• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 77
  • 1
  • Tagged with
  • 78
  • 38
  • 35
  • 24
  • 22
  • 19
  • 18
  • 13
  • 13
  • 13
  • 12
  • 11
  • 11
  • 11
  • 10
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
31

Jornalismo e gênero : produção e disputa de sentidos no discurso dos leitores

Stocker, Pâmela Caroline January 2018 (has links)
Esta tese investiga a produção e disputa de sentidos na relação texto-leitor quando a mídia de referência apresenta novos mapas culturais de significado a respeito de gênero em suas pautas. Por meio dos pressupostos da Análise de Discurso (AD) e uma atitude teórico-metodológica inspirada na análise enunciativa de Foucault (1969), 2.460 comentários de leitores foram analisados. Os comentários foram coletados de sete diferentes reportagens que abordaram o tema da transexualidade publicadas no Facebook da revista Galileu, do Globo Repórter, do Jornal Folha de S. Paulo e do programa Fantástico entre 2015 e 2017. Sabendo que as possibilidades do discurso são reguladas e regulamentadas por uma “ordem do discurso”, em que cada enunciado é entendido como um bem que tem regras de aparecimento, condições de apropriação e de utilização (FOUCAULT, 1971), o objetivo da tese é compreender e problematizar os sentidos manifestados pelos leitores em relação aos novos mapas de significado a respeito de gênero colocados em circulação pela mídia de referência em diferentes meios. Foram encontrados sete núcleos de sentido que atuam em duas frentes: 1. a fim de validar ou invalidar a os novos mapas de significado sobre a transexualidade, os leitores mobilizaram sentidos ligados à religiosidade, razões biológicas e menções ao preconceito; 2. para legitimar ou deslegitimar o jornalismo, os leitores expressaram sentidos ligados ao seu papel social, à abordagem classificada como “ideológica” ou ainda, em razão do caráter científico do enquadramento ou das publicações. O núcleo de sentido relacionado à empatia foi identificado tanto para validar os novos mapas quanto para legitimar o jornalismo. Na análise da amostra total de comentários, observou-se que a produção de sentidos sobre identidade e diferença realizada pelos leitores está diretamente relacionada aos modos de construção da reportagem pelo jornalismo. A escolha de enquadramentos mais sensíveis, fontes diferenciadas, estratégias narrativas mais plurais, a abertura para a voz e experiência do outro e a complexificação da pauta – que numa perspectiva epistemológica de gênero denotam valores do feminino – resultam em sentidos mais afeitos à empatia e abertura dos leitores para a equidade, respeito e compaixão. Por sua vez, os enquadramentos mais duros, o distanciamento das personagens e suas vivências, a tentativa de simplificação da temática, o uso de apenas fontes primárias técnicas e o uso de estratégias narrativas verticalizadas e autoritárias – numa abordagem classificada como masculinista – resultam em sentidos voltados à manutenção e transformação das diferenças em desigualdades e na interdição dos novos mapas pelos leitores. Por fim, observou-se que o jornalismo não interage diretamente com os seus leitores no espaço em rede, preferindo não se manifestar a respeito da conversação gerada no espaço dos comentários, mantendo-se em seu espaço institucionalizado. / This thesis investigates the meanings production and disputation in text-reader relationship when Brazilian reference journalism proposes new cultural maps of meaning about gender in its agenda. Through Discourse Analysis premises and a theoretical-methodological attitude inspired by Foucault's (1969) enunciative analysis, this research analyzed 2,460 reader’s comments. The comments were collected from seven different reports that addressed the transsexuality topic published on the Facebook of pages Galileu magazine, Folha de S. Paulo newspaper, Globo Repórter and Fantástico TV programs between 2015 and 2017. Since discourse’s possibilities are regulated by an “orders of discourse”, which means that each enunciation is understood as a good that has rules of appearance and appropriation and application conditions (FOUCAULT, 1971), this thesis aims to understand and problematize the meanings manifested by readers concerning new gender maps of meaning that were put in circulation by reference Brazilian journalism in different media. The analysis found seven meaning nucleuses that act on two directions: 1. In order to validate or invalidate the maps of meaning proposed by journalism, readers have mobilized meanings related to religiosity, biological explanations and references to prejudice. 2.In order to legitimize or delegitimize journalism, readers expressed meanings related to their social role, the approach classified as “ideological” or because of the scientific quality of news framings or publications. The meaning nucleus related to empathy was identified both to validate the new maps of meaning and to legitimize journalism. Considering the analysis of the entire sample of comments, it was observed that meanings production about identity and difference performed by the readers is directly related to the ways of journalism report making. The selection of more sensitive framings, distinct sources, more plural narrative strategies, the opening up to the other’s voice and experience and the complexity of the agenda – one that shows feminine values in a epistemological gender perspective - results in meanings which are more connected to empathy and readers’ openness to fairness, respect and compassion. By contrast, the harsher framings, the separations experiences of the characters, the attempt to simplify the subject, the usage of technical primary sources only, besides vertical and authoritarian narrative strategies – an approach identified as masculinist – give rise to meanings of maintenance and transformation of differences in inequalities and interdiction of new maps by readers. Finally, this research observed that journalism does not interact directly with its readers in the networking space, it prefers not to pronounce about the conversation produced in the comments space and remaining in its institutionalized place.
32

Corpos (trans)formados no cinema

Silva, Caio Ramos da January 2018 (has links)
A presente pesquisa busca empreender um mapeamento de produções cinematográficas, nacionais e internacionais, que abordam a transgeneridade. A partir desse procedimento, observamos as regularidades que emergiram desse conjunto de produções. Objetivamos traçar um percurso que inscreve esse esforço num plano micropolítico, uma vez que interroga criticamente as práticas comunicacionais e discursivas do cinema hegemônico. Para tanto, exploramos aproximações e tensionamentos provocados pelos estudos queer considerando, aqui, que é esse conjunto de noções que melhor dá conta de pensar a condição trans enquanto um deslocamento que se impõe ao sistema binário masculino/feminino e, como consequência, ao sistema sexo/gênero. Esse percurso conduzido, ainda, sob um viés discursivo/foucaultiano, traz como implicação um profundo questionamento daquilo que configura o humano ao interrogar os biopoderes, os limites do corpo e os regimes de verdade que o produzem. Desse modo, essa pesquisa guia-se pela seguinte questão: como se configuram os discursos que produzem e expressam os corpos trans no cinema? Partimos das análises dos filmes Meninos Não Choram (1999), Tomboy (2011), Num Ano de 13 Luas (1978), Tirésia (2003), Lado Selvagem (2004), Vera (1987), Tangerine (2015), Paris is Burning (1991) para examinar as regularidades observadas, supondo ser possível interrogar as condições de possibilidade de novas formas de expressar a transgeneridade, no sentido de configurar linhas de fuga significativas para as audiovisualidades. / The present research seeks to undertake a mapping of cinematographic productions, national and international, that deal with transgender characters. From this procedure, we observe the regularities that emerged from this set of productions. We aim to trace a path that inscribes this effort in a micropolitical plan, since it critically questions the communicational and discursive practices of hegemonic cinema. To do so, we explore approximations and tensions provoked by queer studies, considering here it is this set of notions that best account for thinking the trans condition as a displacement that imposes itself on the male / female binary system and, as a consequence, on the sex / gender system . This course, conducted even under a discursive / Foucaultian bias, entails a deep questioning of what constitutes the human being when interrogating biopowers, the limits of the body and the regimes of truth that produce it. Thus, this research is guided by the following question: how are the discourses that produce and express trans bodies in cinema? We start from the analysis of the films Boys Don’t Cry (1999), Tomboy (2011), In a Year of 13 Moons (1978), Tiresia (2003), Wild Side (2004), Vera (1987), Tangerine (2015) and Paris is Burning (1991) to examine observed regularities, assuming that it is possible to interrogate the conditions of possibility of new ways of expressing transgender experiences, in order to configure significant escape lines for audiovisuals.
33

Migrações sexuais e de gênero : experiências de mulheres transexuais

Petry, Analídia Rodolpho January 2011 (has links)
A presente pesquisa tem como foco os processos de migração sexual e de gênero de sujeitos designados pelo discurso biomédico como transexuais mulheres que realizaram o processo transexualizador em um hospital de Porto Alegre. Trata-se de um estudo inserido no campo dos Estudos Culturais, em articulação com o campo dos Estudos de Gênero. Objetiva-se problematizar como ocorrem os processos de migração sexual e de gênero de sujeitos transexuais que se submeteram à cirurgia de redesignação sexual há pelo menos dois anos, focalizando, prioritariamente, as representações de gênero, corpo, sexo e sexualidade que se articulam nessas trajetórias. A metodologia deste estudo utiliza-se de histórias de vida de sete mulheres transexuais para quem o evento desencadeador das entrevistas narrativas é a cirurgia de redesignação sexual denominada de neocolpovulvoplastia. As narrativas produziram duas unidades analíticas, abordando o modo como os processos de migração sexual e de gênero empreendidos são narrados e as representações de corpo, gênero e sexualidade que são mobilizadas. As articulações entre gênero, corpo e sexualidade, enquanto ferramentas analíticas, com o material empírico produzido, permitiram delinear a flexibilidade, a multiplicidade e a provisoriedade de identidades e de experiências que são mobilizadas nesses processos, o que coloca importantes questões para as instituições sociais e áreas de conhecimento que estão implicadas na produção e veiculação de explicações psico-biologicistas como gênese da diversidade sexual. As reflexões efetuadas nesta pesquisa são importantes para ampliar e qualificar práticas de cuidado de enfermagem e de saúde, de modo geral, voltadas para o atendimento a sujeitos transexuais no contexto social, na medida em que temas vinculados ao gênero e à sexualidade continuam sendo pouco abordados nos processos de formação profissiona / This research focuses on the processes of sexual and gender migration of subjects named by the medical discourse as women transsexuals that have undergone the transsexualization process in a hospital in Porto Alegre. The study is founded on the field of Cultural Studies, in articulation with the field of Gender Studies. The aim is to problematize the ways in which the processes of sexual and gender migration occur in transsexual subjects that underwent the sexual reassignment surgery at least two years ago, focusing primarily on the representations of gender, body, sex and sexuality that have been articulated in their trajectories. The methodology used in this study comprehends the life histories of seven transsexual women whose narrative interviews have been triggered by the sexual reassignment surgery called neovaginoplasty. Their narratives have produced two analysis units, approaching both the way the processes of sexual and gender migration have been narrated and the representations of body, gender and sexuality that have been mobilized. The articulations of gender, sexuality and body, while analytical tools, with the empirical data produced allowed us to delineate the flexibility, variety and the temporary character of identities and experiences that are mobilized by these processes, which raises important questions for social institutions and areas of knowledge that are involved with the production and delivery of psycho-biologists explanations as the genesis of sexual diversity. The reflections made in this research are important to widen and improve nursing care practices and health aimed at assisting transsexual subject in the social context. Topics related to gender and sexuality has been shortly addressed on process of training, especially in health. / La presente investigación se centra en los procesos de migración sexual y de género de los sujetos designados por el discurso biomédico como transexuales mujeres que realizaron el proceso transexualizador en un hospital de Porto Alegre. Se trata de un estudio insertado en el campo de los Estudios Culturales, en articulación con el campo de los Estudios de Género. Se apunta a entender como ocurren los procesos de migración sexual y de género de sujetos transexuales que se sometieron a la cirugía de redesignación sexual hay por lo menos dos años, centrándose, prioritariamente, las representaciones de género, cuerpo, sexo y sexualidad que se articulan en esas trayectorias. La metodología de este estudio se utiliza de historias de vida de siete mujeres transexuales para quienes el evento causante de las entrevistas narrativas es la cirugía de redesignación sexual denominada de neocolpovulvoplastia. Las narrativas produjeron dos unidades analíticas, abordando el modo como los procesos de migración sexual y de género emprendidos son narrados y las representaciones de cuerpo, género y sexualidad que son movilizadas. Las articulaciones entre género, cuerpo y sexualidad, mientras herramientas analíticas, con el material empírico producido permitieron delinear la flexibilidad, la multiplicidad y la transitoriedad de las identidades y de experiencias que son movilizadas en esos procesos, lo cual plantea importantes cuestiones para las instituciones sociales y áreas de conocimiento que están implicadas con la producción y trasmisión de explicaciones psico-biologicista como génese de la diversidad sexual. Las reflexiones hechas em esta investigación son importantes para ampliar y mejorar las prácticas de atención de enfermería y salud, destinados a ayudar a los sujetos transexuales en el contexto social. Los temas relacionados com gênero y sexualidad siguen poco abordados en el processo de capacitación, especialmente em la salud.
34

Gênero, corpo, saúde e direitos : experiência e narrativas de homens (trans) e homens (boys) em espaços públicos

CORDEIRO, Ana Carolina Silva 02 August 2016 (has links)
Submitted by Fernanda Rodrigues de Lima (fernanda.rlima@ufpe.br) on 2018-08-21T20:11:47Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Ana Carolina Silva Cordeiro.pdf: 1435489 bytes, checksum: cf988b4976de67da9a08724f8097726e (MD5) / Approved for entry into archive by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2018-08-28T23:02:33Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Ana Carolina Silva Cordeiro.pdf: 1435489 bytes, checksum: cf988b4976de67da9a08724f8097726e (MD5) / Made available in DSpace on 2018-08-28T23:02:33Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Ana Carolina Silva Cordeiro.pdf: 1435489 bytes, checksum: cf988b4976de67da9a08724f8097726e (MD5) Previous issue date: 2016-08-02 / CAPES / CNPq / Este trabalho tem como foco pessoas que tiveram seus corpos assignados ao nascer como femininos, mas se identificam como homens e que estão presentes em espaços públicos na Região Metropolitana de Recife- RMR. Possui como interlocutores indivíduos com uma diversidade de classe, raça, vivência de gênero e sexualidade. Para ter acesso a esses foram estabelecidas parcerias com várias instituições de direitos, saúde e educação. Foi realizada uma análise dos sentidos e significados construídos sobre saúde, corpo, gênero e direitos, focando nos desafios para o reconhecimento como homens na sociedade a partir das narrativas dos interlocutores. Além dos interlocutores que se identificam como (trans), há, na pesquisa, interlocutores que se identificam como homens, mas utilizam outros termos, como (boys). Os diferentes espaços de interlocução indicam inserção em grupos sociais diferentes. Os interlocutores homens (boys) se identificam como pertencentes às classes populares, enquanto entre os homens(trans), a maioria se identifica como pertencentes às classes médias. Nas estratégias metodológicas para desenvolver os objetivos e as questões apresentadas, utilizaram-se: revisão de literatura, análise de documentos, e procedimentos etnográficos que incluíram entrevistas semi-estruturadas, história oral, observação participante, tudo registrado no Diário de campo. Foram realizadas entrevistas formais com 15 homens (trans), 6 homens (boys), 3 militantes transativistas e 5 profissionais. Há experiências comuns entre os interlocutores em se tratando da transição do gênero: o processo de auto-identificação e auto-definição como homens, geradas a partir da inadequação com as imposições atribuídas sócio-culturalmente ao gênero feminino; os relacionamentos afetivo-sexuais e conjugalidades são importantes nesse processo, sobretudo, a presença do sentimento de ser homem; a experimentação do estigma de diferentes formas; a maneira de significar o corpo e o desejo de masculinização do corpo. É quase unânime a vontade de realizar mastectomia; e a inserção em espaços em que é possível, em graus diferentes, desenvolver e construir corpos e subjetividades e assegurar direitos. Apesar das experiências em comum, foram percebidas diferenciações que são cruciais para a concretização ou não de seus projetos de vida. Essas se relacionam com o contexto sócio-econômico-cultural em que esses indivíduos costumam circular. As informações sobre a transexualidade masculina ainda têm pouca visibilidade e ficam mais restritas a ambientes universitários, de pesquisas na área de gênero e sexualidade, na militância LGBT e (trans), entre outros espaços limitados. O conhecimento das transmasculinidades e de questões relacionadas, como direitos à saúde, nome social, podem ser facilitados por um determinado capital cultural, referente a classes médias e altas. Muitos homens (boys) ficam à margem desses direitos, e isso contribui para que esses interlocutores criem outras formas de alcançarem o reconhecimento e busca por direitos. Para ambos os grupos, há vários desafios para esse reconhecimento social e legal: patologização das identidades (trans), o cissexismo/transfobia/misoginia que esses sofrem, quando não acompanhados por racismo/homofobia, e outras opressões. Além do mais, o atual cenário político-social violento é nocivo às pessoas que transicionam o gênero. / The present research focuses on people who had their bodies assigned as females at birth, but who see themselves as having male gender identity, and are present in public spaces in the Metropolitan Region of Recife- RMR. It delas with a range of individuals with a diversity of class, race, gender experience and sexuality/ class, race, gender experience and diverse sexualities. To Interact with these people, partnerships were made with human rights, health and educational institutions. An analysis of the senses and meanings constructed on health, body, gender and rights, focusing on challenges for recognition as men in society, was carried out using the base of narratives odf participants in the research.. Some participants in the research identify themselves as transsexual males (trans), and others who use other terms, like (boys). These terms indicate roughly an insertion in different social groups: homens(boys) are identified as belonging to popular classes, and most homens(trans) identify themselves as belonging to middle classes. The methodolical strategy to attain the objectives and address the issues presented in this study were: literature review, document analysis, as well as ethnographic procedures including semi-structured interviews, oral history, participant observation, all registered in field diaries. The formal interviews were done with 15 (trans) men, 6 (boys) men, 3 transactivists militants and 5 professionals. There are common experiences between the two profiles of participants concerning the gender transition: the processes of self-identification and self-definition as men, resulting from their inadequacy with the socio-cultural markers for females. Affective-sexual relationships and conjugalities are important in this process, and above all, the feeling of being a man; and having faced different types of stigma; and the ways to signify their body and their desire to „masculinizie‟ it. Almost all wish to perform a mastectomy and, when possible, in different degrees, wish to develop and build their bodies and subjectivities and ensure the recognition of their rights. Despite the common experiences, differences crucial to the achievement of their life projects were perceived, especially with respect to the socio-economic and cultural context in which these individuals frequent. Information about male transsexuality still has poor visibility, generally being restricted to university environments, to research in the area of gender and sexuality, to LGBT and (trans)activism, among other limited spaces. Knowledge about male transsexuality and related issues, such as rights to health and social name, can be facilitated by a certain cultural capital, referring to middle and upper classes. Many homens(boys) remain on the fringe of these rights, and this contributes to the creation of other ways to achieve recognition and to search for rights by them. Of course, for both groups, there are several challenges to achieve this social and legal recognition: pathologization of (trans) identities; cissexism / transphobia / misogyny that they suffer, that often can be accompanied by racism / homophobia and other oppressions. Furthermore the current political and social scene is violent and harmful to people who are transitioning gender.
35

Transexualidade(s) e travestilidade(s) no jornalismo: uma análise discursiva das notícias produzidas em Pernambuco pelo Aqui PE e Jornal do Commercio

CAEIRO, Rui Miguel Pereira 29 February 2016 (has links)
Submitted by Fabio Sobreira Campos da Costa (fabio.sobreira@ufpe.br) on 2016-08-26T13:34:53Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO VERSÃO DIGITAL FINAL.pdf: 1801824 bytes, checksum: fa9f05a820a2698b9f22a84423419651 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-26T13:34:53Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO VERSÃO DIGITAL FINAL.pdf: 1801824 bytes, checksum: fa9f05a820a2698b9f22a84423419651 (MD5) Previous issue date: 2016-02-29 / CAPEs / A presente investigação é instigada por dois pressupostos: 1) compreendendo a grande mídia como instituição integrada, e originada, no sistema capitalista, ela é foco de complexas lutas de/pelo poder para/de influenciar a produção de significados e representações sociais – ou seja, é espaço privilegiado no (re)conhecimento da (in)existência e (in)visibilização de vozes, temas e mundos, assim colaborando na (re)construção social da realidade; 2) na sociedade brasileira, pessoas trans constituem um dos grupos político-identitários que maior marginalização sofre diariamente – de ordem estrutural, muitas das violências transfóbicas/ cissexistas que enfrentam são resultado, e resultam, do/no apagamento de suas vozes, historicamente patologizadas/ criminalizadas pelos saberes ‘oficiais’ (principalmente os construídos pela medicina e ciências psi, reproduzidos nos mais variados espaços públicos e privados). Nossa hipótese é que a mídia é, também, espaço de (re)produção de violências e exclusão de pessoas trans – hipótese essa que ao final afirmamos, e justificamos, como verdadeira. Desta forma, o trabalho tem três objetivos centrais: 1) analisar os discursos produzidos (jan.2014 – jan.2015) por Aqui PE e Jornal de Commercio (versões impressas) acerca de transexualidade(s) e travestilidade(s); 2) através de entrevistas semi-estruturadas com alguns dos sujeitos envolvidos na produção noticiosa (editoras/es dos cadernos analisados), lançar pistas sobre algumas das concepções acerca de transexualidade e travestilidade que circulam nas redações dos jornais, bem como sobre outras variáveis que condicionem a construção noticiosa dos temas; 3) alinhavando teorizações provenientes, principalmente, das Teorias do Jornalismo, Estudos Críticos do Discurso e Estudos Queer, refletir sobre as possibilidades de mudança discursiva, portanto social, acerca da(s) transexualidade(s), travestilidade(s) e, necessária-simultaneamente, cisgeneridade(s). / The investigation is instigated by two assumptions: 1) understanding the mainstream media as an institution integrated, and originated, in the capitalist system, it is the focus of complex struggles of/for power to influence the production of meanings and social representations – i.e., its a privileged space for the recognition of (in)existence and (in)visibility of voices, themes and worlds, thus collaborating in the reconstruction of reality; 2) in Brazilian society, transgender people are one of the political/identity groups that, on daily bases, experience social marginalization – structural, many of the transphobic/ cissexists violence they face are the result, and result, from / in the deletion of their voices, historically pathologized/ criminalized by 'official' knowledge (mostly built by medicine and psychological sciences, reproduced in various public and private spaces). Our hypothesis is that the media is, also, space of (re)production of violence and exclusion of transgender people - a hypothesis that at the end we found to be true. Thus, the work has three main objectives: 1) to analyze the discourses produced (jan.2014 - jan.2015) on Aqui PE and Jornal do Commercio (printed versions) about transsexuality(s); 2) through semi-structured interviews with some of those involved in news production (publishers of the analyzed books), provide clues about some of the conceptions of transsexuality circulating in newsroom and newspapers, as well as other variables that condition the construction of news topics; 3) tacking theories derived mainly from Journalism Theories, Critical Discourse Studies and Queer Studies, reflect on the possibilities of discursive change, therefore social changes, about transgenderity and, necessary- simultaneously, cisgenderity.
36

Formação das pessoas transexuais na Universidade Federal de Sergipe : enfrentamento e resistência das normas de gênero no espaço acadêmico

Santos, Adriana Lohanna dos 26 February 2018 (has links)
São Cristóvão, SE / Esta pesquisa teve como objetivo central analisar o processo de formação e permanência das pessoas transexuais na Universidade Federal de Sergipe, refletindo sobre suas trajetórias de vida como estudantes universitári@s e as estratégias de enfrentamento e resistências das normas de gênero. A análise desenvolvida é influenciada pelos pressupostos pós-estruturalistas, visto que essa abordagem nos possibilita a desestabilização de rótulos e estereótipos, a partir da problematização e questionamentos das verdades (re) produzidas sobre gênero, sexualidade e desejo, com foco na transitoriedade e na contingência. O texto fundamenta-se nos conceitos de transexualidade (Berenice Bento), gênero e normas de gênero (Judith Butler, Guacira Louro), sexualidade (Michel Foucault e Preciato) Heteronormatividade (Judith Butler, Rogério Junqueira). A abordagem de pesquisa adotada foi a qualitativa no processo metodológico, utilizando estratégias de produção de dados a partir da realização de sete entrevistas narrativas com estudantes de diversos cursos de graduação da Universidade Federal de Sergipe. A partir dos resultados, identificou-se quem são @s estudantes transexuais da universidade e suas trajetórias formativas; provocou a reflexão acerca da descoberta da identidade trans, através do espaço universitário, e como são experienciadas as vivências trans dentro do cotidiano acadêmico. Ainda, foram identificadas as estratégias de permanência e de resistência utilizadas pel@s estudantes transexuais, tais como a negação do uso do banheiro na universidade e o silenciamento dentro das salas de aulas. A pesquisa também apontou as políticas institucionais voltadas para as pessoas trans e sua aplicabilidade, como por exemplo, a portaria que autoriza o uso do nome social e a criação e implementação do Ambulatório de atendimento a pessoas transexuais (Ambulatório Trans), no Campus de lagarto. Como política de enfrentamento e resistência às normas de gênero, a presença de estudantes transexuais possibilitou o surgimento de coletivos ativistas na Universidade Federal de Sergipe, contribuindo para socialização dos saberes trans a partir de reuniões e eventos, como a Semana da Visibilidade Trans. Portanto, conclui-se que, ao refletir acerca das narrativas formativas de estudantes transexuais na Universidade Federal de Sergipe, faz-se necessário desfazer ideias preconcebidas sobre corpo, gênero e sexualidade, para que possamos não mais analisar os corpos, os gêneros e as sexualidades das pessoas transexuais, mas aprender a partir deles.
37

A emergência da categoria da transexualidade na interseção com as técnicas biomédicas. / The emergency of the category of transsexuality at the intersection with biomedical techniques.

Carlos André Chaves Mack 24 February 2015 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Refletindo sobre a emergência da categoria da transexualidade como a conhecemos na atualidade e seus desdobramentos sociais, políticos e subjetivos, especialmente a partir da segunda metade do século XX, procuramos nessa dissertação discutir o contexto que possibilitou o fenômeno da medicalização tecnológica dessa categoria. Ao desenvolvê-lo, essa pesquisa aponta atores da categoria médica e da militância que compuseram uma relação de negociação entre a demanda do indivíduo transexual e as possibilidades técnicas, legais e discursivas da biomedicina. Inicialmente, buscamos compreender como os profissionais médicos, psiquiatras e psicanalistas, pertencentes à ciência da sexologia a partir do fim do século XIX, incluíram em seus discursos e práticas os comportamentos sexuais considerados desviantes na época. O homossexualismo e o travestismo, representantes dessas perversões, constituíram categorias diagnósticas e identitárias de fundamental importância para a inauguração da transexualidade enquanto categoria nosológica médico-psiquiátrica e enquanto tipo humano, ou seja, uma forma subjetiva de experiência e identidade de gênero. Diante disso, e considerando o contexto sociocultural e o desenvolvimento biotecnológico hormonal e cirúrgico na época, temos a hipótese que a criação dessa categoria só foi possível devido à incorporação em indivíduos transexuais de procedimentos tecnocientíficos que possibilitaram que suas transformações anatomobiológicas construíssem o gênero desejado. A medicalização da transexualidade e sua regulação médico-jurídica, ao mesmo tempo em que são vetores de patologização e de estigma, possibilitaram o acesso à essas transformações corporais. Essa pesquisa problematiza o acesso à essas tecnologias, condicionado à obtenção do diagnóstico psiquiátrico, e aborda a relação interativa entre os aspectos discursivos e práticos da categoria médica e dos indivíduos transexuais e militância, assim como seus efeitos que iluminam essa questão. Finalmente, com o objetivo de ilustrar e compreender a interação entre a tecnologia e o corpo transexual, descrevemos e discutimos brevemente os principais procedimentos aplicados em homens transexuais e mulheres transexuais na transição de gênero. / Reflecting on the emergence of the category of transsexuality as we know it today and its social, political and subjective consequences, particularly from the second half of the twentieth century, we tried in this dissertation to discuss the context that enabled the phenomenon of technological medicalization of this category. By developing it, this research presents physicians and activists actors who established a negotiation process between the demand of transsexual individuals and biomedicines technical, legal and discursive possibilities. Initially, we sought to understand how medical professionals, psychiatrists and psychoanalysts, belonging to the science of sexology from the late nineteenth century, included in their discourses and practices sexual behaviors considered deviant at the time. Homosexuality and transvestism, representatives of these "perversions", were diagnostic and identity categories of fundamental importance for the inauguration of transsexuality as a medical and psychiatric nosological category and as a "human kind", in other words, a subjective form of gender experience and identity. Therefore, and considering the socio-cultural context and the hormonal and surgical biotechnological development at the time, we have the hypothesis that the creation of this category was only possible due to the embodiment in transgender individuals of technoscientific procedures that enabled the se anatomic and biological transformations to build the desired gender. The medicalization of transsexuality and its medical-legal regulation, while they are vectors of pathologization and stigma, allowed access to these body changes. This research discusses the access to these technologies, subject to obtaining the psychiatric diagnosis, and addresses the interactive relationship between the discursive and practical aspects of the medical category and transsexual activists and individuals, as well as its effects that illuminate this issue. Finally, in order to illustrate and understand the interaction between technology and the transsexual body, we describe and briefly discuss the main procedures applied in transsexual men and transsexual women in gender transition.
38

"Muito prazer, eu existo!" Visibilidade e reconhecimento no ativismo de pessoas Trans no Brasil. / "Muito prazer, eu existo!" Visibilidade e reconhecimento no ativismo de pessoas Trans no Brasil. / "Pleased to meet you, I exist!" Visibility and recognition in Trans people activism in Brazil. / "Pleased to meet you, I exist!" Visibility and recognition in Trans people activism in Brazil.

Mario Felipe de Lima Carvalho 18 May 2015 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Esta é uma tese sobre cartazes, faixas, memes, cartilhas, palanques, microfones, panfletos, pessoas na rua, megafones, performances, vídeos, biografias, blogs, tweets e postagens no Facebook. Esta é uma tese sobre as interações sociais envolvidas na luta por reconhecimento empreendida por ativistas trans numa multiplicidade de palcos que vem sendo disponibilizados e construídos na arena política. Na última década, essa luta foi construída através da reivindicação por visibilidade. Assim, o dia específico de celebração ou de protesto de pessoas trans no Brasil, o dia 29 de janeiro, é chamado de Dia da Visibilidade Trans. A categoria visibilidade, cuja construção histórica pode ser percebida por diferentes meios, é polissêmica e contextual. É, portanto, o objetivo inicial desta tese explorar os diferentes sentidos atribuídos à visibilidade enquanto categoria chave da luta política no ativismo de pessoas trans no Brasil. Para tanto, foram realizadas observações etnográficas em diversos encontros de ativistas, tanto exclusivamente trans como LGBT em geral; em manifestações de rua; em seminários realizados em parcerias com órgãos governamentais; em uma campanha eleitoral e em espaços de sociabilidade e de ativismo online; além da análise de diversos materiais (cartazes, panfletos, memes, cartilhas, faixas, etc.) produzidos por ativistas; e duas entrevistas complementares ao trabalho etnográfico. A partir desse material de campo, busco tecer relações entre produções de regimes alternativos de visibilidade de pessoas trans e sua luta por reconhecimento, tendo como foco as interações sociais (online e offline), nas quais se fazem presentes processos comunicativos e negociações do estigma. / This is a thesis on posters, banners, memes, booklets, stages, microphones, flyers, people on the street, megaphones, performances, videos, biographies, blogs, tweets and Facebook posts. This is a thesis on the social interactions involved in the struggle for recognition undertaken by trans activists in a plurality of stages that has been made available and built in the political arena. In the last decade, this struggle was constructed under the demand for visibility. Thus, the specific day of celebration or protest of trans people in Brazil, January 29, is called Trans Visibility Day. The visibility, whose historical construction can be realized by different means, is polysemic and contextual. It is therefore the initial objective of this thesis to explore the different meanings attributed to the visibility as a key category of political struggle in the activism of trans people in Brazil. Therefore, ethnographic observations were conducted in various meetings of activists, both exclusively trans as LGBT in general; in street protests; at seminars held in partnership with government agencies; in an election campaign and in online spaces of sociability and activism; as well as the analysis of various materials (posters, flyers, memes, brochures, banners, etc.) produced by activists; and two additional interviews to complement the ethnographic work. From that field material, I try to weave relationships between alternative regimes of visibility of transgender people and their struggle for recognition, focusing on social interactions (online and offline), in which are present communicative processes and stigma negotiations.
39

Geni e os direitos humanos: um retrato da violência contra pessoas trans no Brasil do século XXI / Geni and the human rights: a portrait of violence against trans people in Brazil in the twenty-first century

Ubirajara de None Caputo 12 September 2018 (has links)
O objeto principal da pesquisa é a violência contra travestis, mulheres transexuais e homens transexuais no Brasil contemporâneo. Ele é abordado a partir das denúncias de violações de Direitos Humanos (DH) dessa população, realizadas através do serviço Disque Direitos Humanos (Disque 100) da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR). Foram identificadas as seguintes categorias de violação: agressão verbal, ameaça/tentativa de morte, ameaças (exceto de morte), assassinato, discriminação, negligência, prejuízo financeiro, violência física e violência sexual. Apurou-se quantitativamente a frequência de violações por unidades da federação, por categorias de violações e por categorias de suspeitos, relacionando-as entre si. A maioria das violações são perpetradas por homens, exceto nos casos de negligência, em que os principais violadores são instituições públicas. Também foram descritas, numa abordagem qualitativa, situações de violação nos contextos familiar, de trabalho, de consumo, de exploração sexual e de utilização de serviços públicos, especialmente nas áreas de educação, saúde, assistência social e segurança. Além disso, procurou-se compreender os impactos da violência nas subjetividades das vítimas utilizando-se o conceito de humilhação social. À luz dos resultados desta pesquisa e de outros trabalhos realizados em várias partes do mundo, conclui-se que a transfobia é um fenômeno transcultural que se assenta em cinco eixos ligados à interdição e à reificação: interdição da vida corpórea, interdição na vida social, interdição na vida política, reificação para uso sexual e reificação para o escárnio / The main purpose of this research is to discuss about violence against transvestites, transsexual women and transsexual men in contemporary Brazil. Its approach is based on the reports of Human Rights violations in this population, carried out through the Human Rights Hotline Service (Dial 100) of the Secretariat of Human Rights of the Presidency of the Republic. The following categories of violation have been identified: verbal aggressiveness, death threat/attempt, threats (except death), murder, discrimination, neglect, financial loss, physical violence and sexual violence. The frequency of violations by federation units, by category of violations and by categories of suspects, was quantitatively determined by relating them to each other. Most of the violations are perpetrated by men, except in cases of negligence, where the main violators are public institutions. Situations of violation concerning the contexts in the family, work, consumption, sexual exploitation and use of public services, especially in the areas of education, health, social assistance and security, were also described in a qualitative approach. Moreover, we aimed at the comprehension of the impacts of violence on the subjectivities of victims making use of the social humiliation concept. In the light of the outcomes of this research and other works held in various parts of the world, the conclusion is that transphobia is a cross-cultural phenomenon which is based on five axes linked to interdiction and reification: corporeal life interdiction, social life interdiction, political life interdiction, reification for sexual use and reification for derision
40

A vivência afetivo-sexual de mulheres transgenitalizadas / The affective-sexual experience of transgenitalized women

Maria Jaqueline Coelho Pinto 07 March 2008 (has links)
A transexualidade é uma forma de manifestação da sexualidade humana, caracterizada por um forte desejo de correção cirúrgica. No cenário atual, indivíduos que se sentem pertencentes a uma identidade de gênero oposta ao seu sexo biológico, aos poucos têm sido ouvidos em suas reivindicações. Essa problemática é antiga, o que o torna atual é a possibilidade legal de \"mudar de sexo\". Partindo dessa premissa, a presente pesquisa, realizada com tdez transexuais MtF já submetidas à cirurgia de transgenitalização no Hospital de Base José do Rio Preto-SP/FAMERP, objetiva a compreensão dos sentido e significado atribuído por elas à vivência afetivo-sexual após a cirurgia de transgenitalização. Os depoimento obtidos por meio de uma entrevista mediada pela seguinte questão: Como está sendo sua vivência afetivo-sexual após a cirurgia de transgenitalização? Para análise, utilizamos a metodologia qualitativa viabilizada pela suspensão fenomenológica, que consiste na leitura e releitura dos depoimentos, discriminação das unidades de significados, elaboração categorias e identificação das convergências e divergências nos discursos. Para compreensão dos depoimentos buscamos o auxílio de perspectivas teóricas biológicas, psicológicas e sócio-culturais. Na análise dos depoimentos foram destacadas as categorias de significados: 1) descoberta do corpo transgenitalizado; 2) temporalidade da relação sexual após a cirurgia; 3) temor da revelação; 4) vivência afetivo-sexual; 5) papelsocial de gênero; 6) a temporalidade da mulher transgenitalizada. Como resultados, encontramos o reconhecimento de uma imagem em harmonia com seus corpos, integrando sua identidade biológica à psicológica. A ansiedade e a insegurança entre o desejo e o medo do novo surgem no início das atividades sexuais após a cirurgia. O temor da revelação está presente e representado pelo medo da não aceitação social e a ocorrência de agressões psicológicas ou ) fisicas decorrentes do seuI estigma. Em sua vivência afetivo-sexual, emerge a satisfação pessoal pela nova possibilidade de vida. Seus relacionamentos apresentam componentes do estigma e dos estereótipo a ele associados. A expressão do estigma aparece no papel social de gênero. Dentro da temporalidade surge a satisfação com o corpo e o novo papel de gênero e, a busca relacionamentos afetivo-sexuais. A cirurgia de transgenitalização constitui um grande passo na temática da transexualidade, possibilitando à mulher transgenitalizada a aquisição de uma identidade integral compatível com o seu psiquismo. A partir dela, emergiram sensações, sentimentos e prazeres, possibilitando relações afetivo-sexuais e sociais integradas a sua existência. No cenário atual, a transgenitalização passou a ser compreendida, por essas mulheres como um dos elementos necessários, embora não o único, para o seu reconhecimento e inserção social no mundo contemporâneo / Transsexuality is a form of manifestation of human sexuality characterized by a strong desire for surgical correction. ln the present scenario, individuals who feel they belong to a gender identity opposed to their biological sex have been increasingly heard in their reivindiction. It is ancient issue - what is new about is the legal and ethical possibility of \"changing sex-. Based on such premises, the research carried out with teu MtF transsexuals submitted to the transgenitalization surgery aims to understand the sense and meaning they attribute to their affective-sexual experiences following the surgery. The results showed us the recognition of an image in harmony with their bodies, integrating their biological and psychological identities; the anxiety and insecurity regarding their desire and fear of the unknown that emerge when they start their sexual activity following the surgery; the fear to reveal their identity, represented by the fear of social inacceptance and physical or psychological aggression derived from their personal satisfaction of a new llife that emerges from their sexual experiences; components of the stigma and stereotypes associated to it in their relationships; the expression of the stigma in the gender social role; their satisfaction with their body and their new gender role; and the search for affectiv-sexual relationships. The collaborators\' statements were collected in an interview guided by the following question:How have you experienced your affective-sexual life following transgenitalization surgery? For the analysis we applied the qualitative methodology supported by the phenomenological suspension, which consists in the researcher\'s reading and rereading of the statements collected for the discrimination of units of meaning elaboration of categories, and identification of converging speeches. For an understanding of the collaborators\' statements, we sought the aid of biological, psychological and social-cultural theory perspectives. ln the analysis we highlight six categories of meaning: 1) finding out the transgenitalized body; 2) temporality of first sexual relation following the surgery; 3) fear of revelation; 4) affective-sexual experience; 5) gender social role; 6) temporality of the transgenitalized woman. We found in their answers the recognition of an image in harmony with their bodies, which integrates their biological and sociological identities. As a result of this integration, new sensations, feelings, and pleasures have emerged, offering these the women the possibility of integrated social and affective-sexual existence. Today, transgenitalization has been understood by these women as one of the paramount elements necessary recognition of themselves and to their insertion in the contemporary world. We defend, in short, that the transgenitalization surgery is a great step towards understanding transsexuality and its particularities, which enable transgenitalized women the acquisition of an integral identity compatible with their psychism

Page generated in 0.0773 seconds