• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 41
  • 1
  • Tagged with
  • 42
  • 16
  • 11
  • 11
  • 10
  • 8
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7
  • 7
  • 7
  • 7
  • 7
  • 6
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

"Cadernos íntimos" diários publicados : um estudo das práticas da escrita de diários, no âmbito das práticas sociais disseminadas

Brito, Ingrid Zacarelli. 2011 (has links)
Orientador: Maria Rosa R. Martins de Camargo Banca: Eliete Marly D'onófrio Banca: Cesar Donizetti Pereira Leite Resumo: A pesquisa aqui apresentada é parte integrante do Projeto intitulado A aventura da escrita: práticas, saberes e cenários que visa a aprofundar os estudos do ato de escrever na perspectiva de sua permanente metamorfose e da metamorfose de quem escreve e/ou lê, fundada na autonarração e autointerpretação que podem ser lidas [e interpretadas], também nos diários, escritos por pessoas comuns. Nesta pesquisa, focamos como objeto de estudo o diário situando-o entre as práticas da escrita disseminadas. A pesquisa embasa-se em estudos de diários publicados, escritos em sua maioria por mulheres. Cadernos aparentemente íntimos e secretos, editados e transformados em livros. Trata-se, como bem apresenta Nora Catelli, de uma dupla marginalidade muito atraente. Segundo a autora, ―el diario íntimo de mujer sería, sin duda, el lugar de escritura más cercano a la verdad existencial de lo diferente" (2007, p.45). Há duas questões que mobilizam as discussões sobre os diários publicados: uma enunciada pelo pesquisador francês Philippe Lejeune (2008, p.260) - ―quando se lê ‗o mesmo texto' impresso em um livro, será de fato o mesmo?‖ e a outra elaborada por Laura Freixas (1996, p.11) - ―¿Son verdaderamente diários íntimos?‖ Pesa sobre essas questões a apreensão do diário enquanto uma prática cultural ordinária e do livro enquanto um objeto cultural que instaura uma ordem. Segundo o historiador Roger Chartier, "os autores não escrevem livros: eles escrevem textos que se tornam objetos escritos, manuscritos, gravados, impressos" (1994, p.17). Daí que soa estranho o termo livro-diário. Enquanto livros, eles se apresentam como qualquer outro livro: capa, título, prefácio, apresentação, índice... Enquanto diário: o que há nesses livros? O texto é o mesmo? A intimidade composta é a mesma? ... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) Abstract: The research presented here is part of a project entitled The adventure of writing: practices, knowledge and scenarios, that seeks to deepen studies the act of writing in the perspective of its permanent metamorphosis and of metamorphosis of one who writes and/or read, based on self-narration and self-interpretation that can be read [and interpreted], also in the diaries written by ordinary people. In this research, we focus as objects of study the diary placing it among the disseminated practice of writing. The researches were based on the studies published diaries, written in its majority by women. Apparently intimate and secret notebooks edited and turned into books. It is, as well as Nora Catelli presents of a very attractive double marginality. According to the author, ―el diario íntimo de mujer sería, sin duda, el lugar de escritura más cercano a la verdad existencial de lo diferente" (2007, p.45). There are two questions that can be said mobilize discussions about the published diaries: one enunciated by the French researcher Philippe Lejeune (2008, p.260) - "When you read 'the same' text printed in a book, will actually be the same?" And the other developed by Laura Freixas (1996, p.11) - ―¿Son verdaderamente diários íntimos?‖. Weighs about these questions the seizure of the diary as a ordinary cultural practice and the book as a cultural object that establishes an order. According to historian Roger Chartier, "the authors do not write books, do not they write texts that have become objects writings, manuscripts, engravings, printed" (1994, p.17) .It seems strange that the term book-diary. As books, they appear like any other book: cover, title, preface, presentation, content ... As diary: what's in these books? The text is the same? The composed intimacy is the same? What remains and what it becomes ... (Complete abstract click electronic access below) Mestre
2

Cadernos íntimos diários publicados: um estudo das práticas da escrita de diários, no âmbito das práticas sociais disseminadas

Brito, Ingrid Zacarelli [UNESP] 2 September 2011 (has links)
A pesquisa aqui apresentada é parte integrante do Projeto intitulado A aventura da escrita: práticas, saberes e cenários que visa a aprofundar os estudos do ato de escrever na perspectiva de sua permanente metamorfose e da metamorfose de quem escreve e/ou lê, fundada na autonarração e autointerpretação que podem ser lidas [e interpretadas], também nos diários, escritos por pessoas comuns. Nesta pesquisa, focamos como objeto de estudo o diário situando-o entre as práticas da escrita disseminadas. A pesquisa embasa-se em estudos de diários publicados, escritos em sua maioria por mulheres. Cadernos aparentemente íntimos e secretos, editados e transformados em livros. Trata-se, como bem apresenta Nora Catelli, de uma dupla marginalidade muito atraente. Segundo a autora, ―el diario íntimo de mujer sería, sin duda, el lugar de escritura más cercano a la verdad existencial de lo diferente” (2007, p.45). Há duas questões que mobilizam as discussões sobre os diários publicados: uma enunciada pelo pesquisador francês Philippe Lejeune (2008, p.260) - ―quando se lê ‗o mesmo texto‘ impresso em um livro, será de fato o mesmo?‖ e a outra elaborada por Laura Freixas (1996, p.11) - ―¿Son verdaderamente diários íntimos?‖ Pesa sobre essas questões a apreensão do diário enquanto uma prática cultural ordinária e do livro enquanto um objeto cultural que instaura uma ordem. Segundo o historiador Roger Chartier, os autores não escrevem livros: eles escrevem textos que se tornam objetos escritos, manuscritos, gravados, impressos (1994, p.17). Daí que soa estranho o termo livro-diário. Enquanto livros, eles se apresentam como qualquer outro livro: capa, título, prefácio, apresentação, índice... Enquanto diário: o que há nesses livros? O texto é o mesmo? A intimidade composta é a mesma?... The research presented here is part of a project entitled The adventure of writing: practices, knowledge and scenarios, that seeks to deepen studies the act of writing in the perspective of its permanent metamorphosis and of metamorphosis of one who writes and/or read, based on self-narration and self-interpretation that can be read [and interpreted], also in the diaries written by ordinary people. In this research, we focus as objects of study the diary placing it among the disseminated practice of writing. The researches were based on the studies published diaries, written in its majority by women. Apparently intimate and secret notebooks edited and turned into books. It is, as well as Nora Catelli presents of a very attractive double marginality. According to the author, ―el diario íntimo de mujer sería, sin duda, el lugar de escritura más cercano a la verdad existencial de lo diferente” (2007, p.45). There are two questions that can be said mobilize discussions about the published diaries: one enunciated by the French researcher Philippe Lejeune (2008, p.260) – When you read 'the same' text printed in a book, will actually be the same? And the other developed by Laura Freixas (1996, p.11) - ―¿Son verdaderamente diários íntimos?‖. Weighs about these questions the seizure of the diary as a ordinary cultural practice and the book as a cultural object that establishes an order. According to historian Roger Chartier, the authors do not write books, do not they write texts that have become objects writings, manuscripts, engravings, printed (1994, p.17) .It seems strange that the term book-diary. As books, they appear like any other book: cover, title, preface, presentation, content ... As diary: what's in these books? The text is the same? The composed intimacy is the same? What remains and what it becomes ... (Complete abstract click electronic access below)
3

O autor segundo ele mesmo : a escrita de si em Cadernos de Lanzarote, de José Saramago

Fernandes, Fernanda Buzzon. 2015 (has links)
Orientadora: Sandra Aparecida Ferreira Banca: Clarice Zamonaro Cortez Banca: Cátia Inês Negrão Berlini de Andrade Resumo: A dissertação analisa as transgressões temático-formais empreendidas pelo escritor português José Saramago, nas obras Cadernos de Lanzarote (1998a) e Cadernos de Lanzarote II (1999), em relação ao diário, sobretudo em sua modalidade inautêntica, caracterizada por uma construção menos espontânea, em razão da publicação - divulgação a leitores diversos do diarista-, que a modifica formal e tematicamente, bem como em referência ao diálogo com o público. O primeiro capítulo tem como centro a genealogia do diário. O segundo é dedicado à apreciação crítica de Cadernos de Lanzarote. As transgressões genéricas e as vozes autorais são consideradas no terceiro capítulo. O propósito desta dissertação é discutir como, em oposição aos diários tradicionais, a obra autorreferencial do escritor português é pública, e não privativa, apresentando características particulares quanto aos paradigmas do gênero. Para alcançar tal propósito, a dissertação procura fornecer uma apresentação teórica mais detalhada do diário, contemplando-o desde sua origem - há aproximadamente 3.000 a.C., concomitantemente à invenção da escrita - até a contemporaneidade, ocasião em que se verifica a revolução promovida pela web 2.0 na escritura autorreferencial Abstract: The dissertation analyzes the thematic and formal transgressions undertaken by Portuguese writer José Saramago, in the works Cadernos de Lanzarote (1998a) and Cadernos de Lanzarote II (1999), in relation to the diary, especially in its inauthentic mode, featured by a less spontaneous construction, because of the publication - disclosure to many readers completely different from the diarist - that changes it formal and thematically, and in reference to the dialogue with the audience. The first chapter is about the genealogy of the diary. The second is devoted to critical appreciation of Cadernos de Lanzarote. Generic transgressions, the authorship voices are considered in the third chapter. The purpose of this paper is to discuss how, as opposed to traditional journals, the self-referential work of Portuguese writer is public, not private, with particular characteristics regarding gender paradigms. To achieve this purpose, the dissertation seeks to provide a more detailed theoretical presentation of the diary, contemplating it from its origin - there were about 3,000 BC, concomitantly with the invention of writing - until nowadays, when it occurs the revolution brought by Web 2.0 I the self-referential writing Mestre
4

Da pornografia: os diários de Bruna, Marise e Gabriela: as prostitutas letradas

Bittencourt, Gustavo Henrique Ferreira 30 June 2008 (has links)
Esta dissertação estabelece uma leitura, no campo das ciências sociais, tomando como assunto a pornografia e a prostituição. Tendo como ponto de referência os diários das prostitutas Bruna Surfistinha, Marise e Gabriela. Recorremos a algumas obras literárias através do Marquês de Sade, Henry Miller, Georges Bataille e Michel Houellebecq, para entendermos alguns aspectos da linguagem pornográfica. Analisamos também outros discursos contemporâneos sobre a experiência da pornografia no cinema e na internet. Trata-se de reflexões em torno da sexualidade e do que se considera obscenidade. Com observações na literatura de Anaïs Nin, Pauline Réage, e Hilda Hilst procuramos entender o ponto de vista poético feminino para pensarmos sobre a pornografia e a prostituição This dissertation establishes some reading, in the field of social sciences, which has pornography and prostitution as subject - having as main reference the diaries of the prostitutes Bruna Sufistinha, Marise and Gabriela. We have accessed some other literary works through Marquee de Sade, Henry Miller, Georges Bataille and Michel Houellebecq, in order to understand some aspects of the pornographic language. We also analyzed other contemporary discourses on the experience of pornography in cinema and on internet. It is a reflection about sexuality and what is considered obscenity. With observations on the literature of Anaïs Nin, Pauline Réage, and Hilda Hilst we tried to understand the feminine poetic point of view so that we can think about pornography and prostitution
5

Diário de uma vida de menina : cinema e literatura no Brasil (representações da personagem feminina)

Silvestre, Penha Lucilda de Souza. 2011 (has links)
Orientador: Gilberto Figueiredo Martins Banca: Solange Ramos de Andrade Banca: Luciana Brito Banca: Luiz Roberto Velloso Cairo Banca: Paulo César Andrade da Silva Resumo: A pesquisa tem por objetivo geral investigar como se dá a constituição e representação da identidade do sujeito feminino, no texto literário Minha vida de menina (1942), de Helena Morley e, ainda, sua respectiva adaptação para o cinema, Vida de menina (2004), dirigida por Helena Solberg. O estudo divide-se em partes distintas: a) fortuna crítica do diário; b) leitura e análise interpretativa de Minha vida de menina (Diário de Helena Morley); c) leitura e análise da obra fílmica, fortuna crítica da produção da diretora de cinema; d) leitura comparativa do corpus delimitado e reflexão crítica sobre as diferentes modalidades artísticas, considerando a especificidade de cada obra; e) realização de entrevista com a cineasta e John Spangler. A partir de conceitos da teoria da literatura e de estudos voltados para a adaptação, propomos uma análise do diário e do filme com o intuito de observarmos a construção da personagem feminina, já que o diário teve sua gênese no final do século XIX e foi publicado em 1942. Já no início do século XXI, Solberg realiza a adaptação para o cinema dos relatos da menina mineira. Ambas apresentam um contexto social, histórico e ideológico da nação brasileira, num período de grandes mudanças políticas, como a libertação dos escravos (1888) e Proclamação da República (1889); por conseguinte, o país iniciava o processo de modernização. Nessa reunião de informações, o diálogo intertextual presente entre o filme e o diário mostra uma personagem emancipada para o tempo em que viveu, pois rompe com costumes, ideias e ações, distanciando-se... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) Abstract: This study has as its general objective to investigate how the identity of the female character is constituted and represented, in the literary text "Minha vida de menina" (1942), by Helena Morley and also its respective adaptation to the movies "Vida de menina" (2004), directed by Helena Solberg. This study is divided in distinct parts: a) the critical fortune of the diary; b) the reading and interpretative analysis of "Minha vida de menina" (The Diary of Helena Morley); c) the reading and the analysis of the filmic work, the critical fortune of the production of the movie director; d) the comparative reading of the delimited corpus and the critical reflection on the different artistic modalities, taking into consideration the specificity of each work; e) the interview with the filmmaker Vera Brant. Starting from the concepts of the theory of the literature and of the studies turned to the adaptation, we propose an analysis of the diary and of the movie with the intention of observing the female character construction, since the diary had its genesis in the end of the 19th century and was published in 1942. In the beginning of the 21st century, Solberg concluded the adaptation for the movies of the "mineira" girl's reports. Both present a social context, historical and ideological of the Brazilian nation, in a period of great political changes, such as the Abolition of the Slavery (1888) and the... (Complete abstract click electronic access below) Doutor
6

Jovens e adultos : autores de suas próprias palavras

Souza, Jaqueline Silva de. 2014 (has links)
Orientador: Laura Noemi Chaluh Banca: Guilherme do Val Toledo Prado Banca: Maria Rosa Rodrigues Martins de Camargo Resumo: Esta pesquisa tem como principal objetivo compreender a formação de sujeitos escritores e a constituição da autoria, a partir de uma série de atividades realizadas durante um semestre letivo, nas aulas de Língua Portuguesa de uma escola de Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos (EJA) em Campinas-SP. A turma que participou desta pesquisa foi um 4º Termo, uma turma do Segundo Segmento do EJA, que equivale ao 9º Ano do Ensino Fundamental II. O interesse por esta temática surgiu primeiramente por compreender a necessidade de os alunos serem partícipes das atividades escolares estabelecendo relações entre os seus saberes com os temas abordados durantes as aulas. Assim, partimos da ideia de compor um jornal, o que foi abrindo possibilidades para a escrita de diversos gêneros textuais (BAKTHIN, 1997) e diversas reflexões. Essa ideia serviu de base para desencadear grande parte das atividades da pesquisa, que foi inspirada no conceito de pesquisa-ação colaborativa (ELLIOTT, 1998; STENHOUSE, 2008; FIORENTINI, 2008) em parceria com a professora de Língua Portuguesa da referida escola. Os dados também foram produzidos a partir de um diário de campo da pesquisadora e diários pessoais escritos pelos alunos participantes desta pesquisa. Por fim, a análise dos dados foi realizada a partir do paradigma indiciário (GINZBURG, 1989) Abstract: This research aims to understand the formation of writer subjects and the authorship formation according to a series of activities conducted during one semester of Portuguese classes in a school of Elementary Education of Youth and Adults (EJA) in Campinas-SP. The group of students that participated in this survey was a 4th term, a group of Second Segment of the EJA, which is equal to 9th Grade of Elementary Education II. The interest in this subject arose first by understanding the need for students to be participants in school activities by establishing links between their knowledge and the topics discussed during the classes. Thus, we started from the idea of composing a newspaper, which gave us possibilities to write several genres (BAKTHIN, 1997) and several reflections. This idea was the basis for initiating the major part of the research, which was inspired by the idea of collaborative action research (ELLIOTT, 1998; STENHOUSE, 2008; FIORENTINI, 2008) in partnership with the Portuguese teacher of that school. The data were also produced from the researcher personal journal and personal diaries written by students who participated in this research. Finally, the data analysis was performed from the evidential paradigm (GINZBURG, 1989) Mestre
7

Uma experiência de formação docente em Língua Portuguesa no contexto do Pibid An experience of Portuguese Language teacher formation in the PIBID contex

Eles, Rejane Maria Oliveira 11 May 2015 (has links)
A formação de professores tem sido foco investigativo em pesquisas de cunho qualitativo e no contexto desta investigação levamos em consideração os estudos de Schön (2000), sobre professor-reflexivo, como foco para as questões de formação docente, bem como a dialogicidade defendida por Freire (1996), além dos saberes docentes Tardif (2012) que permeiam a vida de um professor em formação a fim de tentarmos descrever o processo de formação de um professor de Língua Portuguesa (LP). Desta forma,o estudo tem como objetivo geral observar e descrever o processo de formação docente por meio das práticas pedagógicas para o ensino de LP no contexto do Pibid. E como objetivos específicos, descrever de forma analítica as práticas pedagógicas de forma a categorizá-las de acordo com os momentos de reflexão expostos nos diários reflexivos-dialogados das professoras pré-serviço. A metodologia se configura em uma abordagem qualitativa, que parte do conhecimento empírico para a curiosidade epistemológica, ou seja, um estudo de caso, pois parte da vivência da professora-supervisora-pesquisadora no contexto do Pibid. A análise se deu após a interpretação dos diários reflexivos-dialogados a fim de compreender os processos de formação docente. Os resultados apontam que, embora se tivessem delineamentos de como ensinar o conteúdo da Língua Portuguesa, a partir de teorias da interação da língua, vários foram os percalços para a realização das propostas pedagógicas acerca dessa concepção. Percebeu-se, ainda, por meio das falas nos diários reflexivo-dialogados e comparando estes diários antes e depois das atividades aplicadas, a progressão da reflexão nas práticas executadas, possibilitadas pelas situações de angústias, questionamentos e autoavaliação da nossa prática docente. Arquivo retido a pedido do autor até maio 2016.
8

Da escrita de si à escrita fora de si:: uma leitura de Objeto gritante e Água viva de Clarice Lispector

Maria das Gracas Fonseca Andrade 17 December 2007 (has links)
Esse trabalho consiste em uma leitura das duas versões de "Objeto gritante", proto-textos de "Água viva", de Clarice Lispector. Tais versões encontram-se disponíveis na Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro, e não vieram ainda a público. Este trabalho também tem como objeto o livro publicado em 1973. Nosso objetivo consistiu em acompanhar a trajetória de composição de "Água viva", observar as mudanças ocorridas na passagem de "Objeto gritante", que consideramos uma escrita de si (autobiografia pessoal, íntima) para "Água viva", uma escrita fora de si ( exterior, impessoal, ex-tima). Trata-se de pesquisa bibliográfica onde se discute a questão de gênero em Clarice Lispector para sustentar que "Água viva" é um diário, ainda que não exatamente nos moldes de um diário íntimo. Vimos que "Água viva" foi composto a partir de alguns textos já publicados anteriormente em A legião estrangeira e no Jornal do Brasil. Procedimento, aliás, já utilizado pela autora em "Uma aprendizagem" ou "O livro dos prazeres", de 1969. Fizemos um levantamento de todos os textos já publicados por Clarice e que aparecem em "Objeto gritante", sendo, contudo, eliminados em "Água viva" e também de outros que permaneceram como parte do texto de "Água viva". As questões da escrita de si, da autoria, da citação, do fragmento, do diário são tratados através dos teóricos Michel Foucault, Roland Barthes, Antoine Compagnon, Béatrice Didier, Gaston Bachelard e outros.
9

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFESSOR(A) E REFLEXIVIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: diário de aula e reflexão da ação pedagógica. DEVELOPPEMENT PROFESSIONNEL DES ENSEIGNANTS (A) E RÉFLEXIVITÉ DANS L'EDUCATION DE LA PETITE ENFANCE: action de classe quotidienne pédagogique et de réflexion.

Souza, Luciene Matos de 20 June 2011 (has links)
Esta pesquisa tem como objeto de estudo a relação entre o desenvolvimento profissional de professores e a reflexividade docente no âmbito da educação infantil. Trata-se do estudo sobre os diários de aula como dispositivos de formação direcionados ao desenvolvimento profissional docente que medeiam práticas reflexivas no contexto do trabalho pedagógico. A abordagem teórica escolhida para a construção desse trabalho baseia-se na produção de autores diversos. A pesquisa foi realizada na cidade de Jequié, Bahia, no período de 2009 a 2011, através da análise de documentos de registro das práticas de ensino de treze professoras, estudantes do Programa de Graduação para os Professores da Rede Pública Estadual e Municipal do Sudoeste do Estado da Bahia UESB EM AÇÃO. A metodologia da pesquisa utilizada é de natureza qualitativa, inspirada na abordagem fenomenológica de pesquisa. O método de pesquisa é etnográfico. Os instrumentos de coleta de informações utilizados foram: diários de aula, observação participante e entrevista semidirigida. Os resultados alcançados permitem afirmar que os diários de aula podem e devem ser utilizados como ferramenta de análise do pensar e agir do professor, como dispositivo de formação profissional da docência cuja natureza expressa sentidos autorreferentes consubstanciados de práticas, espelhamento profissional projetivo e articulador de experiências dispersas.
10

A escrita de si nos diários de Sylvia Plath

Galvão, Raíssa Varandas 30 September 2015 (has links)
O presente trabalho tem como objetivo a análise dos diários pertencentes à fase adulta da poetisa Sylvia Plath, que abrangem o período de 1950 a 1962. Para melhor entender as características que compõem os diários no geral, recorro à Philippe Lejeune, em O pacto autobiográfico e “Diários de garotas francesas no século XIX”. No capítulo inicial, associo as escritas de si ao fortalecimento da noção de indivíduo moderno bem como ao rompimento entre espaço público e privado, noções que foram construídas ao longo da história. A partir desse panorama inicial, no decorrer do trabalho, procuro refletir a respeito da questão feminina, bem como as relações entre gênero e autoria, por meio da escrita íntima deixada pela poetisa. Para tal, recorro principalmente aos textos Um teto todo seu e “Profissões para mulheres”, de Virginia Woolf, assim como à obra O segundo sexo, de Simone de Beauvoir. Busco refletir, ainda, sobre o processo de construção do eu realizado por Plath no espaço de seus diários, uma vez que essa espécie de escrita possibilita aquilo que denominamos “arquivamento de si”. Desse modo, compreendo o texto do diário como um discurso, uma narrativa que, como tal, é dotada de aspectos ficcionais. Trabalho, assim, com as múltiplas identidades vivenciadas por Sylvia Plath, bem como as distintas imagens e interpretações que os demais realizaram dela. This study aims to analyze the adult stage diaries belonging to the poet Sylvia Plath, covering the period from 1950 to 1962. To better understand the characteristics that make up the overall of these diaries, I turn to Philippe Lejeune, in The autobiographical pact and "Diaries of French girls in the nineteenth century." In the opening chapter, I associate her writing of herself to the strengthening of the modern notion of individual as well as the split between public and private space, notions that have been built throughout history. From this initial panorama, in the course of this work, I try to reflect on the women's issue, as well as the relationship between gender and authorship, through the intimate writing left by the poet. To this end, I resort mainly to the texts A room of One's Own and "Professions for women", by Virginia Woolf, as well as to the work The Second Sex, by Simone de Beauvoir. I seek to reflect also on the construction process of the self carried out by Plath within her diaries, since this kind of writing makes possible what we call "archiving of oneself". Thus, I understand the text of the diary as a discourse, a narrative that, as such, is endowed with fictional aspects. I work then with the multiple identities experienced by Sylvia Plath, and with the different images and interpretations that others made of her.

Page generated in 0.0388 seconds