuir para a discussão das especificidades das mulheres negras no que diz respeito ao direito a ter uma ocupação que lhes possibilitem condições equânimes de trabalho e vida para si e seus familiares. Para tanto, tomamos por metodologia a realização de pesquisa qualitativa onde foram realizadas entrevistas semiestruturadas com três grupos inseridos na dinâmica laboral das empresas analisadas, a saber: três coordenadoras dos grupos de gênero, responsáveis pela operacionalização do PPEG, além da coordenadora nacional do programa; seis assistentes sociais e seis mulheres negras, totalizando dezesseis entrevistas. Os resultados desta pesquisa demonstram que o PPEG não tem contribuído para a melhoria das condições de inclusão, ascensão e permanência de mulheres negras nestas empresas. Tão pouco há a possibilidade de tal programa vir a ser uma política de ação afirmativa plena que combata as desigualdades sociais que permeiam as mulheres negras. No que se refere à atuação do Serviço Social em torno das desigualdades de gênero e raça não foi verificada ações específicas para tal fim. Entretanto, as profissionais inseridas nestas empresas reconhecem que têm condições de contribuir para a diminuição as desigualdades que incidem sobre as mulheres negras. / [en] This work aimed to study the main Pro-Gender Equity - PPEG by claiming to know to what extent such a program has fostered improved working conditions for black women who are part of the permanent staff of three large Brazilian companies the energy area located in southeastern Brazil. From this study, we contribute to the discussion of the specificities of black women as regards the right to have an occupation that will allow them to equitable conditions of work and life for themselves and their families. So, we methodology for conducting research where qualitative semistructured interviews were conducted with three groups into the dynamic work of the companies examined, namely: three coordinators gender groups, responsible for the operation of PPEG, besides the national coordinator; six social workers and six black women, totaling sixteen interviews. These results demonstrate that PPEG has not contributed to the improvement of conditions for inclusion, the rise and persistence of black women in these firms. With regard to the performance of Social inequalities around race and gender has not been verified specific actions to that end. However, the professionals included in these companies report that they are able to contribute to reducing the inequalities that affect black women.
3

[en] LOOKING FOR NEW PATHS: BLACK WOMEN AND THEIR EXPERIENCES FROM THE PRISON SYSTEM OF RIO DE JANEIRO / [pt] À PROCURA DE NOVOS CAMINHOS: MULHERES NEGRAS E SUAS EXPERIÊNCIAS A PARTIR DO SISTEMA PRISIONAL DO RIO DE JANEIRO

ADRIANA SEVERO RODRIGUES 25 November 2010 (has links)
[pt] O presente trabalho tem como objetivo conhecer as experiências vividas pelas mulheres negras, tentando descobrir se as mesmas receberam tratamento diferenciado dentro da prisão em função da questão racial dos negros. No Brasil nos últimos quatro anos observamos expressivo crescimento dos crimes cometidos por mulheres, o que vem chamando atenção dos estudiosos do assunto. Além disso, o sistema penitenciário brasileiro apresenta deficiências estruturais, que reforçam a cultura da violência institucional, fomentando práticas e abordagens discriminatórias e violentas, ferindo a dignidade e violando direitos. Estas práticas também ocorrem no encarceramento feminino e nossa hipótese é que essas são ainda mais perceptíveis quando realizado o recorte étnico racial. Esta realidade revela outra face das desigualdades sociais e do racismo, o que pode se acentuar transformando-se em vulnerabilidades penais quanto ao cometimento de um delito. Neste contexto o presente estudo questiona as expressões do racismo dentro do sistema prisional. O estudo contou com a contribuição de 10 mulheres internas e egressas do sistema prisional do Rio de Janeiro. O resultado do estudo apresentou que a população negra do estado do Rio de Janeiro está mais representada nas prisões do que na população do Estado. Ainda assim, as mulheres negras que foram entrevistadas não reconhecem as expressões do racismo no interior das prisões. / [en] This purpose of this work is to know if Brazilian black women experienced a different treatment within prison as a consequence of their race. During the last four years is possible to observe an expressive growth of crimes committed by women in Brazil, which calls for the attention of the experts on the subject. Futhermore, the Brazilian prisional system keeps structural deficiencies which reinforce the institutional culture of violence by promoting discriminatory practices and approaches that hurt the dignity and violate the rights. These practices also occur within female prisions, and our hypothesis is that they can be better observed from a ethnical and racial point of view. This reality reveals another face of social inequality and racism that can accentuate becoming criminal and vulnerabilities to the commission of a crime. In this context, the present work discuss the expressions of racism within the prisional system. The study relied on the contribution of ten women who are, or were, under the prisional system of Rio de Janeiro. The work shows that the black population of the state of Rio de Janeiro is more represented in prisons than in the general population of the state. Eventhough, the interviewed women did not recognize racism expressions within the prisons.
4

[en] ENEGRECENDO O MERETRÍCIO: EXPERIENCE OF FEMALE PROSTITUTION IN RIO DE JANEIRO (1871-1909) / [pt] ENEGRECENDO O MERETRÍCIO: EXPERIÊNCIAS DA PROSTITUIÇÃO FEMININA NO RIO DE JANEIRO (1871-1909)

05 January 2021 (has links)
[pt] Esta dissertação pretende analisar a prostituição feminina na cidade do Rio de Janeiro na virada do século XIX para o XX, tendo como foco a atuação de mulheres negras e pardas nesta prática. O objetivo principal é marcar a presença deste grupo de mulheres na história da prostituição, observando como o racismo, embasado pelas teorias raciais que se afirmaram na sociedade brasileira ao longo deste período, influenciou decisivamente a maneira pela qual elas foram encaradas por seus contemporâneos. Através dos testemunhos presentes nos principais jornais do período, assim como de registros policiais e judiciais, busca-se analisar as formas específicas de repressão e controle de que foram alvo por parte das instituições jurídicas e policiais desde 1871, assim como as experiências por elas compartilhadas entre as décadas finais do Império e os anos iniciais da República. Evidencia-se, com isso, o processo de construção de redes de solidariedade entre estas mulheres, bem como suas estratégias de sobrevivência frente às perseguições cotidianas que incidiam sobre elas. / [en] This dissertation aims to analyze female prostitution in Rio de Janeiro, from the turn of the nineteenth to the twentieth century, focusing on the role of black and brown women in this practice. The main goal is to mark a presence of these groups of women in the history of prostitution, observing how racism, based on racial theories, that were affirmed in Brazilian society throughout this period, decisively influenced the way in which they were faced by their contemporaries. Through the testimonies present in the main newspapers of the period, as well as of police and judicial records, the aim is to analyse the specific forms of repression and control that have been targeted by legal and police institutions since 1871, as well as the experiences shared by them between the final decades of the Empire and the early years of the Republic. This demonstrates the process of building networks of solidarity between these women, as well as their strategies for survival in the face of the daily persecutions that affected them.
5

[en] MILITANT BLACK WOMAN: LIVE STORIES, IDENTITY AND RESISTANCE IN THE CONTEXTO OF AFFIRMTIVE ACTION AT THE STATE UNIVERSITY OF RIO DE JANEIRO / [pt] MULHER NEGRA MILITANTE: TRAJETÓRIAS DE VIDA, IDENTIDADE E RESISTÊNCIA NO CONTEXTO DA POLÍTICA DE AÇÕES AFIRMATIVAS NA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

MAGALI DA SILVA ALMEIDA 20 October 2016 (has links)
[pt] Este estudo visa contribuir para a compreensão do alcance do protagonismo político da mulher negra militante, com ênfase nas estudantes beneficiárias do programa de ação afirmativa da UERJ. Minha análise sustenta que o capitalismo racista e sexista obscurece e naturaliza a violência racial e de gênero, invisibiliza as históricas formas de resistências da mulher negra, mas não as aniquila. Neste contexto, os estereótipos e representações negativas da mulher negra, criados e naturalizados no imaginário social por processos educacionais de toda ordem, são por ela incorporados, mas também negados no processo de construção identitário. As lutas de resistência de mulheres negras ao longo da história brasileira têm confrontado este padrão de dominação, e esta resistência tem criado condições para a desconstrução de identidades legitimadoras para a afirmação de identidades de projeto de acordo com Castells. O objeto da pesquisa é a construção da identidade coletiva de raça e gênero e a compreensão de seus significados, possibilidades e limites para a consolidação do sujeito social. O universo investigado corresponde a cinco alunas do curso de graduação para o qual ingressaram através da política de cotas raciais a partir de 2003, selecionadas a partir dos seguintes critérios: a) ser, ou haver sido, aluna da UERJ; b) se autodeclarar negra, e c) ter participado de organização do Movimento Negro ou de Mulheres Negras durante o período da graduação. O trabalho de campo procurou responder as seguintes questões: a) Como o racismo atua na construção da identidade da mulher negra militante na UERJ? e b) Quais aspectos de sua história de vida foram considerados relevantes para enfrentar o racismo na universidade? A hipótese que norteou a pesquisa é de que o racismo é uma ideologia de dominação importante no capitalismo, cujas funções são naturalizar as desigualdades de classe e de gênero entre os grupos raciais. Além disso, este mesmo capitalismo busca aniquilar as raízes culturais de matriz africana, necessárias à formação da identidade racial, sendo esta a base sobre a qual a identidade negra se consolida. A pesquisa utilizou- se de um aporte teóricometodológico quantitativo e qualitativo, a saber: a) Análise das desigualdades raciais e de gênero com base em pesquisas já realizadas, assim como a construção de novos indicadores, segundo banco de dados da UERJ; b) Realização de entrevistas narrativas e utilizando-se da fotografia como recurso da memória e; c) Revisão bibliográfica sobre ação afirmativa, racismo e mulher negra. O estudo concluiu que a experiência das entrevistadas é permeada pela violência racial. Contudo, o que as distingue das outras mulheres negras é a escolha da política como mediação para o enfrentamento das relações de poder que estruturam a classe, a raça e o gênero na sociedade. / [en] This study aims at contributing to the understanding of black women s political activism. It focuses on students that benefitted from affirmative action programs at UERJ. My analysis posits that racist and sexist capitalism veils and naturalizes racial and gender violence, renders invisible black women s historical forms of resistance, but does not annihilate their resistance. Stereotypes and negative representations of black women are both absorbed and negated by black women. Black women s struggles throughout Brazilian history have confronted domination patterns, thus creating, following Castells, the conditions for the deconstruction of legitimizing identities as well as the affirmation of project identities. This work wants to understand the meanings, limits and possibilities of the collective construction of identities based on race and gender. It analyzes the trajectories of five undergraduate female students who entered the university through the racial quota system, beginning in 2003, under the following criteria: a) that they are, or have been, students at Uerj; b) that they self-define as black woman; c) and that they participate(d) in a Black Movement or Black woman organization during their undergraduate years. The questions structuring field work were: a) how does racism impact the process of the militant black women s identity construction at Uerj? b) what aspects of their lives were considered relevant when confronting racism at the university? Racism is an important ideology of domination in capitalism: this is the hypothesis of the research. Capitalism aims at annihilating the African-based cultural roots that are necessary for the construction of a racial identity, and upon which a black identity is built. The research utilized a series of methodological and theoretical approaches, namely: a) based on available sources, the analysis of gender and racial inequalities, as well as the construction of new indicators derived from Uerj data bases; b) interviews and photographs; and c) bibliographic review on affirmative action, racism, and black women. The work finds that the interviewee s experiences are permeated by racial violence. However, what distinguishes them from other black women is their choice of politics as a way to approach power relations that structure class, race, and gender in society.
6

[en] BLACKENING FEMINISM OR FEMINIZING RACE: THE LIBERTARIAN NARRATIVES OF ANGELA DAVIS AND LÉLIA GONZALEZ / [pt] ENEGRECENDO O FEMINISMO OU FEMINIZANDO A RAÇA: NARRATIVAS DE LIBERTAÇÃO EM ANGELA DAVIS E LÉLIA GONZALEZ

RAQUEL DE ANDRADE BARRETO 04 October 2005 (has links)
[pt] A dissertação tem como objetivo apresentar e comparar as trajetórias e pensamento de Angela Yvonne Davis (Alabama/EUA, 1944) e Lélia Almeida Gonzalez (Minas Gerais/Brasil, 1935 - Rio de Janeiro/Brasil, 1994) - duas intelectuais e militantes dos movimentos negros nos EUA e no Brasil. Angela destacou-se internacionalmente na década de 1960 como símbolo da luta negra nos EUA, o impacto da sua imagem se inscreveu na memória daqueles que viveram aqueles anos. Lélia foi militante importante do movimento negro brasileiro de finais dos anos 1970, quando também participou ativamente luta política pela redemocratização do país. Minha discussão das obras dos autores enfatiza as teorizações desenvolvidas acerca da inserção das mulheres negras em seus países, com destaque para o debate a respeito das experiências das mesmas com a escravidão. Explora-se, ao longo da dissertação, o legado conceitual que deixaram para os estudos contemporâneos sobre relações raciais. / [en] My goal with this thesis to present and compare the trajectories and thoughts of Angela Yvonne Davis (Alabama/USA, 1944) and Lélia Almeida Gonzalez (Minas Gerais/Brasil, 1935 - Rio de Janeiro/Brasil, 1994) - both women intellectuals and activists of the Black movements in the US and Brazil. Angela became internationally known in the 1960s as a Black struggle symbol in the US. The impact of her figure still lingers on in the memory of those who lived in those years. Lélia was an important activist in the Brazilian Black movement of the late 1970s, when she intensively took part in the political struggle for the return of democracy in Brazil. My discussion of the authors´ main works emphasizes the theoretical essays they developed on the social insertion of black women in their countries. It specially highlights the debate forwarded on black women experiences under slavery. Throughout the thesis I call attention for the contribution of their conceptual legacy for contemporary studies on racial relations.

Page generated in 0.0412 seconds