• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 8
  • 1
  • Tagged with
  • 9
  • 9
  • 6
  • 5
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Eliminação: uma desterritorialização da violência (linhas transversais aos territórios escolares) / Élimination : une déterritorialisation de la violence (lignes transversales aux territoires des écoles)

GALLICCHIO, Gisele Soares January 2012 (has links)
GALLICCHIO, Gisele Soares. Eliminação: uma desterritorialização da violência (linhas transversais aos territórios escolares). 2012. 189f. – Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2012. / Submitted by Márcia Araújo (marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2014-03-11T14:28:24Z No. of bitstreams: 1 2012-TESE-GSGALLICCHIO.pdf: 2082680 bytes, checksum: 62b9eb1bf3d4097edd104936e2bdccd9 (MD5) / Approved for entry into archive by Márcia Araújo(marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2014-03-11T17:34:53Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012-TESE-GSGALLICCHIO.pdf: 2082680 bytes, checksum: 62b9eb1bf3d4097edd104936e2bdccd9 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-03-11T17:34:53Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012-TESE-GSGALLICCHIO.pdf: 2082680 bytes, checksum: 62b9eb1bf3d4097edd104936e2bdccd9 (MD5) Previous issue date: 2012 / Esta tese procura diferenciar violência de eliminação fazendo uso do pensamento de Gilles Deleuze e Félix Guattari. Inúmeros eventos vêm assinalando uma percepção diferente da vida e de seus componentes de valoração. A pesquisa busca contribuir com elementos “exteriores” àquilo que a escola, tradicionalmente, compreende em seu perímetro de práticas (e seu referencial teórico-conceitual). Um cruzamento de linhas faz romper as segmentaridades da esfera educacional. A segmentarização dispõe a escola, por escalonamento e por contigüidade, em uma sequência de etapas destinadas ao mercado. A eliminação vem indicar um investimento no processo de subjetivação, que implica a atualização do capital, caracterizando mudanças de um modo de vida. Novas escalas, provocadas pelo devir silício, geram afetos e afecções, colocando em jogo forças demarcadas em acontecimentos, que podem ser expressos pelos verbos eliminar, deletar, exterminar e selecionar. A tese procura seguir o percurso da eliminação num processo de desterritorialização da violência, quando incitada pelas práticas de consumo, reterritorializada nas estratégias de controle e absorvida pela subjetividade capitalística. A relação entre eliminar e consumir anuncia não apenas a excitação ao poder de compra e de aquisição de produtos-mercadorias, mas posturas subjetivantes geradas com a equivalência do eliminar aos atos de gastar, destruir, liquidar. A eliminação passa a engendrar as sociedades de controle que, através das máquinas comunicacionais e informacionais, investem no deletar. Ações e as condutas, sobrecodificadas em cotações e índices, reproduzem os mecanismos do capital financeiro numa espécie de pedagogia exercida nas redes sociais e nos jogos digitais. As estratégias intensificam-se, modulando os eliminar e o deletar em exterminar . Elas permeiam diferentes territórios existenciais: do funcionamento das empresas às chacinas escolares. Os vetores de desterritorialização apontam a potência de criação da eliminação através do selecionar. Esse sentido é detectado no filme Ben X, baseado na vida de um adolescente autista que sofre bullying, ao trazer uma dimensão ética e estética, demarcando as linhas de fuga capazes de afirmar a diferença e de produzir de um novo modo de vida. / L’idée de cette thèse est celle de délimiter la différence entre la violence et l’élimination , à partir de la pensée proposée par Gilles Deleuze et Félix Guattari. L’occurrence de plusieurs changements dans l’état des choses signalent une perception différente de la vie et, par conséquent, dans leurs composantes de valorisation. Cette étude cherche à apporter une contribution à partir de l’analyse d’éléments « extérieurs » à ce que l’école, de façon traditionnelle, inclut dans son périmètre de pratiques (et dans son cadre théorique). Située dans les contours de la sphère éducative, c’est dans le carrefour des lignes qu’il y a la rupture des segmentaritées. Sa segmentation configure l’école par (i) le fractionnement et par (ii) la contiguïté autour d’ une séquence destinée au marché de travail. L’action d’élimination se centre sur soi-même en produisant un investissement dans le processus de subjectivité/subjectivation, lequel met à jour du capital, en apportant des changements dans le mode de vie. De nouvelles escales, provoquées par le « devenir silice », produisent des affects et des affections, et mettent en jeu des forces marquées par des événements ; lesquels peuvent, à leur tour, se manifester par les verbes éliminer, supprimer, exterminer et sélectionner. Ceci étant établi, la présente thèse cherche à suivre le parcours de l’élimination dans une procédure de « déterritorialisation » de la violence, lors de son développement par les pratiques de consommation ; Cela conduit à sa reterritorialisation à travers les stratégies de contrôle et l’amène a être par la subjectivité du capital. De plus, le rapport entre l’action d’éliminer et de consommer n’annonce pas simplement l’abandon au pouvoir d’achat et d’acquisition de produits-marchandises, mais plutôt un comportement dont la caractéristique est la subjectivité comme engendrée par l’équivalence de l’action éliminatoire à travers des actes comme gaspiller, détruire, liquider. L’élimination devient partie composante de la société de contrôle, laquelle, à travers les machines communicationnelles et informationnelles se trouve être la principale responsable de l’investissement de l’action de supprimer. Les actions et les comportements, sur-codifiées en cotations et indices, reproduisent la mécanique du capital financier dans une sorte de pédagogie matérialisée dans les réseaux sociaux et dans les jeux numériques. Ainsi, les stratégies renforcées produisent une espèce de variation sur les actes d’éliminer et de supprimer, lesquelles se convertissent en action d’exterminer. Elles traversent divers territoires de l’existence : du fonctionnement des entreprises jusqu’aux tueries scolaires. Les vecteurs de déterritorialisation jouent un rôle non négligeable, voire déterminant, en direction du potentiel de l’élimination à travers l’acte de sélectionner. Cette appréhension est perceptible dans le film Ben X, relatant la vie d’un adolescent autiste qui souffre « du harcèlement scolaire » et portant une dimension éthique et esthétique. Ce genre d’événement produit des lignes de fuite, lesquelles rendent possible l’affirmation (ou l’émergence) de la différence et de produire, par là, une nouvelle façon de vivre.
2

Os Cadernos Escolares que “Falam”: Artefato de Subjetivação de Gênero e Sexualidade

BELARMINO, Natália Machado 31 July 2015 (has links)
Submitted by Fabio Sobreira Campos da Costa (fabio.sobreira@ufpe.br) on 2016-06-30T13:11:22Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO MESTRADO NATALIA MACHADO BELARMINO PPGE UFPE FEVEREIRO DE 2016 (2).pdf: 11303284 bytes, checksum: b6e48764561e3426026ad9ab40b48b3e (MD5) / Made available in DSpace on 2016-06-30T13:11:22Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO MESTRADO NATALIA MACHADO BELARMINO PPGE UFPE FEVEREIRO DE 2016 (2).pdf: 11303284 bytes, checksum: b6e48764561e3426026ad9ab40b48b3e (MD5) Previous issue date: 2015-07-31 / CAPEs / Esta dissertação, realizada no Programa de Pós-graduação em Educação da UFPE, no núcleo de Formação de Professores e Prática Pedagógica, tem como objeto de investigação um artefato cultural que faz parte da cultura escolar e da construção da escolarização: cadernos escolares. Os cadernos escolares constituem artefatos culturais da escolarização, contudo para além de sua função na aprendizagem dos conteúdos disciplinares clássicos está implicado nas ações de formação identitária. A análise apresentada nesse texto dissertativo teve como foco de estudo o discurso sobre gênero e sexualidade em cadernos escolares. O objetivo desta investigação é mostrar como os cadernos escolares, com sua estética, suas lições, suas orientações de usos, ensinam as crianças como devem ser e se comportar em relação às identidades de gênero e sexualidade. Para respaldar nossa discussão teórica e metodológica nos apoiamos em autores associados aos Estudos Culturais, à Pedagogia Cultural com base em estudos Pós-estruturalistas. Autores que problematizam processos de subjetivação de gênero e sexualidade como Michael Foucault, Judith Butler, Guacira Louro e Jonh Scott e autores que problematizam a relação entre pedagogia escolar, pedagogia cultural e a sociedade de consumo, a exemplo de Stuart Hall, Zygmunt Bauman, Marisa Vorraber Costa e Tomaz Tadeu Silva.No processo de investigação a aproximação de estudos sobre cadernos escolares nos ajudou a olhar melhor para esse objeto cultural, o caderno escolar: sua história no campo da cultura escolar, suas características e funções. Esse arcabouço teórico e metodológico foi indispensável para a investigação do caderno escolar, visto nesta pesquisa como um artefato cultural. O estudo teve como corpus 40 cadernos escolares de crianças nas séries Jardim II, 1º, 2º, 3º anos, de escolas públicas e privadas de Pernambuco. Face a análise empreendida, indicamos elementos que sobressaem e que incitam e interpelam as crianças em suas identidades de gênero e sexualidade: marcadores de gênero nas imagens como cor, artefatos do cotidiano a exemplo de enfeites, brinquedos, representação de crianças com heróis da mídia; o caderno escolar como um lugar de propaganda sexista e consumista; os cadernos como espaços de autointerpretação com ações performáticas. Nesse sentido podemos dizer que a análise aponta os cadernos escolares como artefatos com potência para a construção de identidade de gênero e sexualidade. A análise mostra o quanto os cadernos são importantes e atuantes na construção dos sujeitos, relativo a orientação sexual, formas de ver os sujeitos, posições ocupadas por cada um de nós na vida em sociedade. Os cadernos ainda se mostram como poderosos artefatos curriculares, feitos peça por peça para a produção, manutenção, vigilância da norma, procurando assim encaixar os sujeitos em determinados lugares, os conformando em suas posições que devem ser seguidas e reproduzidas por todos. Os pontos de fuga em relação aos estereótipos de gênero são menos frequentes o que nos leva a chamar a atenção para a necessidade de problematização dessa temática na formação de professores/as tendo como objeto os artefatos curriculares. / This dissertation, held in the Post-graduate Program in Education, at the Federal University of Pernambuco, at the core of Teacher Training and Pedagogical Practice, aims as an research object a cultural artifact that is part of the school culture and the construction of education: school notebooks. The notebooks are cultural artifacts of schooling, however in addition to its function in the learning of the classic disciplinary contents, it is involved in the actions of identity formation. The analysis presented in this argumentative text focused on the study of the discourse on gender and sexuality in school notebooks. The purpose of this research is to show how the school notebooks, with its aesthetics, its lessons, its usage guidelines, teach the kids how they should be and behave in relation to gender and sexual identities. In order to support our theoretical and methodological discussion, we endorse in authors associated with Cultural Studies, to the Cultural Pedagogy based on post-structuralist studies. Authors that problematize subjectivation processes of gender and sexuality as Michael Foucault, Judith Butler, Candy and John Scott and authors who problematize the relationship between school pedagogy, cultural pedagogy and the consumer society, for example, Stuart Hall, Zygmunt Bauman, Marisa Vorraber Costa and Tomas Tadeu Silva. In the process of the research, the approach for the study of school notebooks helped us having a better view of this cultural object, the school notebook: its history in the field of school culture, its features and functions. This theoretical and methodological framework was indispensable for the investigation of the school notebook, seen in this research as a cultural artifact. The study had as corpus 40 notebooks for children in the kindergaten II, 1st, 2nd, 4th grades of public and private schools of Pernambuco. Facing the analysis undertaken, we indicate elements that stand out and urge and challenge the kids on their gender and sexual identities: gender markers on images such as color, artifacts of daily life like ornaments, toys, children's representation with heroes of the media; the school notebook as a place of sexist advertising and consumerist; as auto interpretation spaces with performing actions. In this sense we can say that the analysis points out the notebooks as artifacts with power for the construction of gender and sexuality identity. The analysis shows how the notebooks are important and active in the construction of the subject on the basis of sexual orientation, ways to see the subject, positions occupied by each of us in life in society. The notebooks are still powerful curricular artifacts, made piece by piece to the production, maintenance, surveillance, looking forward to fit the subjects in certain places, conforming them in their positions that must be followed and played by everyone. The vanishing points in relation to gender stereotypes are less frequent which leads us to draw attention to the need of problematization of this theme in the training of tutors having as object the curricular artifacts.
3

As mídias e os modos de ser criança e se relacionar com a infância na contemporaneidade / Media and modes of being a child and relating to chilhoods in contemporaneity

Toia, Patrícia Vieira de Souza 23 April 2013 (has links)
This dissertation addresses the media discourses on the several ways of being a child and relating with one's childhood. An analysis of these modes of existence is carried out from the discourses conveyed in different media vehicles: in print magazines such as "Crescer", "Pais & Filhos" and "Veja", and TV broadcasting programmes on open channels such as "Globo" and "Record". Based on the theoretical and methodological work of Foucault, this study discusses and utilizes the notions of modes of subjectivation and "governmentality", aiming to analyze the strategies at work in media that allow the creation of hegemonic ways of being and relating to one's childhood through statements of consumption and knowledge; it also identifies what is constituted as an object of consumption and knowledge for children, and discusses the nature of these normalizing practices by analyzing the "models" of childhood and children produced by them. Therefore, a study was conducted regarding the historical construction of the different notions of being a child and the different ways of relating to one's childhood. Then, an analysis of the ongoing media strategies in the materials was carried out, revealing the way through with such models are built from a set of standards and practices entangled in strength games of power and knowledge. Finally, we question – from a genealogical study – the practices of knowledge-power-subjectivation in media materials, aiming to give visibility to the discontinuities of these modes of existence in the contemporary world through the vectors of consumption and knowledge. With that, the dispositif of media was considered as one of the agents that combine discourse modelers from a system of rules, which tell us about a notion of childhood as a phase transition into the adult's world, as incompleteness, however, at the same time, they present children as competent, autonomous and able, projecting on them skills that characterize what is traditionally defined as the adult world, particularly in relation to technology and consumption practices. / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Esta dissertação trata dos discursos da mídia sobre os modos de ser criança e se relacionar com a infância. Faz-se uma análise desses modos de existência a partir dos discursos que circulam em diferentes veículos midiáticos: nas revistas impressas Crescer, Pais & Filhos e Veja, e na programação das emissoras de canal aberto Globo e Record. Fundamentado teórica e metodologicamente nos trabalhos foucaultianos, o estudo discute e utiliza as noções de “modos de subjetivação” e “governamentalidade”, buscando analisar as estratégias em funcionamento nas mídias que possibilitam a constituição dos modos hegemônicos de ser e se relacionar com a infância a partir de enunciados de consumo e saber; identificar o que se constitui como objeto de consumo e saber para as crianças; e problematizar o caráter normalizador dessas práticas pela análise dos “modelos” de infância e das crianças por eles produzidos. Para tanto, foi realizado um estudo a respeito da construção histórica das noções dos modos de ser criança e de se relacionar com a infância. Em seguida, foi feita uma análise das estratégias midiáticas em funcionamento nos materiais, evidenciando o modo como tais modelos são construídos a partir de um conjunto de normas e práticas enredadas em jogos de forças de poderes e saberes. E por fim, interrogamos, a partir de um estudo genealógico, as práticas de saber-poder-subjetivação nos materiais midiáticos, objetivando dar visibilidade para as descontinuidades desses modos de existência na contemporaneidade a partir dos vetores de consumo e saber. Com isso, observou-se o dispositivo midiático como um dos integrantes que conjugam os discursos modeladores de um regime de normas, as quais nos falam de uma infância como uma fase de passagem para o mundo adulto, de incompletude, mas ao mesmo tempo, apresentam as crianças como competentes, autônomas e capazes, aproximando-as de habilidades que caracterizariam o que tradicionalmente se define como o universo adulto, particularmente em relação às tecnologias e as práticas de consumo.
4

Narrativas de mulheres das classes populares: modos de subjetivação e educação escolar

Mattos, Zaine Simas 28 November 2014 (has links)
Submitted by Renata Lopes (renatasil82@gmail.com) on 2016-02-19T12:21:33Z No. of bitstreams: 1 zainesimasmattos.pdf: 884684 bytes, checksum: 4f3f0cd890816adfdd0a1111177705d3 (MD5) / Approved for entry into archive by Adriana Oliveira (adriana.oliveira@ufjf.edu.br) on 2016-02-26T13:46:25Z (GMT) No. of bitstreams: 1 zainesimasmattos.pdf: 884684 bytes, checksum: 4f3f0cd890816adfdd0a1111177705d3 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-02-26T13:46:25Z (GMT). No. of bitstreams: 1 zainesimasmattos.pdf: 884684 bytes, checksum: 4f3f0cd890816adfdd0a1111177705d3 (MD5) Previous issue date: 2014-11-28 / CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / A presente tese apresentou como tema de pesquisa os atravessamentos de classe e gênero nos modos de subjetivação de mulheres das classes populares. Tendo como campo inicial uma escola pública municipal, a Escola Municipal Bom Pastor – EMBP, que atendia e atende a mulheres das classes populares, interessei-me pelas narrativas no que tange às suas relações com a educação escolar, apresentando a seguinte questão de investigação: de que modos as mulheres participantes da pesquisa narram as suas relações com a educação e como essas relações são atravessadas por classe e gênero? O material empírico foi construído a partir de entrevistas narrativas ressignificadas, em que as próprias mulheres se narram e, com isso, significam as suas experiências de vida, entrelaçadas aos processos de escolarização. Para compor o material empírico, desenvolvi estudos sobre a história da escola, lócus inicial da pesquisa, bem como das relações que as mulheres estabeleciam/estabelecem com esse espaço. Fiz incursões nos bairros nos quais moravam as participantes e anotações em diário de campo a respeito dessas incursões e de minhas impressões sobre as entrevistas. A pesquisa apresentou um recorte geracional, trabalhando com ex-alunas da escola campo que tinham filhos/as nessa escola, bem como com as mães dessas ex-alunas. A partir de um referencial teórico-metodológico que privilegia os Estudos Feministas e de Gênero, os Estudos Culturais e os Estudos Foucaultianos por um viés pós-estruturalista, trabalhei com as categorias classe e gênero, buscando pelas experiências/modos de subjetivação, formações discursivas e práticas que posicionavam as mulheres em relação à educação escolar. As narrativas apontaram para a percepção da escolarização como um imperativo na vida dessas mulheres, mostrando-a como um modo de “ser alguém na vida”. E, tanto a realização nesse campo, quanto o “insucesso” se mostraram atuantes nos seus modos de subjetivação. O corte geracional apontou para mudanças nas formas de compreender a educação escolar que a princípio era vista como um privilégio de poucos/as, passando a ser um direito, chegando, na atualidade, a ser percebida como um imperativo para a inserção social. As contingências de classe fizeram-se presentes, trazendo a maternidade, a sobrevivência, as construções familiares, de masculinidades e feminilidades como questões que interferem na relação com a educação escolar. A pesquisa apontou, ainda, para a invisibilidade/silenciamento das questões de cor/raça no que tange à aproximação e ao distanciamento da educação escolar. Por fim, trago as considerações finais sobre a pesquisa e aponto para possíveis novas interrogações. / This thesis has presented as our research object class and gender crossings in modes of subjectivation of popular classes women. Taking as initial field a public school, the Municipal School Bom Pastor - MSBP, which has served and serves popular classes women, I’ve became interested in the narratives in regard to their relationship with school education, presenting the following research question: in what ways those women participants in the research tell their relationships with education and how these relationships are crossed by class and gender? The empirical material was built from resignified narrative interviews, in which that women tell themselves and thereby create mesnings by their experiences of life, intertwined to the schooling processes. To compose the empirical material, I’ve developed studies on school history, initial research lócus, as well as the relationships that women have established/ establish with this space. Incursions have been made into neighborhoods where that women lived and notes were made in a daily field notes about these incursions and my impressions of the interviews. The survey has showed a generational snip, working with former students of the school field that had children in it, as well as the mothers of these former students. From a theoretical and methodological framework that privileges Gender Studies, Cultural Studies and Foucaultian by a post-structuralist orientation, I’ve worked with the class and gender categories, searching by experiences / modes of subjectivation, discursive formations and practices that positioned those women in relation to school education. The narratives have indicated the schooling perception as an imperative in their lives, showing it as a way to "be someone in life.”. And, both the achievement in that field as a "failure", they showd active in their modes of subjectivation. The generational snip has pointed to changes in ways of understanding school education that was seen initially as a privilege of the few and after, was pass to the understanding of education as a right, coming up, today, to be perceived as an imperative for social inclusion. Class contingencies were present, bringing motherhood, survival, constructions of family, masculinity and femininity as questions that affect the relationship with school educatiion. The research also has indicated to the invisibility / silencing of issues of race / color questions regarding the approach and detachment from school education. Finally, I bring the final considerations about the research, pointing to possible new inquiries.
5

Cuidado de si e hermen?utica do sujeito em Michel Foucault

Oliveira, Gilberto Benedito de 07 December 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2014-12-17T15:12:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 GilbertoBO_DISSERT.pdf: 1123549 bytes, checksum: bb1ea048d72b5dc112eb9e938ec8e0ee (MD5) Previous issue date: 2011-12-07 / Coordena??o de Aperfei?oamento de Pessoal de N?vel Superior / The work, here present, has as its objective to present in a clear and distinct manner the object of study of Michel Foucault in his last years of teaching at the College de France, namely, the care of the self. We present the care of the self in its birth, in its origin, from the character Socrates and its development until the beginning of the Christian age. With a keen eye, we present Foucault with a work of return and rescue of the care of the self to the personal and academic discussions; we propose, from the self care, to the contemporary subject a problematization of their life so that from this questioning he creates for herself ways of life that are coherence, knowledge and care with which he has of must particular, his himself. Passing by the sources that served as the source of study for Foucault to sketch the birth of care of the self, we design the form with which Foucault has dealt with the documents that speak of the care of self. We present Socrates as one who by excellence ensures that the other will give birth to the forms of knowledge and care of the self or, in other words, we present the care of the self socratic-foucauldian as a constant worry of the other to pay attention to ways in which he conducts her life, it creates for themselves ways of being and, therefore, creates ethics of existence. We present, finally, the care of the self as the cause of continuous immanence of modes of subjectivation of the subject that configure themselves in a non-accepting a determined essence, but a continually updated form . The care of the self leads to a single relationship and educator of modes of subjectivation of the subject; he creates, on the dynamics of temporality, ethical ways of living, which are sustained by an internal coherence of the subject with herself; he admits no stationary nature in the training of the subject, always wants a more beautiful work of himself; he is not isolation, he needs and is made with the other. The care of the self is the principle and the telos of battles and conquests of the subject within his temporality and existence / O trabalho, aqui desenvolvido, tem por objetivo apresentar o objeto de estudo de Michel Foucault em seus ?ltimos anos de ensino no Coll?ge de France, a saber, o cuidado de si. Apresentamos o cuidado de si em seu nascer, em sua origem, a partir do personagem S?crates e seu desenvolvimento at? o in?cio da era crist?. Com um olhar atento, apresentamos com Foucault um trabalho de retorno e resgate do cuidado de si ?s discuss?es pessoais e acad?micas; propomos, a partir do cuidado de si, ao sujeito contempor?neo uma problematiza??o de sua vida para que desta problematiza??o ele crie para si mesmo modos de vida que sejam coer?ncia, conhecimento e cuidado com o que ele tem de mais particular, seu si mesmo. Passando pelas fontes que serviram de fonte de estudo para Foucault esbo?ar o nascimento do cuidado de si, vamos desenhando a forma com a qual Foucault tratou os documentos que falam do cuidado de si. Apresentamos S?crates como aquele que por excel?ncia faz com que os outros d?em ? luz a formas de conhecimento e cuidado pr?prios ou, em outras palavras, apresentamos o cuidado de si socr?tico-foucaultiano como um constante inquietar o outro a prestar aten??o aos modos como ele conduz sua vida, cria para si modos de ser e, consequentemente, cria ?ticas de exist?ncia. Apresentamos, enfim, o cuidado de si como causa de cont?nua iman?ncia de modos de subjetiva??o do sujeito que se configuram em um n?o aceitar uma ess?ncia determinada, mas uma forma continuamente atualizada. O cuidado de si conduz a uma rela??o ?nica e formadora de modos de subjetiva??o do sujeito; ele cria, na din?mica da temporalidade, formas ?ticas de viver que se sustentam por uma coer?ncia interna do sujeito com ele mesmo; ele n?o admite estaticidade na forma??o do sujeito, deseja sempre uma obra de si mais bela; ele n?o ? isolamento, necessita e se faz com o outro. O cuidado de si ? o princ?pio e o telos das batalhas e conquistas do sujeito dentro de sua temporalidade e exist?ncia
6

No limite : a invenção de si no espaço prescrito e proscrito da prisão

Leite, Maynar Patricia Vorga January 2012 (has links)
A pesquisa que fundamenta este trabalho foi realizada na galeria de seguro da Penitenciária Feminina Madre Pelletier, mediante grupo de discussão e escrita, junto a mulheres em cumprimento de pena privativa de liberdade. É abordado o dia-a-dia da vida aprisionada, apresentando peculiaridades do trabalho grupal numa galeria de seguro. Também são exploradas as relações entre viver, conhecer e poder. Neste contexto, o estudo do limite enquanto barreira e contato comporta aspectos não racionais e não conscientes da cognição, que é inerente à vida. A partir das noções de autopoiese, de processos de subjetivação e de invenção de si e do mundo, consideramos que tomar o ser vivo como indivíduo - e o ser humano como um caso do vivo – é apenas uma possibilidade dentre outras. Desse modo, mediante vivências do coletivo dentro de uma instituição onde prima o modo indivíduo de subjetivação, é possível questionar o indivíduo como fundamento para o Direito na criminalização e, conseqüentemente, a aplicação individual da pena. A prisão é aqui tomada como uma opção política de segregação e de proliferação da delinqüência. Ao tentar atualizar as linhas de fuga na Penitenciária, buscou-se destacar a existência, em quaisquer circunstâncias, de produção de vida para além da sobrevida, cartografando os modos de invenção de si que proliferam apesar do aprisionamento. Outrossim, buscou-se produzir novos subsídios teóricos para o abolicionismo penal a partir da Psicologia. Mediante a cartografia como método, a discussão e a escrita se constituíram como agenciamentos, e a escrita, o caderno e o grupo, como dispositivos. A dissertação está caotizada em rizomas e fractais, como uma forma de escrever a vida dentro das grades e a grade dentro das vidas, tendo como resultado final aberturas-problema. / The research on which this dissertation is based was developed at the Penitenciária Feminina Madre Pelletier‟s security gallery, by means of a discussion and writing group developed with women in the process of carrying out freedom-depriving penalty. We explore the everyday experience of imprisonment, unveiling the peculiarities of group work in a security gallery, as well as the relations among living, knowing and power. In such a context, the study of limit both as a form of border and a mode of contact embraces non-rational and non-conscious aspects of cognition as inherent to life itself. Taking as starting points the notion of autopoiesis, the processes of subjectivation and invention of oneself and of the world, we consider that regarding the living being as an individual – and he human as a case of “alive” – is just a possibility among several others. Thus, the experiences of the collective within an institution where the individual is the main mode of subjectivation, enables to put into question the individual as the foundation on which Law roots its right to criminalize the individual and, as a consequence, apply punishment on an individual basis. Therefore, in this work, the prison is taken as a political option of segregation and of delinquency proliferation. Upon trying to refresh prison flight lines, it was also emphasized the existence, regardless of the circumstances, of life production beyond survival, by cartographing the ways of self-production that pullulate in despite of imprisonment. Besides that, it was made an attempt to produce new theoretical basis within the field of Psychology in defense of penal abolitionism. Having cartography for a method, group discussion and writing became agencements, and writing itself, the notebook and the group became devices. This dissertation is chaotizised in rhizomes and fractals, as a way of writing the life inside the enclosures and the enclosures within the lives, the whole process yielding some “problem openings” as the final result.
7

No limite : a invenção de si no espaço prescrito e proscrito da prisão

Leite, Maynar Patricia Vorga January 2012 (has links)
A pesquisa que fundamenta este trabalho foi realizada na galeria de seguro da Penitenciária Feminina Madre Pelletier, mediante grupo de discussão e escrita, junto a mulheres em cumprimento de pena privativa de liberdade. É abordado o dia-a-dia da vida aprisionada, apresentando peculiaridades do trabalho grupal numa galeria de seguro. Também são exploradas as relações entre viver, conhecer e poder. Neste contexto, o estudo do limite enquanto barreira e contato comporta aspectos não racionais e não conscientes da cognição, que é inerente à vida. A partir das noções de autopoiese, de processos de subjetivação e de invenção de si e do mundo, consideramos que tomar o ser vivo como indivíduo - e o ser humano como um caso do vivo – é apenas uma possibilidade dentre outras. Desse modo, mediante vivências do coletivo dentro de uma instituição onde prima o modo indivíduo de subjetivação, é possível questionar o indivíduo como fundamento para o Direito na criminalização e, conseqüentemente, a aplicação individual da pena. A prisão é aqui tomada como uma opção política de segregação e de proliferação da delinqüência. Ao tentar atualizar as linhas de fuga na Penitenciária, buscou-se destacar a existência, em quaisquer circunstâncias, de produção de vida para além da sobrevida, cartografando os modos de invenção de si que proliferam apesar do aprisionamento. Outrossim, buscou-se produzir novos subsídios teóricos para o abolicionismo penal a partir da Psicologia. Mediante a cartografia como método, a discussão e a escrita se constituíram como agenciamentos, e a escrita, o caderno e o grupo, como dispositivos. A dissertação está caotizada em rizomas e fractais, como uma forma de escrever a vida dentro das grades e a grade dentro das vidas, tendo como resultado final aberturas-problema. / The research on which this dissertation is based was developed at the Penitenciária Feminina Madre Pelletier‟s security gallery, by means of a discussion and writing group developed with women in the process of carrying out freedom-depriving penalty. We explore the everyday experience of imprisonment, unveiling the peculiarities of group work in a security gallery, as well as the relations among living, knowing and power. In such a context, the study of limit both as a form of border and a mode of contact embraces non-rational and non-conscious aspects of cognition as inherent to life itself. Taking as starting points the notion of autopoiesis, the processes of subjectivation and invention of oneself and of the world, we consider that regarding the living being as an individual – and he human as a case of “alive” – is just a possibility among several others. Thus, the experiences of the collective within an institution where the individual is the main mode of subjectivation, enables to put into question the individual as the foundation on which Law roots its right to criminalize the individual and, as a consequence, apply punishment on an individual basis. Therefore, in this work, the prison is taken as a political option of segregation and of delinquency proliferation. Upon trying to refresh prison flight lines, it was also emphasized the existence, regardless of the circumstances, of life production beyond survival, by cartographing the ways of self-production that pullulate in despite of imprisonment. Besides that, it was made an attempt to produce new theoretical basis within the field of Psychology in defense of penal abolitionism. Having cartography for a method, group discussion and writing became agencements, and writing itself, the notebook and the group became devices. This dissertation is chaotizised in rhizomes and fractals, as a way of writing the life inside the enclosures and the enclosures within the lives, the whole process yielding some “problem openings” as the final result.
8

Relação poder-saber no/pelo certificado de proficiência em língua portuguesa para estrangeiros e os modos de subjetivação de professores

Luciana Aparecida Silva de Azeredo 24 February 2012 (has links)
O tema proficiência tem sido bastante discutido em estudos na área de Linguística Aplicada, em função do `poder que os exames internacionais exercem na sociedade, servindo como instrumento destinado a atestar um `saber legitimado sobre o conhecimento do examinado e, consequentemente, como mecanismo de seleção e exclusão. Esta pesquisa objetiva fornecer subsídios aos professores de línguas, no que tange ao funcionamento e ao formato de exames de proficiência comunicativos/discursivos, como o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (CELPE-BRAS); além de propiciar problematizações acerca da dicotomia existente entre teoria e prática. Para tal, propomo-nos a analisar a proposta comunicativa/discursiva CELPE-BRAS, à luz de alguns conceitos da Análise do Discurso de Língua Francesa (ADF), na interface com conceitos foucaultianos, atentando para o modo como a relação poder-saber incide nas práticas discursivo-pedagógicas, a fim de observarmos como o professor se subjetiva diante dessa proposta comunicativa/discursiva e quais as transformações que incidem em seu fazer docente. Partimos da hipótese de que há um regime de verdade (dos cursos e técnicas) que engendra os exames comunicativos/discursivos e que foge ao alcance dos professores/avaliadores que, possivelmente, ainda adotam uma abordagem tradicional para preparar/avaliar os candidatos sem que, na maioria das vezes, notem tais incoerências/contradições. Para responder aos nossos questionamentos, apresentamos, primeiramente, algumas especificidades e aspectos da nova proposta do referido exame para, posteriormente, contrapô-las aos depoimentos de professores de Português para estrangeiros, atuantes na Colômbia e no Brasil. A análise empreendida nos permitiu vislumbrar, sobretudo através dos mecanismos de denegação e confissão, a heterogeneidade de vozes presentes no intradiscurso dos pesquisados (sujeitos camaleônicos), vozes essas que também ecoam no Manual e na grade de correção do exame e que apontam para resquícios de uma prática tradicional/estruturalista de avaliar, o que não poderia deixar de ser, pois não temos, enquanto sujeitos de linguagem, meios de silenciar nossa memória discursiva que é evocada nas práticas discursivas. Observou-se, também, que o referido exame exerce um poder na preparação e/ou realização das aulas (efeito retroativo) e também na sociedade, servindo para classificar, selecionar e `descartar candidatos. De modo geral, os sujeitos pesquisados reproduzem a proposta do exame analisado, reproduzindo-a em seu dizer-fazer, a fim de que seu saber seja sacramentado e legitimado. Concluímos que, para que o professor se torne, de fato, discursivista, tal como propõe o exame analisado, considerado como ideal na contemporaneidade, é mister que ele consiga adentrar outras discursividades, singularizando a proposta do exame. / Language proficiency has been discussed in a number of Applied Linguistics studies due to the `power international exams have over society as a whole, being used as a tool that demonstrates a legitimate `knowledge on the examinees knowledge and, consequently, as a selection and exclusion method. This research seeks not only to provide support for language teachers on the features and format of communicative/discursive proficiency exams, such as the Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (CELPE-BRAS), but also to promote problematization on the dichotomy between theory and practice. To do so, we propose to analyze the CELPE-BRAS communicative/discursive proposal, based on French Discourse Analysis and its interfaces with foucaultian concepts, paying careful attention to the way the knowledge-power relation incurs in the discursive-pedagogical practices. By doing so, we intend to observe how teachers subjectify themselves when facing this communicative/discursive proposal and which changes occur in their teaching. Our hypothesis is that there is a (courses and techniques) truth regimen that engenders the communicative/discursive exams that is out of teachers and evaluators reach that may still follow a traditional/structural approach to prepare/evaluate candidates, many times, without even noticing such incoherence. In order to find answers to these questions, first we present some specificities and aspects of the new proposal of the exam and then confront them with the sayings of Portuguese for foreigners teachers who work in Colombia and in Brazil. The analysis performed let us notice, especially by means of the denegation and confession mechanisms, the heterogeneity of voices present in the subjects intradiscourse (chameleonic subjects). These voices also echo in the manual and correction criteria and point to reminiscences of a traditional/structural evaluation practice, which is expected since, as language subjects, there is no way to silence our discursive memory evoked in discursive practices. It was also observed that the exam has a power over the class preparation and/or delivery (washback retroactive effect) and in society, being used to classify, select, and `discard candidates. On the whole, the subjects stick to the exam proposal, reproducing it in their classes, so as their knowledge is sacred and legitimated. We concluded that for the teacher to become discursivist, as the exam proposes, considered as ideal in the contemporaneity, they must access other discursivities that mobilize their practice, thus singularize the exam proposal.
9

No limite : a invenção de si no espaço prescrito e proscrito da prisão

Leite, Maynar Patricia Vorga January 2012 (has links)
A pesquisa que fundamenta este trabalho foi realizada na galeria de seguro da Penitenciária Feminina Madre Pelletier, mediante grupo de discussão e escrita, junto a mulheres em cumprimento de pena privativa de liberdade. É abordado o dia-a-dia da vida aprisionada, apresentando peculiaridades do trabalho grupal numa galeria de seguro. Também são exploradas as relações entre viver, conhecer e poder. Neste contexto, o estudo do limite enquanto barreira e contato comporta aspectos não racionais e não conscientes da cognição, que é inerente à vida. A partir das noções de autopoiese, de processos de subjetivação e de invenção de si e do mundo, consideramos que tomar o ser vivo como indivíduo - e o ser humano como um caso do vivo – é apenas uma possibilidade dentre outras. Desse modo, mediante vivências do coletivo dentro de uma instituição onde prima o modo indivíduo de subjetivação, é possível questionar o indivíduo como fundamento para o Direito na criminalização e, conseqüentemente, a aplicação individual da pena. A prisão é aqui tomada como uma opção política de segregação e de proliferação da delinqüência. Ao tentar atualizar as linhas de fuga na Penitenciária, buscou-se destacar a existência, em quaisquer circunstâncias, de produção de vida para além da sobrevida, cartografando os modos de invenção de si que proliferam apesar do aprisionamento. Outrossim, buscou-se produzir novos subsídios teóricos para o abolicionismo penal a partir da Psicologia. Mediante a cartografia como método, a discussão e a escrita se constituíram como agenciamentos, e a escrita, o caderno e o grupo, como dispositivos. A dissertação está caotizada em rizomas e fractais, como uma forma de escrever a vida dentro das grades e a grade dentro das vidas, tendo como resultado final aberturas-problema. / The research on which this dissertation is based was developed at the Penitenciária Feminina Madre Pelletier‟s security gallery, by means of a discussion and writing group developed with women in the process of carrying out freedom-depriving penalty. We explore the everyday experience of imprisonment, unveiling the peculiarities of group work in a security gallery, as well as the relations among living, knowing and power. In such a context, the study of limit both as a form of border and a mode of contact embraces non-rational and non-conscious aspects of cognition as inherent to life itself. Taking as starting points the notion of autopoiesis, the processes of subjectivation and invention of oneself and of the world, we consider that regarding the living being as an individual – and he human as a case of “alive” – is just a possibility among several others. Thus, the experiences of the collective within an institution where the individual is the main mode of subjectivation, enables to put into question the individual as the foundation on which Law roots its right to criminalize the individual and, as a consequence, apply punishment on an individual basis. Therefore, in this work, the prison is taken as a political option of segregation and of delinquency proliferation. Upon trying to refresh prison flight lines, it was also emphasized the existence, regardless of the circumstances, of life production beyond survival, by cartographing the ways of self-production that pullulate in despite of imprisonment. Besides that, it was made an attempt to produce new theoretical basis within the field of Psychology in defense of penal abolitionism. Having cartography for a method, group discussion and writing became agencements, and writing itself, the notebook and the group became devices. This dissertation is chaotizised in rhizomes and fractals, as a way of writing the life inside the enclosures and the enclosures within the lives, the whole process yielding some “problem openings” as the final result.

Page generated in 0.1506 seconds